Posicionamento Radiográfico

Sandra Regina Moreira

Crânio-Caudal . Deve-se suspender a mama até o seu ponto de mobilidade máxima. efetuar a compressão. e a linha pontilhada representa a mama em sua posição relaxada. é possível tracionar com mais eficiência a mama. Toma-se o cuidado de tracioná-la para que não seja excluída nenhuma região. Como a mama possui uma certa mobilidade em relação à caixa torácica. daí. sem soltá-la.a linha pontilhada representa a mama em sua posição relaxada e. . ilustra a mobilidade máxima da mama. tracioná-la. Após suspender a mama deve-se tracioná-la e.CC A mama é projetada com feixe de raios-X indo da cabeça em direção aos pés. A radiografia com a mama na posição relaxada não possibilita um bom posicionamento. levando o chassis até o vértice da mama com a parede do abdômen (sulco inframamário) e.Posicionamento Mamográfico 1. Esquema da mobilidade máxima da mama . A figura abaixo. após a sua suspensão. devemos lançar mão desse recurso para um melhor posicionamento em CC.

mantendo o braço e o ombro relaxados. quando mal posicionado poderá criar uma imagem de falso nódulo e prejudicar a interpretação do exame. automaticamente virá uma porção maior da mama para o campo de estudo. dessa forma.Truques & Dicas Solicitar para a paciente apoiar a mão à frente da bandeja. . de modo que todo o seu corpo fique alinhado. pois. A paciente deve estar posicionada de frente para o equipamento. Deve-se evitar que o mamilo fique voltado para cima ou para baixo. A técnica traciona a mama com uma das mãos e usa a outra mão para impedir que a paciente leve o corpo para trás. evitando-se erros posturais. Como o mamilo é uma estrutura de maior densidade.

A angulação do tubo de raios X pode variar de 45 a 60 graus de acordo com o eixo da mama da paciente na sua caixa torácica. pois ela penderá e deixará de ficar bem posicionada . Enquanto a mama não estiver totalmente comprimida a técnica não deve soltá-la. orientando-a para apoiar a mão na lateral do aparelho e manter a musculatura do braço e ombro relaxada. Para isso. A técnica em Radiologia encontrará dificuldades para executar o posicionamento no caso de angulações incorretas. Essa escolha é importante para que se possa incluir parte da região axilar e do músculo peitoral na radiografia. deve elevar o braço da paciente e depositá-lo sobre a lateral do bucky. ou seja. de acordo com o biótipo de cada paciente. pois isso implicaria na contração da musculatura e um aumento na dificuldade de se executar esse posicionamento. a técnica se dirigi para a frente da paciente e começa a tracionar a mama. mentalmente. tomando o cuidado de posicionar o terço posterior da axila no canto do bucky. Após esse procedimento. desde a sua porção mais lateral. ainda posicionada por trás. Após a escolha da angulação do equipamento. Deve-se atentar para o ombro e cotovelo do paciente não estejam erguidos.2. pois surgiram problemas como dobras de pele ou exclusão de áreas importantes ao exame. Durante o posicionamento paciente não pode recuar o corpo ou contrair sua musculatura. Com a outra mão sobre o ombro da paciente. Com uma das mãos. Em seguida a técnica. tracionar para a frente e suspender a mama. Médio-Lateral-Oblíqua . deve-se escolher o ponto onde deverá ser colocado o canto do bucky.MLO A mama é projetada com o feixe de raios X indo da região medial para a lateral oblíqua. e mantendo o ombro relaxado sobre o bucky. abraçando-a. deve-se dividir a axila da paciente em três partes. colocando-se o canto do bucky no seu terço posterior. efetuando a compressão.

se for traçada uma linha imaginária do vértice do peitoral até o mamilo. O método mais fácil é primeiro localizar a área na imagem (radiografia). Pelo fato de usar um compressor pequeno. Alguns sinais podem indicar que a mama foi bem posicionada: aparecer o sulco inframamário e. 3. Cabe lembrar que a compressão seletiva pode ser realizada em qualquer projeção: CC. É feita usando-se um compressor pequeno. Repetir a mesma medição na mama e assinalar com uma caneta esferográfica. a localização da área de interesse é importante. poderá criar uma imagem de falso nódulo e prejudicar a interpretação do exame. quando mal posicionado. Como o mamilo é uma estrutura de maior densidade. Imagem MLO bem posicionada. usando os próprios dedos. Em seguida. MLO. a área assinalada. medir quanto está área dista do mamilo. por exemplo.Truques & Dicas Na MLO deve-se evitar que o mamilo fique voltado para frente ou para trás. etc. com compressor pequeno. como. esta linha deve ser paralela à borda inferior do filme. que pode ser quadrado ou redondo. Esse compressor tem por finalidade dissociar estruturas que possam estar causando dúvidas. uma densidade assimétrica. . Compressão Seletiva A compressão seletiva é usada com ou sem ampliação. Finalmente comprimir.

elevando-se o chassis de modo que a porção lateral da mama fique elevada e o corpo da paciente é girado a fim de que a porção lateral da mama seja radiografada. que faz com que aumente a distância objetofilme. O tubo de raios X deve ser agulado cerca de 5 graus. 5. .CCE Todo o parênquima precisa ser visualizado na incidência crânio-caudal. de modo que a região lateral da mama possa ser tracionada e radiografada. Magnificação com compressão seletiva. deve-se proceder à radiografia crânio-caudal exagerada. maior será o fator de ampliação da imagem mamografica. erguendo o lado referente à mama que será radiografada. Magnificação com Compressão Seletiva Quando em algumas das incidências da rotina básica aparecer imagem suspeita (microcalcificação. Paciente posicionada em incidência crânio-caudal exagerada. Crânio-Caudal Exagerada .4. girando o corpo da paciente. densidade assimétrica ou imagem nodular). ou quando houver suspeita de nódulo em região lateral da mama. é necessário fazer uma radiografia com magnificação (ampliação) e compressão seletiva. Observe o acessório de magnificação. onde o tubo deve ser angulado cerca de 5 graus. Quando isso não acontece. Quanto maior for a distância objeto-filme. Posicionar a paciente como em uma radiografia crânio-caudal.

