Você está na página 1de 49

ESTUDO ECONÔMICO DE TRATAMENTOS DE

INIBIÇÃO DE DEPOSIÇÃO ORGÂNICA EM POÇOS


TERRESTRES E MARÍTIMOS

Autora: Fernanda Curty Lechuga

(Bolsista Graduação EQ/ANP desde


02 / 04 / 2007 com Ênfase em Gestão e Regulação)

Orientadores: Peter Seidl – EQ/UFRJ


Maria José Guimarães – EQ/UFRJ
Elizabete Lucas – IMA/UFRJ
Sumário
• Introdução
• Objetivo
• Revisão Bibliográfica
– DEPOSIÇÂO PARAFÍNICA;
– DEPOSIÇÂO ASFALTÊNICA;

• Tratamento dos depósitos orgânicos


• Prospecção Tecnólogica
• Estudo de Casos
• Análise Econômica
• Poços Brasileiros
• Conclusões
• Agradecimentos
Introdução

PROBLEMA PARA INDUSTRIA DE PETRÓLEO – DEPOSIÇÃO


ORGÂNICA

Produção de Petróleo  Alteração das condições do reservatório para


a superfície

 Pressão  Viscosidade e Mudanças


 Temperatura na composição do óleo

SEPARAÇÃO
PRECIPITAÇÃO Variações no equilíbrio químico
DEPOSIÇÃO
Introdução

O que é o Petróleo?

É uma mistura multicomponente: discreta e polidispersa

Substâncias sólidas (asfalto), líquidas (óleo cru) e gasosas (gás


natural)

O Grau de dispersão depende da composição química do Petróleo

Polares/Apolares Leves/Pesados
Introdução

Instabilidade da mistura polidispersa

SEPARAÇÃOPRECIPITAÇÃODEPOSIÇÃO

• Conseqüências Econômicas
– Entupimento de poros do reservatório rochoso
– Deposito nas linhas por onde o petróleo escoa
– Redução da eficiência dos equipamentos utilizados na sua produção
– Aumento da viscosidade do petróleo

PERDAS DE PRODUÇÃO  Perda de Milhões de


Dólares.
Locais de Deposição
Objetivo

• Verificar a viabilidade econômica de tratamentos de


prevenção de deposição orgânica pela ação de aditivos
químicos em poços brasileiros.
– Abordagem Econômica - Retorno sobre Investimento.

• Verificar as tendências tecnológicas destes aditivos


Revisão Bibliográfica

Depósitos são constituídos predominantemente por


parafinas e asfaltenos

Deposição Parafínica

Deposição Asfaltênica
Revisão Bibliográfica
Deposição Parafínica

Parafinas  Hidrocarbonetos (C e H)

Parafinas de baixa massa molar  Gás Natural


Parafinas de média e alta massa molar  Petróleo e
Derivados

Divididas em dois grupos: Macrocristalinas e


Microcristalinas
Revisão Bibliográfica
Deposição Parafínica
Revisão Bibliográfica
Deposição Parafínica

• Parafinas  Deposição

CRISTALIZAÇÃO
Etapas: Nucleação
Crescimento
Aglomeração

Problema advindo da cristalização   Viscosidade aparente do


Petróleo  Arranjo Tridimensional

Ocorrência: Paredes internas dos dutos de produção offshore


Revisão Bibliográfica
Deposição Parafínica

Fatores que contribuem para a deposição de parafinas:

• Velocidade de Fluxo  Disponibilidade de partículas

• Taxa de Resfriamento  Formação de cristais menores

• Gradiente de temperatura  TIAC (Temperatura inicial


de aparecimento de cristais)

• Propriedades Superficiais  Rugosidade


Revisão Bibliográfica
Deposição Asfaltênica

Asfaltenos  Fração do Petróleo de alta massa molar


formados por anéis aromáticos policondensados e
cadeias alifáticas laterais, apresentando grupos
funcionais ácidos e básicos que contem heteroátomos
(N, O e S), presença de alguns metais (Ni e V)
Solúveis em benzeno e tolueno
Insolúveis em n-heptano

Tendência a associação
Revisão Bibliográfica
Deposição Asfaltênica

Murgich et al (1996)
Revisão Bibliográfica
Deposição Asfaltênica

Estabilidade dos asfaltenos  Composição,


Temperatura e Pressão
Modelo de Pfeiffer e Saul, 1940 – SARA
(suspensão coloidal)
Revisão Bibliográfica
Deposição Asfaltênica

