Você está na página 1de 4

Prova bimestral 3 integrado 2 bimestre sociologia

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO


O texto abaixo, de John Locke(1632-1704), revela algumas características uma determinada corrente
de pensamento.

"Se o homem no estado de natureza é tão livre, conforme dissemos, se é senhor absoluto da sua
própria pessoa e posses, igual ao maior e a ninguém sujeito, por que abrirá ele mão dessa liberdade,
por que abandonará o seu império e sujeitar-se ao domínio e controle de qualquer outro poder?
Ao que é óbvio responder que, embora no estado natureza tenha tal direito, a utilização do mesmo é
muito incerta e está constantemente exposto à invasão terceiros porque, sendo todos senhores tanto
quanto ele, todo homem igual a ele e, na maior parte, pouco observadores da eqüidade e da justiça, o
proveito da propriedade que possui nesse estado é muito inseguro e muito arriscado. Estas
circunstâncias obrigam-no abandonar uma condição que, embora livre, está cheia de temores e
perigos constantes; e não é sem razão que procura de boa vontade juntar-se em sociedade com
outros estão já unidos, ou pretendem unir-se, para a mútua conservação da vida, da liberdade e dos
bens a que chamo de propriedade."
("Os Pensadores." São Paulo: Nova Cultural, 1991

1. Do ponto de vista político, podemos considerar o texto como uma tentativa justificar:
a) a existência do governo como um poder oriundo da natureza.
b) a origem do governo como uma propriedade do rei.
c) o absolutismo monárquico como uma imposição da natureza humana.
d) a origem do governo como uma proteção à vida, aos bens e aos direitos.
e) o poder dos governantes, colocando a liberdade individual acima da propriedade.

2. O Marquês de Pombal, ministro do rei D. José I (1750-1777), foi o responsável por uma série de
reformas na economia, educação e administração do Estado e do império português, inspiradas na
filosofia iluminista e na política econômica do mercantilismo, cabendo a ele a expulsão dos padres
jesuítas da Companhia de Jesus dos domínios de Portugal.
O Marquês de Pombal foi um dos representantes do chamado:
a) Despotismo Esclarecido.
b) Socialismo Utópico.
c) Socialismo Científico.
d) Liberalismo.
e) Parlamentarismo Monárquico.

3. Assinale a opção em que se encontra corretamente identificado um dos preceitos fundamentais da


Fisiocracia:
a) "O ouro e a prata suprem as necessidades de todos os homens."
b) "Os meios ordinários, portanto, para aumentar nossa riqueza e tesouro são o comércio exterior."
c) "Que o soberano e a nação jamais se esqueçam de que a terra é a única fonte de riqueza e de que
a agricultura é que a multiplica."
d) "Todo comércio consiste em diminuir os direitos de entrada das mercadorias que servem às
manufaturas interiores (...)"
e) "As manufaturas produzirão benefícios em dinheiro, o que é o único fim do comércio e o único
meio de aumentar a grandeza e o poderio do Estado."
4. O liberalismo, enquanto uma doutrina fundamentalmente racionalista, se opõe, EXCETO:
a) ao jugo da autoridade.
b) ao respeito cego pelo passado.
c) ao império do preconceito.
d) aos impulsos do instinto.
e) ao domínio do individualismo.

5. O Iluminismo representa a visão de mundo da intelectualidade do século XVIII, NÃO podendo ser
apontado como parte do seu ideário:
a) combate às injustiças sociais e aos privilégios aristocráticos.
b) fortalecimento do Estado e o cerceamento das liberdades.
c) o anticolonialismo e o repúdio declarado à escravidão.
d) o triunfo da razão sobre a ignorância e a superstição.
e) o anticlericalismo e a oposição à intolerância religiosa.

6. "Todo homem, contanto que não transgrida as leis da justiça, permanece plenamente livre para
seguir a estrada apontada por seu interesse e para levar onde lhe aprouver, sua indústria e seu
capital, juntamente com aqueles, de qualquer outra classe de homens."
(SMITH, Adam, "Textes Choisis." Paris, Dalloz, 1950, p.275).

Este texto apresenta a máxima do liberalismo inglês do século XVIII, pressupondo que a noção de
liberdade ligava-se ao reino da Natureza, sem vinculações com a problemática do espaço.
Assinale a opção que se identifica, corretamente, com o pensamento de Adam Smith.
a) As atitudes políticas dos cidadãos, em particular sua liberdade de escolher seus representantes,
era tema de interesse vital para os liberais do século XVIII, mormente em face dos primeiros
movimentos operários.
b) A idéia de "nação", como um espaço socialmente construído, é um dos fundamentos do liberalismo
do século XVIII.
c) O conceito de "nação" está intimamente ligado ao "princípio da nacionalidade" formulado no século
XVIII.
d) Até o final do século XIX o termo "nação" significava, simplesmente, o conjunto de habitantes de
uma província, de um país ou de um reino, pertencendo muito mais ao domínio da Natureza.
e) O pensamento liberal parte do reconhecimento do valor e importância da cooperação humana
mediante a forte presença do Estado.