assim. Clivagem Esta incidência tem por finalidade radiografar a parte medial da mama. a técnica manual. a região medial da mama que se está radiografando deve estar sobre a célula foto-elétrica 1. . após isso. Observe que. tracionar as duas mamas. Mama "Rolada" Esta incidência tem por finalidade desfazer imagens suspeitas que possam ter sido "criadas" pela somatória de duas ou mais estruturas. A mama é posicionada em projeção crânio-caudal e "rolada" para a direita ou para a esquerda e. a técnica pode ser colocada atrás da paciente e. Dessa forma podese radiografar a região medial que. é efetuada a compressão. sim. Neste caso. pois o equipamento selecionará parâmetros técnicos para o ar. a incidência "rolada" poderá ser útil para dissociar as imagens. 7. neste caso. não é visibilizada. Vemos a mama esquerda posicionada. na incidência crânio-caudal. Célula foto-elétrica posicionada no espaço entre as duas mamas (note a "meia-lua"). Note que. Este posicionamento é feito tracionando-se as duas mamas em conjunto. com as duas mãos. para que seja possível usar a técnica automática do equipamento. não será possível usar a técnica automática do equipamento e. Para facilitar a execução do posicionamento.6. as estruturas que se encontram na região superior da mama se projetarão na região medial do filme e as estruturas que se encontram na região inferior da mama se projetarão na região lateral do filme.

LM Se na incidências básicas (CC e MLO) forem vistas calcificações puntiformes e esparsas. 8. sugere-se realizar a incidência em perfil. lateralmente. Sem se mexer nos marcadores. Perfil ML . com o tubo angulado em 90 graus e com ampliação. .o feixe de raios X vai da região lateral para a medial e o bucky fica posicionado na região medial da paciente.Para efeito didático. foi feito o rolamento da mama. bilateralmente. chamada de tea cup (xícara de chá ou leite de cálcio). foram colocados dois marcadores. um acima do mamilo e outro abaixo. de modo que a região superior foi deslocada medialmente e a região inferior. Após o "rolamento" da mama é feita a compressão e. na tentativa de se caracterizar a formação de imagens típicas de "meia-lua". em projeções médio-lateral e látero-medial.o feixe de raios X vai da região medial para a lateral e o bucky fica posicionado na região lateral da paciente Látero-Medial . Incidências em perfil absoluto (90 graus). Médio-Lateral . em seguida. a radiografia sem os marcadores metálicos.

porém.Axilar Esta incidência pode ser útil quando há suspeita de nódulo em região axilar e que não pode ser visibilizada na incidência MLO. 11. Perfil e Ampliação Quando se desejar um maior detalhadamento da imagem. O tubo de raios X é angulado em 45 graus. Emprega-se o mesmo sistema da incidência em prfil com o tubo em 90 graus. permanecendo uma área densa e surgindo um nódulo. aumenta-se a distância foco-filme para que haja a ampliação (magnificação).9. de modo que a parte posterior do braço da paciente fique quase debruçada. mas somente com a região axilar. A mama é comprimida de forma a enfatizar a região lateral. Caso seja necessário. que se encontrava encoberto na incidência anterior. o bucky pode ser angulado de 5 a 15 graus para facilitar o posicionamento de pacientes com menor mobilidade de corpo. como por exemplo. A região da axila e a superior do braço são colocadas sobre o bucky. tentar desfazer densidade assimétrica no quadrante súpero-lateral quando há suspeita de superposição de estruturas. Caudo . A imagem se dissociou. Neste caso não se deve preocupar com a mama. assemelhando-se à posição de Cleópatra deitada sobre o divã (dai o nome da incidência). . Cleópatra Esta incidência tem por finalidade esclarecer imagens duvidosas que possam ter se apresentado na incidência MLO. A paciente é posicionada de modo que seu corpo fique inclinado. 10. pode-se fazer a incidência em perfil com ampliação.

deve ser avaliada de duas formas: tracionando todo o conjunto (mama + prótese) e em manobra de Eklund (ou manobra de mobilização). o sistema automático do aparelho elegerá uma técnica muito alta e a radiografia ficará muito escura.Somente a mama deve ser comprimida e a prótese retirada para fora do campo de radiografia. 2° passo . Esta radiografia tem por finalidade estudar a mama e a parede da prótese. quando não há restrição para tal procedimento. Manobras Eklund . 3° passo .12. 1° passo .A compressão é concluida e o resultado final será uma radiografia onde somente a mama é visualizada. não se pode usar a célula fotoelétrica pois. Restrições para se fazer a manobra de Eklund: • Próteses endurecidas • Próteses aderidas ao parênquima mamário • Próteses com paredes abauladas ou onduladas • Áreas irregulares na parede da prótese Posicionamento da mama com a prótese. com a outra.Com uma das mãos deve-se tracionar somente a mama e. devido à alta densidade do silicone. A mama com implante de silicone. com o padrão fora do esperado. tracionando todo o conjunto (mama + prótese). massagear a prótese para que esta saia do campo da radiografia.Mamas com implante de silicone (prótese) Para se radiografar mamas com implante de silicone. 1° passo 2° passo 3° passo .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful