Você está na página 1de 32

Faria Estudos

Curso Básico de Teologia

Manual

Básico

Do

Pregador

Cristão

www.bytesoft.com.br/faria
fariaestudos@terra.com.br
Ministério autônomo sem fins lucrativos
Índice

03 INTRODUÇÃO.
04 I, O QUE É HOMILÉTICAּ?
05 II, O SERMÃO, O QUE Éּ?
05 III, REQUISITOS NECESSÁRIOS AO PREGADOR DA PALAVRA DE DEUS.
06 IV, SUBSÍDIOS PARA A PREPARAÇÃO E ENTREGA DO SERMÃO.
07 V, AS PARTES DO SERMÃO E SUA PREPARAÇÃO.
07 V, 1, O CABEÇALHO DO SERMÃO.
07 V, 1, A, A PASSAGEM BÍBLICA BASE PARA O SERMÃO.
09 V, 1, B, O TEMA DO SERMÃO.
11 V, 1, C, O TÍTULO DO SERMÃO.
14 V, 2, A INTRODUÇÃO DO SERMÃO.
15 V, 3, O CORPO DO SERMÃO.
17 V, 4, A CONCLUSÃO DO SERMÃO.
17 V, 4, A, A RECAPITULAÇÃO DO SERMÃO.
19 V, 4, B, A APLICAÇÃO DO SERMÃO.
20 V, 4, C, O APELO AO PÚBLICO.
23 V, 5, A FINALIZAÇÃO DO PREPARO DO SERMÃO.
25 VI, O ARQUIVAMENTO DO SERMÃO.
25 VII, O ESBOÇO DO SERMÃO.
28 VIII, TIPOS DE SERMÃO.
29 VIII, 1, SERMÃO TEMÁTICO, OU TÓPICO.
29 VIII, 1, A, O SERMÃO TEMÁTICO OU TÓPICO BÍBLICO.
30 VIII, 1, B, SERMÃO TEMÁTICO OU TÓPICO EXTRA-BÍBLICO.
33 VIII, 1, C, O SERMÃO TEMÁTICO OU TÓPICO MISTO.
33 VIII, 2, SERMÃO TEXTUAL.
35 VIII, 3, SERMÃO EXPOSITIVO.
37 IX, AS ILUSTRAÇÕES.
40 X, OS SERMÕES OFICIAIS.
40 XI, PREGAR, MAS, SOBRE O QUÊּ?
41 XII, CUIDADOS IMPORTANTES, QUE O PREGADOR DEVE TER ANTES DE CHEGAR AO
PÚLPITO.
42 XIII, CUIDADOS IMPORT QUE O PREGADOR DEVE OBSERVAR AO APRESENTAR-SE EM
ANTES

PÚBICO . , PARA PREGAR

44 XIV, AS POSSIBILIDADES DO PREGADOR DA PALAVRA DE DEUS.


44 CONCLUSÃO.
45 BIBLIOGRAFIA.
MANUAL BÁSICO DO PREGADOR CRISTÃO.
Salvo orientação contrária, todas as transcrições e referências Bíblicas
deste estudo são da edição corrigida e revisada fiel ao texto original da
Sociedade Bíblica Trinitariana do Brasil.

INTRODUÇÃO.

Esta matéria, MANUAL BÁSICO DO PREGADOR CRISTÃO (HOMILÉTICA)


visa, com seu conteúdo sucinto, dar oportunidade a todos os interessados na
pregação da PALAVRA DE DEUS, a melhor se prepararem, para que suas
pregações se façam dentro de um estilo mais equilibrado e estético.
É bem verdade que, só o conhecedor da homilética sabe quando um sermão
está, ou não, bem preparado, porém, o estudo sobre a pregação é necessário,
pois um sermão bem pregado é aprovado, tanto pelo desconhecedor, quanto pelo
conhecedor da homilética, que esteja presente ou escute uma pregação.
Entretanto, é bom que o pregador tenha em sua mente o que declaramos a
seguir:
A homilética, ainda que seja muito importante para a preparação e entrega
da mensagem de DEUS, não faz, nem produz, por si só, o sermão.
A homilética, apenas, ajuda o pregador a preparar e entregar o sermão, de
acordo com um conjunto de regras.
Desta forma, estudar homilética sem ter base doutrinária, ou conhecimento
da BÍBLIA SAGRADA será, até, prejudicial pois, uma pessoa nestas condições
poderá pensar que está preparada para pregar, porém, visto que lhe falta o
essencial, terá, até, mais dificuldade de entregar uma mensagem BÍBLICA do que
um filho de DEUS que esteja alicerçado na BÍBLIA SAGRADA e, doutrinariamente,
bem preparado, embora não tenha nenhum conhecimento de homilética.
Assim sendo, o pregador CRISTÃO, há de aliar a técnica ao conhecimento
BÍBLICO e DOUTRINÁRIO, a fim de ser abençoado por DEUS, bem como, ser
uma bênção em SUAS GLORIOSAS MÃOS, quando da pregação da sua SANTA
PALAVRA.
Por isto, o pregador da PALAVRA DE DEUS deve estudar homilética com
muita oração, atenção e dedicação, a fim de melhorar sua performance como
orador sacro.
Se a opção para o estudo da homilética é este manual básico, as lições que
se seguem, com certeza, o ajudarão a melhorar a eficiência, ao pregar sobre os
grandes ensinamentos de DEUS aos homens em geral, quer sejam ou não
SALVOS POR JESUS CRISTO.

I. O QUE É HOMILÉTICA?

O conciso dicionário de Teologia Cristã, define HOMILÉTICA, como:


01. O que diz respeito à pregação ou ao estudo da pregação.
02. A ciência e arte da preparação e entrega do sermão.

Desta forma, a HOMILÉTICA, abrange todas as atividades e passos,


concernentes ao sermão, desde a preparação, até sua entrega aos ouvintes.
Conforme a segunda definição, a HOMILÉTICA é, ao mesmo tempo, uma
ciência e uma arte.
Como ciência, a HOMILÉTICA tem as suas regras definidas, as quais, podem
e devem ser seguidas por todos os pregadores que desejam entregar mensagens
bem equilibradas.
Como arte, o pregador está livre para embelezar o sermão da melhor forma
possível e de acordo com seu conhecimento e sua capacidade.
O pregador da PALAVRA DE DEUS há de seguir o conselho que Paulo deu a
Timóteo, o qual, está registrado em IITim 2:15.
Além desta passagem BÍBLICA, temos na mesma carta, em IITim 3:16-4:5,
como que uma incitação à pregação.
Vimos nestas duas passagens BÍBLICAS, Paulo incentivando Timóteo a
manejar bem a PALAVRA DE DEUS, bem como, incentivando-o à pregação da
mesma.
Todos os crentes em JESUS CRISTO (mas principalmente os pregadores da
PALAVRA DE DEUS), desde os mais humildes até aos maios afamados, não
podem deixar de atentar para estas passagens BÍBLICAS, como se Paulo lhes
estivesse escrevendo diretamente.
Além disto, já que a homilética ensina e ajuda o pregador (profeta) da
PALAVRA DE DEUS, a mesma, quando bem aplicada, contribui, e muito, para a
edificação, exortação e consolação dos filhos de DEUS, em particular, bem como
da IGREJA DE JESUS CRISTO, como um todo, I Cor 14:3.
A boa aplicação da HOMILÉTICA está, intimamente, ligada ao bom manejo
da BÍBLIA SAGRADA, no aspecto concernente ao estudo da mesma.
Sobre o estudo da BÍBLIA SAGRADA, temos a matéria MANUAL BÁSICO
DE ESTUDOS BÍBLICOS, a qual, para o bem do pregador da PALAVRA DE
DEUS, deve ser estudada antes do estudo deste MANUAL BÁSICO DO
PREGADOR CRISTÃO (HOMILÉTICA), visto que, desta forma, haverá maiores e
melhores subsídios à aplicação dos estudos desta matéria.

II. O SERMÃO, O QUE É?

Segundo o minidicionário Aurélio, para o nosso caso, sermão significa:

01. Discurso religioso.

Desta forma, o nosso sermão, ou seja, o sermão EVANGÉLICO OU


CRISTÃO, é um discurso acerca da BÍBLIA SAGRADA, ou sobre a totalidade da
FÉ CRISTÃ.
Naturalmente cada sermão abrange, apenas um, ou alguns aspectos da
BÍBLIA SAGRADA e pode versar sobre ensinamentos práticos para a vida
particular, bem como, como sobre a fé CRISTÃ.

III. REQUISITOS NECESSÁRIOS AO PREGADOR DA PALAVRA DE DEUS.

Todo o crente em JESUS CRISTO que deseja ser pregador da PALAVRA DE


DEUS há de atender a alguns requisitos, os quais, são extremamente importantes
e necessários para o pregador da BÍBLIA SAGRADA, principalmente, sobre as
ESCRITURAS do NOVO TESTAMENTO.

Vejamos alguns:

01. SER CRENTE EM JESUS CRISTO, OU SEJA, CRER EM JESUS CRISTO


COMO ÚNICO E SUFICIENTE SALVADOR E QUE, POR ISSO MESMO, TENHA
A CERTEZA ABSOLUTA DA SUA SALVAÇÃO ETERNA.

02. TER UMA VIDA DE MUITA ORAÇÃO.

03. TER UM GRANDE CONTATO COM A BÍBLIA SAGRADA, EM TRÊS


ASPECTOS, QUAIS SEJAM:

03.1. MUITA LEITURA.


TER UM PROGRAMA CONSTANTE DE LEITURA DA BÍBLIA SAGRADA,
INTEIRA, NO MENOR ESPAÇO DE TEMPO POSSÍVEL.

03.2. MUITO ESTUDO.

03.3. MUITA MEDITAÇÃO.

04. CONHECER AO MÁXIMO, O IDIOMA NO QUAL A MENSAGEM BÍBLICA


SERÁ PREGADA.

05. PREOCUPAR-SE EM ESTUDAR SOBRE CONHECIMENTOS GERAIS.

06. PROCURAR ESTAR EM DIA COM OS ASSUNTOS COTIDIANOS.

IV. SUBSÍDIOS PARA A PREPARAÇÃO E ENTREGA DO SERMÃO.

Além dos requisitos mencionados no capítulo anterior, o pregador, pode e


deve lançar mão de alguns subsídios muito importantes, para o preparo e entrega
de seus sermões, tais como.

