Você está na página 1de 8

Projecto Tecnológico

Portefólio de processo

O que é um portefólio?
• É um registo global de um percurso, de um processo pessoal de aprendizagem, sendo
portanto único.
• Deve conter toda a documentação produzida ao longo do projecto.
• É um instrumento de trabalho em constante reformulação.

Itens obrigatórios a constar no portefólio

 Capa
 Índice
 Introdução
 Concepção e elaboração do projecto
 Planeamento do projecto
 Desenvolvimento e execução do projecto
 Avaliação do projecto
 Considerações finais
 Bibliografia
 Anexos
 Auto e hetero avaliações do portefólio

CAPA

 Escola Secundária da Trofa com respectivo logótipo.


 Tema do Projecto
 Sub Tema (produto final)
 Imagem alusiva ao tema

1
 “Portefólio de processo do Projecto, realizado no âmbito da disciplina de Projecto
Tecnológico, da Turma 10 do 12º Ano do Curso Tecnológico de Desporto, sob orientação
da professora Maria José Carvalho Novais Costa/Sandra Castro.”
 Autor(es): Nome, nº
 Data de entrega: 00/00/0000)

ÍNDICE

o Índice geral

INTRODUÇÃO

• Deverá traduzir tudo o que se irá encontrar ao longo do portefólio;


• Especificação do tema do Projecto/problema(s) concreto(s) a tratar, enquadramento e
respectivo justificação para o seu levantamento;
• Objectivos gerais e específicos do projecto a desenvolver.
• Definição do Produto Final para o tema a tratar;
• Metodologias e estratégias para a realização do produto;
• Materiais e Métodos (instrumentos) para a avaliação do produto proposto;

CONCEPÇÃO E ELABORAÇÃO DO PROJECTO


 Identificar o tema/Problema (área de intervenção)* do projecto e o grupo de trabalho;
 *Identificar e caracterizar o problema (área de intervenção) levantado;
 Caracterização da realidade de intervenção: local e destinatários;
 Enquadrar/Justificar o projecto proposto nos objectivos dos seus projectos de vida
profissional e pessoal;
 Conteúdo da pesquisa bibliográfica consultada para justificar/enquadrar o planeamento do
projecto.

PLANEAMENTO DO PROJECTO
 Identificar e formular claramente os objectivos gerais e específicos a atingir com o
projecto;
 Identificar o(s) produto(s) esperado(s)/pretendido(s);

2
 Cronograma: listar, na sequência das pesquisas que se tornem necessárias (pesquisa
Bibliográfica), as estratégias que permitam atingir os objectivos enunciados e o(s)
produto(s) esperado(s), designadamente a definição de actividades/tarefas e de processos
de trabalho.

Na elaboração do cronograma devem ser identificadas as estratégia de realização adequadas ao


produto e aos objectivos pretendidos, explicitando as fases do trabalho e as actividades/tarefas a
levar a cabo, bem como os locais onde terão lugar e os recursos necessários, os elementos do
grupo que as cumprirão (divisão de tarefas) e a sua calendarização (respectivos prazos);

o Realizar o levantamento dos recursos (humanos, materiais e físicos) necessários à


resolução do tema/problema, adequando o projecto aos recursos existentes e disponíveis
na escola e na comunidade (gestão dos recursos);
- Materiais (máquinas, computador, fotocópias, etc
- Físicos (salas de trabalho, espaço para congressos, conferências, etc.);
-Humanos (professores, colaboradores externos ligados ao meio, monitor, etc.);
o Orçamento do projecto;
o Identificar e/ou antecipar possíveis obstáculos. Delinear estratégias de monitorização e
avaliação do processo face a possíveis obstáculos que possam surgir (neste ítem devem
constar as várias versões de planeamento e respectivas justificações).

DESENVOLVIMENTO E EXECUÇÃO DO PROJECTO


o Realizar o produto de acordo com o planeamento do projecto.
o Neste ítem deve constar o desenvolvimento/concretização de todas as estratégias
(actividades/tarefas) necessárias à concretização do produto final.
o Reflexões críticas do desenvolvimento do projecto - reflectir sobre o desenvolvimento do
trabalho de projecto, ou seja, analisar, individualmente e em grupo, os objectivos e as
estratégias propostas, tendo em conta, respectivamente, a sua viabilidade e adequação e
proceder aos ajustamentos considerados necessários.

