Você está na página 1de 13

Citologia Oncótica AV2

Citologia das lesões inflamatórias

O que é inflamação? Dor, rubor, calor e edema. O edema consiste no aumento da


permeabilidade vascular para passagem de células inflamatórias, porem ocorre o
extravasamento de liquido extra vascular causando esse sinal da inflamação. A dor existe pelo
aumento da sensibilidade dos neurônios suscetíveis que devido a migração de células de
defesa por quimiotaxia (fatores inflamatórios prostaglandina) aumenta tal sensibilidade.

-A inflamação é um conjunto de fenômenos de reação a qualquer agressão tissular.


Exsutado: liquido inflamatório rico em proteína (pus)
Transudato: liquido vascular extracelular pobre em proteína (bolha)

-O processo inflamatório será um exsudato


inflamatório, podendo ter presença de
células como: leucócitos, histiocitos,
hemácias e muco que modificam o aspecto
do esfregaço e tornam o exame mais difícil.
*Carcinoma: origem no tecido epitelial.

Durante o processo inflamatório pode ter mudança do


tipo celular, principalmente em mulheres com idade
reprodutiva (jovens). Nesse processo há um aumento de
degeneração podendo ter o aumento de células
parabasais (não acontece em qualquer processo
inflamatório, somente naqueles que causam lesões
celulares). *Em problemas hormonais também ocorre.

 Características celulares que indicam processo inflamatório:

Paraqueratose: queratinização anormal do


epitélio escamoso com persistência dos
núcleos circulares nas células superficiais. É
associado frequentemente em condições
inflamatórias.

*Queratina “junta as células”, imagens com coloração forte, mas terá também células normais,
irá ter no fundo da lamina, detritos celulares.
*Polimorfosnuclerares(neutrófilos) e Condensação da cromatina. 2ª imagem
Cariorrex: no processo inflamatório ocorre
condensação da cromatina deixando os
núcleos picnoticos e após ocorre a
degeneração do núcleo, rompimento dos
lisossomos e consequentemente a digestão do
núcleo pelos componentes extravasados do
lisossomo.
*o aumento de vacúolos indica que a célula
está em sofrencia.

Anfofilia e Pseudo-eosinofilia: alteração da


característica tintorial principalmente pela
alteração do PH. No qual, o primeiro tem
mudança parcial no padrão de coloração e a
segunda total do padrão de coloração.

Halo perinuclear: halo poderá ser visto em todas as células no


processo inflamatório (trichomonas).
*Normal- células superficiais.

 Infecções Bacterianas
-Na vagina e colo do útero podem entrar bactérias aeróbias, anaeróbias e facultativas.
Podendo causar cervicovaginites, ocorrendo uma reação inflamatória. Pode ser diagnosticada
pelo exame de papanicolau.

Lactobacilos (bacilos de doderlein): não


sabe se causam vaginite.
Quadro clinico - quando exacerbado causa
leucorreia.
Imagem com fundo sujo, mas em formas de
riscos e uma grande quantidade de núcleos
nu, ou seja, processo inflamatório.

Gardinerella Vaginalis (10% das mulheres):


bacilo anaeróbio(azul-papanicolau), vaginite-
corrimento cinza com mau cheiro, sua
principal característica são as clue cells.
Ocorre a diminuição da flora de
doderlin(competição). Nem sempre é
CLUE CELLS encontrado exsudato inflamatório.
Actinomiceto: bactéria filamentosa anaeróbia,
coloração cinza-azulada, característica de
mulheres de utilizam DIU, na imagem vê-se
presença de aglomerados densos e
arredondados com filamentos e vários
sentidos. *pode levar a esterilidade (reação
inflamatória intensa).

Leptothrix vaginalis: filamentos anaeróbios,


associados com a trichomonas em 75 a 80%
dos casos, quadro clínico - leucorreia,
saprófita e não provoca modificações
citológicas. Na imagem são bacilos finos e
curtos e só aparecem em PH elevado.

