Você está na página 1de 15

Sumário Executivo - 2019

DIRETORIA

Diretor-Presidente Substituto
Juliano Alcântara Noman

Diretor Substituto
Ricardo Bisinotto Catanant

Diretor Substituto
Tiago Sousa Pereira

Diretor Substituto
Rafael José Botelho Faria

EQUIPE TÉCNICA RESPONSÁVEL

Superintendente de Acompanhamento de Serviços Aéreos Substituta


Ana Paula Cunha Machado Cavalcante

Gerente de Acompanhamento de Mercado


Roberto da Rosa Costa

Gerente Técnico de Análise Econômica Gerente Técnico de Análise Estatística


Luiz André de Abreu Cruvinel Gordo Vitor Caixeta Santos

Especialistas em Regulação de Aviação Civil Especialistas em Regulação de Aviação Civil


Arlley Pereira de Araujo Carlos César Gadelha Dantas
Cláudio Roberto Correia Silva Guilherme Gontijo Adame
Domingos Sávio Evandro da Silva Murilo Sakai
Felemon Gomes Boaventura Paula Cristina de Oliveira Guimarães
Flávia Macedo Rocha de Godoi Rafael Oliveira de Castro Alves
José Humberto Borges Júnior Thiago Juntolli Vilhena

Secretária
Waleska dos Santos Cabral

Apoio
Assessoria de Comunicação Social
Superintendência de Tecnologia da Informação
Anuário do Transporte Aéreo
2019

ENDEREÇO
Agência Nacional de Aviação Civil – ANAC
Superintendência de Acompanhamento de Serviços Aéreos – SAS
Gerência de Acompanhamento de Mercado – GEAC
Setor Comercial Sul, Quadra 9, Lote C
Edifício Parque da Cidade Corporate, Torre A, 5º andar
CEP 70308-200, Brasília/DF, Brasil
Contatos: www.anac.gov.br/faleanac, 163

É permitida a reprodução do conteúdo deste Anuário, desde que mencionada a fonte:


Anuário do Transporte Aéreo 2019, Agência Nacional de Aviação Civil.

Todas as informações monetárias estão expressas em reais, salvo indicação em


contrário.

Não são citadas as fontes das figuras, dos quadros e das tabelas de autoria da Agência
Nacional de Aviação Civil.

As informações divulgadas estão sujeitas a alterações.

Brasília, DF, 11 de agosto de 2020.


Sumário Executivo
O ano de 2019 foi marcado pela saída do mercado da Avianca Brasil. A empresa, que
transportou aproximadamente 12% dos passageiros domésticos e 3% dos passageiros
internacionais em 2018, e teve suas operações suspensas em 24 de maio de 2019.

O Mercado Aéreo brasileiro apresentou uma redução do número de decolagens.


Somando-se os mercados doméstico e internacional, foram realizados 951 mil voos
regulares e não-regulares, valor um pouco abaixo do observado em 2010 e que representa
queda de 1,7% com relação a 2018. Já o número de passageiros transportados apresentou
seu terceiro ano consecutivo de alta, após queda em 2016, e atingiu 119,4 milhões de
passageiros domésticos e internacionais, maior marca da série.

Passageiros Pagos e Decolagens - mercados doméstico e


internacional
1.132
140 119 1.200
961

Milhares de decolagens
Milhões de passageiros

120 1.000
100 800
951
80
pagos

85 600
60
40 400
20 200
- -
2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019

Passageiros Pagos Decolagens

No mercado doméstico, foram realizados 804,9 mil voos (redução de 1,4%) e


transportados 95,3 milhões de passageiros (alta de 1,8%). Já a demanda e oferta medidas
pelo RPK (passageiro-quilômetro transportado) e ASK (assento-quilômetro ofertado)
apresentaram alta de 0,8% e queda de 0,9%, respectivamente. O aproveitamento das
aeronaves (RPK/ASK) ficou em 82,7%, aumento de 1,7% em relação ao observado em
2018.

