Você está na página 1de 15

Relatório & Contas 2014

1
I. SÍNTESE DE INDICADORES

SÍNTESE DE INDICADORES (Euros)


2014 2013 ∆% 14/13
Financeiros (Euros)
Volume de Negócios 65.657.785 61.770.896 6%
EBITDA (1) 7.368.103 9.302.662 -21%
EBIT (2) 6.123.915 7.802.100 -22%
Margem Operacional 9% 13% -3 pp
Resultado Líquido 4.428.866 5.583.638 -21%
Valor Acrescentado Bruto 48.684.099 46.907.637 4%
Ativo Líquido 33.271.305 31.858.715 4%
Capital Próprio 22.182.914 20.874.407 6%
Rentabilidade do Activo (ROA) 13% 18% -5 pp
Rentabilidade do Capital Próprio (ROE) 20% 27% -7 pp
Investimento 1.428.885 342.044 318%
Autonomia Financeira 67% 66% +1 pp
Estrutura do Capital Próprio - Artº 35º CSC (3) 130% 123% +7 pp
Pessoal
Trabalhadores no Activo (média FTE) (4) 1.839 1.738 6%
Custos com Pessoal - inclui trabalho temporário (5) 41.645.740 37.455.867 11%
Custos de Pessoal por trabalhador (6) 22.646 21.551 5%
Proveitos por trabalhador (apenas handling) 36.472 36.132 1%
Valor Acrescentado Bruto per capita 26.473 26.989 -2%
Unidades de Tráfego por trabalhador (apenas handling) 10.785 10.200 6%
Atividade (valores)
Nº Voos Assistidos 57.277 51.314 12%
Nº Passageiros Assistidos (7) 15.421.491 13.782.822 12%
Nº Toneladas Movimentadas 66.929 61.216 9%
(1) EBITDA - Earning before interest, taxes, depreciations, amortizations
(2) EBIT - Earning before interest, taxes
(3) CSC - Código das Sociedades Comerciais
(4) FTE - Full-time Equivalent (em 2013 e 2014, há a acrescer 247 e 203 trabalhadores
temporários, respetivamente)
(5) incluí Eur 4.162.551 e Eur 3.581.657, respetivamente, referente a custos de trabalho
temporário em 2013 e 2014
(6) calculo não inclui custo trabalho temporário
(7) incluí passageiros assistidos por outros handlers na área de passageiros (foram 628.404
e 752.115 em 2013 e 2014 respetivamente)

Unidades de tráfego:
Passageiros assistidos (embarcados e desembarcados)
100 Kgs de carga

Relatório & Contas 2014


4
1. O MERCADO
No ano de 2014, a indústria aeronáutica registou, de acordo com a IATA
(Associação Internacional do Transporte Aéreo) um aumento de 5,9% de
passageiros, num total de 3.3 biliões, um aumento idêntico em percentagem, no
número de voos, e um aumento de 4,5% nas toneladas de carga movimentadas,
quando comparado com os registos de 2013.

Seguindo a tendência do mercado Mundial, e quando comparado com 2013, os


Aeroportos Portugueses registaram em 2014, mais voos (5,8%), mais passageiros
(9,5%), e mais carga (5,1%), de acordo com a ANA (Aeroportos de Portugal).

O mercado de assistência em escala manteve em 2014 as mesmas características


do ano transato. Para além da operação da TAP que possui especificidades
próprias, o restante mercado é dominado por companhias low-cost, utilizando
aeronaves narrow body não contentorizadas, e com tempos de rotação curtos (30
minutos).

Este segmento de mercado revelou-se o mais dinâmico ao longo de 2014, tendo o


seu crescimento sido em grande medida captado pela portway que encerrou
2014, com um acréscimo do número de voos e passageiros de 12% e carga
transportada na ordem dos 9%.

De referir ainda que apesar de se ter assistido ao lançamento dos concursos para a
atribuição de licenças para um terceiro operador de assistência em escala em
Lisboa e de um segundo operador para Faro, tais concursos não tiveram ainda
qualquer consequência no mercado em 2014, mantendo-se a portway como único
operador de handling no aeroporto de Faro desde 2011.

Esta evolução positiva refletiu-se igualmente na conquista de uma quota de


mercado de 2 p.p. face a 2013, situando-se a mesma em 41% no final de 2014.