01, Colecionar, dentro do possível, ilustrações, as quais, quando bem usadas


(arte) são muito úteis. Há ouvintes que esquecem a mensagem pregada, porém,
na maioria das vezes, a ilustração fica gravada em seu coração, o CAPÍTULOּ IX
deste estudo é dedicado às ilustrações.

02. Colecionar recortes de jornais e ou revistas. Se necessário, possível e de


acordo com a mensagem, apresentá-los, quando da pregação, como provas de
declarações feitas durante a mesma.

03. Recursos audiovisuais, tais como, slides, filmes, flanelógrafo, cartazes, etc.,
poderão ajudar, e muito, o pegador na transmissão da mensagem de DEUS,
desde que o material usado esteja de acordo com a mensagem pregada.

V. AS PARTES DO SERMÃO E SUA PREPARAÇÃO.

Todo o sermão é composto de várias partes indispensáveis para ser um todo


harmonioso.
Vejamos a seguir quais as partes de um sermão:

1. CABEÇALHO DO SERMÃO.

2. INTRODUÇÃO DO SERMÃO.

3. CORPO DO SERMÃO.

4. CONCLUSÃO DO SERMÃO.

Ao estudarmos as partes do sermão há um exemplo de sermão já preparado,


porém, veremos ao longo deste estudo, que estas partes não são preparadas na
ordem em que são apresentados ao público.
Vejamos cada parte em particular, bem como, sua preparação.

V.1. O CABEÇALHO DO SERMÃO.

O cabeçalho do sermão, encabeça o sermão, ou seja, é a parte inicial do


sermão.
O cabeçalho do sermão, contém:

A. A PASSAGEM BÍBLICA BASE PARA O SERMÃO.


B. O TEMA DO SERMÃO.
C. O TÍTULO DO SERMÃO.

V.1.1. A PASSAGEM BÍBLICA BASE PARA O SERMÃO.

Todo o sermão EVANGÉLICO há de ser preparado e pregado tendo como


base uma passagem BÍBLICA, para dar-lhe autenticidade e autoridade.
A PASSAGEM BÍBLICA BASE PARA O SERMÃO pode ser adotada após
DEUS dar ao pregador uma idéia, um tema ou ter mostrado algum fato, que o
pregador aceite como oportuno para transmiti-lo numa mensagem EVANGÉLICA.
Neste caso, o pregador há de procurar na BÍBLIA SAGRADA um texto que se
enquadre no tema mostrado por antecipação.

Exemplos:

TEMA: DOENÇA.
TEXTO BÍBLICO POSSÍVEL: II Reis 13:14.

TEMA: AMOR.
TEXTO BÍBLICO POSSÍVEL: João 3:16.

Exercícios:
Todos os exercícios deste estudo devem ser realizados e anotados, apenas o
exercício da undécima tarefa está livre da anotação.

01. Encontrar e anotar um texto BÍBLICO que tenha algo a ver com o tema
AMIZADE.

02. Encontrar e anotar um texto BÍBLICO que tenha algo a ver com o tema
GUERRA.

03. Encontrar e anotar um texto BÍBLICO que tenha algo a ver com o tema
VIAGEM.

04. Anote um versículo sobre o qual você deseja pregar.

O texto BÍBLICO, também pode ser adotado, quando, ao ler uma passagem
da BÍBLIA, a atenção do pregador seja tocada para pregar sobre a mesma.
A passagem BÍBLICA, jamais deve ser usada como pretexto, para o pregador
desabafar sobre a IGREJA o que não tenha coragem de falar abertamente à
mesma.
Visto que o texto BÍBLICO é a base indispensável para o sermão, este, há de
ser o primeiro item do sermão a ser separado e adotado para jamais ser
abandonado ao longo do preparo e da pregação.
A única exceção a esta regra está no exemplo dado acima, no qual, em
primeiro lugar vem à mente o tema, para depois buscar um texto BÍBLICO que dê
sustentação ao tema.
Porém, de qualquer forma, a força do sermão está na autoridade da BÍBLIA,
não no tema em si.
Por isso, o texto BÍBLICO base para a mensagem não pode ser lembrado e
lido, apenas, no início da pregação, para depois ser abandonado, como algo
imprestável que é jogado na lata do lixo.
Iniciaremos aqui, um exemplo progressivo, da montagem de um sermão.
CABEÇALHO.
PASSAGEM BÍBLICA BASE PARA O SERMÃO: João 3:16.

Exercício, início da preparação de um sermão. Anote.


Comece a preparar um sermão, selecionando um versículo (pode ser o versículo
do exercício anterior).

V.1.2. O TEMA DO SERMÃO.

O tema do sermão é o assunto geral e abrangente, sobre o qual o pregador


se propõe desenvolver, preparar e pregar ao público.
O tema do sermão deve ser o mais resumido possível.
Na maioria das vezes uma só palavra basta, para declarar o tema a ser
pregado.
Vejamos alguns exemplos de temas livres:

01. AMOR. - 02. DOENÇA. - 03. PECADO. - 04. FAMÍLIA. - 05. HISTÓRIA. -
06. IGREJA. - 07. MILAGRES. - 08. TRABALHO. - 09. ORAÇÃO. - 10. PAZ.
11. GUERRA. - 12. ETC.

Exercício: Anote.
Faça uma lista de temas, para possíveis sermões.
O tema do sermão (se não a palavra ou palavras, pelo menos, a idéia) há de
estar, obrigatoriamente, contido na passagem BÍBLICA base para a mensagem a
ser preparada e entregue ao público, a fim de dar-lhe, a necessária, autoridade.
O pregador jamais deve escolher e anunciar um tema que não esteja contido
na passagem BÍBLICA base para a mensagem.
Se porventura isto ocorrer é um erro muito grave.
Há uma imensa quantidade de versículos na BÍBLIA SAGRADA, nos quais,
estão contidos e podem ser encontrados vários temas, os quais, por isso mesmo,
podem e devem ser usados para preparar e pregar inúmeros sermões.
Vejamos os exemplos seguintes usando-se como base, João 3:16:

01. João 3:16 – TEMA: DEUS.


02. João 3:16 – TEMA: O AMOR.
03. João 3:16 – TEMA: O MUNDO.
04. João 3:16 – TEMA: OFERTA.
05. João 3:16 – TEMA: O UNIGÊNITO DE DEUS.
06. João 3:16 – TEMA: A FÉ.
07. João 3:16 – TEMA: A MORTE.
08. João 3:16 – TEMA: A VIDA.

Exercício: Anote.
Leia Joãoּ 3:18 e faça uma lista dos temas que encontrar.

Exemplo progressivo da montagem de um sermão.


CABEÇALHO.
PASSAGEM BÍBLICA BASE PARA O SERMÃO, Joãoּ 3:16.
TEMA DO SERMÃO: AMOR.

Exercício: Anote.
Dê um tema para o sermão que está preparando, baseado no versículo escolhido.

V.1.3. O TÍTULO DO SERMÃO.

Um tema de sermão pode ser analisado e pregado a partir de vários pontos


de vista.
Já que cada ponto de vista é diferente dos demais, cada qual, deve ter um
título, também diferente, para diferenciá-lo de todos os outros.
O título do sermão é o aspecto específico do tema, sobre o qual o pregador
se propõe pregar, por isso, o título do sermão há de brotar naturalmente do tema.
O título do sermão, tem a missão de preparar, claramente, o auditório, para o
que irá escutar.
O título do sermão deve ser mais elaborado do que o tema, por isso, em
geral usa várias palavras.
Vejamos alguns exemplos de títulos de sermões, baseados em um tema livre
do item anterior:

01. TEMA: AMOR.


TÍTULO DO SERMÃO: O AMOR DE DEUS PELO HOMEM.

02. TEMA: AMOR.


TÍTULO DO SERMÃO: O AMOR IDEAL DE UM HOMEM POR UMA MULHER.

03. TEMA: AMOR.


TÍTULO DO SERMÃO: O AMOR DE MÃE.

04. TEMA: AMOR.


TÍTULO DO SERMÃO: O AMOR FRATERNAL.

05. TEMA: AMOR.


TÍTULO DO SERMÃO: O AMOR CONJUGAL.

06. TEMA:AMOR.
TÍTULO DO SERMÃO: O AMOR DE DEUS PELA HUMANIDADE.

07. TEMA: AMOR.


TÍTULO DO SERMÃO: O AMOR PATERNAL.

08. TEMA: AMOR.


TÍTULO DO SERMÃO: O AMOR CRISTÃO.
Veremos agora, alguns exemplos de títulos de sermões, levando em consideração
a passagem BÍBLICA de Joãoּ 3:16.

PASSAGEM BÍBLICA: Joãoּ 3:16.


01. TEMA: O AMOR.
TÍTULO DO SERMÃO: O AMOR DE DEUS PELO MUNDO.

02. TEMA: O AMOR.


TÍTULO DO SERMÃO: O AMOR DE DEUS, DEMONSTRADO EM JESUS
CRISTO.

03. TEMA: O AMOR.


TÍTULO DO SERMÃO: A DEMONSTRAÇÃO DO AMOR DE DEUS.

04. TEMA: O AMOR.


TÍTULO DO SERMÃO: O ALCANCE DO AMOR DE DEUS.

05. TEMA: O MUNDO.


TÍTULO DO SERMÃO: O MUNDO E SUA RELAÇÃO COM DEUS.

06. TEMA: OFERTA.


TÍTULO DO SERMÃO: O MELHOR PRESENTE DE DEUS.

07. TEMA: A FÉ.


TÍTULO DO SERMÃO: A FÉ EM JESUS CRISTO E SUAS CONSEQÜÊNCIAS.

08. TEMA: A MORTE.


TÍTULO DO SERMÃO: A MORTE ETERNA, PROVOCADA PELA FALTA DE FÉ
EM JESUS CRISTO.

09. TEMA: A VIDA ETERNA.


TÍTULO DO SERMÃO: A VIDA ETERNA, FRUTO DA FÉ EM JESUS CRISTO.