3
AVALIAÇÃO DO PROJECTO
Neste ítem deve constar a avaliação do(s) produto(s) obtido(s) e do projecto como um todo face
aos objectivos definidos.
Devem ser realizadas todas as estratégias/actividades/tarefas de avaliação previstas no
planeamento do projecto.
Neste ítem também têm que estar incluído os seguintes pontos:

1. Resultados obtidos

Descrever, sem analisar, as observações e os resultados obtidos sob a forma de esquemas,


quadros, gráficos, tabelas, etc. O texto relativo às informações constantes nas tabelas, gráficos, etc
deve ser sucinto e factual.
Esta secção deve ser escrita com o verbo no tempo passado e conter uma exposição clara sobre o
que foi observado e registado, com apoio de tabelas, quadro comparativos e ou figuras em geral
(gráficos, desenhos, mapas, esquemas, fotografias, modelos, fórmulas, símbolos, diagramas, etc.).
As ilustrações são numeradas com algarismos arábicos, sequencialmente e legendadas.
As tabelas, gráficos são numerados e legendados.
Os dados numéricos devem ser submetidos a uma análise estatística.
Neste item deve-se evitar comentários e interpretações. Também deve-se relatar os experimentos
mal sucedidos, os quais podem acontecer em qualquer investigação.
Havendo interesse, pode-se incluir os dados originais ou minúcias, no item “apêndice”.

2. Discussão dos resultados

Análise crítica dos resultados e tentativa da sua justificação com recurso a bibliografia (livros de
referência, artigos e outras fontes, como Internet, mas apenas em páginas de reconhecida
credibilidade científica).
Neste item deve-se fazer uma consideração objectiva dos resultados apresentados, ligando os
novos factos aos conhecimentos anteriores. Deve também, esclarecer as excepções, modificações
e contradições das hipóteses, teorias e princípios relacionados diretamente com o trabalho
realizado. E, finalmente, apontar possíveis aplicações dos resultados obtidos, bem como suas
limitações.

4
3. Conclusões

É nas conclusões que devem ser apresentados os resultados do Produto Final - recapitulação
sintética dos resultados obtidos, ou seja, a avaliação propriamente dita do projecto.
As conclusões devem basear-se nos resultados realmente obtidos. Devem enquadrar-se os
resultados obtidos face aos objectivos inicialmente descritos e procurar extrair conclusões mais
gerais, eventualmente sugeridas pelos resultados.
As conclusões são, portanto, o resumo dos aspectos mais importantes da discussão dos resultados
obtidos em relação aos objectivos definidos inicialmente.
Corresponde à apresentação das respostas ao problema proposto, de modo ordenado, claro e
conciso, sem comentários adicionais nem alusão a fatos novos.

CONSIDERAÇÕES FINAIS
Balanço do projecto desenvolvido face aos objectivos propostos
Corresponde à apresentação das respostas ao(s) problema(s) proposto(s), de modo ordenado,
claro e conciso, sem comentários adicionais nem alusão a fatos novos.
Referência às dificuldades sentidas individualmente e na dinâmica de grupo na realização do
produto final, aspectos a melhorar/recomendações.

BIBLIOGRAFIA

Todas as fontes bibliográficas citadas no texto, devem figurar nesta seção, segundo de acordo com
as normas ( Normas da ABNT). Se for necessário fazer referência a material bibliográfico sem
alusão explícita no texto, colocar logo a seguir com o título “Bibliografia Recomendada”.

Exemplos de referências bibliográficas:

Periódicos

Berlinsky, D. L. & Specker, J. L. (1991). Changes in gonadal hormones during oocyte


development in the striped bass, Morone saxatilis. Fish Physiology and Biochemistry, 9,
51-62.

5
Livros

Sheeler, P. & Bianchi, D. (1987). Cell and molecular biology. Jonh Wiley & Sons, Inc. New
York.

Livro com capítulos de autores diferentes

Wallace, R.A. (1985). Vitellogenesis and oocyte growth in nonmammalian vertebrates. In


"Developmental Biology" (L. W. Browder, eds.), pp. 127-177. Plenum Publishing
Corporation, New York.

