Você está na página 1de 29

UNIVERSIDADE VIRTUAL DO ESTADO DE SÃO PAULO

Cintia Fernandes Lobo Santeiro RA 1903811


Fábio Pelogia Liceras RA 1903930
Leandro Magri Bernardes RA 1904937
Leonard Daniel Ferrari RA 1905456
Raisa Ferreira Bordalo RA 1904008
Wagner José Santos Oliveira RA 1903970
Washington de Paula e Silva RA 1904792

RECURSOS PARA ENSINO DE MATEMÁTICA A DISTÂNCIA NOS


ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL EM TEMPOS DE
ISOLAMENTO SOCIAL

Vídeo do Projeto Integrador

<link>

Cravinhos - SP
2020
UNIVERSIDADE VIRTUAL DO ESTADO DE SÃO PAULO

RECURSOS PARA ENSINO DE MATEMÁTICA A DISTÂNCIA NOS


ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL EM TEMPOS DE
ISOLAMENTO SOCIAL

Relatório Técnico - Científico apresentado na


disciplina de Projeto Integrador para o curso de
Licenciaturas da Universidade Virtual do Estado de
São Paulo (UNIVESP).

Cravinhos - SP
2020
SOBRENOME, Prenomes; SOBRENOME, Prenomes; SOBRENOME, Prenomes;
SOBRENOME, Prenomes; SOBRENOME, Prenomes; SOBRENOME, Prenomes. Título do
trabalho. 00f. Relatório Técnico-Científico. Nome do curso – Universidade Virtual do
Estado de São Paulo. Tutor: (Nome do Tutor). Polo...(nome) , 2017.

RESUMO

Até 250 palavras incluindo: breve introdução, objetivos, metodologia adotada, resultados
obtidos e considerações finais. Formatação: Espaçamento simples, parágrafo único.

PALAVRAS-CHAVE: Palavra 1; Palavra 2; Palavra 3; Palavra 4.


LISTA DE ILUSTRAÇÕES (opcional)

Gráfico 1-....................................................................................................................................11
LISTAS DE TABELAS (opcional)

TABELA 1 - ALGUNS PROBLEMAS IDENTIFICADOS.................................................... 17


TABELA 2 - ALGUNS PROBLEMAS IDENTIFICADOS.................................................... 17
SUMÁRIO
(Fonte: Arial ou Times 12; títulos em negrito/ subtítulo sem negrito)

1. INTRODUÇÃO.......................................................................................................................1
2. DESENVOLVIMENTO.........................................................................................................2
2. 1. Problema e objetivos.............................................................................................................3
2. 2. Justificativa...........................................................................................................................4
2. 3. Fundamentação
teórica .........................................................................................................1
2. 4. Aplicação das disciplinas estudadas no Projeto
Integrador ..................................................1
2. 5. Metodologia .........................................................................................................................1
3. RESULTADOS .......................................................................................................................1
3.1. Protótipo inicial......................................................................................................................1
3.2. Protótipo Final .......................................................................................................................1
4. CONSIDERAÇÕES FINAIS.................................................................................................1
REFERENCIAS .........................................................................................................................1
ANEXOS .....................................................................................................................................1
APÊNDICES ...............................................................................................................................1
1. INTRODUÇÃO

A matemática é uma ciência que abrange desde o raciocínio lógico e abstrato até
a solução de problemas científicos e tecnológicos e o seu ensino está presente desde a
educação infantil até o ensino superior. Vários fatores influenciam no processo de
ensino-aprendizagem de matemática, por exemplo, a metodologia utilizada, o
relacionamento entre o professor e o aluno, a relação entre o aluno e o conteúdo
trabalhado, os recursos aplicados, entre outros.
No entanto, este processo muitas vezes pode sofrer interferências negativas
prejudicando a continuidade da aprendizagem dos alunos e uma dessas interferências é
a pandemia da COVID-19. Diante desse cenário, faz-se necessário repensar as práticas
pedagógicas e fazer uso dos recursos tecnológicos e meios digitais para que a
aprendizagem dos alunos não seja prejudicada e que eles não sofram retrocesso em seu
desenvolvimento.
O interesse pelo processo de ensino de matemática foi despertado durante a
disciplina de Matemática Básica, cursada no primeiro bimestre de 2020, com o
surgimento da pandemia causada pela COVID-19, outro ponto de interesse surgiu. Na
disciplina de Didática, também realizada no primeiro bimestre de 2020, tivemos acesso
à vários recursos e estratégias que nos levaram a pensar sobre a questão: Quais serão os
recursos didáticos serão mais adequados com o isolamento social?. O uso de aparelhos
eletrônicos e a internet, promovem um caminho possível para que a educação a
distância seja uma realidade para a maioria das escolas. Atualmente, há muitos recursos
tecnológicos que já estão a serviço da efetivação de plataformas de ensino a distância,
principalmente no ensino superior.
Segundo Marinho et al. (2016, p. 69) “Muitos alunos que concluem o Ensino
Fundamental apresentam dificuldades no aprendizado de matemática. Dada a afinidade
que as crianças têm com os aparelhos eletrônicos, torna-se interessante desenvolver
aplicações que apoiem o aprendizado.”
Para que haja uma solução eficiente na educação a distância no ensino
fundamental é preciso que todo o contexto social e educacional seja levado em
consideração, bem como as necessidades dos alunos e os novos desafios enfrentados
pelos docentes diante dessa impossibilidade de práticas educativas na modalidade
presencial.
2. DESENVOLVIMENTO

2.1 Problema e objetivos


Como dar continuidade ao processo de ensino-aprendizagem de matemática em tempos
de isolamento social?
O objetivo geral do projeto é buscar recursos e estratégias que possam auxiliar o
docente no processo de ensino-aprendizagem de matemática em turmas do 1º ano do ensino
fundamental na modalidade a distância.
Para isso, pretende-se:
● Obter a percepção dos educadores, por meio de questionário digital, quanto às
dificuldades dos educandos do primeiro ano do ensino fundamental (crianças entre 5 e 7
anos) no aprendizado de matemática,
● Compreender as necessidades dos docentes e as novas relações estabelecidas nesse
período de transição entre educação presencial e a distância,
● Propor a utilização de um recurso adequado e viável para que auxilie na aprendizagem
em matemática na modalidade à distância.

2.2. Justificativa
Pensar sobre a educação a distância em decorrência da pandemia e todas as
problemáticas que podem ser oriundas dessa discussão, como a acessibilidade digital, é muito
complexa e não é objetivo deste estudo. Temos como foco a busca por recursos que auxiliem
os docentes no ensino de matemática na modalidade a distância. Diante de um cenário de
condições extremas, na qual a educação nacional se encontra, objetivamos encontrar subsídios
para uma prática docente mais efetiva.
De acordo com Marinho et al. (2016, p. 74), há eficácia no uso de tecnologias dentro da
sala de aula, “Dentre os materiais motivadores possíveis de serem utilizados em sala de aula,
ganham destaque o uso de jogos didáticos e aplicativos educativos desenvolvidos com fins
específicos para a matemática”. Os jogos educativos e aplicativos para o ensino de matemática,
poderão se tornar motivadores de aprendizagem, também em ambientes fora da sala de aula,
sendo assim um possível recurso a ser utilizado na modalidade a distância.
A suspensão das aulas presenciais devido à pandemia de COVID-19 gerou em todo o
país uma situação preocupante, uma vez que torna-se mais complexo promover ações de
aprendizagens em um cenário de calamidade pública. As instituições de ensino encontram-se
neste momento com o desafio de garantir o desenvolvimento cognitivo de seus alunos mesmo
não podendo garantir práticas educativas regulares, como as desenvolvidas presencialmente na
sala de aula.
Levando-se em consideração o importante papel das interações sociais na construção do
conhecimento, o distanciamento social se apresenta como um grande empecilho no processo
educativo. Para a continuidade do ano letivo, as escolas terão que se adaptar a educação a
distância. Dessa forma, nos deparamos com o conceito de educação a distância, onde há uma
distância física entre professor e aluno, neste caso, é fundamental a utilização dos meios de
comunicação que possam facilitar o processo de ensino-aprendizagem.

“(...) trata-se de uma forma de ensino que possibilita a autoaprendizagem, com a


mediação de recursos didáticos sistematicamente organizados, apresentados em
diferentes suportes de informação, utilizados isoladamente ou combinados e
veiculados pelos diversos meios de comunicação. ”(DRUMOND,2008, pag.2)

Simultaneamente a essa situação, o ensino-aprendizagem em matemática carrega


estigmas há muito tempo, é comum encontrarmos alunos que relatam dificuldades imensas em
aprender matemática, a classificam como uma disciplina chata e de difícil compreensão.
Contudo, há também a necessidade de dar continuidade ao processo de aprendizagem de
matemática, de desenvolver o raciocínio lógico, a resolução de situações problemas, entre
outros, evitando assim uma defasagem na aprendizagem dos alunos. Para os professores, será
um momento de transformação, de repensar práticas pedagógicas e explorar novos meios de
comunicação e ensino com os alunos.
Perante todo este contexto, o projeto pretende auxiliar os docentes no desenvolvimento
do trabalho pedagógico na educação de matemática a distância, oferecendo-lhe um recurso que
poderá ser aplicado com os alunos nas atividades remotas com objetivo de atingirem melhores
resultados na aprendizagem.

De acordo com Marinho (2016, p. 78)


Dentre os materiais motivadores possíveis de serem utilizados em sala de aula,
ganham destaque o uso de jogos didáticos e aplicativos educativos desenvolvidos com
fins específicos para a matemática. Os objetivos matemáticos podem ser explorados
com a utilização de jogos e desafios, pois estes favorecem o desenvolvimento
emocional, social e moral da criança. Eles apresentam situações-problemas, onde as
crianças são desafiadas a utilizar seus esquemas mentais na construção da resolução.

2. 3. Fundamentação teórica
Ao se pensar na aprendizagem de matemática nos anos iniciais do ensino fundamental é
de extrema relevância pautar o papel exercido pelo uso do lúdico nas experiências cotidianas
vivenciadas pelas crianças.

O lúdico é compreendido como aquilo que é feito ao brincar, jogar, realizar atividades
criativas, com caráter de divertimento e que sejam executadas pelo prazer de fazê-las. Ele
promove uma experiência rica para o desenvolvimento de habilidades cognitivas das crianças e
também oportuniza que o docente tenha uma visão mais reflexiva e investigativa do aluno.

