 

 
O Caminho de Toda Carne por Robert Hatch Créditos Escrito por: Robert Hatch Desenvolvido por: Jennifer Hartshorn Editado por: Laura Perkinson Diretor de Arte: Richard Thomas Layout e Composição: Mart Milberger Arte: John Cobb and Joshua Gabriel Timbrook Capa: Timothy Bradstreet, Grant Goleash Contracapa: Aileen E. Miles Copiado no Brasil por: Izhim ur-Baal® Traduzido por: Linus Strauss Bem-vindo à minha casa; entre livremente e de boa vontade. Bem-vindo à minha casa. Venha livremente. Vá em segurança e deixe algo da felicidade que trás! - Bram Stoker, Dracula Ele está com medo. Ele está com medo de morrer. Não se preocupe. Você não morrerá. Não por muitas, muitas noites. Nós quase temos pena de você. Usurpador do legado de Caim. Cria bastarda de um progenitor que imitou e estuprou seu caminho para imortalidade. Nós sabemos o que eles sussurram em suas capelas. Seus anciões o previnem para cometer suicídio em lugar de cair nas garras dos Demônios. Nisto, se nada mais, seus anciões falam verdade. Mas pense no que vem pela frente como uma experiência torturante. Você aprenderá como um verdadeiro vampiro trata seus inferiores e castiga seus inimigos. Eu lhe aconselho a rezar para seu Deus. O Deus de sua mortalidade - não Tremere, e certamente não Caim. Você vê, nós somos os filhos Caim - e acredite em mim, você está no inferno. Capítulo Dois: Demônios Entre Nós Há uma estaca em nosso coração gordo e negro E os aldeões nunca gostaram de você. Eles estão dançando e pulando em você. O tempo todo sabiam que era você. - Sylvia Plath, “Pai”

rapidamente veio nos adorar e temer. Da Guerra Direta e Vingança Insidiosa Nós não éramos os únicos assombradores das trevas. em meio aquelas crianças. THRACIANS. maior até que Caim. uma feiticeira canibal.entre estes vales nebulosos e selvagens. há muito tempo tem colocado seus berços de civilização neste sul devastado pelo sol . que a mais antiga semente de nossa linhagem brotou. Mas Tzimisce não é mortal e nossa civilização não é aquela dos mortais. os auto proclamados “Senhores das Sombras”. O próprio Antigo é um mito distante até nas memórias mais primitivas de meu Senhor – embora eu o vi quando ele morreu. eles tinham nenhum amor por nossa raça. é nesta terra. penhascos cobertos de pinheiros. Essa raça chamada Eslavos. Sem linha entrou em conflito com um ser mais malévolo (possivelmente um vampiro. Os mortais. nós nem congregamos com eles. porque a essência de meu Senhor derrotado uiva e martela. chamando-nos koldun – “feiticeiros”. Mas sabe que estas coisas são meros mitos e mentiras. e o que jaze em um pedaço murchado a meus pés ainda era mais velho. não mais meramente imitar Caim. porque uma flor vermelha selvagem floresce dentro de mim. caçamos e usamos nossos feitiços entre os primeiros PHYRIGES. e amaldiçoando com desfiguramento aqueles quem nós julgamos intrusos. O Antediluviano Tzimisce era o maior de todos os vampiros. entre a lama do Delta do Nilo. eu entendo por que os velhos vampiros chamaram este momento de o Amaranto. os Balcãs e Rússia. Vendo sua ligação com o solo de sua terra e imaginando que o solo dava-o e a sua progênie seus ciúmes falaram de pactos tolos e coisas chamadas Comedores de Almas. Quase tão maus quanto Baba Yaga era o grande SABLE lobisomens. outros filhos) espreitaram à noite entre os mortais amedrontados e ninguém sofria para fazer o mesmo. estou certo. Embora eles visassem o pescoço uns dos outros tanto quanto aqueles de seus inimigos. Nós existimos. mas retornou às terras em volta de seu amado Danúbio. Minha mais íntima natureza ronrona em contentamento quando eu olho do topo este ninho sobre a reprovadora floresta. e pior que mentiras. para ali estabelecer seu domínio. Os limites de nossas terras nós marcamos com ossos. salvo por convite. tinha um dom especial: o que os Tytalus chamam de avatar Desperto. rochedos pacientes e riachos silenciosos das linhas do meu lar ancestral. mas superá-lo. mas. caveiras e nervos de nossas vítimas.De Satisfazer Retribuição e Cismas nas Noites Primordiais Eu sou velho. penetrando minha forma dissecada pela batalha com os espólio da vingança. Embora nós tenhamos vagado longe. forçar-me à concentrar neste registro. mais sobre isso depois. Eu posso. que rondavam os vales e montanhas. fixando raízes neste solo ou naquele. Ele não habitou a cidade de Caim. Mas nós não vivemos entre os mortais. Os outros cresceram invejosos dele e seu dom.no Vale da Grande Fenda. ILLYRIANS. dentro de minhas veias. Não. ela é eu. AVARS. possivelmente outra coisa) conhecido naquelas noite como a Baba Yaga. para isso morriam ao atravessar. Bem. escassamente. e é do clã que eu escreverei. agora. nós ficamos a parte. chamada pelos mortais de Cárpatos. Assim o Caminho de Caim dita.. Nós somos Tzimisce. Era esta mistura única dos dons de Caim e sua própria que favoreceu nossa grande Metamorfose: não mais Ascender meramente. entre os rios Tigre e Eufrates. séculos de ódio . enquanto panoramas de séculos mortos e lugares muito tempo esquecidos e seres muito tempo o pó tremula como meses em meu crânio. porque ele. Nós surgimos no norte . cada um à seu próprio domínio selvagem. . Na verdade. A Baba Yaga e seus servos (alguns dizem demônios. Eu sou ela. nós agimos como feiticeiros e divindades para as primeiras tribos.. nosso progenitor foi Abraçado. Meu coração morto bate em um crescendo incessante. insolentes ou aborrecedor.tudo permanece esquecidos. WENDS e outros habitantes daqueles lugares que os mortais chamam de o Báltico. dando os frutos de nossa Segunda Visão e domínio da besta em troca de tributos e sacrifícios. mas Transcender. Cisma de seita.

