Você está na página 1de 7

Você deverá responder as questões a seguir e enviá-las por meio do Portfólio - ferramenta do

ambiente de aprendizagem UNIGRAN Virtual. Em caso de dúvidas, envie mensagem para o e-


mail rutedesouza@unigran.br

NOME: Nelciane Leitão de Miranda

RGM: 063.3106

DATA: 18/02/2021

POLO: Sena Madureira

Com base na aula 1 e na leitura do texto de Antonio Candido, O ESCRITOR E O PÚBLICO,


disponível no arquivo, responda:

1 – Bloom argumenta sobre a importância da ironia. Pesquise sobre o que vem a ser ironia e
explique, com suas palavras. (1,0)

R-

Ironia é uma figura de linguagem utilizada no dia a dia de muitas pessoas. O

individuo usado essa figurada de linguagem quando quer dizer algo ao

contrario do que se pensa, causando assim um humor sutil.

2 – Explique a seguinte afirmação de Bloom: “a ironia de dois períodos literários distintos,


raramente, será a mesma”. (1,0)

R -

Na afirmação de Bloom é notório que entre os dois períodos literários a ironia


muda. Primeiro por serem períodos distintos e por ser divididos por um extenso
espaço de tempo, sendo assim é mudado o pensamento, os vocabulários e as
gírias, desse modo não é diferente com a ironia.

3- Na visão de Calvino, quais são as principais características de um clássico? (1,0)

Calvino afirma que os clássicos são livros que desempenha uma intervenção
particular quando se impõem como inesquecíveis e também quando ocultam
nas dobras da memória. Para Calvino um clássico é um livro que nunca
terminou de dizer aquilo que tinha para dizer. Mais umas das características de
um clássico para Calvino é que os clássicos são aqueles livros que chegam até
nós trazendo consigo as marcas das leituras que precederam a nossa e atrás
se si os traços que deixaram na cultura ou nas culturas que atravessaram ou
mais simplesmente na linguagem ou nos costumes.

4- Acesse http://revistas.fw.uri.br/index.php/revistalinguaeliteratura/issue/view/120/showToc
OU VÁ EM MATERIAL DE AULA/LINK

Trata-se de uma revista eletrônica sobre formação de leitores e aborda sobre o papel da
literatura nesse processo. Escolha alguns artigos para leitura e produza um texto de uma a
duas laudas sobre o papel da literatura na formação de leitores. Aponte as facilidades e as
dificuldades que os professores encontram nesse processo. Seu texto deve ter 3 a 5 citações
de artigos dessa revista. Se não lembrar sobre citações, retome a disciplina de Metodologia da
pesquisa (1º semestre)

Lembre-se: a correção na escrita é fundamental para quem está em um curso de Letras!

Não copie trechos sem citar corretamente (zera a atividade). (2.0)

O papel da literatura na formação de leitores.

Sabe-se que o hábito de ler deve acontecer deste de cedo, por isso a escola
precisa reconhecer a importância da literatura infantil e incentivar a formação
da prática da leitura na infância. O que se percebe é que a literatura deveria
ser mais explorada no contexto escolar, pois ela é importante e fundamental
para o crescimento estudantil. Um dos primeiros caminhos para transmitir
conhecimento às crianças e estimular a imaginação é através da contação de
histórias. Essa afirmação pode ser comprovada nos escrito da Revista &
Literatura: “(...) as histórias contadas estimularão a imaginação das crianças,
auxiliando em seu desenvolvimento intelectual, afetivo, levando-as a
reconhecer alguns de seus problemas. Para tanto, é preciso saber narrar
histórias. A arte de contar histórias” (Formando pequenos leitores: o direito e o
poder da literatura na educação infantil, Revista Língua & Literatura FW, p. 168,
Dez. 2015) Com o surgimento da atual tecnologia, percebe-se que há mais
facilidade de acessar diversos conteúdos que sejam pertinentes e de interesse
do leitor que deseja buscar de forma mais imediata qualquer tipo de resposta.
O leitor contemporâneo está cercado de diferentes formas de leitura que vão
além dos livros. A internet possibilita, além de novas formas de comunicação e
acesso a informação, novos meios de coordenar as interações no universo
virtual de conhecimentos. A internet proporciona qualquer conteúdo e qualquer
resposta com mais rapidez, e por ser mais atrativa, muitos estudantes estão
deixando de usar livros impressos. Já há um consenso de que a leitura em
papel não seja mais efetiva do que nos meus digitais, pois leitura é leitura,
independentemente do modo como é praticada. Uma dificuldade para o
desenvolvimento dessa prática inovadora é a pouca oferta de formação para
docentes no que tange o uso e aplicabilidade dos recursos em sala de aula, o
que pode provocar entre os professores dúvidas e indagações e possivelmente
o abandono dos recursos. Mas é necessário que as escolas promovam
capacitação aos seus professores para melhor lhe dar com essa inovação e
assim oferecer uma educação de qualidade e mais atrativa. O papel do corpo
docente e da escola é de incentivar o ato da leitura, entendendo que os
resultados da leitura dizem respeito ao ato de ler e não do meio utilizado para
isso. Dessa forma a leitura que não seja impressa certamente será útil ao
leitor, conforme está expresso na Revista & Literatura: “A leitura fora do livro
impresso, em diferentes textualidades, embora solicite do leitor outras e novas
habilidades e formas de ler, não coloca – nem colocará – em questão o
domínio dessa atividade. Ao contrário, acentua a sua necessidade, pois
conectar- se a – e transitar através da – imaterialidade das informações
híbridas do ciberespaço depende de tal domínio” (Texto, leitura e leitor no
meio digital: novos letramentos, Revista Língua & Literatura, FW, p.
128, Dez.2015).

