Você está na página 1de 10

Manuscrito Iñigo Jones, 1607.

O manuscrito de Iñigo Jones corresponde à família "Spencer" dos Deveres Antigos


e foi publicado pela primeira vez na íntegra na Revista Maçônica de julho de 1881.
Hughan, na segunda edição de sua obra As Velhas Cargas dos Maçons Britânicos,
Ele faz uma descrição cuidadosa do manuscrito e inclui um fac-símile com foto
reduzida na página IX.

O original do manuscrito Iñigo Jones é particularmente bonito, em forma de livro,


suntuosamente coberto com artigos de couro vermelho, artisticamente projetado
por dentro e por fora, com medidas aproximadas de 15 por 9 polegadas.

A primeira página em branco é anexada; depois, há uma folha em branco; em


seguida, siga a capa, o título, 25 páginas de texto escritas em um lado de cada
folha e, finalmente, outras 20 folhas em branco, a última das quais também Está
preso à tampa. Na ocasião, alguém cortou duas páginas em branco; Na última
dessas páginas em branco, duas linhas paralelas de orifícios da agulha aparecem
como se uma fita tivesse sido costurada (em alguns documentos antigos, foi
estipulado que a fita fosse impressa com um carimbo na ponta): do Regulamento
da Ordem da Liga.

O texto é escrito de uma maneira muito cuidadosa e artística, sua encadernação é


escarlate e sua bela conclusão parece indicar que foi feita sob indicações precisas
para um propósito especial, talvez uma Loja distinta, algum personagem real ou
algum nobre.

Por outro lado, este manuscrito é um dos mais controversos sobre sua antiguidade
e autenticidade.

O título completo do manuscrito é o seguinte: "A Constituição Antiga dos Maçons


Livres e Aceitos" e é datado de "1607"; na página oposta ao título, há uma
ilustração alegórica para o Departamento de Construção, no pé da inscrição "Iñigo
Jones" delin - MDCVII. "A partir da análise de todas as alternativas acima, surgem
pelo menos três perguntas básicas: o manuscrito pertence a Iñigo Jones? Esse
personagem é o autor da ilustração alegórica? A data do título está correta? Para
essas três perguntas, o crítico especializado tende a respondê-las de maneira
negativa.

O arquiteto inglês Iñigo Jones nasceu em 1573, foi enviado para estudar na Itália e
retornou à Inglaterra em 1605; Desde aquele momento até sua morte, que ocorreu
aos oitenta anos em 1653, ele se dedicou a construir a nobreza de seu
país. Assim, parece que o manuscrito poderia ter sido obra de suas mãos, a data
coincide cronologicamente e pode-se presumir que o manuscrito foi feito por Jones
a pedido de seus patronos principescos.

No entanto, existem certos argumentos contrários a essas considerações. Por


exemplo, embora as figuras na ilustração sejam bem desenhadas, a perspectiva
das pedras, do pedestal e dos fragmentos de uma coluna quebrada é tão mal
delineada que seria impossível para um artista e arquiteto talentoso como Iñigo
Jones ter sido seu autor
Nem a ação parece corresponder à data inserida; Segundo o Dr. FC Price, o tipo
de escrita do manuscrito corresponde mais à metade do século XVIII do que ao
início do século XVII.

Deixando de lado esses aspectos que poderíamos chamar de "artísticos", alguns


elementos críticos emergem do próprio texto.

A principal é a questão das duas cartas trocadas entre o rei Salomão e Hiram de
Tiro, que só aparecem nos manuscritos correspondentes à família "Spencer"
("Spencer", "Dodd", "Cole" e "Jones"). ”); as passagens mencionadas foram
retiradas do historiador Flavio Josefo, especificamente das traduções para o inglês
feitas pelo Dr. Thomas Lodge nos anos 1602, 1609, 1620, 1632, 1640, 1655 e
1670.

