Você está na página 1de 43

CURSO PROGRESSÃO

Prof. Andre Santiago


Exercícios sobre Trovadorismo/ Classicismo da música, apresentando amadurecimento técnico, com novos recursos
Koe, viadinhos!!!!! estilísticos e novas formas poemáticas, como a trova, a esparsa e o
Material para estudo. Aproveitem! vilancete.

Trovadorismo Assinale a alternativa em que há um trecho representativo de tal tendência.


a) Non chegou, madre, o meu amigo,
1. Sobre a poesia trovadoresca em Portugal, é INCORRETO afirmar que: e oje est o prazo saido!
a) refletiu o pensamento da época, marcada pelo teocentrismo, o feudalismo Ai, madre, moiro d'amor!
e valores altamente moralistas. b) Êstes olhos nunca perderán,
b) representou um claro apelo popular à arte, que passou a ser representada senhor, gran coita, mentr'eu vivo fôr;
por setores mais baixos da sociedade. e direi-vos fremosa, mia senhor,
c) pode ser dividida em lírica e satírica. dêstes meus olhos a coita que han:
d) em boa parte de sua realização, teve influência provençal. choran e cegan, quand'alguém non veen,
e) as cantigas de amigo, apesar de escritas por trovadores, expressam o eu- e ora cegan por alguen que veen.
lírico feminino. c) Meu amor, tanto vos amo,
que meu desejo não ousa
2. Assinale a alternativa INCORRETA com relação à Literatura desejar nehua cousa.
Portuguesa: Porque, se a desejasse,
a) O ambiente das cantigas de amor é sempre o palácio, com o trovador logo a esperaria,
declarando seu amor por uma dama (tratada de "senhor", isto é, senhora). e se eu a esperasse,
Daí o relacionamento respeitoso, cortês, dentro dos mais puros padrões sei que vós anojaria:
medievais que caracterizam a vassalagem, a servidão amorosa. mil vezes a morte chamo
b) O teatro vicentino é basicamente caracterizado pela sátira, criticando o e meu desejo não ousa
comportamento de todas as camadas sociais: a nobreza, o clero e o povo. desejar-me outra cousa.
Gil Vicente não tem preocupação de fixar tipos psicológicos, e sim a de d) Amigos, non poss'eu negar
fixar tipos sociais. a gran coita que d'amor hei,
c) O marco inicial do Romantismo em Portugal é a publicação do poema ca me vejo sandeu andar,
"Camões". Todavia, a nova estética literária só viria a se firmar uma década e con sandece o direi:
depois, com a Questão Coimbrã, quando se aceitou o papel revolucionário os olhos verdes que eu vi
da nova poesia e a independência dos novos poetas em relação aos velhos me fazen ora andar assi.
mestres. e) Ai! dona fea, foste-vos queixar
d) Eça de Queirós, em sua obra, dedica-se a montar um vasto painel da por (que) vos nunca louv'em meu cantar;
sociedade portuguesa, retratada em seus múltiplos aspectos: a cidade mais ora quero fazer um cantar,
provinciana; a influência do clero; a média e a alta burguesia de Lisboa; os em que vos loarei toda via;
intelectuais e a aristocracia. e vedes como vos quero loar.
e) A mais rica, densa e intrigante faceta da obra de Fernando Pessoa diz dona fea, velha e sandia!
respeito ao fenômeno da heteronímia que deu aos poetas Alberto Caeiro,
Ricardo Reis e Álvaro de Campos biografias, características, traços de 6. -―Ai, flores, ai flores do verde ramo,
personalidade e formação cultural diferentes. se sabedes novas do meu amado?
Ai, Deus, e u é?‖
3) (Vunesp) - Assinale a alternativa INCORRETA com relação à Literatura
Portuguesa: Escreva as palavras que completam os espaços.
a) O ambiente das cantigas de amor é sempre o palácio, com o trovador Os versos acima pertencem a uma _____________, característica do
declarando seu amor por uma dama (tratada de "senhor", isto é, senhora). ____________ português, estética literária dos séculos XII, XIII e XIV.
Daí o relacionamento respeitoso, cortês, dentro dos mais puros padrões
medievais que caracterizam a vassalagem, a servidão amorosa. 7. Coube ao século XIX a descoberta surpreendente da nossa época lírica.
b) o teatro vicentino é basicamente caracterizado pela sátira, criticando o Em 1904, com a edição crítica e comentada do Cancioneiro da Ajuda, por
comportamento de todas as camadas sociais: a nobreza, o clero e o povo. Carolina Michaëlis de Vasconcelos, tivemos grande visão de conjunto do
Gil Vicente não tem preocupação de fixar tipos psicológicos, e sim a de valiosíssimo espólio descoberto. (Costa Pimpão)
fixar tipos sociais. a) Qual é essa ―primeira época lírica‖ portuguesa?
c) o marco inicial do Romantismo em Portugal é a publicação do poema b) Que tipos de composições poéticas se cultivam nessa época?
"Camões". Todavia, a nova estética literária só viria a se firmar uma década
depois com a Questão Coimbrã, quando se aceitou o papel revolucionário 8. No contexto das cantigas de amor, o que significa a coita?
da nova poesia e a independência dos novos poetas em relação aos velhos
mestres. 9. Nas cantigas de amor:
d) Eça de Queirós, em sua obra, dedica-se a montar um vasto painel da a) o trovador expressa um amor à mulher amada, encarando-a como um
sociedade portuguesa, retratada em seus múltiplos aspectos: a cidade objeto acessível a seus anseios.
provinciana; a influência do clero; a média e a alta burguesia de Lisboa; os b) o trovador velada ou abertamente ironiza personagens da época.
intelectuais e a aristocracia. c) o ―eu-lírico‖ é feminino, expressando a saudade da ausência do amado.
e) A mais rica, densa e intrigante faceta da obra de Fernando Pessoa diz d) o poeta pratica a vassalagem amorosa, pois, em postura platônica,
respeito ao fenômeno da heteronímia que deu aos poetas Alberto Caeiro, expressa seu amor à mulher amada.
Ricardo Reis e Álvaro de Campos biografias, características, traços de e) existe a expressão de um sentimento feminino, apesar de serem escritas
personalidade e formação cultural diferentes. por homens.

4) (Mackenzie) - Assinale a alternativa INCORRETA a respeito das 10. ―Ua dona, nom digu‘eu qual,
cantigas de amor. non agoirou ogano mal
a) O ambiente é rural ou familiar. polas oitavas de Natal:
b) O trovador assume o eu-lírico masculino: é o homem quem fala. ia por as missa oir
c) Têm origem provençal. e ouv‘un corvo carnaçal,
d) Expressam a "coita" amorosa do trovador, por amar uma dama e non quis da casa sair...‖
inacessível. (Joan Airas de santiago, século XIII)
e) A mulher é um ser superior, normalmente pertencente a uma categoria
social mais elevada que a do trovador. O fragmento acima pertence a uma cantiga de escárnio. Por que não pode
ser classificado como uma cantiga de maldizer?
5. Em meados do século XIV, a poesia trovadoresca entra em decadência,
surgindo, em seu lugar, uma nova forma de poesia, totalmente distanciada Respostas : 1B, 2C, 3, C, 4A, 5 C, 6 Cantiga de amigo, Trovadorismo, 7a)

Matéria www.cursoprogressao.com.br 1/43


Trovadorismo b) Cantigas líricas e satíricas, 8.Coita é o sofrimento a) Bocage.
amoroso, provocado pelo amor não correspondido, 9D, 10. Ele não pode b) Camilo Pessanha.
ser considerado uma cantiga de maldizer porque não apresenta uma sátira c) Gil Vicente.
direta, ou seja, não permite a identificação da pessoa criticada e também d) Luís de Camões.
não apresenta um vocabulário chulo. e) Manuel Bandeira.

Classicismo 4) (Uelondrina) - A chamada atividade literária das primeiras décadas de


1) (Fuvest) - "Já vai andando a récua dos homens de Arganil, acompanham- nossa formação histórica caracterizou-se por seu cunho pragmático estrito,
nos até fora da vila as infelizes, que vão clamando, qual em cabelo, Ó doce seja a circunscrita ao parâmetro jesuítico, seja a decorrente de viagens de
e amado esposo, e outra protestando, Ó filho, a quem eu tinha só para reconhecimento e informação da terra.
refrigério e doce amparo desta cansada já velhice minha, não se acabavam São representantes dos dois tipos de atividade literária referidos no excerto
as lamentações, tanto que os montes de mais perto respondiam, quase acima:
movidos de alta piedade (...)". a) Gregório de Matos e Cláudio Manuel da Costa.
b) Antônio Vieira e Tomás Antônio Gonzaga.
(J. SARAMAGO, 'Memorial do convento') c) José de Anchieta e Gabriel Soares de Sousa.
d) Bento Teixeira e Gonçalves de Magalhães.
Em muitas passagens do trecho transcrito, o narrador cita textualmente e) Basílio da Gama e Gonçalves Dias.
palavras de um episódio de Os Lusíadas, visando a criticar o mesmo
aspecto da vida de Portugal que Camões, nesse episódio, já criticava. O 5) (Mackenzie) - O tom pessimista apresentado por Camões no epílogo de
episódio camoniano citado e o aspecto criticado são, respectivamente, "Os Lusíadas" aparece em outro momento do poema.
a) O Velho do Restelo; a posição subalterna da mulher na sociedade Isso acontece no episódio:
tradicional portuguesa. a) do Gigante Adamastor.
b) Aljubarrota; a sangria populacional provocada pelos empreendimentos b) do Velho do Restelo.
coloniais portugueses. c) de Inês de Castro.
c) Aljubarrota; o abandono dos idosos decorrente dos empreendimentos d) dos Doze de Inglaterra.
bélicos, marítimos e suntuários. e) do Concílio dos Deuses.
d) O Velho do Restelo; o sofrimento popular decorrente dos
empreendimentos dos nobres. 6) (Uelondrina) - À curiosidade geográfica e humana e ao desejo de
e) Inês de Castro; o sofrimento feminino causado pelas perseguições da conquista e domínio corresponde, inicialmente, o deslumbramento diante
Inquisição. da paisagem exótica e exuberante da terra recém-descoberta, testemunhado
pelos cronistas portugueses
2) (Fuvest) - I. a) Gonçalves de Magalhães e José de Anchieta.
b) Pero de Magalhães Gândavo e Gabriel Soares de Sousa.
''Entre brumas, ao longe, surge a aurora. c) Botelho de Oliveira e José de Anchieta.
O hialino orvalho aos poucos se evapora, d) Gabriel Soares de Sousa e Gonçalves de Magalhães.
Agoniza o arrebol. e) Botelho de Oliveira e Pero de Magalhães Gândavo.
A catedral ebúrnea do meu sonho
Aparece, na paz do céu risonho, 7) (Fuvest) - Relido o poema de dois quartetos e dois tercetos com versos
Toda branca de sol" decassílabos heróicos e esquema rimático abba - abba - cde - cde, e
considerada a elaboração estética da linguagem com que é tratado o tema,
II. assinalar a alternativa que nomeia que tipo de poema é, o seu autor e o
movimento literário em que este se enquadra:
"Quando em meu peito rebentar-se a fibra, a) redondilha Gil Vicente - Humanismo
Que o espírito enlaça à dor vivente, b) soneto - Camões - Classicismo
Não derramem por mim nem uma lágrima c) soneto - Gregório de Matos - Barroco
Em pálpebra demente." d) lira - Cláudio Manuel da Costa - Arcadismo
e) lira - Camões - Maneirismo
III.
8) (Mackenzie) - Texto 1:
"Por um lado te vejo como um seio murcho
pelo outro como um ventre de cujo umbigo pende "Sôbolos rios que vão
[ainda o cordão placentário. Por Babilônia, me achei,
És vermelha como o amor divino Onde sentado chorei
Dentro de ti em pequenas pevides as lembranças de Sião
Palpita a vida prodigiosa E quanto nela passei."
Infinitamente."
Texto 2:
IV.
"Enquanto quis Fortuna que tivesse
"Transforma-se o amador na cousa amada, Esperança de algum contentamento,
Por virtude do muito imaginar; O gosto de um suave pensamento
Não tenho logo mais que desejar, Me fez que seus efeitos escrevesse.
Pois em mim tenho a parte desejada."
Porém, temendo Amor que aviso desse
Na ordem em que estão transcritos, os fragmentos se enquadram Minha escritura a algum juízo isento
respectivamente nos seguintes movimentos literários: Escureceu-me o engenho ao tormento,
a) I. Simbolismo, II. Romantismo, III. Modernismo, IV. Classicismo; Para que seus enganos não dissesse.
b) I. Modernismo, II. Simbolismo, III Classicismo, IV. Romantismo;
c) I. Romantismo, II. Modernismo, III. Simbolismo, IV. Classicismo; Ó vós que Amor obriga a ser sujeitos
d) I. Classicismo, II. Romantismo, III. Modernismo, IV. Simbolismo; A diversas vontades! Quando lerdes
e) I. Simbolismo, II. Classicismo, III. Romantismo, IV. Modernismo. Num breve livro casos tão diversos,

3) (Fuvest) - "Amor é um fogo que arde sem se ver, Verdades puras são e não defeitos.
É ferida que dói e não se sente; E sabei que, segundo o amor tiverdes,
É um contentamento descontente, Tereis o entendimento de meus versos."
É dor que desatina sem doer."
Sobre os textos acima, é correto afirmar que:
De poeta muito conhecido, está é a primeira estrofe de um poema que a) o primeiro faz parte de uma cantiga trovadoresca.
parece comprazer-se com o paradoxo, enfeixando sensações contraditórias b) ambos pertencem à obra de Camões, sendo o primeiro um exemplo de
do sentimento humano, se examinadas sob o prisma da razão. medida velha e o segundo, de medida nova.
Indique, na relação a seguir, o nome do autor. c) o primeiro foi extraído de um auto vicentino e o segundo, de um autor

Língua Portuguesa www.cursoprogressao.com.br 3122 - 2/43


barroco. 02.De acordo com o texto I, ANALISE as afirmações abaixo:
d) pertencem ao Cancioneiro Geral de Garcia de Resende. I- O eu lírico do texto é masculino.
e) têm aspectos evidentemente barrocos, fazendo parte, portanto, da lírica II- O paralelismo encontrado no texto é uma característica encontrada na
de Gregório de Matos. cantiga de Amigo.
III- Ocorrem no texto a vassalagem amorosa e o desejo da moça que o
9) (Fuvest) - Na LÍRICA de Camões, namorado volte brevemente.
a) o metro usado para a composição dos sonetos é a redondilha maior. ASSINALE a alternativa correta:
b) encontram-se sonetos, odes, sátiras e autos. A)Apenas I é verdadeira.
c) cantar a Pátria é o centro das preocupações. B)Apenas II é verdadeira.
d) encontra-se uma fonte de inspiração de muitos poetas brasileiros do C)I e II são verdadeiras.
século XX. D)II e III são verdadeiras.
e) a Mulher é vista em seus aspectos físicos, despojada de espiritualidade. E)I, II e III são verdadeiras.
03. Com relação ao texto I, é INCORRETO dizer que: A)Justifica a
10) (Mackenzie) - Assinale a alternativa INCORRETA. presença de recursos estilísticos que contribuem para o caráter musical do
a) Na obra de José de Anchieta, encontram-se poesias que seguem a poema o fato de, no contexto em que foi produzido, a literatura ser
tradição medieval e textos, para teatro, com clara intenção catequista. veiculada oralmente.
b) A literatura informativa do Quinhentismo brasileiro empenha-se em B)A musicalidade do texto é adequada, estilisticamente, à expressão de
fazer um levantamento da terra, daí ser predominantemente descritiva. conteúdos emotivos.
c) A literatura seiscentista reflete um dualismo: o ser humano dividido entre C)Sua musicalidade advém apenas da regularidade das rimas emparelhadas
a matéria e o espírito, o pecado e o perdão. e da presença de refrão.
d) O Barroco apresenta estados de alma expressos através de antíteses, D)Pertence ao gênero lírico.
paradoxos, interrogações. E)Pertence a um estilo de época vinculado, ideologicamente, ao
e) O Conceptismo caracteriza-se pela linguagem rebuscada, culta, Teocentrismo.
extravagante, enquanto o Cultismo é marcado pelo jogo de idéias, seguindo
um raciocínio lógico, racionalista. 04.ASSINALE a alternativa correta sobre o texto I.
A)A estrutura paralelística é, neste poema, particularmente expressiva, pois
Respostas: 1D, 2A, 3D, 4C, 5B,6B,7B, 8B, 9D,10E reflete, no plano formal, o movimento de vai-e-vem das ondas.
B)Nesse texto, os versos livres e brancos são indispensáveis para assegurar
LEIA o texto a seguir e RESPONDA à questão 01. o efeito musical da canção.
C)As repetições que marcam o desenvolvimento do texto opõem-se ao tom
―No século XII, em Portugal e na Galiza, floresceu uma importante poesia emotivo do poema.
de inspiração provençal, que se tornou uma das mais expressivas D)No refrão, a voz das ondas do mar faz-se presente como contraponto
manifestações literárias europeias do período, composta não exatamente em irônico ao desejo do eu lírico.
português, mas em galego-português. Apenas alguns séculos depois esses E)É um típico soneto de tradição popular, com versos em redondilha maior
idiomas se separariam, formando as modernas línguas de Portugal e da e estrofação alostrófica.
Galiza. Na verdade, não se tratava de poesia como a conhecemos hoje. Os
versos eram todos musicados.‖ (Revista Discutindo Língua Portuguesa. 05. Após a leitura atenta do texto I, ANALISE as afirmações que se seguem
Ano 1. nº 2 – fev. 2006 – p. 13) considerando os aspectos morfológicos e semânticos do texto.
I.Uma das características evidentes do texto é o seu caráter amoroso.
01. Analise a(s) afirmação(ões) correta(s) a seguir: Parece haver, por parte do eu lírico feminino, um sentimento de sofrimento
I-O texto se refere ao período literário conhecido por Trovadorismo. provocado pela ausência do ser amado.
II-O marco inicial desse movimento citado no texto é a nomeação de II.No texto, em busca de seu amado, o eu lírico interpela dois elementos:
Fernão Lopes para o cargo de cronista-mor da Torre do Tombo em 1434. Deus (elemento religioso) e o mar (elemento natural) representado pelas
III- No Trovadorismo encontramos as cantigas medievais (divididas em ondas.
líricas e satíricas) e as novelas de cavalaria. A)Apenas I. III.A forma verbal venha, que no texto indica uma ordem expressa, tem
B)Apenas II. como vogal temática a letra a.
C)Apenas I e III. IV.Nesse texto, cujo tema gira em torno da saudade, a donzela trata as
D)Apenas II e III. ondas do mar como confidentes do seu amor e da preocupação pela demora
E)I, II e III. do amigo. Portanto, ela se revela preocupada, ansiosa, angustiada, sofrendo
muito; a fórmula "ai Deus", reforçada pela interjeição revela o sofrer da
Leia os textos abaixo e responda às questões de 02 a 07. TEXTO I donzela e reflete a sua espiritualidade. Está(ão) verdadeiro(s) somente o(s)
Ondas do mar de Vigo, item(ns):
acaso vistes meu amigo? A)I
Queira Deus que ele venha cedo! B)II
C)I, II e III
Ondas do mar agitado, D)II, III e IV
acaso vistes meu amado? E)I, II e IV
Queira Deus que ele venha cedo!
06. Sobre o texto II, analise as afirmações abaixo:
Acaso vistes meu amigo, I.O texto é uma cantiga de Amor.
aquele por quem suspiro? II.O texto é uma cantiga de Escárnio, pois seu conteúdo é irônico e indireto.
Queira Deus que ele venha cedo! I
II.Nesta cantiga de Maldizer encontramos também a zombaria e a
Acaso vistes meu amado, ambiguidade.
por quem tenho grande cuidado(preocupação)? ASSINALE a alternativa correta:
Queira Deus que ele venha cedo! A)Apenas I é verdadeira.
B)Apenas II é verdadeira.
*Martim Codax: trovador-jogral da época de Afonso III (meados do século C)I e II são verdadeiras.
XIII). * ―Dele só nos restam sete cantigas d‘amigo, que se caracterizam por D)II e III são verdadeiras.
um delicioso primitivismo poético e pelo fato de serem seis destas E)I, II e III são verdadeiras.
composições as únicas cantigas trovadorescas acompanhadas da respectiva
notação musical‖ (S. Spina) 07. Considerando seus aspectos formais, contexto de produção, bem como
os aspectos semânticos e morfológicos do texto II, marque alternativa que
TEXTO II contém a resposta adequada à analise realizada.
Sobre vós, senhora, eu quero dizer verdade A)Pode-se afirmar que o texto enquadra-se como uma cantiga satírica de
e não já sobre o amor que tenho por vós: escárnio. Esse tipo de cantiga apresenta interesse, sobretudo, histórico, pois
senhora, bem maior é vossa estupidez os dados nele contidos constituem verdadeiros documentos da vida social,
do que a de quantas outras conheço no mundo; principalmente da corte.
tanto na feiúra quanto na maldade B)No texto, são revelados detalhes da vida íntima do eu lírico, que pela
não vos vence hoje senão a filha de um rei. análise do contexto, desgostou-se em relação ao ser amado.
Eu não vos amo nem me perderei C)Essa cantiga de escárnio lança mão da ironia e do equívoco para realizar
de saudades por vós, quando não vos vir. mais indiretamente essas zombarias. Daí, o uso de uma linguagem menos

Língua Portuguesa www.cursoprogressao.com.br 3122 - 3/43


agressiva e da abordagem que, embora crítica, torna-se mais branda, A)verifica-se um questionamento filosófico do mundo;
inclusive por não revelar o nome do ser criticado. B)ocorre uma visão pessimista sobre o homem e o seu confronto com a
D)A forma verbal amo, penúltimo verso, apresenta os seguintes morfemas: realidade;
radical, vogal temática e desinência modo-temporal. C)o poeta vive uma crise, um desconcerto, e os seus valores fundamentais
E)Todas as palavras a seguir, retiradas do texto, possuem vogal temática: se perdem em nome das mudanças, que nem sempre vêm para melhor;
dizer, mundo, maldade, perderei. D)os versos acima, deste soneto, de origem inglesa, são exemplos máximos
da sua influência trovadoresca, haja vista o sofrimento contido no interior
08. O Renascimento é a expressão artística e cultural de uma época deles;
marcada por fatos decisivos, que acentuaram o declínio da Idade Média e E)são decassílabos, fazendo parte da medida nova, característica do
deram origem à Idade Moderna. Sobre esse período, pode-se afirmar que: Renascimento.
A)Em Portugal, os textos eram escritos em galego-português, já que havia
integração cultural e artística entre Portugal e Galícia. 14. ANALISE as afirmações sobre o texto:
B)Dante Alighieri e Petrarca são os escritores que, em Portugal, melhor 1)São versos isométricos contidos num texto que pertence ao gênero lírico.
representam esse momento cultural vivido pela pátria. 2)As rimas do 1º quarteto são classificadas quanto ao som e intensidade,
C)O homem dessa época se volta para a realidade concreta e acredita em respectivamente em: interpoladas e graves.
sua capacidade de dominar e transformar o mundo. 3)No 1º verso encontramos destacado um exemplo da figura de linguagem
D)As influências da cultura greco-latina e o olhar do homem voltado denominada anáfora.
essencialmente para as coisas do espírito nortearam a cultura do período. 4)Na 3ª estrofe encontramos destacados exemplos das figuras de linguagem
E)Nesse período, os poetas cultivaram a poesia épica, deixando de lado a denominadas pleonasmo e sinestesia, respectivamente.
poesia lírica, já que esta propõe a realização física do amor.
Está(ão) correta(s):
09. Sobre o Humanismo, assinale a alternativa INCORRETA: A)1 e 3 apenas.
A) Houve a separação entre poesia e música. B)1, 2 e 4 apenas.
B) Encontra-se a poesia palaciana que é declamada e ganha em expressão. C)1, 2 e 3 apenas.
C) Gil Vicente é o fundador do teatro português. D)2, 3 e 4 apenas.
D) Fernão Lopes é nomeado cronista-mor da Torre do Tombo e este fato é E)1, 2, 3 e 4.
considerado o marco inicial do Humanismo.
E)O caráter humanista da Idade Média está relacionado ao Teocentrismo, 15. Neste texto, Camões exprime sublimemente a amargura do homem em
onde Deus é o centro das atenções. processo de envelhecimento e que sente a transformação da sua própria
personalidade, em face das coisas que mudam sem cessar. Sobre a análise
10. Sobre Gil Vicente e sua obra, assinale a alternativa correta. dos aspectos morfológicos e semânticos do texto, julgue os itens seguintes
A)Respeita apenas o poder da Igreja. como verdadeiros ou falsos e, em seguida, marque a alternativa que contém
B)Centra suas críticas nos membros das classes baixas. a sequência correta da análise, de cima para baixo.
C)Conserva a lei das três unidades básicas do teatro clássico. ( ) O sentido do último verso __ que não se muda já como soía __ é
D)Identifica suas personagens pela ocupação ou pelo tipo social de cada controverso, pois, segundo o eu lírico, podemos entender que tudo muda,
uma delas. menos o rigor da mulher amada.
E)Evita fazer um confronto entre a Idade Média e o Renascimento ( ) Segundo o eu lírico, nem tudo está sujeito a mudanças no tempo;
Medievalista (Teocentrismo versus Antropocentrismo). consequentemente, não há possibilidade de surpresa ou de perplexidade
LEIA o texto de Camões RESPONDA às questões de 11 a 16. para quem vive.
( ) Logo no primeiro verso, __ Mudam-se os tempos, mudam-se as
SONETO 45 vontades __ nota-se um impecável pensamento dialético, isto é, o eu lírico
Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades; procura manter uma espécie de diálogo cujo foco é a contraposição e
Muda-se o ser, muda a confiança; contradição de ideias que leva a outras ideias, como por exemplo, a de que
Todo o mundo é composto de mudança; tudo se transforma, sempre; e que, além disso, as formas de mudar também
Tomando sempre novas qualidades. se modificam.
( ) Pode-se afirmar que as palavras mudam-se, muda-se, muda e mudança
Continuamente vemos novidades (1ª estrofe) são da mesma família por possuírem um morfema em comum: o
Diferentes em tudo da esperança; radical.
Do mal ficam as mágoas na lembrança, A)V F V V
E do bem, se algum houve, as saudades. B)V V F F
C)V F V F
O tempo cobre o chão de verde manto, D)F V F V
Que já coberto foi de neve fria, E)F F V F
E em mim converte em choro o doce canto.
16. A ideia contidas nos versos ―Um não-sei-quê, que nasce não sei onde, /
E, afora este mudar-se cada dia, Vem não sei como, e dói não sei por quê.‖ se repete em:
Outra mudança faz de mor espanto, * mor = maior A)―Em sonhos aquela alma me aparece / Que para mim foi sonho nesta
Que não se muda já como soía. * soía = costumava vida.‖
B)―Amor, coa esperança já perdida, / Teu soberano tempo visitei.‖
11. O soneto camoniano é a principal forma literária do Classicismo. C)―E, se inda não estás de mim vingado, / Contenta-te coas lágrimas que
APONTE UMA ÚNICA característica que NÃO se ajusta ao Classicismo choro.‖
português. D)―Amor é fogo que arde sem se ver / É ferida que dói e não sente.‖
A)Universalismo. E)―Jura Amor que brandura de vontade / Causa o primeiro efeito; o
B)Recuperação de temas da Antiguidade Clássica (cultura greco-romana). pensamento.‖
C)Antropocentrismo.
D)Formalismo (principalmente no uso da Medida Nova) 17. Sobre a obra camoniana e o Renascimento português é certo afirmar
E)Religiosidade cristã. que:
A)―A ilha dos amores‖ é um soneto sobre viajantes e aventureiros
12. ASSINALE a alternativa INCORRETA sobre CAMÕES, o espetáculo portugueses inserido em Os Lusíadas.
poético do Renascimento português: B)O desenvolvimento da tipografia, do comércio e das atividades
A)Sua obra compreende os gêneros épico, lírico e dramático. industriais favoreceu o humanismo português.
B)A lírica de Camões permaneceu praticamente inédita. Sua primeira C)A lírica de Camões é longa e pouco musical, porque geralmente aborda
compilação é póstuma, datada de 1595, e organizada sob o título de Rimas. os feitos políticos e históricos de Portugal.
C)Sua lírica compõe-se exclusivamente de redondilhas e sonetos, vez que a D)Diversas correntes artísticas e ideológicas do século XVII, época em que
epopéia e a elegia são modalidades da ―medida velha‖. viveu Camões, manifestam na lírica do poeta.
D)Apesar de localizada no período clássico-renascentista, a obra de E)Camões une as inovações renascentistas, que rejeitavam as antíteses, os
Camões tem resíduos medievais e momentos maneiristas. paradoxos e as comparações, à tradição literária portuguesa.
E)Representa o amadurecimento da língua portuguesa (foi o responsável
pela modernização do idioma), sua estabilização e a maior manifestação de 18. Leia-se o poema de Camões; em seguida, assinale-se a alternativa
sua excelência literária, influenciando poetas da nossa língua, até os nossos correta;
dias. O céu, a terra, o vento sossegado...
As ondas, que se estendem pela areia...
13. Sobre o soneto é INCORRETO dizer que: Os peixes, que no mar o sono enfreia...