Ao estudarmos sobre o tema, dissemos que há versículos, que podem ser


usados, como base para inúmeros sermões, isto é possível porque, num só
versículo, podem ser encontrados vários temas, os quais, por sua vez, podem ser
usados, para vários títulos de sermões, como é o caso de Joãoּ 3:16.
Como vimos, nos quatro primeiros exemplos o tema escolhido é o mesmo,
porém, para o mesmo tema foram dados quatro títulos, os quais podem ser
usados para quatro sermões diferentes.
Usamos neste exemplo, apenas o tema “AMOR”, mas, o mesmo pode
acontecer em relação aos demais temas.
Isto é possível porque o tema, como já frisamos, é global, porém o título do
sermão é específico.
Às vezes o pregador engloba o tema e o título, sem haver distinção, ficando
desta forma:
PASSAGEM BÍBLICA BASE PARA O SERMÃO: Filipּ 2:1-11.
TÍTULO OU TEMA, DO SERMÃO: JESUS CRISTO, EXEMPLO DE HUMILDADE
PARA O CRISTÃO.

Este fato não desmerece de forma alguma, quer seja a mensagem ou o


pregador.
Porém, se o tema estiver separado do título da mensagem o cabeçalho ficará
menos banal.
Em todos os exemplos deste manual, a opção é pela separação entre o tema
e o título do sermão.
Para que o título do sermão esteja, plenamente, de acordo com a mensagem
a ser pregada, não é imprescindível, mas, é bom que o mesmo seja dado ao final
do preparo do sermão (pelo menos, após o preparo do corpo), para evitar desvios,
os quais, quando acontecem, prejudicam, e muito, a pregação.

Continuação do exemplo progressivo da montagem de um sermão.

CABEÇALHO.
PASSAGEM BÍBLICA BASE PARA O SERMÃO: Joãoּ 3:16.
TEMA DO SERMÃO: AMOR.
TÍTULO DO SERMÃO: Como dissemos, é bom que o título seja dado no final.

Exercício: Anote.
No sermão que está preparando, deixe o título para o final.
Não há uma ordem determinada para a apresentação do cabeçalho ao
público, porém, se houver tema e título, o tema há de ser anunciado antes do
título do sermão.
Assim sendo, cada sermão pode ter seu cabeçalho apresentado numa ordem
diferente.
Para que o cabeçalho não pareça rígido demais, o tema e o título, podem ser
apresentados mais ou menos assim:

Esta noite (tarde, manhã, madrugada, etc.) meditaremos um pouco sobre O


AMOR; porém, sobre uma faceta toda especial do amor, qual seja, O ALCANCE
DO AMOR DE DEUS.

Exercícios: Anote.

01. Separar dez passagens BÍBLICAS, as quais poderão servir de base, para dez
sermões. Para facilitar, é bom que cada texto tenha apenas um versículo.

02. Alistar os temas encontrados em cada uma destas passagens BÍBLICAS.

03. Alistar os possíveis títulos para mensagens, extraídos destas passagens


BÍBLICAS e que estejam de acordo com os temas.
V.2. A INTRODUÇÃO DO SERMÃO.

A introdução do sermão prepara o auditório sobre o que será pregado, com


mais detalhes que os dados pelo título.
A introdução, também deve ser breve, porém, de forma mais elaborada do
que o tema e o título, devendo, por isso, anunciar algo sobre o conteúdo do corpo
do sermão.
Uma boa introdução causa, no público expectativa e desejo de saber o que
vai ser pregado.
Uma boa introdução (a exemplo do título do sermão) só ficará concorde com
o teor do sermão, se for elaborada depois de preparado todo o sermão (pelo
menos, após o preparo do corpo), visto que, se a mesma for preparada no início,
geralmente, haverá necessidade de retoques, e, às vezes, até, de uma mudança
radical.
Se a introdução, for preparada no início, sem que haja uma revisão posterior,
a mesma indicará que a pregação irá numa direção, porém, a pregação poderá
tomar um rumo bem diferente do que foi anunciado.
Por isto, orientamos o pregador a preparar a introdução do sermão, somente,
após a preparação de todo o sermão, para evitar o trabalho desnecessário, da
retificação posterior.
Portanto, repetimos, ainda que a introdução esteja colocada e seja
apresentada, ao público, no início da pregação, a introdução, a exemplo do título,
deve ser elaborada após terminado o preparo do sermão.

Continuação do exemplo progressivo da montagem de um sermão.

CABEÇALHO.
PASSAGEM BÍBLICA BASE PARA O SERMÃO: Joãoּ 3:16.
TEMA DO SERMÃO: AMOR.
TÍTULO DO SERMÃO: Como dissemos, é bom que o título seja dado no final.
INTRODUÇÃO: Como dissemos, é necessário que a introdução seja preparada
no final.

Exercício: Anote.
No sermão que está preparando, deixe a introdução para ser preparada no final.

V.3. O CORPO DO SERMÃO.

O corpo do sermão é a parte na qual o pregador desenvolve e explana o que


está proposto a pregar.
Já que o sermão, propriamente dito, está no corpo do sermão, é necessário
que o mesmo seja bem preparado para que o pregador declare, claramente, ao
público o que se propôs pregar.
Para facilitar a entrega do sermão, o corpo do sermão deve ser dividido em
partes (tantas, quantas forem necessárias) a fim de que a pregação adquira um
tom harmônico e envolvente. Estas partes são como que capítulos que, conforme
o caso, podem e devem ser subdivididos.
O corpo do sermão deve ser elaborado de forma crescente, indo das partes
menos importantes, para as mais importantes; das mais baixas, para as mais
altas; das conhecidas, para as desconhecidas. As partes do corpo do sermão,
devem estar intimamente ligadas ao tema do sermão.
Para facilitar a explanação do corpo do sermão é importante que cada
divisão seja considerada como um capítulo e cada subdivisão, uma divisão do
capítulo. Por isso, é importante que cada divisão e suas conseqüentes subdivisões
tenham, cada uma, o seu título. Agindo assim, o auditório, apreciará, entenderá e
sairá edificado, pela eficiência da mensagem.

Continuação do exemplo progressivo da montagem de um sermão.

CABEÇALHO.
PASSAGEM BÍBLICA BASE PARA O SERMÃO: Joãoּ 3:16.
TEMA DO SERMÃO: AMOR.
TÍTULO DO SERMÃO: Como dissemos, é bom que o título seja dado no final.
INTRODUÇÃO: Como dissemos, é necessário que a introdução seja preparada
no final.

CORPO DO SERMÃO.
I - DEUS AMA O MUNDO, PORQUE, DEUS É AMOR.
II - DEUS AMA O MUNDO, SEM QUALQUER BARREIRA.
1. SEM BARREIRAS RACIAIS.
2. SEM BARREIRAS CULTURAIS.
3. SEM BARREIRAS ECONÔMICAS.
III - DEUS AMA O MUNDO, PORQUE DESEJA DAR.
1. DEUS DESEJA DAR VIDA EM ABUNDÂNCIA.
2. DEUS DESEJA DAR VIDA ETERNA.

O bom pregador jamais antecipa para o auditório quantas partes tem o sermão,
visto que, tal anúncio, desestimula a expectativa do auditório, fazendo com que,
pelo menos os ouvintes mais experientes, tenham uma clara percepção de
quando o sermão está prestes a terminar.

Exercício: Anote.
Elabore o corpo para o sermão que está preparando.

V.4. A CONCLUSÃO DO SERMÃO.

Como o próprio nome indica, o sermão, propriamente dito, termina com a


conclusão, a qual, para estar completa, deve conter três partes, quais sejam:

01. RECAPITULAÇÃO DO SERMÃO.


02. APLICAÇÃO DO SERMÃO.
03. APELO AOS OUVINTES.

V.4.1. A RECAPITULAÇÃO DO SERMÃO.

A recapitulação do sermão, deve ser feita de forma resumida lembrando, no


mínimo, as partes do corpo do sermão, ou uma síntese do mesmo e no máximo,
lembrar o tema, o título e as divisões do corpo do sermão, ou sua síntese.
A recapitulação visa fixar a mensagem na mente dos ouvintes, porém, não há
necessidade de recapitular tim tim por tim tim. Conforme o caso, basta relembrar
as idéias.
A recapitulação deve ser curta, para não dar a impressão de que está havendo
uma nova pregação.

Continuação do exemplo progressivo da montagem de um sermão.

CABEÇALHO.
PASSAGEM BÍBLICA BASE PARA O SERMÃO: Joãoּ 3:16.
TEMA DO SERMÃO: AMOR.
TÍTULO DO SERMÃO: Como dissemos, é bom que o título seja dado no final.
INTRODUÇÃO: Como dissemos, é necessário que a introdução seja preparada
no final.
CORPO DO SERMÃO.
I - DEUS AMA O MUNDO, PORQUE, DEUS É AMOR.
II - DEUS AMA O MUNDO, SEM NENHUMA BARREIRA.
1. SEM BARREIRAS RACIAIS.
2. SEM BARREIRAS CULTURAIS.
3. SEM BARREIRAS ECONÔMICAS.
III - DEUS AMA O MUNDO, PORQUE DESEJA DAR MUITO.
1. DEUS DESEJA DAR VIDA EM ABUNDÂNCIA.
2. DEUS DESEJA DAR VIDA ETERNA.
CONCLUSÃO DO SERMÃO.
RECAPITULAÇÃO DO SERMÃO: COMO VIMOS, DEUS AMA O MUNDO,
PORQUE DEUS É AMOR, AMOR TÃO GRANDE, QUE NÃO É LIMITADO POR
BARREIRAS DE ESPÉCIE ALGUMA, ALÉM DISSO, TAL AMOR O MOTIVA A
OFERECER, DE GRAÇA, POR MEIO DE JESUS CRISTO, A MARAVILHOSA
SALVAÇÃO ETERNA.

Exercício: Anote.
Elabore a recapitulação do sermão que está preparando.

V.4.2. A APLICAÇÃO DO SERMÃO.

A aplicação do sermão, tem a finalidade de mostrar aos ouvintes a importância de


agir segundo o que foi pregado.
A apresentação da aplicação do sermão, também deve ser curta, visando não
cansar o auditório.
Continuação do exemplo progressivo da montagem de um sermão.