Ao trazer a ludicidade para uma discussão a respeito do ensino de matemática, nos


anos iniciais do ensino fundamental, consideramos principalmente a dinâmica de
ensino de forma prazerosa, criativa, imaginativa, bem como, a motivação para
aprender matemática. (MARTINS, M. C. et al, 2016, p. 179

O uso do lúdico no ensino de matemática revela um docente incentivador de práticas


criativas e consciente do papel socioafetivo que este tipo de atividade desempenha na ação
pedagógica. O brincar pode parecer algumas vezes sem fundamentação, mas não é, a criança ao
jogar lida com regras, limites, podendo assim exercitar sua liberdade e autonomia. Portanto,
conciliar os conteúdos escolares com atividades lúdicas torna-se importante para o
desenvolvimento do educando em diversas linguagens.

Além disso, o jogo utilizado nas aulas de matemática conduz os alunos à investigação
de novas técnicas e, posteriormente, à busca de soluções para os problemas propostos,
o que torna o educando sujeito ativo e participante do seu próprio processo de
aprendizagem, criando, assim, um vínculo afetivo entre os alunos e entre alunos e
professores. (MARTINS, M.C. et al, 2016, p. 179)

2.4. Aplicação das disciplinas estudadas no Projeto Integrador


Este item do referencial teórico deve indicar os conteúdos das disciplinas estudadas no
curso que foram abordados no projeto. Espera-se que os estudantes relacionem de forma clara e
coerente, o conteúdo estudado ao protótipo desenvolvido durante o projeto.

2.5. Metodologia
Para o desenvolvimento do projeto integrador serão aplicados alguns procedimentos
metodológicos que nortearão a sua elaboração.
A princípio foi realizada revisão bibliográfica com a qual busca-se conhecer a
fundamentação do trabalho didático no campo da matemática, as suas implicações, estratégias
de ensino, recursos utilizados e aplicabilidade.
Após a revisão acontecerá a coleta de dados através de questionário digital (anexo I)
que será respondido por profissionais da área da educação e com o qual pretendemos conhecer
a realidade da prática de ensino de matemática, as dificuldades encontradas pelos alunos nesse
processo de aprendizagem, os desafios enfrentados pelos docentes e os recursos aplicados em
suas práticas.

Dando sequência ao desenvolvimento do projeto, será feita a análise dos dados


coletados interpretando as informações obtidas e utilizando-as de forma adequada para a
aquisição dos resultados.

3. RESULTADOS
O método selecionado para coleta de dados e elaboração do presente projeto foi o de
pesquisa quantitativa semi-estruturada, onde os educadores entrevistados foram expostos a um
questionário cego (vide Anexo I), dividido em quatro seções, objetivando coletar dados
estatísticos suficientes para solução de um problema que vem enfrentando com o novo cenário
socioeconômico (necessidade de continuar o ensino na modalidade à distância).
Na primeira seção procuramos conhecer algumas características dos educadores
envolvidos no processo de aprendizagem de Matemática; em uma segunda seção qual era a
percepção dos educadores quanto ao ensino de Matemática; em uma terceira o ensino da
Matemática em ambiente virtual (EaD); e por fim, em uma última seção, perceber através de
perguntas abertas (qualitativas) o que esses educadores vêem como vantagens em uma possível
sugestão de recurso didático para se trabalhar com a continuidade do ensino de Matemática à
distância.
Dentre as características que pudemos levantar dos 38 (trinta e oito) entrevistados na
primeira seção do questionário:
Em relação ao cargo de atuação são que:
● 27 (vinte e sete) dos educadores (71,1 %) atuam como docentes (em azul no
gráfico abaixo);
● 5 (cinco) (13,2 %) como diretores (em verde);
● 5 (cinco) (13,2 %) como coordenadores pedagógicos (em amarelo);
● e, somente 1(hum) (2,6 %) como assistente de ensino.

Gráfico 1-

Quanto a iniciativa (segmento) que atuam, são:


● 25 (vinte e cinco) dos educadores (65,8 %) atuam na rede pública (fatia em azul
no gráfico de pizza, abaixo);
● 12 (doze) (31,6%) na iniciativa privada (escolas e ou colégios particulares) (em
verde no gráfico);
● e, 1 (hum) (2,6 %) em ambas (iniciativa pública e privada) (em vermelho).
Já na segunda seção do questionário, no que tange as questões relacionadas ao ensino e
aprendizagem de Matemática em sala de aula obtivemos as seguintes respostas:
Para a questão de qual é a maior dificuldade que os educadores percebem que os
educandos apresentam. Temos, que:
● 24 (vinte e quatro) dos educadores (63,2 %) acreditam que os educandos têm
dificuldades em compreender os conceitos abstratos expostos em explanações
em sala de aula (em azul no gráfico abaixo);
● 11 (onze) (28,9 %) creem que os alunos apresentam dificuldades em associar os
conteúdos e conceitos a fatos de suas realidades (em verde);
● 2 (dois) (5,3 %) acreditam que a os alunos acham a disciplina como sendo chata,
misteriosa e de difícil compreensão (em amarelo);
● e, somente 1(hum) (2,6 %) diz que não conseguir perceber dificuldades
enfrentadas pelos alunos (em vermelho).
Para a questão de qual é o comportamento que os educadores observam dos educandos
nas explanações das aulas de Matemática temos, que:
● 24 (vinte e quatro) dos educadores (63,2 %) acreditam que os educandos
apresentam dificuldades em compreender os conteúdos (em azul no gráfico
abaixo);
● 9 (nove) (23,7 %) creem que os alunos, no geral, são focados e prestam atenção
às explanações dada pelo docente em sala de aula (em verde);
● 3 (três) (7,9 %) acreditam que a os alunos acham a disciplina como sendo mais
fácil de compreender que as demais disciplinas e estão confortáveis em aprender
Matemática (em amarelo);
● e, somente 2 (dois) educadores (5,3 %) acham que os alunos são distraídos e
desinteressados (em vermelho).
Para a questão de qual é a maior dificuldade ou desafio encontrado pelo educador em
ensinar Matemática temos, que:
● 23 (vinte e três) dos educadores (60,5 %) acreditam que a maior dificuldade é a
de demonstrar conceitos abstratos aos alunos de modo que se façam
compreender com facilidade (em azul no gráfico abaixo);
● 11 (onze) (28,9 %) apresentam dificuldades em criar exemplos lúdicos e
didáticos que façam com que os alunos se interessem e compreendam os
conceitos. (em verde);
● 3 (três) (7,9 %) apresentam dificuldades em fazer com que os alunos
compreendam os conteúdos expostos (em amarelo);
● e, somente 1 (hum) educadores (2,6 %) apresentam dificuldades em usar fatos
da realidade dos alunos para dar exemplos matemáticos (em vermelho).

Para a questão dos recursos lúdicos e didáticos utilizados pelos educadores em aula na
explicação dos conceitos Matemáticos temos, que:
● 30 (trinta) do total de 38 (trinta e oito) educadores entrevistados (78,95 %)
utilizam jogos para apresentar e explicar os conceitos;
● 30 (trinta) dos educadores (78,9 %) propõe desafios problemas relacionados ao
dia a dia dos alunos;
● 26 (vinte seis) (68,42 %) usam exemplos do dia a dia deles para iniciar uma
discussão sobre algum tema;
● 20 (vinte) (52,63 %) motivam o uso dos dedos e ou instrumentos como o ábaco
para realização de cálculos;
● 17 (dezessete) (44,74 %) fazem uso de recursos audiovisuais a fim de tornar as
aulas mais interessante;
● 16 (dezesseis) (42,11 %) utilizam de músicas ou cantigas para
decorar/memorizar conceitos matemáticos;
● 7 (sete) (18,42 %) utilizam origamis (Dobraduras em papéis);
● 3 (três) (7,89 %) utilizam Ábaco japonês (Soroban);
● 1 (hum) (2,63 %) realizam visitas a museus ou centro de estudos que lidam com
a matemática;
● e, nenhum responderam que segue apenas o que está proposto no livro didático.

Na terceira seção do questionário, no que tange as questões relacionadas às atividades


extraclasse e ou desenvolvidas na modalidade do EaD de Matemática obtivemos as seguintes
respostas:
Para a questão das maiores dificuldade e ou desafios em ministrar ensino à distância
obtivemos as seguintes respostas, onde:
● 21 (vinte e hum) de um total de 38 (trinta e oito) educadores entrevistados
(55,26 %) apresentam como entrave no EaD a falta de acesso a equipamentos
(smartphones, tablets, notebook, etc.) por parte dos alunos para acesso aos
recursos didáticos;
● 17 (dezessete) dos educadores (44,74 %) dizem terem falta capacitação ou
habilidades para lidar com as novas tecnologias;
● 14 (quatorze) (36,84 %) têm pouco conhecimento de recursos (audiovisuais,
aplicativos ou jogos) que podem ser utilizados como recurso didático.;
● 13 (treze) (34,21 %) creem que os alunos têm dificuldades para lidar com a
modalidade de ensino à distância;
● e, somente 4 (quatro) (10,53 %) não conseguem perceber dificuldades.

Para a questão da percepção dos educadores em relação ao ensino à distância na


manutenção da aprendizagem em tempo de isolamento social temos, que:
● 20 (vinte) dos educadores entrevistados (52,6 %) acreditam que o EaD é uma
ferramenta muito importante para se dar continuidade no trabalho que haviam
iniciado em sala de aula (em azul no gráfico abaixo);
● 13 (treze) (34,2 %) tem a concepção de que o EaD é o futuro do ensino e que
deveriam ser melhores preparados para lidar com essa modalidade (em verde);
● 5 (cinco) (13,2 %) apresentam dificuldades em lidar com o EaD (em amarelo);
● e, nenhum respondeu que vê o EaD como um meio de extinguir com a função
docente.

Para a questão da melhor opção de material ou recurso didático que os educadores


entendem como alternativa para dar continuidade no ensino dos conteúdos de
Matemática do 1º (Primeiro) Ano do Ensino Fundamental na modalidade a distância
em tempo de isolamento social devido a Pandemia de COVID-19 (Corona vírus) temos:
● 19 (dezenove) dos educadores entrevistados (50,0 %) acreditam que o uso de
app de jogos interativos de Matemática é uma boa opção (em azul no gráfico
abaixo);
● 12 (doze) (31,6 %) acreditam no uso das vídeo aulas expositivas, gravadas pelo
professor (em verde);
● 5 (cinco) (13,2 %) acreditam que a melhor opção seriam as sugestões de vídeos
do YouTube relacionados aos conteúdos que estavam sendo trabalhados em aula
(em amarelo);
● e, somente 2 (dois) (5,3 %) acreditam no envio de listas de exercícios (em
vermelho).

