Você está na página 1de 8

Geradores elétricos

Geradores elétricos são uma forma encontrada para que a diferença de potencial
entre dois corpos ligados mantenha-se mais duradoura. Outra definição para geradores é
“todo sistema capaz de transformar em energia elétrica qualquer outra modalidade de
energia”.

Há diferentes tipos de geradores elétricos, que são caracterizados por seu princípio
de funcionamento, alguns deles são:

 Geradores luminosos;
 Geradores mecânicos;
 Geradores químicos;
 Geradores térmicos;

Força eletromotriz

A força eletromotriz (f.e.m.) é o nome usado para denominar a propriedade que


qualquer dispositivo tem de produzir corrente elétrica em um circuito. Trata-se de uma
grandeza escalar que, de acordo com o Sistema Internacional de Unidades tem
como unidade de medida Joule por Coulomb, representada por J/C.

Por ser uma diferença de potencial, a denominação “força” é inadequada pois não
se trata de uma força.

Quando é atravessado por corrente elétrica, o gerador consome uma potência total
não elétrica (Pt), que depende da natureza da energia transformada (química, mecânica,
termina, nuclear, etc.), da qual parte (Pd) é dissipada internamente por efeito Joule e a
potência restante (P) é lançada no circuito externo. (KAZUHITO & FUKE, 2016).

Pt=P+Pd

A força eletromotriz é representada pelas suas iniciais f.e.m., podendo também ser
representada simplesmente pela letra E. Considerando que W representa a energia
fornecida pelo gerador ao circuito durante o tempo representado pela letra t, e que Q
representa a carga elétrica que passa por qualquer secção transversal durante o mesmo
período, é possível chegar à seguinte equação:
Elementos de um gerador elétrico

 A e B: terminais do gerador elétrico;


 Barra menor (-): polo negativo (menor potencial elétrico);
 Barra maior (+): polo positivo (maior potencial elétrico);
 E: força eletromotriz;
 r: resistência interna;
 i: intensidade de corrente que atravessa o gerador elétrico;
 U: ddp fornecida pelo gerador elétrico;

Equação do gerador elétrico

Do ponto de vista matemático, o gerador elétrico possui algumas características:

1 – A potência fornecida pelo gerador ao circuito elétrico:

P = U.i

Onde: P = potência fornecida


U = diferença de potencial entre os pólos do gerador
i = corrente elétrica
2 – A potência elétrica dissipada pelo gerador:

Pd = r.i.i

Onde: Pd = potência dissipada pelo gerador


r = resistência interna do gerador
i = corrente elétrica

3 – Potência total fornecida pelo gerador:

Pg = E.i
Onde: Pg = potência total gerada
E = força eletromotriz
i = corrente elétrica

4 – O rendimento do gerador:

N = P/Pg

Onde: N = rendimento, dado em porcentagem


P = potência fornecida
Pg = potência total gerada
Fazendo as substituições de equações, chega-se que o rendimento de um gerador
elétrico é dado por:

N = U/E
Onde: U = tensão elétrica
E = força eletromotriz

5 – A equação característica de um gerador:

U = E – r.i
Onde: U = tensão elétrica
E = força eletromotriz
r = resistência interna do gerador
i = corrente elétrica do gerador

Lei de Ohm-Pouillet

Considerando um circuito fechado simples, constituído por um gerador elétrico e


um resistor, como a ddp U é compartilhada por ambos os medidores elétricos é possível
ter:

U= E- r.i (Equação do gerador elétrico)

U=R.i (Primeira lei de Ohm)

E-r.i = R.i => E=R.i+r.i =>

E= (R+r).i

Exemplo:

(UEFS BA) O gerador elétrico é um dispositivo que fornece energia às cargas elétricas
elementares, para que essas se mantenham circulando. Considerando-se um gerador
elétrico que possui fem ε = 40,0V e resistência interna r = 5,0 Ω, é correto afirmar que:

U = ε – r.i
12 = 40 – 5.i
5.i = 40 – 12
5.i = 28
i = 5,6 A

Curto-circuito em um gerador elétrico

Quando os terminais de um gerador elétrico estão ligados por um condutor de


resistência elétrica desprezível diz-se que ele está em curto circuito. A intensidade dessa
corrente é chamada de corrente de curto-circuito(icc)

A equação da icc é dada por:


icc=E/r

Associação de geradores elétricos

Quando associados dois, ou mais geradores como pilhas, por exemplo, a tensão e a
corrente se comportam da mesma forma como nas associações de resistores, ou seja:

 Associação em série: corrente nominal e tensão é somada.

