Você está na página 1de 59

OBJETIVO DA TERAPIA PERIODONTAL

Descontaminar a superfície dentária supra e subgengival, a


remoção do biofilme bacteriano e do cálculo dental, como forma de
evitar a progressão da doença periodontal.
PROCEDIMENTOS

• O procedimento mais comum usado para debridamento da


superfície radicular é a raspagem e alisamento de forma mecânica,
utilizando diferentes tipos de instrumentais manuais.

• O tipo de instrumental depende da localização (supra ou sub)


INSTRUMENTAIS RASPADORES

MANUAIS MOTORIZADOS / ELÉTRICOS

✓Sônico
✓Foices ✓Ultra sônico
✓Enxadas ✓Outros sistemas
✓Limas
✓Curetas
INSTRUMENTAÇÃO SÓNICA E MANUAL

• Instrumentos sônicos causam menos danos que a manual.


• Exige treinamento para não causar danos a estrutura dental
• A instrumentação manual deixa a superfície radicular mais lisa
do que a ultra-sônica
INSTRUMENTOS PERIODONTAIS

F inalidade

- Remoção de cálculos;

- Alisamento da superfície;

- Remoção de tecido doente.


INSTRUMENTAIS

1. Exame Periodontal

2. Raspadores e aplainamento coronário e radicular

3. Polimento coronário

4. Cirurgia Periodontal
INSTRUMENTAIS PARA EXAME PERIODONTAL

-sonda Exploradora (A)


-sonda Periodontal (B)
-sonda tipo Nabers (C)

(A) (B) (C)


SONDA PERIODONTAL
SONDAS

Sonda milimetrada
Tipo Williams
Carolina do Norte #15
SONDA PERIODONTAL
SONDAS

CARACTERÍSTICAS:
✓Delgada e Flexível
✓Circular em corte transversal
✓Ponta ativa: milimetrada ou colorida, romba e arredondada
✓Extremidade: simples ou dupla

INDICAÇÕES:
✓Diagnóstico da doença periodontal
✓Mensurar a profundidade de bolsa
SONDA PERIODONTAL
USO DAS SONDAS PERIODONTAIS

Direção
Posição
SONDA PERIODONTAL
USO DAS SONDAS PERIODONTAIS

Pontos de sondagem:
Vestibular (mesial / centro / distal)
Palatina / Lingual (mesial / centro / distal)

Posição e Direção
SONDA PERIODONTAL
SONDA NABERS
Características:
-ponta romba
- duas partes ativas
- nem todas são calibradas

Uso:
- determinar a extensão do envolvimento da furca
com várias raízes.
SONDA NABERS
SONDA NABERS
USO DAS SONDAS PERIODONTAIS - SONDAGEM DE FURCAS

Bifurcações Trifurcações

✓Vestibular
✓Vestibular
✓Distopalatino
✓Lingual
✓Mesiopalatino
SONDA NABERS
USO DAS SONDAS PERIODONTAIS - SONDAGEM DE FURCAS
SONDA NABERS
SINAIS E SINTOMAS DA DOENÇA PERIODONTAL
AVALIAÇÃO ENVOLVIMENTO DE FURCA

✓Profundidade sondagem Horizontal ≤ 3mm: GRAU 𝐈

✓Profundidade sondagem Horizontal > 3mm em no máximo 1 acesso de furca


e / ou combinação com envolvimento de furca grau 𝐈 : GRAU 𝐈 𝐈

✓Profundidade sondagem Horizontal > 3mm em 2 ou mais acessos de furca


geralmente representa destruição de um lado a outro da furca (com
comunicação de ambas): GRAU 𝐈 𝐈 𝐈
RASPADORES DE APLAINAMENTO CORONÁRIO E RADICULAR

CÁLCULO SUPRAGENGIVAL
INSTRUMENTAIS RASPADORES

CURETAS UNIVERSAIS CURETAS ESPECÍFICAS: GRACEY


✓Desenhada para se adaptar a todas ✓Cada cureta é desenhada para
superfícies dentárias determinada área ou face

✓Ambos bordos cortantes ✓Apenas 1 ângulo de corte


INSTRUMENTAIS RASPADORES

MANUAIS
✓Composto por 3 partes:
✓Parte ativa: lâmina
✓Haste
✓Cabo
Extremidade ativa

