Você está na página 1de 80

Manual do Utilizador

CR 35-X
Agfa-Healthcare N.V. 1999.
É proibida a reprodução, cópia, adaptação ou transmissão de qualquer modo ou por qualquer meio
sem a autorização por escrito da Agfa-Healthcare N.V.
A Agfa-Healthcare N.V. não confere qualquer garantia explícita ou implícita quanto à exatidão, o
caractere completo ou a utilidade da informação contida neste manual e exclui, explicitamente
qualquer garantia de idoneidade para uma finalidade determinada. A Agfa-Healthcare N.V. não aceita,
em nenhum caso, responsabilidade por qualquer dano provocado pelo uso ou impossibilidade de
uso de informação, aparelhos, métodos ou processos descritos neste manual.
A Agfa-Healthcare N.V. reserva-se o direito de modificar este manual sem prévio aviso.
Agfa-Healthcare N.V. Septestraat 27, B-2640 Mortsel, Bélgica.
AGFA CR 75.0 é uma marca registrada da Agfa-Healthcare N.V. Bélgica.
Agfa e Agfa-Rhombus são marcas registradas da Agfa-Gevaert AG, Alemanha.
Índice

Capítulo 1: Apresentação do CR 35-X .................................................................... 5


Utilização do CR 35-X................................................................................................. 6
Características do CR 35-X ........................................................................................ 7
Precauções de segurança .......................................................................................... 8
Conformidade com as normas de segurança............................................................. 12
Modos de funcionamento............................................................................................ 13
Configurações............................................................................................................. 14
A interface do utilizador .............................................................................................. 16
Ligar o CR 35-X .......................................................................................................... 24
Desligar o CR 35-X ..................................................................................................... 26
Capítulo 2: Funcionamento básico (.Modo do operador.)..................................... 27
Fluxo de trabalho ........................................................................................................ 28
Leitura de uma chapa de imagem............................................................................... 29
Leitura de uma chapa de imagem de emergência ..................................................... 35
Voltar a apagar uma chapa de imagem...................................................................... 42
Leitura de dados de identificação de uma cassete (Configuração Dedicada) ........... 46
Alterar a chapa de imagem tipo (Configuração dedicada)......................................... 48
Capítulo 3: Funções avançadas de funcionamento (.Modo do operador base.).51
Resumo das funções avançadas (.Modo do operador base.).................................... 52
Verificar a qualidade da imagem ............................................................................... 53
Lista de avarias.......................................................................................................... 54
Anexo A: Folha de informação do equipamento ................................................. 59
Anexo B: Cassetes CR ........................................................................................... 65
Anexo C: Observações sobre emissões de HF e imunidade ............................. 75
Capítulo 1
Apresentação do CR 35-X

Este capítulo chama a atenção para as precauções de segurança importantes e apresenta o CR


35-X.

 Utilização do CR 35-X
 Características do CR 35-X
 Precauções de segurança
 Conformidade com as normas de segurança
 Modos de funcionamento
 Configurações
 A interface do utilizador
 Ligar o CR 35-X
 Desligar o CR 35-X
Utilização do CR 35-X

Este dispositivo só deve ser utilizado para digitalizar cassetes de raios X expostas que contenham
uma chapa de imagem que possa ser apagada (IP). Este equipamento faz parte de um sistema
constituído por cassetes de raios X com placas de imagem de fósforo que podem ser apagadas,
uma estação de identificação para as cassetes e uma estação de trabalho onde a informação
digital resultante das imagens é posteriormente processada e encaminhada. Este equipamento
destina-se a ser utilizado num ambiente radiológico por pessoal qualificado.
Características do CR 35-X

O CR 35-X é um Digitizer para chapas de imagem que retêm imagens de raios X latentes. Foi
desenvolvido pela Agfa.

O CR 35-X aceita cassetes contendo uma chapa de imagem de cada vez. O CR 35-X:

. retira a cassete com a chapa de imagem da ranhura da cassete; . retira a chapa de imagem da cassete;
. explora a chapa de imagem;
. converte a informação da imagem latente em dados digitais;
. transmite os dados da imagem para a estação de pré-visualização;
. apaga a chapa de imagem e volta a introduzi-la na cassete;
. atribui aos dados de ID da cassete o estatuto .apagado.;
. devolve a cassete;
. transmite os dados digitais da imagem para um servidor de processamento de imagem (.destino.).

O CR 35-X permite atribuir o estatuto de .emergência. a uma imagem.


Se carregar na .tecla Emergência. antes de introduzir uma cassete não identificada, o Digitizer dá
prioridade a uma imagem para que seja enviada para o servidor de processamento de imagem.

O CR 35-X permite voltar a apagar uma chapa de imagem antes de a reutilizar.

Em casos específicos, isto é necessário para evitar que imagens secundárias provocadas por
exposições precedentes ou radiação de dispersão interfiram com a imagem que interessa.

Se CR 35-X for dedicado a uma ID Station, estão disponíveis características adicionais:

. identificação rápida de cassetes sem necessidade da ID Tablet;


. leitura dos dados de identificação de uma cassete;
. inicializar a cassete, ou seja alterar o tipo de chapa de imagem.
Precauções de segurança

Instruções gerais de segurança

. Para o software e outras plataformas técnicas e/ou se forem utilizados em combinação com
qualquer tipo de consumíveis que, após a instalação, constituam um sistema para interpretação de
dados de imagens médicas: é da responsabilidade do utilizador garantir que a qualidade da
imagem, de visualização, a iluminação ambiente e outros fatores de perturbação eventuais está em
conformidade com a
aplicação clínica.

. Não deixe o CR 35-X sem vigilância, para evitar que um manuseamento não autorizado,
especialmente por crianças.

. As reparações só podem ser executadas por pessoal de assistência habilitado. As alterações ao


CR 35-X só podem ser executadas por pessoal de assistência habilitado.

. Se a caixa da máquina apresentar quaisquer sinais de danos, não ligue nem utilize o CR 35-X.

. Se precisar ligar o CR 35-X a outros aparelhos, componentes ou unidades e se os dados técnicos


não permitirem determinar se a combinação com estes aparelhos, componentes ou unidades
envolve perigos, consulte os respectivos fabricantes para evitar pôr em risco os técnicos que a
utilizam ou o ambiente.

. Não substitua, nem desative as funções de segurança integradas.

. Como é o caso de todos os aparelhos técnicos, o CR 35-X deve ser utilizado, tratado e assistido
corretamente.

. Se não manipular ou não mantiver corretamente o CR 35-X, a Agfa-Healthcare N.V não se


responsabiliza pelas interferências, danos ou ferimentos que daí resultam.

. Ao instalar o CR 35-X, verifique se há uma ficha de corrente ou um dispositivo que desligue todos
os cabos da instalação interna perto do CR 35-X e se é de fácil acesso.
. Se notar um ruído suspeito ou fumo, desligue imediatamente o CR 35-X. . Verifique se a tensão
da rede elétrica está dentro dos limites especificados para fonte de alimentação elétrica auto-
adaptável da máquina.

Símbolos e etiquetas

Respeite sempre as indicações dos símbolos e etiquetas colocados no interior e no exterior da


máquina. Apresenta-se a seguir uma breve descrição destes símbolos e etiquetas e do respectivo
significado.

Símbolo de segurança que indica que deve


consultar os manuais do CR 35-X antes de
fazer qualquer ligação a outros equipamentos.
A utilização de equipamento acessório que não
respeite os requisitos de segurança
equivalentes aos deste

Digitizer pode reduzir o nível de segurança do


sistema resultante.

Ao escolher o equipamento acessório, deve ter


em conta o seguinte:

. A utilização do equipamento acessório junto


do paciente,

. Provas de que a certificação de segurança do


equipamento acessório foi efetuada respeitando
as normas nacionais harmonizadas IEC 601-1 e
IEC 601-1-1 adequadas.

Além disso, todas as configurações devem


cumprir a norma relativa a sistemas médicos
elétricos IEC 601-1-1. A entidade que proceder
às ligações atual como configurador do sistema
sendo, por isso, responsável pelo cumprimento
da norma relativa
aos sistemas.