Para a questão de quais os melhores recursos tecnológicos que iriam ajudar os


educadores no desenvolvimento das aulas à distância: temos:
● 27 (vinte e sete) do total de 38 (trinta e oito) dos educadores entrevistados
(71,05 %) fariam uso de recursos audiovisuais, como audiobooks, animações,
etc, que tratam dos temas de forma lúdica e didática;
● 22 (vinte e dois) (57,89 %) acreditam no uso de aplicativos de jogos
interativos;
● 9 (nove) (23,68 %) acreditam que a melhor opção seria fazer uso de sugestões
de vídeos do YouTube relacionados aos conteúdos que estavam sendo
trabalhados em aula;
● e, somente 7 (sete) (18,42 %) farão uso de canal aberto com vídeo aulas
expositivas e o no envio de listas de questionários de avaliações eletrônicas.
Na quarta e última seção no que tange ao questionamento da viabilidade do uso de um
aplicativo para smartphone, tablet ou notebook no auxílio do processo de ensino aprendizagem,
temos um sim unânime (38 educadores - 100 % dos entrevistados). Porém não nos limitamos
somente em uma análise quantitativa (estatística) e colocamos 2 (duas) questões dissertativas
aberta com o objetivo de obtermos uma breve percepção qualitativa dos entrevistados quanto à
proposta que sugerimos em nosso projeto para resolução do problema identificado ao longo do
mesmo. Obtendo as seguintes respostas para um breve relato (análise) quanto a possibilidade
de utilizar o jogo (aplicativo) “Rei da Matemática” no auxilio (recurso EaD - Ensino à
Distância) da continuidade do processo ensino aprendizagem de turmas da 1º Ano do Ensino
Fundamental em tempos de isolamento social, devido a Pandemia de COVID-19 (citaremos 17
resposta que foram dadas a análise do aplicativo. A fim de preservar a identidade dos
participantes da pesquisa suas identidades foram suprimidas):

“Gostei muito do aplicativo: bem chamativo, fácil de operar, interativo


e bem organizado . Com certeza, um ótimo recurso! As atividades
propostas de contagem, adição e outras são capazes de ser realizadas
pela própria criança que já tem autonomia para responder às questões.
A escolha dos personagens também favorece com que a criança se
identifique mais no jogo! Muito legal!!”

“Acho que o aplicativo é útil pois os alunos poderão realizar exercícios


em casa, por ser interativo se mostra motivador para que o processo de
ensino e aprendizagem seja eficiente.”
“O aplicativo demonstrou ser uma ótima ferramenta para tornar o
ensino da Matemática lúdico e dinâmico e dessa maneira, estimular o
interesse dos alunos pela aprendizagem da disciplina.”

“O aplicativo, vem como suporte pedagógico para ensinar a


matemática. Desenvolvendo no aluno uma forma diferente de pensar e
interagir com os conteúdos já nos anos iniciais. Sabemos que,
principalmente nesse período devido a Pandemia, é necessário criar
outras possibilidades para que os alunos assimilem os conteúdos,
desenvolvendo o raciocínio lógico de maneira construtiva.
Quanto ao aplicativo, ele traz o ensino da "adição e subtração" de forma
lúdica e atrativa aos alunos, contribuindo para aprendizagem a qualquer
momento, e não limitando somente em sala de aula.”

“A ideia é incrível e o aplicativo é bem simples de usar. Ótima escolha


de tamanho dos botões e fonte. Mas penso que a dificuldade poderia ser
gradativa no início dos módulos. Por exemplo: Quando a criança for
contar os itens, nas primeiras fases as figuras podem ser organizados de
forma que fiquem organizados, um ao lado do outro, e depois de
algumas fases as figuras podem ficar desordenadas na tela, fazendo
com que ela se mantenha entretida. E na Adição pode começar com
soma de figuras (2 maçãs + 4 maçãs), e posterior a isso só deixar a
operação aritmética.
Mas isso não impede de ser um bom aplicativo para ser utilizado como
material de apoio na disciplina de Matemática. Eu com toda certeza
utilizaria.”

“Adorei a ideia e creio que apps assim são o futuro no auxílio ao


professor. Entretanto, não consigo encontrar o app só tem mais alguns
com nomes parecidos... Mas se enviarem o link, vou baixar e dar uma
devolutiva melhor, bem como compartilhar.”

“Este App é um recurso visual muito apropriado para alunos dos anos
iniciais, trabalhando de maneira lúdica e virtual os conceitos
matemáticos necessários para esta faixa etária.”

“O jogo é muito interessante. Estimula o raciocínio lógico de forma


lúdica e problemática, constituindo uma ótima ferramenta de ensino.”

“Auxilia no desenvolvimento do raciocínio lógico.”

“Sim. O aplicativo ė bem interessante e está dentro da realidade para


essa faixa etária. Inclusive hoje sugeri alguns apps aos meus alunos
para o letramento, esse entrará na lista de sugestões.”

“Uma excelente ferramenta de aprendizagem.”

“Muito interessante, vou multiplicar.”