Eeq=n.E e req=n.r

 Associação em paralelo: corrente é somada e tensão nominal.

Eeq=E e req= r/n

Corrente contínua e alternada

Considerando um gráfico i x t (intensidade de corrente elétrica por tempo),


podemos classificar a corrente conforme a curva encontrada, ou seja:

Corrente contínua

Uma corrente é considerada contínua quando não altera seu sentido, ou seja, é
sempre positiva ou sempre negativa.

A maior parte dos circuitos eletrônicos trabalha com corrente contínua, embora
nem todas tenham o mesmo "rendimento", quanto à sua curva no gráfico i x t, a corrente
contínua pode ser classificada por:

Corrente contínua constante


Diz-se que uma corrente contínua é constante, se seu gráfico for dado por um
segmento de reta constante, ou seja, não variável. Este tipo de corrente é comumente
encontrado em pilhas e baterias.

Corrente contínua pulsante

Embora não altere seu sentido as correntes contínuas pulsantes passam


periodicamente por variações, não sendo necessariamente constantes entre duas medidas
em diferentes intervalos de tempo.

Esta forma de corrente é geralmente encontrada em circuitos retificadores de


corrente alternada.

Corrente alternada

Dependendo da forma como é gerada a corrente, esta é invertida periodicamente,


ou seja, ora é positiva e ora é negativa, fazendo com que os elétrons executem um
movimento de vai-e-vem.
Receptor elétrico

Os receptores elétricos são dispositivos que transformam energia elétrica em outra


forma de energia, seja ela mecânica, térmica, entre outras. Um exemplo de receptor é o
motor elétrico que transforma energia elétrica em energia mecânica, sendo a base para o
funcionamento de vários aparelhos, como os ventiladores, batedeiras, liquidificadores etc.

Força contraeletromotriz

A força contraeletromotriz (fcem) representa a diferença de potencial útil entre


os dois terminais do receptor e é também chamada de tensão de saída. O
prefixo contra do termo força contraeletromotriz é utilizado porque ela é oposta à força
eletromotriz do gerador. No circuito, ela normalmente é representada por E.

E’= Pu/i

Por essa expressão, a fcem E’ tem como unidade, no SI, o volt.

Equação do receptor elétrico

Para calcular a queda de potencial (V) entre os terminais do receptor, utilizamos


a seguinte equação:

V = E' + r'i

Essa relação é conhecida como equação do receptor.


O valor de “r'i” representa a quantidade de energia que foi dissipada pelo aparelho em
sua resistência interna por meio do Efeito Joule.
Referências

TEIXEIRA, Mariane Mendes. "Receptores elétricos"; Brasil Escola. Disponível em


<http://brasilescola.uol.com.br/fisica/receptores-eletricos.htm>. Acesso em 20 de julho
de 2017.

SOFISICA. “Geradores elétricos”. Disponível em:


<http://www.sofisica.com.br/conteudos/Eletromagnetismo/Eletrodinamica/caecc.php>.
Acesso em 20 de julho de 2017.

JUNIOR, Joabe Silas da Silva. “Exercícios sobre geradores elétricos”. Disponível em:
<http://exercicios.mundoeducacao.bol.uol.com.br/exercicios-fisica/exercicios-sobre-
geradores-eletricos.htm>. Acesso em 20 de julho de 2017.

RODRIGUES, Luís Guilherme Rezende. “Geradores elétricos”. Disponível em:


<http://www.coladaweb.com/fisica/eletricidade/geradores-eletricos>. Acesso em 20 de
julho de 2017.