Mas essas edições contêm um erro: a palavra histórica e biblicamente correta


"sidonianos" foi incorretamente traduzida como "macedônios". O Dr. Begemann
descobriu esse erro na edição de 1670 e, portanto, argumentou que a data do
manuscrito "Iñigo Jones" não pode ser anterior; mas o Dr. Rylands apontou que,
embora a edição de 1640 tenha dado a palavra correta ("Sidonians"), a edição
posterior de 1655 (cuja existência não havia sido registrada pelo Dr. Begemann)
cometeu o erro mencionado novamente e que, consequentemente, a data deve ser
datada de 1655.

O outro ponto crítico, também mencionado no texto, é que o manuscrito "Iñigo


Jones" indica Hiram Abiff como o nome do arquiteto que construiu o Templo de
Salomão; No entanto, esse nome aparece apenas em outro manuscrito datado de
1722; no entanto, o autor do manuscrito pode ter confiado não exclusivamente na
obra de Flavio Josephus para sua escrita e incluir a fonte bíblica, uma vez que o
Livro dos Reis inegavelmente inclui Hiram como o arquiteto do templo. Existe um
consenso geral entre especialistas de que o manuscrito não pode ser datado antes
de 1655 como o limite mais antigo. Se essa data for aceita como a primeira
possível, o manuscrito pode não ter pertencido ao arquiteto Iñigo Jones, pois ele
havia morrido dois anos antes.

O manuscrito original foi vendido em 12 de novembro de 1879, em Londres; pela


empresa "Pickering y Cía". ele foi revendido ao Rev. AFA Woodford, cuja morte foi
comprada por George Kenning, de quem um maçom chamado George Taylor o
comprou e o transferiu para a Biblioteca Maçônica de Worcester, cuja custódia ele
está atualmente .

É impossível transcrever todas as posições adotadas sobre a data e a


autenticidade deste manuscrito, mas a controvérsia se desenvolveu,
historicamente, nos artigos do Dr. Begemann na revista The Freemason de 9 e 16
de julho de 1887, na carta de WH Rylands publicado na Crônica dos Maçons de 5
de novembro de 1887, o artigo do Dr. Begemann publicado em AQC Transactions,
Vol. I, p. 152-161 e nas linhas dedicadas ao assunto por WJ Hughan em seu livro
The Old Charges of British Freemasons, p. 132-137.

(Dr. Jorge F. Ferro - Conicet)


A Antiga Constituição dos Maçons Livres e
Aceitos 1607
“O poder do Pai do céu e a sabedoria do Filho Glorioso, pela graça e bondade do
Espírito Santo, três pessoas e um Deus; que esteja conosco e nos dê tanta graça
para nos governar aqui em nossa vida, para que possamos alcançar sua bem-
aventurança que nunca terminará. Amém

Bons irmãos e companheiros, nosso objetivo é contar a você como e de que


maneira esse digno trabalho da Maçonaria foi iniciado; e depois; como foi mantido
e promovido por reis e príncipes dignos e por muitos outros homens dignos.

E também para aqueles que estão aqui, cuidaremos dos deveres que todos os
Maçons Livres devem manter; Bem, de boa fé, se prestarem boa atenção a eles,
merecem ser bem cuidados, pois a Maçonaria é um comércio digno, uma ciência
curiosa e uma das ciências liberais.

Os nomes dessas sete ciências liberais:

I.- Gramática, e que ensina o homem a falar e escrever corretamente.

II.- Retórica, e que ensina o homem a falar bem e em termos suaves.

III.- Lógica, e que ensina o homem a discernir entre verdade e falsidade.

IV.- Aritmética, que ensina o homem a calcular e contar todos os tipos de números.

V.- Geometria, e que ensina o homem a medir e medir a terra, e todas as outras
coisas; cuja ciência se chama Maçonaria.

VI.- Música, que dá ao homem a capacidade de cantar, ensinando-lhe a arte da


composição; e tocar vários instrumentos, como o órgão e a harpa metodicamente.