Se necessário, contacte os serviços de


assistência locais.

Para reduzir o risco de choque elétrico, não


retire nenhuma das coberturas.
Atenção quente:

Não toque na unidade de apagamento.

Equipamento do tipo B:

Indica que o CR 35-X respeita os limites


estabelecidos para equipamento do tipo B.

Conector de ligação à terra para proteção


adicional:
Faz a ligação entre o CR 35-X e a barra
coletora de equalização potencial do sistema
elétrico que se encontra instalada nas
instalações clínicas. Esta ficha nunca deve ser
desligada antes de desligar o aparelho e retirar
a ficha da tomada de corrente.

Terminal de terra:
Permite a ligação entre o Digitizer e outro
equipamento que pode
ter pequenas diferenças de potencial de terra.
Estas diferenças poderão degradar a qualidade
de comunicação entre equipamentos diferentes.
Nunca remova as ligações a este terminal.

Ligação à terra de proteção (terra):


Permite a ligação entre o Digitizer e a ligação à
terra de proteção da rede de corrente elétrica.
Não anule esta ligação porque pode ter uma
influência negativa nas fugas de corrente.

Botão

Desligar
Para desligar completamente a máquina tem de
desligar o cabo de alimentação da tomada de
parede.
Precauções para utilização apenas nos EUA:
Se o Digitizer estiver ligado a uma fonte de
alimentação de 240 V/ 60 Hz em vez de uma de
120 V/60 Hz, verifique se o circuito é
monofásico e tem uma tomada central.

Pode magoar os dedos se ficarem entalados entre a cassete ADC e a extremidade da ranhura de
entrada. Introduza a cassete no dispositivo de entrada como se descreve em .Leitura de uma
chapa de imagem. na página 29. Nunca aproxime os dedos da ranhura de entrada. Assim que a
cassete entrar no CR 35- X, solte-a.

Responsabilidade pela configuração do sistema

O equipamento acessório ligado às interfaces analógica e digital tem de estar certificado de acordo
com as normas IEC respectivas (por exemplo, IEC 950 para equipamento de processamento de
dados e IEC 601-1 para equipamento médica). Além disso todas as configurações devem respeitar
a versão válida da norma de sistemas IEC 601-1-1. Todo aquele que ligar equipamento adicional à
parte de entrada ou saída de sinal configura um sistema médico sendo por isso responsável pela
conformidade do sistema com os requisitos da versão válida da norma de sistemas IEC 601-1-1.
No caso de dúvida, consulte os serviços de assistência técnica locais.

Instruções de segurança para produtos laser

O CR 35-X é um produto laser de Classe1. Utiliza um díodo de laser de 2x50 mW, classificado
como classe IIIb.
Em condições de funcionamento normais - com ambas as portas fechadas - não pode haver
qualquer radiação laser no exterior do CR 35-X. No entanto, se o CR 35-X estiver instalado muito
perto da sala de raios X, é obrigatório respeitar as regulamentações de segurança locais sobre
radiações relativas à proteção dos funcionários contra radiações dispersas.
Não abra a porta frontal esquerda ou direita exceto para resolver problemas de encravamento da
cassete ou chapa de imagem. Se abrir uma das portas, a alimentação de todos os componentes
críticos é desligada automaticamente como medida de precaução.
Respeite as instruções de chamada de atenção indicadas na etiqueta do módulo óptico:

As intervenções do utilizador não descritas neste manual podem ser perigosas no


que se refere às radiações de laser.

Conformidade com as normas de segurança

Certificados

O CR 35-X respeita:
. as normas gerais de segurança:
EN 60601-1 :1990 / A1:1993, A2:1995, A13:1996,
EN 60601-1-2 :2001,
IEC 601-1 :1988/A1 :1991, A2 :1995,
IEC 601-1-1 / EN 60601-1-1,
UL 60601-1:2003,
CAN / CSA C22.2 No.601.1-M90.
. as normas de segurança laser:
EN 60825-1: 1994 / A1:2002, A2:2001,
DHHS/FDA 21 CFR, Partes 1040.10 e 1040.11,
ANSI Z 136-1980.
. EN ISO 14971:2000,
EN 1041:1998,
EN 980:1996/A1.

O Digitizer está em conformidade com os regulamentos EG 93/42/Directiva EEC (Equipamento


médico).

Supressão de interferências de rádio

Este documento certifica que o Digitizer respeita os valores de supressão de interferências


estabelecidos pela EN 55011 Class B bem como pelas regras FCC CR47 Part 15 Class B (América
do Norte).

Equipamentos de curto alcance

EN 300 330-2 V1.1.1


EN 301 489-03 V1.2.1

Apenas para os EUA:

Este equipamento foi testado e verificou-se que respeita os limites para um aparelho digital
da classe B, de acordo com as regras FCC, parte 15. Estes limites visam proporcionar uma
proteção razoável contra interferências prejudiciais num ambiente residencial. Este
equipamento emite, utiliza e pode
irradiar energia de radiofreqüência e, quando não instalado e utilizado de acordo com as
instruções, poderá provocar interferências prejudiciais às comunicações via rádio. Se o
equipamento provocar interferências
prejudiciais noutros dispositivos consulte o manual do utilizador para obter ajuda.
Modos de funcionamento

O CR 35-X tem três modos de funcionamento: modo do operador, modo do operador-base, e modo
de assistência.

Modo do operador

O modo do operador reúne todas as funções básicas destinadas a radiologistas:


. Leitura de uma chapa de imagem;
. Leitura de uma chapa de imagem de emergência;
. Reapagamento de uma chapa de imagem;
. Leitura dos dados de identificação de uma cassete (só Configuração dedicada);
. Modificação do tipo de chapa de imagem (só Configuração dedicada).
Todas as funções do modo do operador estão descritas no Capítulo 2, .Funcionamento
básico (.Modo do operador.)..

Modo do operador base

O modo do operador base reúne todas as funções básicas destinadas a técnicos.


O modo do operador base é comandado por menus e o acesso respectivo faz-se através da tecla
de operador base do teclado. As funções do operador base são descritas no Capítulo 3,
.Funções avançadas de funcionamento (.Modo do operador base.)..

Modo de assistência

As funções do modo de assistência estão reservadas a pessoal de assistência habilitado. Estão


protegidas por uma palavra-passe.
Configurações

O CR 35-X pode ser utilizado em duas configurações: uma ou mais ID Stations servem uma
conjunto de Digitizers, ou uma ID Station é dedicada a um Digitizer.
Para a ID Station pode utilizar uma Estação do utilizador CR com a ID Tablet incluída ou
uma ID-Tablet autônoma. O ID Software instalado no PC é ligeiramente diferente,
dependendo da configuração. Para mais informações, contacte os serviços de assistência
técnica locais.

Configuração Inter-alterável

Uma ou mais ID Stations podem servir um raio de Digitizers, desde que cada ID Station possua
um ID Tablet. Não é necessária uma ligação física entre a ID Station e o Digitizer.
Nesta configuração, uma cassete pode ser identificada por todas as ID Stations e ser examinada
subseqüentemente utilizando um dos Digitizers. Os dados demográficos do paciente e dados
do exame são introduzidos com o ID Viewer Software e arquivados no chip de memória da
cassete do ADC utilizando a ID Tablet. Como resultados, os dados de identificação são ligados
à cassete e pode utilizar qualquer um dos Digitizer para ler a cassete.
A configuração intermutável permite o uso flexível de vários Digitizers e de ID Stations
dependendo do fluxo de trabalho.
Configuração dedicada

Se uma ID Station é dedicada a um Digitizer, as cassetes podem ser identificadas sem usar um ID
Tablet. Os dados de identificação são transmitidos a partir da ID Station ao Digitizer por meio da
rede.
A configuração dedicada reduz o tempo necessário para a identificação e pesquisa de uma
cassete, porque ambas as ações podem ser executadas simultaneamente.

Na Configuração dedicada, pode usar o CR 35-X para digitalizar cassetes que tenham sido
identificadas numa ID Station ou numa Estação de utilizador CR.