nós pusemos os Cainitas de Roma uns contra os outros. que antes eles rastejavam. Amargo era seus rancores. Do Caminho para o Poder e as Noites de Halcyon Os anos que se seguiram foram entitulados Idade das Trevas. Nossos piores inimigos. duendes e criaturas da noite. voltamos nossas atenções para nosso destino.Eu tenho ouvido rumores que uns poucos prodígios entre a antiga linhagem rejeitaram o caminho da Metamorfose. porém. elas eram épocas douradas de progresso e experimentação. Alguns entre nosso número. vendo a abobadada Bizâncio crescer como um fungo no cadáver podre de Roma. pareciam a própria encarnação de Chernobog – gananciosos deuses das trevas com intento de devorar tudo. invasores. eles cobiçaram-nas ainda mais.. a Idade das Trevas foi um tempo de caos e ignorância. realmente representavam. como é comum entre os vampiros. Através de feitiços de discórdia e aflição. Por não dá-los nossa terra. Em nossa fúria os amaldiçoamos com grande ruína. Tomando espécimes adequados dos sétimos filhos de raças mortais prometedoras. outrora orgulhosos. e desde então lutaram contra nós. Vândalos e Hunos – os mandamos para a guerra. nós criamos a primeira família carniçal. mágica e mortais que tinham sido nossos desde tempos imemoriais. como ficávamos. eles não podiam ficar em seus limites. Com os exércitos vieram seus generais secretos e noturnos – vampiros das linhagens Ventrue. e certamente fez os Helenos falarem de seus deuses sendo atacados por gigantes com cem braços. (se os mortais apenas notassem que muitos daqueles ícones pálidos e esticados. Nós andamos na noite como queríamos. e assim foram – mas os vampiros não são criaturas das trevas? A orgulhosa hegemonia de Roma desintegrou em um retalho de cabanas de palha e brutas estacadas. Nós criamos grandes vozhd na devastada THRACIAN e os mandamos para golpear nossos inimigos vampiros. e o Tiber correram vermelhos com a vitae dos. abertamente dilacerando os abrigos dos camponeses e bebendo-os até secar ou levando para usos posteriores. em particular. julgando isso uma estrada para a danação. subversão de peões provou-se mais prático que batalhas francas. Nós decidimos criar nossos próprios vassalos. e para esta noite uma parte de nosso reino recebeu o odioso nome “Romênia”. longas eram suas lembranças. Assim nosso clã foi vingado. Bárbaros rugiram pelas ruas de Roma. O próprio progenitor Lasombra.. Búlgaros e outros – vagaram por nossas terras como plânctons nos dentes de uma baleia. Nós fizemos szlachta de todos tipos e tamanhos e os enviamos através da Europa para atormentar nossos inimigos. Estes poucos chamavam-se de “Puro Clã” ou o “Velho Clã” dependendo da tradução. Nós os mandamos de volta uivando para suas penínsulas. nós falhamos em prestar atenção quando cidades-estados viraram repúblicas e então impérios. Contra tais poderosos inimigos. Ventrue tiveram cuidado com o passado. Até os. mas nós éramos pacientes e não esquecemos. buscando a terra. e certamente fez os mortais temer ogros. Aqui o clã lutou contra aqueles que podiam tornar-se Inconnu e atacar sobre seus ingênuos Ortodoxos. Os vampiros do sul não podiam nos compreender.Mas quem pode esperar algo dos mortais?) Nossos mais sábios irmãos do norte viram a ameaça representada por Carlos Magno e seus insetos Ventrue. sempre despreocupado e encantado em guerra. E por estarmos contentes onde estávamos. invasores – Hunos. Nossas necessidades assim suavizadas. para os Tzimisce. Para os mortais e para os vampiros que dependiam da civilização dos mortais. anunciamos que nossa maldição traria frutos amargos em noites posteriores. assim chamados. Nós usamos outras mágicas também – grande maldição contra a espreguiçada Roma ao sul e seus vampiros. Mas nós conhecíamos mágicas e éramos poderosos em guerra. acompanhou os exércitos e fez uma terrível destruição sobre nossos rebanhos. Eles provaram ter grande . Malkavian e Lasombra. mas nos maltratava sempre. foram os vampiros de outras linhagens. Magiares. Os Lasombra. Quando os bárbaros do norte – os Godos. foram ao sul parar seu crescimento. como as brigas iconoclastas bem demonstraram. As legiões da Trajano cortaram uma faixa sangrenta em nosso território.

por este ou aquele capricho de um ancião. os anciões procriaram em número recorde. eu conhecia que aquilo que os Toreador chamam de “amor”. Tal discórdia provaria ser realmente cara. por um tempo nós éramos cada pedaço. nós avançamos nossas fronteiras em retaliação e os aldeões da Baviera e de BROCKEN aprenderam o que significa temer a escuridão. Os outros nos rotularam de “Demônios” e assim nós fomos – Príncipes dos Monstros. fiz um par de luvas com sua pele. porque eu estava entre aquela geração infeliz. Porque. Ainda. e eles se amontoavam em seus PALLETS. de boa vontade mandavam uma fração de seus mancebos e virgens para o lar da aranha. por eles permitirem nossas sombras estenderem sobre os corações dos mortais até mesmo ao meio dia. Inevitavelmente. Para preservar minha memória dela pra sempre. os servos e camponeses sabiam bem a quem – ou o que – eles serviam. os revenantes mandaram um dos seus. Sim. No ano seguinte. o mais velho Tzimisce não precisava nem mesmo deixar seus enclaves para caçar.utilidade pra nós. Posteriormente. porque os anciões haviam amarrado-os em correntes de sangue mais fortes que o ferro. A sensação de sua carne em meus braços e o cheiro da carne de meus inimigos em sua respiração me enviou nas selvagens dores da paixão. nossos revenantes favoritos chicotearam os Eslavos num frenesi de revolta contra os invasores Teutônicos. nós deitávamos em nossos sepulcros e sonhávamos. Eu conheço isso bem. Na verdade. tão majestoso quanto os rabiscos de Stoker ou o escárnio polvilhado que Lugosi sugeria. penduravam seus ridículos dentes de alho. Ninhadas lutaram contra ninhadas por essa ou aquela vila. Entre esses inoportunos imigrantes vieram . Os mortais. Da Traição Básica e Declínio Vergonhoso Tão letárgicos eles se tornaram que até a mínima tarefa de governar e estudar tornou-se onerosa. Os Lupinos mataram a bruxa e seus seguidores. e as incursões Ventrue pararam. temerosos de retribuição. Mas a maior parte de tudo eles esqueceram. uma pequena e LISSOME sucubus de 13. o Domínio era violado. faziam seus sinais de proteção e proferiam suas preces inúteis na esperança de que os vampirs não viriam até eles naquela noite. Em vez de voltar todas as suas responsabilidades aos revenantes. Logo as terras estavam cheias de crianças vorazes. Ao dia. Os Ventrue. para minha câmara. Eu tinha ganho um grande triunfo sobre os invasores Ventrue e a festa da vitória no castelo Zantosa naquela noite foi doce. porque a linhagem ficou complacente. fartando-se em mexer um dedo. Anciões enfurecidos mandavam os jovens para batalhar em seu lugar. de forma que a alma dela pudesse ficar perto de mim. Sentados em seus salões de jantar. (uma vez. os mortais sentiam-na profunda na espinha. tostei-a com seu cérebro. 983 no contragolpe do Deus-Homen Pregado. Ainda em meu ardor descuidei de sua delicadeza e ela não sobreviveu ao encontro. e. infiltrações vertiam em nossas terras onde invasores haviam sido postos pra longe. séculos atrás. os jovens aturavam isso voluntariamente. e agachavam-se em meio a arbustos espinhentos à noite a procura de rebanhos de cabras e vacas irregulares. e logo. Um MIASMIC horror pendurado sobre os mortais. e este sempre tem sido nossa maior provocação. E então? Bem. nós vivíamos orgulhosos e sem medo em nossos castelos. você tem visto os filmes. quando eu era jovem e a vitae corria menos turgidamente através de minhas veias e as coisas do mundo pareciam menos transitórias e efêmeras. eles pensaram sobre desprezos passados e relembraram sobre vitórias passadas. E. Feudos caíam e vampiros ardiam à cinzas. e assim nosso clã governou a noite sem oposição. igual gotas de água suja. E isso provaria a eliminação dos anciões. ao cair da noite nos levantávamos e íamos entre as encruzilhadas e trilhas de florestas vazias.) Nossa batalha pelo controle da Europa Oriental terminou em grande triunfo quando enganamos nossos inimigos lobisomens em fazê-los guerrear contra Baba Yaga. certo? Até hoje os mortais falam com medo alguns sussurros da anoitecida Transilvânia. Eu as uso para esta noite. mas foram dizimados. Embora nossos propriedades fossem. embora nossa passagem fosse silenciosa. ostensivamente. os Lasombra e os Toreador gabam-se de seu poder – mas quem tem deixou um legado centenário de medo? Enquanto nossos irmãos espreguiçavam em cavernas e cabanas ao dia. governada por nossos senescais.