O mercado internacional apresentou, também, redução na oferta em 2019, tendo sido


realizado 145,7 mil voos (-3%), enquanto o número de passageiros transportados
manteve-se estável em 24,1 milhões. Considerando-se os indicadores ASK e RPK, houve
queda de 1,7% na oferta e aumento de 1,14% na demanda, resultando em um aumento no
aproveitamento das aeronaves, de 82,0% para 84,3%.
Decolagens - Doméstico e Internacional

958,1 990,8
Milhares de decolagens

946,7 941,9 935,7


844,7 828,9 805,5 816,0 804,9
733,6

100,0 116,5 134,7 141,3 142,4 148,1 147,1 135,9 134,8 150,8 145,7

2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019

Doméstico Internacional

Passageiros Pagos - Doméstico e Internacional


Milhões de Passageiros

95,8 96,1 93,6 95,3


88,5 90,0 88,6 90,6
81,9
70,0

19,8 21,3 21,5 20,9 21,9 24,1 24,1


15,4 17,9 18,9

2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019

Doméstico Internacional

Aproveitamento (RPK/ASK) - Doméstico e Internacional


100%
84,3%
79%
80%
82,7%
68% 60%

40%

20%

0%
2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019

Doméstico Internacional

Considerando as operações domésticas, a empresa Gol manteve a maior participação no


mercado doméstico de passageiro, com 34,2 milhões de passageiros, seguida por Latam,
Azul e Avianca. Observa-se, ainda, expressivo aumento no número de passageiros
transportados pelas três maiores empresas, o que se deve, em parte, ao fim das operações
da Avianca Brasil a partir do mês de junho e a redistribuição de sua demanda.

Milhões de Passageiros Transportados - Doméstico

1,5 0,7 0,7


3,1
8,0 1,1 0,8
10,6 11,6
9,2
20,2 25,7
19,4 20,7 21,3

31,4 31,5
28,7 28,1 28,5

35,0 30,2 30,4 31,5 34,2

2015 2016 2017 2018 2019

Gol Latam Azul Avianca Outras

Gol, Latam e Azul aumentaram seus números de passageiros transportados em 8%, 11%
e 21%, respectivamente. Comportamento similar, porém em menor grau, pode ser
observado na quantidade de voos realizados.

Variação na quantidade de passageiros - Doméstico

17% 21%
16%
Milhões de Passageiros

14%
7% 4% 1% 3%
9% 8% 11%
1% 1%

-2% -2% -4% -2%


-9%
-14%

-73%
2015 2016 2017 2018 2019

Gol Latam Azul Avianca


Variação na quantidade de decolagens - Doméstico
12,9% 12,7%
5,6% 7,9% 8,1%
2,0%0,1% 2,7%
Milhares de Decolagens

-0,2%
-7,2% -4,2%-4,2%-1,6%
-12,2%
-17,4%

-72,6%
2016 2017 2018 2019

Gol Latam Azul Avianca

Mesmo com a saída da Avianca, que detinha 12% do mercado doméstico de passageiros
em 2018, houve um aumento de 1,6 milhão no número de passageiros transportados em
2019.

No segundo semestre de 2018 houve 123 rotas nas quais a Avianca realizou ao menos 1
voo por semana em média1. Nas mesmas rotas no segundo semestre de 2019, após o fim
das operações da empresa, observou-se que 29 apresentaram aumento no número de voos
(+18% em média) e em 90 houve redução (-17% em média).

1
Ao menos 26 voos no segundo semestre de 2018
Rotas com ao menos 1 voo da Avianca por semana em média no 2º semestre de 2018
Quantidade de Rotas Var. média nos voos no 2º sem '19 Passageiros no 2º sem. 2018
Rotas com aumento 29 +18% 25,0%
Rotas com redução 90 -17% 74,5%
Rotas Desassistidas 4 -100% 0,4%
Total 123 -6% 100%

Apenas 4 rotas deste grupo não apresentaram voos no segundo semestre de 2019. Estas 4
somavam 0,4% dos passageiros do grupo de 123 rotas.

O número de aeroportos atendidos* no ano passou de 122 em 2018 para 128 em 2019,
movimento explicado principalmente pela expansão da atuação da empresa Two Táxi
Aéreo LTDA em aeroportos fora do estado de Minas Gerais.