A interface do utilizador

A CR 35-X tem três modos de operação:

. o modo do operador para a operação básica;


. o modo do operador-base para a operação avançada;
. o modo de assistência reservado ao pessoal de assistência habilitado.

As funções do modo do operador estão descritas no Capítulo 2, .Funcionamento básico (.Modo do


operador.).. Pode encontrar uma descrição geral das funções do modo do operador-base em
.Resumo das funções avançadas (.Modo do operador base.). na página 52. Para informação
pormenorizada sobre o modo do operador- base, consulte o CR 35-X Reference Manual (Manual
de referência).

O CR 35-X está em comunicação com o utilizador via:

. um teclado e um visor;
. um indicador de estatuto;
. botões de emergência;
. sinais sonoros.

O teclado do CR 35-X tem as seguintes teclas:


• Para deslocar o cursor para o campo de entrada anterior
• Para se deslocar para cima
Tecla para • Para aumentar o número no campo de entrada numérico
cima

Tecla para • Para deslocar o cursor para o campo de entrada


baixo seguinte
• Para se deslocar para baixo
• Para diminuir o número no campo de entrada numérico.
Tecla para • Para percorrer para trás diversas opções existentes
esquerda dentro de um campo.
• Para deslocar a posição de entrada num campo de
entrada numérico da direita para a esquerda.
• Para passar de uns valores para os outros num campo.

Tecla para • Para percorrer para frente diversas opções existentes


Direita dentro de um campo.
• Para deslocar a posição de entrada num campo de
entrada numérico da esquerda para direita.
• Para passar de uns valores para os outros num campo.

O visor

O painel de controlo do CR 35-X tem um visor LCD com iluminação traseira com 8 linhas de 40
caracteres cada. A sua disposição depende do modo de operação.

No modo do operador, o visor tem áreas dedicadas a informação específica:


Modo de operação:
 [em branco]: Modo de funcionamento normal.
 EMERGÊNCIA: Função de emergência para chapas de imagem com dados
5  de ID.
 BOTÃO EMERGÊNCIA: Função de emergência para chapas de imagem
 sem dados de ID.
 APAGAMENTO: Função de reapagamento.
 DIRECT ID: Funcionamento com uma configuração dedicada.
Estado de erro: código de assistência (ASSIST. XXXXX) ou código de erro
6 (CÓDIGO XXXXX)
7 Nome da estação do CR 35-X
8.1
8.2 Identificador de chapa de imagem que está a ser tratada:
8.3 Depois de lidos os dados de ID da imagem;
Durante o varrimento da chapa de imagem e transmissão dos dados da imagem;
Durante transmissão dos dados da imagem para servidor de processamento
de imagem.
O ecrã principal do operador é:

Quando o CR 35-X está a tratar uma chapa de imagem, mostra o ecrã seguinte:

No modo do operador base: o funcionamento é comandado por menus. O menu mostra


as funções do operador base, as teclas ativas, e o código de assistência.

1 Funções do operador base


2 Teclas ativas
3 Código de assistência
No modo do operador e no modo do operador-base podem ser mostradas tanto
mensagens informativas como mensagens de aviso. As mensagens informativas aparecem
como um texto preto num fundo branco e as mensagens de aviso aparecem no modo inverso.

Cor Contraste/Piscando Estatuto Ação


Constante Pronto Continua

Verde Piscando . Ocupado (está a tratar Espere


chapa de imagem).
. Leitura dos dados de
Identificação de uma cassete.

Constante Erro .Veja se há


mensagens no visor .
Consulte .Lista de
Vermelho varias.
Piscando Iniciar a cassete Espere
Piscando . Bloqueado ou aviso. . Veja se há
. Ligado/a executar auto- mensagens no visor .
teste. Consulte .Lista de
. Modo do operador base. avarias.
. Modo de assistência.
. CR 35-X não conectado com
o servidor de processamento
de imagem.
Botões de emergência
Encontram-se dois botões de emergência na frente do CR 35-X. O botão de emergência
determina o tipo de velocidade, i.e. a sensibilidade, que será usada para digitalizar chapas de
imagem. A sensibilidade associada aos botões de emergência foi definida durante a
configuração do sistema. Para mais informações, contacte os serviços de assistência técnica
locais.

Os botões de emergência têm as seguintes etiquetas:

Digitalizar imagens do tronco.

Digitalizar imagens dos membros.

Na configuração intermutável, os botões de emergência permitem-lhe digitalizar chapas de


imagem de emergência sem dados ID.

Na configuração dedicada, os botões de emergência permitem digitalizar uma chapa de imagem


enquanto introduz dados de identificação por meio da ID Station.

Sinais sonoros

O CR 35-X dá a informações sobre o estado através de sinais sonoros. A duração do sinal sonoro
indica a resposta do sistema a um comando de tecla.

. Um sinal sonoro curto significa que o CR 35-X aceitou o comando da tecla e está a começar a
operação.

. Um sinal sonoro longo significa que carregou numa tecla inativas ou que o CR 35-X
rejeitou o comando da tecla.

. Um sinal "bipe" intermitente acompanha uma mensagem de erro, de bloqueio ou de aviso.


Consulte .Lista de avarias.
1 Verifique se a regulação do seletor da tensão na parte traseira da máquina corresponde à
tensão da alimentação.

2 Localize o interruptor principal e coloque-o na posição .I.


A máquina começa a executar um auto-teste que pode levar até 3 minutos. Aparece o ecrã
seguinte:

 Durante o teste automático, não é possível ativar nenhuma função.

Se o CR 35-X teste automático for concluído com êxito, o CR 35-X entra no modo do operador e
mostra o ecrã principal do operador:

Se o CR 35-X mostrar:

... contacte os serviços de assistência técnica locais


Desligar o CR 35-X

Antes de desligar

Verifique se o CR 35-X não está a ler uma chapa de imagem. Se o CR 35-X estiver a ler
uma chapa de imagem, o indicador de estatuto na parte superior da máquina pisca com uma luz
verde.

Desligar
É aconselhável desligar o CR 35-X no fim do dia.

Deixe o CR 35-X ligado, se tencionar utilizá-lo à noite. Ligar o CR 35-X leva


aproximadamente 3 minutos. Durante este tempo não pode executar a digitalização de
emergência!

Localize o interruptor principal e coloque-o na posição .0.


Capítulo 2

Funcionamento básico (Modo do operador.)

Este capítulo dá informação básica sobre a forma de digitalizar chapas de imagem em


circunstâncias normais e em situações de emergência. Também explica a forma de reapagar uma
chapa de imagem para evitar imagens secundárias provocadas por exposições precedentes
ou por radiação de dispersão. Estas funções estão disponíveis no modo do operador.

 Fluxo de trabalho
 Leitura de uma chapa de imagem
 Leitura de uma chapa de imagem de emergência
 Voltar a apagar uma chapa de imagem
 Leitura de dados de identificação de uma cassete (Configuração Dedicada)
 Alterar a chapa de imagem tipo (Configuração dedicada)
Fluxo de trabalho

O fluxo de trabalho para identificar cassetes e digitalizar chapas de imagem depende da


configuração do seu sistema.

Na configuração intermutável uma cassete é unicamente identificada pelos dados de


identificação no chip da cassete. Assim, tem de identificar primeiro a cassete na ID Station com a
ID Tablet, antes de digitalizar a chapa de imagem.

Consulte .Leitura de uma chapa de imagem na configuração intermutável..

São exceção as chapas de imagem de emergência que pode digitalizar sem ter identificado
a cassete. Às chapas de imagem de emergência não identificadas serão atribuídos dados ID
predefinidos. Consulte .Leitura de chapa de imagem de emergência na configuração
intermutável.

Na Configuração dedicada os dados de identificação são transmitidos a partir da ID Station para


o dedicado CR 35-X por meio da rede. Daí, o CR 35-X poder digitalizar a chapa de imagem
enquanto estiver a introduzir dados de identificação na ID Station. Consulte .Leitura de uma chapa
de imagem na configuração dedicada.
Leitura de uma chapa de imagem

A função principal do CR 35-X é digitalizar chapas de imagem e transmitir dados digitais da


imagem para a estação de pré-visualização e a estação de processamento de imagem. O
atual fluxo de trabalho depende da configuração do seu sistema.

