Você está na página 1de 2

Josef Priller

O traje da manhã atravessou o teto do cinto. Dentro do escritório bombardeado do mecânico de cabeça, o vento
levantou as páginas do calendário da parede. Ele v, um 6 de junho de 1944. De repente, a forma pequena de um
homem em um uniforme da força aérea entrou na imagem da destruição. Ile usava um boné amassado e manchado
e seu cachecol colorido cercado ZI com o Ritterkreutz (Cruz de Cavaleiro da Cruz de Ferro em uma grinalda de folhas
de carvalho de prata. Ele usava a jaqueta de couro de um piloto americano esperando a guerra em um prisioneiro de
guerra Acampamento no coração do Reich. Não foi o alquim do colchão, as formas graciosas de dois Focke-Wulf Fw
190A - está escondida atrás de um montículo de terra. Os eventos das últimas semanas passaram pela mente do
Oberstleutnant. bombardeiros e bombardeiros estavam dirigindo missões 24 horas e destruindo todos os possíveis
alvos militares. Nem mesmo as pequenas estações de trem locais foram poupadas, e havia 111a111, "aqui na
Normandia". A questão era "Por quê?" \ NrhY Destrua todas as pontes e linhas ferroviárias que levam à costa da
Normandia. Resposta clara Era óbvio: preparar uma invasão, mas onde e quando isso viria? O aviador deixou o
gancho e dirigiu-se na direção de um edifício baixo. Ao entrar um tele-phone tocou no ro Em frente à entrada. A
poucos metros de distância havia uma mesa baixa com o telefone. Ao lado da mesa havia uma cama de campo e
sentar-se com uma buzina coberta de peles na mão era outro piloto com a classificação de Unteroffizier. O
Oberstleutnant ergueu o aparelho e anunciou-se: "Prillerl Depois de alguns segundos, seu rosto bronzeado ficou
branco como uma folha. Pressionou o microfone mais apertado em sua orelha e o tom de sua voz fez com que o Un-
teroffizier soltasse a bota para o chão com um alto suspiro. "Então, finalmente, aconteceu, disse Prille :. "Acabei de
dizer", apenas o que eu pensei. Eles aterraram. e vocês estão na divisão (na sua calça, não é? Escute II eidenreick,
você pode ir para o inferno! Muitos vezes, eu fiz "Iarn You" e pergunte para que você tome medidas? E agora você
está completamente em um bind. Você ouve? Em um traseiro! '' Depois de uma pausa, ele chorou. "O quê?!?
Quantos aviões? Nós dois? Pips, Priller e seus fiéis companheiro Katschmarek1. Isso leva o bolo - a Luftwaffe alemã
começa na manhã - 6 de junho de 1944 com dois aviões contra toda a força de invasão aliada ... eu entendo você
corretamente? "? A voz na outra extremidade continuou por um tempo, então: "Claro que vou voar, sim, mesmo
com apenas dois aviões, e Heidenreich, você pode contar isso ao seu general". Um sorriso resignado veio ao rosto do
Oberstleutnant quando ele jogou o auscultador e se virou lentamente para o Unteroffizier. "Você ouviu?",
Perguntou. "Eles estão aqui. A invasão começou. "Com uma raiva, Priller jogou o telefone contra a parede e, com a
mão esquerda, afrouxou o colar para obter mais ar. Parecia que ele falava alguma coisa, mas ele não. Ele pegou o
fone de ouvido do quadril de A mesa e saiu da sala. O Unteroffizier colocou suas botas forradas de peles. Lançou o
couro de Jack-et e saiu correndo atrás de seu oficial comandante. Os dois Focke-Wolfs se dirigiram para o noroeste
por campos coloridos iluminados pelo sol de verão. Eles rugiram sobre as aldeias, os rios e as estradas vazias e logo
se depararam com os muros de pedra e sebes comuns à paisagem da Normandia. O líder do vôo Obstlt. Josef Priller
não prestou atenção à rica paisagem. Ele ainda ouviu a voz do comandante da divisão com quem ele falou
anteriormente, que disse: "... Pips, é uma invocação! Eles pousaram na Normandia entre St. Mere Eglise e a
Península de Cotentin ... a situação está em constante mudança. Quantos aviões você tem à sua disposição? "À
medida que os segundos passavam, os dois lutadores se aproximaram dos portões do inferno que abriram nesta
seção recentemente pacífica da costa da Normandia. Priller notou um grande grupo de aviões ao norte e empurrou
A força dos pescadores aliados em grupos apertados estava espalhando o espaço aéreo acima da batalha. Suas
linhas cresceram cada vez mais a cada segundo. Uma das forcas que voavam a uma altitude baixa de cerca de 1000
metros era a menos de cinco quilômetros de distância.

