Você está na página 1de 19

PROVISÕES, CONTINGÊNCIAS

ATIVAS E PASSIVAS – 2a. parte


RECONHECIMENTO DE PROVISÃO PARA
PERDA
• É necessário o cumprimento de TODAS as seguintes condições:
• Ser uma obrigação presente;
• Obrigação presente é resultado de um evento ou fato gerador no passado.
• É provável que será necessária uma saída de recursos que incorporam
benefícios econômicos para liquidar a obrigação.
• Possa ser feita estimativa confiável do valor da obrigação.
Exemplo
• A entidade C recebeu um auto de infração no montante de $ 60.000,
devido ao fato de ter se creditado indevidamente nos livros fiscais de
ICMS, em certas compras de materiais em anos anteriores.
• A administração da entidade C, assessoradas pelos seus consultores
jurídicos, entende que essa perda é considerada provável, tendo em
vista que naquela época ocorreu mudança na legislação do ICMS e o
pessoal de impostos da Entidade C interpretou de uma forma
questionável. A expectativa da administração da entidade C é que o
desembolso dos recursos desse processo será a longo prazo.
• Perdas com processos tributários (Resultado)
• A Provisão para riscos (passivo não circulante).
Melhor estimativa
• O montante reconhecido como provisão deve ser a melhor estimativa
do desembolso exigido para liquidar a obrigação presente.
• As estimativas de desfecho e os efeitos financeiros são determinados
pelo julgamento da administração da entidade, complementados pela
experiência de transações semelhantes, ou de especialistas...
• Essas estimativas devem ser muito bem fundamentadas.
Riscos e incertezas
• Os riscos devem ser levados em consideração para se alcançar a
melhor estimativa de uma provisão.
• Uma incerteza não justifica a criação de provisões excessivas ou uma
superavaliação deliberada de passivos. A melhor estimativa,
considerando realisticamente o caso, é que deve ser observada.
Eventos futuros
• Eventos futuros que podem afetar o montante exigido para
liquidar uma obrigação devem ser refletidos no valor da provisão,
quando houver evidencia objetiva suficiente de que eles ocorrerão.
Perdas operacionais futuras
• Provisões para prejuízos operacionais futuros não devem ser
reconhecidas, a não ser quando vinculadas a contratos onerosos.
Exemplo
• Um fabricante de fogões dá garantias no momento da venda para os
compradores do seu produto. De acordo com os termos do contrato
de venda, o fabricante se compromete a consertar, por reparou ou
substituição, defeitos de produtos que se tornaram aparentes dentro
de três anos a data da venda.
• De acordo com a experiência passada, é provável (ou seja, mais
provável que sim do que não) que haverá algumas reclamações
dentro das garantias.
• Deve-se constituir provisão para estas garantias relacionadas a
eventos futuros?
Exemplo
• A entidade Y é uma instituição financeira e enfrenta na justiça 200
processos trabalhistas independentes, cada um com um ex-
funcionário da entidade. A administração da entidade, assessorada
pelos seus consultores jurídicos, estimou que tem nesses processos
30% de probabilidade de sucesso sem custo e 70% de probabilidade
de perder com o custo médio de cada processo no valor de $ 50.000.
• Deve a empresa fazer a provisão?
• Se afirmativo, qual o seu valor?
Exemplo
• A entidade Z vende geladeiras com uma garantia segundo a qual os
clientes estão cobertos pelo custo de reparação de qualquer defeito de
fabricação que se tornar evidente dentro do primeiro seis meses após a
compra. Se forem detectados defeitos menores em todos os produtos
vendidos, a entidade z irá incorrer em custos de reparação de $ 1
milhão. Se forem detectados defeitos maiores em todos os produtos
vendidos, a entidade z irá incorrer em custos de reparação de 4
milhões. A experiência passada da entidade e as expectativas futuras
indicam que, para o próximo ano, 75% dos bens vendidos não terão