Leitura de uma chapa de imagem na configuração intermutável

Na configuração intermutável, deve identificar a cassete numa ID Station com ID Tablet antes de
digitalizar a chapa de imagem.

Para ler uma chapa de imagem:

1 Verifique se a cassete foi devidamente identificada na ID Station.


2 Verifique se o CR 35-X está pronto a funcionar:
. O CR 35-X tem de mostrar o ecrã principal do operador, por exemplo, com o estatuto .Pronto.:

O indicador de estatuto, na parte superior, do CR 35-X tem de estar verde e com uma luz
constante.
O CR 35-X está pronto a funcionar se o campo de estatuto for igual a .PRONTO., mesmo
que sejam mostradas mensagens de estatuto do destino (por exemplo,.QS NÃO PRONTO.).

3 Introduza a cassete que contém a chapa de imagem na ranhura respectiva do CR 35-X como se
mostra abaixo.
Verifique se introduziu a cassete com a dobradiça [1] na parte de cima e o mecanismo de
bloqueio [2] em baixo.

Enquanto o CR 35-X está a tratar a chapa de imagem, aparece o ecrã seguinte:

O CR 35-X:

. lê os dados de ID da cassete;
. converte a informação da imagem latente em dados digitais;
. apaga a chapa de imagem e volta a introduzi-la na cassete;
. atribui aos dados de ID da cassete o estatuto .apagado.;
. devolve a cassete;
. transmite os dados digitais da imagem a um servidor de processamento de imagem (.destino.).
Depois de o CR 35-X ter tratado a cassete, aparece o ecrã do operador principal.

Se o CR 35-X mostrar uma mensagem de erro, consulte .Lista de avarias

4 Retire a cassete da ranhura.

Quando o CR 35-X devolve a cassete, esta está pronta para ser imediatamente
reutilizada. No entanto, se a deixar durante mais de 3 dias antes de a reutilizar, tem
primeiro de voltar a apagá-la. Consulte .Voltar a apagar uma chapa de imagem. na página
42.
Leitura de uma chapa de imagem na configuração dedicada

Na configuração dedicada, o CR 35-X pode digitalizar chapas de imagem enquanto estiver a


introduzir dados de identificação por meio da ID Station.

Para ler uma chapa de imagem:

1 Verifique se o CR 35-X está pronto a funcionar:

. O CR 35-X tem de mostrar o ecrã principal do operador, por exemplo, com o estatuto .Pronto.

. O indicador de estatuto, na parte superior, do CR 35-X tem de estar verde e com uma luz
constante.

O CR 35-X está pronto a funcionar se o campo de estatuto for igual a .PRONTO., mesmo
que sejam mostradas mensagens de estatuto do destino (por exemplo,.QS NÃO PRONTO.).
Carregue no botão de emergência na parte frontal do CR 35-X.
O botão de emergência determina o tipo de velocidade, ou seja a sensibilidade, que será usada
para digitalizar chapas de imagem.
O botão em que tiver carregado ilumina-se e o visor mostra:

3 Introduza a cassete que contém a chapa de imagem na ranhura respectiva do CR 35-X como se
mostra abaixo.
Verifique se introduziu a cassete com a dobradiça [1] na parte de cima e o mecanismo de
bloqueio [2] em baixo.

O CR 35-X digitaliza a chapa de imagem. Pode introduzir os dados de identificação, consulte o


passo 4.
Enquanto o CR 35-X está a tratar a chapa de imagem, aparecem os ecrãs seguintes:

O CR 35-X converte a informação da imagem latente em dados digitais.

Se o CR 35-X mostrar uma mensagem de erro, consulte Capítulo 3, .Funções avançadas de


funcionamento (.Modo do operador base.).

4 Introduza dados de identificação com a ID Station.

Para mais informações, consulte o Manual do utilizador do ID Software.

Logo que tenha introduzido os dados de identificação, o CR 35-X aciona:


Logo que o CR 35-X tiver digitalizado toda a chapa de imagem e tenha introduzido os dados de
identificação:

. o CR 35-X apaga a chapa de imagem e volta a introduzi-la na cassete;


. o CR 35-X atribui aos dados de ID da cassete o estatuto .apagado.;
. a cassete é reintroduzida na ranhura;
. transmite os dados de imagem digital para o servidor de processamento de imagem (.destino.).

Depois de o CR 35-X ter tratado a cassete, aparece o ecrã do operador principal.

Retire a cassete da ranhura respectiva.

Quando o CR 35-X devolve a cassete, esta está pronta para ser imediatamente
reutilizada. No entanto, se a deixar durante mais de 3 dias antes de a reutilizar, tem
primeiro de voltar a apagá-la. Consulte .Voltar a apagar uma chapa de imagem.
Leitura de uma chapa de imagem de emergência

Pode ter uma chapa de imagem que deseja que tenha prioridade sobre outra chapa de
imagens que está a ser processada pela estação de processamento de imagem. Essas chapas
de imagem são chamadas 'chapas de imagem de emergência'. O atual fluxo de trabalho
depende da configuração do seu sistema.

Leitura de chapa de imagem de emergência na configuração intermutável

Na configuração intermutável, pode usar:

chapas de imagem de emergência com dados de ID através da tecla de Emergência do


teclado;

chapas de imagem de emergência sem dados de ID através dos botões de emergência na parte
frontal do CR 35-X.

Leitura de chapas de imagem de emergência com dados de ID

Para ler uma chapa de imagem de emergência com dados de ID:

1 Verifique se a cassete foi devidamente identificada na ID Station.

2 Verifique se o CR 35-X está pronto a funcionar:

. O CR 35-X tem de mostrar o ecrã principal do operador, por exemplo, com o estatuto .Pronto.:
O indicador de estatuto, na parte superior, do CR 35-X tem de estar verde e com uma luz
constante.

 O CR 35-X está pronto a funcionar se o campo de estatuto for igual a .PRONTO.,


mesmo que sejam mostradas mensagens de estatuto do destino (por exemplo,.QS NÃO
PRONTO.).

3 Carregue na tecla de Emergência no teclado.

O estatuto de emergência só é atribuído à primeira chapa de imagem que introduzir na


ranhura da cassete do CR 35-X depois de carregar na tecla de Emergência.

4 Introduza a cassete que contém a chapa de imagem de emergência na ranhura respectiva, como
se mostra abaixo.

Verifique se introduziu a cassete com a dobradiça [1] na parte de cima e o mecanismo de


bloqueio [2] em baixo.
Depois de o CR 35-X ter tratado a chapa de imagem, mostra o ecrã principal do operador.

O servidor de processamento de imagens dará prioridade à imagem de emergência em


relação às imagens que se encontrem na fila de espera de processamento.

Se não introduzir uma cassete dentro de 1 minuto depois de carregar no botão de


Emergência ou se não introduzir uma cassete sem dados de ID, o CR 35-X sairá da função
de emergência e voltará ao ecrã principal do operador.

5 Retire a cassete da ranhura respectiva.

Leitura de chapas de imagem de emergência sem dados de ID

Para ler uma chapa de imagem de emergência sem dados de ID:

1 Verifique se o CR 35-X está pronto a funcionar:

. O CR 35-X tem de mostrar o ecrã principal do operador, por exemplo, com o estatuto .Pronto.:
. O indicador de estatuto, na parte superior, do CR 35-X tem de estar verde e com uma luz
constante.

O CR 35-X está pronto a funcionar se o campo de estatuto for igual a .PRONTO., mesmo
que sejam mostradas mensagens de estatuto do destino (por exemplo,.QS NÃO PRONTO.).

2 Carregue num dos botões de emergência na parte frontal do CR 35-X.

O botão de emergência determina o tipo de velocidade, ou seja a sensibilidade, que será usada
para digitalizar chapas de imagem.