Sabe-se que é importante para todas as crianças e jovens ter domínio da


leitura em suas vidas. Ler vai além da decodificação de símbolos gráficos, da
repetição de silabas, ler é compreender o que está nas entrelinhas do texto,
pois só assim o estudante terá o prazer pela leitura. Para isso o docente
precisa ter os saberes necessários para a prática pedagógica no ensino da
leitura. O ensino exige que o professor se aprofunde mais na leitura, uma vez
que ele será um exemplo para seu aluno, pois não basta apenas dizer que
praticar a leitura é importante, tem que fazer da leitura algo fundamental para
que seus alunos sigam seu exemplo. Dessa forma, a formação do professor
leitor se faz necessário. Essa informação pode fazer sentido quando
analisamos o que está escrito na Revista & Literatura: “Ações que visem ao
aumento do número de professores leitores são decisivas para a instalação de
uma cultura de valorização do texto literário, na qual o aluno perceba que a
leitura é parte essencial do processo de ensino e aprendizagem. Sem essa
mudança de comportamento dos sujeitos responsáveis pela educação, no seu
conjunto, o educando continuará a visualizar as iniciativas dos professores
responsáveis pelo “ensino” da literatura como tarefas eventuais, cuja relevância
pode ser mensurada pela nota que lhes é atribuída”( A realidade escolar no
âmbito da leitura e possibilidades de sua transformação School reality and
reading: possibilities of change, Revista Língua & Literatura, FW, p. 52,
Dez.2015).

Sucesso!

Atividades

Você deverá responder as questões a seguir e enviá-las por meio do Portfólio - ferramenta do
ambiente de aprendizagem UNIGRAN Virtual. Em caso de dúvidas, envie mensagem para o e-
mail rutedesouza@unigran.br

Leia o livro “Metalinguagem” (no arquivo) . Ali você encontrará explicações e importantes
reflexões sobre a metalinguagem e sobre a intertextualidade.

1 – ANALISE E EXPLIQUE A METALINGUAGEM PRESENTE NA TIRA A SEGUIR: (1,5)


R

Nota-se a função metalinguística é o fato de a mensagem estar centrada no


próprio código, na tira isso acontece devido o desenhista ter desenhado ele
mesmo em seu dia a dia.

2 - Analise os dois poemas abaixo e faça um breve comentário a respeito da relação


metalinguística e da relação intertextual existente entre eles. (1,5)

Tanto o poema Catar Feijão como o poema Poesia falam sobre a escrita de
um poema e seus versos, sendo que nos dois aparem as dificuldades sem criar
poesia.

Catar feijão

Catar feijão se limita com escrever:

joga-se os grãos na água do alguidar

e as palavras na da folha de papel;

e depois, joga-se fora o que boiar.

Certo, toda palavra boiará no papel,

água congelada, por chumbo seu verbo:

pois para catar feijão, soprar nele,

e jogar fora o leve e oco, palha e eco.

Ora, nesse catar feijão, entra um risco:

o de entre os grãos pesados entre


um grão qualquer, pedra ou indigesto,

um grão imastigável, de quebrar dente.

Certo não, quanto ao catar palavras:

a pedra dá à frase seu grão mais vivo:

obstrui a leitura fluviante, flutual,

açula a atenção, isca-a com o risco. João Cabral de Melo Neto

Poesia

Gastei uma hora pensando um verso

que a pena não quer escrever.

No entanto ele está cá dentro

inquieto, vivo.

Ele está cá dentro

e não quer sair.

Mas a poesia deste momento

inunda minha vida inteira.

Carlos Drummond de Andrade

3 – Leia o texto “BREVES CONSIDERAÇÕES SOBRE EXPERIÊNCIA ESTÉTICA” e responda: em que


consiste a metalinguagem na imagem abaixo,
As meninas, de Velázquez? (2,0)
R–

A metalinguística neste quadro consiste devido o pintor ter incluído não


apenas os personagens que estava encarregado de pintar, mas também a si
mesmo trabalhando na tela.