Aeroportos atendidos* no ano


UF 2018 2019 UF 2018 2019
MG 22 16 GO 3 3
PA 7 11 RN 2 2
SP 9 10 MA 2 2
BA 10 10 TO 2 2
AM 9 10 PI 2 2
MT 6 9 PB 2 2
PR 6 8 AC 2 2
RS 7 7 AP 1 1
SC 6 6 DF 1 1
MS 5 5 AL 1 1
RJ 4 4 ES 1 1
RO 4 4 RR 1 1
CE 3 4 SE 1 1
PE 3 3 TOTAL 122 128
*aeroportos onde durante pelo menos 6 meses consecutivos no ano houve operações com oferta pública de
passageiros em ao menos três semanas de cada mês considerando o mesmo tipo de operação (pouso ou
decolagem)
O percentual de passageiros que embarcaram em aeroportos com menos de 3 empresas
domésticas regulares de passageiros operando foi de 4%. Já do ponto de vista das rotas,
considerando voos diretos ou com escala, 23% dos passageiros voaram em trechos
operados por apenas 1 empresa de passageiros.

PERCENTUAL DE PASSAGEIROS PELO NÚMERO DE PERCENTUAL DE PASSAGEIROS PELO NÚMERO DE


EMPRESAS REGULARES DE PASSAGEIRO OPERANDO EMPRESAS REGULARES OPERANDO VOOS DIRETOS
NO AEROPORTO DE EMBARQUE - DOMÉSTICO OU COM ESCALA NA ROTA
5 ou mais 1 empresa 2 empresas 4 ou mais
empresas 1% empresas;
3% 1 empresa;
18% 7%
23%
3 empresas
38%

3 empresas;
38%

4 empresas 2 empresas;
40% 31%

Já no mercado internacional, tanto as empresas brasileiras quanto as estrangeiras


apresentaram redução na quantidade de decolagens da ordem de 3%. Entretanto as
estrangeiras transportarem 1,7% mais passageiros, enquanto as brasileiras obtiveram uma
redução de 2,6% neste indicador. O resultado foi uma participação de 38% das empresas
brasileiras no número de passageiros internacionais transportado em 2019.

Milhates de Decolagens - Internacional Milhões de Passageiros Transportados - Internacional


14,8 15,0
14,3
98,9 13,4 13,5
93,3 90,1
87,8
83,7

9,4 9,1
8,4
57,5 55,6 7,3 7,5
48,2 48,1 51,1

2015 2016 2017 2018 2019 2015 2016 2017 2018 2019

Brasileiras Brasileiras
Market Share Passageiros - Internacional

66% 64% 62% 61% 62%

34% 36% 38% 39% 38%

2015 2016 2017 2018 2019

Brasileiras Estrangeiras

A Tarifa Doméstica Média subiu 8,0% em 2019 com relação ao ano anterior, em termos
reais, enquanto o Yield Doméstico Médio (preço cobrado por quilômetro voado)
aumentou 8,5%. Desde 2011, primeiro ano em que foi feito o registro das tarifas
domésticas comercializadas em todas as rotas regulares, a Tarifa Real Média apresentou
queda de 2,5%, enquanto o Yield Real Médio caiu 14,5%.

Tarifa Real Média Yield Real Médio


455,58 0,428
0,419 0,420
0,406
431,80 435,41 435,18
420,87

396,08 0,358 0,358


388,74 386,49 389,74
0,344
0,333 0,330

2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019

Entre as quatro principais empresas, a Azul apresentou o maior valor médio de yield, de
R$ 0,440. No outro extremo, a Latam apresentou o menor, de R$ 0,315. Os gráficos
abaixo indicam uma relação entre a distância média e o yield médio, todavia tal relação
não deve ser entendida como inequívoca nem absoluta, uma vez que vários fatores
contribuem para a formação dos preços das passagens.

Latam, Gol e Avianca tiveram aumento no yield, com relação a 2018, de +22,0% e
+13,5% e +13,2%, enquanto houve queda na Azul (-5,9%).
Yield Real por empresa
R$ 0,60
0,467 0,467
R$ 0,50 0,440
0,420 0,395
0,367 0,349
R$ 0,40 0,413
0,342
0,302
R$ 0,30
0,315
R$ 0,20 0,259
R$ 0,10

R$ 0,00
2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019

Gol Latam Azul Avianca

Distância média por empresa


1.258

1.168

1.093 1.096

2019

Latam Gol Avianca Azul

Quase a metade (46%) dos bilhetes comercializados ao público geral ficou abaixo de R$
300 enquanto 7% foram vendidas a preços acima de R$ 1.000.