VII.- Astronomia, que ensina o homem a conhecer o curso do sol, da lua e das
estrelas.

Note, eu imploro, que estes sete estejam contidos sob geometria, pois isso ensina
medida e medida, peso e peso, para tudo na e em toda a terra como você
conhece; que todo homem, por profissão, trabalha por medida. Armadores,
navegadores, produtores e todos eles usam geometria; pois nem a gramática, a
lógica nem nenhuma das ciências mencionadas podem subsistir sem
geometria; Ergo, muito digno e honrado.

Você me perguntou como essa ciência foi inventada, minha resposta é a seguinte:

Antes do dilúvio universal, comumente chamado de dilúvio de Noé, havia um


homem chamado Lameque, como pode ser lido no capítulo IV de Gênesis; quem
tinha duas esposas, uma chamada Ada, a outra Zilla; para Ada, ele teve dois
filhos, Jabal e Jubal; para Zilla, ele teve um filho chamado Tubal e uma filha
chamada Naamah: os quatro filhos fundaram o começo de todos os ofícios do
mundo: Jabal fundou a geometria e dividiu os rebanhos de ovelhas, primeiro Ele
construiu uma casa de pedra e troncos. Seu irmão Jubal fundou a arte da música,
ele era o pai de todos que pressionavam a harpa e o órgão. Tubal-Caim era o
instrutor de todos os arquitetos de bronze e ferro, e a filha fundou a arte de tecer.
Essas crianças sabiam bem que Deus se vingaria do pecado, do fogo ou da
água; por esse motivo, eles escreveram as ciências que haviam fundado em duas
colunas, que seriam encontradas após o dilúvio de Noé. Uma das colunas era de
mármore, por isso não seria queimada por nenhum fogo, e a outra pedra era
laterna (latomus? Tijolo?). Portanto, não seria inundada com água.

Nossa próxima tentativa é dizer com sinceridade, como e de que maneira essas
pedras foram encontradas nas quais essas ciências foram escritas. O grande
Hermes (chamado Trismegisto, ou três vezes grande), sendo rei, sacerdote e
filósofo, (no Egito), ele encontrou um deles e viveu no ano do mundo dois mil e
setenta e seis, no reino de Ninus , e alguns pensam que ele era neto de Cush,
neto de Noe, ele foi o primeiro a começar a abandonar a astrologia para admirar as
outras maravilhas da natureza; ele provou que havia um deus, criador de todas as
coisas, ele dividiu o dia em doze horas. Pensa-se também que ele foi o primeiro a
dividir o zodíaco em doze signos, a era de Osíris, rei do Egito; e diz-se que ele
havia inventado escritos e hieróglifos comuns, a primeira lei dos egípcios;

E durante a construção da Babilônia, muito fez a Maçonaria; e o rei de Babilônia, o


poderoso Nimrod, em pessoa, era maçom, como as histórias antigas dizem, e
quando a cidade de Ninive e outras cidades do leste tiveram que ser construídas,
Nimrod, rei da Babilônia, enviou maçons para lá a pedido do Rei de Ninive, seu
primo; e quando os enviou, ele lhes deu um dever desta maneira. Que eles seriam
honestos um com o outro e que realmente se amariam; e que eles serviriam
sinceramente ao Senhor por seu salário, para que seu professor tivesse honra e
tudo o que devia, e muitos outros deveres que ele lhes dava; e foi a primeira vez
que todo maçom tinha algum dever em seu cargo.