Língua Portuguesa www.cursoprogressao.com.br 3122 - 4/43


O nocturno silêncio repousado... sempre que o choque ocorreu, o mais forte sobrepujou o mais fraco. Quase
sempre de forma violenta. Neste canto do Brasil, um punhado de brancos
O pescador Aônio, que, deitado está conseguindo driblar essa inevitabilidade. Procuram transformar o
onde co‘o vento a água se meneia, abraço sufocante em um caminhar de mãos dadas de culturas tão
chorando, o nome amado em vão nomeia, diferentes.‖ FERRAZ, Silvio. Do Xingu. In: Veja, 30 de junho de 1999.
que não pode ser mais que nomeado: Relacione o texto com a carta de Pero Vaz de Caminha e indique se são
verdadeiras (V) ou falsas (F) as seguintes afirmativas quanto à
Ondas (dizia), antes que Amor me mate, preocupação do homem branco em relação ao índio:
tornai-me a minha Ninfa, que tão cedo ( ) O texto tem o mesmo objetivo da carta, pois ambos destacam, várias
me fizestes à morte estar sujeita. vezes, que o rei de Portugal deveria cuidar da salvação dos índios.
( ) O texto tem o mesmo objetivo que a carta de Caminha, na medida em
Ninguém responde; o mar de longe bate; que tanto a ―tribo de brancos‖ quanto o escrivão da esquadra de Cabral
move-se brandamente o arvoredo; mostram preocupação com os índios do Xingu.
leva-lhe o vento a voz, que ao vento deita ( ) O texto não tem o mesmo objetivo da carta pois Caminha, ao destacar
que o rei deveria cuidar da salvação dos índios, usa ―salvação‖ no sentido
A)Trata-se de um poema escrito na medida nova. religioso, de converter o índio à fé católica, ou seja, no sentido de salvação
B)É um conjunto de redondilhas maiores. da alma.
C)Trata-se de uma poesia em que não se encontra a presença de rimas. A sequencia correta é:
D)Não há métrica, por isso caracteriza-se o verso livre. a) F – F – V. b) V – V – F. c) F – V – F. d) V – F – V. e) F – V – V.
E)Há métrica e rima, mas não há uma preocupação com o conteúdo.
2. (Cefet/RJ) ―A feição deles é serem pardos, maneira de avermelhados, de
Leia o texto e responda às questões 19 e 20. bons rostos e bons narizes, bem feitos. Andam nus, sem nenhuma
Tanto de meu estado me acho incerto, cobertura. Nem estima nenhuma coisa cobrir nem mostrar suas vergonhas;
Que em vivo ardor tremendo estou de frio; e estão acerca disso com tanta inocência como têm em mostrar o rosto. (...)
Sem causa, juntamente choro e rio, Porém a terra em si é de muito bons ares, (...). E em tal maneira é graciosa
O Mundo todo abarco e nada aperto. que, querendo-a aproveitar, dar-se-á nela tudo, por bem das águas que
tem.‖
É tudo quanto sinto um desconcerto; O texto acima apresenta fragmentos:
Da alma um fogo me sai, da vista um rio; a) do ―Diálogo sobre a conversão dos gentios‖, do Pe. Manuel da Nóbrega.
Agora espero, agora desconfio, b) das ―Cartas‖ dos missionários jesuítas, escritas nos dois primeiros
Agora desvario, agora acerto. séculos.
c) da ―Carta‖ de Pero Vaz de Caminha a El-Rey D. Manuel, referindo-se ao
Estando em terra, chego ao céu voando, descobrimento de uma nova terra e às primeiras impressões do aborígene.
Numa hora acho mil anos, e é de jeito d) da ―Narrativa Epistolar e os Tratados da Terra e da Gente do Brasil‖, do
Que em mil anos não posso achar uma hora. jesuíta Fernão Cardim.
e) do ―Diário de Navegações‖, de Pero Lopes de Souza, escrivão do
Se me pergunta alguém porque assim ando, primeiro colonizador, o de Martim Afonso de Souza.
Respondo que não sei; porém suspeito
Que só porque vos vi, minha Senhora. 3. (UFSE) Nas manifestações literárias dos dois primeiros séculos de
19. O soneto acima descrito é de Luís Camões. Nele se acha uma nossa história podem estar presentes as seguintes características:
característica da poesia clássica renascentista. Assinale essa característica, I – intenção catequética e informação sobre a terra;
em uma das alternativas: II – relato de viagem e pregação religiosa;
A)A suspeita de amor que o poeta declara na conclusão. III – sentimento nacionalista e participação em campanha republicana.
B)O jogo de contradições e perplexidades que atormentam o poeta. Estão corretas somente as características indicadas em:
C)O fato de todos perguntarem ao poeta por que assim anda. a) I. b) II. c) III. d) I e II. e) II e III.
D)O fato de o poeta não saber responder a quem o interroga.
E)A utilização de um soneto para relato das suas amarguras. 4. (Unifor/CE) A obra catequética de José de Anchieta, os sermões do
Padre Antônio Vieira e a lírica de Tomás Antônio Gonzaga:
20. Leia as afirmações abaixo sobre o texto: a) representam gêneros e estilos diversos da literatura do período colonial;
1)Encontramos no 4º verso ―O Mundo todo abarco e nada aperto.‖, uma b) constituem o que se costuma caracterizar como literatura de informação;
figura de linguagem conhecida paradoxo. c) constituem obras do mesmo gênero, distribuídas em períodos diversos;
2)As expressões sublinhadas no 7º e 8º versos constituem uma anáfora. d) representam os momentos mais altos do estilo barroco;
3)As rimas do 1º quarteto quanto ao valor são classificadas como ricas. e) constituem obras de gêneros diferentes, produzidas no século XVII.
4)Temos uma gradação nos versos 7 e 8.
5. (Unifor/CE) No período colonial, verificam-se os seguintes
Está (ão) correta(s): fenômenos de nossa vida literária:
A)1 e 3 apenas. a) Constituição de um exigente público leitor e surgimento das primeiras
B)3 e 4 apenas. editoras nacionais.
C)1, 2 e 3 apenas. b) Manifestação de sentimentos nacionalistas e consolidação do romance de
D)2, 3 e 4 apenas. temática urbana.
E)1, 2, 3 e 4. c) Surgimento dos nossos primeiros grandes críticos literários e
consolidação de um público de leitores.
GABARITO d) reflexos de princípios estéticos do Barroco e do Arcadismo europeus e
manifestação de sentimentos nativistas.
1 – c 2 – b 3 – c 4 – a 5 – e 6 – b 7 – d 8 – c 9 – e 10 – d 11 – e 12 – e) surgimento dos primeiros manifestos românticos e exploração de temas
c 13 – d 14 – b 15 – a 16 – d 17 – b 18 – a 19 – b 20 – e indianistas.
Literatura Informativa 6. (UFSM) O Quinhentismo, enquanto manifestação literária, pode ser
1. (UFSM) Leia o texto a seguir. definido como uma época em que:
―Eles não usam barba, elas têm cabelos compridos e tranças. Esguios, I – não se pode falar, ainda, na existência de uma literatura brasileira, pois a
alimentados a peixe moqueado com biju, mingau de amendoim e frutas. cultura portuguesa estabelecia as formas de pensamento e expressão para os
Falam baixo, dormem cedo e só têm uma conversa: índio. É a tribo dos escritores na colônia;
brancos composta de cientistas sociais, médicos, pedagogos, enfermeiras, II – se pode falar na existência de uma literatura brasileira porque, ao
biólogas e engenheiros agrônomos, vindos de diversas regiões brasileiras. descreverem o Brasil, os textos mostram um forte instinto de nacionalidade,
Boa parte da engenhosa engenharia social e cultural que mantém o Parque na medida em que todos os escritores eram nativos da
do Xingu funcionando em harmonia se deve ao trabalho desses terra;
especialistas. O foco agora é preparar os índios para o inevitável confronto III – a produção escrita se prende à descrição da terra e do índio ou a textos
com a civilização que um dia ocorrerá. As cidadezinhas vizinhas do parque escritos pelos jesuítas, ou seja, uma produção informativa e doutrinária.
vão transformar-se em municípios de porte médio, a urbanização baterá às Está(ão) correta(s):
portas da reserva. Os moradores do parque, cada vez mais, dependerão de a) Apenas I. b) Apenas II. c) Apenas I e III. d) Apenas II e III. e)
produtos fabricados pelo branco. Em todos os momentos da humanidade, Apenas III.

Língua Portuguesa www.cursoprogressao.com.br 3122 - 5/43


Barroco Com base nessa leitura, é incorreto afirmar que:
7. (UFSM) Leia o seguinte fragmento do “Sermão pelo bom sucesso das a) o eu poético, no poema, mantém-se distanciado do objeto criticado;
armas de Portugal contra as de Holanda”, do Padre Antonio Vieira, b) o poema compara o presente e o passado da cidade;
para responder às questões 128 e 129: c) o futuro desejado revela, no poema, a presença de uma voz moralizadora;
―Enfim, Senhor, despojados os templos e derrubados os altares, acabar-se-á d) o poema faz referência ao contexto da época.
no Brasil a cristandade católica; acabar-se-á o culto divino, nascerá erva nas e) O poema é um exemplo de poesia parnasiana.
igrejas, como nos campos; não haverá quem entre nelas. Passará um dia de
Natal, e não haverá memória de vosso nascimento; passará a Quaresma e a 14. (F.M. Itajubá/MG) Na fase quase inicial de nossa literatura, uma
Semana Santa, e não se celebrarão os mistérios de vossa Paixão. Chorarão nova tendência, de traços bem definidos, fazendo ressaltar ...............,
as pedras das ruas como diz Jeremias que chorava as de Jerusalém bem como aspirações religiosas, e que se convencionou chamar de
destruída: chorarão as ruas de Sião, porque não há quem venha à ..............., tem como representante maior no Brasil o poeta baiano
solenidade. Ver-se-ão ermas e solitárias, e que as não pisa a devoção dos ............... . Marque a opção que preenche adequadamente o enunciado.
fiéis, como costumava em semelhantes dias.‖ a) Sonhos – Romantismo – Bento Teixeira. b) Figuras – Dadaísmo –
O texto relaciona-se à invasão holandesa no Brasil, em 1640; nele, o Emiliano Perneta.
orador: c) Contraste – Barroco – Gregório de Matos. d) Silepses – Parnasianismo
a) considera os holandeses hereges e violentos com aqueles que não fossem – Castro Alves.
seus compatriotas; e) A métrica – Concretismo – Caetano Veloso.
b) dirige-se a Deus e prevê o esvaziamento da religião católica, caso o
Brasil fosse entregue aos holandeses; 15. (F.M. Triângulo Mineiro/MG) Sobre Gregório de Matos, é correto
c) pede a Deus que evite a invasão de ervas nos templos, a fim de preservar afirmar que:
o patrimônio da Igreja; a) se insere no Arcadismo brasileiro, ao qual imprimiu características
d) é um profeta e previu o que realmente aconteceria com a religião católica barrocas, por ser um poeta de transição;
no Brasil, quase três séculos depois; b) pertenceu ao Barroco brasileiro e tematizou, sobretudo, a natureza
e) dirige-se ao rei de Portugal, a fim de salvar o país da invasão holandesa, mineira;
que já começava a destruir as igrejas da cidade. c) pertenceu ao Barroco brasileiro e sua veia crítica valeu-lhe a alcunha de
―Boca do Inferno‖;
8. (UFSM) Padre Antonio Vieira, ao afirmar que “Chorarão as pedras d) se insere no Barroco brasileiro e sua produção literária abrange,
das ruas”, utiliza uma: basicamente, textos em prosa;
a) ironia. b) antítese. c) gradação. d) onomatopeia. e) prosopopeia. e) narra, nos seus poemas de contestação social, episódios da Inconfidência
Mineira, da qual participou.
9. (FEI/SP) Não é característica da escola literária a que Padre Vieira
pertence: 16. (UFSM) A respeito da poesia de Gregório de Matos, assinale a
a) emprego frequente de palavras que designam cores, perfumes e alternativa incorreta.
sensações táteis. a) Tematiza motivos de Minas Gerais, onde o poeta viveu.
b) uso constante da metáfora e da antítese. b) A lírica religiosa apresenta culpa pelo pecado cometido.
c) união de duas ideias contrárias em um único pensamento. c) As composições satíricas atacam governantes da colônia.
d) composição de cantigas de amor e cantigas de amigo. d) O lirismo amoroso é marcado por sensível carga erótica.
e) utilização de muitas frases interrogativas. e) Apresenta uma divisão entre prazeres terrenos e salvação eterna.

10. (FEI/SP) Padre Vieira é frequentemente estudado como um autor 17. (F.I. Vidria/ES) ―Ah! Peixes, quantas invejas vos tenho a essa natural
contemporâneo a: irregularidade!... A vossa bruteza é melhor que o meu alvedrio. Eu falo,
a) Luís de Camões. b) Gregório de Matos. c) José de Alencar. mas vós não ofendeis a Deus com as palavras; eu lembro-me, mas vós não
d) Carlos Drummond de Andrade. e) Fernando Sabino. ofendeis a Deus com a memória; eu discordo, mas vós não ofendeis a Deus
com o entendimento; eu quero, mas vós não ofendeis a Deus com a
11. (FEI/SP) O sermão pode ser definido como: vontade‖.
a) composição em versos recitados nos palácios para divertir os nobres. O fragmento é próprio do estilo:
b) texto curto, em que predomina o desenvolvimento de um único conflito. a) medieval, por sua religiosidade; b) clássico-renascentista, pelas
c) narrativa longa em que são apresentados diversos conflitos paralelos. comparações;
d) soneto com versos decassílabos. c) barroco, pelo conceitismo e cultismos; d) árcade, pelo bucolismo;
e) discurso religioso cujo objetivo principal é a edificação moral dos e) romântico, pelo sentimentalismo.
ouvintes.
18. (UFR/RJ) ―Não há mais a moralidade do pecado, na qual o pecador
12. (UFSM) ―As águas são muitas, infinitas. Em tal maneira é graciosa que, vivia um conflito interno entre ceder ou não à tentação.‖ O fragmento
querendo-a aproveitar, dar-se-á nela tudo; por causa das águas que tem! destacado reflete uma temática recorrente durante o:
Contudo, o melhor fruto que dela se pode tirar parece-me que será salvar a) Barroco. b) Arcadismo. c) Realismo. d) Simbolismo. e)
esta gente. E esta deve ser a principal semente que Vossa Alteza em ela Modernismo.
deve alcançar.‖
Visões otimistas sobre as potencialidades da natureza e dos indivíduos, 19. (UFPB-PSS) ―Sermão vigésimo sétimo Os senhores poucos, os
a exemplo do que se verifica no trecho transcrito, são comuns durante escravos muitos; os senhores rompendo galas, os escravos despidos e nus;
o período colonial. Assinale a alternativa que identifica os textos que os senhores banqueteando, os escravos perecendo à fome; os senhores
transmitiam esse tipo de mensagem. nadando em ouro e prata, os escravos carregados de ferros; os senhores
a) Biografias de santos. b) Sermões eucarísticos. c) Ficção regionalista. tratando-os como
d) Literatura informativa. e) Gênero lírico. brutos, os escravos adorando-os e temendo-os como deuses; os senhores em
pé apontando para o açoite, como estátuas da soberba e da tirania, os
13. (UFMG) Leia o poema de Gregório de Matos. escravos prostrados com as mãos atadas atrás como
imagens vilíssimas da servidão e espetáculos da extrema miséria.‖ VIEIRA,
―Triste Bahia! Oh quão dessemelhante Pe. Antônio. Sermão vigésimo sétimo. In: AMORA, Antônio Soares, org.
Estás, e estou do nosso antigo estado! Sermões, 2. ed. São Paulo: Cultrix, 1981, p. 58.
Pobre te vejo a ti, tu a mi empenhado, No texto, verificam-se os seguintes traços do barroco:
Rica te vi eu já, tu a mi abundante. I – A presença de um grande número de antíteses.
A ti trocou-te a máquina mercante, II – A predominância dos aspectos denotativos da linguagem.
Que em tua larga barra tem entrado, III – A utilização do recurso da hipérbole para melhor traduzir o sofrimento
A mim foi-me trocando, e tem trocado dos escravos.
Tanto negócio, e tanto negociante. IV – O envolvimento político do jesuíta.
Deste em dar tanto açúcar excelente Estão corretas apenas as afirmativas:
Pelas drogas inúteis, que abelhuda a) I e II. b) III e IV. c) II e III. d) I e IV. e) I e III.
Simples aceitas do sagaz Brichote.
Oh se quisera Deus, que de repente Arcadismo
Um dia amanheceras tão sisuda 20. (UFSM) Autor de Obras Poéticas, apresenta, em suas composições,
Que fora de algodão o teu capote!‖ motivos árcades. Assinale a alternativa que identifica esse autor,

Língua Portuguesa www.cursoprogressao.com.br 3122 - 6/43


associando, corretamente, seu nome à característica presente nessa a) I, somente; b) I e II, somente; c) I e III, somente; d) II e III, somente;
obra. e) I, II e III.
a) Cláudio Manuel da Costa – desencanto e brevidade do amor.
b) Basílio da Gama – preocupação com feito histórico. Romantismo
c) Tomás Antônio Gonzaga – celebração da natureza. 25. (UFF/RJ) O sofrimento amoroso é frequente nas obras dos poetas
d) Basílio da Gama – inspiração religiosa. românticos, como se pode observar abaixo:
e) Tomás Antônio Gonzaga – celebração da amada. ―Se Se Morre de Amor! (Gonçalves Dias)
Sentir, sem que se veja, a quem se adora,
21. (UFSM) O poema épico O Uraguai, de Basílio da Gama, é uma: Compr‘ender, sem lhe ouvir, seus pensamentos,
a) composição que narra as lutas dos índios de Sete Povos das Missões, no Segui-la, sem poder fitar seus olhos,
Uruguai, contra o exército espanhol, sediado lá para pôr em prática o Amá-la, sem ousar dizer que amamos,
Tratado de Madri; E, temendo roçar os seus vestidos,
b) das obras mais importantes do Arcadismo no Brasil, por ser uma obra Arder por afogá-la em mil abraços:
precursora do indianismo. Isso é amor, e desse amor se morre!‖
c) exaltação à terra brasileira, que o poeta compara ao paraíso, o que pode A característica que situa o fragmento dentro da poética romântica é:
ser comprovado nas descrições, principalmente do Ceará e da Bahia; a) evasão no espaço, transportando o eu-lírico para um lugar ideal, junto à
d) crítica a Diogo Álvares Correia, misto de missionário e colono natureza;
português, que comanda um dos maiores extermínios de índios da história; b) forte subjetivismo, revelando uma visão pessimista da vida;
e) exaltação à índia Lindóia, que morre após Diogo Álvares decidir-se por c) idealização do amor, transcendendo os limites da vida física;
Moema, que ajudava os espanhóis na luta contra os índios. d) realização de poemas lírico-amorosos, valorizando o idioma nacional;
e) idealização da mulher, conduzindo o eu-lírico à depressão.
22. (Cefet/RJ) “Lira I (1ª parte), de Tomás Antonio Gonzaga
26. (Unifor/CE) Considere as seguintes afirmações sobre o romance
Eu, Marília, não sou algum vaqueiro, Iracema, de José de Alencar:
que viva de guardar alheio gado, I – Ao apresentar esta obra como ―lenda do Ceará‖, o autor já indica a
de tosco trato, de expressões grosseiro, combinação que fará entre elementos históricos e fantasia.
dos frios gelos e dos sóis queimado. II – O autor valeu-se de uma narrativa, mas não deixou de explorar
tenho próprio casal e nele assisto; sistematicamente recursos típicos da linguagem poética.
dá-me vinho, legume, frutas, azeite; III – Aqui, diferentemente do que ocorre na obra de Gonçalves Dias, a
das brancas ovelhinhas tiro o leite, personalidade, os costumes, os valores e a cultura do índio real estão
e mais as finas lãs, de que me visto. fielmente retratados.
Graças, Marília bela, Está correto somente o que se afirma em:
Graças à minha estrela.‖ a) I. b) II. c) III . d) I e II. e) II e III.

―O Arcadismo, Setecentismo ou Neoclassicismo é o período que caracteriza 27. (PUC/SP) A questão central proposta no romance Senhora, de José
principalmente a segunda metade do século XVIII, tingindo as artes de uma de Alencar, é a do casamento. Considerando a obra como um todo,
nova tonalidade burguesa.‖ (José de Nicola) indique a alternativa que não condiz com o enredo do romance.
Assinale a alternativa que não caracteriza este período literário. a) O casamento é apresentado como uma transação comercial e, por isso, o
a) Os modelos seguidos são os clássicos greco-latinos e os renascentistas, romance estrutura-se em quatro partes: preço, quitação, posse, resgate.
embora a mitologia pagã não venha a construir-se como elemento estético. b) Aurélia Camargo, preterida por Fernando Seixas, compra-o e ele
b) Os árcades, inspirados na frase de Horácio, fugere urbem (―fugir da contumaz caça-dote, sujeita-se ao constrangimento de uma união por
cidade‖), voltam-se para a natureza em busca de uma nova vida simples, interesse.
bucólica, pastoril. c) O casamento é só de fachada e a união não se consuma, visto que resulta
c) O fingimento poético justifica-se pela contradição entre a realidade do de acordo no qual as aparências sociais devem ser mantidas.
progresso urbano e o mundo bucólico idealizado pelos árcades. d) A narrativa marca-se pelo choque entre o mundo do amor idealizado e o
d) O uso de pseudônimos pastoris transparece: o pobre pastor Dirceu é o mundo da experiência degradante governado pelo dinheiro.
Dr. Tomás Antonio Gonzaga. e) O romance gira em torno de intrigas amorosas, de desigualdade
e) O carpe diem (―gozar o dia‖) horaciano, que consiste no princípio de econômica, mas, com final feliz, porque, nele, o amor tudo vence.
viver o presente, é uma postura típica também dos árcades.
28. (Unifor/CE)
23. (U. Potiguar/RN) Leia o soneto abaixo, de Cláudio Manuel da
Costa. ―Palmares! A ti meu grito!
A ti, barca de granito,
―Já rompe, Nise, a matutina aurora Que no soçobro infinito
o negro manto, com que a noite escura, Abriste a vela ao trovão,
sufocando do sol a face pura, E provocaste a rajada,
tinha escondido a chama brilhadora. Solta a flâmula agitada
Que alegre, que suave, que sonora, aos uivos da marujada,
aquela fontezinha aqui murmura! Nas ondas da escravidão.‖
E nestes campos cheios de verdura;
que avultado prazer tanto melhora? Está incorreta a seguinte afirmação sobre a estrofe acima:
Só minha alma em fatal melancolia, a) O tom, o tema e o sentimento predominante indicam tratar-se de versos
por te não ver, Nise adorada de Álvares de Azevedo.
não sabe inda, que coisa é alegria, b) O estilo e o elemento histórico remetem ao autor de Navio Negreiro e
E a suavidade do prazer trocada, Vozes d‘África.
tanto mais aborrece a luz do dia, c) Essa estrofe é uma oitava, com versos de sete sílabas que cumprem um
quanto a sombra da noite mais lhe agrada.‖ padrão de rimas.
d) A expressão ―barca de granito‖ é uma metáfora de ―Palmares‖, a
No soneto de Cláudio Manuel da Costa, a oposição claro/escuro e a comunidade dos escravos que resistiram ao cativeiro.
antítese dia/noite revelam a permanência de características da estética: e) São versos típicos de uma poesia que, romântica e exaltada, identificou-
a) realista. b) barroca. c) romântica. d) simbolista. e) parnasiana se plenamente com a causa dos abolicionistas.

24. (Unifor/CE) Considere as seguintes afirmações: 29. (Cefet/RJ) ―Iracema, a virgem dos lábios de mel, que tinha os cabelos
I – A carta de Caminha, o teatro catequético de Anchieta e a poesia de mais negros do que a asa da graúna, e mais longos que seu talhe de
Gregório de Matos são criações culturais exemplares do estilo barroco. palmeira. O favo da jati não era doce como o seu sorriso;
II – A poesia de Tomás Antônio Gonzaga, em Marília de Dirceu, vale-se do nem a baunilha recendia no bosque como seu hálito perfumado. Mais
bucolismo arcádico ao colocar, no espaço de uma natureza amena, a amada rápida que a ema selvagem, a morena virgem corria o sertão e as matas do
representada por uma pastora. Ipu, onde campeava sua guerreira tribo, da grande nação
III – Na obra de Gregório de Matos, os temas históricos e os detalhes de tabajara. O pé grácil e nu, mal roçando, alisava apenas a verde pelúcia que
época são mais visíveis na poesia satírica do que na lírica. vestia a terra com as primeiras águas.‖ ALENCAR, José de. Iracema. São
Está correto o que afirma em: Paulo: Scipione, 1994,. p. 10.

Língua Portuguesa www.cursoprogressao.com.br 3122 - 7/43


―Após a independência, século XIX, a nova nação ‗precisava ajustar-se aos
padrões de modernidade da época. (...) Havia a necessidade de auto- Neste excerto, o eu-lírico parece aderir com intensidade aos temas de
afirmação da Pátria que se formava.‘‖ NICOLA, José de. que fala, mas revela, de imediato, desinteresse e tédio. Essa atitude do
Literatura brasileira: das origens aos nossos dias. São Paulo: Scipione, eu-lírico manifesta a
1998. p. 125. a) ironia romântica. b) tendência romântica ao misticismo. c)
No texto de José de Alencar, temos uma das formas significativas do melancolia romântica.
nacionalismo, sintetizado pelo: d) aversão dos românticos à natureza. e) fuga romântica para o sonho.
a) realismo naturalista; b) sentimentalismo realista;
c) romantismo indianista; d) bucolismo neoclassicista; e) nativismo 34. (UFSE)
modernista. ―Quando junto de ti sinto às vezes
Em doce enleio desvairar-me o siso,
30. (UEMS) ―O major tinha razão: o Leonardo não parecia ter nascido para Nos meus olhos incertos sinto lágrimas...
emendas. Durante os primeiros tempos de serviço tudo correu às mil mas da lágrima em troca eu temo um riso!‖
maravilhas; só algum mal-intencionado poderia notar
em casa de Vidinha uma certa fartura desusada na despensa; mas isso não Na estrofe acima, de Álvares de Azevedo, revela-se um traço forte de
era coisa em que alguém fizesse conta.‖ Memórias de um sargento de sua poesia, a:
milícias. a) idealização da amada, retratada como musa etérea, solene e distante;
Com base no texto acima, é correto afirmar: b) projeção da própria morte, a um tempo temida e desejada;
a) Memórias de um sargento de milícias, de Manuel Antônio de Almeida, c) sátira impiedosa, pela qual se rebaixa a linguagem ao plano do cômico;
foi o primeiro escrito no Brasil. d) insegurança amorosa, por temor de que a realidade rechace o devaneio
b) Romance de Manuel Antônio de Almeida, possui pouco valor como lírico;
documentário ou crônica de uma época. e) força material do cotidiano, expressa num detalhismo quase realista.
c) A crítica vê em seu romance um caráter regionalista.
d) Escrito na época do Romantismo, Memórias de um sargento de milícias 35. (U.F. Vitória/ES) Observe com atenção o fragmento abaixo de
está totalmente de acordo com as características do momento. Gonçalves Dias:
e) Não há como negar o tom realístico do qual se carrega a narrativa,
evidenciado na linguagem simples e na representação de pessoas comuns. ―I- Juca -Pirama
No meio das tabas de amenos verdores,
31. (UFF/RJ) As questões abaixo referem-se ao seguinte texto: Cercadas de troncos – cobertos de flores,
―O primeiro navio destacado da conserva para levar a Portugal a notícia do Alteiam-se os tetos d‘altiva nação;
descobrimento do Brasil, e com instâncias ao rei de Portugal para que por São muitos seus filhos, nos ânimos fortes,
amor da religião se apoderasse d‘esta descoberta, cometera a violência de Temíveis na guerra que em densas coortes
arrancar de suas terras, sem que a sua vontade fosse consultada, a dois Assombram das matas a imensa extensão.
índios, ato contra o qual se tinham pronunciado os capitães da frota de São rudos, severos, sedentos de glória,
Pedro Álvares. Fizera-se o índice primeiro do que era a história da colônia: Já prélios incitam, já cantam vitória,
era a cobiça disfarçada com pretextos da religião, era o ataque aos senhores Já meigos atendem à voz do cantor:
da terra, à liberdade dos índios; eram colonos degradados, condenados à São todos Timbiras, guerreiros valentes!
morte, ou espíritos baixos e viciados que procuravam as florestas para Seu nome lá voa na boca das gentes,
darem largas às depravações do instinto bruto.‖ DIAS, Gonçalves. Revista Condão de prodígios, de glória e terror!
do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, 4º trim. 1867, p. 274.
A visão de Gonçalves Dias no texto: Reflita sobre as tendências da poesia romântica indianista e assinale a
a) reforça a posição dos brasileiros que desejam comemorar os 500 anos da alternativa que não confirma a visão idealizada do poeta em relação ao
chegada dos portugueses ao Brasil, como se esta tivesse sido um evento indígena brasileiro:
relevante e benéfico para os habitantes de nossa terra; a) O índio de Gonçalves Dias ganhou o tom dos valorosos cavaleiros
b) insere-se no contexto do Romantismo, que busca ressaltar os aspectos medievais e reafirmou o sentimento nacionalista de nosso Romantismo.
negativos da colonização portuguesa, como elemento motivador para um b) ―I-Juca-Pirama‖ expressa o nacionalismo de seu autor, que, ao idealizar
distanciamento e uma diferenciação em relação a a coragem e o heroísmo do índio brasileiro, atribuiu-lhe também alguns
Portugal; distúrbios de personalidade.
c) recusa a ideia da violência que teria caracterizado a colonização c) O poema gonçalvino enalteceu e preservou as tradições indígenas
portuguesa no Brasil, como se a esquadra de Pedro Álvares não houvesse brasileiras, incorporando-as ao orgulho nacional.
enviado dois índios a Portugal, contra a vontade deles; d) O poeta romântico transformou o silvícola em um dos símbolos da
d) ressalta a concordância a que os capitães da frota de Pedro Álvares autonomia cultural e da superioridade da nação brasileira.
teriam chegado, como se o consenso de todos estes comandantes e) A poesia romântica indianista resgatou o passado histórico do Brasil e
justificasse a atitude de enviar os dois índios ao rei português; valorizou a bravura de seus habitantes naturais.
e) valoriza e confirma a iniciativa de alguns órgãos de imprensa que
celebram a conquista portuguesa como fator importante para nosso 36. (UFMG) Em relação ao poema “Canção do exílio”, de Gonçalves
posterior desenvolvimento como nação. Dias, é incorreto afirmar que ele pertence:
a) ao projeto nacionalista romântico; b) à tendência romântica para a
32. (UFF/RJ) Índice é tudo aquilo que indica ou denota uma qualidade utopia;
ou característica especial. No texto, Gonçalves Dias afirma que “fizera- c) à temática romântica da nostalgia; d) à vertente romântica indianista.
se o índice primeiro do que era a história da colônia” porque aquela e) à fuga simbolista.
história:
a) seria produzida por pessoas moralmente condenáveis, que alegavam 37. (UFSM) Considere os versos de “Canção do Tamoio”, de Gonçalves
razões religiosas para seus atos, mas que eram movidas pela ganância; Dias.
b) seria conduzida por personagens da mais alta idoneidade moral, que se
dedicavam intensamente à causa da conversão do indígena brasileiro; ―Um dia vivemos!
c) seria arquitetada por colonos degradados, condenados à morte ou O homem que é forte
espíritos baixos, que buscavam no Brasil a redenção de seus pecados; Não teme da morte;
d) seria derivada da cobiça disfarçada com pretextos da religião, que Só teme fugir;
evitava o ataque dos colonos degradados aos senhores da terra e à liberdade No arco que entesa
dos índios; Tem certa uma presa,
e) seria causada pelos condenados à morte, ou espíritos baixos e viciados Quer seja tapuia,
que procuravam as florestas para se redimirem, convertendo os índios. Condor ou tapir.‖

33. (Fuvest) Vocabulário: Tapuia – identificação dada a tribos inimigas;


Condor – ave semelhante à águia; Tapir – anta.
―Teu romantismo bebo, ó minha lua, Conforme os versos transcritos,
A teus raios divinos me abandono, a) quem erra o alvo precisa fugir da caça;
Torno-me vaporoso… e só de ver-te b) os índios estão em guerra contra os tapuias;
Eu sinto os lábios meus se abrir de sono.‖ c) a covardia é o único sentimento a ser temido pelos fortes;
Álvares de Azevedo d) quem não tem boa pontaria é excluído do grupo de guerreiros;