PERCENTUAL DE BILHETES COMERCIALIZADOS


7%

15%

até R$300
46% R$ 300 a R$ 600
R$ 600 a R$ 1.000
maior que R$ 1.000

32%
As Receitas e os Custos e Despesas de voo aumentaram em 2019, na ordem de +6,8% e
+7,9%, respectivamente. Já as Receitas por Assento-quilômetro ofertado (RASK) e os
Custos e Despesas por Assento-quilômetro ofertado (CASK) subiram em +8,2% e +9,3%.

Receitas, Custos e Despesas de voo


R$ 0,350 50

Bilhões
45
R$ 0,300 R$ 0,275
R$ 0,254 40
R$ 0,250 35
R$ 0,238 30
R$ 0,200
25
46,0 43,6
R$ 0,150 43,1
40,4 20
35,2 35,0 35,5 34,0 37,8
34,6
R$ 0,100 15
10
R$ 0,050
5
R$ 0,000 -
2015 2016 2017 2018 2019

Receita de Voo Custos e Despesas de voo RASK CASK

Observa-se, ainda, um aumento na participação das receitas com despacho de bagagem,


que passaram a representar 2,1% das receitas de voo da indústria, ante 0,8% em 2016,
quando havia uma franquia mínima obrigatória regulamentada pelo Estado.

Composição das Receitas


0,8% 0,8% 1,1% 1,8% 2,1%

17% 15% 15% 15% 14%

82% 84% 84% 84% 84%

2015 2016 2017 2018 2019

Passagem Demais receitas de voo Despacho de Bagagem


Os itens mais significativos nos custos e despesas de voo das empresas foram
Combustível (30%), Seguro, Arrendamento e Manutenção das Aeronaves (11%) e
Pessoal (16%).

Composição dos Custos e Despesas

13% 14% 12% 12%


16%

20% Despesas Operacionais


21% 20% 27% 30%
Demais Custos
16% 18%
15% 16%
16% Pessoal

21% 12%
23% 20% 11% Seguro, Arrendamento e
Manutenção das aeronaves
Combustível
29% 33% 30%
25% 27%

2015 2016 2017 2018 2019

Assim, as empresas brasileiras obtiveram, em 2019, um lucro de 1,14 bilhões de reais,


representando uma melhora em relação ao prejuízo de 3,4 bilhões obtido em 2018. Entre
as quatro maiores, apenas a empresa Avianca apresentou resultado líquido negativo em
2019.

Resultado Líquido
1.135
413

-1.602

-3.393

-5.872

2015 2016 2017 2018 2019


Resultado Líquido (Milhões de R$)
591 498
121 279 42 214

-12 -71 -29 -118


-305 -492
-755 -651-549 -815-886
-1.168
-1.571

-3.494
2015 2016 2017 2018 2019

Gol Latam Azul Avianca

Um relatório contendo maior detalhamento dos dados aqui apresentados, com diversos
níveis de agregação e abrangência temporal também está disponível no portal da ANAC
(https://www.anac.gov.br/assuntos/dados-e-estatisticas/mercado-de-transporte-
aereo/anuario-do-transporte-aereo). Além disso, as bases de dados utilizadas para a
confecção podem ser acessadas na seção “Dados e Estatísticas” do portal:
www.anac.gov.br.

Espera-se que as informações apresentadas no Anuário do Transporte Aéreo ampliem o


conhecimento da sociedade brasileira e subsidiem a realização de pesquisas, estudos e
análises mais abrangentes sobre o setor.

As informações apresentadas são apuradas com base em dados periodicamente


registrados pelas empresas aéreas na ANAC, nos termos da regulamentação vigente. Os
dados são submetidos a críticas, validações e procedimentos de auditoria pela Agência,
no intuito de alcançar o maior nível de consistência possível. Assim, os dados estão
sujeitos a revisões, correções e alterações e podem apresentar diferenças em relação
àqueles divulgados em versões anteriores do Anuário.

Reclamações, denúncias, sugestões, críticas e elogios relacionados ao Anuário do


Transporte Aéreo podem ser registrados no sistema Fale com a ANAC, acessível por meio
da página da Agência na internet ou do telefone 163.

Superintendência de Acompanhamento de Serviços Aéreos


15