O botão em que tiver carregado ilumina-se e o visor mostra:

O estatuto de emergência só será atribuído à primeira chapa de imagem que


introduzir na ranhura para cassetes do CR 35-X, depois de se carregar no botão de
emergência.

3 Introduza a cassete que contém a chapa de imagem de emergência na ranhura respectiva, como
se mostra abaixo.
Verifique se introduziu a cassete com a dobradiça [1] na parte de cima e o mecanismo de
bloqueio [2] em baixo.

A chapa de imagem será digitalizada usando o tipo de velocidade, i.e. a sensibilidade


correspondente ao botão de emergência definido durante a configuração.

Depois de o CR 35-X ter tratado a chapa de imagem, mostra o ecrã principal do operador.
Os dados da imagem digital são transmitidos ao servidor de processamento de imagem
acompanhados pelos dados de ID por defeito. O servidor de processamento de imagens dará
prioridade à imagem de emergência em relação às imagens que se encontrem na fila de espera de
processamento.

Se não introduzir uma cassete dentro de 15 segundos depois de carregar num botão de
emergência, o CR 35-X sairá da função do botão de emergência e regressará ao ecrã
principal de operador.
Para modificar os parâmetros de varrimento que correspondam com o botão de emergência,
contacte os serviços de assistência técnica locais.

4 Retire a cassete da ranhura respectiva.


Leitura de chapas de imagem na configuração dedicada

Na configuração dedicada, pode digitalizar chapas de imagem de emergência não


identificadas. Serão atribuídos aos dados de imagem digital, dados ID predefinidos.

Para ler uma chapa de imagem:

1 Verifique se o CR 35-X está pronto a funcionar:


. O CR 35-X tem de mostrar o ecrã principal do operador, por exemplo, com o estatuto .Pronto.:

Para digitalizar uma chapa de imagem de emergência, tem de carregar na tecla Confirme
depois de inserir a cassete (consulte o passo 4). A transmissão de dados da imagem
para a estação de pré-visualização e a estação de processamento de imagens fica
suspensa até ao momento em que carregar na tecla Confirme.

. O indicador de estatuto, na parte superior, do CR 35-X tem de estar verde e com uma luz
constante.

O CR 35-X está pronto a funcionar se o campo de estatuto for igual a .PRONTO., mesmo
que sejam mostradas mensagens de estatuto do destino (por exemplo,.QS NÃO PRONTO.).

2 Carregue num dos botões de emergência na parte frontal do CR 35-X.

O botão de emergência determina o tipo de velocidade, ou seja a sensibilidade, que será usada
para digitalizar chapas de imagem.
O botão em que tiver carregado ilumina-se e o visor mostra:

3 Introduza a cassete que contém a chapa de imagem, na ranhura respectiva do CR 35-X como se
mostra abaixo.
Verifique se introduziu a cassete com a dobradiça [1] na parte de cima e o mecanismo de
bloqueio [2] em baixo.

O CR 35-X digitaliza a chapa de imagem.


Enquanto o CR 35-X está a tratar a chapa de imagem, aparece o ecrã seguinte:
4 Carregue na tecla Confirme.

. Se carregar no botão de emergência para digitalizar imagens dos membros, [Exame Tipo]
identifica .Extremidades.

. Se carregar no botão de emergência para digitalizar imagens do tronco, [Exame tipo] identifica
.Corpus.

Depois de o CR 35-X ter tratado a chapa de imagem, mostra o ecrã principal do operador.

Os dados da imagem digital são transmitidos ao servidor de processamento de imagem


acompanhados pelos dados de ID por defeito. O servidor de processamento de imagens dará
prioridade à imagem de emergência em relação às imagens que se encontrem na fila de espera de
processamento.

5 Retire a cassete da ranhura respectiva.


Voltar a apagar uma chapa de imagem

No final de um ciclo de digitação normal ou de emergência, o CR 35-X devolve uma chapa de


imagem apagada. No entanto, nos seguintes casos, tem de voltar a pagar a chapa de imagem
antes de a reutilizar para evitar imagens secundárias que interfiram com a imagem que interessa:

. Se a chapa de imagem não tiver sido utilizada durante mais de 3 dias.


Nesse caso, a chapa de imagem pode ter sido exposta a uma radiação de dispersão.

. Se uma chapa de imagem tiver sido exposta a uma dose de raios X excepcionalmente
alta.

Nesse caso, camadas profundas da chapa de imagem podem reter ainda uma imagem
latente depois do apagamento standard. Deixe repousar a chapa de imagem durante pelo
menos um dia antes de voltar a apagá-la.

Pode apagar chapas de imagem a que tenha atribuído o estatuto .a apagar. na ID Station ou
chapas de imagem que tenham o estatuto .apagado.

Voltar a apagar chapas de imagens com o estatuto .apagado.

Para voltar a apagar uma chapa de imagem que foi apagada como parte de uma ciclo de
digitalização normal ou de emergência:

1 Verifique se o CR 35-X está pronto a funcionar:

. o CR 35-X tem de mostrar o ecrã principal do operador com o estatuto .Pronto., por exemplo:
. o indicador de estatuto na parte superior do CR 35-X tem de estar verde e com uma luz
constante.

2 Carregue na tecla Apagar do teclado.

O visor mostra:

Se o ecrã acima não aparecer, mas o visor mostrar:

isto quer dizer que introduziu uma cassete com dados de ID que não têm o estatuto
.apagado.. Pode agora escolher se deseja cancelar o apagamento ou apagar a chapa de
imagem.

 Para cancelar o apagamento e fazer um varrimento normal: carregue na tecla Escape.


 Para apagar a chapa de imagem: carregue na tecla Confirme.

Enquanto está a apagar, o CR 35-X mostra:

Quando o CR 35-X tiver apagado a chapa de imagem, aparece o ecrã principal do operador.

4 Retire a cassete da ranhura respectiva.

Voltar a apagar as chapas de imagem com o estatuto .a apagar.

Para reapagar uma chapa de imagem à qual tenha atribuído o estatuto .a apagar. através da ID
station:

1 Verifique se o CR 35-X está pronto a funcionar:

. O CR 35-X tem de mostrar o ecrã principal do operador, por exemplo, com o estatuto .Pronto.:
. O indicador de estatuto, na parte superior, do CR 35-X tem de estar verde e com uma luz
constante.

2 Introduza a cassete na ranhura respectiva.

O CR 35-X apagará automaticamente a imagem. O visor mostra:

Quando o CR 35-X tiver apagado a imagem, aparece o ecrã principal do operador.

3 Retire a cassete da ranhura respectiva.


Leitura de dados de identificação de uma cassete (Configuração Dedicada)

Na configuração dedicada, os dados de identificação arquivados na memória do chip da cassete,


podem ser lidos via CR 35-X.

Para ler os dados de identificação de uma cassete:

1 Verifique se o CR 35-X está pronto a funcionar:

. O CR 35-X tem de mostrar o ecrã principal do operador, por exemplo, com o estatuto .Pronto.:

. O indicador de estatuto, na parte superior, do CR 35-X tem de estar verde e com uma luz
constante.

 O CR 35-X está pronto a funcionar se o campo de estatuto for igual a .PRONTO.,


mesmo que sejam mostradas mensagens de estatuto do destino (por exemplo,.QS NÃO
PRONTO.).

2 No ID Software da ID Station, selecione o modo de leitura de cassetes.

Consulte o Manual do utilizador do ID Software.

O monitor do CR 35-X mostra:


3 Introduza a cassete que contém a chapa de imagem na ranhura respectiva do CR 35-X como se
mostra abaixo.

Verifique se introduziu a cassete com a dobradiça [1] na parte de cima e o mecanismo de


bloqueio [2] em baixo.

Enquanto o CR 35-X lê os dados de identificação do chip da cassete, o indicador luminoso de


estatuto, na parte superior da máquina, ficará vermelho intermitente.

Os dados de identificação serão mostrados na ID Station. Depois, o CR 35-X reintroduz a


cassete na ranhura da cassete e mostra o ecrã principal do operador.