Artigo de simpósio

Wiegand, M.D. (1982). Vitellogenesis in fish. In "Proceedings of the International Symposium


on Reproductive Physiology of Fish, Wageringen, Netherlands, 2-6 August 1982" (C.J.J.
Richter & H.J.T. Goss, eds.) pp. 136-146. Centre for Agricultural Publishing and
Documentation, Wageringen.

Tese ou dissertação

Norberg, B. (1989). "The vitellogenesis in salmonid fishes". PhD Thesis, University of


Goteborg, Norway.

Nota: quando no texto se pretende fazer referências a autores – estas devem conter o nome
do autor (ou autores, no caso de serem dois) e o ano da publicação;
- se forem mais de dois autores, apenas deverá figurar o nome do primeiro seguido de et al
ou et al.
- se se tratar de uma referência indirecta, ou seja de uma citação de outro autor dentro da
obra que estamos a consultar, deve-se indicar o autor e a data da citação seguido de in ou in
e colocar depois o autor e data da obra que estamos a consultar.
Por exemplo:

1) Os peixes ósseos são os vertebrados mais numerosos (Storer & Stebbins, 1972)...

2) Relativamente a este aspecto, Parker (1982) conclui que ...

3) Estudos realizados in vitro (Tyler et al, 1990) demonstram que...

4) Nos hepatócitos da truta, o retículo endoplasmático rugoso desenvolve-se


acentuadamente (Selman, 1989 in Maitre, 1991) ...

Quando se referir "comunicação pessoal", esta deve ser indicada apenas no texto, do
seguinte modo: ( J. Coimbra, com. pess., 1994).

6
ANEXOS
Apresentar ordenadamente, devidamente identificados e paginados os anexos mais importantes
para o Projecto como forma de confirmar os procedimentos referidos durante o trabalho.
Os anexos são enumerados com algarismos arábicos, seguidos do título.

Ex.: ANEXO A1 - FOTOGRAFIAS


...... ANEXO A2 – QUESTIONÁRIOS

AUTO E HETERO AVALIAÇÕES DO PORTEFÓLIO

Indicações para a redacção do Portefólio

Para visar a máxima qualidade de desempenho e do produto em realização, os autores dos


projectos deverão:

 manter presentes os objectivos do projecto e a estratégia definida;


 persistir de forma autónoma mas articulada com os colegas, dentro dos prazos previstos,
na conclusão das tarefas que lhe estão atribuídas;
 identificar e propor soluções para os problemas que se foram colocando,
nomeadamente os não antecipados na estratégia definida;
 debater com os colegas do grupo a forma como o trabalho está a decorrer, promovendo as
alterações que se verifiquem necessárias, nomeadamente, no que se refere à dinâmica do
trabalho de grupo (tanto o realizado independentemente como o realizado em grupo);

Em termos de apresentação gráfica:


A linguagem deve ser rigorosa, clara e com carácter científico e técnico.
Não se usa o eu, por exemplo a frase “desenvolvi em seguida o módulo” deve ser “foi
desenvolvido em seguida o módulo” ou “em seguida desenvolveu-se o módulo”. Utilização dos
verbos no impessoal e, se não for possível, na terceira pessoa do plural.
Evitar o uso de expressões “populares” e de opiniões pessoais.
O uso de produções alheias no projecto ou no relatório de desenvolvimento implica a autorização
do autor ou autores, a qual deverá ser expressa com precisão.

7
Citações identificadas - registando todos os dados que permitam a sua identificação. As siglas
devem ser sempre definidas da primeira vez que são usadas, exemplo Práticas de Dinamização
Desportiva(PDD).
Deve ser escrito em letra não serifada (ex: arial ou tahoma), tamanho 12 com espaçamento 1,5 a
duplo entre linhas. As margens laterais, cabeçalho e rodapé devem ter 2,5cm. Paginação no
rodapé à direita. Capítulos numerados. Textos sempre justificados.

É essencial não esquecer de rever ortograficamente os textos/documentos, nem que seja só


com o corrector ortográfico.

As Professoras da Disciplina de Projecto Tecnológico,

Maria José Novais


Sandra Castro