porque eles haviam esquecido muito da velha mágica. Como a égide dos Tremere ampliava vagarosamente. Isso era como se os Lasombra estendessem uma garra CLACK sobre seus corações.aqueles quem se tornariam nossos maiores inimigos. Tribo após tribo renunciou Kupala. Olhos hostis viraram para nós e nossas terras conheciam a ameaça de HOOVES invasoras. Embora nós batalhamos valentemente. juraram esmagar o paganismo sob o peso da cruz. magias. "é a flor-de-fogo sagrada de Kupala. Tudo isso foi mera precursora da tragédia por vir. implorando por socorro. Quando descobrimos que eles ousaram atacar e capturar os anciões de nosso clã. Enquanto nós éramos esmagados pelas Gárgulas. nas profundezas entre este local sagrado dos lobisomens. E assim nós morremos entre garras. ficamos irados. Por muito tempo eu busquei por isso. consentiam para nossa celebração. aquela noite de santidade imemorial. os anciões ficaram medrosos e muraram-se em seus refúgios. armados com a vis que eles tinham roubado de nosso solo. mandando suas progênies para pilhar e lutar. E embora eu temesse as chamas. Eu fui com o resto de minha espécie aos nossos anciões. chamando-se Tremere. Pelo menos. nós ficamos enfurecidos.fomos em frente em suas existências para defender suas propriedades. eu o achei. sustentado acima do objeto ardente. Não se lembra do que as lendas dizem . Quando nós descobrimos que um grupo de bruxos. Eles se igualaram aos nossos anciões discordantes. para suas mágicas. No sul os Assamitas famintos e assim os Turcos fizeram suas primeiras incursões investigativas na Sérvia. justamente como dizia a lenda. estacas. encasulou-se naquilo que os Tytalus chamam Silêncio. Pior de tudo. abandonando-nos. Ali. sob a agitação de nenhum vampiro mas uma ameaça à todos.então hesitantemente . Do leste. e assim nós alegremente . Eles tinham assegurado nossa obediência através de Laço de Sangue." ele urrou. Até o Antigo. Castelo após castelo foi arrasado até as fundações. nossa "Família" estava apenas reunindo preguiça. uma que só terminaria quando o último Feiticeiro tossisse sua nãovida. e a grande Kiev foi reduzida à uma cidade fantasma em meio à um campo repleto de crânios. distraídos pela própria noite mas palidamente recordando sua importância. nossas fileiras desunidas eram estraçalhadas pelos Feiticeiros e seus servos e. eles não fizeram . suas costas para a fogueira em chamas e três sacrifícios ligados e contorcidos atrás dele. senti-me compelido à aproximar. Alemães cruzaram nossas fronteiras ocidentais em ondas bárbaras. Eu fui com o resto para o local da reunião profundo nestes próprios Cárpatos.agradecidos aos invasores pela libertação dos "demônios". década após década. não fez nada. Mas nossos anciões.então voluntariamente . aquela que o ato era feito. nosso clã caiu em profundo declínio. através de muitos perigos. Velya. nossa fúria perdeu os limites. E quando descobrimos que o propósito de sua afronta era se tornar como nós. e os Tremere. sob nossos instrumentos. Ele assumiu a forma zulo e alguma coisa vermelha e brilhante pairou acima de suas garras. E sem senhores. estavam fortes. vendo ondas após ondas de devastação. Tzimisce após Tzimisce foi desenterrado e posto na pira. renunciou Svarog e Byeobog . em contorcida agonia. do norte desceram os Cavaleiros Teutônicos. "Isto. magia por magia. multidões de Mongóis e seus seguidores Gangrel. tinha entrado em nosso território para sugar a essência da terra. Uma grande guerra iniciou-se então. que desceram em chuvas de garras dos céus. Através da terra um convite era passado. que chamavam de vis. Lugoj e o resto conjurava os jovens do clã para a grande festividade. fogo e cruz enquanto nossos senhores ficavam impassíveis e desenrolados enquanto a serpente da mágica de sangue de nossos senhores tinham laçado nossos corações Das Noites de Kupala e O Que Transpirou Em Seguida Isso é sobre o Dia de Kupala. Embora nossos anciões pudessem e devessem ter esmagado a linhagem nascente. estava os grande Lugoj. Encorajados por seus Lordes Ventrue. e opôs a força de suas formas zulo com suas próprias criações monstruosas: abominações pedregosas e amarradas chamadas Gárgulas. Nossos poderosos Senhores acovardaram-se em suas criptas enquanto seus rebanhos e crias morriam na noite.

Do oriente os Assamitas varreram. desenterramos nosso progenitor enquanto estava em torpor. os anarquistas remanescentes e os seguidores de uma Malkaviana Oriental chamada Vasantasena. Nunca mais nos submeteríamos às correntes de nossos anciões. Ainda.Ruthven? . Da Antiga Discórdia e a Nova Unidade Encontrada Para nós e os Lasombra. "Primeiro. Os defensores do Antigo eram fortes.ou irá para sua ruína nas piras dos servos do Deus Crucificado? " Fez-se silêncio. numa noite sem lua. Permaneça conosco . O legado do Clã assim reclamado. Lugoj levou uma hora para drená-lo até secar. Embora não sem uma luta! Quando terminou e a camada mais funda de sangue. como uma criança. veio: o devorador Lasombra.falou de trás da multidão reunida. nós não podíamos engolir submissão aos Tremere. ele lançou-se urrando através da fogueira. Naquela noite era decretada a primeira Auctoris Ritus. Nosso clã havia cometido o crime definitivo. Nossos senhores tomaram milhares de formas cruéis para nos assustar e invocaram milhares de maldições para nos acovardar mas nós havíamos caminhado através do fogo e estávamos sem medo. Os lacaios dos Antigos tinham sua seita. ele ficou reticente e preocupado." Então. mansamente. Castelo após castelo nós tomamos de assalto. render não era uma opção. nós teríamos a nossa. mas com a vitae que tínhamos tomado. de livrá-lo!" terminou Lugoj. nós atacamos o refúgio de nosso progenitor. como cimitarras vivas... Amanhecer se aproximava e nós não retornamos para as criptas de nossos anciões. para que não nos traísse. Naquela noite nosso coração retornou para nós. Com a ajuda de Kupala. Em todo caso. séculos atrás. outros vampiros seguiram nosso exemplo. "Velya e eu havíamos estudado a natureza do Laço de Sangue à fundo. Os Brujah. encontrou a Morte Final nas presas de sua progênie. nós seguimos. Lugoj gargalhou e a flor ardeu como as estrelas que os cientistas dizem destruir-se no céu noturno. banhado no sangue dos mortais trucidados. nesta noite." ele gritou. mas dormimos em cemitérios. Amarrando uns aos outros através da cerimônia da Vaulderie. levantaram uivantes no oeste. Nem nós nem os anarquistas calcularam a rapidez com a qual os outros Antediluvianos reagiram à destruição de dois de seus irmãos. "Diz ter o poder para segurar demônios. "nós devemos nos purgar do medo. dividimos nosso sangue e o deles. Nós unimos com os Lasombra. quando eu falei disto para o velho Ruthven em Nova Iorque. Nossos senhores logo notaram nossa falta e então a guerra começou a sério. Bem. a maldição que impomos muito tempo atrás. e o Sabá nasceu. mostramos à seus mestres. sempre rápidos para a raiva. carne. indisposto e no Silêncio. Imagine! Vampiros. Noutros locais. O Antigo. lordes da terra. nós os forçamos à beber um mistura de nosso sangue. o próprio Lugoj afundou em torpor prometendo nos ajudar contra a Noite Final. que havia nos molestado. nós juramos encarar a Morte Final ao invés de. quando as estrelas formaram terríveis sinais no firmamento e grandes cometas traçaram códigos ardentes de maus presságios através do céu. Eles empregaram seus peões e sete dos grandes clãs uniram-se na maldita Camarilla.desta flor?" uma trêmula voz . Alguns submeteram-se e à estes foram permitidos juntarem-se à nós e desta forma fortalecer nossas hordas . Maioria dos anarquistas foram puxados pelo calcanhar e os Assamitas foram mandados ganindo para os Desertos Árabes com a magia dos Feiticeiros ainda ardendo em suas peles. cavernas ou no seio da úmida Mãe Terra. fraco. Unidos. nós poderíamos jogar fora as correntes de nossos anciões. Nós matamos seus szlachta e então os exterminamos. entrar na estacada dos Antediluvianos. ele sempre foi um covarde vira-lata. osso e pó caiu de sua pele. então resmungos e então uma voz após outra elevou-se em consentimento.mas. pelas fileiras dos anciões da Europa. chamando-se "anarquistas" em desafio ao direito de governo decretado por Caim aos senhores. . esboçando uma escritura e leis como alguma companhia mercante! Mas esta nova e imprevista aliança provou-se terrivelmente efetiva no início." "Ou. Finalmente. E no sul.

Então. mas caíam inevitavelmente. E enquanto nós não temíamos os mortais.embora os mortais não duvidassem da idéia de que eles "foram para a guerra" por suas "nações-estados". Nunca mais poderíamos controlar nossos domínios com monstros na noite. ao verem nossos Ritae. e através deles influenciamos as casas nobres dos mortais. deixando os Bálcãs à sorte. Finalmente os últimos de nosso clã entregaram-se e . a vitae de uma criança meio-morta depois de 14 horas de trabalho numa fábrica induzia uma certa letargia agradável – e naquelas noites. Pelo (trocodos-mortais) século XIX. Nós desfiguramos nos mesmos e nossos escravos. Nós lutamos muito e bem. suas novas armas eram outra história. Justamente como a Idade das Trevas dos mortais tinha sido nosso auge. quantos vampyrs góticos "ficcionais" mostram características Tzimisce!) aqueles poucos e valentes Cainitas que ousaram ostentar sua herança foram caçados como animais. os mais fortes. mas pouco. surgiu o castigo de nosso clã: o Dragão. Que mil diabos queimem sua alma negra! ) E assim foi.pela assim chamada "Renascença" nossos inimigos não puderam desenterrar-se para nos encarar em batalha honrada. . Nova Iorque. de novo e de novo nós fomos forçados à recuar . Aterrorizamos camponeses. Mas nossas batalhas ficaram ainda mais defensivas. Ó. nós nos forçamos através do fogo de novo e de novo. se quiser. ou tolerante.. Ainda. A maioria se extinguiu contra nossos inimigos. navegaram através do Atlântico entre hordas de imigrantes eslavos. os mortais eram mantidos em servidão. Os puxa-sacos da Camarilla humilhavam-se em promover sua Máscara. Em nossas terras ancestrais. Enquanto nós nos concentramos em nossa própria apoteose. eu lembro de meu primeiro encontro com um BLUNDERDUSS (embora eu ouse dizer que os desgraçados companheiros artilheiros recordem disso também!) Mesmo em nossas terras nós não tínhamos paz.GARGANTUAN cemitérios surgindo 30 . nós ainda contamos nossos revenantes. Londres. Bem. por entre os Turcos haviam carniçais Assamitas. o melhor para assustar nossos inimigos. nós arrasamos vilas inteiras e transformamos seus habitantes em vampiros. assim sua "Era do Iluminismo" provou-se sombria para nós. se alguém descuidasse da alimentação. mas contra aqueles poucos anciões que nós havíamos falhado em destruir. ao invés. e para apoiar nossa coragem.." Que lugar melhor para preparar nossa grande Metamorfose do que uma colmeia de insetos gigante? Nestes edifícios manchados de fumaça. auto-proclamado "Príncipe das Trevas" Vlad Drácula. Ele que rotulou o canhão de "o grande equalizador" falou realmente a verdade.. Da Indústria e Genocídio Nós nos adequamos melhor do que podíamos ter imaginado. também. Aqui também nossos szlachta nos ajudaram.. trabalhou para assegurar seu poder no mundo mortal. por que nós mantemos a guerra. (Note. Ao invés disso. Para distrair as tropas de choque da Camarilla. Manchester. como era seu legítimo destino.históricas lápides e mausoléus proclamando "Deus está Morto.os Turcos. a Camarilla. nós introduzimos em nossas fileiras. fumegando com pólvora e crivado com tiros. A verdade não estava muito distante. visto que ainda outra praga pegou nosso lar . Eu mesmo agi como contato entre o Velho e Novo Mundo. as engrenagens estavam sempre felizes em devorar evidências indesejáveis. e muitos dos mais fortes soldados dos Treze morreram entre nossas presas. eles mandaram multidões de mortais e carniçais contra nós. Otomanos ghazis ceifaram o próprio Danúbio e nós achamos o pequeno crescente mais tolerável. nos rotularam "Sabá". Chicago . o melhor para dirigir a cólera do rebanho à nós. não somente contra a Camarilla. do que a cruz.Para as matas e desertos nós nos retiramos. ao qual tantos se reúnem para sufocar suas vidas. por que eles nos imaginavam ser um grupo de bruxos e demônios CAVORTING sobre a terra. Nossos szlachta faziam devastações nas fileiras mortais. até o ano de 1850. ninguém nota a chegada de um solitário imigrante – ou o subsequente desaparecimento de vários outros. (não precisa ser acrescentado que nestes tumultuosos tempos. vampiros foram considerados mera DRECK supersticiosa.

para Birkenau. . garantiu que nem Der Engel des Todes nem eu carecesse de adequado material para experimentos. Buchenwald e Dachau vampiros europeus deslocado e aglomerados. se recusaram à fugir da onda de avanço Soviético ." ja? Minha única mágoa foi a falta de oportunidade para retribuir as atrocidades Nazistas em espécie. Uma nova raça de caçadores de bruxa fez seu aparecimento: queixo forte e pele bronzeada. Não tinha sido parido o lobisomem que pudesse ser melhor que um tanque em combate individual (como aquele tolo Petrov Quatro-Presas descobriu. atreveu poluir minhas terras com suas JACKBOOTS. os anciões de meu clã e os Senhores das Sombras. guardas da SS tem o mesmo gosto de suas vítimas . Bem. depois desta noite a liga teve um membro a menos. Diferenças de seitas e clãs eram suspensas. O Arquiduque caiu.Em nosso orgulho. Como leões bebendo com antílopes e bestas selvagens no poço d’água. O Terceiro Reich desabou. Quem ou o que era responsável pelo Der Fuhrer? Ele não era nosso. uma espécie de Pax Vampírica foi implementada entre um sombrio e frutífero Elysium. precipitando a queda de incontáveis mais nos campos de batalha de Ardennes e Verdun (eu deverei sempre me lembrar das festas naquelas trincheiras cobertas de gás!). mesmo entre tais sons e fúrias. para minha mente. Sobre as próximas décadas a Camarilla voltou-se para guerrilhas táticas. Ironicamente. o suíno pretensioso. nós festejamos nela tanto quanto nós festejamos sobre suas vitae. junto com comandos hipnóticos impondo silêncio em parte das vítimas. Faltando evidências para o contrário. mesmo enquanto os vampiros da Europa eram destruídos de seus refúgios. Verdammt alemão suíno. Como era estranho que aquelas criaturas tão emagrecidas e maltratadas pudessem ter tento sangue! Como era irônico que a cremação escondesse a evidência de minha refeição com uma vivacidade e eficiência igual à qualquer Máscara da Camarilla! E aquele sujeito! Mengele. salvo de sua própria loucura. A loucura que senti em minha encantadora terra natal foi parcialmente aliviada pelo fato de que ambos. nem. os marionetes dos Brujah "Idealistas" rodaram através de minhas terras natais em seus tanques e eu pensei que ele reuniria para partir para climas mais pacatos. tanto revenantes quanto inocentes foram desenterrados. era ele um marionete Ventrue. meus rebanhos com seus arames farpados e meus ouvidos com sua ignorância! Eu pessoalmente encontro pouca diferença entre as raças mortais. E então o mundo foi pego pela orelha por um mortal pequeno e engraçado com um bigode pequeno e engraçado. O uso discreto de minhas artes carnais e ósseas em prisioneiros recém-chegados. Somente uns poucos anciões Tzimisce sobreviveram à Segunda Guerra Mundial e suas conseqüências. a despeito das recriminações estridentes dos Brujah. Eu mesmo desci a lenha na vitae dos miseráveis encarcerados de Auschwitz. Mas tudo que é bom deve chegar à um fim. usando as ferramentas da ciência contra nós. separava os deformados geneticamente dos outros prisioneiros para fazer experiências sobre eles. Na América. o último marionete Tzimisce foi destruído numa revolução inspirada pelos Brujah. presos ou enforcados como “anarquistas Bolshevik”. Do Que É e O Que Há de Vir A era pós-guerra tem sido. nós fizemos uma tentativa final de reclamar nossas terras ancestrais. um tempo de consolidação e paralisia. Ravnos e Gangrel. A retaliação foi rápida: na Rússia. embora eles buzinariam outra coisa!) assombra a KZs. Brujah e Nosferatu (e Inconnu. Nossa seita fez grandes ganhos nesta era moderna. Ao invés de rejeitar a ciência dos mortais. ou melhor como uma brincadeira Malkaviana que saiu errado.e gritam alto do mesmo jeito. assim fizeram Ventrue e Tzimisce. Um grande avanço para a Metamorfose foi feito: "Arbeit match frei. Eu refiro aos campos de concentração Nazi. Para Belsen.os mais tolos deles. Esta Xanadu terrena serviu como refúgio e oásis combinados. eu estou inclinado à classificá-lo como um servo de nada. para seu desgosto e meu grande deleite). Nós pegamos as armas da Camarilla e as viramos sobre seus mestres. é de minha compreensão que eles tenham se unido numa coalizão que eles rotularam de “Liga Oradea”.