Desestabilização do sistema de SARA:


- Adição de Saturados
- Remoção da Resina
Revisão Bibliográfica
Deposição Asfaltênica

Teoria de Hildebrand Modelos para predizer a


precipitação dos asfaltenos
1/ 2
 ∆E 
δ = 
 V 

Sistema de Parâmetro de solubilidade mais


aceito  Hansen
δT 2 = δ d 2 + δ H 2 + δ p 2

δ mix =
(δcomp1 * Vcomp1) + (δcomp 2 * Vcomp 2 ) + L + (δcomp n * Vcomp n )
100
Revisão Bibliográfica
Deposição Asfaltênica

Sistema de Petróleo  O estudo do parâmetro de


solubilidade do petróleo tem sido apontado como uma forma de
determinar a estabilidade dos asfaltenos
Dificuldades:
• Determinação do δ de sólidos – asfalteno
• Determinação do δ do sistema solvente – misturas de diversos
componentes que variam em composição de petróleo para
petróleo.

Início de floculação ocorre quando a mudança de composição afeta o


parâmetro de solubilidade do meio solvente e, assim, provoca a
precipitação das frações asfaltênicas.
Tratamento dos depósitos
orgânicos

Métodos:

• Ações Corretivas

• Ações Preventivas
Tratamento dos depósitos
orgânicos
Ações Corretivas

• Mais freqüente na industria de Petróleo.


– Solvente químicos;
– Pigs;
– Raspagens;
– Sistema Termoquímico;
– Outros métodos de tratamentos mecânico.

PIGS e TRATAMENTO TERMOQUÍMICO

Restrições
– volume produzido no poço é elevado  tempo de parada longo 
afeta a lucratividade do poço.
Tratamento dos depósitos
orgânicos

Pigs Tratamento Termoquímico


(SGN)

NH4I + NaNO2  N2 +
NaCl + 2H2O + calor

Limitações:
Limitações: Remoção de parafinas
Remoção de depósitos Eficiente quando o
acumulados depósito já está formado
Grandes volumes de sólidos Ausência de água e
contaminantes
Tratamento dos depósitos
orgânicos
Ações Preventivas

• Método não convencional

– Age retardando ou impedindo a formação dos depósitos.

– Inibidores de Deposição Orgânica – IDO`s

Mecanismo de ação

• Parafinas  Perturbação do crescimento  Modificação da


morfologia dos cristais de parafinas  Modificadores de cristais
de parafinas

• Asfaltenos  Impedimento da agregação dos asfaltenos 


“Peptização”  aumentando a sua estabilidade no petróleo 
Dispersantes de asfaltenos
Prospecção Tecnológica

• Tendências Tecnológicas relacionadas aos aditivos químicos

• Patentes – Base: USPTO


• Período: 1976 a agosto de 2008

• Termos da busca (Título e Resumo)

Dispersantes de asfaltenos

Modificadores de cristais de parafinas


Prospecção Tecnológica

Dispersantes de asfaltenos
• Numero de patentes: 24

Distribuição por ano

18%
16%
14%
Porcentagem de

12%
patentes

10%
8%
6%
4%
2%
0%
2008 2006 2004 2002 2000 1998 1996 1994 1992
Ano
Prospecção Tecnológica

Distribuição por país

EUA
Alemanha
4.2% Itália
12.5%

83.3%
Prospecção Tecnológica

Distribuição por tipo de depositante

Empresa
Pessoa Fisíca
4.2%

95.8%

Porcentagem Porcentagem
Empresa Empresa
de patentes de patentes
BJ Services Exxon
8% 8%
Company Research
Clearwater The
4% 4%
International Lubrizol
Nalco
Shell Oil Company 4% 29%
Chemical
Petrolite
Nuritchem 8% 4%
Corporatio
Agip
Clariant GmbH 13% 4%
Petroli
Marathon Oil Texaco
4% 8%
Company Inc.
Prospecção Tecnológica

• Composição dos dispersantes de asfaltenos

• Formulações multicomponentes

– Derivados da celulose (butil celulose)


– Surfactantes viscoelásticos
– Resinas fenólicas
– Ácidos sulfônicos, carboxílicos
– Ácidos graxos sulfonados
Prospecção Tecnológica

Modificadores de cristais de parafinas


• Numero de patentes: 77 (Analise das 50 primeiras patentes)

