Você está na página 1de 26

Contabilidade Empresarial

Material Teórico
Operações Financeiras – Duplicatas: Cobrança Simples e Descontos

Responsável pelo Conteúdo:


Profa. Ms. Divane Alves da Silva

Revisão Textual:
Profa. Esp.Vera Lídia de Sá Cicarone
Operações Financeiras – Duplicatas:
Cobrança Simples e Descontos

• Introdução

• Cobranças Simples

• Descontos de Duplicatas

Nesta unidade, iremos estudar uma das mais usuais operações


para captação de dinheiro, principalmente para o fluxo de
caixa da empresa: o desconto de duplicatas. Aparentemente é
uma operação bem simples: se uma empresa vendeu a prazo
e tem um direito a receber recursos financeiros no futuro, ela
“vende” esse direito a uma instituição financeira e recebe o valor
antecipadamente, pagando juros. Essa operação, para a Instituição
financeira, também é bem segura, uma vez que as duplicatas não
pagas pelos clientes, normalmente, são desconsideradas. Porém,
essa é uma facilidade aparente, que permite uma analogia a um
remédio muito bom, mas que tem efeitos colaterais e, por isso,
“deve ser usado com moderação”.

Como usualmente fazemos, é muito importante que você leia atentamente o texto principal
e, em paralelo, acompanhe passo a passo as contabilizações (registros de partidas de diário)
em seu caderno ou em uma folha de papel. Faça os exercícios e todas as atividades propostas.
Espera-se que você, ao final desta unidade, tenha completo entendimento de como as tão
usuais operações financeiras de desconto de duplicatas são contabilizadas no livro diário, na
escrituração de uma empresa.
Como um estudo adicional, complementar, cultive o hábito de acompanhar, seja no site de
uma instituição financeira de preferência, seja em conversas com amigos ou mesmo com
funcionários de instituições financeiras, quais são as opções de investimentos disponíveis.
Mesmo que seu desejo não seja o de ser um(a) administrador(a), lembre-se: você é um agente
de transformação. Esse será um conhecimento que poderá ajudar muito em determinados
momentos!

5
Unidade: Operações Financeiras – Duplicatas: Cobrança Simples e Descontos

Contextualização

Três amigas resolvem abrir uma nova empresa e depois de um certo tempo sentem a necessidade
de fazer um desconto de duplicatas para pagar contas que venceriam dali a poucos dias..

É... as operações financeiras permeiam a vida empresarial.

6
Introdução

Podemos definir duplicata como um título de crédito emitido pelo credor ao vender uma
mercadoria ou serviço, o qual obriga o comprador a pagar, dentro do prazo, a importância
discriminada na fatura. O comerciante emite um documento nominal com o valor global e a
data do vencimento.
Fran Martins explica que a utilidade das duplicatas está na proteção ao vendedor contra
aqueles que, em venda a prazo, não cumprem a data estipulada para o pagamento do valor
devido. Esse documento visa garantir ao vendedor um procedimento mais célere para o
recebimento das importâncias envolvidas nas vendas a prazo.
A circulação da duplicata, por se tratar de um título de crédito, pode ser realizada por meio
de endossos, que permitem que sejam transferidos todos os direitos e obrigações decorrentes
daquela compra e venda de mercadoria.
As empresas, normalmente, negociam essas duplicatas com os bancos. As operações mais
comuns são as cobranças simples e o desconto de duplicatas.

Para que a duplicata seja considerada um título de crédito válido, conforme a Lei 5.474/68,
ela deve conter alguns itens obrigatórios:
a) a denominação duplicata, a data de sua emissão e o número de ordem;
b) o número da fatura;
c) a data do vencimento ou a declaração de ser duplicata à vista;
d) o nome e o domicílio do vendedor e do comprador;
e) a importância a pagar, em algarismos e por extenso;
f) a praça de pagamento;
g) a clausula à ordem;
h) a declaração do recebimento de sua exatidão e da obrigação de pagá-la, a ser assinada
pelo comprador, como aceite cambial;
i) a assinatura do emitente.

Importante
As duplicatas surgiram, no Brasil, com o Decreto nº 16.041, de 1923, alterado, no mesmo ano, pelo
Decreto nº 16.189, que criou a Duplicata contendo requisitos que satisfaziam ao governo como
instrumento de fiscalização e arrecadação de imposto sobre as vendas mercantis.

7
Unidade: Operações Financeiras – Duplicatas: Cobrança Simples e Descontos

Figura 1 - Modelo de duplicata


DATA DA EMISSÃO

CREDOR VALOR NÚMERO DO TÍTULO VENCIMENTO


Adaptado de crcsp.org.br

José da Silva Junior & CIA ltda. C.N.P.J. (MF) No 99.999.999/9999-99 DUPLICATA
Endereço, No C.C.M. No 99.999-9
Nome da Comarca - UF Mun. Nome Comarca - UF
DATA DA EMISSÃO: 04 03 2005
NF FATURA No NF FATF/Duplicata - Valor Duplicata no de Ordem Vencimento PARA USO DA
José da Silva Junior & CIA ltda.

INSTITUIÇÃO FINANCEIRA
Assinatura do Emitente

999999 R$ 574,78 999999-P 04/04/2005


José da Silva Junior

DESCONTO DE % SOBRE ATÉ


CONDIÇÕES ESPECIAIS

NOME DO SACADO EMPRESA LTDA REP.M


ENDEREÇO: ENDEREÇO, NO
CEP: 99999-999 MUNICÍPIO: NOME DA COMARCA EST.: SP 100
CNPJ / CPF (MF) N: 99.999.999/9999-99 Insc. Est. N: ISENTO

valor por (Quinhentos e Setenta e Oito Reais e Setenta e Oito Centavos)x*x*x*x*x*x*x*x*


extenso x*x*x*x*x*x*x*x*x*x*x*x*x*x*x*x*x*x*x*x*x*x*x*x*x*x*x*x*x*x*x*x*x*x*x*x*x*
Reconhecimentos a exatidão desta Duplicata de Venda Mercantil na importância acima que pagaremos à José da Silva Junior & CIA LTDA.
ou à sua ordem na praça e vencimento indicador.
Espaço para
assinatura do devedor
Em NÃO PODENDO PAGAR NO VENCI-
MENTO, COBRAR JUROS DE
MORA E DESPESAS FINANCEIRAS
(Data do Aceite) NÃO CONCEDER DESCONTOS
MESMO CONDICIONALMENTE
Assinatura

VALOR POR EXTENSO Espaço para o aceite


PRAÇA DE PAGAMENTO DEVEDOR (assinatura) do devedor

Cobranças Simples

Mencionamos, anteriormente, que as empresas têm a opção de negociar as duplicatas com


instituições financeiras, o que podemos chamar de serviços de terceiros. Esse tipo de negociação
já é determinado quando a empresa vende a prazo, assumindo o direito de receber os valores
referentes às compras.
A outra forma de negociar as duplicatas, ou seja, quando a empresa opta por receber os
valores do comprador diretamente na empresa, chamamos de cobrança em carteira. Para isso,
a empresa deverá manter, em seu departamento financeiro, as duplicatas a serem recebidas com
a data do vencimento estipulado.
Na negociação das duplicatas com instituições financeiras, é cobrada uma taxa de serviço
para que estas possam administrar essas duplicatas. Desse modo a empresa transfere apenas a
posse das duplicatas, pois o direito de receber continua da empresa. Para controlar a remessa de
duplicatas enviadas para cobrança, estas devem ser relacionadas em um “borderô”, ou, então,
as devidas contabilizações poderão ser efetuadas em contas de compensação.
O serviço funciona assim: o banco mantém as duplicatas da empresa e controla para que elas
sejam “pagas” na data estipulada entre o comprador e o vendedor.