Esta atitude tem colorido a cultura e sociedade Tzimisce. porém. Tzimisce muitas vezes evitam Ritos de Criação durante em tempos de guerra. Como o beijo de um chicote que você está faminto por dor. Um Tzimisce deve ser capaz de moldar sua loucura antes que ela o molde. Um vegetal catatônico ou um esquizofrênico disfuncional é uma manifestação da fragilidade humana. AIDS? Estreptococos comedor-de-carne? Os mais simples protótipos! Como diz meus camaradas Americanos: “Você não viu nada ainda. mentalmente ou emocionalmente. Os Tzimisce prezam a inteligência e visão. honra ou charme. Os Tzimisce preferem infinitamente um Hannibal Lecter à um Jeffrey Dahmer. O Abraço Tzimisce E este era o modo E esses eram os horrores Como o pai foi colher. “Onde a Violência é Dourada” Tzimisce são vampiros requintados. Até mesmo conveniência raramente desculpa um Abraço precipitado. Amanhã ao por do sol devo acordar e descerei deste cume e percorrerei as alamedas vazias e trilhas de florestas de minha terra ancestral. divorciar-se dela.The Electric Hellfire Club. Enquanto outros vampiros tentam. estranhas e (para a perspectiva mortal) horríveis práticas conhecidas entre os vampiros. Amanhã um vampyr caminhará entre seu rebanho. “Atrás da Rosa (Campos de Estupro)” Dado que o clã como um todo mantém a Tradição da Progênie em desprezo. não uma visão proto-vampírica. Capítulo Três: Jantar com Demônios Qual o seu fetiche? Qual o seu prazer? Violência intrigante feita à altura – Como uma luva de veludo. A Inquisição de nossa seita procura uma moratória sobre tais pesquisas. Eu durmo. o clã tem nutrido alguns dos mais bizarras. e meu clã deve garantir que a Pestilência reivindique sua dívida legítima no dia do Apocalipse. . Amanhã um mortal morrerá gritando para o prazer de seu mestre. reter sua natureza humana. . os Tzimisce são notoriamente seletivos sobre quem eles Abraçam.” Eu estou cansado de escrever. enquanto nossa Mão Negra é igualmente vocal em sua defesa Eu apoio meus irmãos militantes neste assunto. Agora nós somos capazes de criar carniçais especializados em nível bacteriano ou. mas inteligência de uma variedade particular – a habilidade de perceber novos meios de ver as coisas ao invés do convencional problema-solução ou tipo de lógica. Consequentemente. à sujarem-se com a animação de buchas de canhão. nós combinamos artes muito antigas com a afiada ciência para produzir as mais virulentas armas que o mundo já tenha visto. O amanhecer se aproxima. De muitas formas esta proximidade se assemelha à dos Malkavianos. . não deve aderir de ante mão aos precitos do clã ou a capacidade de raciocínio. desesperadamente. Esse desvio. Brujah e Pander. como uma bola e corrente. A Gehenna aproxima rapidamente.Na verdade. ativamente. os Tzimisce buscam. mas os Tzimisce não respeitam a insanidade por sua própria finalidade.Death in June. Um Demônio em necessidade de músculos iria mais construir uma dúzia de carniçais do que transmitir a preciosa vitae Tzimisce à um ser indigno. permitindo seus camaradas de farda. até mesmo viral. Tzimisce não são humanos. não querem ser humanos e buscam Abraçar pessoas que tem de algum modo desviado de sua espécie – socialmente. talvez.

Senhores Tzimisce retém bastante influência nas pós-vidas de suas crianças – muito mais que muitos vampiros do Sabá. indispor o zhupan tão ofendido. tem alcançado o quarto nível de Vicissitude). As práticas mágicas Tzimisce diferem daquelas de seus rivais Tremere. Os Tzimisce que tenham despertado sua forma Zulo (por exemplo. Embora este título não traga nenhum peso oficial no Sabá. espelhando a seita anarquista que seus membros fundaram. Os Tzimisce inferiores não necessitam prestar atenção na "sugestão". quase inevitavelmente. Os Tzimisce que praticam Taumaturgia são conhecidos como koldun e recebe respeito de seus iguais. Muitos sujeitos. A Hierarquia do Clã À primeira vista. virtualmente. A pequena hierarquia que existe entre os Tzimisce Sabá é baseada somente no poder. litanias e homenagens para todos os tipos de entidades juntarem-se aos rituais Tzimisce. mesmo aquelas em bandos diferentes. um nítido degrau de auto-expressão dentro da estrutura comunal. Tremere. muitas vezez. muitos membros são laçados por Vinculums estabelecidos durante festas do clã. As Trilhas normalmente praticadas pelos Tzimisce incluem a Sedução das Chamas. e pode "sugerir" cursos de ação aos Tzimisces inferiores. Apesar de sua falta de estrutura formal o clã é ligado muito firmemente. Magia Tzimisce Muitos Tzimisce são feiticeiros completos. Voivode é mais um posto religioso do que secular. preferindo a alquimia e Laços de Sangue para alcançar resultados similares. em Tzimisce que tenha criado uma criança fracassada. os Tzimisce parecem um clã individualista e fragmentário. também. incluindo magos. É o Voivode que decreta os Auctoris e Ignoblis Ritae do clã e quem supervisiona as noites sagradas do clã. os Tzimisce mantém relações com sua progênie. que tem no mínimo um nível de Taumaturgia (Kodun) e que tem demonstrado sabedoria e lealdade à seita e ao clã são conhecidos entre o clã como Zhupans. Zhupans são respeitados por seu conhecimento e poder. os Tzimisce raramente praticam a Trilha da Corrupção. Taumaturgia Espiritual. embora o clã como um todo careça da coragem Tremere nas artes mágicas. Lasombra e a Inquisição Sabá pode estar muito interessados em obter informações específicas sobre a magia Tzimisce. O cabeça do clã Tzimisce como um todo é chamado Voivode. Respeito por seita e herança penetra os Tzimisce e as excentricidades da Vicissitude dita. Surpreendentemente. Esta percepção é inteiramente imprecisa. O Voivode é sempre formidavelmente perito em . Embora os Tzimisce nunca sejam responsabilizados pelas ações de suas crias. Os Tzimisce enfatizam o espiritual e o cerimonial ao contrário do pragmatismo oculto dos Tremere. perde respeito aos olhos de seus companheiros de clã. mas ignorar um zhupan é considerado extremamente rude e irá. Controle dos Elementais e Conjuração. Cânticos. na prática ao Voivode é toscamente concedido o mesmo tanto de status que um cardeal é dado. Então. Embora não tão controlado como os senhores da Camarilla.