Também quando Abraão e Sara, sua esposa, foram para o Egito, e lá ensinaram
as sete ciências aos egípcios, ele teve um estudante digno, cujo nome era
Euclides, e ele aprendeu muito bem e se tornou um grande professor das sete
ciências; e em seus dias, aconteceu que os senhores e os estados da região
tiveram muitos filhos; e eles não tinham um modo de vida competente para seus
filhos. Foi por isso que eles seguiram conselhos com o rei da terra, como poderiam
colocar seus filhos honestamente como cavaleiros, mas não encontraram um bom
caminho, e depois proclamaram por todo o país que, se houvesse alguém, quem
poderia informá-los, que ele seria recompensado por sua viagem e que a manteria
bem. Depois que esse apelo foi feito; Então veio o digno clérigo Euclides, e disse
ao rei e aos senhores:

Se você me der seus filhos para educar, ensinarei uma das sete ciências, onde
quer que você possa viver honestamente, como os cavalheiros devem fazê-lo; sob
a condição de que você os entregue a mim, e que eu tenha o poder de governá-lo
de acordo com o modo como a ciência deve ser governada, e que o rei e o
conselho patrocinem e selem imediatamente essa comissão, e então esse digno
clérigo Euclides levou com ele os filhos dos senhores, e ensinou-lhes a ciência da
geometria, na prática, a trabalhar em pedra, todas as formas de trabalho decente,
que correspondem à construção de igrejas, templos, torres, castelos; e todos os
outros tipos de edifícios; e ele lhes deu um dever dessa maneira.

Primeiro, eles seriam honestos com o rei e com o senhor a quem serviam; e à
empresa em que foram admitidos; e que eles amariam e seriam sinceros um ao
outro; e que eles se chamavam parceiros ou irmãos; e não seu servo ou servo,
nem por qualquer outro nome bobo; e que eles realmente merecem o pagamento
do Senhor; ou o mestre das obras que eles serviram.

Que eles ordenariam que o mais sábio deles fosse o mestre das obras; e que nem
por amor nem por linhagem, riquezas ou favores, eles colocam outro, que tinha
pouca habilidade, para ser o mestre das obras do Senhor; onde quer que o Senhor
seja mal servido, e eles tenham vergonha; e também, que chamariam o
governador dos empregos no momento em que trabalharem com ele.

E muitos outros deveres que ele lhes deu, que são longos demais para serem
cumpridos, e para todos esses deveres, ele os fez jurar uma grande promessa,
que os homens costumavam fazer naquele tempo.

E ele ordenou um pagamento razoável para eles, para que em qualquer lugar que
vivessem honestamente; e também que eles se reuniam todos os anos uma vez,
para consultar como deveriam trabalhar melhor para servir ao Senhor, para seu
benefício e para seu próprio crédito, e para se corrigir entre eles se alguém
cometesse um crime contra o comércio.

E assim o escritório se estabeleceu ali, e aquele digno clérigo Euclides deu a ele o
nome de geometria; e agora é chamado em toda a terra Maçonaria.

A partir daqui, muito tempo depois, quando os filhos de Israel atingiram a terra dos
jebuseus que hoje é chamada Jerusalém, o rei Davi começou o templo que é
chamado (templo do Senhor) por nós o templo de Jerusalém, ou templo do
Senhor. O famoso rei Davi amou os maçons e os protegeu, e deu-lhes um bom
salário. E ele lhes deu os deveres da maneira como foram dados no Egito, por
Euclides; e outros deveres, como você ouvirá mais tarde.

Após a morte do rei David Salomão, ele enviou Hiram, rei de Tiro, para alguém que
era um trabalhador qualificado (chamado Hiram Abif), filho de uma mulher da
linhagem de Naftali e Urias, o israelita.

Salomão a Hirão, rei.

Você sabia que meu pai, tendo um desejo de construir um templo para Deus, foi
separado de sua realização pelas contínuas guerras e problemas que ele tinha que
ter; pois ele nunca descansou, tanto que derrotou seus inimigos, enquanto os fazia
homenagem a ele. Pela minha parte, agradeço ao deus da paz que possuo; e,
portanto, pelos mesmos meios, tenho a oportunidade (de acordo com meu próprio
desejo) de construir um templo para Deus; porque é como meu pai me disse que
sua casa seria construída durante o meu reino.