8
As duplicatas são registradas como direito até o seu vencimento. Assim não interfere na
estrutura Patrimonial da empresa.
Devido aos custos envolvidos nas operações que envolvem cobranças simples, a escrituração
das duplicatas, antes do vencimento, é obrigatória.

Você Sabia ?
As duplicatas já eram mencionadas no código comercial de 1.850. Hoje a Lei que dispõe
sobre as duplicatas é a de nº 5.474/68, alterada pela Lei 4.084/08, em que foram inclusos os
procedimentos para duplicatas virtuais.

Contabilização Duplicatas – Cobrança Simples


A operação de cobrança é efetuada em duas fases: uma, quando envia os títulos (duplicatas)
ao banco, e outra, quando recebe os valores dos títulos. A contabilização da primeira fase é
composta por dois registros:
• registro da operação, por meio das contas de compensação;
• registro das despesas cobradas pelo banco com a cobrança de títulos.

Na segunda fase, o banco comunica a empresa sobre o recebimento dos valores dos títulos;
a contabilização também é composta por dois registros:
• baixa da responsabilidade, por meio do lançamento de compensação;
• baixa pelos direitos, por meio do débito da conta banco conta movimento.

Importante
Independente do pagamento, pelo cliente, das duplicatas, é necessário realizar a baixa destas nas
contas de compensação, pois, uma vez vencidas, não poderão fazer parte da cobrança simples.

Exemplo de Contabilização de Duplicatas – Cobrança Simples


“A empresa “Boa para Pessoas” envia uma remessa de duplicata ao Banco “Bom para o
País” no valor total de $ 8.000,00. As despesas bancárias (taxas de serviços) cobradas pela
instituição financeira foram de $120,00.

Contabilizar os títulos no Diário e Razão.


Vamos iniciar a resolução pela contabilização no Diário, lembrando que, pela remessa dos
títulos ao banco, devem existir dois lançamentos contábeis: um para registrar a remessa e outro
para as despesas cobradas pelo banco.

9
Unidade: Operações Financeiras – Duplicatas: Cobrança Simples e Descontos

1) Lançamento de compensação
D – Títulos em cobrança................................................................. $ 8.000,00
C – Endossos para cobrança........................................................... $ 8.000,00

1.1) Registro da despesa


D – Despesas de cobrança ......................................................... $ 120,00
C – Bancos conta movimento .................................................... $ 120,00

Após os vencimentos dos títulos, quando o banco comunicar que eles foram quitados:

2) Baixa das contas de compensação


D – Endossos para cobrança .......................................................... $ 8.000,00
C – Títulos em cobrança ................................................................ $ 8.000,00

2.1) Pelo recebimento das duplicatas


D – Bancos conta movimento..................................................... $ 8.000,00
C – Duplicatas a receber............................................................. $ 8.000,00

Agora vamos registrar as operações nos Razonetes:

Títulos em Cobrança Endossos para Cobrança



(1) 8.000,00 (1) 8.000,00

8.000,00 (2) (2) 8.000,00




Despesas de Cobranças Banco Conta Movimento

(1.1)120,00 (2.1) 8.000,00

10
Duplicatas a Receber
8.000,00 (2.1)


Conforme mencionado anteriormente, caso o pagamento não seja efetuado pelo cliente, o
banco efetua a baixa da duplicata e informa a empresa detentora do direito de receber, a fim de
que ela possa tomar as devidas providências de cobrança, inclusive o protesto.
O banco poderá executar o protesto mediante cobrança de taxa e autorização da empresa
(“dona” das duplicatas).
Com base no mesmo exemplo, vamos supor que o cliente não quitou a duplicata na data de
vencimento e que a empresa que vendeu as duplicatas autorizou o banco a executar o protesto.
Para esse serviço, é cobrada uma taxa de 1% do valor da duplicata.

A contabilização será efetuada da seguinte forma:

3) Pela baixa das contas de compensação.