Língua Portuguesa www.cursoprogressao.com.br 3122 - 8/43


e) o bom índio se conhece pela qualidade do seu arco. ( ) Nesta obra, o equilíbrio, rompido temporariamente, acaba por
restabelecer-se na medida em que o autor arranja uma solene redenção
38. (U.F. Juiz de Fora/MG) Sobre o romance Iracema, de José de fazendo Seixas resgatar-se na segunda parte da história.
Alencar, é incorreto afirmar que: ( ) Este romance testemunha que Alencar crê nas ―razões do coração‖ e se
a) destaca o elemento indígena como a verdadeira origem do povo seu moralismo se abate sobre as mazelas de um mundo antinatural (o
brasileiro; casamento por dinheiro), sempre se salva a dignidade última dos
b) o sentimento amoroso justifica as duras ações colonizadoras; protagonistas, e se redimem as transações vis repondo de pé herói e
c) a linguagem é um misto de narração e descrição lírica; heroína.
d) é uma obra de teor nacionalista em que há uso da cor local. ( ) Embora existam personagens más em seu romance (Seixas, por
e) é uma prosa poética. exemplo), elas só o são aparentemente, pois Alencar acredita que pode
operar-se nesse caráter uma transformação capaz de restituí-lo
39. (U.F. Juiz de Fora/MG) A partir do fragmento acima, e gradualmente à sua natureza generosa.
considerando a obra como um todo, assinale a alternativa incorreta: A alternativa que contém a sequencia correta é:
a) O amor entre Iracema e Martim desculpa simbolicamente a colonização, a) F – V – V – V. b) V – V – F – F. c) V – F – F – V. d) F – V – V –
na perspectiva do idealismo romântico. F. e) F – F – F – V
b) Iracema entrega-se a Martim sem resistência, consciente da sua missão
de gerar a nova raça, o mestiço povo brasileiro. 43. (U.F. Uberlândia/MG) Sobre Iracema, de José de Alencar, podemos
c) A expressão ―nascido do meu sofrimento‖ pode ser lida como índice da dizer que:
origem violenta da formação social brasileira. 1. as cenas de amor carnal entre Iracema e Martim são de tal forma
d) Alencar justifica, a seu modo, a morte da terra virgem pela necessidade construídas que o leitor as percebe com vivacidade, porque tudo é narrado
se implantar nela uma civilização. de forma explícita.
e) Misto de prosa e poesia, o autor consegue tirar várias cenas poéticas. 2. em Iracema temos o nascimento lendário do Ceará, a história de amor
entre Iracema e Martim e as manifestações de ódio das tribos tabajara e
40. (UFSM) potiguara.
―Era um sonho dantesco... O tombadilho 3. Moacir é o filho nascido da união de Iracema e Martim. De maneira
Que das luzernas avermelha o brilho, simbólica, ele representa o homem brasileiro, fruto do negro e do branco.
Em sangue a se banhar. 4. A linguagem do romance Iracema é altamente poética, embora o texto
Tinir de ferros... estalar do açoite... esteja em prosa. Alencar consegue belos efeitos linguísticos ao abusar de
Legiões de homens negros como a noite imagens sobre imagens, comparações sobre comparações.
Horrendos a dançar.‖ Assinale:
a) se apenas 2 e 4 estiverem corretas;
Assinale a alternativa que identifica, corretamente, autor, título da b) se apenas 2 e 3 estiverem corretas;
obra e período literário c) se 2, 3 e 4 estiverem corretas;
dos versos citados. d) se 1, 3 e 4 estiverem corretas.
a) Álvares de Azevedo – Noite na Taverna – Romantismo. e) se nenhuma estiver correta.
b) Castro Alves – O Navio Negreiro – Romantismo.
c) Aluísio Azevedo – O Mulato – Naturalismo. Parnasianismo
d) Álvares de Azevedo – Conde Lopo – Romantismo. 44. (AEU/DF) Texto para as questões abaixo:
e) Castro Alves – Vozes d‘África – Romantismo.
―MÚSICA BRASILEIRA – Olavo Bilac
41. (Cefet/PR) O excerto a seguir foi extraído da obra Noite na Tens, às vezes, o fogo soberano
Taverna, livro de contos escrito pelo poeta ultrarromântico Álvares de Do amor: encerras na cadência, acesa
Azevedo (1831-1852). Em que requebros e encantos de impureza,
―Uma noite, e após uma orgia, eu deixara dormida no leito dela a condessa Todo o feitiço do pecado humano.
Bárbara. Dei um último olhar àquela forma nua e adormecida com a febre Mas, sobre essa volúpia, erra a tristeza
nas faces e a lascívia nos lábios úmidos, gemendo ainda nos sonhos como Dos desertos, das matas e do oceano:
na agonia voluptuosa do amor. Saí. Não sei se a noite era límpida ou negra; Bárbara poracé, banzo africano,
sei apenas que a cabeça me escaldava de embriaguez. As taças tinham E soluços de trova portuguesa.
ficado vazias na mesa: aos lábios daquela criatura eu bebera até a última És samba e jongo, chiba e fado, cujos
gota o vinho do deleite... Quando dei acordo de mim estava num lugar Acordes são desejos e orfandades
escuro: as estrelas passavam seus raios brancos entre as vidraças de um De selvagens, cativos e marujos:
templo. As luzes de quatro círios batiam num caixão entreaberto. Abri-o: E em nostalgias e paixões consistes.
era o de uma moça. Aquele branco da mortalha, as grinaldas da morte na Lasciva dor, beijo de três saudades,
fronte dela, naquela tez lívida e embaçada, o vidrento dos olhos mal- Flor amorosa de três raças tristes.‖
apertados... Era uma defunta!... e aqueles traços todos me lembravam uma
idéia perdida... – era o anjo do cemitério! Cerrei as portas da igreja, que, eu Julgue os itens seguintes, em relação à semântica e à estilística.
ignoro por quê, eu achara abertas. Tomei o cadáver nos meus braços para ( ) O poeta personaliza a música e mantém com ela uma espécie de diálogo
fora do caixão. Pesava como chumbo...‖ em que a trata por ―tu‖.
Com relação ao fragmento acima, afirma-se: ( ) Termos como ―impureza‖ (l. 3), ―feitiço‖ (l. 4), ―pecado‖ (l. 4) e
I – Acentua traços característicos da literatura romântica, como o ―volúpia‖ (l. 6) remetem a um mesmo campo semântico, no texto.
subjetivismo, o egocentrismo e o sentimentalismo; ao contrário, despreza o ( ) Por ―samba e jongo‖ (l. 11) entendemos a música portuguesa, enquanto
nacionalismo e o indianismo, temas característicos da primeira geração a africana está representada por ―chiba e fado‖ (l. 11).
romântica. ( ) Relacionamos ―selvagens, cativos e marujos‖ (l. 13) a índios,
II – Idealiza figuras imaginárias, mulheres incorpóreas ou virgens, portugueses e africanos, respectivamente, nesta ordem.
personagens que confirmam o amor inatingível, idealizado na literatura ( ) Os termos ―nostalgias‖ (l. 15) e ―saudades‖ (l. 16) são semanticamente
ultrarromântica. Desta forma, no 1º. parágrafo, o amor platônico não é equivalentes no texto.
superado pelo amor físico. Qual a alternativa correta?
III – Tematiza a morte, presente em grande parte da obra do autor. a) V - V – F - F – V b) V - V – F - F – F c) F - V – V - F – V d) V - V – F
Assinale a alternativa correta. - V – V e) V - V – V - F - V
a) Apenas I está correta. b) Apenas II e III estão corretas.
c) I, II e III estão corretas. d) Apenas I e II estão corretas. e) Apenas I e 45. (AEU/DF) Julgue os itens abaixo em relação à compreensão e à
III estão corretas. interpretação do texto.
( ) Olavo Bilac inicia o poema aludindo ao erotismo desencadeado pelos
42. (Uniube/MG) Marque (V) para as declarações que estão de acordo movimentos rítmicos da música na coreografia e na dança.
com o romance Senhora, de José de Alencar e (F) para as que não se ( ) Justifica o autor a riqueza de nossa música pelo caldeamento de ritmos
aplicam adequadamente ao romance: oriundos de várias e variadas culturas.
( ) O autor coloca no centro do romance não mais um herói, mas um ser ( ) Contudo, sua visão de música brasileira é pobre e unilateral, porque
venal inferior como é o caso de Seixas, que se casa pelo dote, em virtude da vislumbra nela apenas a melancolia.
educação que recebera. ( ) O poeta estende à natureza esse sentimento de tristeza advinda da
distância da terra natal e da saudade dos que ficaram ou morreram.
Qual a alternativa correta?

Língua Portuguesa www.cursoprogressao.com.br 3122 - 9/43


a) V - V – F – V b) V - V – F – F c) F - V – V – V d) V - F - V – V e) I – Adotando uma postura antirromântica, baseava-se no binômio
V-F-F–V objetividade temática/culto da forma. Buscava atingir a impassibilidade e a
impessoalidade.
46. (AEU/DF) Julgue os itens que vêm a seguir, em relação aos estilos II – Os poetas seguem os modelos clássicos gregos e latinos e, inspirados
de época na Literatura Brasileira. na frase de Horário, fugere urbem (fugir da cidade), voltam-se para a
( ) O texto lido exemplifica a preocupação formal presente nos poemas natureza em busca de uma vida simples. Tinham
parnasianos. também por objetivo viver o presente, ―gozar o dia‖.
( ) No Parnasianismo, Olavo Bilac pontificou ao lado de eminentes vates As afirmativas acima exprimem, respectiva e sucessivamente,
como Alberto de Oliveira, Raimundo Correia e Vicente de Carvalho. características do:
( ) Em Música Brasileira, Bilac alia profundo lirismo e nítida destreza a) Parnasianismo – Arcadismo. b) Arcadismo – Parnasianismo. c)
técnica, que já apontam para o Simbolismo, movimento literário que Parnasianismo – Realismo.
sucederia o Parnasianismo, pela musicalidade das assonâncias e aliterações d) Modernismo – Arcadismo. e) Realismo – Parnasianismo.
apresentadas.
( ) Contudo, foi o Parnasianismo, pelo seu ardor entusiástico e eloqüente, o 52. (UCS) INSTRUÇÃO: A questão de número 25 refere-se ao
estilo de época que mais fielmente expressou o intimismo e o sentimento texto abaixo.
brasileiro. ―Eras a glória, — a inspiração, — a pátria,
Qual a alternativa correta? O porvir de teu pai! – Ah! no entanto,
a) V - V – V – F b) V - V – F – F c) F - V – V – F d) V - V – F – V e) V Pomba, — varou-te a flecha do destino!
-F–F–F Astro, — engoliu-te o temporal do norte!
Teto, caíste! – Crença, já não vives! (...)‖
47. (UFR/RJ) (...) “– Só tomando distância, escrevendo e reescrevendo, MOISÉS, Massaud. A literatura brasileira através dos textos. 20 ed.
relacionando e burilando você faria isto [um bom poema].” Essa fala Revista e aumentada. São Paulo: Cultrix, 1999. p. 178.
revela uma concepção de texto literário compatível com a dos poetas: O fragmento acima pertence ao poema Cântico do Calvário, de
a) românticos. b) parnasianos. c) simbolistas. d) árcades. e) barrocos. Fagundes Varela. Nele se reconhecem aspectos altissonantes,
semelhantes à obra de:
48. (U. Uberaba/MG) Leia com atenção os fragmentos a seguir: a) Álvares de Azevedo. b) Casimiro de Abreu. c) Castro Alves. d)
Junqueira Freire. e) Gonçalves Dias.
I
―Esta, de áureos relevos trabalhada Simbolismo
De divas mãos, brilhante copa, um dia, 53. (Mackenzie/SP) Texto para as questões abaixo:
Já de aos deuses servir como cansada,
Vinda do Olimpo, a um novo Deus servia.‖ ―Ficávamos sonhando horas inteiras,
II Com os olhos cheios de visões piedosas:
―A música da morte, a nebulosa, Éramos duas virginais palmeiras,
A estranha, imensa música sombria Abrindo ao céu as palmas silenciosas.
passa a tremer pela minh‘alma e fria As nossas almas, brancas, forasteiras,
gela, fica a tremer, maravilhosa...‖ No éter sublime alavam-se radiosas.
Ao redor de nós dois, quantas roseiras…
Assinale a alternativa em que aparecem características relacionadas, O áureo poente coroava-nos de rosas.
respectivamente, aos fragmentos I e II. Era um arpejo de harpa todo o espaço:
a) Busca do vago e do diáfano / Palavras que despertam impressões Mirava-a longamente, traço a traço,
sensoriais. No seu fulgor de arcanjo proibido.
b) Cultivo da perfeição formal / Linguagem marcada pela objetividade Surgia a lua, além, toda de cera…
temática. Ai como suave então me parecera
c) Busca de um tema ligado à Grécia antiga / Registro da realidade de A voz do amor que eu nunca tinha ouvido!‖
maneira simbólica. Alphonsus de Guimaraens.
d) Forma requintada, linguagem sugestiva / Descrição minuciosa de um
objeto. Assinale a alternativa correta.
a) Os versos 3 e 4 expressam, por meio de metáforas, a desistência da busca
49. Leia o poema abaixo. de alturas.
―Quero que a estrofe cristalina, b) No último verso, uma vírgula depois de amor mantém o sentido
Dobrada ao jeito inalterado.
De ourives, saia da oficina c) Na segunda estrofe, nomes e verbos representam um mundo carnal.
Sem um defeito d) No verso 8, há a sugestão do tempo da cena por meio do sujeito
(...)‖ sintático.
Os versos do poema Profissão de fé, de Olavo Bilac, remetem ao: e) Os versos 9 e 12 apresentam sujeito anteposto ao verbo.
a) Simbolismo. b) Modernismo. c) Romantismo. d) Parnasianismo. e)
Pré-modernismo. 54. (Mackenzie/SP) O texto exemplifica o seguinte princípio estético:
a) Sempre haverá uma poesia popular sem arte, e poetas populares sem
50. (PUCRS) INSTRUÇÃO: Para responder à questão abaixo, ler o apuro gramatical e métrico, versejando com o falar da gente rústica.
texto que segue. b) … jamais se deve arriscar o emprego de qualquer locução ambígua; sigo,
como de costume, na esteira de Quintiliano (…)
―Vila Rica c) Movimento de oposição à ordem estabelecida do Iluminismo, reúne um
O ouro fulvo do ocaso as velhas casas cobre; grupo de escritores para o qual o ―gênio‖ se torna a palavra de ordem capaz
Sangram, em laivos de ouro, as minas, que a ambição de possibilitar a rejeição à disciplina e à tradição importada.
Na torturada entranha abriu da terra nobre: d) A busca de vagas sensações, dos estados indefinidos de alma, fazendo
E cada cicatriz brilha como brasão. que a poesia se aproxime da música, tem como intuito ―traduzir‖ um
[...] mundo de essências, um mais além, ora conhecido como o Ideal, ora como
Como uma procissão espectral que se move... o Mistério, intraduzível por si mesmo.
Dobra o sino... Soluça um verso de Dirceu... e) Porém declaro desde já que não olhei regras nem princípios, que não
Sobre a triste Ouro Preto o ouro dos astros chove.‖ consultei Horácio nem Aristóteles, mas fui insensivelmente depós o
coração e os sentimentos da Natureza, que não pelos cálculos da arte e
O poema, pertencente ao autor de “Profissão de Fé”, não segue operações combinadas do espírito.
rigidamente o padrão _________ no que se refere à _______.
a) romântico – idealização do mundo b) simbolista – busca do eu 55. (U. F. Viçosa/MG) Considere as afirmativas abaixo, relativas ao
profundo Simbolismo:
c) parnasiano – alienação dos problemas sociais d) simbolista – I – No plano temático, o Simbolismo foi marcado pelo mistério e pela
inteligibilidade sintática inquietação mística com problemas transcendentais do homem. No plano
e) parnasiano – sonoridade dos versos formal, caracterizou-se pela musicalidade e certa quebra no ritmo do verso,
precursora do verso livre do modernismo.
51. (Univali/SC) Observe as considerações:

Língua Portuguesa www.cursoprogressao.com.br 3122 - 10/43


II – O Simbolismo, surgido contemporaneamente ao materialismo II. A idéia de que o escritor deve reproduzir fielmente o real é um dos
cientificista, enquanto atitude de espírito, passou ao largo dos maiores princípios centrais do movimento realista, uma vez que o leitor precisa
problemas da vida nacional. Já a literatura realista-naturalista acreditar na veracidade do texto.
acompanhou fielmente os modos de pensar das gerações que fizeram e III. Na tentativa de fugir dos devaneios sentimentais românticos, os
viveram a Primeira República. realistas propuseram uma linguagem verossímil e repleta de regionalismos,
III – O Simbolismo, com Cruz e Souza e Alphonsus de Guimarães, nossos privilegiando, assim, o caráter oral.
maiores poetas do período, legou-nos uma produção poética que se Quais estão corretas?
caracterizou pela busca da ―arte pela arte‖, isto é, uma preocupação com o a) apenas I b) apenas II c) apenas I e II d) apenas II e III e) I, II e III
verso artesanal, friamente moldado. Devido a essa tendência à objetividade
na composição, o movimento também se denominou ―decadentista‖. 61. ―Começo a arrepender-me deste livro. Não que ele me canse; eu não
Assinale a alternativa correta: tenho o que fazer; e realmente, expedir alguns magros capítulos para esse
a) I é falsa; II e II, verdadeiras. b) I e III são falsas; II, verdadeira. mundo sempre é tarefa que distrai um pouco da eternidade. Mas o livro é
c) I é verdadeira; II e III, falsas. d) I, II e III são verdadeiras. e) I e II são enfadonho, cheira a sepulcro, traz certa contração cadavérica; vício grave, e
verdadeiras; III, falsa. aliás ínfimo, porque o maior defeito deste livro és tu leitor. Tu tens a pressa
de envelhecer, e o livro anda devagar; tu amas a narração direta e nutrida, o
56. (UFSM) Assinale a alternativa que indica o período literário que estilo regular e fluente, e este livro e o meu estilo são como os ébrios,
nega o cientificismo, o materialismo e o racionalismo, valorizando, em guinam á direita e à esquerda, andam e param, resmungam, urram,
contrapartida, as formas vagas e espirituais. gargalham, ameaçam o céu, escorregam e caem...‖
a) Barroco. b) Modernismo. c) Simbolismo. d) Romantismo. e) Arcadismo. O fragmento acima pertence a qual romance de Machado de Assis?
a) Quincas Borba b) Esaú e Jacó c) Dom Casmurro
57. (Univali/SC) ―EXPLORAÇÃO ESPACIAL d) Memórias Póstumas de Brás Cubas e) Memorial de Aires
Com os avanços tecnológicos desvendamos a natureza dos corpos celestes,
mas o mistério das noites estreladas continua. O céu nos fascina. 62. Assinale a alternativa incorreta sobre Dom Casmurro de Machado
Acreditava-se que era a morada dos deuses, e com isso surgiram lendas e de Assis:
mitos que povoaram o imaginário humano durante séculos. O mundo a) Em sua exposição, Bento afirma o adultério, mas a narrativa apresenta
celeste era estudado somente pela astrologia, e ligado aos rituais mágicos, tantos paradoxos e contradições que nada se esclarece totalmente para o
seu conhecimento pertencia à classe sacerdotal, sendo considerado secreto. leitor.
Esta ligação com a mitologia pode ser observada através dos atuais nomes b) Na faculdade, Bentinho conhece Ezequiel de Sousa Escobar, filho de um
dos planetas e estrelas, oriundos das mitologias gregas e romanas.‖ In: advogado de Curitiba. Os dois tornam-se amigos e confidentes.
Revista Sapiens, n. 1. c) Num gesto extremo, Bento decide suicidar-se com veneno colocado
Na Literatura, podemos observar, através dos tempos, um constante retorno numa xícara de café, mas é interrompido pela chegada de Ezequiel.
às origens clássicas. Uma escola, em especial, retomou a mitologia grega d) Bento, velho e solitário, decide escrever um livro de memórias na
como fonte de inspiração para a denominação do movimento. Assinale a tentativa de atar passado e presente, da "construção ou reconstrução" de si
alternativa que denomina o período literário, uma de suas mesmo.
características e um de seus autores: e) A figura enigmática de Capitu, com seus ―olhos de ressaca‖ e de ―cigana
a) Arcadismo – adoção de pseudônimos – Olavo Bilac; oblíqua e dissimulada‖, contribui ainda mais para fortalecer a dúvida
b) Barroco – presença constante de antíteses – Gregório de Matos; fundamental do romance.
c) Simbolismo – culto do mistério – João da Cruz e Sousa;
d) Parnasianismo – perfeição da forma – Raimundo Correia; 63. Observe as afirmações abaixo sobre Memorial de Aires de
e) Naturalismo – ênfase nos aspectos mórbidos da natureza humana – Machado de Assis:
Aluísio Azevedo. I. O conselheiro Aires tinha redigido um memorial, sob a forma de diário,
abrangendo os anos de 1888. Agora, em 1908, seu diário íntimo vinha a
58. (UCS) Assinale a alternativa que preenche adequadamente as luz, sob o título de Memorial de Aires.
lacunas. II. Esaú e Jacó (1904) e Memorial de Aires (1908) se encontram
O Simbolismo inicia como uma reação ao ________ e suas manifestações. interligados. Une-os a figura sábia e diplomática do conselheiro José da
A nova estética nega o _________, valorizando, em contrapartida, as Costa Marcondes Aires, fino observador das sutilezas da psicologia
manifestações ____________. humana.
a) Arcadismo – racionalismo – subjetivas b) Parnasianismo – III. O conselheiro Aires passa boa parte do seu Memorial procurando
cientificismo – espirituais decifrar como agirão as pessoas. Procura investigar as suas vidas no
c) Modernismo – materialismo – religiosas d) Impressionismo – passado, perscrutar seus mínimos gestos e inclinações no presente, para
objetivismo – subjetivas tentar prever como agirão no futuro próximo.
e) Romantismo – subjetivismo – nacionais Quais estão corretas?
a) apenas I b) apenas II c) apenas III d) apenas II e III e) I, II e III
59. (Univali/SC)
64. Assinale a alternativa incorreta sobre Quincas Borba de Machado
―ANTÍFONA de Assis:
Ó Formas alvas, brancas, Formas claras a) Narrado em terceira pessoa, a narrativa acompanha a trajetória
De luares, de neves, de neblinas!... ascensional de um modesto professor que se torna ―capitalista‖. A escalada
Ó Formas vagas, fluidas, cristalinas... de Rubião resulta de um mero golpe do acaso, a herança recebera sob a
Incensos dos turíbulos das aras... condição de cuidar do cachorro Quincas.
Formas de Amor, constelarmente puras, b) Sofia é uma das grandes personagens femininas de Machado de Assis.
De Virgens e de Santas vaporosas... Belíssima, charmosa, narcisista, exibida publicamente pelo marido que se
Brilhos errantes, mádidas frescuras compraz em vê-la encantar os homens, ela usa todas as técnicas possíveis
E dolências de lírios e de rosas...‖ de sedução, sem jamais chegar ao adultério.
c) O jornalista Camacho representa o autêntico parasita, ambicioso e
O poema “Antífona”, do poeta Cruz e Sousa, apresenta as seguintes vulgar, que explora Quincas sem piedade, inventando para ele um
características do movimento simbolista: improvável projeto político e tornando-o sócio de seu jornal, Atalaia.
a) expressões vagas e insólitas; sinestesias; musicalidade. d) Dona Tonica, solteirona desesperada para casar-se, vê no professor
b) subjetivismo; evasão no tempo; ilogismo. mineiro a chance de arrumar um marido. Suas tentativas, contudo são
c) arte pela arte; preocupação com a forma; rimas ricas. totalmente frustradas, pois Rubião não esmorece em seu desesperado amor
d) objetivismo; espiritualismo; musicalidade. por Sofia.
e) iniciais maiúsculas; sugestão; verso livre. e) No último e curto capítulo, o narrador zomba sobre o título do livro,
dizendo que ele tanto pode referir-se ao filósofo quanto ao cão. Convoca o
REALISMO leitor para o riso ou para a lágrima em função das mortes de Rubião e de
60. Observe as seguintes afirmações sobre o período literário Quincas.
denominado Realismo:
I. Os realistas fogem às exibições subjetivas dos românticos. O escritor 65. Observe as afirmações abaixo sobre Esaú e Jacó de Machado de
deve manter a neutralidade diante daquilo que está narrando, por isso Assis:
mesmo, há um domínio das narrativas em terceira pessoa. I. É a história dos irmãos Pedro e Paulo, um se forma médico, outro
advogado, um ingressa no partido conservador, outro no partido liberal. Um

Língua Portuguesa www.cursoprogressao.com.br 3122 - 11/43


é monarquista, outro vira republicano. Ambos, no entanto, se apaixonam perspectiva de Sérgio já amadurecido. E o leitor tem a visão de um sujeito
pela mesma moça, Flora. adulto que lembra os acontecimentos.
II. O romance é muito lembrado por ser o único, na obra machadiana, em II. Aristarco, o "monstro moral" é a síntese da dissolução de todos os
que fatos históricos (a Abolição e a República) têm importância valores. Para Sérgio, ele encarna a perversidade do sistema. Sem qualquer
fundamental no enredo. vislumbre humanista Aristarco dirige a escola como se ela fosse uma casa
III. Durante o funeral de Flora, há a discussão final entre Pedro e Paulo na de comércio.
qual rompem para sempre, odiando-se mutuamente. III. O Ateneu supera a formulação tradicional do realismo, pois apresenta
Quais estão corretas? um narrador cheio de emotividade se converte na pura expressão das
a) apenas I b) apenas I e II c) apenas III d) apenas II e III e) I, II e III emoções de Sérgio: sofrimento do menino e desejo de vingança do adulto.
Essa densidade das impressões impede que o romance seja objetivo ou
66. Observe as afirmações abaixo sobre Machado de Assis: neutro.
I. Decorrência da constatação da falência e da degradação dos valores que Quais estão corretas?
regem a vida humana, o pessimismo evidencia-se nas obras machadianas. a) apenas I b) apenas II c) apenas III d) apenas II e III e) I, II e III
II. O narrador machadiano afirma uma idéia e, em seguida, a destrói.
Assim ele faz com todos os sistemas e filosofias, anulando a todos. 72. Observe as afirmações sobre os romances naturalistas:
Nenhuma verdade é absoluta. Tudo depende dos interesses de cada I. Em Casa de Pensão, de Aluisio Azevedo, temos a historia de Amâncio,
indivíduo. jovem e rico estudante de medicina, cuja fortuna desperta a ambição de
III. Além de romancista e contista, Machado de Assis deixou poemas, peças João Coqueiro.
de teatro, crônicas e crítica literária. II. O aparecimento dos segmentos populares urbanos como atores
Quais estão corretas? principais do texto é uma das grandes novidades de O cortiço. Operários,
a) apenas I b) apenas II c) apenas III d) apenas I e III e) I, II e III primeiros imigrantes, comerciários, lavadeiras, prostitutas, gente de vida
ordinária e gente de atividade incerta compõem a galeria dominante dos
67. Assinale a alternativa correta sobre o conto Pai contra mãe: personagens.
a) Candido Neves, apoiado por sua esposa Monica, reluta em entregar seu III. Em O Cortiço, As teorias fatalistas se complementam com o peso
filho recém nascido à roda dos enjeitados. decisivo dos instintos nas ações dos personagens. Os instintos são sempre
b) Clara, para ajudar o marido, vendia doces e salgados na feira, atitude que bestiais e degradantes, intensificando a potência avassaladora do cenário.
ajudaria a manter o sustento mínimo de seu filho. Quais estão corretas?
c) Candido Neves, movido por sentimentos paternais, desiste de entregar a a) apenas I b) apenas II c) apenas III d) apenas II e III e) I, II e III
escrava grávida, desistindo, assim, da recompensa pela sua captura.
d) Tia Monica conclui, ao final do conto, que nem todas as crianças PARNASIANISMO
vingam, aludindo ao desfecho trágico da gravidez da escrava capturada. 73. Observe as características abaixo:
e) Com o nascimento da criança, a alegria do pai, Candido Neves, fora I. A criação literária como resultante do esforço e não da inspiração.
enorme, e a tristeza também, uma vez que Tia Monica o pressionava a levar II. Apresenta uma arte centrada em obviedades escritas com ênfase retórica.
a criança à roda dos enjeitados. III. Assinala o triunfo de uma estética rígida que visa a denuncia social.
Quais características se referem ao Parnasianismo?
68. Observe as afirmações sobre os contos machadianos: a) apenas I b) apenas I e II c) apenas III d) apenas II e III e) I, II e III
I. Em Pai contra mãe, Machado de Assis relata o drama da escravidão e
suas conseqüências, assim, tendo como pano de fundo uma questão social, 74. Assinale a alternativa correta sobre os poetas parnasianos:
temos a ausência de um dos princípios estéticos machadianos, a ironia. a) Olavo Bilac, poeta de admirável habilidade técnica que o leva a
II. O desfecho da trama em O caso da vara desmascara o individualismo do versificar com meticulosa precisão, buscou inspiração no subjetivismo
ser humano visto pela ótica pessimista de Machado de Assis, uma vez que romântico, como podemos perceber em Via Lactea.
Damião pondera sobre sua condição e resolve alcançar a vara. b) Entre todos os parnasianos, Alberto de Oliveira é o que mais permanece
III. Mariana, após ter sido ironizada por Conrado, decide ir contar tudo a atado aos rigorosos padrões do movimento, como podemos verificar em seu
sua amiga Sofia, esta, por usa vez, aconselha Mariana a ser mais ―forte‖ poema Satânia.
com Conrado. c) Em Sinfonias, Raimundo Correia busca um lirismo platônico,
Quais estão corretas? configurado numa espécie de neo-romantismo.
a) apenas I b) apenas I e II c) apenas II d) apenas II e III e) I, II e III d) Vicente de carvalho pode ser considerado poeta de transição entre a
estética romântica e a simbolista.
REAL-NATURALISMO e) Em Raimundo Correia encontramos um pessimismo filosofante, uma
69. Assinale a alternativa incorreta sobre a caracterização dos percepção negativa do mundo, bem como alguns pontos de contato com a
personagens de O primo Basílio de Eça de Queirós: poesia simbolista.
a) Ernestinho: primo de Jorge escreve seguindo o interesse do público e sua
peça Honra e Paixão é um dramalhão de caráter romântico. SIMBOLISMO
b) Basílio: seduz com perseverança e experiência, traz, em seu discurso, 75. Observe as afirmações abaixo sobre Cruz e Souza:
uma maldade inescrupulosa e irônica. I. A linguagem denotativa quase desaparece na quantidade de símbolos,
c) Juliana: empregada, mulher que se torna amargurada ao nutrir paixão aliterações, sinestesias e, por vezes, esquisitas harmonias sonoras existentes
secreta por Jorge. em sua lírica.
d) Acácio: símbolo da mediocridade e do convencionalismo, apegado a II. A rigor, os seus assuntos são limitados: a obsessão pela cor branca, O
frases de efeito e a formalidades, adota comportamento populista a fim de erotismo e sua sublimação, o sofrimento da condição negra e a
se beneficiar. espiritualização.
e) Leopoldina: apelidada de Pão e Queijo, é amiga de Luísa, para o III. As mulheres surgem na obra de Cruz e Sousa como um símbolo de
desgosto de Jorge. sensualidade e arrastam o poeta para o que denominamos de angústia
sexual (espasmos, anseios e desejos obscuros).
70. Assinale a alternativa correta com relação ao episodio que trata da Quais estão corretas?
morte de Juliana em O Primo Basílio: a) apenas I b) apenas II c) apenas III d) apenas II e III e) I, II e III
a) Julião, ao verificar que Juliana estava morta, avisa a polícia, fato que
perturba Sebastião. PRÉ-MODERNISMO
b) Jorge, ao tomar conhecimento da existência da carta, com a ajuda de 76. Observe as afirmações sobre o Pré-Modernismo:
Sebastião, invade a casa de Juliana que, na mesma hora, sofre um ataque I. a paisagem brasileira e o homem regional foram duas preocupações dos
cardíaco. escritores pré-modernistas.
c) Sebastião, com a ajuda da polícia, toma a carta das mãos de Juliana, esta, II. Graça Aranha, Euclides da Cunha e Monteiro Lobato fizeram uma
desesperada atira-se sobre o carro de Sebastião, vindo a morrer. literatura de caráter nacionalista ufanista, mas com perspectivas diferentes.
d) D. Felicidade, ao saber da noticia da morte de Juliana, lembrou que era III. Lima Barreto repensou o interior do Brasil apresentando personagens
necessário alguém para velar a morta, fato que desagradou Jorge. típicos, como Jeca Tatu, que representam o caboclo, o homem do campo.
e) Luisa toma as providencias necessárias para que Juliana tenha um Quais estão corretas?
velório digno, com o consentimento de Jorge. a) apenas I b) apenas II c) apenas I e II d) apenas II e III e) I, II e III

71. Observe as afirmações sobre O Ateneu de Raul Pompéia: 77.Sobre Monteiro Lobato é correto afirmar que :
I. Projeção do escritor, Sérgio evoca - em primeira pessoa - o início de sua a) Sua literatura infanto-juvenil compreende três obras de ficção: Urupês,
adolescência passada no internato. A narrativa é construída a partir da Cidades Mortas e Sítio do Pica Pau amarelo.