4 Retire a cassete da ranhura respectiva.

Alterar a chapa de imagem tipo (Configuração dedicada)

Se utilizar chapas de fósforo ADC da nova geração, tem de iniciar primeiro as cassetes que
contêm as chapas. A nova geração de chapas pode ser identificada pelo tipo de chapa e o
código de inicialização impresso na parte de trás (pó exemplo, MD 30 19).
Se comprou cassetes já com as chapas de fósforo ADC inseridas, pode utilizá-las imediatamente.
Se comprou chapas de fósforo ADC ou cassetes separadamente tem de inicializar primeiro as
cassetes.
Na configuração dedicada, pode iniciar cassetes por meio do CR 35-X.

Para iniciar uma cassete:

1 Verifique se o CR 35-X está pronto a funcionar:

. O CR 35-X tem de mostrar o ecrã principal do operador, por exemplo, com o estatuto .Pronto.:

. O indicador de estatuto, na parte superior, do CR 35-X tem de estar verde e com uma luz
constante.

 O CR 35-X está pronto a funcionar se o campo de estatuto for igual a .PRONTO.,


mesmo que sejam mostradas mensagens de estatuto do destino (por exemplo,.QS NÃO
PRONTO.).

2 No ID Software da ID Station, selecione o modo para iniciar cassetes.

Consulte o Manual do utilizador do ID Software.

O monitor do CR 35-X mostra:


3 Introduza a cassete que contém a chapa de imagem na ranhura respectiva do CR 35-X como se
mostra abaixo.

Verifique se introduziu a cassete com a dobradiça [1] na parte de cima e o mecanismo de


bloqueio [2] em baixo.

4 Introduza o código de inicialização no ID Software.

Consulte o Manual do utilizador do ID Software.


Enquanto o CR 35-X inicializa a cassete, o indicador de estatuto na parte superior da máquina está
vermelho intermitente.
Depois da cassete ter sido iniciada, o CR 35-X reintroduz a cassete na ranhura respectiva e
mostra o ecrã do operador principal.

5 Retire a cassete da ranhura respectiva.


Capítulo 3

Funções avançadas de funcionamento (.Modo do operador base)

Este capítulo resume as funções do operador base, as ações de informações pormenorizadas


sobre estes assuntos, consulte o Reference manual (Manual de referência).

 Resumo das funções avançadas (.Modo do operador base.)


 Verificar a qualidade da imagem
 Lista de avarias
Resumo das funções avançadas (.Modo do operador base.)

Apresenta-se um resumo das funções que estão disponíveis no modo do operador base.
Para informação pormenorizada, consulte o Capítulo3, .Advanced operation (.Key-operator mode.).
do Reference manual (Manual de referência) do CR 35-X.

Função no menu principal Secção no Reference manual (Manual de referência)


do
operador base

Queue management .Consulting the image transmission queue (.Queue management.)..

Digitizer set-up .Customizing the CR 35-X (.Digitizer set-up.)..

Date and Time .Setting the date and time..

Send test image .Sending test images..

Install .Installing a new software version..


.Installing a new language..
.Installing new customer parameters..

Save configuration .Saving the configuration data on a diskette (backup)..


Verificar a qualidade da imagem

A única manutenção que tem de efetuar é controlar a qualidade da imagem.


Consulte o capítulo do Reference manual (Manual de referência) do sistema de processamento da
imagem.

Lista de avarias

Segue aqui um resumo dos possíveis problemas. Se as correções forem fáceis de perceber, serão
indicadas abaixo. Os procedimentos de resolução de avarias mais especializados vêm
explicados pormenorizadamente no Capítulo 4, .Preventive maintenance and troubleshooting. do
Reference manual (Manual de referência) do CR 35-X.
Erros Gerais

Campo do Estatuto: Erro


Campo de Erro: Código XXXXX

ENCRAVAMENTO DO IP 1. Retire painel lateral direito. Consulte .Solving image plate


2. Recoloque chap na cassete. and cassette jams do
3. Feche painel lateral direito. Reference manual (Manual de
referência)
Campo do Estatuto:

MENSAGEM 1 Mensagem 2 Ação

LÂMPADA DE Carregue em para concluir, IP . Carregue na tecla Confirme.


APAGAMENTO não apagado . Consulte .Replacing the
[X], [Y], [Z] DEFEITUOSA erasure lamps. do Reference
manual
(Manual de referência).
Campo do Estatuto: Aviso

MENSAGEM 1 Mensagem 2 Ação

. Carregue na tecla Confirme.


ERRO Utilizado idioma predef., Será usada a língua inglesa.
CARREGAMENTO carregue . Reinicie CR 35-X.
FICHEIRO IDIOMA Em . Se o problema persistir,
contacte os serviços de
assistência técnica locais.

IP PARCIALMENTE Possível perda da imagem, . Carregue na tecla Confirme.


DIGITALIZADA carregue . Verifique a imagem no
DETECTADA Em destino.
Campo do Estatuto: BLOQ.

MENSAGEM 1 Mensagem 2 Ação

. Carregue na tecla Confirme.


ERRO DE LEITURA/ Carregue em, remova e tente . Retire a cassete.
ESCRITA DA CASSETE novamente . Volte a introduzir a cassete.
. Se o problema persistir,
inicialize e identifique a
cassete na ID Station.
. Se o problema persistir
noutras cassetes, contacte os
serviços de assistência
técnica locais.
Campo do Estatuto: BLOQ.

MENSAGEM 1 Mensagem 2 Ação

. Carregue na tecla Confirme.


Carregue em , retire
DESTINO . Retire a cassete.
cassete e
DESCONHECIDO . Identifique a cassete.
identifique
[PPNAME] . Volte a introduzir a cassete.
. Verifique a configuração do
sistema.
PAINEL LATERAL Feche painel lateral Feche o painel do lado direito.
DIREITO NÃO direito
FECHADO

TIPO IP . Carregue na tecla Confirme.


Carregue em ,
DESCONHECIDO . Retire a cassete.
retire cass., chame
. Contacte com os serviços de
Assist.
assistência técnica locais.

DADOS DE Teclas de . Carregue na tecla Confirme


EMERGÊNCIA NÃO emergência desact. . Contacte com os serviços de
DEFINIDOS assistência técnica locais.
carregue em
Anexo A

Folha de informação do equipamento

Especificações

Descrição do Produto
Tipo de produto Digitizer
Nome comercial CR 35-X
Número do modelo 5158
Vendedor/fabricante original Agfa-Healthcare NV-Mortsel
Rotulagem
CE 93/42 EEC .Equipamento Médico. (Europa)
UL UL 60601-1 e CSA 22.2 No. 601-1 (América do
norte)
CUL (América do Norte)
Consumo de Energia
Em modo de espera
. Configuração de 230 V/ 50 Hz 230 W
. EUA: Configuração de 120 V/ 60 Hz 216 W
. Japão: Configuração 100 V/ 60 Hz 220 W
Durante o funcionamento
. Configuração de 230 V/ 50 Hz máx. 1610 W
. Configuração de 120 V/ 60 Hz do (EUA) máx. 1440 W
. 100 V/ 60 Hz (Japão) máx. 1500 W
Emissões físicas
Emissão acústica (nível acústico de acordo com a norma ISO 7779)
Durante a digitalização máx. 65 dB(A)
Em modo de espera máx. 45 dB(A)
de acordo com a norma EN 55022:1997,
Emissão de radiofreqüência Classe B e emissões de freqüências de rádio
FCC, Parte 15, Subparte B, Classe A
Libertação de calor
Durante a digitalização máx. 1610 W
. Em modo de espera 230 W
Tempo de rebobinagem de cassete 51 - 95 segundos
Resolução espacial

HR: Alta resolução;


SR: Resolução normal

35 x 43 cm (14 x 17") HR 10 pixels/mm


35 x 43 cm (14 x 17") SR 6,7 pixels/mm
21 x 43 cm HR 10 pixels/mm
35 x 35 cm (14 x 14") HR 10 pixels/mm
35 x 35 cm (14 x 14") SR 6,7 pixels/mm
30 x 24 cm HR 10 pixels/mm
24 x 18 cm HR 10 pixels/mm
30 x 15 cm HR 10 pixels/mm
10 x 8" HR 10 pixels/mm
12 x 10" HR 10 pixels/mm
30 x 24 cm Mamografia 20 pixels/mm
24 x 18 cm Mamografia 20 pixels/mm
30 x 24 cm Membros inferiores e superiores 20 pixels/mm
24 x 18 cm Membros inferiores e superiores 20 pixels/mm