D - Endosso para cobrança............................................................ $ 8.000,00
C - Títulos em cobrança................................................................. $ 8.000,00

3.1) Pelo registro das despesas.


D - Despesas de protesto........................................................... $ 80,00
C - Banco conta movimento...................................................... $ 80,00

Títulos em Cobrança Endossos para Cobrança


(S) 8.000,00 8.000,00 (S)

8.000,00 (3) (3) 8.000,00

11
Unidade: Operações Financeiras – Duplicatas: Cobrança Simples e Descontos

Banco Conta Movimento Despesas de Protestos


80,00 (3.1) (3.1) 80,00

Exercício resolvido
A Cia. Milka Decorações, fabricante de tecidos para cortinas, durante o mês de maio de
20X7, efetuou as seguintes transações:
a) Vendeu mercadorias à Cia. Decorelo por R$ 15.000,00 no prazo de 90 dias, apurando o
custo de mercadorias vendidas no valor de R$ 8.300,00.
b) Vendeu também mercadorias a prazo (vencimento 90 dias) para a Cia. Lindacort, no valor
de R$ 13.500,00, apurando um custo para operação de R$ 4.350,00.

1) Contabilização pela venda para as Companhias Decorelo e Lindacort


D – Duplicatas a receber ................................................................ 28.500
C – Vendas de mercadorias ............................................................ 28.500

1.1) Contabilização pelo Custo das Mercadorias Vendidas


D – Custo das mercadorias vendidas ......................................... 12.650
C – Estoque de mercadorias ...................................................... 12.650

b) Enviou, para cobrança simples junto ao Banco Told S/A, o valor de R$ 28.500,00.
O banco cobrou uma taxa de 1.500,00.

2) contabilização pela remessa de duplicatas ao banco


D – Títulos em cobrança ................................................................ 28.500
C – Endossos para cobrança .......................................................... 28.500

2.1) Contabilização pela taxa de cobrança de serviços pelo banco Told


D – Despesas de cobrança ......................................................... 1.500
C – Bancos conta movimento ......................................................... 1.500

12
c) Somente a Cia. Decorelo efetuou o pagamento na data do vencimento, portanto a Cia.
Lindacort não quitou sua dívida.

3) Contabilização pelo recebimento de duplicatas Cia. Decorelo.


D – Bancos conta movimento......................................................... 15.000
C – Duplicatas a receber................................................................. 15.000

d) O banco efetuou a baixa de ambas as duplicatas, Cia. Decorelo e Cia. Lindacort, e enviou
o aviso para a Cia. Lindacort

4) Contabilização pela baixa da duplicata de ambas as companhias


D – Endossos para cobrança........................................................... 28.500
C – Títulos em cobrança................................................................. 28.500

e) A Cia. Milka solicitou ao banco que enviasse para protesto a duplicata referente à Cia.
Lindacort. O banco cobrou por esse serviço uma taxa de R$ 100,00.

5) Contabilização pelas despesas com taxas de serviços


D – Despesas de protestos............................................................... 100
C – Bancos conta movimento......................................................... 100

Razonetes

Duplicatas a Receber Venda de Mercadorias


(1) 24.300 15.000 (3) 24.300 (1)

(SF) 9.300

Custo das Mercadorias Vendidas Estoque de Mercadorias


(1.1) 12.650 12.650 (1.1)

13
Unidade: Operações Financeiras – Duplicatas: Cobrança Simples e Descontos

Títulos em Cobrança Endossos para Cobrança


(2) 28.500 28.500 (4) (4) 28.500 28.500 (2)

Despesas de Cobranças Banco Conta Movimento


(2.1) 1.500 (3) 15.000 1.500 (2.1)

(5) 100 100 (5)

(S) 1.600 (SF) 13.400



Nesse exercício, foram abordadas as seguintes situações: venda de mercadorias a prazo com
dois clientes; operação de cobrança simples para ambos os clientes; quitação das duplicatas na
data apenas por um dos clientes; baixa da cobrança e solicitação ao banco para providenciar
protesto junto à duplicata do cliente que não pagou.