Língua Portuguesa www.cursoprogressao.com.br 3122 - 12/43


b) Sua escrita está presa aos padrões da época, revelando-se pesada e b) Em ―Negro Bonifácio‖, Blau Nunes fica sabendo mais tarde o porquê da
acadêmica, todavia seu aspecto inovador surge em suas descrições do reação de Tudinha frente ao negro Bonifácio: na verdade, Bonifácio fora o
universo rural nordestino. primeiro a amanonsiar a Tudinha.
c) Criou com Jeca Tatu um símbolo do caboclo - preguiçoso na primeira c) Em ―No manatial‖, Blau Nunes reconstitui parte da história através de
versão, doentio e subnutrido a partir das demais versões – que representa o uma negra chamada mãe Tanásia, já que o final trágico, ele mesmo, Blau,
descaso com o interior do país. presenciou, pois estava na arrancada junto com os demais tropeiros e
d) Entre os seus contos, destaca-se O homem que sabia javanês. Nesta familiares de Maria Altina.
história curta, ele consegue erigir a caricatura à condição de arte superior. d) Em ―Melancia – Coco verde‖, Blau narra um caso ocorrido com Reduzo,
e) Em Clara dos Anjos - novela inacabada – Monteiro Lobato centra o foco índio que era ―confiança‖ dos Costas e que, após se envolver com sia
do relato na questão do preconceito. Talapa, assume o pseudônimo de ―Coco verde‖.
e) Em ―Jogo do osso‖, Chico Ruivo joga sua mulher, Lalica, com Osoro e
78. Observe as afirmações sobre Augusto dos Anjos: acaba perdendo-a, sendo que o desfecho do conto mostra um fim trágico: a
I. Em Augusto dos Anjos encontramos a mistura de estilos na linguagem morte do novo casal, Osoro e Lalica por mão de Chico Ruivo.
corrosiva, no coloquialismo e na incorporação à literatura de todas as
"sujeiras" da vida. 83. Memórias de um Sargento de Milícias não apresenta a idealização e
II. O domínio técnico e o gosto pelo soneto comprovariam sua tendência sentimentalismo comuns ao Romantismo. É uma obra excêntrica,
parnasiana. A fascinação pela morte, a angústia cósmica e o uso de ousadas bastante diferente das narrativas dessa escola literária.
metáforas indicariam a tendência simbolista. Assinale a alternativa em que se evidencia o antissentimentalismo, o
III. Em sua poesia, a angústia diante da morte transforma-se numa espécie distanciamento do lugar-comum romântico
de metafísica do horror: não passamos de matéria que acaba, que entra em
putrefação e que depois desaparece. a) "Isto tudo vem para dizermos que Maria Regalada tinha um verdadeiro
a) apenas I b) apenas II c) apenas I e II d) apenas II e III e) I, II e III amor ao major Vidigal."
b) "Não é também pequena desventura o cairmos nas mãos de uma mulher
79.Observe as afirmações sobre Simões Lopes Neto e assinale V a quem deu na veneta querer-nos bem deveras."
(verdadeiro) ou F (falso): c) "O Leonardo estremeceu por dentro, e pediu ao céu que a lua fosse
( ) Simões Lopes Neto segue uma tradição literária no Rio Grande do Sul, eterna; virando o rosto, viu sobre seus ombros aquela cabeça de menina
formada por inúmeras obras menores de autores como Caldre e Fião, iluminada."
Apolinário de Porto Alegre e Luís Araújo Filho. d) "Sem saber como, unia-se ao Leonardo, firmava-se com as mãos sobre
( ) Uma das brilhantes inovações ideológicas de Simões Lopes Neto os seus ombros para se poder sustentar mais tempo nas pontas dos pés,
consiste em entregar a voz narrativa de sua principal obra – Contos falava-lhe e comunicava-lhe a sua admiração."
gauchescos – a um velho vaqueano, Blau Nunes. e) "Leonardo ficou também por sua vez extasiado; pareceu-lhe então o
( ) Em Lendas do Sul, o autor compilou três lendas que integravam o rosto mais lindo que jamais vira."
imaginário do homem sul-rio-grandense: O negrinho do pastoreio,
M´Boitatá e Salamanca do Jarau, e estilizou-as em linguagem carregada de
lirismo. 84.Assinale a alternativa em que aparece fragmento que se refere ao
( ) A tradição da oralidade popular que estrutura as suas obras pode ser protagonista de Memórias de um Sargento de Milícias.
encontrada também nos Casos do Romualdo em que Romualdo divide com a) "Fora Leonardo algibebe em Lisboa, sua pátria;aborrecera-se porém do
Blau Nunes a tarefa de contar os ―causos‖ da vida na campana gaúcha. negócio e viera ao Brasil.Aqui chegando, não se sabe por proteção de
A) V – F – V –F B) F – V –V – V C) V –V –V – F D) F – V – V –F E) V quem, alcançou o emprego de que o vemos empossado."
– V – F –V b) "Era o rei absoluto, o árbitro supremo de tudo que dizia respeito a esse
ramo de administração: era o juiz que julgava e distribuía a pena."
80.Observe as afirmações abaixo sobre a Sociedade Partenon c) "Quando passou de menino a rapaz, e chegou a saber barbear e sangrar
Literário: sofrivelmente, foi obrigado a manter-se à sua custa."
I. O Partenon, através de seus agremiados, desempenhou um papel central d) "Era este um homem todo em proporções infinitesimais, baixinho,
não apenas em POA, mas em todo o estado, pois contava com sócios na magrinho, de carinha estreita e chupada, excessivamente calvo, tinha
maioria das cidades do interior. pretensões de latinista."
II.Com o Partenon se deu a consolidação de uma cultura no RS com e) "Digamos unicamente que durante todo este tempo o menino não
características próprias. Por essa razão, o início efetivo da literatura gaúcha desmentiu aquilo que anunciara desde que nasceu: atormentava a
coincide com o trabalho dos escritores dessa agremiação. vizinhança."
III. O Partenon Literário designa todo o grupo frequentado por Caldre e
Fião, Apolinário Porto Alegre, Bernardo Taveira Junior, Hilário Ribeiro,
João Simões Lopes Neto e Luciana de Abreu. 85.Sobre Memórias de um Sargento de Milícias, só não se pode afirmar
Quais estão corretas? que:
a) apenas I b) apenas I e II c) apenas III d) apenas II e III e) I, II e III a) A obra tem como protagonista um anti-herói de características
picarescas, o que afasta o livro dos padrões de idealização românticos.
81. Observe o texto abaixo: b) À parte a dimensão fantasiosa de que se revestem as peripécias de
―Há duas espécies de artistas. Uma composta dos que veem normalmente as Leonardo, o livro pode ser considerado realista devido à análise crítica dos
coisas(..) A outra espécie é formada pelos que veem anormalmente a costumes da corte.
natureza e interpretam-na à luz de teorias efêmeras, sob a sugestão estrábica c) O final do protagonista é bem sucedido, visto que ele se curva ao
de escolas rebeldes, surgidas cá e lá como furúnculos da cultura excessiva. universo da ordem e das regras sociais.
(...) Embora eles se deem como novos, precursores de uma arte a vir, nada é d) O livro não apresenta perspectiva moralista, pois o ―herói malandro― não
mais velho do que a arte anormal ou teratológica: nasceu com a paranoia e é castigado, mas premiado, e o narrador não emite juízos de valor sobre o
com a mistificação. que narra.
O fragmento do texto acima se refere: e) A ausência de polarização maniqueísta entre o que é considerado correto
a) A extravagante arte moderna importada da Europa pelo grupo de jovens ou incorreto, moral ou imoral, pode ser verificada na caracterização dos
estudantes paulistas que criariam a revista Noigandres. personagens, em que redomina o humor sobre a idealização.
b) Ao primeiro momento moderno de nossa literatura no qual despontariam
nomes como Carlos Drummond de Andrade e Manuel Bandeira.
c) A reação da elite paulistana contra os ataques desferidos à poesia 86.Leia a seguinte afirmação crítica a respeito de Memórias de um
moderna. Sargento de Milícias:
d) Ao artigo demolidor que ocasiona a união dos jovens "futuristas" “Diversamente de todos os romances brasileiros do século XIX, mesmo os
brasileiros em torno de um ideal comum: destruir as manifestações que formam a pequena minoria dos romances cômicos, as Memórias de um
artísticas que remontavam ao século XIX. Sargento de Milícias criam um universo que parece liberto do peso do erro
e) Ao Manifesto da Poesia Pau-Brasil lançado por Oswald de Andrade em e do pecado.“
março de 1924. Assinale a alternativa que não apresenta um fato relacionado ao
universo mencionado na afirmação acima:
82. Assinale a alternativa INCORRETA em relação aos Contos a) Luisinha prometera casamento a Leonardo, o que não a impede de trair o
gauchescos, de Simões Lopes Neto. juramento sem remorsos, casando-se com José Manuel.
a) Em ―Trezentas onças‖, Blau Nunes conta um episódio vivido por ele, no b) A comadre forja uma calúnia para afastar do caminho José Manuel,
tempo em que tropeava, narrando que perdeu a guaica com as trezentas antagonista de Leonardo, visando à felicidade do afilhado.
onças do seu patrão, fato que o levou a pensar em suicídio.

Língua Portuguesa www.cursoprogressao.com.br 3122 - 13/43


c) O mestre-de-reza vale-se de sua intimidade junto à casa de D. Maria para "Já se vê que esta vida era trabalhosa e demandava sérios cuidados;
reverter a maledicência criada para denegrir José Manuel. porém a comadre dispunha de uma grande soma de atividade; e, apesar de
d) O patrimônio do compadre, que viria a servir de amparo ao afilhado gastar muito tempo nos deveres do ofício e na igreja, sempre lhe sobrara
abandonado, origina-se de um juramento rompido desonestamente. algum para empregar em outras coisas. Como dissemos, ela havia tomado
e) Leonardo Pataca expulsa de casa o próprio filho, para depois dar-lhe a peito a causa dos maiores de Leonardo com Luisinha, e jurar pôr José
abrigo, afastando-o da vida desregrada. Manuel, o novo candidato, fora da chapa." (capítulo XXV)
A postura inovadora do narrador expressa-se no trecho transcrito por
87.Em relação à obra Memórias de um Sargento de Milícias, marque a meio da:
alternativa correta: a) inclusão do leitor na narrativa.
a) O tempo dos acontecimentos que envolvem Leonardo Pataca e seu filho, b) oscilação do foco narrativo.
Leonardo, é c) adoção de linguagem coloquial.
o mesmo em que o narrador escreve o romance. d) ironia e crítica indisfarçável.
b) A linguagem do romance é bem romântica, idealizando muito e sempre e) expressão de julgamentos de valor.
os fatos que se
revelam sob um prisma enaltecedor. 91.Leiamos um trecho da obra Memórias de um sargento de milícias:
c) A instituição familiar, especialmente, a família composta por Leonardo As vozes dos meninos, juntas ao canto dos passarinhos, faziam uma
Pataca, Maria e o herói da narrativa é sobretudo burguesa, ordeira e sólida. algazarra de doer os ouvidos; o mestre, acostumado àquilo, escutava
d) A Igreja, sobretudo a Católica, passa por um processo de idealização, impassível, com uma enorme palmatória na mão, e o menor erro que algum
emergindo como instituição inabalável, piedosa e principalmente voltada dos discípulos cometia não lhe escapava no meio de todo o barulho; fazia
para a vida espiritual. parar o canto, chamava o infeliz, emendava cantando o erro cometido, e
e) O cotidiano fluminense, simultaneamente devoto e profano, revela-se a cascava-lhe pelo menos seis puxados bolos. Era o regente da orquestra
partir de uma linguagem prosaica em que as festas religiosas são pintadas ensinando a marcar o compasso. O compadre expôs, no meio do ruído, o
em parte como folias carnavalescas. objeto de sua visita, e apresentou o pequeno ao mestre.
(...)
Na segunda-feira voltou o menino armado com a sua competente pasta a
88 Indique a alternativa que se refere corretamente ao protagonista tiracolo, a sua lousa de escrever e o seu tinteiro de chifre; o padrinho o
de Memórias de um Sargento de Milícias, de Manuel Antônio de acompanhou até a porta. Logo nesse dia portou-se de tal maneira que o
Almeida: mestre não se pôde dispensar de lhe dar quatro bolos, o que lhe fez perder
a) Ele é uma espécie de barro vital, ainda amorfo, a que o prazer e o medo toda a folia com que entrara: declarou desde esse instante guerra viva à
vão mostrando os caminhos a seguir, até sua transformação final em escola. Ao meio-dia veio o padrinho buscá-lo, e a primeira notícia que ele
símbolo sublimado. lhe deu foi que não voltaria no dia seguinte, nem mesmo aquela tarde.
b) Enquanto cínico, calcula friamente o carreirismo matrimonial; mas o - Mas você não sabe que é preciso aprender?...
sujeito moral sempre emerge, condenando o próprio cinismo ao inferno da - Mas não é preciso apanhar... - Pois você já apanhou?... - Não foi nada,
culpa, do remorso e da expiação. não, senhor; foi porque entornei o tinteiro na calça de um menino que
c) A personalidade assumida de sátiro é a máscara de seu fundo lírico, estava ao pé de mim; o mestre ralhou comigo, e eu comecei a rir muito...
genuinamente puro, a ilustrar a tese da "bondade natural", adotada pelo A respeito da leitura do trecho acima e de seu conhecimento da obra,
autor. assinale a CORRETA:
d) Este herói de folhetim se dá a conhecer sobretudo nos diálogos, nos a) A obra concentra-se em narrar as aventuras infantis de Leonardinho na
quais revela ao mesmo tempo a malícia aprendida nas ruas e o idealismo escola.
romântico que busca ocultar. b) Como apontou Antonio Candido (crítico literário), nessa obra, o universo
e) Nele, como também em personagens menores, há o contínuo e divertido da ordem, que nessa passagem pode estar representado pela rigidez dos
esforço de driblar o acaso das condições adversas e a avidez de gozar os castigos do professor, mistura-se ao universo da desordem, nesse parágrafo
intervalos da boa sorte. simbolizado tanto pelo canto dos meninos em algazarra com o dos pássaros,
quanto pela presença de Leonardo na escola.
c) A obra apresenta uma crítica à família que se omitem em relação à
89 .Leia o trecho transcrito de Memórias de um sargento de milícias, de educação dos filhos e deixa essa tarefa para a escola.
Manuel Antônio de Almeida para responder ao teste. d) Na resposta de Leonardo (filho) ao padrinho: Não foi nada, não, senhor;
"Enquanto a comadre dispunha seu plano de ataque contra José Manuel, foi porque entornei o tinteiro na calça de um menino que estava ao pé de
Leonardo ardia em ciúmes, em raiva, e nada havia que o consolasse em mim; o mestre ralhou comigo, e eu comecei a rir muito... nota-se o respeito
seu desespero, nem mesmo as promessas de bom resultado que lhe faziam o que ele terá pelas instituições em toda a obra.
padrinho e a madrinha. O pobre rapaz via sempre diante de si a detestável e) Essa obra é representativa dos romances românticos brasileiros, uma vez
figura de seu rival a desconcertar-lhe todos os planos, a desvanecer-lhe que apresenta um herói religioso, honrado e moralmente impecável.
todas as esperanças. Nas horas de sossego entregava-se às vezes à
construção imaginária de magníficos castelos, castelos de nuvens, é 92.No início do livro Memórias de um Sargento de Milícias, o narrador
verdade, porém que lhe pareciam por instantes os mais sólidos do mundo; refere-se à honra e à respeitabilidade dos meirinhos (oficiais de
de repente surdia-lhe de um canto o terrível José Manuel com as justiça), negando-as posteriormente com fatos e atitudes que marcam a
bochechas inchadas; e soprando sobre a construção, a arrasava num personagem de Leonardo Pataca, o que denuncia, mais do que ideias
volver d'olhos." contraditórias, um posicionamento claramente irônico. Isso não ocorre
Assinale a alternativa incorreta a respeito do trecho transcrito: no trecho:
a) A cena pode ser considerada como mais um dos exemplos de a) “Espiar a vida alheia (…) era naquele tempo coisa tão comum e
mobilização que Leonardo provoca em seus protetores, os quais se dedicam enraizada nos costumes que, ainda hoje, (…) restam grandes vestígios
continuamente a resolver os problemas do herói. desse belo hábito.”;
b) Diferentemente de outras passagens, Leonardo comporta-se como um b) “Ao outro dia sabia-se por toda a vizinhança que a moça do Leonardo
herói romântico que se desestabiliza emocionalmente ao pensar no seu tinha fugido para Portugal com o capitão de um navio que partira na
rival. véspera de noite.
c) Os sonhos fantasiosos e apaixonados de Leonardo indicam o caráter — Ah! disse o compadre com um sorriso maligno, ao saber da notícia,
complexo do herói, pois, ainda que seja malandro, conserva a sensibilidade foram saudades da terra!…”;
romântica, quando se trata da disputa pela mulher amada. c) “— Honra!…honra de meirinho…ora!
d) O humor presente no trecho advém sobretudo do comportamento O vulcão de despeito que as lágrimas da Maria tinham apagado um pouco,
sentimental exagerado de Leonardo em contraste com o tom de deboche do borbotou de novo com este insulto, que não ofendia só um homem, porém
narrador. uma classe inteira!”;
e) O temor por José Manuel manifesta-se inclusive por meio dos sonhos de d) “O compadre, que se interpusera, levou alguns por descuido; afastou-se
Leonardo que, por estar apaixonado, revela-se frágil, vulnerável. pois a distância conveniente, murmurando despeitado por ver frustrados
seus esforços de conciliador:
— Honra de meirinho é como fidelidade de saloia.”;
90.A participação do narrador em Memórias de um sargento de e) “— Ó compadre, disse, você perdeu o juízo?...
milícias, de Manuel Antonio de Almeida, constitui um dos aspectos — Não foi o juízo, disse o Leonardo em tom dramático, foi a honra!…”.
mais arrojados da composição da obra, especialmente porque antecipa
tendências somente valorizadas muito mais tarde, pelos modernistas, 93. Era a sobrinha de Dona Maria já muito desenvolvida, porém que,
em 1922. tendo perdido as graças de menina, ainda não tinha adquirido a beleza de
Leia o trecho a seguir que confirma esse caráter inovador. moça: era alta, magra, pálida; andava com o queixo enterrado no peito,

Língua Portuguesa www.cursoprogressao.com.br 3122 - 14/43


trazia as pálpebras sempre baixas, e olhava a furto; tinha os braços finos e d) Manoel Antônio de Almeida satiriza neste livro a sociedade carioca dos
compridos; o cabelo, cortado, dava-lhe apenas até o pescoço, e como tempos joaninos, sem, contudo, utilizar um vocabulário baixo e de
andava mal penteada e trazia a cabeça sempre baixa, uma grande porção expressões censuráveis.
lhe caía sobre a testa e olhos, como uma viseira. e) A significativa presença de personagens populares, e pertencentes às
O trecho acima é do romance Memórias de um Sargento de Milícias, de classes intermediárias da sociedade, transforma a obra de Manoel Antônio
Manuel Antônio de Almeida. Dele pode afirmar-se que: de Almeida em precursora da estética realista.
a) confirma o padrão romântico da descrição da personagem feminina,
representada nesta obra por Luisinha. 98. O trecho transcrito abaixo pertence à obra Raízes do Brasil, de
b) exemplifica a afirmação de que o referido romance estava em Sérgio Buarque de Holanda, escrito em 1936, e se constitui em uma
descompasso com os padrões e o tom do Romantismo. análise histórico-sociológica da organização da sociedade brasileira.
c) não fere o estilo romântico de descrever e narrar, pois se justifica por seu “À frouxidão da estrutura social, à falta de hierarquia organizada devem-
caráter de transição da estética romântica para a realista. se alguns dos episódios mais singulares da história das nações hispânicas,
d) justifica, dentro do Romantismo, a caracterização sempre idealizada do incluindo-se nelas Portugal e Brasil. Os elementos anárquicos sempre
perfil feminino de suas personagens. frutificaram aqui facilmente, com a cumplicidade ou a indolência
e) insere-se na estética romântica, apesar das características negativas da displicente das instituições e costumes.”
personagem, que fazem dela legítima representante da dialética da Com base nas afirmações de Holanda, assinale a alternativa que
malandragem. estabelece a melhor correspondência com o romance Memórias de um
sargento de milícias, de Manuel Antônio de Almeida, escrito em 1853.
94. Memórias de um Sargento de Milícias é um romance escrito por a) Escrito no momento em que movimentos em prol da República cresciam
Manuel Antônio de Almeida. Considerando-o como um todo, indique a no Brasil, o romance faz uma crítica à estrutura social monárquica e
alternativa que NÃO confirma suas características romanescas: desorganizada e vê no regime republicano um modelo ideal a ser adotado
a) É um romance folhetim, já que saiu em fascículos no suplemento ―A no país.
Pacotilha‖, do jornal Correio Mercantil, que o publicava semanalmente b) Juntamente com a obra As minas de prata, de José de Alencar, também
entre 1852 e 1853. um autor romântico, o romance de Manuel Antônio de Almeida pode ser
b) Utiliza a língua falada sem reservas e com toda a dignidade e considerado um romance histórico, na medida em que faz um traçado da
naturalidade, o que confere à obra um caráter espontâneo e despretensioso. história do Brasil imperial, cuja desorganização social mostrava-se um
c) Enquadra-se fundamente na estética realista, opondo-se ao ideário reflexo da incapacidade político-administrativa da época.
romântico, particularmente no que concerne à construção da personagem c) Embora escrito durante o Romantismo, marcado pelas idealizações e
feminina e ao destaque dado às camadas mais populares da sociedade. pela visão eufórica da pátria, o romance de Manuel Antônio de Almeida
d) Reveste-se de comicidade, na linha do pitoresco, e desenvolve sátira apresenta um retrato fiel da elite dirigente brasileira do século XIX, cuja
saborosa aos costumes da época que atinge todas as camadas sociais. falta de estratégia na administração pública levava à anarquia social e de
e) Põe em prática a afirmação de que através do riso pode-se falar das valores, aspecto que o romance retrata com clareza na descrição das
coisas sérias da vida e instaurar a correção dos costumes. festas e no comportamento imoral das personagens.
d) Sendo uma obra de engajamento social, o romance critica a sociedade
95. Em Memórias de um sargento de milícias, considerado como um escravocrata brasileira do século XIX, ao mostrar o autoritarismo e a
todo, há uma forte caracterização dos tipos populares entre os quais crueldade da personagem D. Maria no tratamento rigoroso que dispensava
destaca-se a figura de Leonardo filho. Indique a alternativa que às suas escravas.
contém dados que caracterizam essa personagem: e) Ao narrar as peripécias do jovem Leonardo, o romance apresenta, com
a) Narrador das peripécias relatadas em forma de memórias, conforme vem olhar crítico e bem humorado, os costumes da sociedade brasileira da época
sugerido no título do livro, torna-se exemplo de ascensão das camadas de D. João VI, marcada por uma certa lassidão de valores, o que permitia às
sociais menos privilegiadas. personagens transitar pelo universo da ordem e da desordem, de acordo
b) Anti-herói, malandro e oportunista, espécie de pícaro pela bastardia e com as conveniências, o que reflete a falta de estruturação social do Brasil
ausência de uma linha ética de conduta. no século XIX.
c) Herói de um romance sem culpa, representa as camadas populares
privilegiadas dentro do mundo da ordem. 99. Considerando a narrativa de Memórias de um sargento de milícias, é
d) Representante típico da fina flor da malandragem, ajeita-se na vida, INCORRETO afirmar que a obra
porque protegido do Vidigal, permanece imune às sanções sociais e em a) se passa nas ruas e casebres do Rio de Janeiro, retratando de modo
momento algum é recolhido à cadeia. grotesco a sociedade carioca: as festas, batizados, procissões. É um
e) Herói às avessas que incorpora a exclusão social, porque, não tendo romance de costumes.
recebido amparo de nenhuma espécie, não alcança a patente das milícias e b) pode ser considerada como romance pré-realista, apresentando, contudo,
se priva de qualquer tipo de herança. vários pontos de contato com o Romantismo, como, por exemplo, o final
feliz.
96. Relacione personagens de “Memórias de um Sargento de Milícias”, c) possui foco narrativo em 1ª pessoa, com o narrador sendo figura de
de Manuel Antônio de Almeida, e características a que se referem: destaque e participando de inúmeras passagens.
d) apresenta uma linguagem marcada pelo tom coloquial, o linguajar do
(1) A cigana ( ) Detesta Leonardo Filho. povo, com as nuances típicas das "conversas das comadres, moleques,
soldados".
( ) Desperta paixões em Leonardo pai e no mestre de e) descreve as cenas com um toque de realismo e de documentário da vida
(2) O Major Vidigal
rezas. da época, incorporando costumes e acontecimentos do Rio de Janeiro.
(3) A vizinha do
( ) Adora demandas judiciais.
barbeiro 100. Em “Contos gauchescos”, de Simões Lopes Neto, há várias
(4) O mestre de ( ) É ridicularizado por Leonardo numa das estrepolias personagens provocantes. Dadas as falas abaixo, coluna A, indique as
rezas de sua infância. respectivas personagens, na coluna B.
Coluna A
(5) D. Maria ( ) É o único personagem histórico do livro.
( ) ―– Sempre és muito baixo!..., guampudo, por gosto!...‖
A relação CORRETA é: ( ) ―– Faz favor de entregar à mamãe, sim?!...‖
a) 3 – 1 – 5 – 4 – 2 b) 3 – 5 – 1 – 2 – 4 c) 3 – 4 – 5 – 1 – 2 ( ) ―– Ah! não!... Tire o senhor mesmo, a seu gosto...‖
d) 3 – 1 – 2 – 4 – 5 e) 3 – 5 – 4 – 2 –1 Coluna B
1. Tudinha
97. A respeito de Memórias de um Sargento de Milícias, assinale a 2. sia Talapa
afirmativa INCORRETA: 3. Lalica
a) A narrativa opõe-se ao modelo do romance romântico, sobretudo pela 4. Maria Altina
figura de seu protagonista, um herói-malandro que não pertence à ―classe Qual a alternativa que completa corretamente os parênteses, de cima
dominante‖. para baixo?
b) A obra é considerada um romance de costumes por descrever, com a) 3-1-4 b) 2-1-3 c) 3-4-1 d) 4-1-2 e) 3-1-2
fidelidade, os hábitos, as cenas e os lugares pitorescos do Rio de Janeiro da
época de D. João VI. 1. A 2. C 3. D 4. B 5. D 6. C 7. B 8. E 9. D 10. B 11. E 12. D 13. A
c) Luisinha, o eterno amor de Leonardo Filho, possui dotes físicos, morais e 14. C 15. C 16. E 17. C 18. A 19. D 20. E 21. B 22. A 23. B 24. D
culturais que a identificam como uma autêntica heroína romântica. 25. E 26. A 27. C 28. D 29. C 30. E 31. B 32. A 33. A 34. A 35. B
36. B 37. C 38. A 39. B 40. E 41. E 42. A 43. A 44. A 45. A 46. A
47. B 48. C 49. D 50. C 51. A 52. D 53. D 54. D 55. B 56. C 57. D

Língua Portuguesa www.cursoprogressao.com.br 3122 - 15/43


58. B 59. A 60 C 61 D 62 B 63 E 64 C 65 B 66 E 67 E 68 C 69 C 70 06. ( ) No inicio do século XIII, a intransigência religiosa arrasou a
D 71 E 72 E 73 B 74 E 75 E 76 A 77 C 78 E 79 C 80 B 81 D 82 D Provença e dispersou seus trovadores, mas
83 B 84 E 85 B 86 E 87 E 88 C 89 B 90 B 91 B 92 E 93 B 94 C 95 a lírica provençalesca já havia fecundado a poesia ocidental com a beleza
B 96 A 97 C 98 E 99 C 100 A melódica e a delicadeza
emocional de sua poesia-música, impondo uma nova concepção do amor e
TROVADORISMO, HUMANISMO, CLASSICISMO, LITERATURA DE da mulher.
INFORMAÇÃO, BARROCO E ARCADISMO
07. ( ) A canção associava o amor-elevação, puro, nobre, inatingível, ao
01. Assinale a afirmação falsa: amor dos sentidos, carnal, erótico; a
a) A cultura portuguesa, no século XII, conciliava três matrizes alegria da razão (o amor intelectual) à alegria dos sentidos.
contraditórias: a católica, a islâmica e a
hebraica. 08. ( ) A poesia lírica dos provençais teve seguidores na França, na Itália,
b) A cultura católica, técnica e literariamente superior às culturas islâmica e na Alemanha, na Catalunha, em
hebraica, impôs-se naturalmente Portugal e em outras regiões , onde também os temas folclóricos foram
desde os primórdios da formação de Portugal. beneficiados com a forma mais
c) A expulsão dos mouros e judeus e a Inquisição foram os aspectos mais culta e elaborada que os trovadores disseminaram.
dramáticos da destruição
sistemática que a cultura triunfante impôs às culturas opostas. 09. ( ) Foi o que ocorreu em Portugal e Galiza: a poesia primitiva, oral,
d) O judeu Maimônides e o islamista Averróis são expressões do que as autóctone, associada à musica e à
culturas dominadas produziram de coreografia e protagonizada por uma mulher, as chamadas cantigas de
mais significativo na Península Ibérica. amigo, passaram a se beneficiar
e) Pode-se dizer que a cultura portuguesa esteve desde seu início assentada do contato com uma arte mais rigorosa e mais consciente de seus meios de
na diversidade e na realização artística.
contradição, do que resultaram alguns de seus traços positivos
(miscibilidade, aclimatabilidade etc.) e 10. ( ) O primeiro trovador provençal foi Guilherme IX, da Aquitânia
negativos (tendência ao ceticismo quanto a idéias, desconfiança etc. (1071-1127). Bernart de Ventadorn e
Jaufre Rudel representam a poesia mais simples, facilmente inteligível;
02. Assinale a afirmação falsa sobre as cantigas de escárnio e mal dizer: Marcabru, Raimbaut d´Aurenga e
a) A principal diferença entre as duas modalidades satíricas está na especialmente Arnault Daniel representam a poesia mais elaborada, com
identificação ou não da pessoa atingida. imagens e associações
b) O elemento das cantigas de escárnio não é temático, nem está na inesperadas, capazes de encantar os mais rigorosos exegetas, de Dante
condição de se omitir a identidade do Alighieri a Ezra Pound.
ofendido. A distinção está no retórico do ―equívoco‖, da ambigüidade e da
ironia, ausentes na cantiga de 1 – b 2 – a 3 – b 4 – v 5 – v 6 – v 7 – v 8 – v 9 – v 10 - v
maldizer.
c) Os alvos prediletos das cantigas satíricas eram os comportamentos HUMANISMO - EXERCÍCIOS RESOLVIDOS
sexuais (homossexualidade, adultério, 01. Sobre o Humanismo, identifique a alternativa falsa:
padres e freiras libidinosos), as mulheres (soldadeiras, prostitutas, a) Em sentido amplo, designa a atitude de valorização do homem, de seus
alcoviteiras e dissimuladas), os atributos e realizações.
próprios poetas (trovadores e jograis eram freqüentemente ridicularizados), b) Configura-se na máxima de Protágoras: ―O homem é a medida de todas
a avareza, a corrupção e a as coisas‖.
própria arte de trovar. c) Rejeita a noção do homem regido por leis sobrenaturais e opõe-se ao
d) As cantigas satíricas perfazem cerca de uma quarta parte da poesia misticismo.
contida nos cancioneiros galego- d) Designa tanto uma atitude filosófica intemporal quanto um período
portugueses. Isso revela que a liberdade da linguagem e a ausência de especifico da evolução da cultura ocidental.
preconceito ou censura e) Fundamenta-se na noção bíblica de que o homem é pó e ao pó retornará,
(institucional, estética ou pessoal) eram componentes da vida literária no e de que só a transcendência liberta o homem de seu insignificância terrena.
período trovadoresco, antes de
a repressão inquisitorial atirá-las à clandestinidade. 02. Ainda sobre o Humanismo, assinale a afirmação incorreta:
e) Algumas composições satíricas do Cancioneiro Geral e algumas cenas a) Associa-se à noção de antropocentrismo e representou a base filosófica e
dos autos gilvicentinos revelam a cultural do Renascimento.
sobrevivência, já bastante atenuada, da linguagem livre e da violência b) Teve como centro irradiador a Itália e como precursor Dante Alighieri,
verbal dos antigos trovadores. Boccaccio e Petrarca.
c) Denomina-se também Pré-Renascentismo, ou Quatrocentismo, e
03. A língua portuguesa não é falada: corresponde ao século XV.
a) no arquipélago dos Açores e na Ilha da Madeira; d) Representa o apogeu da cultura provençal que se irradia da França para
b) em Gibraltar e nas Ilhas Canárias; os demais países, por meio dos trovadores e jograis.
c) no arquipélago de Cabo Verde, nas ilhas de São Tomé e Porto Príncipe, e) Retorna os clássicos da Antiguidade greco-latina como modelos de
na Guiné-Bissau em Angola e Verdade, Beleza e Perfeição.
em Moçambique;
d) em Macau e em dialetos crioulos de Goa, Damão, Sri Lanka (ex-Ceilao), 03. Sobre a poesia palaciana, assinale a alternativa falsa:
Java e Málaca; a) É mais espontânea que a poesia trovadoresca, pela superação da
e) no Timor Leste, parte oriental da ilha de Timor, próxima da Oceania, influência provençal, pela ausência de normas para a composição poética e
mas que os mapas geopolíticos pelo retorno á medida velha.
atuais incorporam ao Sudeste Asiático. b) A poesia, que no trovadorismo era canto, separa-se da música, passando
a ser fala. Destina-se à leitura individual ou à recitação, sem o apoio de
Questões 04 e 05 - Assinale V (verdadeiro) e F para (falso) instrumentos musicais.
04. ( ) A Provença, região sul da França, chamada Langue d´Oc ou c) A diversidade métrica da poesia trovadoresca foi praticamente reduzida a
Languedo, foi o berço das primeiras duas medidas: os versos de 7 sílabas métricas (redondilhas menores).
manifestações de uma lírica sentimental, cortês, refinada, que fazia da d) A utilização sistemática dos versos redondilhas denominou-se medida
mulher o santuário de sua velha, por oposição à medida nova, denominação que recebemos os versos
inspiração poética e musical. decassílabos, trazidos da Itália por Sá de Miranda, em 1527.
e) A poesia palaciana foi compilada em 1516, por Garcia de Resende, no
05. ( ) Enquanto no sul da Europa, nas proximidades do Mediterrâneo, Cancioneiro Geral, antologia que reúne 880 composições, de 286 autores,
alastrava-se o lirismo trovadoresco, dos quais 29 escreviam em castelhano. Abrange a produção poética dos
voltado para a exaltação do amor, para a vassalagem amorosa, no norte reinados de D. Afonso V (1438-1481), de D. João II (1481-1495) e de D.
predominava o espírito Manuel I – O Venturoso (1495-1521).
guerreiro, épico, que celebrava nas canções de gesta o heroísmo da
cavalaria medieval. 04. O Cancioneiro Geral não contém:
a) Composições com motes e glosas.
Questões 06 a 10 - Assinale V (verdadeiro) ou F (falso) b) Cantigas e esparsas.