Afinal de contas. a maioria dos “indesejáveis” são introduzidos no clã – mesmo que muito. onde mortais e vampiros podem coexistir harmoniosamente. . Estes Tzimisce desafiam abertamente seus anciões interagindo extensivamente com o mundo mortal. Geração X O que este planeta precisa é de uma cirurgia plástica. Uma seleção experimental pode produzir uma progênie indesejável.Vicissitude e Taumaturgia (Koldun). corretamente mau. inesperadamente.The Overlords. . no mínimo. três vampiros Tremere mortos em combate pessoal. supostamente perfeito. alguns “indesejáveis” aderem à uma visão utópica similar à aquela dos Idealistas Brujah. extraordinariamente auto-consciente (por exemplo. admitir que um engano na seleção foi feito é realmente amargo. Dessa forma. mas não totalmente Tzimisce e sofrem por existir graças ao clã. muito rancorosamente. afirmam estes Tzimisce.Shriekback. isto raramente fica bem com os vampiros tão desprezados. o mundo e tudo nele pode ser remodelado num paraíso carnal. sobreviver ou um candidato. ao invés de reuniremse entre eles. quando acontece os competidores tomam a forma zulo e engajam em uma Monomancia física e mágica até a morte ou submissão. uma certa porcentagem falha em se adaptar aos padrões do clã. Facções Postulados Medonhos do Terrível Vampyr Mas nós sabemos que o mal é uma ciência exata – Sendo cuidadosamente. tem quase dominado sua Trilha de Sabedoria) e extremamente sábio. O único símbolo de autoridade é um capuz feito da pele de. Neste processo eles desenvolvem sua própria subcultura e tradições Muitos “indesejáveis” retém algum semblante de Humanidade ao invés de abraçar alguma Trilha de Sabedoria. Lutas pela posição ocorrem quase sempre. Demônios mais velhos os tratam como cidadãos de segunda classe – mais que humanos ou mesmo carniçais. “Organic” Embora os Tzimisce escolham seus neófitos mais cuidadosamente do que fazem a maioria dos vampiros. Através do uso de Vicissitude. Na verdade. Os Tzimisce criam muito poucos Caitiff. uma filosofia de “supremacia vampírica” é duro de engolir. “Nemesis” . Consequentemente. Naturalmente. estes Tzimisce muitas vezes rejeitam seu clã. quando os vampiros provaram ser tais bastardos. pode provar-se fraco durante o Rito de Criação. um soldado buchade-canhão criado durante um cerco pode.

Desde suas primeiras noites os Tzimisce tem sido um clã escolar. o vampirismo é então o prelúdio de algum outro maravilhoso estado de existência. Metamorfosistas Muitos Tzimisce do Sabá abraçam o conceito da Metamorfose. Os Metamorfosistas acreditam que assim como a humanidade é a precursora do vampirismo. Eles experimentam mais do que filosofam. ou distrações dos objetivos reais do clã. os Tzimisce ou fundaram ou desenvolveram as várias Trilhas de Sabedoria Sabá. Portanto. prover novos hábitos para repor humanos instruídos e nutrir uma compreensão do que significa ser um vampiro. os vampiros devem governar abertamente. Estas crenças e rituais servem diversos propósitos: gerar solidariedade entre os vampiros. tem conduzido a Família através de seus julgamentos. Na visão Neofeudalista. . Muitas vezes os magos aliados aos Metamorfosistas observam a similaridade entre a Metamorfose e sua própria visão da Ascensão. mas alguns permanecem únicos ao clã. Muitos Tzimisce acreditam ter sido submetidos aos mecanismos do Sabá. A maioria dos Metamorfosistas possuem uma inclinação científica. Para purificar seus pensamentos e desprenderem-se da subjetividade humana. os Tzimisce não estão contentes em sentar e pensar. naturalmente. assim o clã Tzimisce tem buscado respostas aos enigmas da existência vampírica. O clã também foi instrumental em criar os vários Auctoritas e Ignoblis Ritae do Sabá. e o clã Toreador tem criado diversões para fazer a pós-vida suportável. Executando pesquisas sobre a vida. no final. relembrando o auge do clã como mestres do Leste Europeu. apoiado por uma classe vassala de carniçais e revenantes. por exemplo. ainda que de um modo altamente humilhado. executando pesquisa sobre a pós-vida. Assim como os clãs Ventrue e Lasombra. vendo o esclarecimento através de qualquer número de experimentos profanos tanto em mortais quanto em vampiros. os Tzimisce estão entre os maiores cientistas. Alguns magos tem teorizado que o Antediluviano Tzimisce era de fato um mago antes de seu Abraço e que sua progênie continuou instintivamente à tatear para a Ascensão. um vampiro pode compreender melhor a pós-vida. Estes vampiros. Os Tzimisce. Porém. eles devem somente encontrar o meio. através de sua Disciplina Vicissitude. alquimistas. Os Tzimisce. naturalmente. historiadores e metafísicos Cainitas. e o mundo – particularmente o mundo mortal – é seus laboratórios. Alguns Lasombra sussurram que talvez as palavras e gestos dos Ritos servem para outras e mais sinistras funções: adoração de seres proibidos. tradicionalmente. querem subjugar a raça humana e restabelecer os domínios de outrora. tem a capacidade de substituir suas limitações inatas e tornar-se divino. negam tais alegações. um vampiro pode aprender bastante para transcender este estado. Neofeudalistas O movimento Neofeudalista atrai alguns dos mais velhos e mais conservadores Tzimisce Sabá.

Nas maiores propriedades. Levando a doutrina da Trilha de Caim um passo à frente. gastam a maior parte de seu tempo em forma zulo e até outros Tzimisce os consideram frios e monstruosos. muitas vezes para nenhum fim a não ser satisfazer o senso de propriedade do mestre. revenantes e crias patrulham a área. Recuperacionistas Até mesmo outros Tzimisce temem os fanáticos do credo Recuperacionista. Recuperacionistas pregam que. Tzimisce Recuperacionistas buscam apoteose pelos meios mais diretos possíveis. seja eles inferiores (recuperando vitae desperdiçada) ou igual (eliminando um potencial). Iugoslávia e Checoslováquia como uma trombeta chamando por uma possível reconquista Tzimisce da ancestral pátria do clã. florestas preservam casas de carniçais alterados por Vicissitude (animal e humano) criados para o esporte do mestre e seus cães infernais. alguns Sabá desejam saber se estes Tzimisce quebram o Vinculum clandestinamente em favor de Laços de Sangue privados. Recuperacionistas vêem. “servos” humanos raptados cultivam o solo. Alguns Neofeudalistas mantém enormes propriedades em localidades isoladas. a fragmentação da URSS. eles forçam os vampiros numa situação de "sobrevivência do mais forte" com predador vs. predador). Os Recuperacionistas raramente declaram mas implicitamente compreendem que a meta final é para o último deles – o último sobrevivente da Jyhad – encontrar e beber o sangue do próprio Caim. Os Recuperacionistas avançam a Jyhad avidamente. assim eles freqüentam a vanguarda dos Festins de Guerra do Sabá e são fortes proponentes do genocídio humano (matando as presas naturais. sangue de vampiro. devorando todos os outros vampiros. Embora os Neofeudalistas apresentem obedientemente suas crias para as cerimônias de Vaulderie. Recuperacionistas raramente abraçam. repovoar a terra estéril de acordo com as doutrinas da sabedoria Recuperacionista ao invés de caprichos inúteis. Outros Sabás questionam a lealdade dos Neofeudalistas para a seita. participando nas atividades da seita apenas quando eles devem. mas também como um dever para as espécies (alguém deve “recuperar” o legado de Caim daqueles vampiros indignos de possuí-lo). a diablerie não somente como um prazer. exclusivamente. Os Recuperacionistas preferem beber. os vampiros podem governar suas próprias evoluções. Em particular. Até mesmo outros Recuperacionistas são jogo limpo. assim.cai o Terceiro Estado humano. Este novo-deus pode. avançando ao próximo estágio de existência em tão pouco tempo quanto leva para beber o sangue de um vampiro mais poderoso. então. Neofeudalistas vêem a dissolução do Pacto de Varsóvia. Exércitos particulares de szlachta. Diversifistas . através da diablerie. vendo pouca diferença entre eles e os anciões que a seita subverteu. a confiança dos Neofeudalistas em vassalos privados ao contrário dos membros de bando perturba os legalistas do Sabá.