defeito, 20% terão defeitos menores e 5% dos bens vendidos terão
defeitos maiores.
• Deve ser constituída uma provisão? Se afirmativo, qual o valor?
Exemplo
• A Entidade x é uma instituição financeira e enfrenta um processo
cível, no qual o autor argumenta que foi baleado durante um assalto
em sua agencia bancária. A administração da entidade y, assessorada
por seus consultores jurídicos, estimou que tem nesse processo 30%
de probabilidade de sucesso com nenhum custo, e 70% de
probabilidade de perder com um custo de $ 2 milhões.
• Deve ser constituída uma provisão?
• Em caso afirmativo, qual o valor?
Exemplo
• A empresa x, sediada no Brasil, tem uma entidade controlada do
setor químico que causa contaminação, mas efetua a limpeza apenas
quando é requerida a fazê-lo nos termos da legislação do país em
particular no qual ela opera. O país não possui legislação exigindo a
limpeza, e a entidade vem contaminando o terreno nesse país há
diversos anos. Em 31/12X0, é praticamente certo que um projeto de
lei requerendo a limpeza do terreno já contaminado será aprovado
rapidamente após o final do ano.
• Deve-se constituir a provisão?
Exemplo
• A entidade X é uma arrendatária em contrato de locação de um
imóvel comercial na cidade de Porto Alegre. Como condição do
contrato e antes da devolução do imóvel ao locador, a entidade x
deve:
• Remover quaisquer benfeitorias, tais como paredes internas
adicionais; e
• Reparar a estrutura do edifício comercial para que ele seja restaurado
ao seu estado original na data de início do contrato de arrendamento.
• Quando deve a entidade x reconhecer qualquer provisão em relação
à restauração do imóvel locado?
Exemplo
• E se o contrato requerer que os tapetes sejam substituídos ou que as
paredes sejam redesenhadas no final do período de locação, deve ser
feita provisão? Ela deve ocorrer desde o início?
Exemplos
• Navios e aeronaves são obrigados a passar por grandes revisões em
intervalos regulares, devido ao transporte marítima e direito
aeronáutico. Deve um grupo de entidades, que reconhecesse esses
navios e aeronaves como ativos imobilizados, registrar uma obrigação
para estes custos futuros?
Exemplo
• uma entidade aluga uma aeronave sob arrendamento operacional. A
aeronave tem de passar por uma – checagem – a cada 3.000 horas de
voo.
• Deve-se registrar uma provisão?
• E caso exista no contrato de locação uma cláusula determinando uma
checagem ao final do período de uso por parte do locatário, deve-se
fazer uma provisão?
Passivo contingente
• Não é reconhecido no balanço da entidade.
• No caso de previsão de perda considerada provável é divulgado em
nota explicativa às demonstrações contábeis.
Exemplo
• A empresa C atua no ramo de fornecimento de alimentação para eventos.
Após um casamento em 20x0, dez pessoas morreram, possivelmente por
resultado de alimentos envenenados oriundos de produtos vendidos pela
empresa C. Procedimentos legais são instaurados para solicitar indenização da
empresa C. até a data da autorização para publicação das demonstrações
contábeis em 31/12X0, os advogados da entidade aconselham que é provável
que a entidade não será responsabilizada. Entretanto, quando a entidade
elabora as suas DC para o exercício findo em 31/12/x1, os seus advogados
aconselham que, dado o desenvolvimento do caso, é provável que a entidade
será responsabilizada.
Em 31/12/x0 deverá ser contabilizada uma provisão? Um passivo contingente?
Em 31/12/x1 deverá ser contabilizada uma provisão? Um passivo contingente?
ATIVO CONTINGENTE
• Não são reconhecidas nas demonstrações contábeis, uma vez que
pode tratar-se de resultado que nunca venha a ser realizado.
• E divulgada quando for provável uma entrada de recursos.
• Devem ser avaliadas periodicamente para determinar se a avaliação
inicial continua válida.
• Se for praticamente certa a entrada de ativo, deixa de ser
contingencia.