O Oberstleutnant caiu baixo e seu Katschmarek o seguiu. Os dois Fw 190 misturaram-se na floresta de cheiro abaixo.
A bússola mostrou um curso constante de 340 graus. As listras preto e branco sob as asas e as fuselagens dos
combatentes inimigos eram claramente visíveis a partir daqui. As marcas incomuns fizeram que os aviões pareciam
cavaleiros de circo bem decorados galopando em torno de seu anel. Priller assistiu seu inimigo, mas nada indicou
que eles notaram que os dois alemães se esgueiravam para baixo. Foi um pensamento humorístico, dois contra
tantos ... Priller foi superado por uma paralisia causada pela desesperança de sua situação. Na frente, ele podia ver
as praias e um grande número de finos contornos cinza de navios que cortavam o azul profundo da água. Em torno
dos navios havia centenas de balões de barragem. Entre a costa e os navios havia um incêndio pesado das armas AA
e os Focke-Wulfs logo tiveram uma parede de pneu em frente a si mesmos. Eles fizeram uma curva rápida e
passaram palhaços quase ao nível do solo. A alguns metros abaixo deles, parecia um formigueiro com toda a ação
em andamento. Priller nunca tinha visto tantas pessoas nem tanto equipamento militar ao mesmo tempo. Ele
rapidamente recuperou a compostura. virou a esquerda e abriu as armas do convés. Pelo canto de seus olhos ele viu
aquele Uffz. Wodarczyk tinha feito o mesmo. Nessa faixa, não havia como evitar que eles saíssem e cortaram uma
linha de fogo através de caminhões, homens e barcaças de pouso. Alguns segundos depois do trabalho foram feitos
e eles dirigiram suas máquinas de volta à sua base. A mente de Priller estava correndo com pensamentos e emoções:
por um lado, ele estava furioso do que ele só tinha os dois aviões a sua disposição, o que tinha feito tanta impressão
como se estivessem esgotando os inimigos no inimigo e Por outro lado, a idade de uma força de invasão tão grande
no chão, no ar e na água, encheu-o com medo do resultado da guerra para os alemães. Isso não seria mais uma
guerra de cachorros individuais, mas seria uma luta para a morte pelo lado que ficou sem suprimentos primeiro.2

O herói desta missão de combate única foi Josef "Pips" l'Riller, nascido em 27 de julho de 1915 em Ingolstadt. Ele
ingressou na Wehrmacht em 1935 e serviu como Fahnenjunker (cadete). Em outubro de 1936, ele transferiu para a
Luftwaffe e começou a treinar no vôo na escola de vôo em Salzwedel. Em 1 de abril de 1937, Leut-nant Priller foi
designado para a linha de frente com a IJJG 135. Em 1º de setembro de 1938, sua unidade foi reorganizada como
IJJG 233 e, em 1º de maio de 1939, foram novamente reorganizadas como IJJG 51. A partir de julho 1939 Priller
serviu com o LIG 71, que mudará para II ... / JG 51. Sua primeira vitória aérea chegou em 28 de maio de 1949,
quando ele derrubou um Fogo Spitfire da RAF sobre Dunkirk. No final de agosto de 1940, havia quinze vitórias
aéreas. Para a sua vigésima vitória, ele recebeu a Cruz de Cavaleiros em 19 de outubro de 1940. Em 20 de novembro
de 1940, ele recebeu o comando do IJJG 26, onde reenviou Ohlt. Eberhard Heinrici (7 vitórias aéreas) que foi morto
em ação três dias antes do Canal da Mancha. Priller foi incapaz de marcar mais mata nas próximas semanas, apesar
de hav- contato intenso com aviões RAF. O JG 26 foi restituído da costa do Canal para um local mais profundo na
Alemanha durante o inverno de 1940-41. Depois de um merecido descanso durante a primavera de 1941, os pilotos
foram enviados para a França para o dever e foi aqui que a série de vitórias de Priller começou a decolar. Entre 16 de
junho e 11 de julho de 1941, Priller derrubou dezenove aviões da RAF, incluindo dezessete faróis de espadas
Superma-rine. Em 14 de julho de 1941, ele notou sua 40ª vitória. [assassino foi apreciado por todos os que o
conheciam o centro de atenção nas reuniões e desempenhou um papel central em muitas histórias incomuns, uma
das quais é contada pelo comandante da companhia Flauptfeld - \\ rebelde Heinz RUckriem: "Nosso comandante
quase morreu uma vez, mas não no ar, no chão. Ele estava retornando uma noite de uma consulta em carro. Apenas
fora de St. Omer era um portão de cruzamento ferroviário. Priller era usado para alta velocidade, e seu carro
também deveria executar. Quando você está fazendo 120 km / h e você vê O portão de travessia fechado na sua
frente, não há tempo para reagir. O "velho" reagiu, porém, baixando o seu cabeça e atravessando o portão. Poucos
segundos depois, logo no horário, veio o trem rápido. Se eu não tivesse visto o portão no dia seguinte pessoalmente,
1 nunca acreditei nele. O portal esmagado, o protetor de vento quebrado e o conversível foram suficientes para
conviver-me, no entanto. De qualquer forma, nosso comandante voltou a basear aquela noite com suas placas sob o
braço, e na manhã seguinte ele estava contando a história e rindo. ("Chefe", disse ele, 01 foi realmente afortunado
na noite passada. Teoricamente, eu deveria estar morto, mas acho que ainda não acabo. "E, novamente, Pips
escapou com segurança:" Em 19 de outubro de 1941 depois obtendo sua 41ª vitória, Priller foi premiado com a
Grinalda da Folha de Carvalho para a Cruz de Cavaleiro. De 26 de dezembro de 1941, ele foi comandado em 111. N
26. Em combate constante contra a RAF, seu número de vitórias aumentou de forma constante e, até 5 de maio de
1942, ele obteve sua 70ª morte. Quando ele assumiu o comando do JG 26 em janeiro

11, 1943 ele voou menos missões de combate. Ele ainda conseguiu adicionar algumas vitórias ao seu recorde
entretanto e, em 15 de junho de 1944, ele conseguiu o seu 100º matar. Os detalhes desta missão são relatados por
Prill-er em um estilo muito seco em seu relatório de esclarecimento: "Em 15 de junho de 1944 às 06h25 eu voei
como formação líder para II. e 1114G 26, bem como IILIG 54 (de Guvancourt) em uma "caça gratuita" nas regiões TT
8 e UT 2. Às 06h50, notei uma formação de 70-80 Boeing e Bombardeiros liberadores em três grupos a uma altitude
de 6000-7000 metros a cerca de 100 km ao sul de Chartres.