Língua Portuguesa www.cursoprogressao.com.br 3122 - 16/43


c) Trovas e vilancetes.
d) Composições na medida velha. QUINHENTISMO – LITERATURA INFORMATIVA
e) Sonetos e canções.
1. As primeiras manifestações literárias que se registram na Literatura
05. A obra de Fernão Lopes tem um caráter: Brasileira referem-se a:
a) Puramente científico, pelo tratamento documental da matéria histórica; a) Literatura informativa sobre o Brasil (crônica) e literatura didática,
b) Essencialmente estético pelo predomínio do elemento ficcional; catequética (obra dos jesuítas).
c) Basicamente histórico, pela fidelidade à documentação e pela b) Romances e contos dos primeiros colonizadores.
objetividade da linguagem científica; c) Poesia épica e prosa de ficção.
d) Histórico-literário, aproximando-se do moderno romance histórico, pela d) Obras de estilo clássico, renascentista.
fusão do real com o imaginário. e) Poemas românticos indianistas.
e) Histórico-literário, pela seriedade da pesquisa histórica, pelas qualidades
do estilo e pelo tratamento literário, que reveste a narrativa histórica de um 02. A literatura de informação corresponde às obras:
tom épico e compõe cenas de grande realismo plástico, além do domínio da a) barrocas;
técnica dramática de composição. b) arcádicas;
c) de jesuítas, cronistas e viajantes;
06. (FUVEST) Aponte a alternativa correta em relação a Gil Vicente: d) do Período Colonial em geral;
a) Compôs peças de caráter sacro e satírico. e) n.d.a.
b) Introduziu a lírica trovadoresca em Portugal.
c) Escreveu a novela Amadis de Gaula. 03. Qual das afirmações não corresponde à Carta de Caminha?
d) Só escreveu peças e português. a) Observação do índio como um ser disposto à catequização.
e) Representa o melhor do teatro clássico português. b) Deslumbramento diante da exuberância da natureza tropical.
c) Mistura de ingenuidade e malícia na descrição dos índios e seus
07. (FUVEST-SP) Caracteriza o teatro de Gil Vicente: costumes.
a) A revolta contra o cristianismo. d) Composição sob forma de diário de bordo.
b) A obra escrita em prosa. e) Aproximações barrocas no tratamento literário e no lirismo das
c) A elaboração requintada dos quadros e cenários apresentados. descrições.
d) A preocupação com o homem e com a religião.
e) A busca de conceitos universais. 04. (UNISA) A ―literatura jesuíta‖, nos primórdios de nossa história:
a) tem grande valor informativo;
08. (FUVEST-SP) Indique a afirmação correta sobre o Auto da Barca do b) marca nossa maturação clássica;
Inferno, de Gil Vicente: c) visa à catequese do índio, à instrução do colono e sua assistência
religiosa e moral;
a) É intricada a estruturação de suas cenas, que surpreendem o público com d) está a serviço do poder real;
a inesperado de cada situação. e) tem fortes doses nacionalistas.
b) O moralismo vicentino localiza os vícios, não nas instituições, mas nos
indivíduos que as fazem viciosas. 05. A importância das obras realizadas pelos cronistas portugueses do
c) É complexa a critica aos costumes da época, já que o autor primeiro a século XVI e XVII é:
relativizar a distinção entre Bem e o Mal. a) determinada exclusivamente pelo seu caráter literário;
d) A ênfase desta sátira recai sobre as personagens populares mais b) sobretudo documental;
ridicularizadas e as mais severamente punidas. c) caracterizar a influência dos autores renascentistas europeus;
e) A sátira é aqui demolidora e indiscriminada, não fazendo referência a d) a deterem sido escritas no Brasil e para brasileiros;
qualquer exemplo de valor positivo. e) n.d.a.

09. (FUVEST-SP) Diabo, Companheiro do Diabo, Anjo, Fidalgo, 06. Anchieta só não escreveu:
Onzeneiro, Parvo, Sapateiro, Frade, Florença, Brísida Vaz, Judeu,
Corregedor, Procurador, Enforcado e Quatro Cavaleiros são personagens do a) um dicionário ou gramática da língua tupi;
Auto da Barca do Inferno, de Gil Vicente. b) sonetos clássicos, à maneira de Camões, seu contemporâneo;
Analise as informações abaixo e selecione a alternativa incorreta cujas c) poesias em latim, portugueses, espanhol e tupi;
características não descrevam adequadamente a personagem. d) autos religiosos, à maneira do teatro medieval;
a) O Onzeneiro idolatra o dinheiro, é agiota e usurário; de tudo que juntara, e) cartas, sermões, fragmentos históricos e informações.
nada leva para a morte, ou melhor, leva a bolsa vazia.
b) O Frade representa o clero decadente e é subjugado por suas fraquezas: 07. São características da poesia do Padre José de Anchieta:
mulher e esporte; leva a amante e as armas de esgrima. a) a temática, visando a ensinar os jovens jesuítas chegados ao Brasil;
c) O Diabo, capitão da barca do inferno, é quem apressa o embarque dos b) linguagem cômica, visando a divertir os índios; expressão em versos
condenados; é dissimulado e irônico. decassílabos, como a dos poetas
d) O Anjo, capitão da barca do céu, é quem elogia a morte pela fé; é austero clássicos do século XVI;
e inflexível. c) temas vários, desenvolvidos sem qualquer preocupação pedagógica ou
e) O Corregedor representa a justiça e luta pela aplicação integra e exata catequética;
das leis; leva papéis e processos. d) função pedagógica; temática religiosa; expressão em redondilhas, o que
permitia que fossem cantadas
10. Leia com atenção o fragmento do Auto da Barco do Inferno, de Gil ou recitadas facilmente.
Vicente: e) n.d.a.
Parvo - - Hou, homens dos breviários,
Rapinastis coelhorum 09. (UNIV. FED. DE SANTA MARIA) Sobre a literatura produzida no
Et pernis perdigotorum primeiro século da vida colonial brasileira, é
E mijais nos campanários. correto afirmar que:
a) É formada principalmente de poemas narrativos e textos dramáticos que
Não é correto afirmar sobre o texto: visavam à catequese.
a) As falas do Parvo, como esta, sempre são repletas de gracejos e de b) Inicia com Prosopopéia, de Bento Teixeira.
palavrões, com intenção satírica. c) É constituída por documentos que informam acerca da terra brasileira e
b) Nesta fala, o Parvo está denunciando a corrupção do Juiz e do pela literatura jesuítica.
Procurador. d) Os textos que a constituem apresentam evidente preocupação artística e
c) O latim que aparece na passagem é exemplo de imitação paródia dessa pedagógica.
língua. e) Descreve com fidelidade e sem idealizações a terra e o homem, ao relatar
d) Por meio de seu latim, o Parvo afasta-se de seu simplicidade, mostrando- as condições encontradas no
se conhecedor de outra línguas. Novo Mundo.
e) Ao misturar um falso latim com palavrões, Gil Vicente demonstra a
natureza popular de seu teatro e de seus canais de expressão. 10. (UFV) Leia a estrofe abaixo e faça o que se pede:

1 – e 2 – d 3 – a 4 – e 5 – e 6 – a 7 – d 8 – b 9 – e 10 – d Dos vícios já desligados

Língua Portuguesa www.cursoprogressao.com.br 3122 - 17/43


nos pajés não crendo mais, Mas ai, que andou Amor em ti prudente!
nem suas danças rituais,
nem seus mágicos cuidados. Pois para temperar a tirania,
(ANCHIETA, José de. O auto de São Lourenço [tradução e adaptação de como quis que aqui fosse a neve ardente,
Walmir Ayala] Rio de Janeiro: Ediouro[s.d.]p. 110) permitiu parecesse a chama fria.

Assinale a afirmativa verdadeira, considerando a estrofe acima, O texto pertencente a Gregório de Matos e apresenta todas seguintes
pronunciada pelos meninos índios em características:
procissão: a) Trocadilhos, predomínio de metonímias e de símiles, a dualidade
a) Os meninos índios representam o processo de aculturação em sua temática da sensualidade e do refreamento, antíteses claras dispostas em
concretude mais visível, como ordem direta.
produto final de todo um empreendimento do qual participaram com igual b) Sintaxe segundo a ordem lógica do Classicismo, a qual o autor buscava
empenho a Coroa imitar, predomínio das metáforas e das antíteses, temática da fugacidade do
Portuguesa e a Companhia de Jesus. tempo e da vida.
b) A presença dos meninos índios representa uma síntese perfeita e acabada c) Dualidade temática da sensualidade e do refreamento, construção
daquilo que se convencionou sintática por simétrica por simetrias sucessivas, predomínio figurativo das
chamar de literatura informativa. metáforas e pares antitéticos que tendem para o paradoxo.
c) Os meninos índios estão afirmando os valores de sua própria cultura, ao d) Temática naturalista, assimetria total de construção, ordem direta
mencionar as danças rituais e predominando sobre a ordem inversa, imagens que prenunciam o
as magias praticadas pelos pajés. Romantismo.
d) Os meninos índios são figura alegóricas cuja construção como e) Verificação clássica, temática neoclássica, sintaxe preciosista evidente
personagens atende a todos os requintes no uso das síntese, dos anacolutos e das alegorias, construção assimétrica.
da dramaturgia renascentista.
e) Os meninos índios representam a revolta dos nativos contra a catequese 05. A respeito de Gregório de Matos, assinale a alternativa, incorreta:
trazida pelos jesuítas, de quem a) Alguns de seus sonetos sacros e líricos transpõem, com brilho, esquemas
querem libertar-se tão logo seja possível. de Gôngora e de Quevedo.
b) Alma maligna, caráter rancoroso,relaxado por temperamento e costumes,
1 – a 2 – c 3 – e 4 – c 5 – b 6 – b 7 – d 9 – c 10 - a verte fel em todas as suas sátiras.
c) Na poesia sacra, o homem não busca o perdão de Deus; não existe o
Questões: sentimento de culpa, ignorando-se a busca do perdão divino.
01. (UNIV. CAXIAS DO SUL) Escolha a alternativa que completa de d) As suas farpas dirigiam-se de preferência contra os fidalgos caramurus.
forma correta a frase abaixo: e) A melhor produção literária do autor é constituída de poesias líricas, em
que desenvolve temas constantes da estática barroca, como a
A linguagem ______, o paradoxo, ________ e o registro das impressões transitoriedade da vida e das coisas.
sensoriais são recursos lingüísticos presentes na poesia ________.
Texto para as questões 06 a 08
a) simples; a antítese; parnasiana.
b) rebuscada; a antítese; barroca. À INSTABILIDADE DAS COUSAS DO MUNDO
c) objetiva; a metáfora; simbolista.
d) subjetiva; o verso livre; romântica. Nasce o Sol, e não dura mais que um dia,
e) detalhada; o subjetivismo; simbolista. Depois da Luz se segue a noite escura,
Em tristes sombras morre a formosura,
02. (MACKENZIE-SP) Assinale a alternativa incorreta: Em continuas tristezas a alegrias,
a) Na obra de José de Anchieta, encontram-se poesias que seguem a
tradição medieval e textos para teatro com clara intenção catequista. Porém, se acaba o Sol, por que nascia?
b) A literatura informativa do Quinhentismo brasileiro empenha-se em Se é tão formosa a Luz, por que não dura?
fazer um levantamento da terra, daí ser predominantemente descritiva. Como a beleza assim se transfigura?
c) A literatura seiscentista reflete um dualismo:o ser humano dividido entre Como o gosto, da pena assim se fia?
a matéria e o espírito, o pecado e o perdão.
d) O Barroco apresenta estados de alma expressos através de antíteses, Mas no Sol, e na Luz falte a firmeza,
paradoxos, interrogações. Na formosura não se dê constância,
e) O conceptismo caracteriza-se pela linguagem rebuscada, culta, E na alegria, sinta-se triste.
extravagante, enquanto o cultismo é marcado pelo jogo de idéias, seguindo Começa o Mundo enfim pela ignorância
um raciocínio lógico, racionalista. A firmeza somente na inconstância.

03. Com referência ao Barroco, todas as alternativas são corretas, exceto: 06. No texto predominaram as imagens:
a) O Barroco estabelece contradições entre espírito e carne, alma e corpo, a) olfativas;
morte e vida. b) gustativas;
b) O homem centra suas preocupações em seu próprio ser, tendo em mira c) auditivas;
seu aprimoramento, com base na cultura greco-latina. d) táteis;
c) O Barroco apresenta, como característica marcante, o espírito de tensão, e) visuais.
conflito entre tendências opostas: de um lado, o teocentrismo medieval e,
de outro, o antropocentrismo renascentista. 07. A idéia central do texto é:
d) A arte barroca é vinculada à Contra-Reforma. a) a duração efêmera de todas as realidades do mundo;
e) O barroco caracteriza-se pela sintaxe obscura, uso de hipérbole e de b) a grandeza de Deus e a pequenez humana;
metáforas. c) os contrastes da vida;
d) a falsidade das aparências;
04. (VUNESP) e) a duração prolongada do sofrimento.

Ardor em firme coração nascido; 08. Qual é o elemento barroco mais característico da 1ª estrofe?
pranto por belos olhos derramado; a) disposição antitética da frase;
incêndio em mares de água disfarçado; b) cultismo;
rio de neve em fogo convertido: c) estrutura bimembre;
d) concepção teocênctrica;
tu, que em um peito abrasas escondido; e) estrutura correlativa, disseminativa e recoletiva.
tu, que em um rosto corres desatado;
quando fogo, em cristais aprisionado; 09. (SANTA CASA) A preocupação com a brevidade da vida induz o poeta
quando crista, em chamas derretido. barroco a assumir uma atitude que:
a) descrê da misericórdia divina e contesta os valores da religião;
Se és fogo, como passas brandamente, b) desiste de lutar contra o tempo, menosprezando a mocidade e a beleza;
se és fogo, como queimas com porfia? c) se deixa subjugar pelo desânimo e pela apatia dos céticos;

Língua Portuguesa www.cursoprogressao.com.br 3122 - 18/43


d) se revolta contra os insondáveis desígnios de Deus;
e) quer gozar ao máximo seus dias, enquanto a mocidade dura. 07. Poema satírico sobre os desmando administrativos e morais imputados
a Luís da Cunha Menezes, que governou
10. (UEL) Identifique a afirmação que se refere a Gregório de Matos: a Capitania das Minas de 1783 e 1788:
a) No seu esforço da criação a comédia brasileira, realiza um trabalho de a) Marília de Dirceu
crítica que encontra seguidores no Romantismo e mesmo no restante do b) Vila Rica
século XIX. c) Fábula do Ribeirão do Carmo
b) Sua obra é uma síntese singular entre o passado e o presente: ainda tem d) Caras Chilenas
os torneios verbais do Quinhentismo português, mas combina-os com a e) O Uruguai
paixão das imagens pré-românticas.
c) Dos poetas arcádicos eminentes, foi sem dúvida o mais liberal, o que 08. Em seu poema épico, tenta conciliar a louvação do Marquês de Pombal
mais claramente manifestou as idéias da ilustração francesa. e o heroísmo do índio. Afasta-se do
d) Teve grande capacidade em fixar num lampejo os vícios, os ridículos, os modelo de Os Lusíadas e emprega como maravilhoso o fetichismo
desmandos do poder local, valendo-se para isso do engenho artificioso que indígena.
caracteriza o estilo da época. São heróis desse poema:
e) Sua famosa sátira à autoridade portuguesa na Minas do chamado ciclo do a) Cacambo, Lindóia, Moema
ouro é prova de que seus talento não se restringia ao lirismo amoroso. b) iogo Álvares Correia, Paraguaçu, Moema
c) Diogo Álvares Correia, Paraguaçu, Tanajura
Resolução: d) Cacambo, Lindóia, Gomes Freira de Andrade
01 - B 02 - E 03 - B 04 - C 05 – D 06 - E 07 - A 08 - A 09 - E 10 – D e) n.d.a.

ARCADISMO 09. (ITA) Uma das afirmações abaixo é incorreta. Assinale-a:


a) O escritor árcade reaproveita os seres criados pela mitologia greco-
01. Assinale o que não se refere ao Arcadismo: romana, deuses e entidades pagãs. Mas
a) Época do Iluminismo (século XVIII) – Racionalismo, clareza, esses mesmos deuses convivem com outros seres do mundo cristão.
simplicidade. b) A produção literária do Arcadismo brasileiro constitui-se sobretudo de
b) Volta aos princípios clássicos greco-romanos e renascentistas (o belo, o poesia, que pode ser lírico-amorosa,
bem, a verdade, a perfeição, a épica e satírica.
imitação da natureza). c) O árcade recusa o jogo de palavras e as complicadas construções da
c) Ornamentação estilística, predomínio da ordem inversa, excesso de linguagem barroca, preferindo a
figuras. clareza, a ordem lógica na escrita.
d) Pastoralismo, bucolismo suaves idílios campestres. d) O poema épico Caramuru, de Santa Rita Durão, tem como assunto o
e) Apóia-se em temas clássicos e tem como lema: inutilia truncat (―corta o descobrimento da Bahia, levado a
que é inútil‖). efeito por Diogo Álvares Correia, misto de missionários e colonos
português.
02. Indique a alternativa errada: e) A morte de Moema,índia que se deixa picar por uma serpente, como
a) Cultismo e conceptismo são as duas vertentes literárias do estilo barroco. prova de fidelidade e amor ao índio
b) O arcadismo afirmou-se em oposição ao estilo barroco. Cacambo, é trecho mais conhecido da obra O Uruguai, de Basílio da Gama.
c) O conceptismo correspondeu a um estilo fundado em ―agudezas‖ou
―sutilezas‖de pensamento, com 10. (ITA) Dadas as afirmações:
transições bruscas e associações inesperadas entre conceitos.
d) O cultismo correspondeu sobretudo a um jogo formal refinado, com uso I) O Uruguai, poema épico que antecipa em várias direções o Romantismo,
abundante de figuras de é motivado por dois propósitos
linguagem e verdadeiras exaltação sensorial na composição das imagens e indisfarçáveis: exaltação da política pombalina e antijesuitismo radical.
na elaboração sonora. II) O(A) autor(a) do poema épico Vila Rica, no qual exalta os bandeirantes
e) O Arcadismo tendeu à obscuridade, à complicação lingüística e ao e narra a história da atual Ouro
ilogismo. Preto, desde a sua fundação, cultivou a poesia bucólica, pastoril, na qual
menciona a natureza como refúgio.
Nos exercícios 3 e 4, assinale, em cada um, a(s) afirmação(ões) III) Em Marília de Dirceu, Marília é quase sempre um vocativo; embora
improcedente(s) sobre o Arcadismo. tenha a estrutura de um diálogo, a
(Podem ocorrer várias em cada exercício). obra é um monólogo – só Gonzaga fala, raciocina; constantemente cai em
contradição quanto à sua postura
03. A respeito da época em que surgiu o Arcadismo: de Spastor e sua realidade de burguês.
a) o século XVIII ficou conhecido como ―século das luzes‖;
b) os ―enciclopedistas‖construíram os alicerces filosóficos da Revolução Está(ão) Correta(s):
Francesa; a) Apenas I
c) o adiantamento cientifico é uma das marcas desta época histórica; b) Apenas II
d) a burguesia conhece, então, acentuado declínio em seu prestígio; c) Apenas I e II
e) em O Contrato Social, Rousseau aborda a origem da Autoridade. d) Apenas I e III
e) Todas
04. Quanto à linguagem árcade:
a) prefere a ordem indireta, tal como no latim literário; 1 – c 2 – e 3 – d 4 – a, b, d 5 – d 6 – d 7 – d 8 – d 9 – e 10 – d
b) tornou-se artificial, pedante, inatural;
c) procura o comedimento, a impessoalidade, a objetividade; 1. (USP) O índio, em alguns romances de José de Alencar,
d) manteve as ousadias expressionais do Barroco; como Iracema e Ubirajara, é:
e) promove um retorno às ―virtudes clássicas‖da clareza, da simplicidade e
da harmonia.
a. retratado com objetividade, numa perspectiva rigorosa e
científica.
05. Entre os escritores mais conhecidos do ―Grupo Mineiro‖, estão:
a) Silva Alvarenga, Mário de Andrade, Menotti del Picchia.
b) Santa Rida Durão, Cecília Meireles, Tomás Antônio Gonzaga. b. idealizado sobre o pano de fundo da natureza, da qual é o herói
c) Basílio da Gama, Paulo Mendes Campos, Alvarenga Peixoto. épico.
d) Cláudio Manuel da Costa, Tomás Antônio Gonzaga, Alvarenga Peixoto.
e) Alvarenga Peixoto, Fernando Sabino, Cláudio Manuel da Costa. c. pretexto episódico para descrição da natureza.

06. Qual a alternativa que apresenta uma associação errada?


d. visto com o desprezo do branco preconceituoso, que o considera
a) Barroco / Contra-Reforma. inferior.
b) Arcadismo / Iluminismo
c) Romantismo / Revolução Industrial.
d) Arcadismo / Anti-Classicismo e. representado como um primitivo feroz e de maus instintos.
e) Arcadismo / Racionalismo

Língua Portuguesa www.cursoprogressao.com.br 3122 - 19/43


5. (PUC-SP) Na frase "(...) se eu não compusesse este capítulo, padeceria o
(PUC)
leitor um forte abalo, assaz danoso ao efeito do livro", os elementos
sublinhados denotam referência a, respectivamente:
Os exercícios 2 a 7 referem-se aos dois capítulos transcritos.
a. canal, emissor, receptor
"Capítulo CXXIV
VÁ DE INTERMÉDIO b. emissor, contato, canal
Que há entre a vida e a morte? Uma curta ponte. Não obstante, se eu não
compusesse este capítulo, padeceria o leitor um forte abalo, assaz danoso c. código, receptor, mensagem
ao efeito do livro. Saltar de um retrato a um epitáfio, pode ser real e
comum; o leitor, entretanto, não se refugia no livro, senão para escapar à d. código, receptor, canal
vida. Não digo que este pensamento seja meu; digo que há dose de verdade,
e que, ao menos, a forma é pitoresca. E, repito: não é meu."
e. emissor, receptor, mensagem.
"Capítulo CXXV
EPITÁFIO 6. (PUC-SP) "O leitor, entretanto, não se refugia no livro senão para
escapar à vida." Nesta frase cria-se uma constelação de alusões diretas, ou
AQUI JAZ indiretas, em vários níveis. Qual delas você considera a menos viável neste
D. EULÁLIA DAMACENA DE BRITO romance?
MORTA
AOS DEZENOVE ANOS DE IDADE
ORAI POR ELA!" a. referência-antecipação à morte do próprio narrador no final do
livro.
2. (PUC-SP) Identifique e relacione obra e autor dos dois capítulos do
texto: b. referência ao morto-narrador.
1. Memórias Sentimentais de João Miramar.
2. Memórias Póstumas de Brás Cubas. c. referência à morte de Eulália.
3. Triste Fim de Policarpo Quaresma.

A. Lima Barreto d. referência ao caráter de ficção do romance.


B. Oswald de Andrade
C. Machado de Assis. e. referência à morte como presença constante no livro.

a. 3 e A. 7. (PUC-SP) O capítulo CXXV deve ser visto:

b. 1 e B.
a. muito mais como um ícone do que como discurso linear.
c. 2 e C.
b. em primeiro lugar como um fato surpreendente, totalmente
inesperado.
d. 1 e C.
c. somente como uma manifestação de pesar do narrador.
e. 2 e B.
d. de acordo com a leitura convencional de um romance, sem
3. (PUC-SP) O capítulo CXXV é, do ponto de vista de sua feitura: grandes surpresas ou novidades.

a. um capítulo perfeitamente romântico, por tratar do tema "morte". e. como a uma frase, mas numa sintaxe estranha.

a. um capítulo bastante adequado ao gênero romance, onde deve


sempre haver uma nova unidade de trama. (OSEC) Os trechos I, II e III referem-se às questões 8 a 10.

b. um tanto inusitado neste romance que se enquadra perfeitamente I - "Passaram-se semanas, Jerônimo agora, todas as manhãs tomava uma
na norma estabelecida. xícara de café bem grosso, à moda da Ritinha e tragava dois dedos de parati
"pra cortar a friagem".
c. perfeitamente cabível neste romance, pelo seu tom trágico. Uma transformação, lenta e profunda, operava-se nele, dia a dia, hora a
hora, reviscerando-lhe o corpo e alando-lhe os sentidos, num trabalho
misterioso e surdo de crisálida. A sua energia afrouxava lentamente: fazia-
d. um momento de rompimento do padrão romanesco, pelo seu
se contemplativo e amoroso. A vida americana e a natureza do Brasil
aspecto anti-narrativo.
patenteavam-lhe agora aspectos imprevistos e sedutores que o comoviam;
esquecia-se dos seus primitivos sonhos de ambição, para idealizar
4. (PUC-SP) No romance como um todo, as repetidas interrupções para felicidades novas, picantes e violentas; tornava-se liberal, imprevidente e
considerações como essas que são feitas no Cap. CXXIV referindo-se ao franco, mais amigo de gastar que de guardar, adquiria desejos, tomava
narrar, ao leitor, ao narrador, revelam: gosto aos prazeres, e volvia-se preguiçoso, resignando-se, vencido, às
imposições do sol e do calor, muralha de fogo com que o espírito
eternamente revoltado do último tambor entrincheirou a pátria contra os
a. um imperfeito domínio da técnica narrativa.
conquistadores aventureiros."
II -"O que estou é velho. Cinqüenta anos pelo São Pedro. Cinqüenta anos
b. uma técnica que sempre fez parte das normas de composição do perdidos, cinqüenta anos gastos sem objetivo, a maltratar-me e a maltratar
romance, independentemente da época. os outros. O resultado é que endureci, calejei, e não é um arranhão que
penetra esta casca espessa e vem ferir cá dentro a sensibilidade embotada.
c. uma "inauguração", na literatura brasileira, do moderno Cinqüenta anos! Quantas horas inúteis! Consumir-se uma pessoa a vida
romance, contrariando inclusive as principais normas narrativas; inteira sem saber para quê! Comer e dormir como um porco! Como um
porco! Levantar-se cedo todas as manhãs e sair correndo, procurando
comida! E depois guardar comida para os filhos, para os netos, para muitas
d. uma técnica muito usada pelos escritores da época romântica,
gerações. Que estupidez! Que porcaria! Não é bom vir o diabo e levar tudo?
relegada depois a segundo plano.
Sol, chuva, noites de insônia, cálculos, combinações, violências, perigos e
nem sequer me resta a ilusão de ter realizado obra proveitosa."
e. uma técnica já superada, mesmo na época romântica.

Língua Portuguesa www.cursoprogressao.com.br 3122 - 20/43


III- "Seguia-se a Paula, uma cabocla velha, meio idiota, a quem 12. (SANTA CASA) "O poeta acorda na terra. Demais, o poeta é homem.
respeitavam todos pelas virtudes de que só ela dispunha para benzer "Homo sum", como dizia o célebre Romano. Vê, ouve, sente, e, o que é
erisipelas e cortar febres por meio de rezas e feitiçarias. Era extremamente mais, sonha de noite as belas visões palpáveis de acordado. Tem nervos,
feia, grossa, triste com olhos desvairados, dentes cortados à navalha, tem fibra e tem artérias – isto é, antes e depois de ser um ente idealista, é
formando ponta, como dentes de cão, cabelos lisos, escorridos e ainda um ente que tem corpo. E, digam o que quiserem, sem esses elementos, que
retintos apesar da idade. Chamavam-lhe "Bruxa". sou o primeiro a reconhecer muito prosaicos, não há poesia".
Com essas palavras, o poeta romântico Álvares de Azevedo valoriza o lado
8. (OSEC) Pelo tratamento dado às personagens pode-se dizer que: material do ser humano, deixando perceber concepções estéticas que
poderiam ser consideradas precursoras da corrente literária:
a. texto I é romântico, o II é moderno e o III é naturalista.
a. clássica
b. Os textos I e III são naturalistas e o II é moderno.
b. barroca
c. Os textos I e II são modernos e o III é naturalista.
c. arcádica
d. Os textos I e II são modernos e o III é romântico.
d. naturalista
e. Os textos I e III são modernos e o II é romântico.
e. simbolista

9. (OSEC) Percebe-se a personagem em conflito com os valores do seu 13. (SANTA CASA) "A primeira que se pôs a lavar foi a Leandra, por
mundo: alcunha a "Machona", portuguesa feroz, berradora, pulsos cabeludos e
grossos, anca de animal do campo".
O texto permite afirmar que:
a. somente no trecho I.

b. nos trechos I e II. a. naturalismo e o realismo, a fim de evidenciarem as mazelas do


tempo, deram ênfase à análise do comportamento psicológico.
c. somente no trecho II.
b. a prosa romântica pautou-se por uma visão mecanicista do
homem e das relações humanas.
d. nos trechos I e III.
c. realismo caracterizou a realidade por meio da metáfora elegante,
e. nos trechos II e III. da ironia, de um cinismo penetrante e refinado.

d. romantismo, incorporando elementos populares e prosaicos,


10. (OSEC) O texto II pertence a:
idealizou a força física e a pujança moral do povo.

a. Graciliano Ramos. e. a estética naturalista realça certos pormenores do quadro,


modificando o equilíbrio entre as partes que o compõem.
b. José Lins do Rego.
14. (UEL) Assinale a alternativa que completa adequadamente a asserção:
c. José de Alencar. O Romantismo, graças à ideologia dominante e a um complexo conteúdo
artístico, social e político, caracteriza-se como uma época propícia ao
d. Aluísio Azevedo. aparecimento de naturezas humanas marcadas por

e. Jorge Amado. a. teocentrismo, hipersensibilidade, alegria, otimismo e crença.