7. O século XVIII é conhecido como o "século das luzes". Durante aquele período, as realizações no
campo da filosofia, das letras e da ciência alimentavam esperanças de que a razão humana pudesse
remodelar as instituições sociais e políticas, eliminando as injustiças e as superstições. Por
DESPOTISMO ILUSTRADO entende-se:
a) o novo conjunto de idéias filosóficas, políticas e sociais que emergem durante os séculos XVII e
XVIII como crítica ao Estado absoluto.
b) um estilo de governo, em voga entre os "reis filósofos" do século XVIII, que pretendia reformar
"pelo alto" as instituições consideradas antiquadas.
c) o mesmo que liberalismo, defendendo a ampliação dos direitos civis e liberdades políticas dos
cidadãos.
d) a eliminação, na filosofia e na ciência, de toda explicação ou argumento de fundo religioso, mágico
ou metafísico.
e) as formas de governo características de países do Oriente como a Pérsia, a Índia e a China.
8. Os patrões não querem saber se ficamos inúteis pelo excesso de serviço. Olhe vá à Marítima, ao
Mercado. Encontrará muitos dos nossos arrebentados, esmolando, apanhando restos de comida.
Quando se aproximam das casas às quais deram toda a vida, correm-nos!
Que foi fazer lá? Trabalhou? Pagaram-no, rua!
Toda a fraternidade universal se cifra neste horror!
(RIO, João do. In:BARRETO, Paulo. A ALMA ENCANTADORA DAS RUAS. Rio de Janeiro,
Ed. Das Organizações Simões, 1951, p.149)

Esta descrição de um estivador no Rio de Janeiro, da virada do século XIX para o XX, retrata a falta
de assistência recorrente, sob a influência do modelo liberal adotado no Brasil. Segundo os princípios
do laissez faire podemos afirmar corretamente que:
a) o mercado deveria regular a distribuição dos benefícios, sem a intervenção do Estado, refletindo a
distribuição desigual de capacidade e talentos individuais na sociedade.
b) os trabalhadores detinham os privilégios de atendimento do Estado, com assistência à velhice e à
infância provendo o emprego e a moradia da maior parte da população.
c) os operários eram estimulados pelo Estado a se organizar em sindicatos de categoria, garantidos
pela proteção do Estado de bem-estar social e o estímulo ao emprego ocorria com igualdade e
liberdade.
d) os empresários liberais garantiam os benefícios de seus empregados e familiares ainda que não
pudessem mais trabalhar, recebendo subsídios do Estado previdenciários e intervencionista.
e) as elites empresariais, reguladas por leis democráticas de inspiração liberal, garantiam os
benefícios previdenciários de seus empregados, sem a intervenção do Estado.

9. Artigo Primeiro - Os homens nascem e permanecem livres e iguais em direitos: as distinções


sociais não podem ser fundamentadas senão sobre a utilidade comum.
(Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão - 1789)

A Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão é um manifesto de inspiração Iluminista contra a


sociedade hierárquica e, fundamentalmente, consolidador das exigências burguesas. É um
documento liberal na sua essência, pois:
a) distingue liberdade civil e igualdade perante a lei.
b) afirma a existência de desigualdades que são vistas como naturais.
c) afirma a indissociabilidade entre igualdade política e igualdade social.
d) afirma que as distinções sociais são empecilhos ao desenvolvimento econômico.
e) assegura uma não-representatividade para os setores burgueses ligados ao comércio.

10. "A existência de um texto constitucional é um dos critérios pelos quais se pode reconhecer o
liberalismo de uma sociedade política (...) Em segundo lugar, essas constituições tendem, todas, a
limitar o poder. Trata-se mesmo de sua razão de ser. Todas têm em comum o fato de traçarem as
fronteiras, de determinarem os limites de sua ação. O liberalismo define-se por sua oposição à noção
de absolutismo (...)
(...) o liberalismo é a expressão, isto é, o álibi, a máscara dos interesses de uma classe."
(REMOND, René. "Introdução à história de nosso tempo: o século XIX (1815-1914)". São
Paulo, Cultrix, 1976, p.40 e p.30)

Utilizando os fragmentos anteriores, podemos afirmar que o liberalismo, no século XIX, significou a:
a) adequação ao regime monárquico e a promoção da burguesia.
b) oposição ao mercantilismo e à burguesia.
c) defesa do absolutismo e a oposição ao clero.
d) defesa do enriquecimento e da aliança com a Igreja.
e) defesa do voto universal e da sociedade aristocrática.
GABARITO

1. [D]

2. [A]

3. [C]

4. [E]

5. [B]

6. [D]

7. [B]

8. [A]

9. [B]

10. [A]