CABEÇALHO.
PASSAGEM BÍBLICA BASE PARA O SERMÃO: Joãoּ 3:16.
TEMA DO SERMÃO: AMOR.
TÍTULO DO SERMÃO: Como dissemos, é bom que o título seja dado no final.
INTRODUÇÃO: Como dissemos, é necessário que a introdução seja preparada
no final.
CORPO DO SERMÃO.
I - DEUS AMA O MUNDO, PORQUE, DEUS É AMOR.
II - DEUS AMA O MUNDO, SEM NENHUMA BARREIRA.
1. SEM BARREIRAS RACIAIS.
2. SEM BARREIRAS CULTURAIS.
3. SEM BARREIRAS ECONÔMICAS.
III - DEUS AMA O MUNDO, PORQUE DESEJA DAR MUITO.
1. DEUS DESEJA DAR VIDA EM ABUNDÂNCIA.
2. DEUS DESEJA DAR VIDA ETERNA.
CONCLUSÃO DO SERMÃO.
RECAPITULAÇÃO DO SERMÃO, COMO VIMOS, DEUS AMA O MUNDO,
PORQUE DEUS É AMOR, AMOR TÃO GRANDE, QUE NÃO É LIMITADO POR
BARREIRA DE ESPÉCIE ALGUMA, ALÉM DISSO, TAL AMOR O MOTIVA A
OFERECER, DE GRAÇA, POR MEIO DE JESUS CRISTO, A MARAVILHOSA
SALVAÇÃO ETERNA.
APLICAÇÃO DO SERMÃO, QUEM ACEITA O AMOR DE DEUS EM SUA VIDA,
JAMAIS SE ARREPENDERÁ, PORQUE O AMOR DE DEUS, NÃO É UM AMOR
INTERESSEIRO, AO INVÉS DISSO, O AMOR DE DEUS, ESTÁ TOTALMENTE
VOLTADO PARA O BEM DO SER HUMANO.

Exercício: Anote.
Elabore a aplicação para o sermão que está preparando.

V.4.3. O APELO AO PÚBLICO.

O apelo, é uma chamada à consciência do auditório, para que haja uma decisão
positiva e pessoal, em favor da obediência aos ensinamentos que foram
transmitidos durante o sermão.
Assim sendo, o apelo aos ouvintes deve ser feito, apenas e tão somente, baseado
no sermão que foi pregado.
O apelo aos ouvintes, é feito de forma geral, entretanto, normalmente, nem todos
os que estão no auditório, estão no foco do apelo, ou estão em condições normais
de atendê-lo, devido às variadas particularidades de cada um.
Por exemplo, após um sermão EVANGELÍSTICO, o apelo é feito ao auditório,
porém é feito especificamente aos incrédulos, pois, só estes podem atender a um
apelo de conversão a JESUS CRISTO.
Outro exemplo: um apelo feito a crentes para preencherem os espaços abertos
nos campos missionários. Dificilmente todos os crentes são chamados para
missões, além do que, se houver incrédulos no auditório, haverá muita dificuldade
dos mesmos sentirem o chamado para os campos missionários sem que, antes,
tenham passado pela experiência da conversão genuína a JESUS CRISTO.
O apelo, pode ser feito, para ser atendido através de uma resposta afirmativa (um
sim), ou negativa (um não).

Exemplos:

01. APELO PARA RESPOSTA POSITIVA.


Quem a partir de hoje, vai orar, todos os dias, pelos missionários filhos de DEUS
espalhados na face da terra, por favor, mostre para DEUS e para a sua IGREJA,
acenando com uma de suas mãos.

02. APELO PARA RESPOSTA NEGATIVA.


Quem a partir de hoje não vai faltar mais à ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL, por
favor, fique em pé.

Além disto, o apelo pode ser feito para ser atendido de três formas.

01. APELO DIRETO, OBJETIVO E MANIFESTATIVO.


Neste tipo de apelo, o pregador pede uma manifestação pública aos decididos.

Exemplo:
Quem deseja aceitar a JESUS CRISTO, por favor, levante uma de suas mãos.

02. APELO DIRETO E SUBJETIVO.


Neste tipo de apelo o pregador pede, apenas, uma resposta interior, na qual,
apenas o decidido e DEUS ficam sabendo da decisão.

Exemplo:
Cada crente aqui presente, decida e afirme no seu coração, que, para honra e
glória de DEUS, de hoje em diante é fiel, no que concerne à leitura da BÍBLIA
SAGRADA.

03. APELO MISTO.


No apelo misto, o pregador faz o apelo, para que a manifestação seja feita,
posteriormente, apenas ao pregador ou à IGREJA, mas em particular.

Exemplo:
Convoco, agora, todos os irmãos a fazerem parte de um grupo de oração; o irmão
que, neste momento está, realmente, decidido a fazer parte de um grupo de
oração, fale comigo, em particular, ao final do culto, ou durante esta semana.

Para evitar desilusões futuras, o pregador há de ser sincero, jamais deverá apelar
para o emocionalismo ou a mentira ao fazer um apelo.
Continuação do exemplo progressivo da montagem de um sermão.

CABEÇALHO.
PASSAGEM BÍBLICA BASE PARA O SERMÃO: Joãoּ 3:16.
TEMA DO SERMÃO: AMOR.
TÍTULO DO SERMÃO: Como dissemos, é bom que o título seja dado no final.
INTRODUÇÃO: Como dissemos, é necessário que a introdução seja preparada
no final.
CORPO DO SERMÃO.
I - DEUS AMA O MUNDO, PORQUE, DEUS É AMOR.
II - DEUS AMA O MUNDO, SEM NENHUMA BARREIRA.
1. SEM BARREIRAS RACIAIS.
2. SEM BARREIRAS CULTURAIS.
3. SEM BARREIRAS ECONÔMICAS.
III - DEUS AMA O MUNDO, PORQUE DESEJA DAR MUITO.
1. DEUS DESEJA DAR VIDA EM ABUNDÂNCIA.
2. DEUS DESEJA DAR VIDA ETERNA.
CONCLUSÃO DO SERMÃO.
RECAPITULAÇÃO DO SERMÃO, COMO VIMOS, DEUS AMA O MUNDO,
PORQUE DEUS É AMOR, AMOR TÃO GRANDE, QUE NÃO É LIMITADO POR
BARREIRA DE ESPÉCIE ALGUMA, ALÉM DISSO, TAL AMOR O MOTIVA A
OFERECER, DE GRAÇA, POR MEIO DE JESUS CRISTO, A MARAVILHOSA
SALVAÇÃO ETERNA.
APLICAÇÃO DO SERMÃO, QUEM ACEITA O AMOR DE DEUS EM SUA VIDA,
JAMAIS SE ARREPENDERÁ, PORQUE O AMOR DE DEUS, NÃO É UM AMOR
INTERESSEIRO, AO INVÉS DISSO, O AMOR DE DEUS, ESTÁ TOTALMENTE
VOLTADO PARA O BEM DO SER HUMANO.
APELO AO PÚBLICO, DEPOIS DO QUE EXPLANAMOS HOJE, QUEM DESEJA
ACEITAR O AMOR DE DEUS EM SUA VIDA, BEM COMO A JESUS CRISTO,
COMO ÚNICO E SUFICIENTE SALVADOR; POR FAVOR, MANIFESTE-SE,
COLOCANDO-SE EM PÉ.

Exercício: Anote.
Elabore o apelo para o sermão que está preparando.

V.5. A FINALIZAÇÃO DO PREPARO DO SERMÃO.

Para finalizar o preparo do sermão só falta dar o título ao mesmo, bem como,
preparar a sua introdução, itens que também podem ser preparados, como já
vimos, logo após o preparo do corpo do sermão, sem dificuldade alguma, já que a
conclusão do sermão, jamais interferirá no corpo do mesmo, ao contrário, a
conclusão é que depende totalmente do corpo.
Desta forma, o sermão que está servindo de exemplo neste estudo, pode ficar
como segue.
CABEÇALHO.
PASSAGEM BÍBLICA BASE PARA O SERMÃO: Joãoּ 3:16.
TEMA DO SERMÃO: AMOR.
TÍTULO DO SERMÃO: O AMOR DE DEUS PELO MUNDO.
INTRODUÇÃO DO SERMÃO: MEDITAREMOS DURANTE ALGUNS MINUTOS
ACERCA DO AMOR DE DEUS PELO MUNDO, OU SEJA, PELOS HOMENS E
VEREMOS QUE O SEU AMOR POR NÓS É MAIOR E MELHOR DO QUE
PODEMOS IMAGINAR.
CORPO DO SERMÃO.
I - DEUS AMA O MUNDO, PORQUE, DEUS É AMOR.
II - DEUS AMA O MUNDO, SEM NENHUMA BARREIRA.
1. SEM BARREIRAS RACIAIS.
2. SEM BARREIRAS CULTURAIS.
3. SEM BARREIRAS ECONÔMICAS.
III - DEUS AMA O MUNDO, PORQUE DESEJA DAR MUITO.
1. DEUS DESEJA DAR VIDA EM ABUNDÂNCIA.
2. DEUS DESEJA DAR VIDA ETERNA.
CONCLUSÃO DO SERMÃO.
RECAPITULAÇÃO DO SERMÃO, COMO VIMOS, DEUS AMA O MUNDO,
PORQUE DEUS É AMOR, AMOR TÃO GRANDE, QUE NÃO É LIMITADO POR
BARREIRA DE ESPÉCIE ALGUMA, ALÉM DISSO, TAL AMOR O MOTIVA A
OFERECER, DE GRAÇA, POR MEIO DE JESUS CRISTO, A MARAVILHOSA
SALVAÇÃO ETERNA.
APLICAÇÃO DO SERMÃO, QUEM ACEITA O AMOR DE DEUS EM SUA VIDA,
JAMAIS SE ARREPENDERÁ, PORQUE O AMOR DE DEUS, NÃO É UM AMOR
INTERESSEIRO, AO INVÉS DISSO, O AMOR DE DEUS, ESTÁ TOTALMENTE
VOLTADO PARA O BEM DO SER HUMANO.
APELO AO PÚBLICO, DEPOIS DO QUE FOI EXPLANADO HOJE, QUEM
DESEJA ACEITAR O AMOR DE DEUS EM SUA VIDA, BEM COMO A JESUS
CRISTO, COMO ÚNICO E SUFICIENTE SALVADOR; POR FAVOR, MANIFESTE-
SE, COLOCANDO-SE EM PÉ.

Exercícios: Anote.
01. Dar o título para o sermão que está sendo preparado, e ajuntá-lo ao mesmo.

