Você está na página 1de 14

MasterD Portugal

FICHA DE APOIO

CORRENTE ALTERNADA
CARACTERÍSTICAS DA C.A SINUSOIDAL

PERÍODO

É o tempo que demoram duas alternâncias consecutivas, ou, o tempo que é gasto
na duração de um ciclo. É representado pela letra T, e expressa-se em segundos.

FREQUÊNCIA

Ao número de ciclos realizados num segundo, dá-se o nome de frequência. A


frequência e o período relacionam-se de forma inversa:

1 1
𝑓= 𝑜𝑢 𝑇 =
𝑇 𝑓

com:

 f – frequência (Hertz – Hz)


 T – período (segundos – s)

2
AMPLITUDE

A corrente alternada sinusoidal é uma corrente variável e periódica. É denomim-


nado de valor instantâneo o valor da corrente ou da d.d.p num determinado ins-
tante.

A amplitude é o valor máximo que a alternância atinge. Como existem amplitudes


positivas e negativas, o valor medido entre os dois valores máximos, positivo e
negativo, dá-se o nome de valor de pico a pico.

O valor de pico a pico desta onda é:

𝐼𝑝𝑝 = 2 · 𝐼𝑚á𝑥 𝑜𝑢 𝑈𝑝𝑝 = 2 · 𝑈𝑚á𝑥

O valor médio de uma onda alternada sinusoidal é o valor que uma corrente con-
tínua deverá ter para transportar a mesma quantidade de energia que uma co-
rrente alternada num determinado espaço de tempo.

A relação entre o valor máximo e o valor médio é a


seguinte:

2 2
𝐼𝑚é𝑑 = ·𝐼 𝑜𝑢 𝑈𝑚é𝑑 = ·𝑈
𝜋 𝑚á𝑥 𝜋 𝑚á𝑥

3
O valor eficaz de uma onda alternada designa-se como o valor existente numa
grandeza contínua, no mesmo intervalo de tempo T, que produz a mesma quan-
tidade de calor por efeito de Joule, produzido pela mesma grandeza alternada.

A relação entre o valor eficaz I/U e o valor máximo Imáx/Umáx é dada pela seguinte
expressão:

𝐼𝑚á𝑥 𝑈𝑚á𝑥
𝐼= 𝑜𝑢 𝑈=
√2 √2

RELAÇÃO ENTRE VELOCIDADE ANGULAR E A FREQUÊNCIA

Numa rotação de um gerador, ou numa volta completa, obtém-se um ciclo com-


pleto de tensão. Em termos de relação entre a velocidade angular e a frequência,
o vetor girante, ao percorrer um ângulo de 2π radianos, gasta um tempo que
corresponde ao período T.

isto é:

𝜔 = 2𝜋 · 𝑓

O valor instantâneo de uma grandeza alternada sinusoidal (neste caso a tensão)


- u - pode representar-se matematicamente em função do tempo - t:

𝑢(𝑡) = 𝑈𝑚á𝑥 · 𝑠𝑒𝑛 (2𝜋 · 𝑓 · 𝑡)

4
PROBLEMAS

1. Uma instalação é alimentada pela rede de distribuição em baixa tensão, o


valor eficaz da tensão é de 220V e a frequência 60 Hz. Determine:

1.1. O período de cada ciclo.

1 1
𝑇= = = 0.01666 𝑠 = 16.66 𝑚𝑠
𝑓 60

1.2. A amplitude da tensão.

𝑈𝑚á𝑥 = √2 · 𝑈 = √2 · 220 = 311 𝑉

2. Um recetor absorve da rede uma corrente cuja amplitude é de 2 A. O


período da corrente é de 20 ms. Determine:

2.1. A frequência da corrente.

1 1
𝑓= = = 50 𝐻𝑧
𝑇 0.02

2.2. O valor eficaz da corrente.

𝐼𝑚á𝑥 2
𝐼= = = 1.41 𝐴
√2 √2

3. Uma linha de média tensão transporta energia sob uma tensão eficaz
igual a 25 kV – 50 Hz. Determine a amplitude desta tensão.

𝑈𝑚á𝑥 = √2 · 𝑈 = √2 · 25 000 = 35 355 𝑉

5
ANÁLISE DE CIRCUITOS EM CORRENTE ALTERNADA

A LEI DE OHM EM CORRENTE ALTERNADA

Em corrente alternada é aplicada a Lei de Ohm, mas em vez da resistência tere-


mos uma impedância (Z).

𝑈 =𝑍·𝐼

Assim, em corrente alternada, a relação entre a tensão e a corrente a uma dada


frequência depende da impedância Z e do seu ângulo de desfasamento.

A impedância Z vai sempre depender de duas variáveis, da impedância e da


reatância X do circuito.

 Num circuito puramente resistivo – Z = R


 Num circuito puramente indutivo – Z = XL
 Num circuito puramente capacitivo – Z = XC

CIRCUITO PURAMENTE RESISTIVO

Se estivermos perante um circuito puramente resistivo (composto apenas por


resistências) - Z = R. A Lei de Ohm será:

𝑈 = 𝑅·𝐼

Neste tipo de circuitos não há reatâncias, logo, não existe desfasamento entre a
forma de onda da tensão e a forma de onda da corrente.

