Você está na página 1de 3

QUADRO COMPARATIVO ENTRE CASAMENTO E UNIÃO ESTÁVEL

Casamento União Estável


1. Conceituação O casamento estabelece comunhão A união estável é reconhecida como
plena de vida, com base na igualdade de entidade familiar entre o homem e a
direitos e deveres dos cônjuges. (Art. mulher, configurada na convivência
1.511) pública, contínua e duradoura e
estabelecida com o objetivo de
constituição de família. (Art. 1.723)
2. Características Tem como elementos principais: Tem como elementos principais:
Elementares • Formalidade; • Publicidade da convivência;
• Publicidade dos atos; • Durabilidade e continuidade do vínculo;
• Habilitação matrimonial prévia; • Objetivo de constituição de família.
• Solenidade de celebração;
• União permanente e exclusiva;
3. Impedimentos Causas Impeditivas (Art. 1.521): Causas Impeditivas (Art. 1.723 § 1º):
e Suspensão I - os ascendentes com os descendentes, A união estável não se constituirá se
seja o parentesco natural ou civil; II - os ocorrerem os impedimentos do art. 1.521;
afins em linha reta; III - o adotante com não se aplicando a incidência do inciso VI
quem foi cônjuge do adotado e o adotado no caso de a pessoa casada se achar
com quem o foi do adotante; IV - os separada de fato ou judicialmente.
irmãos, unilaterais ou bilaterais, e demais
colaterais, até o terceiro grau inclusive; V
- o adotado com o filho do adotante; VI -
as pessoas casadas; VII - o cônjuge
sobrevivente com o condenado por
homicídio ou tentativa de homicídio
contra o seu consorte.

Causas Suspensivas (Art. 1.523): Causas suspensivas (Art. 1.723 § 2º):


I - o viúvo ou a viúva que tiver filho do As causas suspensivas do art. 1.523 não
cônjuge falecido, enquanto não fizer impedirão a caracterização da união
inventário dos bens do casal e der estável.
partilha aos herdeiros; II - a viúva, ou a
mulher cujo casamento se desfez por ser
nulo ou ter sido anulado, até dez meses
depois do começo da viuvez, ou da
dissolução da sociedade conjugal; III - o
divorciado, enquanto não houver sido
homologada ou decidida a partilha dos
bens do casal; IV - o tutor ou o curador e
os seus descendentes, ascendentes,
irmãos, cunhados ou sobrinhos, com a
pessoa tutelada ou curatelada, enquanto
não cessar a tutela ou curatela, e não
estiverem saldadas as respectivas
contas.
4. Celebração Celebrar-se-á o casamento, no dia, hora Em regra, não há formalidades. Poderá
e lugar previamente designados pela ser feita por meio de contrato registrado
autoridade que houver de presidir o ato, em cartório. (Art. 1.725)
mediante petição dos contraentes, que se
mostrem habilitados com a certidão do
art. 1.531. (Art. 1.533)
5. Deveres São deveres de ambos os cônjuges: I - As relações pessoais entre os
fidelidade recíproca; II - vida em comum, companheiros obedecerão aos deveres
no domicílio conjugal; III - mútua de lealdade, respeito e assistência, e de
assistência; IV - sustento, guarda e guarda, sustento e educação dos filhos.
educação dos filhos; V - respeito e (Art. 1.724)
consideração mútuos. (Art. 1.566)
6. Estado Civil O casamento é o marco referencial para A união estável não é definida com um
atribuir a alguém a condição jurídica que estado civil. Portanto, não há mudança de
atesta a existência ou não de vínculo estado civil com a convivência em união
matrimonial (compreende os estados de estável.
solteiro, casado, viúvo, separado e
divorciado) chamada de estado civil.
7. Relação de Cada cônjuge ou companheiro é aliado Aplicam-se as mesmas regras aplicáveis
Parentesco aos parentes do outro pelo vínculo da ao casamento. (Art. 1.595)
afinidade. O parentesco por afinidade
limita-se aos ascendentes, aos
descendentes e aos irmãos do cônjuge
ou companheiro. Na linha reta, a
afinidade não se extingue com a
dissolução do casamento ou da união
estável. (Art. 1.595)
8. Presunção de Presumem-se concebidos na constância do Não há expressa previsão legal para
Filiação casamento os filhos: presunção de paternidade numa relação
I - nascidos cento e oitenta dias, pelo de união estável. Muito embora haja
menos, depois de estabelecida a divergência doutrinária, boa parte da
convivência conjugal; II - nascidos nos doutrina afirma que tal presunção existe
trezentos dias subsequentes à dissolução apenas no casamento. (Berenice Dias)
da sociedade conjugal, por morte,
separação judicial, nulidade e anulação do
casamento; III - havidos por fecundação
artificial homóloga, mesmo que falecido o
marido; IV - havidos, a qualquer tempo,
quando se tratar de embriões
excedentários, decorrentes de concepção
artificial homóloga; V - havidos por
inseminação artificial heteróloga, desde
que tenha prévia autorização do marido.
(Art. 1.597)
9. Regime Legal Não havendo convenção, ou sendo ela Na união estável, salvo contrato escrito
de Bens nula ou ineficaz, vigorará, quanto aos entre os companheiros, aplica-se às
bens entre os cônjuges, o regime da relações patrimoniais, no que couber, o
comunhão parcial. (Art. 1.640) regime da comunhão parcial de bens.
(Art. 1.725)
10. Alimentos Podem os parentes, os cônjuges ou Aplicam-se as mesmas regras pertinentes
companheiros pedir uns aos outros os ao casamento. (Art. 1.694)
alimentos de que necessitem para viver
de modo compatível com a sua condição
social, inclusive para atender às
necessidades de sua educação. (Art.
1.694)
11. Sucessão O cônjuge é herdeiro necessário e terá O companheiro não é herdeiro necessário
direito à legítima. São herdeiros podendo o falecido, por meio de
necessários os descendentes, os testamento, dispor da totalidade de seus
ascendentes e o cônjuge. (Art. 1.845) bens.
Pertence aos herdeiros necessários, de
pleno direito, a metade dos bens da
herança, constituindo a legítima. (Art.
1.846)
12. Dissolução A sociedade conjugal termina: I - pela A união estável termina: I - pela morte de
morte de um dos cônjuges; II - pela um dos companheiros; II - pela
nulidade ou anulação do casamento; III - interrupção no período de convivência; III
pela separação judicial; IV - pelo divórcio. - pela dissolução da união estável.
(Art. 1.571)