inerentemente. purgando-se da necessidade de sangue. praticam Ritos esotéricos combinando meditação e anorexia. Exsanguinistas Um bizarro ramo dos Metamorfosistas. Diversifistas poderosos mostram. Tais pesquisas geralmente requer a obtenção de vários ingredientes exóticos e registro de testes submetidos. ocasionalmente. incluindo os amorfos Irmãos de Sangue (Blood Brothers). exatamente. reconhecidamente. o culto Exsanguinista afirma que o sangue. corrompidos pela marca daquele Antigo. pinturas policromáticas e afins são freqüentemente exibidos pelos Tzimisce . Por esta razão.A seita subversiva dos Diversifistas prega que todos os vampiros descendem. a maioria dos Tzimisce esquecem como eles se pareciam. uma ou mais Disciplinas novas e bizarras inventadas por eles. porque só dessa forma pode o Homo sapiens sanguinus evoluir além do estado limitado e definitivamente auto-destrutivo que a baixa perspicácia de Caim impôs sobre eles. Diversifistas aconselham seus irmãos Sabás à desenvolver novos meios de auto-expressão (exemplo. os vampiros tem se divorciado das mais primitivas reações biológicas que regem os ciclos vitais de todos as outras criaturas. alguém poderá separar-se do fio do Antediluviano. e a maioria dos outros Tzimisce encontram Exsanguinistas em frenesis "BINGE-AND-PURGE" esporádicos e espasmódicos vastamente divertidos. nenhum Exsanguinista ainda alcançou a transcendência. independente do desejo do vampiro. Lasombra e Caitiff (todos os outros vampiros são peões dos Antediluvianos. Do mesmo modo. tem prazer em modelarse numa variedade de formas inumanas. Através das décadas. os vampiros podem atingir um estado de existência puramente dirigido pela vontade. de um progenitor Antediluviano estão. em vida. argumentam os Exsanguinistas. Os Diversifistas estão entre os mais ativos pesquisadores Tzimisce. Disciplinas e Linhagens). do culto Exsanguinista. A ciência Diversifistas tem sido responsável pela criação de várias linhagens únicas para o Sabá. Crânios dilatados. Os Tzimisce alteram e ajustam seu corpo rotineiramente de acordo com suas necessidades e caprichos. negando isso como podem). algumas vezes. Tristemente. Muitos Exsanguinistas lançam-se nas minúcias da existência Sabá. O Corpo Eclético A atitude do clã para a humanidade se manifesta na sua atitude para a forma humana. Somente ramificando-se para fora dessa árvore podre ou destruindo-a pela raiz. Muitos Tzimisce Sabá. longe de ser a "vida". constantemente mantendo-se ocupado numa tentativa de esquecer o quão famintos eles estão. Estes divorciados. Afinal de contas. novos poderes. o corpo do Tzimisce irá se alterar espontaneamente. os Diversifistas raramente fraternizam-se com qualquer vampiro salvo seus próprios companheiros de clã. particularmente os jovens. é a prisão que acorrenta os vampiros à um estado de existência inferior. dedos alongados.

conhecida no folclore Slavo como a Noite de Kupala. etc. chifres. Nesta noite. Os Tzimisce planejam seus maiores golpes militares (ao menos na América do Norte) para agir no Halloween. mas os Tzimisce a chama de Zulo. cicatrizes. Porém. grosseiramente equivalente à aquelas dos Lupinos na forma "homem-lobo". Sacrifícios foram feitos. e afins significando afiliação de um bando. A mais notável destas é a noite de 24 de Junho. Esta é a noite. o Voivode chamou o clã para um local de reunião preparado um Rito terrível e selvagem seguiu-se. Além disso. os Tzimisce concedem status dentro do clã.ansiosos em demonstrar sua estranha superioridade. lealdade à facções. Uma força de ataque do Sabá inteira e carniçais podem reunir-se numa cidade sem a população mortal ou a Camarilla notar que alguma coisa está errada. Esta data simboliza a passagem do verão para o inverno e assim a transição entre mortalidade e vampirismo. num código bizarro tão incompreensível aos mais velhos Tzimisce quanto é para os inimigos da Camarilla. pela habilidade em assumir uma forma inumana específica. jovens Tzimisce tem ritualizado estas deformidades autoinduzidas. muitas vezes. Tzimisce nesta forma exibem proezas físicas intensificadas vastamente. quando todos os mortais vestem roupas extravagantes e grotescas. O clã também celebram uma reunião anual em algum dia a cada outono. dizem os Tzimisce do Sabá. Tatuagens. maças. Na verdade. a reunião serve menos como função religiosa do que secular. Altas Noites Profanas Certas noites são sagradas ou por outro lado importantes para o clã. Acusações da Inquisição Sabá relativo à invocação e a prisão de demônios nesta noite são negadas veementemente pelo clã. Na Noite de Kupala. sangue de centenas de cativos fluía em torrentes e os Tzimisces pulavam em milhares de formas em volta da imensa fogueira. protuberâncias. gigante anfíbio. Nestas "conferências". os Tzimisce demonstram novos avanços nas pesquisas do clã e forjam planos para implementar estes avanços durante os Festins de Guerra de Halloween e cercos. é assumida quando o vampiro vai para a guerra. vampiros da Camarilla mortos. normalmente no equinócio. monstruosa. Entre Por Seu Próprio Risco .. Tremere exterminados. A maioria dos outros Sabás referem à esta forma como a "Forma Horripilante". Rumores do sinistro "Comedor-de-Almas" controlando este processo são considerados meras histórias iniciadas pelo esforço dos inimigos do clã em enfraquecê-lo. quando os Tzimisce fundadores da seita descobriu a lendária "flor-de-fogo" e quebraram o Laço de Sangue de seus anciões. Esta forma. até mesmo o mais deformado szlachta pode andar nas ruas abertamente.

É aqui que um Tzimisce guarda suas lembranças da vida mortal e imortal. Muitos vampiros. Este é raramente o caso . . Algo profundo na psique Tzimisce pede por privacidade e espaço pessoal. Os Tzimisce muitas vezes dormem em caixões como um constante lembrete de sua separação do mundo dos mortais. Os Tzimisce referem-se ao seu refúgio principal como a mansão (desconsiderando o tamanho e opulência . Eliot. Os Tzimisce decoram suas mansões numa maneira de refletir sua atitude para não-vida. Igualmente. Servos dos Tzimisce Sim. a aderência dos Tzimisce à esta tradição tem levado a Camarilla a desmascarar mais de um espião Sabá.T. até os mais agressivos. Os Tzimisce são extremamente sensíveis sobre quem eles admitem em seus refúgios. Uns poucos Tzimisce atuais. Sua territorialidade inata manifesta como uma extraordinária sensibilidade para suas redondezas. eternamente ligados nos adornos mobiliares dessas mansões. corredores venosos que batem e pulsam. Onde os homens mortos perdem seus ossos. "portas" adaptadas de membranas viscosas e carniçais "básicamente socorridos". . “A Devastação” Os Tzimisce. Refúgios auxiliares contém um suprimento de terra para dormir e outras necessidades básicas para existência.ao menos não no refúgio principal. tendo crescido imerso em ficção científica e horror. havia um certo ar de vigor. não é adequado para o descanso. este costume é suspenso quando em guerra ou em caçada. Obviamente.S. como beleza. assim permitindo o vampiro à manter a serenidade de sua residência primária.os Tzimisce são nada senão pensadores desejosos). ciente da inclinação dos Tzimisce para crueldade. agilidade e coragem uma estranha exceção à regra clássica de que força. (Ironicamente. Eles são usados quando o Tzimisce tem razões para acreditar que sua mansão estão sendo vigiada pelos inimigos. e os Tzimisce planejam e mantém seus refúgios com cuidado meticuloso.). vem da harmonia.Eu acho que estamos nos becos dos ratos. que é geralmente estendido na forma de um convite formal elaborado. muitos Tzimisce também mantém um ou mais refúgios auxiliares. os Tzimisce são relutantes para entrar noutra morada sem que uma permissão semelhante seja garantida. Refúgios auxiliares também são onde um Tzimisce normalmente trás suas vítimas para matar e torturá-las. imaginam que os refúgios Tzimisce sejam vastos matadouros. Muros respirantes. Para evitar a fraqueza do clã. este hábito provavelmente forneceu as bases para a Segunda e Quinta Tradição da Camarilla. usam vítimas e Vicissitude para adaptar mansões quase orgânicas. costumam desfrutar de períodos de solidão contemplativa. Ainda por cima. com toda aquela deformidade. agradável como pode ser. Ninguém pode entrar sem a permissão expressa do vampiro. onde os muros gotejam com o sangue coagulado de inocentes violados e os corredores reverberando com os gritos dos aprisionados. Um ambiente de assassinato e horror.

