Você está na página 1de 2

RENASCIMENTO CULTURAL, O HUMANISMO 1

1. O RENASCIMENTO CULTURAL
Podemos considerar ainda como fatores que promoveram o
A Europa Ocidental foi atingida por mudanças culturais que renascimento italiano, a existência de diversas obras clássicas
atingiram as camadas urbanas entre os séculos XIV e XVI, o na região, assim como a influência dos “sábios bizantinos”,
movimento ficou caracterizado pela retomada dos valores da homens oriundos principalmente de Constantinopla,
cultura greco-romana, também conhecida como cultura conhecedores da língua grega e muitas vezes de obras clássicas.
clássica. O Renascimento Cultural é considerado como um
importante período de transição envolvendo as estruturas
feudais para o capitalismo moderno. A Produção Renascentista
As bases desse movimento eram proporcionadas por uma O mecenato foi uma prática comum na
corrente filosófica reinante, o humanismo, que descartava a Renascença, foi fundamental para o
escolástica medieval, até então predominante, e propunha o desenvolvimento da produção intelectual e
retorno às virtudes da antiguidade. Platão, Aristóteles, Virgílio, artística do renascimento. O Mecenas era
Sêneca e outros autores greco-romanos começam a ser considerado como “protetor”, homem rico,
traduzidos e rapidamente difundidos. era na prática quem dava as condições
materiais para a produção das novas obras
Características do Renascimento e nesse sentido pode ser considerado como
o patrocinador, o financiador. O
Antropocentrismo: momento de valorização do Ser Humano, investimento do mecenas era recuperado com o prestígio social
trazendo-o como centro de todas as ideias. O homem possui obtido, fato que contribuía com a divulgação das atividades de
uma capacidade quase divina de criar, e, exercendo-a, sua empresa ou instituição que representava. A maioria dos
aproxima-se muito de Deus. Enterra de vez a força do mecenas italianos eram elementos da burguesia, homens
teocentrismo medieval, que traziaa religião como alicerce de enriquecidos com o comércio e toda a produção vinculada à
toda a sociedade. esse patrocínio.
Classicismo: inspiração em pensadores da antiguidade clássica
-Grécia e Roma - promovendo dessa forma um renascimento
daquelas culturas, vindo a batizar o novo período moderno. A Expansão do Renascimento

Hedonismo: defendiam o prazer individual como único bem No decorrer do século XVI a cultura renascentista expandiu-se
possível. para outros países da Europa Ocidental e para que isso
ocorresse contribuíram as guerras e invasões vividas pela Itália.
Naturalismo: buscavam representar a Natureza de maneira fiel As guerras e/ou ocupações francesa e espanhola determinaram
à realidade. um conhecimento melhor sobre as obras renascentistas e a
Racionalismo: valorizavam a Razão em todas as suas obras e expansão em direção a outros países, cada um adaptando-o
pensamentos. segundo suas peculiaridades, numa época de formação do
absolutismo e de início do movimento de Reforma Religiosa.
Empirismo: as soluções buscadas diante dos seus
questionamentos eram produzidas através de muita O século XVI foi marcado pelas grandes navegações, num
experimentação. primeiro momento, vinculadas ao comércio oriental e
posteriormente à exploração da América. A navegação pelo
Universalismo: o homem renascentista deveria desenvolver Atlântico reforçou o capitalismo de Portugal, Espanha e
todas as áreas do saber. Holanda e em segundo plano da Inglaterra e França. Nesses
“países atlânticos” desenvolveu-se então a burguesia e a
mentalidade renascentista.
As origens
Esse movimento de difusão do Renascimento coincidiu com a
É comum se dizer que a Itália foi o berço do Renascimento decadência do Renascimento Italiano, motivado pela crise
cultural, trata-se de uma expressão muito utilizada, apesar de à econômica das cidades, provocada pela perda do monopólio
época, Itália ainda não existir como nação. A região italiana sobre o comércio de especiarias.
estava dividida e as cidades possuíam soberania. Na verdade o
Renascimento desenvolveu-se em algumas cidades italianas, A mudança do eixo econômico do Mediterrâneo para o
principalmente aquelas ligadas ao comércio, elas ficaram Atlântico determinou a decadência italiana e ao mesmo tempo
conhecidas como repúblicas italianas. impulsionou o desenvolvimento dos demais países,
promovendo reflexos na produção cultural.
Desde o século XIII, com a reabertura do Mediterrâneo, o
comércio de várias cidades italianas com o oriente intensificou-
se, possibilitando importantes transformações, como a
formação de uma camada burguesa enriquecida e que
necessitava de reconhecimento social. O comércio comandado
pela burguesia foi responsável pelo desenvolvimento urbano, e
nesse sentido, responsável por um novo modelo de vida, com
novas relações sociais onde os homens encontram-se mais
próximos uns dos outros. Dessa forma podemos dizer que a
nova mentalidade da população urbana representa a essência
dessas mudanças e possibilitará a Produção Renascentista.