02. Elaborar a introdução para o sermão que está sendo preparado, e ajuntá-la ao
mesmo.

VI. O ARQUIVAMENTO DO SERMÃO.

Todos os sermões pregados devem ser arquivados para uso futuro, quer seja na
mesma IGREJA ou em outra.
Esta prática resulta em grande ganho de tempo, quando um sermão arquivado for
usado em outra oportunidade.
VII. O ESBOÇO DO SERMÃO.

Ainda que, só agora, estejamos falando em esboço do sermão, o sermão que,


neste estudo, serviu para o exemplo de preparo, está apresentado, em forma de
esboço.
O esboço do sermão é uma ótima ferramenta a serviço do pregador, tanto para o
preparo, quanto para a entrega da mensagem de DEUS ao público.
Na preparação do sermão, o esboço serve para o pregador esboçar suas idéias,
para depois aprimorá-las, completá-las, suprimir ou aumentar divisões, conforme
achar mais conveniente.
Desta forma, o esboço final do sermão contém todas as partes do sermão, com
todas as suas divisões e subdivisões.

Vejamos o próximo esboço, para nos firmarmos bem quanto ao mesmo.

01. CABEÇALHO DO SERMÃO.


01.1. PASSAGEM BÍBLICA BASE PARA O SERMÃO.
01.2. TEMA DO SERMÃO.
01.3. TÍTULO DO SERMÃO.
02. INTRODUÇÃO DO SERMÃO.
03. CORPO DO SERMÃO.
03.1. O CORPO DO SERMÃO DIVIDE-SE EM TANTAS PARTES (CAPÍTULOS),
QUANTAS SE FIZEREM NECESSÁRIAS.
03.1. DA MESMA FORMA, AS PARTES DO CORPO DO SERMÃO
(CAPÍTULOS), TAMBÉM SE DIVIDEM EM QUANTAS PARTES SE FIZEREM
NECESSÁRIAS.
04. CONCLUSÃO DO SERMÃO.
04.1. RECAPITULAÇÃO.
04.2. APLICAÇÃO.
04.3. APELO AO PÚBLICO.

O esboço do sermão é útil pelo menos em duas oportunidades, quais sejam:

01. NA PREPARAÇÃO DO SERMÃO.


Na preparação do sermão o esboço é como que o esqueleto de um prédio em
construção, o qual, é o suporte para todos os demais componentes do prédio, tais
como, paredes, portas, janelas, terraços, iluminação, elevador, escadas, divisões
internas, etc., acréscimos estes, que servem para o bom funcionamento do prédio,
como um todo, porém, dependendo do arquiteto e dos recursos do proprietário,
também contribuem para o seu embelezamento.
Da mesma forma, o esboço do sermão deve ser usado, para nele serem
colocados todos os ingredientes necessários à sua montagem, e conforme os
recursos usados pelo pregador, o mesmo será, mais ou menos, embelezado para
a sua entrega ao público.

02. NA ENTREGA DO SERMÃO.


Na entrega do sermão o esboço serve para que o pregador não saia fora do
caminho traçado, quando do preparo da mensagem a ser transmitida.
Por isso, o esboço há de conter todo o sermão do modo mais resumido possível,
de tal forma que o pregador tenha à sua frente a trajetória a ser seguida durante a
pregação.

Vejamos o exemplo do esboço de um sermão, baseado em João 14:6.

01. CABEÇALHO DO SERMÃO.


01.1. PASSAGEM BÍBLICA BASE PARA O SERMÃO: João 14:6.
01.2. TEMA DO SERMÃO: FUNDAMENTOS.
01.3. TÍTULO DO SERMÃO: ALGUNS FUNDAMENTOS DE JESUS CRISTO.
02. INTRODUÇÃO DO SERMÃO: MEDITAREMOS HOJE, SOBRE ALGUNS
FUNDAMENTOS DE JESUS CRISTO, BASEADOS NA PASSAGEM BÍBLICA
LIDA.
03. CORPO DO SERMÃO.
I – 1º FUNDAMENTO: JESUS CRISTO É O CAMINHO.
1. JESUS CRISTO É O CAMINHO A SEGUIR NESTE MUNDO.
2. JESUS CRISTO É O CAMINHO QUE CONDUZ À VIDA ETERNA.
II – 2º FUNDAMENTO, JESUS CRISTO É A VERDADE.
1. JESUS CRISTO É A VERDADE A SER APRENDIDA.
2. JESUS CRISTO É A VERDADE A SER SEGUIDA.
III – 3º FUNDAMENTO, JESUS CRISTO É A VIDA.
1. POR SER VIDA, JESUS CRISTO DÁ VIDA ABUNDANTE.
2. POR SER VIDA, JESUS CRISTO DÁ VIDA ETERNA.
04. CONCLUSÃO DO SERMÃO.
04.1. RECAPITULAÇÃO DO SERMÃO: JESUS CRISTO É TOTALMENTE
CONFIÁVEL, POIS NELE SUBSISTEM TRÊS FUNDAMENTOS IMBATÍVEIS; O
CAMINHO VERDADEIRO, A VERDADE VERDADEIRA E A VIDA VERDADEIRA.
04.2. APLICAÇÃO DO SERMÃO: POR TUDO ISTO, ALÉM DE SER
TOTALMENTE BENÉFICO, É NOSSO DEVER CONFIAR PLENAMENTE EM
JESUS CRISTO, POIS TAIS FUNDAMENTOS, COM CERTEZA, TÊM O PODER
DE NOS MANTER JUNTO DE DEUS.
04, C, APELO AO PÚBLICO, SE HÁ ALGUÉM, AQUI, NESTA NOITE, QUE APÓS
TOMAR CONHECIMENTO DO QUE JESUS CRISTO É, O ACEITE COMO
ÚNICO E SUFICIENTE SALVADOR, POR FAVOR, LEVANTE UMA DE SUAS
MÃOS.

É bom saber que, tanto neste esboço, quanto no exemplo de sermão usado neste
estudo, temos apenas o esboço, por isso, é necessário que, a este, seja
adicionado o conteúdo, senão, um sermão no qual se fale apenas o que está
escrito nestes esboços levaria quando muito, somente, dois ou três minutos.

Exercício: Anote.
Preparar um sermão completo, naturalmente, com seu respectivo esboço.
Este sermão deve ser preparado, levando-se em consideração o roteiro
apresentado quando do estudo do preparo das etapas do sermão. Por isso, o
roteiro para o preparo deste sermão, ou de qualquer outro, deve ter a seguinte
ordem:

1º PASSO: PASSAGEM BÍBLICA, BASE PARA A MENSAGEM.


2º PASSO: TEMA DO SERMÃO.
3º PASSO: CORPO DO SERMÃO.
4º PASSO: RECAPITULAÇÃO DO SERMÃO.
5º PASSO: APLICAÇÃO DO SERMÃO.
6º PASSO: APELO AO PÚBLICO.
7º PASSO: INTRODUÇÃO DO SERMÃO.
8º PASSO: TÍTULO DO SERMÃO.

VIII. TIPOS DE SERMÃO.

A transmissão da palavra de DEUS através da pregação pode ser realizada,


através de três tipos de sermão, quais sejam:

01. SERMÃO TEMÁTICO, OU TÓPICO.


02. SERMÃO TEXTUAL.
03. SERMÃO EXPOSITIVO.

Entretanto, ainda que haja três tipos de sermão, a preparação de cada um deles,
segue sempre o mesmo esquema de preparo, estudado no capítulo V deste
estudo.

Vejamos cada tipo de sermão em particular.

VIII.1. SERMÃO TEMÁTICO, OU TÓPICO.

NO SERMÃO TEMÁTICO, OU TÓPICO, o pregador escolhe um tema, sobre o


qual deseja pregar, adota um texto BÍBLICO que dê sustentação ao tema, e ao
título da mensagem a ser pregada (o texto BÍBLICO, também pode ser adotado
em primeiro lugar), porém, o texto BÍBLICO usado terá pouca, ou nenhuma,
influência sobre o corpo do sermão, visto que, as partes do corpo do sermão, são
baseadas exclusivamente no tema e no título do sermão, não no texto BÍBLICO.
Há, pelo menos, três tipos de sermão temático ou tópico:

A. O SERMÃO TEMÁTICO, OU TÓPICO, BÍBLICO.


B. O SERMÃO TEMÁTICO, OU TÓPICO, EXTRA-BÍBLICO.
C. O SERMÃO TEMÁTICO, OU TÓPICO, MISTO.

Vejamos cada um destes em particular.

VIII.1.1. O SERMÃO TEMÁTICO OU TÓPICO BÍBLICO.


Este tipo de sermão temático ou tópico, ao ser pregado tem tudo para ser baseado
na autoridade da BÍBLIA, já que, as partes do corpo do sermão vêm, totalmente,
da BÍBLIA SAGRADA, quer estas estejam perto, quer estejam distantes do texto
base para a mensagem.
Vejamos a seguir, um exemplo de SERMÃO TEMÁTICO OU TÓPICO BÍBLICO, no
qual, o TEMA, o TÍTULO DO SERMÃO, bem como as divisões do corpo do
sermão são extraídos, exclusivamente, da BÍBLIA SAGRADA.
CABEÇALHO DO SERMÃO.
PASSAGEM BÍBLICA BASE PARA A MENSAGEM: I Timּ 6:10.
TEMA DO SERMÃO: O AMOR (OU O DINHEIRO).
TÍTULO DO SERMÃO: O AMOR AO DINHEIRO.
INTRODUÇÃO: ANALISAREMOS, À LUZ DA BÍBLIA SAGRADA, ALGUNS
EXEMPLOS DE AMOR AO DINHEIRO.
CORPO DO SERMÃO.
I - O AMOR DE JUDAS ISCARIOTES AO DINHEIRO. Luc 22:2-6ּ (5-6).
II - O AMOR DE SIMÃO AO DINHEIRO. At 8:14-24 (18-20).
III - O AMOR DE CORNÉLIO AO DINHEIRO. At 10:1-48 (1-6).
CONCLUSÃO DO SERMÃO.
RECAPITULAÇÃO DO SERMÃO: COMO VIMOS, CADA UM DESTES HOMENS,
QUAIS SEJAM, JUDAS ISCARIOTES, SIMÃO E CORNÉLIO, AMAVA O
DINHEIRO DE FORMA DIFERENTE DOS OUTROS DOIS.
APLICAÇÃO DO SERMÃO: O DINHEIRO EM SI É NEUTRO, NÃO É MAU, NEM
BOM, O QUE É MAU É AMAR O DINHEIRO DE FORMA QUE, TAL AMOR,
DESAGRADE A DEUS.
APELO AO PÚBLICO, SE ATÉ HOJE, DESOBEDECEMOS A DEUS, POR
AMARMOS O DINHEIRO, A PARTIR DE AGORA, CADA UM DE NÓS, HONRE E
GLORIFIQUE A DEUS, USANDO SEU DINHEIRO COM SABEDORIA.