Distribuição por ano

14%
Porcentagem de patentes

12%
10%
8%
6%
4%
2%
0%
2008 2006 2004 2002 2000 1998 1996 1994 1992
Ano
Prospecção Tecnológica

Distribuição por país

EUA
2% Coreia do Sul

98%
Prospecção Tecnológica
Porcentagem de
Empresa
Distribuição por tipo de depositante patentes

Chevron U.S.A. Inc. 2%

Cargill, incorporated
2%
USA

Empresa Exxon Chemical


37%
Patents Inc.
Pessoa Física
ConocoPhillips
8% 2%
Company

ExxonMobil
Research &
9%
Engineering
Company

Mobil Oil 33%


92%
BJ Services
2%
Company

The Lubrizol
4%
Corporation

BP Amoco
4%
Corporation

Oak International,
2%
Inc.

Yukong Limited 2%
Prospecção Tecnológica

• Composição dos modificadores de cristais de parafinas

• Polímeros (homo e copolímeros)

– Cadeias poliméricas terminadas por grupamentos vinílicos


– Copolímeros de cadeia linear ou ramificada composto por etileno, estireno
e acetato de vinila
– Copolímeros em bloco
Estudo de Casos

Estudo de Casos – Pesquisa a 50 artigos do


Society Petroleum Engineer
Estudo de Casos

• México
• OffShore
• Óleo Asfaltênico
• Redução da Produção
• 2.291 bpd 1.483 bpd
• Perda de U$ 12.120/dia
• Tratamento:
– 880 galões de
dispersantes;
– 6.700 galões de
solvente.
– Tempo: 24horas
– Custo: U$ 50.000
• Produção após
tratamento: 2.750 bpd
• (16 meses)
• Rendimento:
• U$ 9,3 milhões.
Estudo de Casos

• Venezuela

• Primeiro tratamento: Solvente  Xileno


• Tempo: 12 a 24 h
• Falha após 7 meses
• Custo da limpeza: US$50.000 por evento
• Duração da limpeza: 48h

• Segundo tratamento:
• Squeeze (dispersantes de asfaltenos)
Antes do Depois do
• Receita: US$1.339.404 tratamento tratamento
Ganho

Produção (BOPD)
2106 2306 200
Pressão na cabeça do
poço (psi) 1600 1800 200
Pressão no fundo do
poço (psi) 4650 4950 300
Frequência de
entupimento (meses) 7 8 1
Estudo de Casos
Estudo de Casos

• Carito,
Venezuela;
• Offshore;
• Óleo
Asfaltênico;
• Tratamento:
Inibidor de
asfalteno;
• Período do
tratamento:
48h;
• Intervenção:
1 vez ao ano
Cenário mundial  problemas Experiências de outros
de deposição orgânica países na utilização de inibidores

Analise Econômica
Metodologia
Retorno sobre Investimento

Poços
Brasileiros Vantajoso ???????
Análise Econômica

• Retorno sobre Investimentos - ROI

Lucro Líquido
ROI =
Investimentos
Análise Econômica

• Produções offshore – Considerações

• Freqüência de falha;
• Tempo da remediação;
• Custo anual para remediar um entupimento causado por
asfalteno/parafina em águas profundas;
• Custo anual de um tratamento típico com inibidores de
asfaltenos/parafinas;
• Cenário Atual do Preço do barril de petróleo US$111,79.

Custo de Re mediação × numero de falhas Perda de Pr odução × numero de falhas Custo do tratamento
+ −
ROI = ano ano ano
Custo do tratamento
ano
Aplicação do ROI em poços
brasileiros
• Literatura Técnica – 50 artigos SPE

• Freqüência de falha  1 a 2 vezes ao ano;