Cabo Haste
Tamanho Mais fina que o cabo
Forma Comprimento variável
Textura Angulação
Estrutura
INSTRUMENTAIS RASPADORES
MANUAIS: Curetas
✓Raspagem e debridamento radicular
✓Supra e sub gengival
✓Instrumentos mais delicados / Sensibilidade tátil
✓Angulos de corte curvos
✓Extremidade final arredondada
✓Frequentemente fabricados com 2 pontas ativas
CURETAS ESPECÍFICAS

CURETAS GRACEY

✓Utilização específica para cada área

✓Angulação de 60 a 70 graus

✓Apenas 1 ângulo de corte

✓Lâmina é curva em 2 planos


CURETAS ESPECÍFICAS

TIPOS DE CURETA GRACEY

✓Standart

✓After five

✓Mini five
CURETAS ESPECÍFICAS

3/4 DENTES ANTERIORES

FACES LIVRES DE
7/8
POSTERIORES

11/12 MESIAIS POSTERIORES

13/14 DISTAIS POSTERIORES


CURETAS ESPECÍFICAS
Curetas Gracey
3-4 Curetas Gracey 7-8
(Dentes (Vest/lingual de dts posteriores)
anteriores)
CURETAS ESPECÍFICAS

Curetas Gracey 11-12 Curetas Gracey 13-14


(Mesial de dentes posteriores) (Distal de dentes posteriores)
RASPAGEM RADICULAR

Empunhadura do instrumental:

✓Caneta modificada
RASPAGEM RADICULAR

Princípios do ponto de apoio

✓Fornecer estabilidade

✓Permitir correto posicionamento do instrumento

✓Permitir movimento de mão - punho - antebraço


RASPAGEM RADICULAR
Ponto de apoio intrabucal

✓Superfície adjacente ✓Superfícies dentárias distantes na mesma arcada


RASPAGEM RADICULAR

Ponto de apoio intrabucal

✓Arcada oposta
RASPAGEM RADICULAR

Ponto de apoio intrabucal


✓Dedo sobre dedo
RASPAGEM RADICULAR
Apoio dos dedos
✓Reforço com o dedo indicador da mão não operante
RASPAGEM RADICULAR
Movimentos de raspagem
✓Firmes, curtos e de tração

✓Realizados com movimento de tração na mão, punho e antebraço sobre o dedo médio ou anular
de apoio

✓Realizados por flexão dos dedos


CURETAS UNIVERSAIS
CURETAS UNIVERSAIS

Curetas Universais

•Curetas de Mcall
•Foices
•Enxada
CURETAS UNIVERSAIS: Mcall
MCALL

• Desenhada para todas


áreas,
• Dois ângulos de corte;
• Curvada nos dois
plano.
CURETAS UNIVERSAIS: Mccall

Lâminas das curetas universais de McCall 13-14; 17-18; 19-20.


CURETAS UNIVERSAIS: FOICE
FOICE

• Remoção depósitos próximo a


áreas de contato

• Instrumento periodontal com


bordas cortantes que
convergem para uma ponta
afilada.
CURETAS UNIVERSAIS: ENXADA
ENXADAS
CONTROLE DO CÁLCULO SUBGENGIVAL
CONTROLE DO CÁLCULO SUBGENGIVAL
Limas

• Série de bordas cortantes


alinhadas em uma única
base;
• nada mais são do que
mini-enxadas
• tamanho da base pode ser
pequeno ou grande;
• limas de Dunlop e limas
de Hirschfeld
CONTROLE DO CÁLCULO SUBGENGIVAL
Limas

Limas Dunlop Limas Hirschfeld


• nada mais são do que  nada mais são do que
mini-enxadas mini-enxadas
• tamanho da base é maior  tamanho da base é menor
que a Hirschfeld; que a Dunlop;
CONTROLE DO CÁLCULO SUBGENGIVAL
Limas

• É considerada
instrumento auxiliar;
• remover depósitos
pesados e alisamento
da raíz;
• Raspagem de bolsas
periodontais
subgengivais
CONTROLE DO CÁLCULO SUPRAGENGIVAL