Clamydia trachomatis: intracelular obrigatória


(não possui mitocôndria), vacuolos
citoplasmáticos com contornos nítidos,
invadem células metaplasicas e endocervicais,
podem apresentar núcleo aumentado,
hipercromasia.
*Não possui inclusão citoplasmática (acumulo
de substancia sem envoltório membranar).

 Micoses vaginais
-Situações que favorecem as micoses vaginais são: tratamento com antibióticos, dietas ricas
em carboidratos.

Candida Albicans : Pode ser


assintomática ou provocar
leucorreia cremosa(vulva e
vagina); situações que
favorecem são, gravidez,
obesidade e tratamento
com antibióticos; pode ser a 1ª indicação de Aids; pode aparecer como hifas (forma
infectante) e esporo (forma de proliferação). *aspergillus fumigatus parece dente de leão.

Trichomonas vaginalis: infestação frequente (sexualmente


transmissível), pode ser assintomático, 25% ocorre corrimento
e disúria, seu reconhecimento é feito por redonda ou
periforme com núcleo excêntrico (verde-azulado).
 Herpes Simples Vírus
- Infecção sexualmente transmissível, podendo ser assintomática no inicio ou acompanhada
por febre, mialgia e cefaléia. O vírus infecta célula escamosa, metaplasica e endocervical.
Papulas ou vesículas se rompem na sua evolução.
* o vírus prolifera no núcleo, tornando-o maior.

-Alterações citológicas: membrana nuclear espessada e


fragmentos de cromatina deslocados; inclusões eosinófilas,
volumosas, envoltas por halo claro (virus empacotado); fusão de
células com núcleo de aspecto vítreo.

Leões pré-cancerosas de colo uterino HPV

 HPV- vírus de DNA, infectam revestimento epitelial da pele, in vivo( replicação do


genoma, diferenciação dos queratinocitos), utiliza receptores do tecido epitelial.
-Via sexual: contato direto entre células basais malpighianas. A junção escamo
cilíndrica permite a passagem do vírus.
*A infecção por cândida abre lesões no epitélio e assim é mais suscetível pegar HPV
OU HIV.
COLO NORMAL- LISO E ROSA / COLO LESIONADO- FOCOS HEMORRAGICOS

-Transmissão: Na ausência de p53 celular, as lesões podem acumular sem reparo e a


falta de prb leva a divisão dessas células com DNA lesionado.
*Se tiver restrito ao colo é benigno, se tiver restrito ao conjunto é maligno.
PASSOU PARA MEMBRANA BASAL É MALIGNO.

-Caracteristicas: coilócitos (bordas bem defininas e com margem geralmente espessa)


é o que confirma o HPV, se tiver coilócito já é LSIL; Binucleação (núcleo aumentado);
Paraqueratose (excesso de queratinização) inflamação.
*alterações em células superficiais e intermediárias.

-Diagnóstico ideal: deve ser barato, caracterizar novos vírus, elucidar propriedades
biológicas e apresentar fatores de risco.
Utilizada a Tríade diagnostica que é composta pela citologia, colposcopia e histologia.
 Critérios citológicos de pré-malignidade

-Hipercromasia: indicam coloração forte no núcleo, fica mais


corado que o normal devido a riqueza do DNA.

 Critérios citológicos de malignidade


-Espessamento irregular da membrana basal:
cromatina mal distribuída.
-Formação aberrante ou bizzara da estrutura da
cromatina: grânulos grosseiros, cordões densos e
tortuosos, observa-se espaços claros.

-Figura aberrante e ou bizarras de mitoses: posição


anormal dos pólos, distribuição irregular dos
cromossomos, variações de formas e dos números.

-Irregularidade de contorno nuclear: ocorre ondulação,


protusão, lobulação, enrugamento, invaginações e são
mais comuns em células do epitélio escamoso.
-Cariomegalia: aumento do núcleo acima do usual,
devido a maior quantidade de DNA.

-Multinucleação: divisão nuclear sem divisão citoplasmática,


permitindo assim identificação de tumores malignos. Em
situações benignas é comum em processo inflamatório,
reação a radioterapia, deficiência de acido fólico, infecções
virais.