• Tempo da remediação  1 a 2 dias;
• Custo anual para remediar um entupimento causado por
asfalteno/parafina em águas profundas  US$ 2
milhões;
• Custo anual de um tratamento típico com inibidores de
asfaltenos/parafinas  US$ 350.000/ano;
• Cenário Atual do Preço do barril de petróleo US$111,79
• Perda de Produção  Produção diária x dias de
remediação x preço do barril de petróleo.
• Produção diária  ?????
Aplicação do ROI em poços
brasileiros
Custo do ROI =
Ganho na Preco do Barril Ganho Ganho Efetivo Ganho Efetivo ROI = (Rendimentos -
tratamento (Rendimentos -
Producao (bpd) (U$/barril) (U$/dia) (U$/dia) (U$/ano) Custos)/Custos (%aa)
químico Custos)/Custos
100 111,79 11.179 11.738 4.284.352 350.000 1.124 11,24
200 111,79 22.358 23.476 8.568.704 350.000 2.348 23,48
300 111,79 33.537 35.214 12.853.055 350.000 3.572 35,72
400 111,79 44.716 46.952 17.137.407 350.000 4.796 47,96
500 111,79 55.895 58.690 21.421.759 350.000 6.021 60,21
1.000 111,79 111.790 117.380 42.843.518 350.000 12.141 121,41
2.000 111,79 223.580 234.759 85.687.035 350.000 24.382 243,82
3.000 111,79 335.370 352.139 128.530.553 350.000 36.623 366,23
4.000 111,79 447.160 469.518 171.374.070 350.000 48.864 488,64
5.000 111,79 558.950 586.898 214.217.588 350.000 61.105 611,05
6.000 111,79 670.740 704.277 257.061.105 350.000 73.346 733,46
7.000 111,79 782.530 821.657 299.904.623 350.000 85.587 855,87
8.000 111,79 894.320 939.036 342.748.140 350.000 97.828 978,28
9.000 111,79 1.006.110 1.056.416 385.591.658 350.000 110.069 1.100,69
10.000 111,79 1.117.900 1.173.795 428.435.175 350.000 122.310 1.223,10
20.000 111,79 2.235.800 2.347.590 856.870.350 350.000 244.720 2.447,20
30.000 111,79 3.353.700 3.521.385 1.285.305.525 350.000 367.130 3.671,30
40.000 111,79 4.471.600 4.695.180 1.713.740.700 350.000 489.540 4.895,40
50.000 111,79 5.589.500 5.868.975 2.142.175.875 350.000 611.950 6.119,50
60.000 111,79 6.707.400 7.042.770 2.570.611.050 350.000 734.360 7.343,60
70.000 111,79 7.825.300 8.216.565 2.999.046.225 350.000 856.770 8.567,70
80.000 111,79 8.943.200 9.390.360 3.427.481.400 350.000 979.180 9.791,80
90.000 111,79 10.061.100 10.564.155 3.855.916.575 350.000 1.101.590 11.015,90
100.000 111,79 11.179.000 11.737.950 4.284.351.750 350.000 1.224.001 12.240,01
Aplicação do ROI em poços
brasileiros
Tempo de Custo Médio de Preço Barril Custo Médio do Tratamento Perda de
Produção Diaria Falha (vezes
remediação Remediação em de Petroleo com inibidores polímericos Produção ROI ROI (%)
(bpd) por ano)
(dias) Águas Profundas (US$/barril) (US$/ano) (US$)
180.000 2 5 2.000.000 111,79 350.000 100.611.000 585,35 58534,86
180.000 2 4 2.000.000 111,79 350.000 80.488.800 470,36 47036,46
180.000 2 3 2.000.000 111,79 350.000 60.366.600 355,38 35538,06
180.000 2 2 2.000.000 111,79 350.000 40.244.400 240,40 24039,66
180.000 2 1 2.000.000 111,79 350.000 20.122.200 125,41 12541,26

180.000 1 5 2.000.000 111,79 350.000 100.611.000 292,17 29217,43


180.000 1 4 2.000.000 111,79 350.000 80.488.800 234,68 23468,23
180.000 1 3 2.000.000 111,79 350.000 60.366.600 177,19 17719,03
180.000 1 2 2.000.000 111,79 350.000 40.244.400 119,70 11969,83
180.000 1 1 2.000.000 111,79 350.000 20.122.200 62,21 6220,63
Marlim Sul, Marlim Leste, Roncador, Albacora Leste.

Tempo de Custo Médio de Preço Barril Custo Médio do


Produção Diaria Falha (vezes Perda de
remediação Remediação em de Petroleo Tratamento com inibidores ROI ROI (%)
(bpd) por ano) Produção (U$)
(dias) Águas Profundas (U$) (U$/barril) polímericos (U$/ano)
100.000 2 5 2.000.000 111,79 350.000 55.895.000 329,83 32982,86
100.000 2 4 2.000.000 111,79 350.000 44.716.000 265,95 26594,86
100.000 2 3 2.000.000 111,79 350.000 33.537.000 202,07 20206,86
100.000 2 2 2.000.000 111,79 350.000 22.358.000 138,19 13818,86
100.000 2 1 2.000.000 111,79 350.000 11.179.000 74,31 7430,86