os Zantosa. tipo carniçais. Seus poderes sobrenaturais tem se tornado hereditário. raramente pode ser melhor que um neófito vampiro em uma batalha armada. espertos espiões e os Obertuses. Estas criaturas. é improvável que o clã entregue seus mascotes tão cedo. particularmente uma mídia moderna infestada com marionetes da Camarilla na vigia por atividades relativas ao Sabá. O Corcunda de Notre Dame Embora os Tzimisce sejam criaturas formidáveis. Uma vez houve muitas destas famílias. até o número de revenantes ter sido cortado por outros vampiros. Além do mais. mas isto é o único denominador comum entre eles. os Tzimisce desfiguram as criações da natureza em medonhas máquinas de guerra . "jardins" de carne mantidos em tonéis e moldados em várias formações no jeito de pedras de cristal). revenantes são diurnos. eles garantem a lealdade destes seres. embora seja um terror contra mortais. guerreiros monstruosos. propriamente nutrido e banhado. os revenantes também são capazes de procriar e o clã muitas vezes tem criado cuidadosamente revenantes com características hereditárias específicas. até serve para funções arquiteturais e decorativas ( "cortinas" de pele viva. porque através de séculos eles tem ficado muito estranhos para interagir com mortais por períodos longos. . festas canibais e orgias de torturas que duram semanas tornam-se difíceis de esconder da mídia moderna.e através de seus Laços de Sangue. "muros" de músculos. Mais que uns poucos neófitos Tzimisce são criados de descendência destas uniões arranjadas. mas o Clã Tzimisce é uma exceção notável. remodelando-os com Vicissitude para realizarem funções desejadas. cada um com suas próprias características distintas.Victor Hugo. Carniçais O Sabá como um todo rejeita carniçais. Muitos Lasombra e Assamitas antitribu argumentam pela erradicação dos revenantes. que não são nem vampiros. Então. O clã faz uso extenso de servos carniçais. eles lutam entre si tanto quanto eles batalham contra os inimigos do clã. um revenante comum. sábios reclusivos. ou famílias. nem mortais e nem carniçais precisamente. Todos são leais aos Tzimisce. órgãos e ossos. Revenantes Os Tzimisce tem criado uma espécie de seres auto-replicante. Alguns carniçais. e aí existe vários gêneros. A criatividade Tzimisce a esse respeito é tanto prodigiosa quanto terrível de se ver. de revenantes. seus lacaios são até mais temidos pelos inimigos do clã. as residências dos revenantes são refúgios seguros para o Sabá na fuga de Arcontes da Camarilla ou Lupinos. Através de sua Disciplina de Vicissitude. Com o passar do tempo. observadores nômades. Sua utilidade como infiltrados e espiões é limitada. são conhecidos como revenantes. Por outro lado. Igual os outros carniçais. mortais abusados ou simples incesto e esterilidade. os Grimaldis.. Revenantes são bastante obsoletos nestes dias e época. De qualquer forma. Quatro ramos permanecem ainda: os Bratoviches.

Primeiro os carniçais são forçados à beber o sangue de cada um numa cerimônia tipo a Vaulderie. hediondamente deformados. Serviço perfeito é difícil de fazer e assim a maioria dos carniçais Tzimisce são condenados à existir como monstros. dando o resultado final. acham difícil retornar para civilização humana. e o clã usa Vicissitude para aumentar a perícia de combate das tropas. o melhor para intimidar os inimigos.a origem importa pouco. ou carniçal de guerra. animal ou ambos). tomando lições de Vlad Tepes. Carniçais de Guerra (Vozhd) O último e mais raro tipo de carniçal é o vozhd. embora não signifique no mesmo plano como vampiros. Ossos são remodelados em espinhos ou placas blindadas. Uma equipe de Tzimisce (e o ocasional Tremere antitribu) então emprega Vicissitude e rituais Taumatúrgicos para mesclar os carniçais em uma entidade composta. Os Tzimisce raramente sentem ou demonstram afeição ou apreciação por seus carniçais. soldados e sentinelas. porque eles são considerados superiores aos outros carniçais. Os Tzimisce raramente precisam recorrer à gentileza. Vozhd são normalmente criados de 15 ou mais carniçais individuais (humano. fazendo ambos à prova de ataques pelas costas e incapazes de recuar. com a promessa subseqüente de restaurar uma característica facial por década ou também por serviço perfeito. Consequentemente. feições faciais são entortadas em horríveis máscaras. Tais experimentos só teve sucessos periódicos e tem enlouquecido mais de um szlachta ou aleijando-o permanentemente. Szlachta são guerreiros. caçados pelo Sabá. Estas criaturas repugnantes são usadas geralmente quando um posto avançado inimigo é cercado. Raramente os carniçais são deixados em uma forma pura. Um Tzimisce.A existência de um carniçal Tzimisce está longe de ser fácil. Punições excessivamente cruéis esperam a mais leve falha ou mal entendido. enxertou seus szlachta costas à costas. Os Tzimisce chamam estes carniçais de szlachta. Tal criatura é enorme (alguns Sabás ambiciosos tem criado carniçais do tamanho de dinossauros) e . simplesmente para satisfazer os caprichos estéticos do mestre ou curiosidade científica. tais carniçais. Uns poucos carniçais tem escapado do clã através dos séculos. muitas vezes os Tzimisce hipertrofiam ou de outro modo alteram os órgãos sensitivos destes carniçais no esforço de aumentar sua atenção. Alguns szlachta são usados como escoltas. estes carniçais rondam locais desertos e abandonados como monstros predadores. Szlachta pode ser humano ou animal . com seus braços e órgãos múltiplos. até um carniçal cujo mestre não precise deformar é muitas vezes desfigurado de qualquer jeito. uma prática comum entre o clã é tornar a cara do recruta num amontoado irreconhecível de tecido e cartilagem. pele e gordura são extraídos de áreas desnecessárias e implantadas onde enchimento pode ser eficiente. recompensa ou até Laço de Sangue para manter um carniçal na linha. é capaz de . Carniçais Guardiães (Szlachta) Certos carniçais são usados pelo clã como guarda-costas. ou "nobreza". acostumados à dieta de carne humana e sangue vampírico.

garras. mas um violento vozhd é uma destas coisas. seu próprio tamanho e ferocidade de monstro muitas vezes funciona para o detrimento do Sabá: poucas coisas podem convencer os anciões da Camarilla. Por outro lado. ossos e cartilagens em excesso podem ser moldados para dar carapaças. O ritual de criação. Vozhd são quase tão perigosos para seus criadores quanto são para seus inimigos.particularmente numa era de foguetes LAW e explosivos plásticos. Tecidos.desencadear um turbilhão de destruição. embora um vozhd raramente compreenda os comandos de mais de duas ou três palavras. Presença e Animalismo). a criatura é normalmente lobotomizada via Vicissitude ( tal processo também a torna imune à Dominação. mandíbulas ou o que quer que o criador deseje. O resultado final é o equivalente biológico à um tanque: enorme e lento. anarquistas. só este criador pode "comandar" a criatura. e o resultado raramente é digno do esforço . anarquistas. Criar um vozhd requer vasta quantidade de tempo. Além do mais. Inconnu e clãs neutros à entregar-se ao Sabá tão prontamente como a visão do Príncipe de suas cidades ser rasgado em pedaços e vorazmente devorado por um violento vozhd. Fortitude e Pontos de Sangue geralmente iguais ao dobro daquele de maior nível entre os carniçais componentes). Vozhd são extremamente raros na era moderna. colunas. Inconnu e vampiros neutros à unirem contra um inimigo comum. mirado na direção geral dos suculentos e esmagáveis Membros da Camarilla. liga o vozhd à um simples criador. definitivamente. matéria prima e trabalho. presas. quando a hora chega. poucas coisas podem convencer os anciões da Camarilla. O processo de tornar-se um vozhd leva invariavelmente os seres componentes à loucura. . estúpido e devastadoramente poderoso (níveis de Potência. Vozhd estão normalmente famintos antes da batalha e. para evitar isso.