11. (SANTA CASA) No conto "Um Homem Célebre", ocorre o b. etnocentrismo, insensibilidade, descontração, otimismo e crença
falecimento da esposa do Pestana, personagem central, compositor que não na sociedade.
logra concluir um réquiem para a missa da mulher. "Contentou-se da missa
rezada e simples, para ele só. Não se pode dizer se todas as lágrimas que c. egocentrismo, hipersensibilidade, melancolia, pessimismo,
lhe vieram sorrateiramente aos olhos foram do marido, ou se algumas eram angústia e desespero.
do compositor."
d. teocentrismo, insensibilidade, descontração, angústia e
Conforme o excerto lembra, na obra de Machado de Assis é comum que o
desesperança.
narrador:
e. egocentrismo, hipersensibilidade, alegria, descontração e crença
a. ponha em dúvida o significado aparente da realidade, muitas no futuro.
vezes enganoso.

15. (FUVEST)
b. interfira emocionalmente no texto, tornando-o dramático,
sentimentalista e ultra-romântico.
I
c. busque revelar a profunda hipocrisia e bondade que, a um Porque não merecia o que lograva,
tempo, caracterizam o comportamento dos seres humanos. Deixei, como ignorante, o bem que tinha,
Vim sem considerar aonde vinha,
Deixei sem atender o que deixava.
d. busque revelar o aspecto mais piedoso do caráter das II
personagens construindo uma narrativa eminentemente Se a flauta mal cadente
moralista. Entoa agora o verso harmonioso,
Sabei, me comunica este saudoso
e. construa um texto fortemente espiritualizado, em que importa Influxo a dor veemente;
pouco o significado material das ações. Não o gênio suave,
Que ouviste já no acento agudo e grave.

Língua Portuguesa www.cursoprogressao.com.br 3122 - 21/43


III a. apego ao equilíbrio na forma de expressão; presença do
Da delirante embriaguez de bardo nacionalismo, pela temática indianista e pela valorização da
sonhos em que afoguei o ardor da vida, natureza brasileira.
Ardente orvalho de febris pranteios,
Que lucro à alma descrita?" b. resistência aos exageros sentimentais e à forma de expressão
subordinada às emoções; visão da poesia a serviço de causas
Cada estrofe, a seu modo, trabalha o tema de um bem, de um amor sociais, como a escravidão.
almejado e passado ou perdido. Avaliando atentamente os recursos poéticos
utilizados em cada uma delas podemos dizer que os movimentos literários a
que pertencem I, II e III são respectivamente: c. expressão preocupada com o senso de medida; "mal do século";
natureza como amiga e confidente.

a. Barroco – Arcadismo – Romantismo. d. transbordamento na forma de expressão; valorização do índio


como típico homem nacional; apresentação da natureza como
b. Barroco – Romantismo – Parnasianismo. refúgio dos males do coração.

c. Romantismo – Parnasianismo – Simbolismo. e. expressão a serviço da manifestação dos estados de espírito mais
exagerados; sentimento profundo de solidão.
d. Romantismo – Simbolismo – Modernismo.

19 (UFJR) Marque a alternativa correta sobre a obra Amor de perdição, de


e. Parnasianismo – Simbolismo – Modernismo.
Camilo Castelo Branco:
16. (FUVEST) "Neste despropositado e inclassificável livro (...), não é que
se quebre, mas enreda-se o fio das histórias e das observações por tal modo, a. Trata-se de uma narrativa centrada na opressão da liberdade
que, bem o vejo e sinto, só com muita paciência se pode deslindar e seguir individual, opressão esta promovida por uma sociedade
em tão embaraçada meada". Eis como o autor vê sua obra, dentro da qual provinciana ligada a velhos preconceitos.
faz reflexões como esta: "o povo, o povo está são: os corruptos somos nós
os que cuidamos saber e ignoramos tudo." Trata-se da obra b. Estabelece-se na narrativa o conflito entre o indivíduo e o meio
social, com a conseqüente vitória do indivíduo através da
a. Portugal, de Miguel Torga. realização de seus objetivos.

b. Quincas Borba, de Machado de Assis. 20 (E. A. LAVRAS) "Vinha o passado e sentava-se num banco, tomando, a
fresca ou tomando o luar".
c. Os maias, de Eça de Queirós. O passado, com sua melancolia, seu saudosismo, sua ternura, seu
romantismo, não está presente na seguinte passagem do texto:
d. Vidas secas, de Graciliano Ramos.
a. "(...) esse laguinho e essa saudade da valsa de Ouro Preto".
e. Viagens na minha terra, de Almeida Garrett.
b. "Ah, como pisavam de leve na areia, com força em nossos
corações!"
17. (FUVEST)
c. "Na alameda elegante, moças desfilavam perante os rapazes, às
I - Autor que levava no palco a sociedade portuguesa da primeira metade quintas e domingos".
do século XVI, vivenciando, na expressão de Antônio José Saraiva, o
reflexo da crise. d. "(...) fontes bem luminosas na escuridão, e bem musicais em
II - Atuou na linha do teatro de costumes, associou o burlesco e o cômico meio à cacofonia geral".
em dramas e comédias ao retratar flagrantes da vida brasileira, do campo à
cidade. e. "Adeus, singelo espelho d'água da Praça, adeus, coreto histórico
sentimental dos seresteiros e das charangas caprichadas".
Os enunciados referem-se, respectivamente, aos teatrólogos:

21. (F.C.CHAGAS) "O critério de apresentação da obra, colocando em


a. Camilo Castelo Branco e José de Alencar. primeiro lugar a parte referente ao indígena, está de acordo com a busca do
exotismo que era moda na época.
b. Machado de Assis e Miguel Torga. "A moda que o juízo crítico acima transcrito menciona, a propósito da obra
A Viagem Pitoresca e Histórica ao Brasil, do pintor Jean-Baptiste Debret,
c. Gil Vicente e Nelson Rodrigues. era vigente no período ..... da literatura.

d. Gil Vicente e Martins Pena. a. barroco;

e. Camilo Castelo Branco e Nelson Rodrigues b. arcádico

c. romântico;
18. (PUCCAMP)
d. realista;
"Cantor das selvas, entre bravas matas
Áspero tronco da palmeira escolho, e. naturalista.
Unido a ele soltarei meu canto,
Enquanto o vento nos palmares zune,
Rugindo os longos, encontrados leques." 22. (USC) A respeito do Romantismo no Brasil, pode-se afirmar que:

Os versos acima, de Os Timbiras, de Gonçalves Dias, apresentam


características da primeira geração romântica: a. sua ação nacionalista deu origem às condições políticas que
propiciaram a nossa Independência;

Língua Portuguesa www.cursoprogressao.com.br 3122 - 22/43


b. coincidiu com o momento decisivo de definição da b. melancolia, tédio e ironia;
nacionalidade e colaborou para essa definição;
c. amor a Portugal, devaneio e idealização nacionalista;
c. espelhou sempre as influências estrangeiras, em nada
aproveitando os costumes e a cor locais; d. saudades, ânimo satírico e pessimismo;

d. foi decisivo para o amadurecimento dos sentimentos nativistas e. alívio, expectativa e otimismo.
que culminaram na Inconfidência Mineira;

26. (VUNESP) Baseando-se na leitura do texto de Álvares de Azevedo,


e. ganhou relevo apenas na poesia, talvez por falta de talentos no
assinale a única alternativa incorreta.
cultivo da ficção.
"Junto a meu leito, com as mãos unidas,
Olhos fitos no céu, cabelos soltos,
23. (F.C.CHAGAS) O movimento romântico, cujas origens estão na Pálida sombra de mulher formosa
Alemanha e na Inglaterra, adquiriu na literatura brasileira um reflexo Entre nuvens azuis pranteia orando.
extraordinário porque: É um retrato talvez. naquele seio
Porventura sonhei doiradas noites.
Talvez sonhando desatei sorrindo
a. nossas letras contavam, à época, com artistas do talento de um
Alguma vez nos ombros perfumados
Machado de Assis e de um Raul Pompéia;
Esses cabelos negros, e em delíquio
Nos lábios dela suspirei tremendo.
b. coincidiu com o momento decisivo de definição da nossa foi-se minha visão. E resta agora
nacionalidade e de valorização do nosso passado histórico; Aquela vaga sombra na parede
– Fantasma de carvão e pó cerúleo,
c. prosperavam, entre nós, os sentimentos nativistas elevados ao Tão vaga, tão extinta e fumarenta
mais alto plano estético, como demonstram os poemas "O Como de um sonho o recordar incerto."
Uruguai" e "Caramuru"; (AZEVEDO, Álvares de. VI Parte de "Idéias Íntimas". In: CÂNDIDO, A.
& CASTELLO, J. A. Presença da Literatura Brasileira, vol.II, São Paulo,
d. nosso complexo cultural de colonizadores encontrava na prosa Difusão Européia do Livro, 1968, p. 26).
intimista sua expressão mais adequada e natural;
Considerando os aspectos temáticos e formais do poema pode-se vinculá-lo
ao segundo momento do movimento romântico brasileiro, também
e. nossos homens de letras e de ciências criaram teorias em que se conhecido como "geração do spleen" ou "mal do século."
demonstrava a flagrante superioridade do pensamento anglo-
germânico sobre o de outros povos.
a. A presença da mulher amada torna-se o ponto central do poema.
Isso é claramente manifestado pelas recordações do eu-lírico,
24. (FUVEST) marcado por um passado vivido, que sempre volta em imagens e
I - "Ah! enquanto os destinos impiedosos sonhos.
Não voltam contra nós a face irada,
Façamos, sim façamos, doce amada,
b. texto reflete um articulado jogo entre o plano do imaginário e o
Os nossos breves dias mais ditosos
II -"É a vaidade, Fábio, nesta vida, plano real. Um dos elementos, entre outros, que articula essa
Rosa, que da manhã lisonjeada, contradição é a alternância dos tempos verbais presente/passado.
Púrpuras mil, com ambição dourada,
Airosa rompe, arrasta presumida." c. Realidade e fantasia tornam-se a única realidade no espaço da
III- "E quando eu durmo, e o coração ainda poesia lírica romântica, gênero privilegiado dentro desse
Procura na ilusão da lembrança, movimento.
Anjo da vida, passa nos meus sonhos
E meus lábios orvalha de esperança!" d. Apesar de utilizar decassílabo, esse poema possui o andamento
próximo ao da prosa. Esse aspecto formal é importante para
Associe os trechos acima com os respectivos movimentos literários, cujas intensificar certo prosaísmo intimista da poesia romântica.
características estão enunciadas abaixo.
Romantismo: evasão e devaneio na realização de um erotismo difuso.
Arcadismo: aproveitamento do momento presente ("carpe diem"). 27. (PUC) Considerado pela crítica brasileira o escritor mais bem dotado de
Barroco: efemeridade da beleza física, brevidade enganosa da vida.
sua geração, Álvares de Azevedo, além das poesias, deixou-nos que obra de

a. romantismo; II- arcadismo; III- barroco; prosa narrativa?

b. barroco; II- arcadismo; III- romantismo; a. Conde Lopo;

c. arcadismo; II- romantismo; III- barroco; b. Macário;

d. arcadismo; II- barroco; III- romantismo; c. espumas Flutuantes;

e. barroco; II- arcadismo; III- romantismo. d. Noite na Taverna;

25. (F.C.CHAGAS) e. Pedro Ivo.


"Em cismar, sozinho, à noite,
Mais prazer encontro eu lá; 28. (U.FORTALEZA)
Minha terra tem palmeiras "Eu deixo a vida como deixa o tédio
Onde canta o sabiá." Do deserto, o poento caminheiro
– Como as horas de um longo pesadelo
Nestes versos de Gonçalves Dias, escritos em Portugal, o poeta vive um Que se desfaz ao dobre de um sineiro."
momento marcado por
Os versos acima exemplificam:
a. solidão, devaneio e idealização nacionalista.

Língua Portuguesa www.cursoprogressao.com.br 3122 - 23/43


a. a utilização de metáforas grandiosas para expressar a indignação com o problema do escravo e entusiasmando-se com o progresso e a técnica
com as injustiças sociais que caracteriza a obra de Castro Alves; que já atingiam o meio rural. Esse último aspecto permite afirmar que
Castro Alves
b. a temática a procura da morte como solução para os problemas
da existência em que se encontra em Álvares de Azevedo; a. identifica-se aos poetas da segunda geração romântica no que se
refere à concepção da natureza como refúgio.
c. tratamento ao mesmo tempo irônico e lírico a que Carlos
Drummond de Andrade submete o cotidiano; b. afasta-se, nesse sentido, de outros poetas, como Fagundes
Varela, que o consideram o campo um antídoto para os males da
d. a presença da natureza como cenário para o encontro do pastor cidade;
com sua amada, como ocorre em Tomás Antônio Gonzaga;
c. trata a natureza da mesma forma que o poeta árcade que o
e. a exploração de ecos, assonâncias, aliterações em busca de uma antecedeu;
sonoridade válida por si mesma, como se vê na obra de Cruz e
Sousa. d. antecipa o comportamento do poeta parnasiano que se
entusiasma com a realidade exterior;
29. (F.C.CHAGAS) A poesia confessional e fantasia de Álvares de
Azevedo pertence a uma geração romântica situada entre a de e. idealiza a natureza da pátria, buscando preservar a sua
simplicidade e pureza, tal como Gonçalves Dias.
a. Gonçalves Dias e a de Cláudio Manuel da Costa
33. (AFA) O ideal de liberdade, preconizado por Cecília Meirelles em
b. Gonçalves de Magalhães e a de Gonçalves Dias; "Romanceiro da Inconfidência, repete, de certa forma, a temática da poesia
social de:
c. Castro Alves e a de Cruz e Sousa;
a. Castro Alves;
d. Gonçalves Dias e a de Castro Alves;
b. Fagundes Varela;
e. Cláudio Manuel da Costa e a de Tomás Antônio Gonzaga.
c. Casimiro de Abreu;
30. (FEI) Numere a coluna da esquerda, de acordo com a coluna da direita,
tendo em vista a poesia romântica brasileira: d. Álvares de Azevedo.
1. primeira geração
2. segunda geração "Agora, peço a você.
3. terceira geração Ó caboclo brasileiro,
( ) abolicionismo caboclo ainda cativo,
( ) condoreirismo ler o 'Navio Negreiro'
( ) autocomiseração exacerbada para ficar informado
( ) obsessão pela morte do passado cativeiro.
( ) indianismo Era um navio maldito,
( ) nacionalismo uma ave de rapina
voando a flor do oceano,
Agora, escolha a alternativa que apresenta a seqüência correta dos no bojo a gana a assassina
numerais: conduzia ouro humano:
a rapa negra era a mina.
a. 2 - 3 - 2 - 1 - 2 - 1; Caboclo, não chore não,
não chora quando o poema
apertar-lhe o coração;
b. 1 - 3 - 2 - 1 - 2 - 3; se não puderimpe ou gema
ou grite de indignação.
c. 3 - 2 - 2 - 1- 2 - 2; caboclo, este o dilema.
Depois leias as Vozes d'África
d. 2 - 1 - 2 - 2 - 1 - 1; com a mesma indignação
contra os senhores de escravos,
ó caboclo do sertão,
e. 3 - 3 - 2 - 2 - 1 - 1;
o cativeiro de hoje
é o mesmo: cana e algodão."
31. (F.C.CHAGAS) Assinale a alternativa que preenche corretamente as
lacunas. 34. (VUNESP) As quatro estrofes acima constituem trecho de uma obra,
Quando se fala em ..... na literatura romântica, os nomes ..... não podem ser publicada em 1952, em que um poeta modernista, autor do longo poema
esquecidos. "Invenção de Orfeu", conta à maneira dos poetas populares das feiras
nordestinas, a vida e as aventuras de um poeta do romantismo brasileiro.
Assinale nas alternativas abaixo aquela que contenha respectivamente:
indianismo - a temática versada pelas estrofes acima;
nome do poeta romântico;
título da primeira obra deste poeta romântico;
abolicionismo - nome do poeta modernista autor desse texto à moda de cordel.
I- temática regionalista; II- Gonçalves Dias; III- Primeiros Cantos; IV-
abolicionismo - Mário de Andrade.
I- temática amorosa; II- Álvares de Azevedo; III- Lira dos Vinte Anos; IV-
Ferreira Gullar.
indianismo - I- temática racial; II- Casimiro de Abreu; III- Primaveras: IV- Carlos
Drummond de Andrade.
I- temática urbana; II- Olavo Bilac; III- Tarde; IV- Oswald de Andrade.
sertanismo - I- temática de crítica social; II- Castro Alves; III- Espumas Flutuantes; IV-
Jorge de Lima.
32. (F.C.CHAGAS) A palavra de Castro Alves seria, no contexto em que se 35. (F.C.CHAGAS) Embora contemporâneos e focalizando, muitas vezes,
inseriu, uma palavra aberta à realidade da nação, indignando-se o poeta o mesmo ambiente social, os romances desses dois escritores revelam a

Língua Portuguesa www.cursoprogressao.com.br 3122 - 24/43


distância em que se encontram: um pela capacidade de desmascarar e conteúdos e seus cenários, romances de tipos, respectivamente:
denunciar certos aspectos profundos recalcados, da realidade social e
individual, pode ser considerado um modesto precursor de Machado de
a. urbanos, regionalistas e pré-históricos;
Assis; o outro deve sua popularidade ao fato de trazer para o romance
justamente o cenário e personagens familiares ao meio fluminense da
segunda metade do século XIX. b. documentais, sociais e histórico-indianistas;

Trata-se, respectivamente, de c. europeus, nacionais e indianistas;

a. José de Alencar e Joaquim Manuel Antônio de Almeida; d. psicológicos, documentais e folclóricos;

b. Joaquim Manuel de Macedo e Manuel Antônio de Almeida; e. realistas, impressionistas e românticos.

c. Manuel Antônio de Almeida e Bernardo Guimarães; 40. (PUC) Nos romances Senhora e Lucíola, José de Alencar dá um passo
em relação à crítica dos valores da sociedade burguesa, na medida em que
d. Bernardo Guimarães e Visconde de Taunay; coloca como protagonistas personagens que se deixam corromper por
dinheiro. Entretanto, essa crítica se dilui e ele se reafirma como escritor
romântico, nessas obras, porque
e. Visconde de Taunay e José de Alencar.

a. pune os protagonistas no final, levando-os a um casamento


36. (FUVEST) "O primeiro cearense, ainda no berço, emigrava da terra da
infeliz;
pátria. Havia aí uma predestinação de uma raça?"
Eis aí uma reflexão sob a forma de pergunta que o autor, ......, faz a si
mesmo com toda propriedade, e por motivos que podemos interpretar como b. justifica o conflito dos protagonistas com a sociedade pela
pessoais, ao finalizar o romance ........ . diferença de raça: uns, índios idealizados; outros, brasileiros
Assinale a alternativa que completa os espaços. com maneiras européias;

c. confirma os valores burgueses, condenando os protagonistas à


a. José Lins do Rego - Menino do Engenho;
morte;

b. José de Alencar - Iracema;


d. resolve a contradição entre o dinheiro e valores morais tornando
os protagonistas ricos e poderosos;
c. Graciliano Ramos - São Bernardo;
e. permite aos protagonistas recuperarem sua dignidade pela força
d. Aluísio Azevedo - O Mulato; do amor.

e. Graciliano Ramos - Vidas Secas.


41. (FUVEST) Entre as obras mais comentadas do Visconde de Taunay
estão: O Encilhamento, A Retirada da Laguna e, principalmente, o
(FUVEST) Texto para as questões 37 e 38: romance:
"Sua ambição literária era, contudo, imensa e pode ser aferida, não só por
sua produção romanesca, como pelo projeto gigantesco que delineara de
a. A Moreninha;
maneira bem significativa, na sua indiscutidíssima introdução ao
romance Sonhos d'Ouro. Está fora de dúvida que (o romancista)
considerava sua obra como fator primacial da criação realmente orgânica de b. Inocência;
nossa literatura". (Eugênio Gomes).
c. Clarissa;
37. (FUVEST) O romancista a que se refere o crítico é:
d. Rosa;
a. João Guimarães Rosa;
e. A Escrava Isaura
b. Joaquim M. de Macedo;
42. (U.F.GOIÁS) Em relação à obra Memórias de um Sargento de
c. Bernardo Guimarães; Milícias pode-se afirmar que:

d. José de Alencar; a. contraste entre o bem e o mal próprio dos romances românticos
desaparece na figura do ator herói;
e. Manuel Antônio de Almeida.
b. personagem Leonardo nasce malandro feito, como
em Macunaíma;
38. (FUVEST) Assinale a opção em que vêm citadas obras do romancista,
objeto da questão antecedente. c. Leonardo adquire as características da malandragem por força
das circunstâncias;
a. Cortiço e Casa de Pensão;
d. panorama traçado pelo autor é limitado espaço em que as ações
se desenvolvem;
b. Fogo Morto e Banguê;
e. panorama traçado pelo autor é ampliado espaço em que as ações
c. A Moreninha e O Moço Louro;
se desenvolvem.

d. Grande Sertão: Veredas e Saragana;


43. (UM-SP) O gosto pela expressão dos sentimentos, dos sonhos e das
emoções que agitam seu mundo interior, numa atitude individualista e
e. Senhora e O Guarani profundamente pessoal, marcou os autores do:

39. (FUVEST) Lucíola e Senhora; O Gaúcho, Sertanejo; e o Guarani e As a. movimento realista


Minas de Prata representam na obra de Alencar, de acordo com os seus

Língua Portuguesa www.cursoprogressao.com.br 3122 - 25/43


b. movimento árcade e. "A Escrava Isaura" não pode ser considerado um bom romance
por causa do sentimento abolicionista.
c. movimento romântico
46. (PUCCAMP) Antônio Soares Amora diz-nos, no texto, que:
d. movimento barroco

e. movimento naturalista a. a crítica, ao avaliar um romance, baseia-se na natureza da obra e


não simplesmente nas reações do público leitor;

44. (FEI-SP)
b. a crítica ataca os romances que cativam a simpatia e o
"A situação de ..... relativamente à Literatura Brasileira lembra a de Gil entusiasmo dos leitores;
Vicente na Literatura Portuguesa: seu teatro parece tão espontâneo quanto o
do dramaturgo quinhentista. A peça Juiz de paz na roça pode ser
considerada, por isso, o nosso Monólogo do vaqueiro". c. Bernardo Guimarães, ao escrever seu romance "A Escrava
No fragmento acima, o crítico Massaud Moisés comenta o grande expoente Isaura", não se preocupou com a crítica e, sim, com a Abolição;
do teatro romântico brasileiro, que é:
d. é muito difícil a crítica avaliar romances de grande popularidade
e aceitação;
a. Gonçalves Dias.

e. romance da natureza é para a crítica muito mais importante do


b. Gonçalves de Magalhães.
que o comportamento do público leitor.

c. Martins Pena.
47. (PUCCAMP) Ainda, de acordo com o texto:
d. Dias Gomes.
a. enredo inverossímel de "A Escrava Isaura" resulta de um autor
e. Artur Azevedo. primário que se perde nos caminhos escolhidos para um fim
determinado;
(PUCCAMP) Da questão 45 a 49, você vai usar o texto abaixo.
Texto crítico b. os protetores de Isaura transformam-se em seus algozes,
"Embora seja importante indagar das razões por que público brasileiro dos crucificando-a no final do romance;
anos de 1870 avidamente leu e com entusiasmo aplaudiu "A Escrava
Isaura", razões que encontram o principal motivo em onda então crescente c. os recursos empregados pelo Autor forçam um defeso
de sentimento abolicionista – convenhamos em que muito mais importante preestabelecido;
o comportamento desse público é, para a crítica, a natureza desse romance.
Mesmo lido com simpatia, "A Escrava Isaura" não resiste à crítica. Seu
d. a parte mais inverossímel do romance é a que assinala os
enredo resulta em ser inverossímel, tais e tantos são os expedientes
primários do Autor, usados para conduzir por determinados caminhos e "passus" da "via crucis" de Isaura;
para desenlace preestabelecido: em freqüentes ex-abruptos, mudam os
sentimentos dos protagonistas com relação à bela e desditosa Isaura, e e. embora reconhecesse a inverossimilhança do drama, o autor via
assim de protetores se transformam de pronto em pérfidos algozes, servindo nela a salvação e felicidade extrema da heroína.
à linha dramática premeditada pelo ficcionistas; não menos precipitada e
artificialmente se engendram e desenrolam as situações ou episódios
concebidos sempre com a intenção de marcar "passus" da vida "crucis" da 48. (PUCCAMP) De texto concluímos que:
desgraçada heroína, que, por fim, mais arrastada pelo autor que pelas forças
do drama que vive, encontra no alto do seu calvário, ao invés do sacrifício a. de tal modo os episódios de "A Escrava Isaura" são dominados
final (o que teria dado ao romance verossimilhança e força), a salvação e a
pela precipitação e artificialidade, que a ação resulta muito mais
felicidade de extrema. da inserção do Autor do que das forças do conflito;
Tão primário e artificial quanto enredo que domina a obra, dando-lhe típica
estrutura novelesca ou romanesca, é, não digo a concepção, mas o modo de
conduzir personagens: Isaura, Malvina, Rosa, Leôncio, Álvaro, Belchior, b. a típica estrutura novelesca de "A Escrava Isaura" caracteriza-se
André, o Dr. Geraldo, Martim e Miguel, se têm peculiaridades físicas e pelo desenvolvimento do enredo, pela concepção das
morais que os caracterizam suficientemente e os individualizam na galeria personagens e pelo desfecho;
das personagens da ficção romântica, se ocupam posições bem "marcadas"
no palco dos acontecimentos, decomposto em dois cenários (uma fazenda c. em "A Escrava Isaura" o Autor vive um drama cujas forças o
de café da Baixada Fluminense e o Recife), não chegam contudo, a receber arrastam a um calvário onde encontra, em vez do sacrifício final,
suficiente estofo psicológico: daí a impressão que deixam, não apenas de a sua felicidade;
símbolos dramáticos quase vazios, senão que também títeres (vá lá a
cansada imagem) conduzidos pelo autor, para esta ou aquela ação d. a bela e desditosa Isaura muda os sentimentos dos protagonistas,
indispensável, a seu ver, às suas principais intenções". levando-os ao sacrifício final, no alto do calvário;
(Antônio Soares Amora, "O Romantismo", vol. II da A Literatura
Brasileira).
e. para a heroína é muito mais importante encontrar a salvação e a
45. (PUCCAMP) Segundo o texto: felicidade extrema do que o sacrifício final, no alto do Calvário.

a. "A Escrava Isaura" consagrou-se como um bom romance por 49. (PUCCAMP) O texto afirma que:
causa da aceitação que teve entre o público leitor de 1870.
a. as personagens Isaura, Malvina, Rosa, Leôncio, Álvaro,
b. "A Escrava Isaura" não é um bom romance porque o público Belchior, Dr. Geraldo, Martim e Miguel são suficientemente
leitor de 1870 o leu avidamente e o aplaudiu com entusiasmo. caracterizados física, moral e psicologicamente;

c. leitor deve ter muito cuidado ao ler ou aplaudir um romance, b. uma falha comparável no primarismo e artificialidade do enredo
pois poderá consagrar uma obra medíocre. é a concepção das personagens de "A Escrava Isaura';

d. "A Escrava Isaura" não é um bom romance para a crítica, c. as personagens títeres cansam o leitor, à medida que o Autor as
embora o público o haja lido com entusiasmo, movido pelo conduz a esta ou àquela ação indispensável ao enredo;
sentimento abolicionista.

Língua Portuguesa www.cursoprogressao.com.br 3122 - 26/43


d. as personagens, conduzidas de modo primário e artificial, sem de sua virtude natural à virtude consciente do Cristianismo, para
profundidade psicológica, são como fantoches nas mãos do sua eterna salvação."
Autor;
d. "(...) Era Peri. Altivo, nobre, radiante da coragem invencível e
e. sem o artificialismo das personagens, "A Escrava Isaura" teria do sublime heroísmo de que já dera tantos exemplos, o índio se
resistido à crítica. apresentava só em face de duzentos inimigos fortes e sequiosos
de vingança."

50. (UFPI) Em que alternativa o conjunto de obras é de José de Alencar? e. "(...) contra o índio de tocheiro. O índio filho de Maria, afilhado
de Catarina de Médicis e genro de Antônio de Mariz."
a. As Minas de Prata, O Gaúcho, Senhora.
54. (FUVEST-SP) "A identificação da natureza com o sofrimento humano,
b. A Mortalha de Alzira, Encarnação, A Pata da Gazela a tragédia perene do amante rejeitado, o jovem andarilho condenado à vida
errante em sua curta eternidade, a solidão do artista. E, enfim, a resignação
c. Lucíola, A Retirada da Laguna, Sonhos d'Ouro e a reconciliação – ressentidas um pouco, por certo."
O texto acima enumera preferências temáticas e concepções existenciais
dos poetas:
d. Seminarista, A Luneta Mágica, O Tronco do Ipê

e. Moço Loiro, Iracema, A Escrava Isaura a. barrocos.

b. arcádicos.
51. (ITA-SP) O tema do excerto abaixo relaciona-se à representativa
tendência de um determinado estilo literário. Assinale, então, a opção cujos
autores pertencem à tendência e ao estilo em questão: c. românticos.
"Amei-te sempre: – e pertencer-te quero
Para sempre também, amiga morte. d. simbolistas.
Quero o chão, quero a terra - esse elemento
que não se sente dos vaivéns da sorte." e. parnasianos.

a. Casimiro de Abreu, Visconde de Taunay, José de Alencar.


55. (FUVEST-SP) Sobre o romance indianista de José de Alencar, pode-se
b. Álvares de Azevedo, Fagundes Varela, Junqueira Freire. afirmar que:

c. Tomás Antônio Gonzaga, Cláudio Manuel da Costa, Basílio da a. analisa as reações psicológicas da personagem como um efeito
Gama. das influências sociais.

d. Castro Alves, Gonçalves Dias, Manuel Antônio de Almeida. b. é um composto resultante de formas originais do conto.

e. Gregório de Matos, Padre Vieira, Bernardo Guimarães. c. dá forma ao herói amalgamando-o à vida da natureza.

d. representa contestação política ao domínio português.