Ele também derrubou o segundo templo, que havia sido concluído no reino de
Dario, e enviou mil carros para remover pedras do local; e escolheu dez mil
trabalhadores qualificados e qualificados para cortar e modelar pedras; e mil ele os
escolheu e os vestiu e os tornou professores e diretores das obras; e ele construiu
um novo templo nas fundações que Salomão havia construído, não inferior ao
primeiro; e foi terminado nove anos antes do nascimento de nosso salvador.

Por amor de quem, peço-lhe, envie-me alguns de seus homens hábeis com meus
servos às florestas do Líbano para cortar árvores naquele lugar; Pois os
macedônios são mais hábeis em cortar e preparar toras do que nosso povo; e
pagarei os machados de madeira de acordo com o seu endereço.
Hiram ao rei Salomão.

Você tem motivos para agradecer a Deus; em você ele deixou o reino de seu pai
em suas mãos; Eu lhe digo que você é um homem sábio e virtuoso; Por cuja
causa, nenhuma notícia que me chega pode ser mais boa, nem um trabalho de
amor mais estimado do que isso. Cumprirei tudo o que você pediu; porque, depois
de cortar um grande número de cedros e bosques do Líbano, os enviarei por mar,
pelos meus servos; a quem eu vou ordenar (e providenciar vasos adequados) até
que eles terminem de entregá-los no lugar do seu reino que mais lhe agrada; que
então, seus súditos podem transportá-los para Jerusalém. Você fornecerá o
estoque de grãos quando precisarmos, porque habitamos uma ilha.

Salomão, filho do rei Davi, para terminar o templo que seu pai havia começado,
enviado pelos maçons para vários países e os reuniu, de modo que ele tinha
oitenta mil trabalhadores que eram trabalhadores de pedra, e todos foram
chamados de pedreiros. e ele escolheu três mil deles para serem professores e
governantes de seu trabalho.

Hirão, rei de Tiro, enviou seus servos a Salomão, pois ele sempre amou o rei
Davi; e ele enviou toras a Salomão e trabalhadores para ajudar a construir o
templo; e ele enviou alguém chamado Hiram Habif, filho de uma viúva da linhagem
Neptali; Ele era um mestre da geometria, e eles eram seus maçons, escultores,
gravadores e trabalhadores, e fundições de bronze e todos os outros metais
usados no templo.

O rei Salomão confirmou todos os deveres e costumes (costumes) que seu pai
havia dado aos maçons, assim como o trabalho decente da maçonaria foi
confirmado em Jerusalém e em muitos outros reinos. E ele terminou o templo no
ano do mundo mmm.

Homens inquietos do comércio vagavam amplamente em vários países; alguns


para aprender mais sobre o comércio e as habilidades, outros para ensinar
aqueles com poucas habilidades

E na destruição do primeiro templo por Nabucodonosor, depois de ter permanecido


o ano de XXXXX.

O segundo templo começou no reino de Ciro dez anos depois da destruição,


sendo este mais tarde; Foram XlVI anos em construção e foram concluídos no
reino de Dario.

No reino de Ptolomeu e Cleópatra Onias, construiu um templo judaico no Egito no


local chamado Bubastiss, e mais tarde chamado por seu próprio nome.

A torre Straton (também conhecida como Caesaria), construída por heróis na


Palestina, e muitas outras curiosas obras de mármore, como o templo de César
Agrippa em sua memória, no país chamado Lenodoras, perto de um lugar
chamado Panion.

