Você está na página 1de 4

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DO SUL DO MARANHÃO

UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR DO SUL DO MARANHÃO


CURSO DE PSICOLOGIA – 4º PERÍODO

NATIELY DIAS SOUSA

RESENHA SOBRE O FILME - DIÁRIO DE UM PAIXÃO:


IDENTIFICAÇÃO DOS PROCESSOS PSICOLÓGICOS BÁSICOS

Imperatriz- MA
2020
INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DO SUL DO MARANHÃO
UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR DO SUL DO MARANHÃO
CURSO DE PSICOLOGIA – 4º PERÍODO

NATIELY DIAS SOUSA

RESENHA SOBRE O FILME - DIÁRIO DE UM PAIXÃO:


IDENTIFICAÇÃO DOS PROCESSOS PSICOLÓGICOS BÁSICOS

Trabalho apresentado ao curso de Psicologia do


Instituto de Ensino Superior do Sul do
Maranhão/Unidade de Ensino Superior do Sul do
Maranhão para obtenção de nota na Disciplina de
Técnicas de Exames Psicológicos I.

Orientador: Prof. Rayanna Duarte.

Imperatriz- MA
2020
RESENHA SOBRE O FILME: DIÁRIO DE UM PAIXÃO

O filme aborda algumas das funções que fazem parte dos processos
psicológicos básicos que compreendem a experiência e vivência com o meio,
influenciando a dinâmica da mente.
Assim o romance, se inicia em um asilo onde Noah, que é um vendedor
aposentado, visita regularmente uma senhora e lê para ela um caderno com antigas
recordações. Neste “Diário de Uma Paixão”, ele tenta trazer de volta os momentos
conturbados e intensos que viveram numa época em que juravam amor eterno e que
a doença estava prejudicando sua memória. Vemos então, a memória, como uma das
funções deste processo responsável pela codificação, armazenamento e recuperação
de dados ou informações, fato então, prejudicado pela doença de Alzheimer vivenciada
pela personagem Allie. E todos os dias, este homem que na verdade é seu esposo, lê
para ela um capítulo dessa linda história de amor de verão, escrita em um velho diário,
e que se transformou no grande amor de suas vidas e as dificuldades que os afastaram
um do outro por tantos anos.
A emoção, que é mais um dos processos psicológicos entra em cena, pois
capta na senhora sentimentos e pensamentos ao ouvir a história de uma linda moça de
classe alta, que se apaixona por um rapaz simples, chamado Noah, vindo do interior do
sul dos Estados Unidos, eles se conheceram pela primeira vez em um parque de
diversões, nos anos 40 em um lindo verão. As diferenças sociais e o preconceito da
família de Allie acabam por separar esse jovem casal.
Com a Segunda Guerra Mundial, o jovem rapaz foi para a batalha,
dificultando mais ainda esse amor, no entanto ele escreve todos os dias uma carta
durante um ano e que nunca chegou até sua amada, ao total foram 365 cartas que a
mãe escondia de Allie, e que consequentemente nunca ficou sabendo.
Após sete anos, Allie estava noiva de um outro rapaz, que conheceu numa
missão voluntária ao cuidar de feridos da guerra. E nas vésperas de seu casamento, a
jovem vê uma reportagem no jornal falando sobre a restauração de uma antiga casa de
fazenda em Nova Berna feita por um certo Noah Calhoun. Allie o rever em seus
pensamentos, e lembra de todos os momentos que viveram. Daí citamos o
pensamento como mais um dos processos psicológicos, que a fez criar novos
pensamentos associando com tomadas de decisões e julgamentos, e a fizeram ir
procurá-lo, deixando o noivo sem saber do que estava prestes a acontecer.
Assim, ela resolve voltar até Nova Berna e aos sentimentos que viveu no
passado. O encontro acendem a paixão do amor dos dois, e agora ela deverá decidir
quem ela quer ficar pelo resto de sua vida, com seu noivo Lon ou seu primeiro amor
Noah.
De volta ao presente, enquanto o homem conta para a senhora essa
história, a mulher com Alzheimer experimenta diferentes sensações e parece
relembrar momentos de sua própria vida, porque na verdade ela era a jovem Allie.
Agora vemos a sensação como mais uma das funções psicológicas que surge através
do estímulo oriundo da escuta da história contada, e que a fez detectar uma
experiência sensorial por meio dessas lembranças.
Consequentemente, ela percebe que no final resolveu ficar com seu
primeiro amor Noah! Temos então a percepção como mais um destes processos, que
foi captado pelo estímulo à história contada, e que a fez associar à lembrança,
gerando um processamento dessa informação. Assim, ela fala que ele, o senhor, que
conta a história era Noah, seu amado. Indicando também a linguagem como uma das
funções destes processos psicológicos, pois ela interpretou e compreendeu as
informações contadas a ela através da história desse diário.