Área de digitalização (largura da digitalização x comprimento de digitalização)

HR: Alta resolução;


SR: Resolução normal

35 x 43 cm (14 x 17") HR e SR 348 x 424 mm


21 x 43 cm HR 202 x 424 mm
35 x 35 cm (14 x 14") HR e SR 348 x 348 mm
30 x 24 cm HR 292 x 232 mm
24 x 18 cm HR 232 x 172 mm
30 x 15 cm HR 292 x 142 mm
10 x 8" HR 246 x 195 mm
12 x 10" HR 297 x 246 mm
30 x 24 cm Mamografia 292 x 238 mm
24 x 18 cm Mamografia 232 x 178 mm
30 x 24 cm Membros inferiores e superiores 292 x 232 mm
24 x 18 cm Membros inferiores e superiores 232 x 172 mm
Formato de cassete formato IP correspondente
24 x 18 cm 238 x 178 mm
30 x 24 cm 298 x 238 mm
35 x 35 cm 354 x 354 mm
35 x 43 cm 354 x 430 mm
30 x 15 cm 298 x 148 mm
12 x 10. 303 x 252 mm
10 x 8. 303 x 252 mm
Cassetes CR

Anexo B

Precauções de segurança

Tenha muito cuidado sempre que retirar a chapa da imagem da cassete CR.
Consulte o processo de limpeza descrito mais à frente neste manual.
A chapa da imagem causa uma difusão específica de raios X. Isto influência a resposta do
aparelho de controlo da exposição. Para o compensar, pode ser necessário voltar a calibrar o
aparelho para utilização com as cassetes CR.

Verifique se o aparelho de controle de exposição automático está colocado por cima da


cassete, para evitar que os doentes recebam uma dose excessiva de raios X. Se estiver por
baixo da cassete, a proteção
de dispersão posterior (chumbo) contida no lado vermelho da cassete, retém uma
determinada quantidade de raios X. A dose medida pela célula será então muito menor do
que a realmente dada ao paciente.

A chapa da imagem causa uma difusão específica de raios X. Isto influência a resposta do
aparelho de controlo da exposição. Para o compensar, pode ser necessário voltar a calibrar o
aparelho para utilização com as cassetes CR.
Descrição da cassete CR

A cassete e chapa CR são compatíveis com as tabelas de raios X existentes. O equipamento de


exposição e rotinas não devem ser modificadas ao mudar da imagem convencional para a
imagem digital. Embora seja compatível com o equipamento de raios X existente, a cassete
CR é bastante diferente de uma cassete convencional. A diferença principal está no seu
interior, no receptor de imagem.

As cassetes ADC Compact e as cassetes ADC 70 não são intermutáveis. No entanto, ambas
podem utilizar as mesmas chapas de imagem.

Memória embutida

A diferença principal encontra-se no chip de memória RF-tag que está permanentemente


montado na cassete. Com o software ID da Agfa pode introduzir dados pessoais e exames
dos pacientes no chip de memória. A identificação destes dados é executada por meio de
uma marcação por freqüências de rádio executada através de uma placa de antena incorporada
na cassete CR.
Chapa da imagem

Outra diferença entre uma cassete CR e uma cassete convencional é o elemento sensível aos
raios X (receptor da imagem). Este último deixou de ser uma película e passou a ser uma
chapa de imagem que pode ser reutilizada milhares de vezes.
É muito importante o modo de colocação da chapa de imagem na cassete. O lado que contém o
fósforo branco tem de estar orientado para o lado do tubo preto da cassete. O lado do suporte
(indicado pelo texto .back side. (lado posterior)) está virado para o lado vermelho da cassete, como
se mostra na ilustração abaixo.
Os .grampos. da cassete impedem que seja aberta por um sistema convencional, como o Curix
Capacity (Plus), para evitar a ocorrência de erros, mesmo em departamentos
onvencionais/digitais híbridos.
Limpeza da chapa de imagem

Depois da limpeza, verifique sempre se introduziu a chapa CR na mesma cassete. Com a


introdução de novos códigos de sensibilidade é importante que a chapa CR não vá parar a uma
cassete inicializada com outro código. Em caso de dúvida, reinicialize a cassete utilizando o
código de sensibilidade indicado na chapa CR.
Limpe a chapa utilizando apenas o produto para limpeza de chapas de fósforo CR da AGFA e um
pano macio que não largue fios.

Não utilize o produto de limpeza de chapas de fósforo CR da AGFA para limpar as chapas de
imagem CR MM3.0 para Mamografia. As chapas de imagens CR MM3.0 para mamografia
necessitam de um pano de limpeza específico. Não utilize esses panos de limpeza para
limpar as chapas que não sejam para mamografia!

Como fazer?

. Umedeça o pano no produto de limpeza e limpe uniformemente e com cuidado a superfície da


chapa (lado com fósforo e lado de trás).

. Deixe a superfície da chapa secar durante cerca de 10 minutos para que os solventes se
evaporem.

. Limpe bem a cassete. Utilize um pano seco ou assopre o pó que possa existir com ar
comprimido. (NÃO LIMPE O INTERIOR DA CASSETE COM UM PRODUTO DE LIMPEZA
PARA ECRÃS).

. Quando a superfície da chapa estiver seca (passados cerca de 10 minutos), verifique uma
vez mais se a chapa ainda tem partículas de material ou outras impurezas, antes de colocar
a chapa na cassete.

Quando?
. Limpe a chapa pelo menos uma vez por mês ou sempre que tenha dúvidas sobre se existem
partículas visíveis nas imagens de raios X.

. As chapas CR para mamografia necessitam de ser limpas mais vezes.


. No entanto, também é necessário limpá-las com maior freqüência, se houver muito pó ou
o ar estiver muito seco. (O produto de limpeza para ecrã também contém agentes anti-
estáticos que reduzem a formação de cargas estáticas e a absorção do pó).

Limpar as cassetes

Limpe bem a cassete. Utilize um pano seco ou assopre o pó que possa existir com ar comprimido.
(NÃO LIMPE O INTERIOR DA CASSETE COM UM PRODUTO DE LIMPEZA PARA ECRÃS).

Especificações técnicas das cassetes

Tamanhos

35 x 43 cm (14 x 17"),
35 x 35 cm (14 x 14"),
18 x 24 cm,
8 x 10",
10 x 12",
21 x 43 cm (por digitalização parcial de cassetes dedicadas de 35 x 43 cm),
35 x 43 cm HR cassete de alta resolução,
35 x 35 cm HR cassete de alta resolução,
15 x 30 cm cassete dental.

Normas

DIN 6832 parte 1 & 2


ANSI/NAPM IT 1.49-1995
IEC 406 (esboço 1995)

Peso

35 x 43 cm típico 1,6 kg
Material
Corpo ABS (Estireno Acrilonitrilo Butadieno)
Cantos Borracha Poliuretana (PUR)
Articulação Polipropileno (PP)
Forro interior Makrolon
Identificação

Chip de memória (cartão RF-tag) embutido na cassete


Protecção de dispersão posterior
150 µ chumbo

Especificações técnicas das chapas de imagem

Tamanhos

35 x 43 cm (14 x 17.)
35 x 35 cm (14 x 14.)
24 x 30 cm
18 x 24 cm
8 x 10"
10 x 12"
15 x 30 cm

Construção da chapa

Camada protetora - Feixe eletrônico de polímero curado

Fósforo - BaSrFBrI:Eu

Base - P.E.T.

Características

O espectro de luminescência é o típico Eu2+ -luminescência, que anda à volta de 390 nm em


estruturas do tipo BaFBr. A parte superior no espectro da luminescência é levemente movida
para comprimentos de onda maiores devido à introdução de iodeto.

