Você está na página 1de 80

IMUNOLOGIA APLICADA

PROF. GABRIELA BASTOS CABRAL


Função sistema imunológico

“Sistema imune é um processo complexo, no qual o objetivo


principal é proteger o corpo dos patógenos, onde todos os
passos são feitos para impedir que os patógenos se
multipliquem e causem doenças”.

A função fisiológica do sistema imunológico é MANTER A


HOMEOSTASE do organismo e RECONHECER O PRÓPRIO.
O Sistema Imunológico

Apresenta conjunto de órgãos, tecidos, células e moléculas


envolvidos no reconhecimento do próprio
O Sistema Imunológico nos confere IMUNIDADE

IMUNIDADE: resistência a doenças infecciosas

Resposta imunológica: Reação Coordenada dos integrantes do


sistema
ÓRGÃOS E TECIDOS LINFOIDES

Órgãos linfoides primários

Órgãos linfoides secundários


ÓRGÃOS
Órgãos linfoides PRIMÁRIOS

Locais de geração de células do sistema imune e maturação de linfócitos T e


B na ausência de antígenos estranhos.

• Fígado fetal

• Medula óssea adulta

• Timo
Órgãos linfoides SECUNDÁRIOS

Local onde as respostas dos linfócitos aos antígenos estranhos são


iniciadas e se desenvolvem

* Linfonodos

* Baço

* Tecido linfóide associado à


mucosas
* Pequenos órgãos nodulares
localizados em toda a extensão
canais linfáticos ao longo do
corpo.

* Os antígenos são transportados


para os linfonodos
principalmente pelos vasos
linfáticos;
* Não tem ligação direta
com os vasos linfáticos.

* Resposta imunológica a
antígenos provenientes
do sangue.
Órgãos linfoides SECUNDÁRIOS
Tecido linfoide associado à mucosas (MALT,BALT e GALT)

O sistema imune de mucosas protege as superfícies internas


do corpo
(mucosa do aparelho digestivo, respiratório, urinário)
CÉLULAS
As células mielóides e linfóides exercem atividades especializadas, mas
atuam de forma coordenada

Localização: sangue (migram para os tecidos)


Principais funções: fagocitose, citotoxicidade mediada
Neutrófilo por anticorpos

Localização: sangue (migram para os tecidos)


Principais funções: liberação de grânulos contendo histamina
Basófilo e outros agentes ativos

Localização: sangue (migram para os tecidos)


Principais funções: fagocitose, citotoxicidade mediada por
Eosinófilo anticorpos (parasitas grandes)
As células mielóides e linfóides exercem atividades especializadas,
mas atuam de forma coordenada.
Localização: sangue e fígado
Principais funções: liberação de grânulos que matam células
infectadas por vírus e células tumorais, citotoxicidade mediada
Células NK
por anticorpos, ativação de macrófagos (IFN-g)

Localização: órgãos linfoides e sangue (migram para os


tecidos)
Principalis funções: Respostas imunes adaptativas,
Linfócito T
citotoxicidade, ativação de fagócitos e linfócitos B, regulação
das respostas imunes

Localização: órgãos linfoides e sangue


Principais funções: respostas imunes adaptativas, produção
Linfócito B de anticorpos, apresentação de antígenos
As células mielóides e linfóides exercem atividades especializadas, mas
atuam de forma coordenada.

Localização: tecidos
Principalis funções: fagocitose, apresentação de
Macrófag antígenos
o

Localização: tecidos (órgãos linfóides)


Principais funções: apresentação de antígenos

Célula
dendrítica
Localização: tecidos
Principais funções: liberação de grânulos contendo
Mastócito histamina e outros agentes ativos
MOLÉCULAS
ANTÍGENOS:

 São substâncias estranhas ao organismo, que estimulam resposta imune;

 Para que uma substância possa exercer integralmente a função antigênica


é necessário apresentar:

* Imunogenicidade – capacidade de estimular uma resposta imune com a


produção de anticorpos ou linfócitos sensibilizados

* Antigenicidade – capacidade de reagir especificamente com o anticorpo


ou com linfócitos sensibilizados.
TIPOS DE ANTÍGENOS
 Antígenos Particulados: microrganismos (bactérias, vírus, fungos)

 Antígenos Solúveis: substâncias produzidas pelos micro


organismos (toxinas).

 Antígenos Exógenos: virais, bacterianos.