“Acredito ser uma ferramenta muito favorável a aprendizagem pois está


somando o jogo que as crianças gostam, com o conteúdo permitindo
que se promova uma aprendizagem significativa e prazerosa.”

“Com certeza é um recurso auxiliar interessante e válido. Porém nem


todos os alunos da instituição que trabalho terá acesso devido a falta de
recursos de muitos para ter um aparelho constante na mão do aluno . O
aparelho que muitas vezes tem em casa é usado pelo adulto no trabalho
e outros não possuem mesmo um Smartphone com esses aplicativos.
Além disso na turma que leciono há pelo menos quatro alunos de
inclusão com laudos que precisaria de utilizar materiais manipuláveis e
supervisão constante de um adulto para realizar os jogos.”

“Muito bom, estimula o raciocínio e a rapidez.”

“O Aplicativo é excelente, uma ótima ferramenta para expandir o


raciocínio lógico da criança, além de ser lúdico é bem didático.”

“Acredito que com esse tipo de jogo a criança demonstrará mais


interesse em aprender matemática por ser lúdico.”

Além das resposta acima foram deixados algumas observações que achamos relevantes
citar/expor, abaixo:

“Primeiro para se ter uma aprendizagem de matemática precisa que a


população tenha acesso a internet de graça que teria que ser dado pelo
governo.”

“Esse tipo de atividade apresenta relevante importância para que a


prática educativa não seja prejudicada em momentos de pandemia.”

“O uso das Tecnologias Digitais na Matemática, possibilitam a criação


de uma ferramenta de busca e refinamento, diminuindo as dificuldades
enfrentadas por muitos alunos desde os anos iniciais, e contribuindo
dessa maneira com o trabalho docente, agregando melhor integração e
interação entre educador e educando.”
“Infelizmente, na nossa formação inicial da graduação em Pedagogia
temos incentivo pedagógico de utilizar a tecnologia em sala de aula e
quando estamos atuando, sempre a instituição "poda" toda e qualquer
atividade que trabalhe com o recursos digitais. Talvez esse medo de que
as crianças não saibam utilizar... mas é na escola que eles aprendem
também a zelar pelo material didático, com o trabalho do docente e
auxílio da coordenação e direção.”

“Além do já exposto nas respostas do questionário, acho que vale dizer


que a maior dificuldade encontrada no ensino de matemática, tanto por
mim como por outros professores, é a dificuldade extrema dos alunos
na leitura e interpretação de texto. É realmente gritante. Inclusive,
quando comparado com o ensino de matemática para jovens e adultos
dos anos iniciais, essa dificuldade desaparece. Talvez seja um dado
interessante, como Português e Matemática interagem e devem interagir
em um trabalho global. Outra coisa é que o ensino à distância mostrou
o que já aprendemos nas Ciências de Educação: a ausência do toque, do
olhar e de uma relação interpessoal professor-aluno influencia
diretamente sobre o processo ensino-aprendizagem.”

“Um app como esse em tempos de isolamento social, facilita muito o


aprendizado dos alunos, assim como, auxilia os pais neste processo
onde os alunos necessitam de ajuda.”

“Acho interessante pesquisas nas áreas digitais para os professores e


alunos.”

“Estamos nos adaptando , mas acredito que esses recursos tecnológicos


são caminhos reais para facilitar a aprendizagem.”

“Acredito que são ferramentas de grande auxílio para alunos e


professores, porém ainda distantes da realidade de muitas pessoas.”

Em síntese mais de 70 % do nosso espaço amostral de educadores são representado por


docentes, sendo que mais de 65 % desses atuam diretamente nos primeiros anos do ensino
fundamental da iniciativa pública. E mais de 60 % acreditam que a maior dificuldade que seus
educandos apresentam são a de compreender os conceitos abstratos expostos em explanações
de sala de aula e observam que seus alunos têm um comportamento de dúvida frente a essas
explanações. Além do que, 60 % desses educadores têm dificuldades em explicar os conceitos
abstratos Matemáticos de modo que se façam compreender por seus alunos. E que para se
façam compreender, quase 80 % deles, utilizam de jogos (lúdicos e didáticas) e desafios
problemas em classe. Porém para aproximadamente 55 % dos educandos acreditam que a falta
de equipamentos (smartphones, tablets, etc.) é um entrave no desenvolvimento das aulas EaD.
Mas mais de 50% dos educadores acreditam que o EaD é uma ferramenta muito importante
para se dar continuidade no trabalho que haviam iniciado em sala de aula, aproximadamente 35
% tem a concepção de que o EaD é o futuro do ensino e que deveriam ser melhores preparados
para lidar com essa modalidade, 50% deles creem que a utilização de jogos interativos é a
melhor opção e mais de 70 % que fariam uso de recursos audiovisuais, como audiobooks,
animações, etc, que tratam dos temas de forma lúdica e didática.
Indo de encontro ao atendimento das necessidades desses educadores propomos como
solução para seus problemas o uso do aplicativo de jogo interativo “Rei da Matemática”. Onde
teve, após análise por parte desses educadores, uma boa aceitação. Vendo nesse recurso uma
alternativa viável capaz de atender boa parcela das necessidades de ensino aprendizagem em
tempo de isolamento social.

3.1. Protótipo inicial


Descrição detalhada com imagens, sobre como se deu o processo de construção da
primeira solução desenvolvida pelo grupo.