Mercado Global

Lisboa (LIS) Porto (OPO) Faro (FAO) Funchal (FNC) Beja (BYJ) TOTAL
2013 2014 2013 2014 2013 2014 2013 2014 2013 2014 2013 2014
PTW OTHER PTW OTHER PTW OTHER PTW OTHER PTW OTHER PTW OTHER PTW OTHER PTW OTHER PTW OTHER PTW OTHER PTW OTHER PTW OTHER

Voos 13.051 58.117 16.817 59.351 13.946 15.246 15.222 15.861 21.387 0 21.945 0 2.915 7.419 3.287 7.327 16 19 8 33 51.314 80.800 57.277 82.571

QM 18% 82% 22% 78% 48% 52% 49% 51% 100% 0% 100% 0% 28% 72% 31% 69% 46% 54% 20% 80% 39% 61% 41% 59%

Relatório & Contas 2014


10
Mercado Global
90.000 Nº de Voos
80.000

70.000

60.000

50.000

40.000

30.000

20.000

10.000

0
OTHER
OTHER

OTHER

OTHER

OTHER

OTHER

OTHER

OTHER

OTHER

OTHER

OTHER

OTHER
PTW

PTW

PTW

PTW

PTW

PTW

PTW

PTW

PTW

PTW

PTW

PTW
2013 2014 2013 2014 2013 2014 2013 2014 2013 2014 2013 2014
Lisboa (LIS) Porto (OPO) Faro (FAO) Funchal (FNC) Beja (BYJ) TOTAL

(fonte: estatística portway)

Se do mercado global retirarmos as companhias aéreas que direta ou


indiretamente possuem uma atividade de handling (TAP e SATA), verifica-se que
houve uma estabilização da quota de mercado livre nos 75% para a portway,
tendo esta absorvido 75% do aumento do número de voos registado.

Mercado Livre

Lisboa (LIS) Porto (OPO) Faro (FAO) Funchal (FNC) Beja (BYJ) TOTAL
2013 2014 2013 2014 2013 2014 2013 2014 2013 2014 2013 2014
PTW OTHER PTW OTHER PTW OTHER PTW OTHER PTW OTHER PTW OTHER PTW OTHER PTW OTHER PTW OTHER PTW OTHER PTW OTHER PTW OTHER

Voos 13.051 11.857 16.817 11.938 13.946 3.427 15.222 4.199 21.387 0 21.945 0 2.915 2.096 3.287 3.240 16 19 8 33 51.314 17.398 57.277 19.409

QM 52% 48% 58% 42% 80% 20% 78% 22% 100% 0% 100% 0% 58% 42% 50% 50% 46% 54% 20% 80% 75% 25% 75% 25%

.
(fonte: estatística portway)

Ao nível do número de passageiros assistidos, em 2014 registou-se um aumento


de 11,5%, muito acima do crescimento do número de movimentos, atingindo os
14,7 milhões, graças em grande medida ao aumento do segmento low-cost e do
crescimento do load factor médio das aeronaves.

Relatório & Contas 2014


11
Evolução PAX portway

16.000.000 14.669.376

14.000.000 13.154.418

12.000.000

10.000.000

8.000.000
5.257.111
6.000.000 5.217.562
4.390.927 4.098.240
3.920.980
4.000.000 3.226.938

2.000.000 922.374
788.182
756 724
0
Lisboa Porto Faro Funchal Beja TOTAL

2013 2014
(fonte: estatística portway)

O ano de 2014 foi igualmente positivo para o transporte de carga por via aérea,
com um aumento de 5,7 mil toneladas manuseadas, (um acréscimo de 9%), para
um total de cerca 66,9 mil toneladas. Destaque para o aumento da carga expresso
manuseada em Lisboa e Porto, fundamentalmente devido ao alargamento do
canal de distribuição das compras pela Internet através de acordos comerciais
entre os operadores de carga expresso e as empresas mundiais de comércio
eletrónico.

Em contraciclo com esta tendência surge a carga doméstica na rota Lisboa/Funchal


devido à menor capacidade de transporte de carga entre estes dois Aeroportos.

Relatório & Contas 2014


12
Carga portway

66.929
70.000
61.216
60.000

50.000
42.211
39.682
40.000

30.000
22.898
19.314
20.000

10.000
2.052 1.657
168 163
0
Lisboa Porto Faro Funchal TOTAL

2013 2014
(fonte: estatística portway)

Análise Mercado Carga


80.000

70.000

60.000

50.000

40.000

30.000

20.000

10.000

0
OTHER
OTHER

OTHER

OTHER

OTHER

OTHER

OTHER

OTHER

OTHER

OTHER
PTW

PTW

PTW

PTW

PTW

PTW

PTW

PTW

PTW

PTW

2013 2014 2013 2014 2013 2014 2013 2014 2013 2014
Lisboa (LIS) Porto (OPO) Faro (FAO) Funchal (FNC) TOTAL
(fonte: estatística portway)

Relatório & Contas 2014


13
3. RECURSOS HUMANOS

O efetivo médio da portway registou em 2014 um incremento de 6%, passando


de 1738 em 2013 para 1839 Full Time Equivalents (FTE´s). Este acréscimo dos
recursos acompanhou o crescimento da operação, sobretudo na atividade
principal/handling, que atingiu 12% (número de voos e passageiros assistidos) face
a 2013.

Evolução do Efetivo Médio portway

2013 2014
2500
2500

2000 2000

1500
1500
1000

1000
500

0 500

Trabalhadores FTE
Trabalhadores FTE

Em 2014 promoveu-se uma alteração relevante quanto do tipo de vínculo


contratual adotado para fazer face às necessidades de reforço de mão-de-obra
sazonal (Inverno/Verão IATA), optando-se, na atividade principal, pela contratação
direta a termo, por contraposição ao recurso à utilização de trabalho temporário.

Em 2014 a evolução deste índice ilustra uma redução de 6% no número de


trabalhadores, incrementando-se os níveis de vinculação direta através de contrato
a termo face a 2013.

Relatório & Contas 2014


20
4. ANÁLISE ECONÓMICA E FINANCEIRA
Apesar de em 2014 se ter assistido à continuação da crise de dívida na zona Euro,
o tráfego aéreo de passageiros manteve um crescimento significativo, tanto a nível
mundial, como nacional. O aumento de turistas que visitam Portugal, em 2014,
provocou um aumento significativo de passageiros e voos face ao ano anterior.
Nesta conjuntura, a portway ultrapassou a barreira dos 65 milhões de euros de
rendimentos, neste que foi o primeiro exercício económico no grupo francês
VINCI.

Rendimentos Operacionais

Os Rendimentos Operacionais cresceram em relação a 2013 e refletem o efeito


conjugado da entrada de novos clientes (por exemplo em Faro), e do aumento de
voos e novas rotas por parte dos atuais clientes, com o impacto importante das
três bases da Ryanair a da base da Easyjet em Lisboa.

Valor em Euros ∆%
Rendimentos operacionais
2014 2013 14/13
Serviços Prestados + Outros rendimentos e ganhos 65.657.785,03 61.770.896,47 6,3
Assistência na placa e a passageiros 56.720.464,54 53.578.143,72 5,9
Serviços Standard 44.924.336,81 40.637.141,13 10,5
Serviços Suplementares 11.796.127,73 12.941.002,59 (8,8)
Assistência na carga 8.937.320,49 8.192.752,75 9,1
Serviços Standard 8.937.320,49 8.192.752,75 9,1
Rendimentos operacionais 65.657.785,03 61.770.896,47 6,3

No entanto, o crescimento de 12% do número de vos assistidos apenas se refletiu


num crescimento de 6,3% ao nível dos proveitos, já que no decurso de 2014
foram adotadas diversas iniciativas no sentido de a aproximar dos objetivos globais
do grupo ANA, de melhorar a competitividade dos aeroportos nacionais e, por
antecipação, posicionar a empresa de forma mais agressiva no mercado de
assistência em escala para enfrentar a concorrência futura.

Verificou-se igualmente uma descida, de 8,8% dos serviços suplementares


prestados pela portway na área dos aeroportos, que continuam a corresponder a
uma receita adicional significativa na área de assistência a passageiros nos

Relatório & Contas 2014


27
Aeroportos (carrinhos de bagagem, lounges, balcões de informação, etc.) e
formação.

Finalmente, e no que respeita à carga, contrariamente ao que se tem vindo a


verificar nos anos anteriores, este segmento de negócio registou um crescimento
de 9%, em linha com o acréscimo de toneladas manuseadas.

Gastos Operacionais

Em 2014, os gastos operacionais ascenderam a 59,5 milhões de euros, o que


corresponde a um acréscimo de 10,3% face a 2013.

∆%
GASTOS OPERACIONAIS 2014 2013
14/13
Total gastos operacionais 59.533.869,86 53.968.796,01 10,3%
Gastos com o Pessoal 41.645.739,57 37.455.866,71 11,2%
Custo das Mercadorias Vendidas e Matérias Consumidas 738.823,55 738.053,64 0,1%
Fornecimentos e Serviços Externos 12.991.752,45 11.433.037,61 13,6%
Gastos de Depreciação e de Amortização 1.244.187,75 1.500.561,88 -17,1%
Imparidade de Dívidas a Receber (91.074,97) 92.868,43 -198,1%
Provisões (238.668,32) 56.239,36 -524,4%
Outros Gastos e Perdas 3.243.109,83 2.692.168,38 20,5%

Em termos relativos, os Gastos com o Pessoal, que incluem os gastos com trabalho
temporário e que representaram em 2014 cerca de 70% dos custos operacionais,
registaram um crescimento de 11,2%. Esta evolução é explicada não apenas por
força do acréscimo de mão–de-obra necessária para fazer face ao aumento da
atividade, mas igualmente devido à reposição dos cortes salariais que estiveram em
vigor até Agosto de 2013, e à reativação das progressões de carreiras.

Os Gastos de Depreciações e de Amortizações, quando comparados com o ano


2013, refletem um decréscimo de 17,1% devido a bens do ativo fixam tangível
que chegam ao fim da sua vida útil.

O valor indicado em “Imparidade de Dividas a Receber” beneficiou de uma


melhoria significativa nas dívidas de clientes face à antiguidade apresentado em
anos anteriores, que permitiu à portway efetuar a reversão de EUR. 168.010 nas
imparidades registadas.

Relatório & Contas 2014


28
Por outro lado, a desagregação dos gastos com os FSE (Fornecimentos e Serviços
Externos), evidenciada no quadro seguinte, permite constatar que as principais
variações registadas nesta componente de custos se encontram relacionadas com
uma verba referente a serviços técnicos e de gestão a pagar à ANA, S.A., bem
como a custos com balcões de check-in e com os respetivos sistemas CUPSS/BRS
cobrados pelos diversos aeroportos.

2014 2013
FORNECIMENTOS E SERVIÇOS EXTERNOS
Valor % Valor %
Total dos Fornecimentos e Serviços Externos 12.991.752,45 100,0 11.433.037,61 100,0
Rendas e alugueres 5.180.679,69 39,9 5.117.900,07 44,8
Trabalhos especializados 1.499.361,03 11,5 1.024.874,05 9,0
Subcontratos 1.110.492,39 8,5 863.148,24 7,5
Combustíveis 919.257,79 7,1 909.081,73 8,0
Conservação e reparação 481.053,32 3,7 593.291,12 5,2
Comunicação 426.299,59 3,3 425.807,30 3,7
Vigilância e Segurança 388.957,67 3,0 380.653,27 3,3
Material de Escritório 285.968,56 2,2 342.604,27 3,0
Eletricidade 278.168,58 2,1 272.915,92 2,4
Seguros 231.167,03 1,8 252.017,38 2,2
Outros custos 2.190.346,80 16,9 1.250.744,26 10,9

O crescimento das restantes rubricas, geralmente associadas diretamente com os


gastos diretos de exploração, refletem o impacto do aumento ocorrido na
atividade do handling face ao ano anterior.

Resultados

O apuramento do Resultado Liquido, no último triénio, teve a evolução


mencionada no quadro abaixo indicado:

Relatório & Contas 2014


29
2014 2013 2012 ∆%
Sintese dos Resultados
Valor Valor Valor 14/13
Rendimentos Operacionais 65.657.785,03 61.770.896,47 59.714.732,49 6,3
Serviços Prestados + Outros rendimentos e ganhos 65.657.785,03 61.770.896,47 59.714.732,49 6,3
Gastos Operacionais (59.533.869,86) (53.968.796,01) (54.489.053,98) (10,3)
Resultado Operacional 6.123.915,17 7.802.100,46 5.225.678,51 (21,5)
Resultado financeiro 45.305,19 141.031,94 28.253,88 (67,9)
Resultado antes de impostos 6.169.220,36 7.943.132,40 5.253.932,39 (22,3)
Impostos (1.740.354,53) (2.359.493,91) (1.503.890,18) 26,2
Imposto corrente (1.740.354,53) (2.359.493,91) (1.503.890,18) 26,2
Resultado líquido 4.428.865,83 5.583.638,49 3.750.042,21 (20,7)

Valor Acrescentado Bruto

O Valor Acrescentado Bruto atingiu, em 2014, os EUR. 48.684.099, o que, em


relação ao ano transato, significou um acréscimo de 1,8 milhões de euros e em
termos relativos a um aumento de 3,8%.