Descontos de Duplicatas

A operação de desconto de duplicatas assemelha-se, a princípio, à cobrança simples: a empresa


envia uma remessa de duplicatas para o banco, porém com a finalidade de receber o valor
antecipadamente em sua conta corrente. O banco, por sua vez, antecipa o valor para a empresa,
que será menor que o dos títulos, conforme negociação, e a diferença entre o valor dos títulos e
o valor pago pela instituição financeira corresponde aos juros cobrados antecipadamente.
Diferentemente da cobrança simples, quando ocorre o desconto, a propriedade dos títulos
negociados, devidamente endossados, é transferida para a instituição financeira, porém
a empresa é corresponsável pelo pagamento desses títulos em caso de não liquidação pelo
devedor. Neste caso, a instituição financeira leva a débito, em conta corrente da empresa, o
valor de face do título não liquidado.

Tratamento Contábil (*)


De acordo com os preceitos contábeis, a operação de desconto de duplicata deve ser registrada
numa conta do ativo circulante. Essa conta recebe o nome de “duplicatas descontadas”, tendo
saldo credor.

14
A conta “duplicatas descontadas” apresenta as seguintes funções na operação de desconto:
a) é creditada, pelo valor de face dos títulos, no momento em que é efetuada a operação de
desconto e a instituição financeira faz o crédito em conta corrente da empresa;
b) é debitada no momento da liquidação do título pelo devedor ou quando a instituição
financeira leva a débito em conta corrente da empresa por falta de pagamento por parte
do devedor.

Os encargos financeiros debitados pela instituição financeira devem ser contabilizados como
“encargos financeiros a transcorrer”, já que se trata de despesas antecipadas, sendo debitadas
por ocasião do desconto e creditadas no momento em que a despesa é incorrida, observando-
se o regime de competência.

Contabilização
1) Pelo registro do desconto creditado em conta:
D - Banco C/Movimento (Ativo Circulante)
C – Duplicatas Descontadas (Ativo Circulante)

2) Pelo registro do débito bancário, relativo a juros e encargos sobre a operação:


D – Encargos Financeiros a Transcorrer (Ativo Circulante)
C - Bancos Conta Movimento (Ativo Circulante)

3) Quando da liquidação da duplicata descontada pelo cliente:


D - Duplicatas Descontadas (Ativo Circulante)
C - Duplicatas a Receber (Ativo Circulante)

Na hipótese de o cliente não ter liquidado a duplicata e o banco debitar o respectivo valor na
conta da empresa, o lançamento será:
D - Duplicatas Descontadas (Ativo Circulante)
C - Banco C/Movimento (Ativo Circulante)

Os encargos financeiros pagos antecipadamente, como é o caso de desconto de duplicatas,


devem ser apropriados no período a que competirem.
Lançamento por ocasião do desconto:
D - Encargos Financeiros a Transcorrer (Ativo Circulante)
C - Bancos Conta Movimento (Ativo Circulante)

15
Unidade: Operações Financeiras – Duplicatas: Cobrança Simples e Descontos

Contabilização relativa à transferência da despesa financeira incorrida no período:


D – Juros sobre Desconto de Duplicatas (Conta de Resultado)
C - Encargos Financeiros a Transcorrer (Ativo Circulante)

Exercício Resolvido – Cálculos das operações de Desconto


de Duplicatas
O banco “Ajuda a Todos” cobra encargos no valor de R$ 130,00 e juros de R$ 1.500,00 para
realizar uma operação de desconto de duplicata no valor nominal de R$ 20.000,00 da empresa
BMK. Sabendo que a venda foi realizada em 10/03/20x4, com prazo de recebimento de 60 dias,
pelo valor de R$ 32.000,00, sendo o CMV- Custo de Mercadorias Vendidas de R$ 8.200,00 e
estoque de mercadorias de 43.000,00, efetue os cálculos e a contabilização no Diário e Razão.
Vamos iniciar a resolução do valor líquido a receber após a retirada de taxas e juros:
 Valor nominal dos títulos (duplicatas que serão descontadas)..... 20.000,00
 (-) Juros e encargos cobrados pelo banco................................... 1.630,00
 (=) Valor Líquido a Receber....................................................... 18.370,00