-Amoldamento nuclear: observado em tumores invasivos, um


dos núcleos apresenta concavidade na qual se encaixa em
outro núcleo.

-Anisocariose: ausência de igualdade do núcleo, ou seja,


variação de forma e tamanho do núcleo entre uma célula e
outra.
Neoplasias intracervicais
 Classificação Bethesda
-Lesões intra epiteliais malpighianas de baixo grau
NIC1: LSIL ( grande chance de regressão do câncer)
-Lesões intra epiteliais malpighianas de alto grau
NIC2 e NIC3: HSIL ( grande chance de progressão do câncer)
*QUANTO MAIS ESPAÇO O NUCLEO TOMAR O CITOPLASMA, MAIS INDIFERENCIADA
ELA É. NIC2 E NIC3
*HSIL E LSIL, OS DOIS TEM CHANCE DE REGRESSÃO, MAS O LSIL TEM MAIS.
*PRESENÇA DE COILOCITO NAS LESOES DE BAIXO GRAU.
*O NIC PODE REGREDIR, PERSISTIR OU PROGREDIR (DE ACORDO COM GRAU DA LESÃO)

-Carcinoma: câncer de origem epitelial (NIC2


E NIC3).
-Carcinoma in sito: quando as células
tumorais já tomaram todo epitélio, mas não
invadiu (não chegou no tecido conjuntivo).
-Carcinoma invasivo: quando invade o tecido
conjuntivo, não se classifica no HSIL, pois já é
maligno.

*Quando atinge 1/3 é NIC1; Quando atinge 2/3 é NIC2; Quando atinge 3/3 NIC3 ou
carcinoma in situ.
*Tumor benigno nunca causa metástase, tumor maligno pode causar metástase pois
invade o conjuntivo atingindo então a corrente sanguinea podendo ir para outros
órgãos.
LSIL: Celulas do tipo supercial e intermediário,
citoplasma abundante, bem definido, isoladas
ou dispostas; Núcleos com mais de 3x o
tamanho das células intermediarias normais;
Hipercromasia e leve irregularidade na borda
nuclear; Cromatina finamente granular,
finamente granular com cromocentros,
grosseiramente granular ou condensada;
Colocitose, binucleação e multinucleação
comum; Celulas orangefilicas com
anormalidades nucleares.

*Se encontrar alterações tumorais em células intermediarias e superficiais


diferenciadas é LSIL.
ASC-US: Núcleo 2,5 a 3x a área de uma célula
intermediaria normal; Relação
nucleocitoplasmatica discretamente
aumentada; Mínima hipercromasia nuclear,
leves irregularidades da distribuição da
cromatina ou da forma nuclear;
Anormalidades nucleares associadas a células
com citoplasma denso, orangeofíico
(paraqueratose atípica).
*Se é normal ou de baixo grau: ASC-US / Se há
duvida de alto grau: ASC-H.

HSIL: Células redondas ou ovais; Citoplasma


delicado, denso ou queratinizado; Aumento
nuclear; Relação nucleocitoplasmatica
aumentada; Irregularidades marcadas das
bordas nucleares; Cromatina finamente
granular, cromatina finamente granular com
cromocentros, ou cromatina grosseiramente
granular; Células isoladas, em agrupamentos
panos ou dispostas em agrupamentos
sinciciais (carcinoma in situ).

*Grau baixo de diferenciação, ou seja, mais indiferenciadas.


*Conforme o tumor vai avançando as células começam a indiferenciar.
* Parabasal aumentada.
CITOPATOLOGIA DA TIREÓIDE

 Os nódulos da tireoide são muito comuns na população em geral


 Podem ser detectados por palpação ou por ultrassonografia em cerca de 5% da
população adulta
 5 a 10% de tais nódulos são de natureza maligna, e compreendem em torno de 1-3%
de todos os cânceres a nível
mundiaL..