No VAB per capita há uma ligeira descida, passando de EUR. 26.989 no ano de
2013, para EUR. 26.473 no ano corrente, a que corresponde, em termos relativos,
um decréscimo de 1,9%, conforme se evidencia no quadro seguinte:

Valor acrescentado bruto (VAB) 2014 2013


Serviços prestados 65.657.785,03 61.770.896,47
Custos de produção 16.973.685,83 14.863.259,63
Fornecimentos e serviços externos 12.991.752,45 11.433.037,61
Outros custos 3.981.933,38 3.430.222,02
Valor acrescentado bruto 48.684.099,20 46.907.636,84
Número médio de trabalhadores (média FTE) 1.839,00 1.738,00
VAB per capita 26.473,14 26.989,43

Situação Patrimonial

No final de 2014 o Ativo Líquido da portway, Handling de Portugal, S.A. era de


33,3 milhões de euros, que corresponde a um acréscimo de 1,4 milhões de euros
resultante de:

- Aumento das Dívidas de Terceiros de Curto Prazo no valor de 1,6 milhões de


euros;

Relatório & Contas 2014


30
- Aumento do Estado e Outros Entes Públicos em 1,0 milhões de euros;
- Aumento das Disponibilidades devido ao reembolso do empréstimo de 9,5
milhões de euros por parte da sua Accionista, ANA-Aeroportos de Portugal,
S.A.;
- A distribuição ao acionista de 1,92 milhões de euros.

∆%
Situação patrimonial 2014 2013
14/13
Ativo Líquido 33.271.305,03 31.858.714,86 1.412.590,17
Ativo não corrente 3.182.873,41 2.998.860,86 184.012,55
Ativo corrente 30.088.431,62 28.859.854,00 1.228.577,62
Capitais próprios e passivo 33.271.305,03 31.858.714,86 1.412.590,17
Capitais próprios 22.182.914,19 20.874.406,95 1.308.507,24
Passivo 11.088.390,84 10.984.307,91 104.082,93
Passivo não corrente 523.484,32 1.187.873,82 (664.389,50)
Passivo corrente 10.564.906,52 9.796.434,09 768.472,43

O Passivo do ano de 2014 aumentou em cerca de 0,1 milhões de euros,


relativamente ao ano anterior, o qual é suportado por:

- Decréscimo do saldo dos Fornecedores de Imobilizado e Financiamentos


obtidos em 0,8 milhões de euros relacionados com os investimentos
realizado em 2014 com financiamento com recurso a leasing reduzido;
- Decréscimo do saldo de Fornecedores em 0,1 milhões de euros;
- Decréscimo do saldo de Estado e Outros Entes Públicos em 0,9 milhões de
euros;
- Aumento de Outras Contas a Pagar no valor de 1,9 milhões de euros.

A evolução verificada ao nível dos principais indicadores financeiros e dos de


rendibilidade e de desempenho, sintetizando a evolução verificada no decurso
deste exercício económico, por comparação com 2013 é mostrada nos quadros
seguintes:

Relatório & Contas 2014


31
Em %
Indicadores Rendibilidade e de Desempenho
2014 2013
Margem operacional
9,33 12,63
Resultado operacional/ Serviços prestados
Rotação do ativo
1,97 1,94
Serviços prestados/Total do ativo liquido
Rendibilidade do ativo (ROA)
18,41 24,49
Resultado operacional/Total do ativo liquido
Rendibilidade do Capital Próprio (ROE)
19,97 26,75
Resultado líquido/Capital próprio
Efeito da estrutura financeira
1,50 1,53
Ativo liquido/Capital próprio
Efeito financeiro
1,01 1,02
Resultados antes de impostos/Resultado operacional
Efeito alavanca financeira
1,51 1,55
Efeito da estrutura financeira*Efeito financeiro
Rendibilidade de exploração
Resultado antes\de impostos/Capital próprio ou 27,81 38,05
Rendibilidade do ativo * Efeito alavanca financeiro
Efeito fiscal
0,72 0,70
Resultado líquido/Resultados antes de impostos