 Antígenos Endógenos: 1.Heteroantígenos, Pertencentes a espécies


diferentes; 2. Auto-antígenos – São Ag pertencentes do próprio
indivíduo; 3. Aloantígenos: Diferem os indivíduos de uma mesma
espécie.
Antígenos

Bactérias Fungos Vírus

Toxinas Bacterianas
NATUREZA QUÍMICA DOS IMUNÓGENOS

 Proteínas: A grande maioria dos imunógenos são proteínas. Estas podem


ser proteínas puras ou elas podem ser glicoproteínas ou lipoproteínas.
Em geral, proteínas são usualmente muito bons imunógenos.
NATUREZA QUÍMICA DOS IMUNÓGENOS
 Polissacarídeos: Polissacarídeos puros e lipopolissacarídeos são bons
imunógenos.

 Ácidos Nucleicos: São usualmente pobremente imunogênicos. Entretanto, eles


podem se tornar imunogênicos quando em fita simples ou quando complexado
com proteínas
NATUREZA QUÍMICA DOS IMUNÓGENOS

4. Lipídios em geral são não-imunogênicos, embora eles possam ser


haptenos
CONCEITOS IMPORTANTES
 Imunógeno: Substância capaz de induzir uma resposta imune

 Antígeno (Ag): É uma substâncias que reage com os produtos de uma resposta
imune específica, sendo portanto o alvo da resposta.

 Epítopo: É a porção limitada da molécula (Antígeno) reconhecida pelos receptores


de Ag
 Hapteno: Possuem baixo peso molecular e simplicidade química. São substâncias
que se ligam a proteínas carreadoras de alto peso molecular para assim serem
capazes de induzir uma resposta imunológica, sendo portanto, um imunógeno.

 Reações cruzadas: Quando antígenos diferentes possuem epítopos comuns.


RESPOSTA IMUNOLÓGICA

1ª linha de defesa : Barreira


física/química
Resposta Imune Inata
2ª Resposta imune celular não
específica Resposta Imune Adaptativa

3ªInflamação
Resposta imune celular específica
Imunidade inata ou inespecifica: Caracteriza-se por uma limitada
capacidade de distinguir um microorganismo do outro; NÃO gera memória
imunológica.

Tipo de barreiras de defesa;

 Barreiras físicas: (pele, cabelo, cílios)

 Barreiras fisiológicas: (tosse, espirro..)

 Barreiras Químicas: muco, lágrima, saliva..

 Barreiras fagocíticas: Células fagociticas


São a primeira linha de defesa dos organismos contra a infecção;

Constituída por:

Pele * Barreira mecânica retarda a entrada de agentes infecciosos;


* Ambiente ácido (pH 3 – 5) retarda o crescimento dos micróbios.

Membrana da mucosa * Flora normal compete com os micróbios pelos


sítios de ligação e nutrientes;
* O muco aprisiona os microrganismos estranhos ;
* Os cílios expelem os microrganismos para fora do corpo.
Temperatura
A temperatura normal do corpo inibe o crescimento de alguns
patógenos;
* A resposta febril inibe o crescimento de alguns patógenos.

pH baixo
* A acidez do conteúdo estomacal mata a maioria dos microrganismos
ingeridos;

Mediadores químicos
* A lisozima rompe a parede celular bacteriana
* O interferon induz um estado antiviral em células não-infectadas.
* Ingestão de material particulado extracelular - fagocitose

* Na fagocitose uma membrana plasmática celular se


expande em torno do material particulado (endocitose) ,
formando vesículas grandes , os fagossomas

* As células especializadas (monócitos, neutrófilos e


macrófagos) internalizam (fagocitose) , digerem os
microrganismos inteiros.
CÉLULAS ASSOCIADAS A RESPOSTA NÃO ESPECIFICAS

Células imunológicas que fagocitam os Ag externos e reconhecem


somente PAMPs
EXEMPLOS DE PADRÕES MOLECULARES ASSOCIADOS A
PATÓGENOS E SEUS RECEPTORES
Imunidade inata
Barreiras Inflamatórias (resposta
Resposta local do inflamatória)
tecido vivo a lesão (física, química ou biológica) em que o corpo tenta
LOCALIZAR e ELIMINAR o agente nocivo, eventualmente REMOVENDO e REPARANDO o tecido
lesão.
* Caracterizada por rubor, tumor (edema), dor, calor.

* Células envolvidas:

 Neutrófilos

 Eosinófilos

 Basófilos e mastócitos

 Monócitos/Macrófagos

 Células NK
A Imunidade possui componentes Inespecíficos e
Específicos.

Imunidade Inata (inespecífica): é uma série de mecanismos de


resistência a doenças que não é específico a um determinado
patógeno.