O espectro da estimulação é muito mais extenso do que o de puro BaFBr e é mudado


para comprimentos de onda maiores. Este desvio é provocado, em primeiro, pela
introdução parcial de Ba por Sr e em segundo lugar pela incorporação de iodeto. Graças ao
desvio-vermelho do espectro de estímulo, o estímulo máximo é garantido a 633 nm, o
comprimento de onda do laser
estimulante. O fósforo Agfa possui características excelentes de decaimento no escuro. Duas
horas após exposição, aproximadamente 80% da energia armazenada da exposição está
ainda disponível. A retenção da imagem é 50% maior, 24 horas após a irradiação.
Anexo C

Observações sobre emissões de HF e imunidade


Observações sobre emissões de HF e imunidade

Este equipamento foi concebido para utilização no ambiente eletromagnético abaixo


indicado. O utilizador do equipamento deve certificar-se de que o equipamento é utilizado
no ambiente indicado.

Transmissão Valores Ambiente eletromagnético


Medições aceites Linhas de orientação

Transmissões de alta- Grupo 1 O equipamento utiliza energia


frequência de alta- freqüência
em conformidade com a exclusivamente para as suas
CISPR 11 funções internas. Por esta
razão, a sua transmissão de
alta-frequência é muito
reduzida, sendo extremamente
improvável que afete
equipamentos eletrônicos
próximos.

Transmissões de alta- Classe B O equipamento destina-se a


frequência em conformidade ser utilizado
com a CISPR 11 em todos os edifícios,
incluindo zonas de
Oscilações excessivas em habitação e áreas diretamente
conformidade com a IEC Classe A ligadas a
61000-3-2 uma rede de fornecimento
público que
também abasteça edifícios
Flutuações de tensão / utilizados para
cintilação de acordo com a Cumprida fins domésticos.
norma IEC 61000-3-3
Este equipamento foi testado para ambientes hospitalares normais, conforme descrito acima.
No entanto, as emissões de alta-frequência e a imunidade podem ser influenciadas pelo
comprimento e a maneira como estão ligados os cabos de dados.

Este equipamento foi concebido para utilização no ambiente eletromagnético abaixo


indicado. O utilizador do equipamento deve certificar-se de que o equipamento é utilizado
no ambiente indicado.

Resistência ao teste IEC 60601 Nível do Nível de valores Diretrizes relativas


de teste aceites ao ambiente
Interferência eletromagnético
intencional

+/- 6 kV de descarga +/- 6 kV de descarg O pavimento deve ser


Descargas elétrica nos contactos elétrica nos contactos de madeira, betão ou
eletrostáticas em +/- 8 kV de descarga +/- 8 kV de descarga azulejos cerâmicos.
conformidade com elétrica do ar elétrica do ar Se o pavimento for de
a IEC 61000-4-2 material sintético a
umidade relativa tem
de ser de pelo menos
30%.

Variáveis de +/- 2 kV para +/- 2 kV para A qualidade da tensão


perturbação ligações de rede ligações de rede fornecida deve
elétrica rápidas e +/- 1 kV para +/- 1 kV para corresponder à de um
transitórias / ligações de entrada ligações de entrada ambiente clínico ou
"bursts" de acordo e saída e saída comercial típico.
com a IEC 61000-
4-4
Este equipamento foi concebido para utilização no ambiente eletromagnético abaixo
indicado. O utilizador do equipamento deve certificar-se de que o equipamento é utilizado
no ambiente indicado.

Teste de IEC 60601 Nível Nível de Ambiente eletromagnético


resistência à do teste valores
disrupção aceites

Utilize os aparelhos de rádio móveis a


uma distância segura do
dispositivo (incluindo os cabos) não
inferior à distância de
proteção recomendada, que é
calculada de acordo com a equação
adequada à freqüência da transmissão.
Distância de proteção recomendada:
Variáveis de 3 Veff 3 Veff
perturbação das 150 kHz
freqüências altas a 80 MHz
por
condução em
conformidade com
a IEC 61000-4-6
Variáveis de 3 V/m 3 V/m
perturbação de 80 MHz
alta-frequência por a 2,5 GHz
radiação em
conformidade com
a IEC 61000-4-3

Com P como potência nominal do


transmissor em watts (W), de
acordo com a informação do
fabricante sobre o transmissor e d
como distância de proteção
recomendada em metros (m).
A força do campo dos transmissores de
rádio fixos é inferior ao nível aceite-a
em todas as freqüências, de acordo
com uma inspeção nas instalações.
Pode haver disrupções junto de
dispositivos que tenham o seguinte
símbolo:
a. A força do campo dos transmissores fixos, como as estações base de telefones por rádio,
transmissões móveis para zonas rurais, estações de rádio amadores e transmissores de rádio de
AM e FM, não podem ser, em teoria, predeterminados com precisão. É recomendada uma
inspeção do local, para avaliar o ambiente eletromagnético em função dos transmissores fixos de
alta-frequência. Se a força do campo do dispositivo exceder o nível de aceitação
indicado abaixo, o funcionamento normal do dispositivo tem de ser verificado em cada local de
utilização. No caso de características de desempenho invulgares, pode ser necessário tomar
medidas adicionais, como a reorientação do dispositivo.

b. Acima das bandas de freqüências de 150 kHz a 80 MHz, a força do campo será inferior a 3 V/ m.

Este dispositivo destina-se a ser utilizado num ambiente eletromagnético em que as


variáveis de perturbações de alta-frequência sejam controladas. O utilizador do
dispositivo pode ajudar a evitar as disrupções eletromagnéticas mantendo as
distâncias mínimas entre o equipamento de comunicação de alta-frequência móvel e
portátil (transmissores) e o dispositivo, conforme recomendado abaixo, de acordo com a
potência máxima de saída do equipamento de comunicações.

Distâncias de proteção recomendadas entre o equipamento de comunicação


de alta-frequência portátil e móvel e o dispositivo

Potência Distância de proteção de acordo com a freqüência da transmissão


nominal do m
transmissor
W

0,01 0,12 0,12 0,23

0,1 0,38 0,38 0,73


1 1,2 1,2 2,3

10 3,8 3,8 7,3

100 12 12 23

A distância pode ser determinada através da equação para cada coluna respectiva.
P é a potência nominal do transmissor em watts (W) de acordo com a informação do fabricante
sobre o transmissor, apenas para os transmissores em que a potência nominal não esteja
mencionada na tabela acima.
. OBSERVAÇÃO 1: Foi utilizado um fator adicional de 10/3 para calcular a distância de proteção
recomendada dos transmissores na banda de freqüências de 80 MHz a 2,5 GHz, para reduzir a
probabilidade de o equipamento de comunicação móvel portátil, transportado involuntariamente
para a área dos doentes, poder provocar perturbações.
. OBSERVAÇÃO 2: Estas diretrizes podem não ser relevantes em todas as situações. A dispersão
das ondas eletromagnéticas é influenciada pela absorção e reflexão dos edifícios, objetos e
pessoas.

Data de Fabricação / Data de Vencimento / Lote n° : Vide Rótulo


Registro ANVISA n°°: “Declarado isento de registro pelo Ministério da Saúde”

Produzido por:
Agfa-Healthcare N.V.
Septestraat 27
2640 Mortsel – Bélgica

Agfa Gevaert HealthCare Gmbh,


MaxPlanck-Str.
1,D-82380 Peißenberg, Alemanha

Importado e Distribuído por:


AGFA-GEVAERT DO BRASIL LTDA
Av. Jorge Bei Maluf, 2100
08.686-000 – Suzano /SP
Tel: 55 11 5188-6421 / Fax: 55 11 5188-6429
CNPJ: 00.980.360/0002-88

Responsável Técnico: Luiz Roberto Renzi


CREA:0682418970-SP
Fornecedor: Agfa Gevaert do Brasil Ltda.
Divisão HealthCare – telefone 0800-7030137
Avenida Alexandre Dumas 1711 - 3º Andar
CEP: 04717 004 São Paulo - SP
www.agfa.com.br
healthcare.br@agfa.com