Relatório & Contas 2014


32
PORTWAY HANDLING DE PORTUGAL, SA
BALANÇO INDIVIDUAL EM 31 DEZEMBRO DE 2014
(EUROS)

RÚBRICAS NOTAS DATAS


31-12-2014 31-12-2013
ACTIVO

Activo não corrente


Activos Fixos Tangíveis 14 3.157.608,56 2.967.385,21
Activos Intangíveis 15 25.264,85 31.475,65
3.182.873,41 2.998.860,86
Activo corrente
Inventários 17 573.204,87 555.085,70
Clientes 18 7.967.254,71 6.347.699,36
Estado e Outros Entes Públicos 20 1.134.126,44 149.411,61
Accionistas / Sócios 21 0,00 9.500.000,00
Outras contas a Receber 18 652.271,33 377.497,61
Diferimentos 22 1.436.278,04 1.221.303,99
Caixa e Depósitos Bancários 4 18.325.296,23 10.708.855,73
30.088.431,62 28.859.854,00
TOTAL DO ACTIVO 33.271.305,03 31.858.714,86
CAPITAL PRÓPRIO E PASSIVO

CAPITAL PRÓPRIO

Capital Realizado 17.000.000,00 17.000.000,00


Outros Instrumentos de Capital Próprio 0,00 1.200.000,00
Reservas Legais 726.389,38 447.207,46
Outras reservas 27.658,98 27.658,98
Resultados Transitados 0,00 -3.384.097,98
17.754.048,36 15.290.768,46
Resultado Liquido do Período 4.428.865,83 5.583.638,49
TOTAL CAPITAL PRÓPRIO 23 22.182.914,19 20.874.406,95
PASSIVO

Passivo não corrente


Provisões 24 523.484,32 808.141,43
Financiamentos Obtidos 25 0,00 379.732,39
523.484,32 1.187.873,82
Passivo corrente
Fornecedores 26 512.810,90 648.300,39
Estado e Outros Entes Públicos 20 995.823,05 1.936.341,45
Financiamentos Obtidos 25 421.220,99 529.217,36
Outras Contas a pagar 26 8.635.051,58 6.682.574,89
10.564.906,52 9.796.434,09
TOTAL DO PASSIVO 11.088.390,84 10.984.307,91
TOTAL CAP.PRÓPRIO E DO PASSIVO 33.271.305,03 31.858.714,86
0,00 0,00
Conselho de Administração O Técnico Oficial de Contas

Jorge Manuel da Mota Ponce de Leão José Miguel Cordeiro da Rocha

Luis Miguel Silva Ribeiro

Pascale Frederique Thoy Albert-Lebrum

François Jean Amosse

Thierry Franck Dominique Ligonniere

Relatório & Contas 2014


46
PORTWAY HANDLING DE PORTUGAL, SA
DEMONSTRAÇÃO INDIVIDUAL DOS RESULTADOS POR NATUREZAS
PERIODO FINDO EM 31 de Dezembro 2014 (EUROS)
PERÍODOS
RENDIMENTOS E GASTOS NOTAS
2014 2013

Vendas e Serviços Prestados 5 65.530.792,63 60.601.164,95


Custo das merc. vendidas matérias consªs 7 -738.823,55 -738.053,64
Fornecimentos e serviços externos 8 -12.991.752,45 -11.433.037,61
Gastos com o pessoal 9 -41.645.739,57 -37.455.866,71
Imparidade de dívidas a Receber 19 91.074,97 -92.868,43
Provisões 24 238.668,32 -56.239,36
Outros Rendimentos e Ganhos 6 126.992,40 1.169.731,52
Outros Gastos e Perdas 10 -3.243.109,83 -2.692.168,38
Resultados antes de depreciações, gastos de financiamento e impostos 7.368.102,92 9.302.662,34
Gastos /Reversões depreciação e amortização 11 -1.244.187,75 -1.500.561,88
Resultados Operacional ( antes de gastos de financiamento e impostos) 6.123.915,17 7.802.100,46
Juros e Rendimentos Similares Obtidos 12 74.493,36 187.587,24
Juros e Gastos Similares Suportados 12 -29.188,17 -46.555,30
Resultados antes de impostos 6.169.220,36 7.943.132,40
Imposto sobre rendimento do exercício 13 -1.740.354,53 -2.359.493,91
Resultado líquido do Período 4.428.865,83 5.583.638,49

Conselho de Administração O Técnico Oficial de Contas

Jorge Manuel da Mota Ponce de Leão José Miguel Cordeiro da Rocha

Luis Miguel Silva Ribeiro

Pascale Frederique Thoy Albert-Lebrum

François Jean Amosse

Thierry Franck Dominique Ligonniere

Relatório & Contas 2014


47