Imunidade Adaptativa (específica): apresenta um alto grau de


especificidade e induz memória imunológica
RESPOSTA IMUNOLÓGICA
Componentes

* Linfócitos

* Anticorpos

* Células apresentadoras de antígenos (APC)


* Surge somente após um contato prévio com um patógeno ou substância estranha
ao organismo;

* Diferente da resposta imune inata , as respostas adaptativas são reações a


antígenos específicos e exibem quatro atributos característicos:
* Especificidade antigênica

* Diversidade

* Memória imunológica

* Reconhecimento próprio / reconhecimento não próprio


o individuo produz a imunidade após alguns dias
* Naturalmente adquirida: após uma infecção, ou seja, é uma imunidade pós-infecção clinica
ou subclínica (quando não se desenvolve a doença)

* Artificialmente adquirida: pós-vacinação

o individuo recebe a imunidade pronta, não há esforço para produzi-la


* Naturalmente adquirida: imunidade congênita (transferência de anticorpos IgG da mãe para
o feto)

* Artificialmente adquirida: recebida através de soroterapia . Ex: soro antitetânico, soro


antiofídico (anticorpos prontos)
Um leucócito mononuclear que medeia a imunidade humoral
ou mediada por células.

* Linfócitos T

* Linfócitos B
 Constituem cerca de 75% dos linfócitos do sangue e atuam na IMUNIDADE
MEDIADA POR CÉLULAS

 Características:
* ATIVAÇÃO do sistema imunológico
* Formados na MEDULA ÓSSEA
* Maturação no TIMO
* Ação contra PATÓGENOS INTRACELULARES
 ESTIMULADOS POR LINFÓCITOS T

 Características:

PRODUÇÃO DE IMUNOGLOBULINAS: A, D, E, G e M
A resposta é imediata Há um período de tempo para
que a resposta seja máxima

Não é específica para um único É gerada para um Ag


Ag determinado
Não resulta em memória Induz resposta de memória
imunológica
Linfócitos

Subtipos
- Consistem em subtipos que diferem nas
suas funções e em seus produtos proteicos
(citocinas);
- Morfologicamente similares
- Linfócitos B - produção de anticorpos
- Linfócitos T - mediadores da imunidade
celular (TCD4+ auxiliar e TCD8+ citotóxico)
ANTICORPOS

 São proteínas sintetizadas por plasmócitos, em decorrência de um

estímulo dado por um antígeno, sendo específico contra esse antígeno ;


IMUNOGLOBULINAS = ANTICORPOS

 São proteínas circulantes produzidas por Linfo B

 Produzidas em resposta à exposição a antígenos.

 Não-próprios (estranhos)

 Próprios (doenças autoimunes)

Imunoglobulina – imunidade adquirida


2 - Secretada
1 - conectadas à membrana
QUAL CÉLULA PRODUZ IMUNOGLOBULINAS ?

Linfócito B
Imunoglobulina possui uma estrutura básica simétrica
composta de 2 cadeias leves idênticas e 2 cadeias
pesadas idênticas
IgE
IgD

Monômero Dímero Pentâmero


 Primeiro anticorpo a ser formado em resposta a um antígeno
 Constitui 10% das imunoglobulinas presentes no plasma sanguineo
 Fase aguda da doença
 Não atravessa a barreira placentária

 Imunoglobulina de memória
 È o anticorpo mais abundante no plasma (cerca de 75%)
 Responsável no combate as infecções
 Presente na fase crônica da doença (cicatriz sorológica)
 Único anticorpo que atravessa a barreira placentária – imunidade passiva ao
feto ou recém nascido
 Especialmente importante nas secreções(ex: lágrima, saliva, leite materno,
etc.)
 Aparece em pequenas quantidades no sangue (soro – IgA sérica)
 Protege as superfícies corporais e defende o intestino contra
microrganismos

 Função especifica desconhecida


 Aparece como receptor de membrana dos linfócitos B

 Anticorpo envolvido em reações alérgicas e liberação de histaminas


TIPOS DE RESPOSTA IMUNE

 Inata – Mecanismos de defesa que já existem antes do estabelecimento


da infecção. Reage contra microrganismos (Células e outras barreiras)

Imunidade Humoral
 Adquirida
ou Adaptativa: Imunidade Celular

alto grau de especificidade


Manter a homeostase
 Trato respiratório
 Trato gastrintestinal
 Trato geniturinário

 Inflamação
 Presença de RESPOSTA CELULAR CITOTÓXICA e ANTICORPOS
* Não reconhecem diretamente os antigenos
* Reconhecimento só acontece se estes estiverem ligados a uma
proteína (MHC – Complexo de Histocompatibilidade Principal)
presentes nas superfícies das células denominadas células
apresentadoras de antígenos (APCs)
ENTÃO.......
Temos dois tipos de resposta, a resposta imune inata e a reposta imune adaptativa,
ambas importantes para uma boa resposta imunológica.
Se uma bactéria conseguir superar as barreiras, entrando por uma lesão, dará de cara
com células que estão no tecido e que iniciarão a resposta imune inata.