VIII.1.2. SERMÃO TEMÁTICO OU TÓPICO EXTRA-BÍBLICO.

Este tipo de sermão temático ou tópico é diferente, visto que, o pregador tira as
bases para as divisões do corpo do sermão em fontes extra BÍBLICAS, tais como:

01. FATOS HISTÓRICOS - 02. FATOS POLÍTICOS - 03. EXPERIÊNCIAS


FAMILIARES - 04. EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL - 05. CONHECIMENTO
CIENTÍFICO - 06. CASOS POLICIAIS - 07. MITOLOGIA - 08. TRANSPORTE
09. GUERRA. - 10. ELEIÇÕES - 11. EDUCAÇÃO - 12. ECOLOGIA - 13.
MEDICINA - 14. ASTRONOMIA - 15. ETC., ETC., ETC.

Quando o pregador usa apenas material EXTRA-BÍBLICO para a transmissão da


sua mensagem há um perigo enorme, para que o fatídico DESVIO DA VERDADE
(HERESIA) entre em cena.
Este tipo de sermão temático, ou tópico, é o mais simples de ser preparado e
pregado, já que, o pregador está, praticamente, livre do texto BÍBLICO base para
a mensagem, e até mesmo da BÍBLIA SAGRADA, quer seja, para o preparo,
quanto para a entrega do sermão. Porém, apesar de ser o tipo de sermão mais
fácil de ser preparado e pregado é, também, o mais perigoso, visto que, não
havendo muita preocupação com o texto BÍBLICO, o pregador pode enveredar
pela mentira ou pela heresia, principalmente, se estiver despreparado no aspecto
doutrinário.
Quando o DESVIO DA VERDADE (HERESIA) está no púlpito, infelizmente, ao
invés de possibilitar edificação para a vida dos ouvintes há, no mínimo estagnação
espiritual, mas também poderão acontecer desvios doutrinários, principalmente na
mente e coração daqueles que não estão suficientemente doutrinados, os quais,
desta forma, e por isso mesmo, estão, francamente, abertos à mentira.
Devido a este perigo, é necessário que a IGREJA preste muita atenção ao que é
pregado em seus púlpitos, visando manter a unidade doutrinária, não só nas
classes da sua ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL, mas também, quando da
PREGAÇÃO DA PALAVRA DE DEUS.
Por isso, é perigosíssimo uma IGREJA convidar um pregador de outra
denominação, para pregar em seu púlpito.
Igualmente perigoso, é convidar para fazer um estudo BÍBLICO.
Desta forma, o pregador deve fugir do SERMÃO TEMÁTICO LIVRE e pregar
sermões baseados na PALAVRA DE DEUS.
Esta prática fará com que não pregue baseado, apenas, no seu conhecimento ou
em suas experiências.
Ainda que devamos fugir do SERMÃO TEMÁTICO LIVRE, exemplificamos a
seguir um SERMÃO TEMÁTICO LIVRE, no qual, o TEMA e o TÍTULO, estão
baseados na BÍBLIA SAGRADA, porém, as divisões do corpo da mensagem são
extraídas de fontes extra BÍBLICAS.

CABEÇALHO DO SERMÃO.
PASSAGEM BÍBLICA, BASE PARA A MENSAGEM: I Tim 6:10.
TEMA DO SERMÃO: O AMOR (OU O DINHEIRO).
TÍTULO DO SERMÃO: O AMOR AO DINHEIRO.
INTRODUÇÃO DO SERMÃO: TENTAREMOS PROVAR COM A MENSAGEM
DESTA NOITE (TARDE, MANHÃ, MADRUGADA), QUE OS DELINQÜENTES DO
MUNDO, PRATICAM TODA A SORTE DE DESMANDOS, POR AMAREM
DEMASIADAMENTE O DINHEIRO.
CORPO DA MENSAGEM.
I - OS SEQÜESTRADORES PRATICAM O SEQÜESTRO, POR AMOR AO
DINHEIRO.
II - OS CONTRABANDISTAS FAZEM CONTRABANDO, POR AMOR AO
DINHEIRO.
III - OS ASSALTANTES DE BANCOS ASSALTAM, POR AMOR AO
DINHEIRO.
CONCLUSÃO DO SERMÃO.
RECAPITULAÇÃO DO SERMÃO: COMO VIMOS, TODOS OS DELINQÜENTES
CITADOS NESTA MENSAGEM, PRATICAM TODA A SORTE DE DESMANDOS,
POR AMAREM DEMASIADAMENTE O DINHEIRO.
APLICAÇÃO DO SERMÃO: QUEM ENVEREDA PARA O AMOR DEMASIADO AO
DINHEIRO, COM CERTEZA, ENVEREDA POR UM CAMINHO QUE LEVA PARA
LONGE DA OBEDIÊNCIA A DEUS.
APELO AO PÚBLICO: PORTANTO, JAMAIS IMITEMOS OS QUE PRATICAM
TODOS OS DESMANDOS, POR AMOR DESMEDIDO AO DINHEIRO. CADA UM
DE NÓS DEVE CONTENTAR-SE, ATÉ MESMO, COM AS COISAS HUMILDES,
COMO ENSINA A PALAVRA DE DEUS. CADA UM DE NÓS, USE O DINHEIRO,
GANHO HONESTAMENTE, COM SABEDORIA, DE TAL FORMA QUE EXALTE A
DEUS, ATRAVÉS DO BOM USO DO DINHEIRO.

Este tipo de sermão, ainda que seja muito tentador e possa ser pregado, desde
que não desminta as ESCRITURAS, como já orientamos, deve ser evitado ao
máximo, para que o pregador jamais esqueça da autoridade da BÍBLIA SAGRADA
ao preparar e pregar seus sermões.
Como vimos, nos dois exemplos de sermão temático, ou tópico, dados acima, o
cabeçalho do sermão é o mesmo, entretanto, são dois sermões completamente
diferentes, visto que, no primeiro, as divisões do corpo do sermão foram extraídas
da BÍBLIA SAGRADA, já no segundo exemplo, as divisões ficaram por conta da
vontade e experiência do pregador.
No primeiro caso, temos a autoridade da BÍBLIA SAGRADA, na passagem
BÍBLICA base para a mensagem, e nas divisões do corpo do sermão, dando
assim, a máxima autoridade ao sermão.
No segundo caso, a BÍBLIA SAGRADA pode ter sido usada, como pretexto, para o
desabafo de alguma coisa que esteja atormentando o pregador.

VIII.1.3. O SERMÃO TEMÁTICO OU TÓPICO MISTO.

Como o próprio nome indica, este tipo de sermão temático ou tópico, contém no
seu corpo, tanto divisão BÍBLICA, quanto divisão EXTRA-BÍBLICA.
Para este tipo de sermão, cremos não haver necessidade de exemplo.

Exercícios: Anote.

01. Elaborar um sermão temático BÍBLICO.


02. Elaborar um sermão temático livre.
03. Elaborar um sermão temático misto.

VIII.2. SERMÃO TEXTUAL.

O SERMÃO TEXTUAL, como o próprio nome indica, é baseado num texto da


BÍBLIA SAGRADA, geralmente, um texto pequeno (na grande maioria dos casos,
apenas um versículo), do qual, o pregador extrai, obrigatoriamente, o tema, o título
da mensagem e as divisões do corpo do sermão.
Vejamos a seguir, um exemplo de sermão textual baseado no texto BÍBLICO de
Romּ 1:16.

CABEÇALHO DO SERMÃO.
PASSAGEM BÍBLICA BASE PARA O SERMÃO: Rom 1:16.
TEMA DO SERMÃO: PODER, OU O EVANGELHO.
TÍTULO DO SERMÃO: O PODER DO EVANGELHO.
INTRODUÇÃO DO SERMÃO: MEDITAREMOS NESTA OPORTUNIDADE,
SOBRE ALGUNS ASPECTOS DO MARAVILHOSO PODER DO EVANGELHO DE
JESUS CRISTO.
CORPO DO SERMÃO.
I - O QUE É O EVANGELHO?
II - COMO DEVE SER O RELACIONAMENTO DO CRENTE EM JESUS CRISTO
COM O EVANGELHO?
III - QUEM PODE SER SALVO PELO PODER DE DEUS, QUE É O
EVANGELHO?
1. EM 1o LUGAR, O JUDEU.
2. EM 2o LUGAR, O GREGO.
3. POR EXTENSÃO, TODAS AS PESSOAS.
CONCLUSÃO DO SERMÃO.
RECAPITULAÇÃO DO SERMÃO: VIMOS QUE O CRENTE, NÃO PODE TER
VERGONHA DO EVANGELHO, VISTO QUE, É O PODER DE DEUS PARA
SALVAÇÃO, TANTO DO JUDEU COMO DO GREGO, E POR EXTENSÃO, DE
TODAS AS PESSOAS DO MUNDO INTEIRO.
APLICAÇÃO DO SERMÃO: QUEM NÃO SE ENVERGONHA DO EVANGELHO
DE JESUS CRISTO É UM CANAL DA BÊNÇÃO DE DEUS, PARA A
HUMANIDADE.
APELO: SE HÁ ALGUM CRENTE NO NOSSO MEIO, QUE ATÉ HOJE, TINHA
VERGONHA DO EVANGELHO, MAS EM VIRTUDE DESTA MENSAGEM DEIXOU
DE SE ENVERGONHAR E DE AGORA EM DIANTE, DESEJA LEVÁ-LO AO
MUNDO, POR FAVOR, MANIFESTE-SE, VINDO À FRENTE.

Como vimos, neste exemplo de sermão textual, o TEMA, o TÍTULO e as divisões


do CORPO do SERMÃO estão, totalmente, dentro texto básico do sermão.

Exercício: Anote.

Preparar um sermão textual.