Após o nascimento de nosso salvador, Aururiagus, rei da Bretanha, Cláudio, o


imperador, chegou com um exército; e temendo ser vencido, fez uma aliança
(aliança) com ele; e deu a filha em casamento; e que ele apoiaria seu reino de
romanos e, assim, o imperador retornou. No ano xiiii, após o nascimento de Cristo,
os maçons foram para a Inglaterra e construíram um bom mosteiro perto de
Glassenbury, com muitos castelos e torres.
Esta arte sumptuosa da geometria; ser professado por imperadores, reis, papas,
cardeais e inúmeros príncipes, que nos deixaram seus monumentos permanentes
nos muitos lugares de seus domínios; nem isso será negado, presumo, quando
considerado, que o renomado exemplo da coluna trajan seja um dos restos mais
magníficos da magnificência romana que ainda estão de pé; e que ele imortalizou
o imperador trajan mais do que todas as penas dos historiadores. Isso foi erguido
para ele pelo Senado e pelo povo de Roma; em memória daqueles grandes
serviços que ele prestou ao país e, no final, sua memória pode permanecer por
todas as idades sucessivas; e continuará tanto quanto o próprio império.

E nos dias de St. Alban, o rei da Inglaterra era pagão, que construiu muralhas da
cidade chamada Verulum; e St. Alban era um cavaleiro digno e mordomo da casa
do rei; e ele obteve o governo da região, e também das muralhas da cidade, e
amou bem os maçons e os protegeu muito, e fez seus pagamentos corretamente,
mantendo-se como a região naquele tempo; Pois ele lhes dava dois xelins por
semana, e três centavos por isso antes do tempo em todo o país, um maçom não
tinha mais de um centavo por dia e sua carne, até que o albanês o alterou.

E ele lhes deu uma carta constitucional do rei para realizar um conselho anual e
deu-lhe o nome da assembléia, e ele estava lá pessoalmente e ajudou a fazer
maçons, e lhes deu deveres de mantê-los mais tarde.

Isso realmente aconteceu após o martírio de St. Alban, que é sinceramente o proto
mártir da Inglaterra; que um certo rei invadiu a terra e destruiu a maioria dos
nativos por fogo e espada. Que as ciências da Maçonaria haviam decaído muito,
até o reino de Etelberto King of Kent; Gregório primeiro apelidado de Magnus,
enviou um monge junto com outros homens instruídos à ilha da Bretanha, para
pregar a fé cristã, porque esta nação ainda não a havia recebido
completamente. Etelberto disse que construiu uma igreja em Canterbury e
dedicada a São Pedro e São Paulo; e ele deveria ter construído ou restaurado a
Igreja de St. Paul em Londres: ele também construiu a Igreja de St. Andrew em
Rochester.

Siberto, rei dos saxões do Oriente, pela persuasão de Atelberto, rei de Kent, tendo
recebido a fé cristã; Ele construiu o mosteiro em Westminster, em homenagem a
Deus e São Pedro. Sigeberto, rei dos cantos do leste, começou a erguer a
universidade de Cambridge.

Athelstane iniciou seu reinado, ele era um homem amado por todos os homens,
tinha grande devoção às igrejas, pois nele aparece a construção, o adorno e o
enriquecimento dos mosteiros. Ele construiu um em Wilton, na diocese de
Salisbury; outro em Michelney, em Somersetshire: além desses; Havia alguns
mosteiros famosos nessa região, dos quais ele adornava sua fama, ambos com
alguma parte nova de construção, joias, livros ou muitas terras. Ele enriqueceu
muito a igreja de York.

Edwyn, irmão do rei Athelstane, amava pedreiros muito mais do que seu irmão e
era um grande praticante de geometria, abordou pessoalmente os bens comuns e
conversou com os maçons, para aprender o ofício e depois pelo amor que ele
tinha pelos maçons. e o cargo em que ele foi feito maçom e obteve de seu irmão
uma carta e comissão constitucional para ter uma assembléia; em qualquer lugar
da região uma vez por ano; corrigir um ao outro as falhas e transgressões que
foram feitas dentro do escritório, e ele teve uma assembléia em York; e ali fez
maçons, deu-lhes lição de casa e ensinou o caminho (costume); e ordenou que
essa regra fosse mantida para sempre; e deu-lhes a carta constitucional.