6
CIRCUITO PURAMENTE INDUTIVO

Se estivermos perante um circuito puramente indutivo (composto apenas por


bobinas) - Z = XL. A Lei de Ohm será:
L

𝑈 =𝑍·𝐼

A reatância indutiva XL de uma bobina depende da frequência f, da tensão apli-


cada e do coeficiente “indutância” L, sendo dada por:

𝑋𝐿 = 2𝜋 · 𝑓 · 𝐿

com:

 f – frequência (Hertz – Hz)


 L – indutância (Henry – H)
 XL – reatância indutiva (ohm – Ω)

A indutância L é uma grandeza que depende das características da bobina ( per-


meabilidade magnética do núcleo, número de espiras, secção das espiras e com-
primento da bobina).

Para um circuito puramente indutivo:

𝑍 = 𝑋𝐿 = 2𝜋 · 𝑓 · 𝐿

Neste tipo de circuitos a corrente está desfasada em relação à tensão, ou seja, a


corrente está em atraso em relação à tensão 90֯ (atinge o pico máximo depois da
tensão).

𝑖(𝑡) = 𝐼𝑚á𝑥 · 𝑠𝑒𝑛 ( 𝜔𝑡 − 90֯ )

𝑢(𝑡) = 𝑈𝑚á𝑥 · 𝑠𝑒𝑛 ( 𝜔𝑡)

7
CIRCUITO RL

Se estivermos perante um circuito RL (composto por resistências em série com


um ou mais elementos indutivos) a impedancia Z será:
R L

𝑍 = √𝑅2 + 𝑋𝐿2

Ao aplicarmos uma tensão U no circuito RL, cada um dos seus componentes fica
submetido a uma d.d.p, esta é diretamente proporcional à sua resistência ou à
sua reatância:

𝑈𝑅 = 𝑅 · 𝐼 𝑒 𝑈𝐿 = 𝑋𝐿 · 𝐼

A tensão aplicada ao circuito é igual à soma aritmética das tensões UR e UL:

𝑈 2 (𝑡) = 𝑈𝑅2 (𝑡) + 𝑈𝐿2 (𝑡)

8
CIRCUITO RC

A reatância capacitiva XC de um condensador depende da frequência f, e da ca-


pacidade do condensador C, sendo dada por:

1 1
𝑋𝐶 = =
𝜔 · 𝐶 2𝜋 · 𝑓 · 𝐶

com:

 f – frequência (Hertz – Hz)


 C – capacidade (farad – F)
 XC – reatância capacitiva (ohm – Ω)

Se estivermos perante um circuito RC (composto por elementos resistivos em


série com um ou mais condensadores) a impedancia Z será:
R C

𝑍 = √𝑅2 + 𝑋𝐶2

Ao aplicarmos uma tensão U no circuito RC, cada um dos seus componentes fica
submetido a uma d.d.p, esta é diretamente proporcional à sua resistência ou à
sua reatância:

𝑈𝑅 = 𝑅 · 𝐼 𝑒 𝑈𝐶 = 𝑋𝐶 · 𝐼

A tensão aplicada ao circuito é igual à soma aritmética das tensões UR e UC:

𝑈 2 (𝑡) = 𝑈𝑅2 (𝑡) + 𝑈𝐶2 (𝑡)

9
CIRCUITO RLC

Se estivermos perante um circuito RLC (composto por elementos resistivos, indu-


tivos e capacitivos em série) a impedancia Z será:
R L C

𝑍 = √𝑅2 + (𝑋𝐿 − 𝑋𝐶 )2

Ao aplicarmos uma tensão U no circuito RLC, cada um dos seus componentes


ficam submetidos a uma d.d.p, esta é diretamente proporcional à sua resistência
ou à sua reatância:

𝑈𝑅 = 𝑅 · 𝐼 » 𝑈𝐿 = 𝑋𝐿 · 𝐼 » 𝑈𝐶 = 𝑋𝐶 · 𝐼

Aplicando o Teorema de Pitágoras:

𝑈(𝑡) = √𝑈𝑅2 (𝑡) + (𝑈𝐿 (𝑡) − 𝑈𝐶 (𝑡))2

10
CIRCUITO RL - FÓRMULAS

𝑋𝐿 = 2𝜋 · 𝑓 · 𝐿

𝑈 𝑈
𝑈 = 𝑍·𝐼 » 𝐼= » 𝑍=
𝑍 𝐼

𝑈𝑅 = 𝑅 · 𝐼 » 𝑈𝐿 = 𝑋𝐿 · 𝐼

𝑍 = √𝑅 2 + 𝑋𝐿2 » 𝑋𝐿 = √𝑍 2 − 𝑅2 » 𝑅 = √𝑍 2 − 𝑋𝐿2

𝑅 𝑅
cos 𝜑 = » 𝑅 = 𝑍 · cos 𝜑 » 𝑍=
𝑍 cos 𝜑

𝑋𝐿 𝑋𝐿
sen 𝜑 = » 𝑋𝐿 = 𝑍 · sen 𝜑 » 𝑍=
𝑍 sen 𝜑

𝑋𝐿 𝑋𝐿
tg 𝜑 = » 𝑋𝐿 = 𝑅 · tg 𝜑 » 𝑅=
𝑅 tg 𝜑

CIRCUITO RC - FÓRMULAS

1 1
𝑋𝐶 = =
𝜔 · 𝐶 2𝜋 · 𝑓 · 𝐶

𝑈 𝑈
𝑈 = 𝑍·𝐼 » 𝐼= » 𝑍=
𝑍 𝐼

𝑈𝑅 = 𝑅 · 𝐼 » 𝑈𝐶 = 𝑋𝐶 · 𝐼

𝑍 = √𝑅 2 + 𝑋𝐶2 » 𝑋𝐶 = √𝑍 2 − 𝑅2 » 𝑅 = √𝑍 2 − 𝑋𝐶2

𝑅 𝑅
cos 𝜑 = » 𝑅 = 𝑍 · cos 𝜑 » 𝑍=
𝑍 cos 𝜑

11
𝑋𝐶 𝑋𝐶
sen 𝜑 = » 𝑋𝐶 = 𝑍 · sen 𝜑 » 𝑍=
𝑍 sen 𝜑

𝑋𝐶 𝑋𝐶
tg 𝜑 = » 𝑋𝐶 = 𝑅 · tg 𝜑 » 𝑅=
𝑅 tg 𝜑

CIRCUITO RLC - FÓRMULAS

𝑋𝐿 = 2𝜋 · 𝑓 · 𝐿

1 1
𝑋𝐶 = =
𝜔 · 𝐶 2𝜋 · 𝑓 · 𝐶

𝑈 𝑈
𝑈 = 𝑍·𝐼 » 𝐼= » 𝑍=
𝑍 𝐼

𝑈𝑅 = 𝑅 · 𝐼 » 𝑈𝐿 = 𝑋𝐿 · 𝐼 » 𝑈𝐶 = 𝑋𝐶 · 𝐼

𝑍 = √𝑅2 + (𝑋𝐿 − 𝑋𝐶 )2

𝑅 𝑈𝑅
cos 𝜑 = » cos 𝜑 =
𝑍 𝑈

𝑋𝐿 − 𝑋𝐶 𝑈𝐿 − 𝑈𝐶
sen 𝜑 = » sen 𝜑 =
𝑍 𝑈

𝑋𝐿 − 𝑋𝐶 𝑈𝐿 − 𝑈𝐶
tg 𝜑 = » tg 𝜑 =
𝑅 𝑈𝑅

12
PROBLEMAS

1. Um circuito RL composto por uma bobina com uma indutância L = 1H e


uma resistência R = 100Ω, é alimentada por uma tensão U = 230V – 50 Hz.
Determine:

1.1. A reatância da bobina.

𝑋𝐿 = 2𝜋 · 𝑓 · 𝐿 = 2𝜋 · 50 · 1 = 314.159Ω

1.2. A impedância da bobina.

𝑍 = √𝑅2 + 𝑋𝐿2 = √1002 + 314.1592 = 329.69Ω

1.3. A intensidade absorvida.

𝑈 230
𝐼= = = 0.70𝐴
𝑍 329.69

1.4. As tensões UR e UL.

𝑈𝑅 = 𝑅 · 𝐼 = 100 · 0.70 = 70𝑉

𝑈𝐿 = 𝑋𝐿 · 𝐼 = 314.159 · 0.70 = 220𝑉

1.5. O fator potência do circuito.

𝑅 100
cos 𝜑 = = = 0.99
𝑍 329.69

13
2. Um circuito composto por uma resistência R = 110Ω associada em série
com um condensador com uma capacidade C = 15μF é alimentado por
uma tensão U = 140V – 50Hz. Determine:

2.1. A reatância capacitiva.

1 1 1
𝑋𝐶 = = = = 212.20Ω
𝜔 · 𝐶 2𝜋 · 𝑓 · 𝐶 2𝜋 · 50 · 15 · 10−6

2.2. A impedancia do circuito.

𝑍 = √𝑅2 + 𝑋𝐶2 = √1102 + 212.202 = 239.02Ω

3. Considerando o circuito seguinte, determine a reatância indutiva, a


reatância capacitiva, a impedancia do circuito e a intensidade absorvida.

𝑋𝐿 = 2𝜋 · 𝑓 · 𝐿 = 2𝜋 · 50 · 0.5 = 157.07Ω

1 1 1
𝑋𝐶 = = = = 21.22Ω
𝜔 · 𝐶 2𝜋 · 𝑓 · 𝐶 2𝜋 · 50 · 150 · 10−6

𝑍 = √𝑅2 + (𝑋𝐿 − 𝑋𝐶 )2 = √502 + (157.07 − 21.22)2 = 144.75Ω

𝑈 100
𝐼= = = 0.69𝐴
𝑍 144.75

14