Neste momento, vamos calcular as duplicatas que serão retidas em carteira ou serão colocadas
em cobrança simples:
 Valor total das vendas................................................................. 32.000,00
 (-) duplicatas que serão descontadas........................................... 20.000,00
 (=) duplicatas restantes em poder da empresa............................ 12.000,00

Exercício Resolvido – Contabilização das operações de


Desconto de Duplicatas
Após efetuarmos os cálculos das operações entre o Banco Ajuda a Todos e a empresa BMK,
iremos providenciar a contabilização no Diário e em Razonetes e a representação no Balanço
Patrimonial. Para realizamos tal processo, as contabilizações serão efetuadas em quatro etapas.
A primeira etapa é composta por dois registros:

1) Vendas de mercadorias a prazo:


D – Duplicatas a receber................................................................. 32.000,00
C – Vendas a prazo......................................................................... 32.000,00

16
1.1) Contabilização do custo de mercadorias vendidas:
D – Custo das mercadorias vendidas.......................................... 8.200,00
C – Estoque de mercadorias....................................................... 8.200,00

2) Pela remessa dos títulos e respectiva operação de desconto de duplicatas:


D – Bancos conta movimento (AC)................................................. 18.370,00
D – Despesas de juros a vencer (AC)............................................... 1.500,00
D – Despesas bancárias (DRE)........................................................ 130,00
C – Duplicatas descontadas (AC).................................................... 20.000,00

Alguns esclarecimentos sobre a contabilização 2: debitamos o valor líquido da duplicata


descontada de R$ 18.370,00 debitando a conta banco movimento da empresa e creditamos a
duplicata descontada. Para as taxas de serviço e juros, debitamos as contas específicas, como
as despesas de juros a vencer e despesas bancárias, valores respectivos de R$ 1.500,00 e R$
130,00. Em contrapartida, creditamos a conta duplicata descontada.

Representação nos Razonetes

Duplicatas Descontadas Duplicatas a Receber


(4) 20.000 20.000 (4)

Despesas de Juros Despesas de Juros a Vencer


(4.1) 750 750 (4.1)

17
Unidade: Operações Financeiras – Duplicatas: Cobrança Simples e Descontos

Representação no Balanço Patrimonial em 31/05/20X4

Ativo Passivo

Circulante Circulante

...
...
Duplicatas a receber 18.370,00
...
... Não Circulante
...
Não circulante Patrimônio Líquido

Total Total

Importante
a conta “despesas com juros a vencer” é contabilizada no Ativo Circulante como redutora; a realização
é “pro rata tempore” (proporcional ao tempo).

Para a segunda etapa, iremos atender ao Princípio da Competência, segundo o qual a


contabilização deverá ser efetuada de acordo com a data de ocorrência do fato gerador, ou seja,
independente do recebimento ou do pagamento, devemos dividir o valor da conta de despesas
com juros em duas vezes, 30 e 60 dias:
O total dos “juros passivos a vencer” cobrado pelo banco foi de R$ 1.500,00. Dividido por
dois, pode-se atribuir R$ 750,00 para cada mês de vencimento: 10/04/20X4 e 10/05/20X4,
conforme registro contábil a seguir.

3) Reconhecimento das despesas de juros referentes ao mês de abril de 20X4.


D – Despesas de juros (DRE).......................................................... 750
C – Despesas de juros a vencer (AC)............................................... 750

18
Representação nos Razonetes

Despesas de Juros Despesas de Juros a Vencer


(3) 750 750 (3)


Representação no Balanço Patrimonial em 30/04/20X4

Ativo Passivo

Circulante Circulante

...