52. (UECE) Sobre José de Alencar é correto afirmar:

e. mantém-se preso aos modelos legados pelos clássicos.


a. Focaliza, em suas personagens, os traços mais objetivos dos
caracteres, em termos de paixões, virtudes e defeitos morais,
pelos quais a sociedade é freqüentemente responsabilizada, 56. (UFPA) A liberdade de inspiração, pregada pelos românticos,
como se vê, por exemplo, em Lucíola. correspondia, também, à liberdade formal – esta peculiaridade possibilitou
a mistura dos gêneros literários e o conseqüente abandono da hierarquia
clássica que os presidia. Como conseqüência, no Brasil:
b. Alcança sua maior glória com o romance histórico, que lhe deu
oportunidade de pesquisar fielmente o passado nacional e fugir
da observação da vida contemporânea, cujo aspecto urbano a. Observa-se um detrimento da poesia em favor da prosa.
sempre evitou retratar.
b. Registra-se o abandono total do soneto.
c. Mesmo sem abandonar definitivamente as soluções românticas
para os problemas dos heróis, revelou grande capacidade de c. Verifica-se a interpenetração dos gêneros, o que muito
denunciar certos aspectos profundos da realidade social e enriqueceu os já existentes, possibilitando o aparecimento de
individual, e, nesse sentido, pode ser considerado um precursor novos.
de Machado de Assis.
d. Ampliou-se o alcance da poesia, o que já não se pode dizer
quanto ao romance e ao teatro.
53. (PUC-MG) Os fragmentos abaixo, retirados de obras da Literatura
Brasileira, caracterizam a ideologia criada pelo Indianismo, exceto: e. Usou-se, quase abusivamente, o verso livre, o que muito
contribuiu para o desenvolvimento de nossa poesia.
a. "(...) No Guarani o selvagem é um ideal, que o escritor intenta
poetizar, despindo-o da crosta grosseira de que o envolveram os
cronistas..." 57. (UFES) A leitura de Lucíola, de José de Alencar, revela a(o):

b. "(...) Os tupis desceram para serem absorvidos. Para se diluírem a. preferência pelo uso de regionalismos.
no sangue da gente nova. Para viver subjetivamente e
transformar numa prodigiosa força a bondade do brasileiro e o b. visão idealizada da mulher, mesmo em seus aspectos negativos.
seu grande sentimento de humanidade."
c. sentimento indianista do autor.
c. "(...) Criaturas de Deus, de bons corpos e bom espírito, ainda
sem religião e educáveis no bem ou no mal. Seria fácil trazê-las
d. preocupação em exaltar a natureza.

Língua Portuguesa www.cursoprogressao.com.br 3122 - 27/43


e. descrição materialista e carnal do amor. e. um total desligamento entre a realidade humana e a paisagem,
que aparece apenas como cenário.

58. (UFES) Em relação ao romance Lucíola, de José de Alencar, só não é


62. (CEETEPS-SP) José de Alencar faz críticas às relações humanas na
correto dizer que: sociedade carioca da sua época, preocupada apenas com a ostentação e
o status que só o dinheiro confere. Em três romances, o autor retrata perfis
de mulheres que, embora se defrontem com os homens, em plano de
a. analisa o drama íntimo de uma mulher, dividida entre o amor
igualdade, são no final, redimidas ou dominadas pelo amor. Trata-se de:
conjugal e a riqueza material.

b. é escrito em forma de cartas, que serão reunidas e publicadas a. A escrava Isaura, Iracema, D. Guidinha do Poço
pela senhora que aparece no texto.
b. Iaiá Garcia, Viuvinha, Inocência
c. narrador em 1ª pessoa retrata um perfil de mulher aparentemente
mundana e frívola. c. Diva, Lucíola, Senhora

d. protagonista relata, através de sua visão romântica, a sina da d. Luzia-Homem, A Moreninha, As asas de um anjo
prostituição de Lúcia.
e. A pata da gazela, Sonhos d'ouro, Leonor de Mendonça.
e. autor revela aspectos negativos dos costumes burgueses do Rio
de Janeiro de cem anos atrás.
63. (UFPA) Marque a única alternativa certa a respeito de Gonçalves Dias
e de Martins Pena.
59. (UFPR) Qual das informações sobre José de Alencar é correta?

a. Escreveram peças de teatro rigorosamente de acordo com as leis


a. Alencar inaugurou a ficção brasileira com a publicação de sua
do teatro clássico.
obra Cinco minutos.

b. Deixaram-nos excelentes poemas líricos.


b. Alencar foi um romancista que soube conciliar um romantismo
exacerbado com certas reminiscências do Arcadismo,
manifestas, principalmente, na linguagem clássica. c. Escreveram peças teatrais em que se constata influência do
Romantismo.
c. Alencar, apesar de todo o idealismo romântico, conseguiu, nas
obras Lucíola e Senhora, captar e denunciar certos aspectos d. Tiveram seus dramas históricos representados, na época, com
profundos, recalcados, da realidade social e individual, onde grande sucesso.
podemos detectar um pré-realismo ainda inseguro.
e. Evitaram em suas peças de teatro o uso de linguagem simples e
d. A obra de Alencar, objetivando atingir a História do Brasil e a direta.
síntese de suas origens, volta-se exclusivamente para assuntos
indígenas e regionalistas, sem incursões pelo romance urbano. 64. (UCP-PR) O desejo de morrer e a sentimentalidade doentia são
características da poesia do autor de Lira dos vinte anos. Trata-se de:
e. indianismo de José de Alencar baseou-se em dados reais e
pesquisa antropológica, apresentando, por isso, uma imagem do
a. Gonçalves Dias.
índio brasileiro sem deformação ou idealismo.

b. Castro Alves.
60. (UCP-PR) Coube a ..... atingir o ponto mais alto do teatro romântico
brasileiro. Numa linguagem simples e correta, retratou os variados tipos da
sociedade do século XIX: c. Gonçalves de Magalhães.

d. Casimiro de Abreu.
a. Martins Pena.
e. Álvares de Azevedo.
b. Procópio Ferreira.

c. Joaquim Manuel de Macedo. 65. (PUC-RS)


"Era a virgem do mar! na escuma fria
Pela maré das águas embaladas!
d. Machado de Assis. Era um anjo entre nuvens d'alvorada
Que em sonhos se banhava e se esquecia!"
e. Cornélio Pena.
A estrofe demonstra que a mulher aparece freqüentemente na poesia de
Álvares de Azevedo como figura:
61. (UFSCar-SP) Na obra narrativa de José de Alencar nota-se:
a. sensual.
a. que seus personagens são marcados por profunda estrutura
psicológica. b. concreta.

b. um anseio de evasão no tempo e no espaço animado por c. próxima.


acentuado egotismo.
d. natural.
c. um grande menosprezo pelo colonizador branco e pela nobreza
portuguesa.
e. inacessível.
d. menos precisão e menor participação emotiva no ato de
escrever. 66. (UFPA) Os poemas de Álvares de Azevedo desenvolvem atmosferas
variadas que vão do lirismo mais ingênuo ao erotismo, com toques de

Língua Portuguesa www.cursoprogressao.com.br 3122 - 28/43


ironia, tristeza, zombaria, sensualidade, tédio e humor. Estas características
70. (FAU-SP) O indianismo de nossos poetas românticos é:
demonstram:

a. uma forma de apresentar o índio em toda a sua realidade


a. a carga de brasilidade do seu autor.
objetiva; o índio como elemento étnico da futura raça brasileira.

b. a preocupação do autor com os destinos de seu país.


b. um meio de reconstruir o grave perigo que o índio representava
durante a instalação da capitania de São Vicente.
c. os aspectos neoclássicos que ainda persistem nos versos desse
autor.
c. um modelo francês seguido no Brasil; uma necessidade de
exotismo que em nada difere do modelo europeu.
d. ultra-romantismo, marcante nesse autor.
d. um meio de eternizar liricamente a aceitação, pelo índio, da
e. aspecto social de seus versos. nova civilização que se instalava.

e. uma forma de apresentar o índio como motivo estético;


67. (UFRN) Sobre Gonçalves Dias, é correto afirmar:
idealização com simpatia e piedade; exaltação da bravura, do
heroísmo e de todas as qualidades morais superiores.
a. natural do Ceará, escreveu obras indianistas como A
Confederação dos Tamoios e Ubirajara.
71. (U.F. Juiz de Fora-MG) Em relação ao Romantismo brasileiro, todas as
afirmações são verdadeiras. Exceto:
b. poeta gaúcho, destacou-se, dentro do Romantismo, pela poesia
lírica e sentimental como, por exemplo, Lira dos Vinte Anos e A
Noite na Taverna. a. expressão do nacionalismo através da descrição de costumes e
regiões do Brasil.
c. poeta maranhense, um dos principais representantes do
Romantismo, escreveu poesias sentimentais e poemas de b. análise crítica e científica dos fenômenos da sociedade
enaltecimento do índio como, por exemplo, Timbiras. brasileira.

d. natural de Minas Gerais, foi um dos representantes do Pré- c. desenvolvimento do teatro nacional.
Modernismo ao escrever Inspirações do Claustro.
d. expressão poética de temas confessionais, indianistas e
e. poeta paulista, pertencente ao Parnasianismo, ficou famoso com humanistas.
a obra Conferências Literárias.
e. caracterização do romance como forma de entretenimento e
moralização.
68. (UFRN) O emotivo predomina sobre o racional e as personagens de
ficção possuem características extraordinárias. Foi um movimento que teve
início, no Brasil, com a obra Suspiros Poéticos e Saudades. Essa escola
72. (OSEC-SP) A época romântica caracteriza-se por ser:
literária se identifica com:

a. lusófoba e nacionalista.
a. Romantismo – José de Alencar - Iracema

b. de influência inglesa.
b. Realismo – Raul Pompéia – O Ateneu.

c. atéia e influenciada pelo positivismo.


c. Naturalismo – Aluísio Azevedo – O Cortiço.

d. carente de bons poetas.


d. Realismo – Jorge Amado – Fogo Morto.

e. Naturalismo – Aluísio Azevedo - Jubiabá. 73. (FMABC-SP) Assinale a alternativa em que se encontram três
características do movimento literário ao qual se dá o nome de
Romantismo:
69. (UFES)
"Minha terra não tem palmeiras...
E em vez de um mero sabiá, a. predomínio da razão, perfeição da forma, imitação dos antigos
Cantam aves invisíveis gregos e romanos
Nas palmeiras que não há."
(Mário Quintana) b. reação anticlássica, busca de temas nacionais, sentimentalismo e
imaginação
O texto deve ser considerado uma:
c. anseio de liberdade criadora, busca de verdades absolutas e
a. reafirmação da estética romântica e seus principais dogmas. universais, arte pela arte

b. negação da estética romântica, questionando seu olhar que se d. desejo de expressar a realidade objetiva, visão materialista do
detém mais na paisagem que no social. universo

c. paródia de um texto de Oswald de Andrade, que assim se inicia: e. preferência por temas medievais, rebuscamento de conteúdo e
"minha terra tem palmares/ Onde gorjeia o mar.". de forma, tentativa de expressar a realidade inconsciente.

d. releitura acrítica da célebre "Canção do Exílio", de Gonçalves 74. (UNESP-SP)


Dias. "lá?
ah!
e. releitura não crítica das estéticas nacionalistas e sabiá...
sentimentalistas. papá...
maná...
sofá...

Língua Portuguesa www.cursoprogressao.com.br 3122 - 29/43


sinhá... c. da arte pela arte
cá?
bah!" d. do culto ao "bom selvagem"
O poema acima, do poeta contemporâneo José Paulo Paes, alude
parodisticamente ao poema:
e. do mal-do-século.

a. "Voz do poeta", de Fagundes Varela


77. (FMU/FIAM-SP) O homem de todas as épocas se preocupa com a
natureza. Cada período a vê de modo particular. No Romantismo, a
b. "As pombas", de Raimundo Correia natureza aparece como:

c. "Círculo vicioso", de Machado de Assis


a. um cenário cientificamente estudado pelo homem; a natureza é
mais importante que o elemento humano.
d. "Canção do exílio", de Gonçalves Dias
b. um cenário estático, indiferente; só o homem se projeta em
e. "Meus oito anos", de Casimiro de Abreu busca de sua realização.

75. (VUNESP-SP) Leia com atenção os textos a seguir: c. um cenário sem importância nenhuma; é apenas pano de fundo
1. para as emoções humanas.
"Triste Bahia! Ó quão dessemelhante
Estás e estou do nosso antigo estado! d. confidente do poeta, que compartilha seus sentimentos com a
Pobre te vejo a ti, tu a mi empenhado, paisagem; a natureza se modifica de acordo com o estado
Rica te vi eu já, tu a mi abundante. emocional do poeta.
A ti trocou-te máquina mercante,
Que em tua larga barra tem entrado,
A mim foi-me trocando, e tem trocado, e. um cenário idealizado, onde todos são felizes e os poetas são
Tanto negócio e tanto negociante." pastores.
2.
Prólogo 78. (FCMSCSP) A renovação das formas, a liberdade de expressão e a
"Amigo leitor, arribou a certo porto de Brasil, onde eu vivia, um galeão, tentativa de incorporar à literatura nossas coisas mais típicas – como
que vinha das Américas espanholas. Nele se transportava um mancebo, particularidades regionais e termos indígenas – são marcas freqüentes do:
cavalheiro instruído nas humanas letras. Não me foi dificultoso travar com
ele uma estreita amizade, e chegou a confiar-me os manuscritos que trazia.
Entre eles encontrei as Cartas chilenas, que são um artificioso compêndio a. Barroco
das desordens que fez no seu governo Fanfarrão Minésio, general do
Chile." b. Arcadismo
3.
Tragédia no lar c. Romantismo
"Na senzala, úmida, estreita,
Brilha a chama da candeia,
No sapé se esgueira o vento. d. Realismo
E a luz da fogueira ateia.
Junto ao fogo, uma africana, e. Pré-Modernismo
Sentada, o filho embalando,
Vai lentamente cantando 79. (OSEC-SP)
Uma tirania indolente "Do tamarindo a flor jaz entreaberta,
Repassada de aflição Já solta o bogari mais doce aroma,
E o menino ri contente... Também meu coração, como estas flores,
Mas treme e grita gelado, melhor perfume ao pé da noite exala!"
Se nas palhas do telhado
Ruge o vento do sertão." É possível reconhecer, na estrofe acima, um exemplo da corrente:
Assinale a alternativa correta:
a. barroca, pela imagem que evoca a natureza como símbolo da
transitoriedade da vida;
a. Os textos 1, 2 e 3 foram escritos respectivamente por autores
barroco, árcade e romântico.
b. arcádica, pois o poeta revela seu amor a uma natureza
idealizada;
b. Os textos 1, 2 e 3 apresentam características dos movimentos
romântico, parnasiano e simbolista.
c. romântica, pela identificação dos sentimentos humanos com
aspectos da natureza;
c. os textos 1, 2 e 3 foram escritos por autores de diferentes fases
do modernismo.
d. parnasiana, pela apresentação da natureza como imagem da
perfeição;
d. Os textos 1, 2 e 3 pertencem ao mesmo movimento literário e se
caracterizam por uma postura satírica.
e. simbolista, pois a natureza é apenas um recurso que o poeta
transcende, atingindo um nível de espiritualidade plena.
e. os textos 1, 2 e 3 são de autoria de Gregório de Matos, Olavo
Bilac e Álvares de Azevedo.
80. (UFPA) Na época da independência do Brasil, quando nosso país
precisava auto-afirmar-se como nação, entrou em vigência entre nós um
76. (UFRS) A produção de Álvares de Azevedo é, no Brasil, a maior estilo de época que, pelos ideais de liberdade que professava através de sua
expressão: ideologia, se prestava admiravelmente a expressar esses anseios
nacionalistas. Tal estilo foi:
a. do culto à natureza
a. Romantismo
b. do cientificismo
b. Barroco

Língua Portuguesa www.cursoprogressao.com.br 3122 - 30/43


c. Realismo/Naturalismo Leia com atenção:
"Os ritos semibárbaros dos Piagas,
d. Modernismo Cultores de Tupã, e a terra virgem
Donde como dum tronco enfim se abriram
Da cruz de Cristo os piedosos braços;
e. Neoclassicismo As festas e batalhas mal sangradas
Do povo americano, agora extinto,
Hei de cantar na lira.
81. (UNIP-SP) Assinale a característica não-aplicável à poesia romântica: Cantor modesto e humilde,
A fronte não cingi de mirto e louro,
a. artista goza de liberdade na metrificação e na distribuição Antes de verde rama engrinaldei-a;
rítmica; De agrestes flores enfeitando a lira;
Não me assentei nos cimos do Parnaso.
(...)
b. importante é o culto da forma, a arte pela arte;
Cantor das selvas, entre bravas matas
Áspero tronco da palmeira escolho."
c. a poesia é primordialmente pessoal, intimista e amorosa;
84. (FUVEST-SP) O poema de que se extraiu o texto acima pode ser
d. enfatiza-se a auto-expressão, o subjetivismo, o individualismo; considerado, sob o ponto de vista da "escola" literária ou estilo de época,
como:
e. a linguagem do poeta é a mesma do povo: simples, espontânea.
a. arcaico

82. (UFV-MG) Assinale a alternativa falsa: b. pré-modernista

a. Romantismo, como estilo, não é modelado pela individualidade c. arcádico


do autor; a forma predomina sempre sobre o conteúdo.
d. simbolista
b. Romantismo é um movimento de expressão universal, inspirado
nos modelos medievais e unificado pela prevalência de
e. romântico
características comuns a todos os escritores da época.

c. Romantismo, como estilo de época, consistiu basicamente num 85. (FUVEST-SP) Nos versos acima, o autor promete cantar:
fenômeno estético-literário desenvolvido em oposição ao
intelectualismo e à tradição racionalista e clássica do século
XVIII. a. as batalhas incruentas entre indígenas e americanos

d. Romantismo, ou melhor, o espírito romântico, pode ser b. a Terra de Santa Cruz, então extinta
sintetizado numa única qualidade: a imaginação. Pode-se
creditar à imaginação a capacidade extraordinária dos c. a cultura e o ambiente do povo indígena
românticos de criarem mundos imaginários.
d. a realiza dos ritos, mirtos e louros semibárbaros
e. Romantismo caracterizou-se por um complexo de
características, como o subjetivismo, o ilogismo, o senso de e. as flores agrestes dos píncaros do Parnaso.
mistério, o exagero, o culto da natureza e o escapismo.

86. (FUVEST-SP) No verso "Não me assentei nos cimos do Parnaso",


83. (Cesgranrio-RJ) O próprio Romantismo produziu uma literatura em pode-se dizer que o poeta:
desacordo com certas tônicas do movimento. Através da ironia, autores
românticos revelam irreverência muitas vezes feroz.
a. critica o parnasianismo brasileiro;
Assinale a opção em que o autor se mantém dentro dos preceitos mais
conhecidos da escola romântica, tais como a glorificação do ideal e do b. não aceita os princípios do Realismo-Naturalismo;
sublime e o desapego ao mundo material:
c. rejeita a temática sentimentalista;
a. "Dos prazeres do amor as primícias,/ De meu pai entre os braços
gozei;/ E de amor as extremas delícias/ Deu-me um filho, que d. despreza a inspiração divina;
dele gerei." (Bernardo Guimarães)
e. recusa-se a seguir os cânones do Classicismo.
b. "Como dormia! Que profundo sono!.../ tinha na mão o ferro do
engomado.../ Como roncava maviosa e pura!.../ Quase caí na rua
desmaiado!" (Álvares de Azevedo) 87. (UFPA) Marque a única alternativa certa a respeito de Gonçalves Dias
e de Martins Pena:
c. "(Damas da nobreza) – Não precisa aprendê/ Quem tem pretos
p'herdá/ e escravidão p'escrevê;/ Basta tê/ Burra d'ouro e casá."
(Sousândrade) a. escreveram peças de teatro rigorosamente de acordo com as leis
do teatro clássico.
d. "Porque Deus pôs em meu peito/ Um tesouro de harmonia:/
Deu-me a sina de seus anjos,/ Deu-me o dom da poesia.' b. deixaram-nos excelentes poemas líricos.
(Junqueira Freire)
c. escreveram peças teatrais em que se constata influência do
e. "Nem há de negá-lo – não há doce lira/ Nem sangue de poeta ou Romantismo.
alma virgem/ Que valha o talismã que no oiro vibra!" (Álvares
de Azevedo) d. tiveram seus dramas históricos representados, na época, com
grande sucesso.
(FUVEST-SP) - Questões de 84 a 86

Língua Portuguesa www.cursoprogressao.com.br 3122 - 31/43


e. evitaram em suas peças de teatro o uso de linguagem simples e b. Memórias de um sargento de milícias
direta.
c. moço loiro
88. (UCP-PR) Livros indianistas de José de Alencar:
d. Senhora

a. Iracema, Ubirajara, Inocência e. A mão e a luva

b. guarani, Iracema, A escrava Isaura


93. (FUVEST-SP)
c. A Moreninha, Iracema, Lucíola Autor que levava no palco a sociedade portuguesa da
primeira metade do século XVI, vivenciando, na expressão
d. Memórias de um sargento de milícias, O Guarani, O tronco do de António José Saraiva, o reflexo da crise.
ipê Autuou na linha do teatro de costumes, associou o burlesco
e o cômico em dramas e comédias ao retratar flagrantes da
e. Ubirajara, O guarani, Iracema. vida brasileira.

89. (PUC-RS) A vida carioca na época de ..... é retratada com vivacidade, Os enunciados referem-se, respectivamente, aos teatrólogos:
de maneira intencionalmente......, numa linguagem ....., em Memórias de
um sargento de milícias, de Manuel Antônio de Almeida.
a. Camilo Castelo Branco e José de Alencar
a. Mem de Sá – histórica – desalinhada
b. Machado de Assis e Miguel Torga
b. Duarte Coelho – biográfica – retórica
c. Gil Vicente e Nélson Rodrigues
c. D. Maria I – folhetinesca – pedante
d. Gil Vicente e Martins Pena
d. D. João VI – humorística – simples
e. Camilo Castelo Branco e Nélson Rodrigues
e. D. Pedro I – sentimental – popular.
(CESGRANRIO-RJ) Questões 94, 95 e 96
A São Paulo
90. (UFPA) A liberdade de inspiração, pregada pelos românticos
correspondia, também, à liberdade formal – esta peculiaridade possibilitou Pátria de heróis, berço de guerreiros,
a mistura dos gêneros literários e o conseqüente abandono da hierarquia tu és o louro mais brilhante e puro,
clássica que os presidia. Como conseqüência, no Brasil: O mais belo florão dos Brasileiros!
Foi no teu solo, em borbotões de sangue
a. observa-se um detrimento da poesia em favor da prosa. Que a fronte ergueram destemidos bravos,
Gritando altivos ao quebrar dos ferros:
Antes a morte que um viver de escravos!
b. registra-se o abandono total do soneto.
foi nos teus campos de mimosas flores,
À voz das aves, ao soprar do norte,
c. verifica-se a interpenetração dos gêneros, o que muito Que um rei potente às multidões curvadas
enriqueceu os já existentes, possibilitando o aparecimento de Bradou soberbo – Independência ou morte!
novos. Foi de teu seio que surgiu, sublime,
Trindade eterna de heroísmo e glória,
d. ampliou-se o alcance da poesia, o que já não se pode dizer Cujas estátuas, – cada vez mais belas,
quanto ao romance e ao teatro. Dormem nos templos da Brasília história!
Eu te saúdo, ó majestosa plaga.
e. usou-se, quase abusivamente, o verso livre, o que muito Fila dileta, – estrela da nação,
contribuiu para o desenvolvimento de nossa poesia. Que em brios santos carregastes os círios
À voz cruenta de feroz Bretão!
Pejaste os ares de sagrados cantos,
91. (UCP-PR) "O público gostava de obras que lhe permitissem auto- Ergueste os braços e sorriste à guerra,
identificar-se com as personagens, que lhe fornecessem meios de esquecer, Mostrando ousada ao murmurar das turbas
com a leitura, a monotonia da vida regulada pelos estreitos horizontes Bandeira imensa da Cabrália terra!
burgueses." Eia! – Caminha o Partenon da glória
O texto acima faz referência à estética: Te guarda o louro que premia os bravos!
Voa ao combate repetindo a lenda:
a. barroca – Morrer mil vezes que viver escravos!
(Fagundes Varela, O estandarte auriverde)
b. simbolista 94. (CESGRANRIO-JR) Com relação às estrofes indicadas nos parênteses,
pode-se afirmar que o poeta:
c. modernista
a. elogia a submissão do povo a D. Pedro. (3ª estrofe)
d. romântica
b. prevê o surgimento de Brasília. (4ª estrofe)
e. parnasiana
c. defende o credo cristão contra o paganismo. (5ª estrofe)
92. (UM-SP) Dentro do Romantismo, encontramos um romance que, por
apresentar personagens das classes sociais mais baixas, além do tom d. incita os ânimos frente à possibilidade de derrota. (6ª estrofe)
picaresco, aproxima-se de aspectos realistas. Trata-se de:
e. apregoa a glória para os heróis da nação. (7ª estrofe)
a. A Moreninha

Língua Portuguesa www.cursoprogressao.com.br 3122 - 32/43


95. (CESGRANRIO-RJ) Tendo em vista o texto, assinale a opção IX. "eu" romântico, objetivamente incapaz de resolver os conflitos
com duas características do Romantismo presentes no poema: com a sociedade, lança-se à evasão. No tempo, recriando a
Idade Média Gótica e embruxada. No espaço, fugindo para
ermas paragens ou para o Oriente exótico.
a. entendimento racional do mundo/adjetivação abundante

b. polarização entre o Bem e o Mal/rigidez métrica IX. A natureza romântica é expressiva. Ao contrário da natureza
árcade, decorativa. Ela significa e revela. Prefere-se a noite ao
dia, pois sob a luz do sol o real impõe-se ao indivíduo, mas é na
c. exaltação do heroísmo/musicalidade acentuada treva que latejam as forças inconscientes da alma: o sonho, a
imaginação.
d. assimilação do ideário liberal/valorização da simplicidade do
povo brasileiro
IX. No romantismo, a epopéia, expressão heróica já em crise no séc.
XVIII, é substituída pelo poema político e pelo romance
e. temática de fundo histórico/presença da cor local histórico, livre das peias de organização interna que marcavam a
narrativa em verso. Renascem, por outro lado, formas medievais
de estrofação e dá-se o máximo relevo aos metros livres, de
96. (CESGRANRIO-RJ) A escolha do tema e o gosto da eloqüência e da cadência popular, as redondilhas maiores e menores, que passam
oratória aproximam esse texto da poesia romântica de: a competir com o nobre decassílabo.

a. Gonçalves Dias Estão corretas:

b. Castro Alves
a. todas.

c. Álvares de Azevedo
b. apenas a I.

d. Casimiro de Abreu
c. apenas a I e a II.

e. Sousândrade.
d. apenas a II e a III.

97. (UM-SP) e. apenas a I e a III.


"Alencar retrata a sociedade carioca de época, o Rio do II Reinado,
apontando alguns aspectos negativos da vida urbana e dos costumes
burgueses. Seus romances giram em torno de intrigas de amor, 100. (MACK-SP) Um romance romântico brasileiro, envolvendo aspectos
desigualdades econômicas, mas tudo com final feliz, onde o amor sempre
vence." regionalistas, fugindo da temática urbana, é:
Assinale a alternativa que condiz com a afirmação acima:
a. Senhora.
a. romance histórico – Minas de prata
b. Memórias Póstumas de Brás Cubas.
b. romance urbano – Til
c. Inocência.
c. romance regional – Cinco minutos
d. Dom Casmurro.
d. romance histórico – O tronco do ipê
e. Macunaíma.
e. romance urbano – Senhora
101. (CEETEPS-SP) Leia, com atenção, os trechos seguintes, que
98. (FUVEST-SP) caracterizam as diferentes preocupações temáticas de José de Alencar:
"Era este homem em proporções infinitesimais, baixinho, magrinho, de Procura focalizar a corte; retrata a vida burguesa da época, utilizando
carinha estreita e chupada, e excessivamente calvo; usava de óculos, tinha histórias de amor como assunto das narrativas.
pretensões de latinista, e dava bolos nos discípulos por dá cá aquela palha. Foi uma das soluções encontradas pelo escritor brasileiro para repetir aqui a
O barbeiro entrou acompanhado pelo afilhado, que ficou um pouco proposta européia de volta ao passado. A civilização indígena representou
escabriado à vista do aspecto da escola, que nunca tinha imaginado." literariamente o aspecto mais autêntico de nossa nacionalidade.
(Manuel Antônio de Almeida, Memórias de um Sargento de Milícias) Pretende trazer à tona figuras históricas ou até figuras lendárias, situando-as
Observando-se, neste trecho, os elementos descritivos, o vocabulário e, em seu tempo e momentos reais.
especialmente, a lógica da exposição, verifica-se que a posição do narrador Retrata diferentes partes do país, focalizando seus hábitos, costumes,
frente aos fatos narrados caracteriza-se pela atitude: linguagem, tradições; sempre em oposição aos valores urbanos da corte.

Tais características referem-se, respectivamente, aos romances:


a. crítica, em que os costumes são analisados e submetidos a
julgamento.
a. históricos, indianistas, urbanos, regionalistas.
b. lírico-satírica, apontando para um juízo moral pressuposto.
b. regionalistas, históricos, indianistas, urbanos.
c. cômico-irônica, com abstenção de juízo moral definitivo.
c. indianistas, históricos, regionalistas, urbanos.
d. analítica, em que o narrador onisciente prioriza seu afastamento
do narrado. d. urbanos, indianistas, regionalistas, históricos.

e. imitativa ou de identificação, que suprime a distância entre o e. urbanos, indianistas, históricos, regionalistas.
narrador e o narrado
102. (MACK-SP) José de Alencar tenta mostrar um painel das relações do
índio brasileiro com o homem europeu.
99. (ITA-SP) Observe as afirmações abaixo: Mostra, inclusive, o índio antes da chegada dos portugueses, o princípio de

Língua Portuguesa www.cursoprogressao.com.br 3122 - 33/43


sua miscigenação, e, posteriormente, o mesmo já totalmente cristianizado, a. adaptação
num estado de quase servidão em relação ao homem branco.
Assinale a alternativa em que aparecem, respectivamente, nomes de b. oposição
romances que exemplifiquem tais temáticas.
c. negação
a. Iracema – Ubirajara – O Sertanejo
d. crítica
b. As Minas de Prata – Til – O Sertanejo
e. sátira.
c. Lucíola – A Pata da Gazela – Ubirajara
106. (VUNESP-SP) Leia atentamente os versos seguintes:
d. Ubirajara – Senhora – Til "Eu deixo a vida como deixa o tédio
Do deserto, o poento caminheiro
e. Ubirajara – Iracema – O Guarani – Como as horas de um longo pesadelo
Que se desfaz ao dobre de um sineiro."
Esses versos de Álvares de Azevedo significam a:
103. (MACK-SP) Apesar de encaixado na segunda geração da poesia
romântica brasileira, esse poeta já mostra traços do condoreirismo, o que o
aproxima da terceira geração. a. revolta diante da morte.
Assinale a alternativa em que se encontra o nome de tal poeta.
b. aceitação da vida como um longo pesadelo.
a. Fagundes Varela
c. aceitação da morte como a solução
b. Álvares de Azevedo
d. tristeza pelas condições de vida.
c. Casimiro de Abreu
e. alegria pela vida longa que teve.
d. Basílio da Gama

107. (MACK-SP) Assinale a alternativa incorreta a respeito de Fagundes


e. Castro Alves
Varela.

104. (FUC-MT) Considerando as seguintes afirmações:


a. É um poeta de transição entre a segunda e a terceira geração
romântica.
IX. reconstitui a paisagem urbana do Rio de Janeiro do começo do
século XIX. b. Cantos Meridionais são poesias de cunho lírico, associado aos
panoramas tropicais.
IX. suas personagens revelam tradição, cultura e sentimentos
elevados. c. Cântico do Calvário é uma elegia escrita em memória do filho.

IX. dá relevância à análise dos conflitos psicológicos das d. A religiosidade é um tema presente em parte de sua obra.
personagens.
e. É na poesia indianista que atinge o ponto mais elevado de sua
IX. substitui a gravidade da narrativa por situações humorísticas. produção poética.