www.cursounipre.com.br Preparatório para Concursos Militares


(21) 4101-1013 ESPCEx
RENASCIMENTO CULTURAL, O HUMANISMO 2

2 O HUMANISMO
O Humanismo foi o movimento intelectual difundido na Europa
durante a Renascença e inspirado na civilização greco-romana,
que valorizava um saber crítico voltado para um maior
conhecimento do homem e uma cultura capaz de desenvolver
as potencialidades da condição humana.
O conjunto de doutrinas do humanismo foram fundamentadas
nos interesses, potencialidades e faculdades do ser humano.
Sublinhando sua capacidade para a criação e transformação da
realidade natural e social, e seu livre-arbítrio diante de
pretensos poderes transcendentes, ou de condicionamentos
naturais e históricos.
Miguel de Cervantes
O humanismo veio a se contrapor ao Antropocentrismo da
Os principais artistas da Renascença
Idade Média. O homem passa a ser o centro e a medida de
todas as coisas. É considerado uma fase de transição onde se
discutia sobre o Teocentrismo e o Antropocentrismo, a fé
 Miguel de Cervantes, representante do contra a razão.
Renascimento espanhol, em seu clássico Dom
Quixote, o autor mostra as dificuldades de um nobre O homem passa a buscar respostas e explicações para os
decadente que cria uma espécie de realidade fenômenos da natureza, não se contentado com as explicações
alternativa para encarar o mundo que o cercava. Teológicas a respeito da criação do mundo.
Moinhos de vento eram os monstros que ele tem No Humanismo durante os séculos XV e XVI, os escritores e
combater. artistas plásticos renascentistas resgataram os valores
 Erasmo de Roterdã, autor de “Elogio da Loucura”, humanistas da cultura greco-romana. O antropocentrismo
rechaça a intolerância escolástica, critica a guerra, a (homem é o centro de tudo) norteou o desenvolvimento
avareza, os vícios da igreja e nega a predestinação. intelectual e artístico desta fase.

 Giordano Bruno, da Itália, defende a idéia de um A visão antropocêntrica influencia em todos os campos:
infinito sem ponto central e de uma única matéria literatura, música, escultura e artes plásticas.
universal, da qual Deus seria o intelecto. A filosofia desponta como uma atividade intelectual renovada,
 Luís Vaz de Camões, de Portugal, cria a épica dos já que agora com interesse pelos autores da antiguidade
descobrimentos marítimos em “Os Lusíadas. clássica. Virgílio, Aristóteles, Cícero e Horácio foram nomes
importantes para isso. É por causa deles que este período
 Michelangelo Buonarroti. também é chamado de Classicismo.
Um dos mais completos artistas da Renascença foi o italiano O Humanismo provocou mudanças na consciência popular e
Leonardo da Vinci projetou palácios, inventou mecanismos, fez junto com a burguesia (graças à intensificação das atividades
esculturas e pintou a Santa Ceia e a Gioconda. marítimas, industriais, agrícolas e comerciais), foram lentas e
gradativamente acabando com a estrutura e o espírito
Boticelli, Rafael, Tiziano, Tintoretto e El Greco são destaques
medieval, que ainda estava um pouco presente na Europa.
numa legião de pintores italianos e espanhóis que deixam obras
inigualáveis.

Grandes invenções
O polonês Copérnico fundamentou a noção de que o Sol é o
centro do universo (heliocentrismo). Paracelso, da Suíça,
reforma a química e a medicina. Leonardo daVinci inventou a
prensa hidráulica e as máquinas voadoras. O alemão Kepler o
telescópio e demonstrou as teorias de Copérnico. O italiano
Galileu Galilei desenvolveu métodos científicos de análise da
realidade e de comprovação experimental. A imprensa de letras
metálicas móveis foi inventada pelo alemão Johann Gutemberg
em 1445. A pólvora passou a ser utilizada como arma de guerra.
Em 1500 é inventado o relógio de bolso.

Homem Vitruviano

www.cursounipre.com.br Preparatório para Concursos Militares


(21) 4101-1013 ESPCEx