...

Duplicatas a receber 32.000,00

Duplicatas descontadas (20.000,00)

Despesas de juros a vencer (750,00) Não Circulante

...

Não circulante Patrimônio Líquido

Total Total

Chegamos à terceira etapa, na qual vamos trabalhar com a quitação das duplicatas, supondo
que o banco recebeu a importância correspondente a todas as duplicatas na data do vencimento
e já tenha comunicado o fato à empresa por meio de aviso bancário.

Os registros contábeis serão efetuados da seguinte forma:

4) Débito pela baixa do registro e crédito pelo direito de recebimento das duplicatas:
D – Duplicatas Descontadas............................................................ 20.000,00
C – Duplicatas a Receber................................................................ 20.000,00

4.1) Contabilização pela apropriação dos Juros Cobrados antecipadamente


D – Despesas de Juros (DRE)..................................................... 750,00
C – Despesas de juros a vencer (AC).......................................... 750,00

19
Unidade: Operações Financeiras – Duplicatas: Cobrança Simples e Descontos

Representação nos Razonetes

Duplicatas Descontadas Duplicatas a Receber


(4) 20.000 20.000 (4)

Despesas de Juros Despesas de Juros a Vencer


(4.1) 750 750 (4.1)


Representação no Balanço Patrimonial em 31/05/20X4

Ativo Passivo
Circulante Circulante
...
...
Duplicatas a receber 18.370,00
...
... Não Circulante
...
Não circulante Patrimônio Líquido
Total Total

Importante
O valor apresentado no Balanço Patrimonial (quadro acima) representa o valor líquido pago pelo
banco para a empresa, ou seja, retirados os juros e as despesas.

Finalmente, na quarta etapa, vamos supor que o cliente não tenha pago a duplicata no
vencimento e, neste caso, o procedimento é o banco debitar o respectivo valor na conta da
empresa. Não podemos esquecer que as duplicatas deverão ser baixadas independente do
pagamento, pois, após o vencimento, ela perde o seu valor de duplicata. A contabilização será:

20
5) Pela baixa do registro da duplicata:
D – Duplicatas Descontadas............................................................ 20.000,00
C – Banco Conta Movimento.......................................................... 20.000,00

5.1) Contabilização pela apropriação dos Juros Cobrados antecipadamente


D – Despesas de Juros (DRE)..................................................... 750,00
C – Despesas de juros a vencer (AC).......................................... 750,00

Representação nos Razonetes

Duplicatas Descontadas Duplicatas a Receber


(5) 20.000 20.000 (5)

Despesas de Juros Despesas de Juros a Vencer


(5.1) 750 750 (5.1)


Representação no Balanço Patrimonial em 31/05/20X4

Ativo Passivo
Circulante Circulante
...
...
Duplicatas a receber 32.000,00
...
... Não Circulante
...
Não circulante Patrimônio Líquido
Total Total

21
Unidade: Operações Financeiras – Duplicatas: Cobrança Simples e Descontos

Material Complementar

O interessantíssimo texto de Lima da Silva e Porto (2012) traz-nos uma contribuição científica
para fundamentar a análise dos riscos de uma operação aparentemente simples, mas tão
complexa como o “desconto de duplicatas”.

XXXII ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUCAO Desenvolvimento


Sustentável e Responsabilidade Social: As Contribuições da Engenharia de Produção
Bento Gonçalves, RS, Brasil, 15 a 18 de outubro de 2012.