Tireóide
- Órgão endócrino cuja sua principal
função é a produção de hormônio
- Localizada abaixo da laringe
- Secreta hormônios: T4 (Tiroxina) e
T3 (Triiodotironina) – Controlam o
metabolismo do corpo.
T3: Na sua composição tem 3 iodos;
T4: Quatro iodos na sua composição
Para a produção do T3 e T4, é
necessário que tenha iodo;
- Secreta o hormônio: calcitonina – Controla o metabolismo do cálcio .
- O metabolismo de cálcio do nosso corpo é basicamente controlado pela
Calcitonica e paratonina (Paratireóide), e possui efeitos opostos. Um deposita cálcio no
osso e o outro estimula a retirada e reabsorção do cálcio no osso levando para a
corrente sanguínea.

- Os tireócitos pegam o iodo da corrente


Paratireóide
sanguínea e jogam para dentro
- A tireoglobulina, faz parte do T3 e T4,
junto com o iodo formam o colóide; conduz
o hormônio na corrente sanguínea
Colóide - Os espacinhos brancos dentro do colóide
são espaços aonde tinha colóide e a célula
fagocitou para a produção de hormônio de
T3 e T4 e depois lança para a corrente
sanguínea.
*Se a pessoa tomar GH e não tiver
hormônio tiroidiano, o GH não funciona.
*Se durante o período embrionário, a mãe
tiver hipertireoidismo e não fizer o controle
hormonal, está relacionado diretamente ao pobre desenvolvimento neuronal, motor.
 Carcinomas da tireoide
- Carcinomas bem diferenciados
- Carcinomas pobremente diferenciados
- Carcinoma anaplásico (Indiferenciado): Malignidade mais agressiva da tireoide

 Durante a análise de ultrassom, os nódulos da tireoides são escuros, hipoecóicos.


Algumas características nos ajudam a chegar no diagnostico se é maligno ou benigno
- Contorno bem definido (Benigno)
- Bordas infiltrativas (Maligno)
- Se o tumor for mais alto do que largo (Chance de ser maligno é muito grande)
- Se ele crescer mais pra frente ou pra trás (Chance de ser maligno é muito grande)
- Halo em volta do tumor (Pode ser maligno ou benigno)

 PAAF da tireoide
- Pessoa fica em decúbito dorsal com um pequeno travesseiro sob os ombros para
extensão do pescoço permitindo a exposição da glândula
- Antissepsia da região com álcool 70%
- O operador se posiciona do lado oposto ao paciente, imobilizando a lesão entre a
traqueia com a mão
- O paciente é submetido à palpação cuidadosa da tireoide, para identificação e seleção
dos locais a serem puncionados
- A aspiração é feita com seringa de 10 ml, acoplada a um suporte tipo pistola, e agulha
fina de 13x4,5 (26G ½) e eventualmente, agulha 25x6 (23G).

- O material é fixado com álcool a 95% e coradas pelos métodos May- Grunwld –Giemsa
e de Papanicolaou.

- A coloração de May-Grünwald-Giemsa fornece melhores detalhes do citoplasma e do


coloide, enquanto que a coloração de Papanicolau fornece melhores detalhes do
citoplasma
e do
núcleo.
Citopatologia Mamária

 Rico em tecido adiposo associado com as glândulas: ductos e a parte secretora


 Durante a coleta o material da mama, colemos material do ducto

As doenças que afetam a mama podem ser divididas em três grupos: inflamação (incluindo
aguda, crônica e mastite granulomatosa), hiperplasia (incluindo doença fibrocística,
alterações da gestação e a maioria das neoplasias benignas) e câncer.
 HPV
Qual material genético dos HPVs?
Quais tipos de células infectadas?
Quais são as regiões do genoma viral?
Quais regiões do genoma estão relacionadas com a transformação maligna? Por quê?
Em que tipos celulares ocorrem replicação do vírus?
Qual relação da região e2 do material genético e a carcinogênese:
Quais são os tipos de HPV mais oncogênicos?
Quais os tipos de vacinas disponíveis? Qual seu objetivo? Elas são iguais?
Essas vacinas podem ser utilizadas em pacientes imunossuprimidos e lactentes? Por quê?
As vacinas são eficazes?