VIII.3. SERMÃO EXPOSITIVO.

O SERMÃO EXPOSITIVO é muito parecido com o SERMÃO TEXTUAL. A


diferença principal está na extensão do texto BÍBLICO, o qual, é mais amplo que o
texto usado para o SERMÃO TEXTUAL. Porém, da mesma forma que o sermão
textual, todas as partes do sermão, quais sejam, TEMA, TÍTULO E DIVISÕES DO
CORPO DO SERMÃO, também são, obrigatoriamente, tiradas do texto BÍBLICO
escolhido para o preparo e transmissão da mensagem de DEUS.

Vejamos a seguir, um exemplo de sermão expositivo.

CABEÇALHO DO SERMÃO.
PASSAGEM BÍBLICA BASE PARA O SERMÃO: II REIS 04:1-7.
TEMA DO SERMÃO, O HOMEM DE DEUS.
TÍTULO DO SERMÃO, ALGUMAS CARACTERÍSTICAS DO HOMEM DE DEUS.
INTRODUÇÃO DO SERMÃO, À LUZ DO TEXTO LIDO, VERIFICAREMOS,
ALGUMAS CARACTERÍSTICAS EXTRAORDINÁRIAS, DO HOMEM OU DA
MULHER DE DEUS, AS QUAIS DEVEM SERVIR DE GUIA A TODOS NÓS.
CORPO DO SERMÃO.
I - O HOMEM DE DEUS TEM DISCÍPULOS, Vsּ 1.
II - OS DISCÍPULOS DO HOMEM DE DEUS TEMEM A DEUS, Vsּ 1.
III - O HOMEM DE DEUS SE PREOCUPA COM OS PROBLEMAS DOS SEUS
DISCÍPULOS, Vsּ 2.
IV - O HOMEM DE DEUS ACONSELHA SEUS DISCÍPULOS, Vsּ 3−4.
V - OS CONSELHOS DO HOMEM DE DEUS DEVEM SER OBEDECIDOS, Vsּ 5.
VI - AS PALAVRAS DO HOMEM DE DEUS SE CUMPREM, Vsּ 6.
VII - O HOMEM DE DEUS DEVE SABER QUE SUAS PALAVRAS SE
CUMPRIRAM, Vsּ 7.
VIII - O HOMEM DE DEUS NÃO SE CANSA DE ACONSELHAR SEUS
DISCÍPULOS, Vsּ 7.
IX - QUANDO O HOMEM DE DEUS FALA, GRANDES COISAS ACONTECEM, Vs
7.
CONCLUSÃO DO SERMÃO.
RECAPITULAÇÃO, COMO VIMOS:
O HOMEM DE DEUS TEM DISCÍPULOS.
OS DISCÍPULOS DO HOMEM DE DEUS TEMEM A DEUS.
O HOMEM DE DEUS SE PREOCUPA COM OS PROBLEMAS DOS SEUS
DISCÍPULOS.
O HOMEM DE DEUS ACONSELHA SEUS DISCÍPULOS.
OS CONSELHOS DO HOMEM DE DEUS DEVEM SER OBEDECIDOS.
AS PALAVRAS DO HOMEM DE DEUS SE CUMPREM.
O HOMEM DE DEUS DEVE SABER QUE SUAS PALAVRAS SE CUMPRIRAM.
O HOMEM DE DEUS NÃO SE CANSA DE ACONSELHAR SEUS DISCÍPULOS.
QUANDO O HOMEM DE DEUS FALA, GRANDES COISAS ACONTECEM.
APLICAÇÃO DO SERMÃO, QUANDO HONRAMOS O VERDADEIRO HOMEM
DE DEUS, GRANDIOSAS COISAS ACONTECEM EM NOSSAS VIDASּ !ּ !ּ !
APELO AO PÚBLICO: PORTANTO, PRESTEMOS MUITA ATENÇÃO ÀS
PESSOAS QUE CONSIDERAMOS HOMENS OU MULHERES DE DEUS.
VEJAMOS SUAS PALAVRAS E SUA VIDA. TENHAMOS CORAGEM DE ORAR A
DEUS PARA NOS MOSTRAR QUEM, VERDADEIRAMENTE, SÃO. TENHAMOS
MAIS CORAGEM, AINDA, PARA RECUSAR AQUELES QUE,
COMPROVADAMENTE, NÃO SÃO PESSOAS DE DEUS E FIQUEMOS COM
QUEM, COMPROVADAMENTE, É PESSOA DE DEUS. POR OUTRO LADO, SE
NÓS É QUE SOMOS HOMENS OU MULHERES DE DEUS, CUIDADO COM
NOSSAS VIDAS E NOSSA OBEDIÊNCIA A DEUS. PORQUE ESTAMOS SENDO
OBSERVADOS, NÃO SÓ PELOS HOMENS MAS, PRINCIPALMENTE E ACIMA
DE TUDO, PELO PRÓPRIO DEUS.

Como vimos, no exemplo dado acima, tanto o TEMA, como o TÍTULO e as


DIVISÕES do CORPO do SERMÃO, são extraídos do texto BÍBLICO base para o
SERMÃO, o qual, forneceu todos os elementos, para o preparo, bem como, para a
transmissão da mensagem de DEUS.
Neste exemplo de sermão expositivo, as divisões do corpo do sermão, seguiram a
ordem da passagem BÍBLICA. Porém, a seqüência pode ser diferente da ordem
do texto BÍBLICO, desde que, tal mudança, torne a mensagem mais clara e ou
compreensível. Além do que, dependendo do sermão, alguns detalhes podem ser
deixados fora da pregação, desde que estejam fora do propósito da mesma.

Exercício: Anote.

Prepare um sermão expositivo.

IX. AS ILUSTRAÇÕES.

As ilustrações são, como que, parábolas ou seja, narrativas de fatos, quer sejam
reais ou fictícios, inseridas nas mensagens de DEUS, a fim de realçar a verdade,
ou o ensino principal, que o pregador, deseja passar aos ouvintes.
Não há uma determinação, quanto à quantidade de ilustrações a serem usadas
num sermão. Porém, ainda que as ilustrações sejam muito valorosas, quando bem
usadas e aplicadas durante a explanação de um sermão, o pregador deve ser
comedido, por isso não deve usá-las em demasia numa só pregação.
É bom que o pregador assimile bem o conselho dado, visto que a ilustração há de
ser, apenas, um meio para embelezar a pregação e facilitar o entendimento dos
ouvintes.
Jamais a ilustração poderá ou deverá ser considerada e tida como um fim em si
mesma. Também, é bom saber que o uso de ilustrações não é obrigatório, quando
da transmissão da PALAVRA DE DEUS, através da pregação.
Desta forma, se, para uma mensagem que o pregador pretende pregar, não
houver ilustração adequada é, extremamente, preferível não usar nenhuma
ilustração, a usar ilustração que esteja fora do contexto do sermão.
Se uma ilustração for colocada numa mensagem de DEUS, porém, fora de
contexto, pelo menos, parte do auditório com seu senso crítico, poderá criar
reservas acerca do pegador que age dessa forma, pois, nota e conclui que o
mesmo tem dificuldade de raciocínio.
Não há um local determinado na pregação no qual a ilustração deva ser colocada,
por isso, a localização da ilustração dentro do sermão fica a critério do pregador,
este é que decide o local onde a mesma melhor se encaixe e sirva aos seus
propósitos.
Desta forma, a ilustração pode ser colocada antes, durante, depois do cabeçalho,
na introdução, no corpo da mensagem ou na conclusão, naturalmente, dentro do
critério adotado pelo pregador, qual seja o de fortalecer e embelezar a mensagem
a ser pregada.
Damos a seguir, um exemplo de ilustração.

O HOMEM E A GALINHA.
A galinha anda só olhando para a terra procurando o que lhe serve para o corpo.
A galinha só olha para cima na hora em que bebe água.
Quantos homens também só olham para as coisas da Terra?
Muitos não olham para DEUS porque, infelizmente, nem acreditam na sua
existência.
Muitos acreditam na existência de DEUS mas agem como se DEUS não existisse.
1º Porque nunca escutaram acerca do SEU amor e ou da SUA obra em nosso
favor.
2º Porque, apesar de já terem escutado acerca do SEU amor e obra por nós, não
lhe dão crédito.
Entretanto, apesar de não reconhecerem a sua existência, ou de não lhe darem
importância, ainda que, creiam que ele existe, na hora de um aperto muito grande
buscam−no através dos seus filhos, quer seja, espontânea ou indutivamente.
Por outro lado, crentes, esquecem:

1º DA IGREJA.
2º DOS CULTOS.
3º DA ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL.
4º DA EVANGELIZAÇÃO.
5º DE ORAR.
6º DE LER, ESTUDAR E MEDITAR SOBRE A BÍBLIA SAGRADA.
7º DO AMOR FRATERNAL.
8º ETC., ETC., ETC.

Mas na hora do aperto olham para cima achando que DEUS tem o dever de
satisfazer−lhes os desejos momentâneos.
São como a galinha, que só olha para cima quando tem necessidade de beber.

Cada ilustração pode, muito bem, ser aplicada em mais de um tema, por isso, esta
ilustração pode ser usada:

01. Numa mensagem sobre egoísmo.


02. Numa mensagem sobre vida devocional.
03. Numa mensagem sobre vida CRISTÃ.
04. etc.

Como já dissemos, uma ilustração pode ser real, mas também pode ser fictícia, o
importante é a lição que a mesma dá, bem como, a aplicação que o pregador faz
da mesma, durante a pregação.

X. OS SERMÕES OFICIAIS.

Quando um pregador está encarregado de pregar numa cerimônia oficial, o


sermão a ser pregado deverá estar, totalmente, escrito, quer seja para ser incluído
em ata, para ficar à disposição dos interessados ou, até mesmo, à disposição das
autoridades, as quais poderão exigir o conteúdo do que foi pregado em tal
ocasião, para o que lhes interessar.
XI. PREGAR, MAS, SOBRE O QUÊ?