3.2. Protótipo Final


Descrição detalhada com imagens sobre como se deu o processo de construção da
solução final apresentada pelo grupo. Espera-se que o grupo demonstre quais foram as
melhorias realizadas na solução final, a partir dos feedbacks coletados junto à comunidade ou
local onde o projeto foi desenvolvido.
4. CONSIDERAÇÕES FINAIS
Deve-se retomar os objetivos e o contexto em que o projeto integrador foi desenvolvido
e apontar os principais resultados obtidos pelo grupo.
REFERÊNCIAS

ALBERNAZ, J. M.; ARREVABANI, M. C., NOBRE, I. A. M.; BATISTA, S.; SILVA, J. D.


Reflexões sobre um Curso de Jogos Computacionais Livres para o Ensino das Primeiras
Noções Matemáticas, em EAD. In: XXII SBIE - XVII WIE: A Informática na Educação para a
Democratização do Conhecimento. Anais... Aracaju, 2011. Disponivel em: <http://www.br-
ie.org/sbie-wie2011/WIE-Trilha1/92745_1.pdf. curso jogos comput livres EAD.92745.1.pdf>
Acesso em : 22 abr. 2020.

CARNEIRO, R. F.;SOUZA, A. C.; BERTINI, L. F.. A Matemática nos Anos Iniciais do


Ensino Fundamental: Práticas de Sala de Aula e de Formação de Professores. Brasília:
S.B.E.M., 2018. Coleção SBEM, V. 11: Sociedade Brasileira de Educação Matemática.
Disponível em:<http://www.sbembrasil.org.br/files/ebook_matematica_iniciais.pdf> Acesso
em : 22 abr. 2020.

COSTA, A. M. R. G.; SOARES, H. C. C.. A Ludicidade no Ensino da Matemática nos Anos


Iniciais do Ensino Fundamental I. Faculdade Atenas, Paracatu/MG. Disponível em:
<http://www.atenas.edu.br/uniatenas/assets/files/magazines/5___A_LUDICIDADE_NO_ENSI
NO_DA_MATEMATICA_NOS_ANOS_INICIAIS_DO_ENSINO_FUNDAMENTAL_I.pdf>
Acesso em : 22 abr. 2020.

DRUMOND, P. N.. Matemática na Educação a Distância. Disponível em:


<http://www.pucrs.br/ciencias/viali/tic_literatura/artigos/ead/PriscilaNunesDrumond.pdf>
Acesso em : 22 abr. 2020.

MARINHO, A. S.; MELO, A. V. C.; POGGI, G. H.; KOSIUR, M. B.; MARRANE, W. R.;
BOGHI, C.. Aplicação móvel de matemática no ensino básico para crianças do ensino
fundamental I do 1° ao 3° ano. Research, Society and Development, v. 3, n. 1, p. 69-90, nov.
2016. Disponível em: <https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=6070022> Acesso em
: 22 abr. 2020.

MARTINS, M. C.; MARTINS, R. B.; SCHEFFER, N. F.. O Lúdico e a Educação Matemática


nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental. Revista Vidya. Santa Maria,p.177-186, v. 36, n. 1,
jan./jun., 2016. Disponível em:
<https://periodicos.ufn.edu.br/index.php/VIDYA/article/view/1785> Acesso em : 22 abr. 2020.

SENA, D. M.; OLIVEIRA, E. H. T.; CARVALHO, L. S. G.. Aplicativos móveis para o


aprendizado de matemática. In: III Congresso Brasileiro de Informática na Educação (CBIE
2014) XXV Simpósio Brasileiro de Informática na Educação (SBIE 2014). TECNOLOGIAS
DIGITAIS E EDUCAÇÃO: INTEGRAÇÃO MEDIAÇÃO E CONSTRUÇÃO DE
CONHECIMENTO. 03 a 06 Novembro 2014. Dourados/MS. Disponível em: <https://br-
ie.org/pub/index.php/sbie/article/view/2943> Acesso em : 22 abr. 2020.
APÊNDICES (opcional)
(Apêndices são criações do autor ou grupo de autores)
Apêndice A –

ANEXO I – INSTRUMENTO DE COLETA DE DADOS (QUESTIONÁRIO DIGITAL)

Ensino de Matemática (EF) em tempo de Isolamento Social.


A presente avaliação tem como principal objetivo analisar junto aos profissionais da educação
o atual cenário e buscar soluções quanto a continuidade ao processo de ensino aprendizagem de
Matemática em tempo de Pandemia COVID-19 (Isolamento Social), na 1º Ano do Ensino
Fundamental.

*Obrigatório

1.1. Endereço de e-mail *


Seu e-mail

1.2. Você é: *
a. ( ) Diretor(a);
b. ( ) Coordenador(a) pedagógico(a);
c. ( ) Professor(a);
d. ( ) Assistente de Ensino;
e. ( ) Outro tipo de agente educacional.

1.3. Em qual iniciativa você atua? *


a. ( ) Privada (escolas e ou colégios particulares);
b. ( ) Rede pública;
c. ( ) Em ambas (pública e privada).