100.000 1 5 2.000.000 111,79 350.000 55.895.000 164,41 16441,43


100.000 1 4 2.000.000 111,79 350.000 44.716.000 132,47 13247,43
100.000 1 3 2.000.000 111,79 350.000 33.537.000 100,53 10053,43
100.000 1 2 2.000.000 111,79 350.000 22.358.000 68,59 6859,43
100.000 1 1 2.000.000 111,79 350.000 11.179.000 36,65 3665,43

Golfinho
Aplicação do ROI em poços
brasileiros
Tempo de Custo Médio de Preço Barril Custo Médio do
Produção Diaria Falha (vezes Perda de
remediação Remediação em de Petroleo Tratamento com inibidores ROI ROI (%)
(bpd) por ano) Produção (U$)
(dias) Águas Profundas (U$) (U$/barril) polímericos (U$/ano)
60.000 2 5 2.000.000 111,79 350.000 33.537.000 202,07 20206,86
60.000 2 4 2.000.000 111,79 350.000 26.829.600 163,74 16374,06
60.000 2 3 2.000.000 111,79 350.000 20.122.200 125,41 12541,26
60.000 2 2 2.000.000 111,79 350.000 13.414.800 87,08 8708,46
60.000 2 1 2.000.000 111,79 350.000 6.707.400 48,76 4875,66

60.000 1 5 2.000.000 111,79 350.000 33.537.000 100,53 10053,43


60.000 1 4 2.000.000 111,79 350.000 26.829.600 81,37 8137,03
60.000 1 3 2.000.000 111,79 350.000 20.122.200 62,21 6220,63
60.000 1 2 2.000.000 111,79 350.000 13.414.800 43,04 4304,23
60.000 1 1 2.000.000 111,79 350.000 6.707.400 23,88 2387,83
Jubarte.

Tempo de Custo Médio de Preço Barril Custo Médio do


Produção Diaria Falha (vezes Perda de
remediação Remediação em de Petroleo Tratamento com ROI ROI (%)
(bpd) por ano) Produção (U$)
(dias) Águas Profundas (U$) (U$/barril) inibidores polímericos
20.000 2 5 2.000.000 111,79 350.000 11.179.000 74,31 7430,86
20.000 2 4 2.000.000 111,79 350.000 8.943.200 61,53 6153,26
20.000 2 3 2.000.000 111,79 350.000 6.707.400 48,76 4875,66
20.000 2 2 2.000.000 111,79 350.000 4.471.600 35,98 3598,06
20.000 2 1 2.000.000 111,79 350.000 2.235.800 23,20 2320,46

20.000 1 5 2.000.000 111,79 350.000 11.179.000 36,65 3665,43


20.000 1 4 2.000.000 111,79 350.000 8.943.200 30,27 3026,63
20.000 1 3 2.000.000 111,79 350.000 6.707.400 23,88 2387,83
20.000 1 2 2.000.000 111,79 350.000 4.471.600 17,49 1749,03
20.000 1 1 2.000.000 111,79 350.000 2.235.800 11,10 1110,23

Piranema.
Conclusões

• Os depósitos de patentes sobre inibidores de deposição orgânica


(modificadores de cristais de parafinas e dispersantes de
asfaltenos) não é regular ao longo dos anos.

• As empresas são as principais depositantes de patentes, dentre as


quais se destacam a Nalco Chemical e Exxon Chemical para
dispersantes de asfaltenos e modificadores de cristais de parafinas,
respectivamente.

• O país que mais tem investido em pesquisa e desenvolvimento e


conseqüentemente deposita um maior numero de patentes são os
Estados Unidos, seguido da Alemanha.
Conclusões

• O estudo de casos aos artigos do SPE, foram de fundamental


importância na obtenção dos dados de custos, assim como, para
verificar o desempenho da atuação dos IDO`s, aumentando em
todos os casos a vazão de produção nos poços.

• Nos cenários mais otimistas do estudo o tratamento preventivo da


formação de depósitos orgânicos com aditivos é economicamente
vantajoso apresentando um retorno de mais de US$10,00, no
cenário atual.

• Nos casos onde as intervenções devido à deposição orgânica são


freqüentes o retorno obtido com o tratamento preventivo foi muito
elevado cerca de US$ 120,00 para grandes volumes de óleo.
Agradecimentos