MENSURAÇÃO DO RISCO DE CONTRATAÇÃO DO DESCONTO DE DUPLICATAS NOS


BANCOS COMERCIAIS BRASILEIROS SEGUNDO O MODELO FLEURIET DE ANÁLISE
FINANCEIRA - ABORDAGENS DETERMINÍSTICA E ESTOCÁSTICA

A contratação do desconto de duplicatas nos bancos comerciais brasileiros reserva às empresas


duas repercussões nocivas à folga financeira: o deságio aplicado sobre o valor nominal de um
borderô de desconto compromete a capacidade de recrudescimento do capital de giro através do
autofinanciamento; o não encerramento da responsabilidade sobre o risco de inadimplemento
de cada duplicata contida no borderô de desconto, mesmo após a contratação de uma operação,
recrudesce a participação do passivo circulante errático no financiamento do ativo circulante.
Destarte, este trabalho tem por objetivo geral explicar um procedimento capaz de mensurar o risco de
contratação do desconto de duplicatas nos bancos comerciais brasileiros segundo o modelo Fleuriet
de análise financeira. Sobre a metodologia: esta pesquisa pode ser simultaneamente classificada
como explicativa e exploratória, pois almeja tornar inteligível o processo de mensuração do risco
de contratação do desconto de duplicas, assunto pouco explorado na literatura contemporânea; a
apuração dos resultados teve como orientação dados secundários contidos em manuais e artigos
científicos, caracterizando a técnica de pesquisa como bibliográfica. Os resultados apregoam: a
mensuração do risco de contratação do desconto de duplicatas nos bancos comerciais brasileiros
deve ser quantitativamente abordada segundo as perspectivas determinística e estocástica; a versão
determinística mensura o risco a partir da variação negativa imposta ao saldo de tesouraria; sob a
hipótese de a variação do saldo de tesouraria ser tratada como uma variável de interesse incerta,
a abordagem estocástica tem seu emprego justificado na necessidade de serem compreendidas
as intensidades das interferências exercidas pelas variáveis de decisão estocásticas. Por ser uma
modalidade de crédito capaz agravar mais intensamente a possibilidade de manifestação da
patologia da administração do saldo de tesouraria conhecida por Efeito Tesoura, o desconto de
duplicatas nos bancos comerciais brasileiros impõe ao gestor a obrigação de saber analisar o risco
de sua contratação.

Palavras-chaves: Bancos Comerciais, Desconto de Duplicatas, Risco de Contratação.

Artigo completo disponível em:


http://www.abepro.org.br/biblioteca/ENEGEP2012_TN_STO_159_927_21141.pdf

22
Referências

BRASIL. Decreto-Lei nº 2.848, de 7 de dezembro de 1940. Código Penal Brasileiro. Art. 160.

IUDÌCIBUS, Sergio de et al. Contabilidade Introdutória. 11.ed. São Paulo: Atlas, 2010.

MARION, J. C. Análise das demonstrações contábeis: Contabilidade Empresarial.


7. Ed. São Paulo: Atlas, 2012

GITMAN, L. J. Princípios de administração financeira. 12. Ed. São Paulo: Pearson


Education Brasil, 2010. (e-book)

ARAÚJO, I. P. S. Introdução à contabilidade. 3. Ed. São Paulo: Saraiva, 2008. (e-book)

GRIFFIN, M.P. Contabilidade e finanças. São Paulo: Saraiva, 2012. (Série Fundamentos).
(e-book)

GUERRA, L. Contabilidade descomplicada. São Paulo: Saraiva, 2010. (e-book)

MÜLLER, A. N. Contabilidade básica: fundamentos essenciais. São Paulo: Pearson


Education, 2012

REIS, A. Demonstrações contábeis. 3. Ed. São Paulo: Saraiva, 2009. (e-book)

SILVA, Edson Cordeiro da. Como Administrar o Fluxo de Caixa das Empresas: guia de
sobrevivência empresarial. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2011.

23
Unidade: Operações Financeiras – Duplicatas: Cobrança Simples e Descontos

Anotações

24
www.cruzeirodosulvirtual.com.br
Campus Liberdade
Rua Galvão Bueno, 868
CEP 01506-000
São Paulo SP Brasil
Tel: (55 11) 3385-3000