Após 3 horas aproximadamente da


entrada da bactéria no tecido, iniciará a
resposta imune inata com os
macrófagos.
A infecção se da quando este
microrganismo se instala no tecido
No local da infecção existem células dendríticas que capturam vírus e antígenos,
entram nos vasos linfáticos e migram em direção ao linfonodo mais próximo para
apresentar estes componentes para os linfócitos T. As células dendríticas são
denominadas células apresentadoras de antígenos.
E MAIS......

É a segunda linha de ação que nosso corpo tem para responder a entrada de um
antígeno. Essa resposta também pode ser chamada de resposta imune adquirida ou
específica. É a imunidade que um indivíduo desenvolve após ter tido contato com
antígeno
EXEMPLO PRÁTICO DA AÇÃO DO SISTEMA IMUNE

Faringite - streptococos pyogenes

Inchaço,
vermelhidão
Citocinas –
Dor
Inflamação “perigo”
calor
Ação imediata
Resposta Inespecífica
Não aumenta com a exposição repetida ao
patógeno
Imunidade inata
Barreiras Inflamatórias (Resposta inflamatória)

* Resposta local do tecido vivo a lesão (física, química ou biológica) em que o corpo tenta LOCALIZAR
e ELIMINAR o agente nocivo, eventualmente REMOVENDO e REPARANDO o tecido lesado.

* Caracterizada por rubor, tumor (edema), dor, calor, perda de função

* Células envolvidas:

* Neutrófilos

* Eosinófilos

* Basófilos e mastócitos

* Monócitos

* Macrófagos e Células NK
CALOR PERDA DE
Vasodilatação FUNÇÃO
Aumento do
Metabolismo
Celular
RUBOR EDEMA DOR
Vasodilataçã Vasodilatação Liberação de mediadores
o Extravasamento de afetam as terminações
Hiperemia fluido nervosas (bradicininas)
(permeabilidade
ALERGIAS
São uma resposta exagerada do sistema imune a uma substância
estranha ao organismo, isto é, a determinados antigênicos do meio
ambiente designados alergênicos resultantes de uma
hipersensibilidade imunológica a um estímulo externo específico, como
por exemplo: Pólen, Ácaros, Pêlos, Penas, Pó, Alimentos, Venenos de
insetos e por vezes a substâncias terapêuticas como Fármacos e
Dermocosméticos.
HIPERSENSIBLIDADE
 Dano tecidual

 Resposta inapropriada

 Reação imune exacerbada

SINAIS DE INFLAMAÇÃO

 EDEMA
 RUBOR
 CALOR
 “DOR” Causadas por:
 Ag self
COCEIRA – DEVIDO LIBERAÇÃO DE  Ag microbianos
HISTAMINA  microbianos
Comparação de Diferentes Tipos de hipersensibilidade
tipo-III tipo-IV
tipo-I tipo-II Tipo-I : asma, alergias
características (complexo (tipo
(anafilático) (citotóxico) dermatites
imune) tardio)
Anticorpo IgE IgG, IgM IgG, IgM Nenhum Tipo II: Ac ligam aos
tecidos & tecidos
Antígeno Exógeno superfície celular solúvel
órgãos
48-72 Tipo III: Ac ligam a ag em
Tempo de resposta 15-30 minutos minutos-horas 3-8 horas suspensão no sangue e
horas
se depositam nos tecidos
eritema e edema, eritema e (ag/Ac complexos)
Aparência inflamação lise e necrose
necrose calosidade
basófilos e anticorpo e complemento e monócitos Tipo IV: Mediados por
Histologia linfócitos T
eosinófilos complemento neutrófilos e linfócitos
Transferido com anticorpos anticorpos anticorpos células T

eritroblastose LES, doença


teste de
Exemplos asma alérgica fetal, nefrite pulmonar do
tuberculina
de Goodpasture fazendeiro
HIPERSENSIBILIDADE
ALERGIAS