E comissão para manter; e fez uma ordenança que seria renovada de rei para
rei. E quando a assembléia foi reunida, ele proclamou que todos os antigos
maçons e jovens tinham algum conhecimento ou escritura dos deveres e costumes
que haviam sido feitos antes no país ou em qualquer outro; Eles os traziam e os
mostravam. E ficou provado que alguns foram encontrados em francês, outros em
grego, outros em inglês e outros em outras línguas; e todos tinham uma única
intenção e propósito; e ele fez um livro com eles, sobre como o escritório foi
fundado; e ele, pessoalmente, ordenou que fosse lido ou narrado, quando um
maçom deveria ser feito, e que lhe desse seus deveres; e desde aquele dia até
este momento, os costumes dos maçons foram mantidos dessa maneira, assim
como os homens que devem governá-los.

Também em várias assembléias, certas tarefas foram cumpridas e ordenadas,


para o melhor conhecimento dos professores e colegas de classe.

Todo homem que é maçom, cuida muito bem desses deveres. E se alguém se
considera culpado de alguma dessas acusações, deve se emendar e pedir sua
graça a Deus; especialmente você que estará no comando. Tome muito cuidado
para manter esse dever muito bem; É um grande perigo para um homem perjurar-
se em um livro.

O primeiro dever é este: que você seja um homem sincero com Deus e a Santa
Igreja.

Segundo, que você não cairá na heresia voluntariamente; ou ele seguirá para
inovações, mas será um homem sábio e discreto em todas as coisas.

Terceiro; que você não será injusto; nem serão enredos confederados; mas se


você souber de alguma traição contra o governo, deverá descobri-la, caso não
possa impedi-la.

Quarto; que eles serão sinceros um com o outro (isto é) com cada maçom, que
são maçons autorizados, você fará a eles, como eu gostaria que fizessem a você.

Quinto; que você cumpra com sinceridade todos os conselhos de seus


companheiros, seja na galeria ou na câmera, e todos os outros conselhos que
devem ser mantidos à maneira da irmandade.

Sexto; que nenhum maçom seja um ladrão, ou oculte qualquer um deles ou


qualquer ação injusta, com o objetivo de ser testemunha ou conhecimento.

Sétimo; Que todo maçom autorizado seja sincero com o senhor ou professor a


quem eles servem e que o sirvam fielmente em seu benefício.

8th; que você chamará esse pedreiro de seu parceiro ou irmão, ou usará com ele
qualquer idioma (seuriluus).

Nono; que você não deseja nenhuma comunicação ilegal com a esposa do seu
parceiro; nem pôs os olhos em sua filha, com desejo de corrompê-la; nem para
sua criada ou qualquer esposa que o desrespeite.
Décimo; que você pagará sincera e honestamente por sua carne e bebida à sua
mesa; para que o comércio não seja difamado por lá.

Esses são os deveres que, em geral, correspondem a todo maçom livre para
manter, tanto para professores quanto para colegas de classe.

Vou repetir outras tarefas únicas para professores e colegas de classe.

Primeiro, que nenhum professor ou colega de classe assumirá qualquer obra de


qualquer homem ou qualquer outra obra de outro homem, a menos que ele saiba
que é capaz e suficiente para fazer o que é dito, para que o escritório não receba
insultos ou desrespeito, mas Que o Senhor seja bem e lealmente servido.

Segundo, que nenhum professor fará qualquer trabalho que não seja razoável,
para que o Senhor seja bem servido e que o professor tenha o suficiente, para
viver decente e honestamente e para realmente pagar seus pagamentos aos
colegas de classe, como é costume.

Terceiro, que nenhum professor ou colega de classe se fará passar por outro em
seu trabalho (isto é) se outro tiver o trabalho em mãos ou se for professor do
trabalho de um homem; ele não contratará na mão para prejudicá-lo ou expulsá-lo,
a menos que ele seja incapaz de ser capaz de fazer o trabalho.