Já aprendemos a preparar o sermão e quais os tipos de sermão que podem ser


preparados e pregados, agora chegou o momento de pregar, mas, pregar sobre o
quê?
A primeira fonte de temas a serem pregados é a BÍBLIA SAGRADA, a qual é
imprescindível para dar autoridade ao sermão, porém, o pregador deve atentar
aos detalhes da sua IGREJA para, no momento certo, pregar sobre um assunto
que interesse à mesma.
Por exemplo, a IGREJA, ou congregação, está com dificuldades de
relacionamento pessoal, é uma ótima oportunidade para pregar sobre amor
fraternal, arrependimento, perdão, compreensão ou temas correlatos, usando,
naturalmente, o título correto, para que através da pregação, a IGREJA, a
congregação ou, pelo menos, as partes envolvidas, sejam tocadas pelo ESPÍRITO
SANTO, e possam resolver o problema, que com toda a certeza, traz prejuízos
espirituais, quer sejam, pessoais ou eclesiásticos.
Às vezes um evento ou uma notícia local, estadual, nacional ou internacional,
pode ser usado (a), pelo menos como uma ilustração para um sermão.
Um evento denominacional também pode ser usado para a preparação e entrega
de um sermão, etc., etc., etc.
Por fim, não havendo nenhum indício aparente, não há o que temer, já que, com
toda a certeza DEUS iluminará o pregador, sobre o que pregar.
Quando o pregador é convidado a pregar em outra IGREJA ou congregação, da
qual não conhece sua vida, e não lhe for dado o assunto sobre o qual pregar é
bom, em primeiro lugar, fazer algumas investigações, porém, muito sutis, a fim de
não despertar suspeitas, se porventura, não descobrir nada, a confiança em
DEUS há de ser colocada em ação, o qual, com toda a certeza acompanha o
pregador orientando-o sobre o que deverá pregar.

Portanto, nada de pânico, a tranqüilidade juntamente com a confiança em DEUS,


com toda a certeza contribuirão para o bom desempenho do irmão, tanto para a
descoberta do que pregar, quanto para o preparo e entrega do sermão.
Que DEUS o abençoe, meu irmão na anunciação da sua SANTA e INFALÍVEL
PALAVRA.

XII. CUIDADOS IMPORTANTES, QUE O PREGADOR DEVE TER ANTES DE


CHEGAR AO PÚLPITO.

O pregador deve ter alguns cuidados, na sua vida de pregador, vejamos alguns:

01. Dentro do possível, preparar sua mensagem com antecedência.


02. Manter um arquivo de sermões prontos, tanto os já pregados, como os que
ainda não o foram.
03. Manter, também, um arquivo de sermões em preparo.
04. Anotar em cada esboço de cada sermão pregado ou numa relação separada,
a localidade, a IGREJA e a data em que o sermão foi pregado, evitando, dessa
forma a repetição precipitada, desnecessária e prejudicial do mesmo sermão, na
mesma IGREJA, em datas muito próximas.
05. Igualmente, marcar em cada ilustração ou numa relação em separado, a data,
a localidade e a IGREJA na qual a mesma foi usada, para que não haja repetição
da mesma ilustração, em data, muito próxima. Este cuidado é muito importante,
visto que, como já vimos, a mesma ilustração, pode ser usada em vários sermões.
06. O mesmo cuidado deve ser observado em relação aos recortes de jornais e ou
revistas.
07. Às vezes devido à inexperiência do pregador, à importância da mensagem, ou
ao local onde o sermão será pregado, pode acontecer do pregador ficar tenso,
ansioso ou nervoso, antes de iniciar o sermão. Neste caso, para amenizar tais
problemas, é de muita eficácia, o pregador fazer alguns exercícios de relaxamento
para aliviar a tensão, a ansiedade ou o nervoso que o possa dominar em tais
ocasiões.

XIII. CUIDADOS IMPORTANTES QUE O PREGADOR DEVE OBSERVAR AO


APRESENTAR-SE EM PÚBICO, PARA PREGAR.

01. Dentro do possível, usar indumentária sóbria.


02. Usar linguagem adequada; se usar alguma gíria, avisar antecipadamente.
03. Ser comedido, quanto ao tempo, ou seja, não ser demasiadamente curto, nem
demasiadamente longo, na transmissão da mensagem de DEUS. Um bom
sermão, pode muito bem ser preparado para ser apresentado ao público, mais ou
menos, entre 25 e 45 minutos. Porém, é bom ter o costume de não estar aquém,
ou ir além disso, principalmente se o pregador prega muitas vezes na mesma
IGREJA, tal como um pastor local.
04. Jamais esquecer de levar o esboço do sermão, pois o mesmo o ajudará a
manter-se no rumo certo, bem como, de acordo com o que foi preparado com
antecedência. Há um cuidado de suma importância, o qual, deve ser, sempre,
levado em consideração, quanto ao esboço do sermão. O esboço, geralmente, é
escrito numa folha de papel, por isso pode ser, facilmente, levada por uma leve
brisa ou por uma breve lufada de vento. Por isso, é bom o pregador estar
prevenido contra esse tipo de acidente, levando consigo um clipe ou algum outro
acessório próprio, para prender o esboço a alguma coisa mais segura.
Este é um cuidado muito simples, mas muito útil, pois evita:

A. A perda do roteiro do sermão.


B. Dependendo do público presente, até, a hilaridade.

05. Não falar na primeira pessoa do singular, para que não haja demonstração de
orgulho, principalmente, quando do relato da realização de algum fato notório.
Neste caso é muito melhor falar na primeira pessoa do plural (nós) dignificando,
assim, aqueles que são ou se consideram, seus colaboradores.
06. Jamais insinuar acusações usando a segunda pessoa, quer seja, do singular
ou do plural, já que isto pode causar má impressão no auditório, visto que, este
pode não aceitar tais insinuações de bom grado, principalmente, se conhecer,
suficientemente, o pregador e julgar que o mesmo também deveria estar incluído
entre o grupo dos acusados. Por isso, havendo necessidade de insinuar alguma
acusação é melhor fazê-la na primeira pessoa do plural (nós), colocando-se,
assim, no mesmo nível do auditório, por isso mesmo, também alvo da acusação.
07 Jamais acusar ninguém em particular, família, categoria profissional,
corporação, etc., seja ela quem ou qual for. Se isto acontecer poderão surgir
graves problemas, até de cunho legal, exigindo provas da acusação.
08 Evitar olhar para um ponto fixo e, muito menos, para uma só pessoa presente
do auditório, principalmente, se esta for do sexo oposto, fato este que, quando
acontece, pode causar mal-estar, principalmente, na pessoa que está sendo
fitada. O certo é passear o olhar por todo o auditório, sem fitar por muito tempo,
nenhum ponto fixo ou o olhar de quem quer que seja.
09 Outro cuidado a considerar é a movimentação do pregador.

A. O pregador não deve permanecer extático, ou seja, parado no púlpito.


B. O pregador pode e deve fazer gestos, os quais, quando bem feitos podem
ajudar o auditório a entender com mais facilidade o que está sendo pregado.
Porém, os gestos devem ser comedidos, a fim de que, o pregador não seja
considerado um espetáculo em si mesmo, devido aos seus gestos.

10. Evitar colocar as mãos nos bolsos, principalmente, no caso dos irmãos, nos
bolsos das calças, fato este que pode dar a impressão de que o pregador está
inibido, ou não está dando muita importância à tarefa que está executando.

XIV. AS POSSIBILIDADES DO PREGADOR DA PALAVRA DE DEUS.

Com a aplicação das lições deste manual, o pregador CRISTÃO tem inúmeras
possibilidades para entregar sermões bem preparados, pois a BÍBLIA SAGRADA,
que é a base indispensável para todo o sermão CRISTÃO é um manancial
inesgotável de iluminação, para todos os pregadores CRISTÃOS do mundo
inteiro, e de todas as épocas, desde que foi iniciada a sua compilação.
DEUS, que é o autor da BÍBLIA SAGRADA, jamais abandonará um filho seu que
se proponha estudá-la e transmiti-la, quer seja a pessoas já salvas, ou a pessoas
ainda não salvas por JESUS CRISTO.
Portanto, nada de desânimo ou pânico, ao invés disso, oração, estudo,
dependência de DEUS, mente aberta para a iluminação DIVINA, disposição,
entrega de tempo para o preparo do sermão e coragem para transmitir ao povo o
que DEUS orientar e determinar, para honra e glória do SEU NOME.

CONCLUSÃO.
Encerramos esta matéria, MANUAL BÁSICO DO PREGADOR CRISTÃO
(homilética), a qual está colocado à disposição dos irmãos que se interessarem
em aprimorar suas habilidades como pregadores da PALAVRA DE DEUS.
Reconhecemos que o mesmo é reduzido, visto que, há materiais muito mais
extensos e profundos, relativos à pregação CRISTÃ (homilética), além de haver
enfoques, um tanto quanto diferentes, referentes às partes do sermão, porém, a
nosso ver, o que está exposto neste manual contém o essencial para melhorar o
desempenho do pregador da PALAVRA DE DEUS que não tem, ou não teve,
acesso a material mais completo.
Nosso desejo é que os irmãos que estudaram este manual, tenham recebido
subsídios suficientes, hajam crescido e o apliquem, tanto para o preparo, quanto
para entrega da mensagem de DEUS quando, para isto, forem solicitados.
Que DEUS abençoe todos os mensageiros da sua SANTA PALAVRA, a qual, tem
contribuído e com certeza continuará contribuindo, para o crescimento espiritual
dos filhos de DEUS, bem como para que muitos não salvos descubram a forma de
alcançarem a MARAVILHOSA SALVAÇÃO ETERNA.

BIBLIOGRAFIA.

01. BÍBLIA SAGRADA.


Tradução, Almeida, João Ferreira de.
Edição corrigida e revisada fiel ao texto original.
Sociedade Bíblica Trinitariana do Brasil, 1.994, 1.995, São Paulo, SP, Brasil.

02. CONCISO DICIONÁRIO DE TEOLOGIA CRISTÃ.


Erickson, Millard J.
JUERP, 1991, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

03. HOMILÉTICA.
Novas Edições Líderes Evangélicos.
1982, São Paulo, SP, Brasil.

04. HOMILÉTICA, A ARTE DE PREGAR O EVANGELHO.


Silva, Plínio Moreira da.
Sociedade Literária e Religiosa ABECAR.
2a Edição, 1982, Mogi das Cruzes, São Paulo, SP, Brasil.

05. MINIDICIONÁRIO AURÉLIO.


Ferreira, Aurélio Buarque de Holanda.
Editora Nova Fronteira, 1a edição, 6a impressão, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.