XXII. critica a visão burguesa do casamento como meio de ascensão 108. (UFV-MG) A ficção romântica é repleta de sentimentalismos,
social. inquietações, amor como única possibilidade de realização, personagens
burgueses idealizados, culminando sempre com o habitual "... e foram
felizes para sempre".
Referências a Manuel Antônio de Almeida aparecem apenas em: Assinale a alternativa que não corresponde à afirmação acima:

a. I e II. a. amor constitui o objetivo fundamental da existência e o


casamento, o fim último da vida.
b. II e III.
b. Não há defesa intransigente do casamento e da continência
sexual anterior a ele.
c. I e IV.
c. A frustração amorosa leva, incondicionalmente, à morte.
d. II e V.
d. Os protagonistas são retratados como personagens belos, puros,
e. III e IV. corajosos.

105. (PUC-RS) e. A economia burguesa determina os gostos e a maneira de ver o


"Outras criticam de uma gorda vovó, que ensaca nos bolsos meia bandeja mundo ficcional romântico.
de doces que vieram para o chá, e que ela leva aos pequenos que, diz, lhe
ficaram em casa. Ali vê-se um ataviado dândi que dirige mil finezas a uma
senhora idosa, tendo os olhos pregados na sinhá que senta-se ao lado. 109. (USF-SP)
Finalmente, no sarau não é essencial ter cabeça nem boca, porque para "Dizem que há gozos nas mundanas galas,
alguns é regra, durante ele, pensar pelos pés e falar pelos olhos." mas eu não sei em que o prazer consiste.
A descrição do sarau demonstra que o romance de Joaquim Manuel de – Ou só no campo, ou no rumor das salas,
Macedo, apesar do ambiente brasileiro, é uma ..... ao folhetim romântico Não sei por quê – mas a minh'alma é triste!"
europeu. Nos versos acima encontra-se típico exemplo do estado de espírito do poeta
que:

Língua Portuguesa www.cursoprogressao.com.br 3122 - 34/43


a. se considerava "arauto das inquietações populares". b. refletir sobre a natureza, sem estabelecer juízos de valor.

b. experimentou o "mal do século". c. tratar de temas comuns à subjetividade humana.

c. cantou as tradições indígenas, na primeira geração romântica. d. extravasar sentimentos de profunda tristeza.

d. procurava a perfeição técnica na descrição objetiva das coisas. e. analisar o tema saudade, expressando exacerbada sensualidade.

e. queria combater o "mau gosto" barroco e procurava imitar os 113. (CEFET-MG) Poesia de caráter extremamente subjetivo, com
clássicos gregos e latinos. predominância da dúvida, amor, morte, dando-se muitas vezes a criações de
aspectos mórbidos e desesperados. Poesia cheia de equívocos e angustiada,
110. (PUC-RS) principalmente, pelo dualismo – aspiração e temor à morte.
Cena IV Esta afirmativa caracteriza a obra de:
Entra Marcelo vestido à paulista, isto é, de bota branca, calça e jaqueta de
ganga azul e ponche de pano azul forrado de baeta vermelha. O seu falar é a. Artur Azevedo.
carregado.
(...)
b. Junqueira Freire.
Marcelo: Tenho andado passeando pela cidade.
José Antônio: Aonde foi?
Marcelo: À Rua do Ouvidor. Vi muitas coisinhas bonitas penduradas nas c. Laurindo Rabelo.
vidraças e umas figuras que pareciam gente viva, andando assim à roda.
(Anda à roda). d. Álvares de Azevedo.
José Antônio: Isso é na casa dos cabeleiros.
Marcelo: É isso mesmo, que lá vi muitos cabelos nas portas. Entrei numa
e. Fagundes Varela.
casa onde estavam tocando um instrumento muito bonito; o homem tocava
assim. (Faz ação de quem toca realejo.)
José Antônio: Foi no canto do Beco dos Cancelas. É um realejo que chama
114. (UFV-MG) A respeito de Senhora, romance de José de Alencar, todas
os tolos."
as alternativas abaixo estão corretas, exceto:
No diálogo entre Marcelo e José Antônio, em O Diletante, Martins Pena
ressalta a
a. amor verdadeiro redime a mulher de seu orgulho e o homem de
seu interesse.
a. sofisticação do diletante.
b. espaço é o Rio de Janeiro, especificamente o Centro, Laranjeiras
b. semelhança entre o campo e a cidade. e Santa Tereza.

c. simplicidade do homem do interior. c. narrador é onisciente, de terceira pessoa.

d. fascinação pelos acontecimentos da corte. d. sentimento da natureza, comum aos românticos, faltava ao
herói.
e. aversão do citadino pelo caipira.
e. Não se analisa no romance a psicologia da personagem
principal.
111. (UFSC) Leia o texto abaixo e, depois, indique as proposições corretas:
"Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá; 115. (MACK-SP) Assinale a alternativa em que se encontra o nome de um
As aves, que aqui gorjeiam, poema, dividido em seis partes, e que, na última, após referir-se com
Não gorjeiam como lá." revolta à Bandeira Nacional, clama pela intervenção daqueles que o autor
(Gonçalves Dias) chama de "heróis do Novo Mundo".

a. poema da estrofe acima tem por título Canção do Exílio a. Navio Negreiro

b. autor estabelece a seguinte analogia: o sabiá representa o poeta; b. Círculo vicioso


e a palmeira, o Brasil.
c. Canção do Exílio
c. A saudade do eu-lírico se prende ao distanciamento geográfico e
não ao distanciamento temporal. d. Violões que Choram

d. poeta assume o papel de exilado ao produzir o poema em e. Congresso Internacional do Medo


Coimbra, 1843.

112. (PUC-PR) 116. (FAFEOD-MG) Assinale a alternativa que apresenta eventos que
"Nas horas mortas da noite marcaram e favoreceram o Romantismo.
Como é doce o meditar
Quando as estrelas cintilam
Nas ondas quietas do mar! IX. Valorização dos próprios sentimentos, desejo de igualdade,
Quando a lua majestosa liberdade e reformas sociais expressos em linguagem coloquial.
Surgindo linda e formosa,
Como donzela vaidosa IX. Desenvolvimento do sentimento nacionalista e o desejo de
Nas águas se vai mirar!" autonomia política que o momento histórico favorecia.
A primeira estrofe do poema Saudades, de Casimiro de Abreu, tem
demonstra a tendência do autor de: IX. Valorização do aspecto material da vida, afeito aos problemas
sociais retratados detalhadamente.
a. utilizar uma linguagem rebuscada, complexa.

Língua Portuguesa www.cursoprogressao.com.br 3122 - 35/43


IX. Desenvolvimento da ciência experimental e surgimento de
120. (MACK-SP) Sobre Iracema, é incorreto afirmar que:
algumas correntes filosóficas como o positivismo, determinismo
e o evolucionismo.
a. relacionamento entre Martim e Iracema seria uma alegoria das
relações entre metrópole e colônia.
I. I e II

b. Iracema é descrita de uma forma idealizante, comparada com


II. I e IV
elementos da natureza, característica própria do Romantismo.

III. II e III
c. personagem Martim é lendário; nunca existiu, tratando-se,
portanto, de uma figura fictícia.
IV. III e IV
d. Moacir, que em tupi quer dizer "filho da dor", é levado por
117. (PUC-RS) Martim para a Europa.
"Eu lhe vou contar a história das lágrimas de amor, tal qual a ouvi, à minha
avó, que em pequena a aprendeu de um velho gentio que nesta ilha e. romance é narrado em terceira pessoa, com narrador onisciente.
habitava. Era no tempo em que ainda os Portugueses não haviam sido por
uma tempestade empurrados para a terra de Santa Cruz; esta pequena ilha
abundava de belas aves, e em derredor pescava-se excelente peixe. Uma 21. (UFMG) Todas as afirmativas sobre o poema I-Juca Pirama de
jovem Tamoia cujo rosto moreno parecia tostado pelo fogo em que ardia-
lhe o coração; uma jovem Tamoia linda e sensível tinha por habitação esta Gonçalves Dias, estão corretas, exceto:
rude gruta, onde ainda então não se via a fonte que hoje vemos."
A lenda "das lágrimas de amor", a referência a uma das ilhas da Baía da a. Caracteriza-se pela adequação do ritmo e da métrica ao assunto
Guanabara pertencem ao romance ..... de Joaquim Manuel de Macedo. enfocado.

a. A Moreninha b. Destaca o heroísmo e a honradez que caracterizam o herói


romântico.
b. Moço Loiro
c. Mostra a rivalidade existente entre diversas tribos indígenas.
c. A Namoradeira
d. Ressalta a dramaticidade do assunto ao deixar de lado o lirismo
d. Memórias de um Sobrinho do Meu Tio romântico.

e. Um Passeio pela Cidade do Rio de Janeiro e. Revela uma preocupação antropológica ao mostrar usos e
costumes dos indígenas.
118. (PUC-RS)
"O Inglês – marinheiro frio 122. (UA-AM) Pertencente ao 2º momento romântico brasileiro, o chamado
Que ao nascer no mar se achou "mal-do-século", ele não teve tempo de se realizar plenamente como poeta,
(Porque a Inglaterra é um navio já que morreu muito jovem, com apenas 20 anos de idade. Apesar disso, no
Que Deus na Mancha ancorou) seu livro Lira dos Vinte Anos estão alguns dos melhores momentos da
Rijo entoa pátrias glórias poesia brasileira.
Lembrando o orgulhoso histórias A afirmativa feita acima diz respeito a:
De Nélson e de Aboukir.
o Francês – predestinado – a. Fagundes Varela.
Canta os louros do passado
E os loureiros do porvir."
b. Álvares de Azevedo.
Como demonstra a estrofe, o romantismo de Castro Alves caracteriza-se
pelo: c. Junqueira Freire.

a. preciosismo. d. Castro Alves.

b. sentimentalismo. e. Casimiro de Abreu.

c. patriotismo. 123. (PUC-RS)


"Era esse dia domingo do Espírito Santo. Como todos sabem, a festa do
d. condoreirismo. Espírito Santo é uma das festas prediletas do povo fluminense. Hoje mesmo
que se vão perdendo certos hábitos, uns bons, outros maus, ainda essa festa
é motivo de grande agitação; longe porém está o que agora se passa daquilo
e. nacionalismo. que se passava nos tempos a que temos feito remontar os leitores. A festa
não começava no domingo marcado pela folhinha, começava muito antes,
119. (FEI-SP) Assinale o item que contém somente características nove dias, cremos, para que tivessem lugar as novenas."
românticas:
Além de ser uma narrativa crítica e irônica da moral da época, Memórias de
um Sargento de Milícias, como ilustra o texto acima, pode ser visto como
a. Subjetivismo, bucolismo, sentimentalismo. um romance:

b. subjetivismo, nacionalismo, pastoralismo.


a. histórico.
c. Culto à natureza, nacionalismo, culto ao contraste.
b. de costumes.
d. Conceitismo, liberdade de formas, cultismo.
c. psicológico.
e. Nacionalismo, culto à natureza, liberdade de formas.
d. moralístico.

Língua Portuguesa www.cursoprogressao.com.br 3122 - 36/43


e. sentimental. a. Apenas I.

b. Apenas II.
124. (FUC-MT) Considerando os seguintes itens:
c. Apenas I e II.
IX. autor da obra Cantos e Fantasias e O Estandarte Auriverde.
d. Apenas II e III.
IX. Foi chamado o poeta dos escravos por seus textos contra a
escravidão. e. I, II e III.

IX. Autor de I-Juca Pirama, belo poema de inspiração indianista. 127. (PUC-RS)
"Se eu tenho de morrer na flor dos anos,
IX. Sua poesia é extremamente egocêntrica e sentimental, Meu Deus! não seja já;
exprimindo um pessimismo doentio, uma descrença Eu quero ouvir na laranjeira, à tarde,
generalizada, um tédio de vida que impregna tudo de tristeza e Cantar o sabiá!
desilusão. Meu Deus, eu sinto e tu bem vês que eu morro
Respirando este ar;
Faz que eu viva, Senhor! dá-me de novo
XXII. Seu estilo vibrante e oratório empolgava os ouvintes, Os gozos do meu lar!"
popularizando seus poemas de caráter social. A meiguice, a leveza, a ingenuidade e nostalgia caracterizam esta Canção
do Exílio de:

Referências a Castro Alves encontram-se apenas em:


a. Gonçalves Dias.

a. I e II b. Casimiro de Abreu.

b. II e IV c. Álvares de Azevedo.

c. I, II e IV d. Fagundes Varela.

d. II, III e V e. Castro Alves.

e. II e V.
128. (UFMG) Todas as passagens de Iracema, de José de Alencar, estão
corretamente explicadas, exceto:
125. (PUC-RS) A filha de Araquém escondeu no coração a sua ventura.
"Então passou-se sobre este vasto deserto d'água e céu uma cena estupenda,
heróica, sobre-humana; um espetáculo grandioso, uma sublime loucura.
Peri alucinado suspendeu-se aos cipós que se entrelaçavam pelos ramos das a. Ficou tímida e quieta como a ave que pressente a borrasca no
árvores já cobertas d'água, e com esforço desesperado cingindo o tronco da horizonte.
palmeira nos seus braços hirtos, abalou-os até as raízes."
O texto acima exemplifica uma característica romântica de José de Alencar, = Iracema entrega-se a Martim.
que é a:
b. Iracema preparou as tintas. O chefe, embebendo as ramas da
a. imaginação criadora. pluma, traçou pelo corpo os riscos vermelhos e pretos, que
ornavam a grande nação pitiguara.
b. consciência da solidão.
= O chefe pinta Martim, preparando-o para o combate com os
c. ânsia de glória. tabajaras.

d. idealização do personagem. c. Iracema, sentindo que se lhe rompia o seio, buscou a margem do
rio, onde crescia o coqueiro.
e. valorização da natureza.
= Iracema prepara-se para dar à luz a Moacir.
126. (UFRS) Considere as afirmações abaixo sobre o Romantismo no
d. O guerreiro branco é hóspede de Araquém. A paz o trouxe aos
Brasil. campos de Ipu, a paz o guarda.

IX. A primeira geração de poetas românticos no Brasil caracterizou- Quem ofende o estrangeiro ofende o Pajé.
se pela ênfase no sentimento nacionalista, tematizando o índio, a
natureza e o amor à pátria.
= Iracema protege Martim da fúria de Irapuã.
IX. Álvares de Azevedo, Casimiro de Abreu e Fagundes Varela,
representantes da segunda geração da poesia romântica, e. Rumor suspeito quebra a doce harmonia da sesta. Ergue a
expressam, sobretudo, um forte intimismo. virgem os olhos, que o sol não deslumbra, sua vista perturba-se.

IX. A poesia de Castro Alves, cronologicamente inserida na terceira = Martim aparece pela primeira vez a Iracema, que saía do
geração romântica, apresenta importantes ligações com a banho.
estética barroca, pela religiosidade e o tom místico da maioria
dos poemas. 129. (UFRS)
"Ontem a Serra Leoa,
A Guerra, a caça ao leão,
Quais estão corretas? O sono dormido à toa
Sob as tendas da amplidão...

Língua Portuguesa www.cursoprogressao.com.br 3122 - 37/43


Hoje... o porão negro, o fundo e. "Esta tendência para volatizar e nebulizar a paisagem completa-
Infecto, apertado, imundo, se por outra, de aproximá-la da vida pelo mesmo sistema de
Tendo a peste por jaguar... imagens."
E o sono sempre cortado
Pelo arranco de um finado,
132. (USF-SP) Observe as seguintes proposições, a respeito do
E o baque de um corpo ao mar..."
Romantismo no Brasil:
Nesta estrofe de ......., de Castro Alves, os versos de ..... sílabas métricas
evocam, num primeiro momento, a ..... dos negros em sua terra natal,
contrastando, na segunda parte, com imagens que indicam os rigores da ..... IX. José de Alencar procurou documentar a realidade nacional
. dentro de uma visão crítica que antecipa a postura dos primeiros
Assinale a alternativa que completa corretamente as lacunas do texto acima. modernistas.

a. Vozes d'África – dez – luta – partida IX. Memórias de um Sargento de Milícias é um romance que, por
focalizar uma época próxima e por ter um anti-herói como
b. Canção do Exílio – sete – tranqüilidade – solidão personagem central, antecipa características do Realismo.

c. Mocidade e Morte – oito – passividade – prisão IX. Os romances de Joaquim Manuel de Macedo narram histórias
fáceis, típicas do gosto romântico-burguês de sua época.
d. Cachoeira de Paulo Afonso – dez – caçada – luta.
Pode-se afirmar que:
130. (UFRS) Considere as seguintes afirmações:
a. as proposições I, II e III estão corretas.
IX. Pode-se afirmar que o Romantismo brasileiro foi a manifestação
artística que mais bem expressou o sentimento nacionalista b. somente as proposições I e II estão corretas.
desenvolvido com a independência do país.
c. somente as proposições II e III estão corretas.
IX. Os romancistas românticos, preocupados com a formação de
uma literatura que expressasse a cor local, criaram romances d. somente a proposição II está correta.
considerados regionais, mais pela temática do que pela
linguagem. e. somente a proposição III está correta.

IX. A tendência indianista do Romantismo brasileiro tinha por


objetivo a desmistificação do papel do índio na história do 133. (PUCCAMP-SP) Sobre José de Alencar, é correto afirmar-se que:
Brasil desde a colonização.
a. fixou um dos mais caros modelos da sensibilidade brasileira, o
do índio ideal, principalmente pelo fato de ter focalizado o
Quais estão corretas? indígena sempre em seu habitat, longe do contato com outras
raças, como em O Guarani e Iracema.
a. Apenas I.
b. foi sensível ao drama vivido pelo homem numa sociedade
b. Apenas II. burguesa – a necessidade de obter dinheiro e a de preservar a
integridade da vida do espírito – e deu a esse conflito o
tratamento que determinou sua ruptura definitiva com o
c. Apenas I e II.
idealismo do escritor romântico, como se vê em Lucíola e
em Senhora.
d. apenas I e III.
c. fez-se presente nos três tipos em que se manifestou a ficção da
e. I, II e III. época – determinados pelo espaço em que se desenvolve a
narrativa: cidade, campo, selva –, de que são exemplosLucíola,
O Sertanejo e Iracema.
131. (PUCCAMP-SP) Um juízo crítico que define o estilo de umas das
linhas mestras da poesia de Castro Alves é: d. dotou os protagonistas, nos romances heróicos (O Sertanejo, O
Guarani) de características ideais, mas, subordinando-os aos
acontecimentos da vida corrente, obrigou-os a cometerem atos
a. "Notemos que esse poeta sem requinte foi, do grupo em estudo,
degradantes.
o mais preocupado com a experimentação métrica, revelando o
senso exato da adequação do ritmo à psicologia."
e. foge, num aspecto, do que era uma tendência da ficção
romântica, o interesse pelo passado, quer do indivíduo, quer da
b. "Da presença da história decorre um compromisso com a
nação, pois voltou-se apenas para a observação da realidade
eloqüência: a poesia, como força histórica, se aproxima contemporânea, como em Lucíola e Senhora.
automaticamente do discurso, incorporando a ênfase oratória à
sua magia, que se restringe por isso mesmo ante esta invasão
imperiosa."
134. (FAFEOD-MG) Quanto ao ritmo utilizado por Gonçalves Dias, no

c. "Os seus momentos mais felizes estão nalgumas redondilhas poema I-Juca Pirama observa-se:
delicadas ou em composições de vôo amplo, lançadas no declive
da reflexão e da meditação. a. predominância de versos de redondilha maior.

d. "Quando amplia o âmbito de visão, é ainda matizando de b. uso sistemático do verso decassílabo.
moderada beleza os aspectos ordinariamente exaltantes da
paisagem. O fato dessa natureza existir denota o caráter concreto
c. predominância de um rígido esquema rítmico.
de sua poesia, que, apesar de intensamente subjetiva, se alia à
realidade de uma paisagem despojada de qualquer hipertrofia,
em benefício da atmosfera tênue dos tons menores." d. combinação expressiva de vários tipos de metro.

Língua Portuguesa www.cursoprogressao.com.br 3122 - 38/43


e. uso sistemático do verso alexandrino. d. Em relação ao Arcadismo, a produção poética romântica é
marcada por maior liberdade rítmica, como se nota em I-Juca
Pirama, de Gonçalves Dias.
135. (VUNESP-SP) Costuma-se dizer que as obras inauguradas do
Romantismo em Portugal e no Brasil foram, respectivamente: e. gênero épico, anteriormente trabalhado por Basílio da Gama e
Santa Rita Durão, sobrevive no Romantismo fortemente
associado ao sentimento nacionalista.
a. poema Camões e O Guarani.
139. (UM-SP) A afirmação: "Enquanto, na Europa, os escritores voltavam-
b. Primo Basílio e Suspiros Poéticos e Saudades. se para os tempos da Idade Média, valorizando os heróis que ajudaram a
libertar e construir suas nações, no Brasil desenvolveu-se o Indianismo",
c. poema Camões e Suspiros Poéticos e Saudades. que é uma das formas significativas assumidas pelo:

d. Folhas Caídas e Iracema. a. nacionalismo realista

e. A Moreninha e A Escrava Isaura. b. sentimentalismo romântico

136. (PUC-RS) c. sentimentalismo realista


"Já de morte o palor me cobre o rosto
Nos lábios meus o alento desfalece. d. nacionalismo romântico
Surda agonia o coração fenece
E devora meu ser mortal desgosto!
do leito embalde no macio encosto e. realismo naturalista
Tento o sono reter!... Já esmorece
O corpo exausto que o repouso esquece... 140. (F.C.CHAGAS-BA)
Eis o estado em que a mágoa me tem posto!" "É bela a noite, quando grave estende
A relação mórbida com a morte demonstra que parte da poesia de Álvares Sobre a terra dormente o negro manto
de Azevedo prende-se ao: De brilhantes estrelas recamado;
Mas nessa escuridão, nesse silêncio
a. idealismo amoroso. Que ele consigo traz, há um quê de horrível
Que espanta e desespera e geme n'alma;
Um quê de triste que nos lembra a morte!"
b. saudosismo inconformado.
Os versos acima:
c. misticismo religioso.
a. ilustram a característica romântica da projeção do estado de
d. negativismo filosófico. espírito do poeta nos elementos da natureza.

e. mal do século. b. exemplificam a característica romântica do pessimismo, mal-do-


século, que vê na natureza algo nefando, capaz de matar o poeta.
137. (PUC-RS)
"sou como a pomba e como as vozes dela c. exploram a característica romântica do sentimentalismo
É triste o meu cantar; amoroso, que vê em tudo a tragédia do amor não correspondido.
– Flor dos trópicos – cá na Europa fria
Eu definho corando noite e dia d. apontam a característica romântica do nacionalismo, que
Saudades do meu lar."
valoriza a paisagem de nossa terra.
A estrofe acima salienta uma das linhas da reduzida temática da poesia de
Casimiro de Abreu que é a:
e. apresentam a característica romântica do descritivismo, capaz de
valorização exagerada da natureza.
a. vida familiar.
141. (FUVEST-SP)
b. paisagem nativa. "Já de morte o palor me cobre o rosto
Nos lábios meus o alento desfalece.
c. saudade da pátria. Surda agonia o coração fenece
E devora meu ser mortal desgosto!"
d. ternura sonhadora. Neste fragmento, pertencente a um poema de Álvares de Azevedo, notam-
se as características de qual tendência romântica?
e. timidez amorosa.
a. mal-do-século
138. (UFU-MG) Sobre o movimento romântico brasileiro,
é incorreto afirmar que: b. bucolismo

a. Gonçalves Dias foi um dos fundadores da c. poesia condoreira


revista Guanabara que, juntamente com Niterói, teve papel
importante na divulgação e consolidação das primeiras d. nacionalismo
manifestações românticas no Brasil.
e. indianismo
b. Em termos de história da literatura brasileira, poemas como os
Timbiras e romances como Iracema são obras pioneiras quanto
142. (UFPE) A respeito de I-Juca Pirama, o belo poema de Gonçalves Dias,
ao fato de abordarem o índio como figura temática. podemos afirmar:

c. As Sextilhas de Frei Antão, de Gonçalves Dias, retomam a


temática medieval, inserindo-se numa das vertentes do a. Trata-se de um poema lírico, onde não se percebem momentos
movimento romântico. de intensa dramaticidade.

Língua Portuguesa www.cursoprogressao.com.br 3122 - 39/43


b. Não há multiplicidade de ritmos e metros, caracterizando sua a. "a ele só nos é dado (...) repelir"
monotonia formal.
b. "sentiu e concebeu demais"
c. Trata-se de um poema intensamente autobiográfico.
c. "escreveu em tumulto"
d. Desenvolve o forte amor platônico de Lindóia.
d. "versalhada"
e. Trata-se de um poemeto épico, onde o indianismo é exaltado.
e. "o que resta"
143. (UCPR) Suspiros poéticos e saudades, Memórias póstumas de Brás
Cubas, O mulato são, respectivamente, obras que marcam, no Brasil, a 147. (UM-SP)
introdução dos seguintes movimentos literários: "Senhor Deus dos desgraçados!
Dizei-me vós, Senhor Deus!
a. Romantismo, Simbolismo, Modernismo Se é loucura... se é verdade
Tanto horror perante os céus...
Ó mar! por que não apagas
b. Romantismo, Realismo, Naturalismo
Co'a esponja de tuas vagas
De teu manto este borrão?...
c. Realismo, Simbolismo, Naturalismo Astros! noite! tempestades!
Rolai das imensidades!
d. Realismo, Modernismo, Parnasianismo Varrei os mares, tufão!..."
(Castro Alves)
e. Modernismo, Parnasianismo, Simbolismo Aponte a alternativa incorreta sobre o texto.

a. Os versos 3 e 4 constituem o objeto direto do verbo dizer e, pela


144. (UFSCar-SP) Assinale a opção que melhor preencha a lacuna existente
no seguinte texto: antítese, expressam o desespero do poeta.
"Segundo a interpretação de Karl Mannehim, o ..... expressa os sentimentos
dos descontentes com as novas estruturas: a nobreza, que já caiu, e a b. vocativo do verso 1 é retomado em toda a estrofe, por meio de
pequena burguesia que ainda não subiu: de onde, as atitudes saudosistas ou outros vocativos, no mesmo tom de protesto grandiloqüente.
reivindicatórias que pontuam todo o movimento."
c. Ao lado de Deus, na seqüência dos vocativos, estão as forças
a. Realismo grandiosas da natureza, como o mar, os astros, a noite, as
tempestades e, num desespero crescente do poeta, o tufão.
b. Romantismo
d. Este borrão, objeto direto do verbo apagar, constitui uma
metáfora de algo vergonhoso que recupera e aprofunda o horror
c. Modernismo do verso 4.

d. Impressionismo e. No apelo desesperado do poeta, as grandiosas forças da natureza


não são personificadas, mas, sim, coisificadas nos vocativos que
e. Arcadismo as representam.

(FUVEST-SP) Texto para as questões 145 e 146. 148. (FUVEST-SP) Tomadas em conjunto, as obras de Gonçalves Dias,
"Podemos gostar de Castro Alves ou Gonçalves Dias, poetas superiores a Álvares de Azevedo e Castro Alves demonstram que, no Brasil, a poesia
ele; mas a ele só nos é dado amar ou repelir. Sentiu e concebeu demais, romântica:
escreveu em tumulto, sem exercer devidamente o senso crítico, que possuía
não obstante mais vivo do que qualquer poeta romântico, excetuado
Gonçalves Dias. Mareiam a sua obra poemas sem relevo nem músculo, a. pouco deveu às literaturas estrangeiras, consolidando de forma
versalhada que escorre desprovida de necessidade artística. O que resta, homogênea a inclinação sentimental e o anseio nacionalista dos
escritores da época.
porém, basta não só para lhe dar categoria, mas, ainda, revelar a
personalidade mais rica da geração."
(Antonio Candido, Formação da literatura brasileira) b. repercutiu, com efeitos locais, diferentes valores e tonalidades
da literatura européia: a dignidade do homem natural, a
145. (FUVEST-SP) Com relação a gostar e amar ou repelir, podemos exacerbação das paixões e a crença em lutas libertárias.
depreender que:
c. constituiu um painel de estilos diversificados, cada um dos
a. gostar de não pressupõe, no texto, nenhuma diferença quanto a poetas criando livremente sua linguagem, mas preocupados
amar. todos com a afirmação dos ideais abolicionistas e republicanos.

b. é possível gostar de Castro Alves ou Gonçalves Dias, mas não d. refletiu as tendências ao intimismo e à morbidez de alguns
se pode apreciar o autor não nomeado. poetas europeus, evitando ocupar-se com temas sociais e
históricos, tidos como prosaicos.
c. amor ou repulsa implicam envolvimento mais afetivo que
racional. e. cultuou sobretudo o satanismo, inspirado no poeta inglês Byron,
e a memória nostálgica das civilizações da Antigüidade clássica,
representadas por suas ruínas.
d. se gosta de Castro Alves ou Gonçalves Dias porque são
superiores ao autor em questão.
149. (ITA-SP)
"A moça agitou então a fronte com uma vibração altiva:
e. se ama ou se repele o autor não citado por ele ser inferior aos
dois citados. – Mas o senhor não me abandonou pelo amor de Adelaide e sim pelo seu
dote, um mesquinho dote de trinta contos! [...] Desprezasse-me embora,
mas não descesse da altura em que o havia colocado dentro da minha alma.
146. (FUVEST-SP) Assinale a expressão que melhor denota o juízo Eu tinha um ídolo; o senhor abateu-o de seu pedestal, e atirou-o no pó. Essa
pejorativo de Antonio Candido acerca de boa parte da poesia do autor não degradação do homem a quem eu adorava, eis o seu crime."
nomeado. O excerto acima é do romance ....., cujas personagens principais são .... e ....
.

Língua Portuguesa www.cursoprogressao.com.br 3122 - 40/43


a. Memórias de um sargento de milícias/ Luisinha e Leonardo 31. d

b. A escrava Isaura/ Isaura e Álvaro 32. b

c. Senhora/ Aurélia e Fernando 33. a

d. A Moreninha/ Carolina e Augusto 34. e

e. Memórias póstumas de Brás Cubas/ Virgília e o narrador (Brás 35. a


Cubas).
36. b
1. b
37. d
2. c
38. e
3. e
39. a
4. c
40. e
5. e 41. b

6. a 42. b

7. a 43. c

8. b 44. c

9. b 45. d

10. a 46. a

11. a 47. c

12. d 48. a

13. e 49. e

14. c 50. a

15. a 51. b

16. e 52. c

17. d 53. e

18. a 54. c

19. a 55. c

20. d 56. c

21. c 57. b

22. b 58. b

23. b 59. c

24. d 60. a

25. a 61. b

26. b 62. c

27. d 63. c

28. b 64. e

29. d 65. e

30. e 66. d

Língua Portuguesa www.cursoprogressao.com.br 3122 - 41/43


67. c 103. a

68. a 104. c

69. d 105. a

70. e 106. c

71. b 107. e

72. a 108. b

73. b 109. b

74. d 110. c

75. a 111. a, c e d

76. e 112. e

77. d 113. d

78. c 114. e

79. c 115. a

80. a 116. a
81. b
117. a
82. a
118. d
83. d
119. e
84. e
120. c
85. c 121. d

86. e 122. b

87. c 123. b

88. e 124. e

89. d 125. d

90. c 126. c

91. d 127. b

92. b 128. b

93. d 129. c

94. e 130. c

95. c 131. b

96. b 132. a

97. e 133. c

98. c 134. d

99. a 135. c

100. c 136. e

101. c 137. c

102. e 138. a

Língua Portuguesa www.cursoprogressao.com.br 3122 - 42/43


139. d

140. a

141. a

142. e

143. b

144. b

145. c

146. d

147. e

148. b

149. c

Língua Portuguesa www.cursoprogressao.com.br 3122 - 43/43