Quarto, que nenhum professor ou colega de classe aceitará qualquer aprendiz se


não for pelo período de sete anos; e o aprendiz será capaz de nascer (isto é) livre
no nascimento, e de membros diretos como um homem deveria ser.

Quinto, que nenhum professor ou colega de classe autorizará ou subornará


qualquer homem a ser feito pedreiro sem o consentimento, confissão e conselho
de seus colegas de classe; e que ele, aquele que se tornará maçom, poderá, de
alguma maneira, em graus (isto é) nascer livre; isso vem de uma boa linhagem,
verdadeira, não torta, e que tem seus membros certos, como um homem deveria
ter.

Sexto, que nenhum professor ou colega de classe levará um aprendiz, a menos


que ele tenha ocupação suficiente para colocá-lo para trabalhar. Não apenas isso,
mas colocou três de seus colegas de classe, ou pelo menos dois para trabalhar.

Sétimo, que nenhum professor ou colega de classe aceitará um emprego como


trabalhador por peça, que usará diaristas.

Oitavo, que cada professor pague aos colegas de acordo com o que eles
merecem, para que não fiquem desapontados com os trabalhadores falsos.

Nono, que nenhum homem caluniará outro atrás dele para fazê-lo perder seu bom
nome e, portanto, também fazê-lo sofrer em seu modo de vida.

Décimo, que nenhum companheiro, dentro ou fora da loja; ele responderá mal ou o


fará com outro com linguagem reprovadora, sem qualquer causa razoável.

Décimo primeiro, que todo maçom reverencia seu ancião e o respeita.

Décimo segundo, que nenhum maçom será um jogador ou dado comum aleatório,
ou cartas ou qualquer outro jogo ilegal, para que o comércio possa ser difamado.
Décimo terceiro, que nenhum maçom seja um comum lascivo, ou cafetão, ou sujo,
para que o escritório possa ser caluniado.

Décimo quarto, que nenhum parceiro irá à cidade à noite, sem ter alguém com ele
para testemunhar que ele estava em lugares honestos.

Décimo quinto, que cada professor e colega de classe comparecerá à assembléia,


se estiver a cerca de oitenta quilômetros dele, se ele tiver algum aviso e se ele
tiver transgredido o ofício, eles aguardarão o julgamento dos professores e colegas
de classe e darão a ele satisfação de acordo, se eles são capazes;  mas se eles
não se submeterem a seu julgamento razoável; então eles irão perante o direito
comum.

Décimo sexto, que nenhum professor ou colega de classe construirá qualquer


molde ou quadrado, ou regra ou molde de pedra (bloco) com tudo; mas como são
permitidos pela fraternidade.

Décimo sétimo, que cada maçom receberá e cuidará de companheiros


estrangeiros, que venham ao país e os colocarão para trabalhar, se for o seu
desejo, de acordo com o costume (ou seja), se tiverem pedras moldadas (blocos),
se não, ele os ajudará com dinheiro para aproximá-los da loja mais próxima.

Décimo oitavo, que todo maçom servirá sinceramente ao Senhor por seu salário, e
que cada professor trará sinceramente sua obra ao fim; seja por tarefa ou dia, se
ele tem sua demanda e tudo o que deve ter.

Esses deveres

Que agora repetimos para você e todos os outros que pertencem aos maçons que
você manterá. Então Deus o ajude, e Itallidom. (1)

Finis

(1) Palavra de etimologia difícil. Possivelmente, uma deformação de palavras


inglesas antigas como "halidome", "holidom", "hallidome", "hallidame" etc. Quase
todos os antecedentes de "santa dama" no inglês moderno, portanto, poderiam se
referir à virgem Maria.

NOTA: O texto possui erros óbvios, como números romanos, que foram
respeitados e não corrigidos por mantê-lo fiel ao do tradutor.
© 2020, Grande Loja da Espanha - Grande Oriente espanhol . Informações legais sobre privacidade
e cookies . Atenção à mídia e imprensa: dircomunicacion@gle.org