2. Ensino Aprendizagem de Matemática


2.1. Qual a maior dificuldade que os alunos apresentam com o aprendizado de Matemática? *
a. ( ) Não consigo perceber dificuldades;
b. ( ) Dificuldades de associar os conteúdos a fatos de suas realidades;
c. ( ) Dificuldades em compreender os conceitos abstratos;
d. ( ) Reclamam do excesso de conteúdo;
e. ( ) Creem que a disciplina é chata, misteriosa e de difícil compreensão.

2.2. Qual a sua percepção quanto ao comportamento dos alunos nas aulas de Matemática? *
a. ( ) São distraídos e desinteressados;
b. ( ) No geral são focados e prestam atenção as explanações;
c. ( ) Têm dificuldades em assimilar os conteúdos;
d. ( ) Acham que aprender Matemática é mais fácil que as outras disciplinas.

2.3. Qual o maior desafio/dificuldade você tem em ensinar Matemática? *


a. ( ) Fazer com que os alunos compreendam os conteúdos expostos;
b. ( ) Usar fatos da realidade dos alunos para dar exemplos matemáticos;
c. ( ) Demonstrar conceitos abstratos aos alunos de modo que se façam compreender com
facilidade;
d. ( ) Criar exemplos lúdicos e didáticos que façam com que os alunos se interessem e
compreendam os conceitos.

2.4. Normalmente uso em aulas os seguintes recursos lúdicos e didáticos para explicar
conceitos Matemáticos: *
( ) Origamis (Dobraduras em papéis);
( ) Jogos;
( ) Proponho desafios problemas relacionados ao dia a dia dos alunos;
( ) Uso exemplos do dia a dia deles para iniciar uma discussão sobre algum tema;
( ) Utilizo de músicas ou cantigas para decorar/memorizar conceitos matemáticos;
( ) Sigo apenas o que está proposto no livro didático;
( ) Motivo o uso dos dedos e ou instrumentos como o ábaco para realização de cálculos;
( ) Faço uso de recursos audiovisuais a fim de tornar as aulas mais interessante;
( ) Ábaco japonês (Soroban);
( ) Visitação a museus ou centro de estudos que lidam com a matemática.

3.Matemática na Modalidade Ensino à Distância


3.1. Quais são as maiores dificuldades em ministrar ensino à distância? *
( ) Falta capacitação ou habilidades para lidar com as novas tecnologias (docente);
( ) Escassez de recursos para preparar materiais didáticos apropriados;
( ) Falta de acesso a equipamentos (smartphones, tablets, notebook etc.) por parte dos alunos
para acesso aos recursos didáticos;
( ) Os alunos têm dificuldades para lidar com essa modalidade de ensino.
( ) Não consigo perceber dificuldades.
( ) Pouco conhecimento de recursos (audiovisuais, aplicativos ou jogos) que podem ser
utilizados como recurso didático.

3.2. Como você vê o ensino a distância como alternativa de manutenção do ensino


aprendizagem nesse momento de isolamento? *
a. ( ) Tenho dificuldades em lidar com essa modalidade de ensino;
b. ( ) Como uma ferramenta muito importante para se dar continuidade no trabalho que
havíamos iniciado em sala;
c. ( ) Vejo como um meio de extinguir com a função docente;
d. ( ) Tenho a concepção de que esse é o futuro do ensino e que deveríamos ser melhores
preparados para lidar com essa modalidade;

3.3. Quais dos materiais didáticos, abaixo, você entende como sendo a melhor opção para dar
continuidade no ensino dos conteúdos de Matemática do 1º (Primeiro) Ano do Ensino
Fundamental na modalidade a distância em tempo de isolamento social devido a Pandemia de
COVID-19 (Coronavírus)? *
a. ( ) Envio de listas de exercícios;
b. ( ) Uso de app de jogos interativos de Matemática;
c. ( ) Vídeo aulas expositivas, gravadas pelo professor;
d. ( ) Sugestão de vídeos do YouTube relacionados aos conteúdos que estavam sendo
trabalhados em aula;

3.4. Quais dos recursos tecnológicos, abaixo, iria te ajudar no desenvolvimento das aulas à
distância: *
( ) Canal de TV aberta com vídeo aulas expositivas;
( ) Aplicativo de jogos interativos;
( ) Vídeo aulas de canais renomados do YouTube;
( ) Questionários/formulários de avaliações eletrônicas;
( ) Recursos audiovisuais como audiobooks, animações etc., que tratam dos temas de forma
lúdica e didática.
4. Recursos Didáticos para o Ensino Aprendizagem de Matemática EaD
4.1. Você acha viável o uso de um aplicativo para smartphone, tablet ou notebook no auxílio do
processo de ensino aprendizagem? *
a. ( ) Sim;
b. ( ) Não;
c. ( ) Não sei responder.

4.2. Agora! Se possível, vá até a App Store (loja virtual de aplicativos da Android ou Apple) de
seu Smartphone (celular) e faça o download do aplicativo (jogo) "Rei da Matemática". E após
instalado acesse o aplicativo, use por um tempo, e nos dê um breve relato (análise) quanto a
possibilidade de utilizar o mesmo como auxiliar (recurso EaD - Ensino à Distância) na
continuidade do processo ensino aprendizagem de turmas da 1º Ano do Ensino Fundamental
em tempos de isolamento social, devido a Pandemia de COVID-19. *
R.: (Sua resposta).

4.3. Favor deixar aqui comentários e observações que achar relevante:


R.: (Sua resposta).