Para um adequado controle supra: POLIMENTO

CORONÁRIO

Taças de borracha

Escova de Robson

Tira de lixa de acabamento


INSTRUMENTAIS RASPADORES
MOTORIZADOS / ELÉTRICOS

INSTRUMENTOS SÔNICOS INSTRUMENTOS ULTRA SÔNICOS

✓Vibrações mecânicas (por ar comprimido) ✓Energia criada por um gerador de oscilação

✓Vibrações com frequência de ✓Vibrações com frequência de


2.000 a 6.000 Hz 25.ooo a 42.000 Hz
TRUMENTAÇÃO SÓNICA E ULTRASÔN

Por Magnetostrição Uma barra de metal é colocada num campo de corrente


(ultrassônico) alternada, o metal vibrará à velocidade gerada por esse
campo.
EX: Cavitron

Piezeletrecidade Um transdutor de cristal de quartzo converte a corrente


alternada em vibrações que vão de 29 a 40000 ciclos por
segundo.

Sônicos O raspador sônico é conectado a mangueira da cadeira de


alta rotação e vibra quando o ar passa sobre o bastonete de
metal existente.
INSTRUMENTAIS RASPADORES
INSTRUMENTOS ULTRA SÔNICOS -
Diversidade de Pontas
INSTRUMENTAIS RASPADORES
INSTRUMENTOS ULTRA SÔNICOS
INSTRUMENTAIS RASPADORES
INSTRUMENTOS ULTRA SÔNICOS

Vantagens: Desvantagens

✓Menor fadiga do operador ✓Risco de dano a raiz (uso inadequado)

✓Facilidade de uso ✓Menor sensibilidade tátil

✓Irrigação simultânea ✓Aerosol / Contaminação

✓Efeito cavitacional
INSTRUMENTAIS RASPADORES
INSTRUMENTOS ULTRA SÔNICOS

ESTUDOS INDICAM IGUAL EFICIÊNCIA ENTRE


INSTRUMENTOS MANUAIS X INSTRUMENTOS
MOTORIZADOS

x
Breininger, 1987; Leon, 1987; Thilo, 1987; Copulus et al, 1993
ÇÃO INSTRUMENTAIS: CURETAS GRA
TIPOS DE PEDRAS

✓ARKANSAS ✓ÍNDIA ✓CERÂMICAS


✓Pedra natural ✓Pedra sintética ✓Pedra sintética
✓Diversos formatos ✓Restaurar corte ✓Diversas abrasividades
✓Restaurar corte ✓Dar recontorno a borda ✓Restaurar corte
✓Refinar corte ✓Média abrasividade ✓Refinar corte
✓Fina abrasividade ✓Diversos formatos
ÇÃO INSTRUMENTAIS: CURETAS GRA

✓Pedra fixa: ✓Instrumento fixo


PRINCÍPIOS AFIAÇÃO

1- escolher pedra adequada;

2- usar pedra de afiar esterelizada;

3- estabeleça ângulo de corte correto entre


a pedra de afiar e a superfície do instrumental;

4- mantenha o apoio firme e estável do


instrumento e da pedra de afiar;
PRINCÍPIOS AFIAÇÃO

5- evite pressão excessiva;

6- evite formação de “rebarbas”

7- lubrificar a pedra durante a afiação;

8- afiar o instrumento ao primeiro


sinal de corte.
FIAÇÃO INSTRUMENTAIS: LIMA-AGULH

Lima-Agulha

• Seleção do recurso
de afiação
Resumo
Curetas:

Cureta Específica Gracey _____ - Raspagem Supra/Subgengival dos elementos anteriores


Cureta ______________ 7/8 - Raspagem Supra/Subgengival das faces livres de posteriores
Cureta Especifica Gracey 11/12 - ___________________________________________________________
Cureta Específica Gracey 13/14 - ___________________________________________________________

Cureta ________ McCall 13/14 - ___________________________________________________________

Lima Dunlop: _________________________________________________________


Limas Hirschfeld: ______________________________________________________
Referências Bibliográficas:
- Periodontia clínica - Carranza /Newmann

- Tratado de Periodontia clínica - Jan Lindhe

- Periodontia - Cid Ferraz

- Instrumentação em periodontia
contemporânea - Shoen