Você está na página 1de 29

A criança dos 3 aos 6 anos

Psicologia Ecológica e do
Desenvolvimento Humano
A criança e o seu
desenvolvimento
• Os estudos efectuados evidenciam a
importância dos seis primeiros anos
de vida e a repercussão que estes
têm no futuro da criança.
• As crianças de menos de 6 anos
representam uma boa parte da
população e são também o grupo
mais vulnerável, com elevada
mortalidade em muitos países.
A criança e o seu
desenvolvimento
• Nas sociedades onde a família é
numerosa, a criança fica aos seus
cuidados, apreendendo tudo o que
essa comunidade lhe transmite:
danças, provérbios, contos, mas
também as interdições.
• Na comunidade actual, a família é
essencialmente nuclear, ficando uma
boa parte da educação da criança, ao
encargo das instituições sociais.
A criança e o seu
desenvolvimento
• Nos primeiros anos de vida, o crescimento físico,
intelectual e motor é muito rápido.
• É essencial que a criança sinta segurança
afectiva, para enfrentar um mundo em constante
transformação.
• A comunidade envolvida na educação deve
conhecer exactamente como se processa o
desenvolvimento da criança, para poder exercer
plenamente a sua missão.
A criança e a educação pré-
escolar
• A educação pré-escolar é o alicerce que cimenta
a educação permanente, e que muitas vezes
desempenha também um papel compensatório,
quando as condições são adversas.
• A criança deve ser educada enquanto membro
de uma comunidade, usufruindo de todos os
recursos educativos de que esta disponha.
A criança e a educação pré-
escolar
• É a fase do evoluir da socialização, porque
a educação começa logo à nascença.
• Descobre e integra-se num universo mais
vasto, começando a espelhar-se a
influência exercida pelos primeiros anos de
vida, conforme o ambiente tenha sido
favorável ou desfavorável.
• Modifica as relações afectivas com os
outros, cuja mudança determinará a sua
futura personalidade .
Motricidade
• 2 aos 4 anos: corre, salta só num pé, anda
nos bicos dos pés
• 4 anos: veste-se sem ajuda e desenha figuras
geométricas simples
• 5 anos:salta e trepa
• 6 anos: já é capaz de realizar quase todas as
actividades físicas de um adulto. O
comportamento passa facilmente da doçura à
violência e da calma à agitação.
A importância dos 6 anos
• Até esta idade o desenvolvimento da
criança foi muito mais rápido do que em
qualquer outro período da vida;
• A criança pesa 6 vezes mais do que à
nascença,tem o dobro do comprimento e o
perímetro craniano atinge 9/10 do seu
tamanho definitivo;
• Já adquiriu numerosos conhecimentos que
servirão de base a novas experiências.
Motricidade

6 anos

-Precisão dos gestos, mais hábeis e finos;


-Boa representação do espaço e do tempo;
- Entrada na escola;
-Aprendizagem da língua escrita;
-Progressiva substituição dos dentes de leite;
Orientação no tempo e no
espaço
• A partir dos 4 anos: sabe dizer a idade,
mais tarde os dias da semana, as estações
e os meses;
• Não tem ainda noção de tempo, e
respostas do género “ Quando fores mais
crescido “, não satisfazem a sua
curiosidade;
• Se a indefinição da lateralidade persistir
até aos 6 anos,podem ocorrer dificuldades
na linguagem e na aprendizagem da
leitura.
Linguagem
• É um dos aspectos mais importantes para o
desenvolvimento da criança e para aprendizagem
da leitura
• Aos 3 anos:
 Diz o seu nome e apelido;
 Descreve uma imagem que tenha visto e a
tenha impressionado;
 Utiliza pronomes e artigos com uma
linguagem já elaborada e organizada,
utilizando o “não” com frequência;
 Faz perguntas do género,como e quando.
Linguagem
• 4 anos
Sabe utilizar adjectivos com diferentes
significados e com palavras de ligação;
O vocabulário enriquece-se com comparações
do género “o que é maior e mais pequeno”;
Já sabe dizer a sua idade;
Exige respostas concretas para as suas
perguntas.
Linguagem
• Aos 5 anos:
 Utiliza pronomes relativos e respectivas conjunções;
Reconhece as cores;
 Tem facilidade no manejo da linguagem, mas ainda com
algumas imperfeições relacionadas com erros gramaticais,
que tendem a desaparecer por volta dos 6 anos, altura em
que a linguagem já deve ser normal.
Linguagem
• Aos 6 anos, com a entrada na escola
primária, a linguagem já deve estar
em consonância com o exigido.
• O domínio da linguagem é importante
para o sucesso escolar, devendo ser
precocemente estimulada, dela
dependendo o desenvolvimento
cognitivo da criança.
Afectividade
• É muito importante para o desenvolvimento da
criança;
• Os primeiros dois anos são essenciais e
assentam, quase em exclusivo, na relação
mãe/filho;
• Cada vez mais se enfatiza a importância da
presença do pai, que também deverá ter um
papel activo na educação da filha/o. A criança já
tem percepção que também existem os avós,
manos, tios, etc.
Socialização
• A partir dos 3 anos: procura a companhia de outras crianças
para brincar, em substituição da agressividade típica da
idade anterior;
• Alarga os seus horizontes e amplia a sua rede de
relações,usando para isso os jogos colectivos e a linguagem;
• Precisa do seu próprio espaço e de tempo para descobrir e
experimentar novas competências sozinha.
Socialização
• A partir dos 3 anos a criança já gosta
de brincar junto com outras crianças,
partilhando brinquedos e
demonstrando maturidade afectiva;
• O grau de afecto e segurança que a
criança sente na família, condiciona a
forma como ela aceita ou não a
entrada no jardim de infância ou na
escola.
Evolução do pensamento
• O pensamento passa a ser mais objectivo, mais
realista, a partir do momento em que recebe do
exterior regras codificadas;
• Imita exemplos, brincando sozinha ou
acompanhada e sem espírito de competição;
• O seu sentido de justiça desenvolve-se claro e
nítido;
• O desenvolvimento moral acontece quando vê pela
primeira vez um gesto de reprovação, uma
expressão negativa na cara de um adulto, ou uma
censura verbal. Assim apreende os valores morais
da sua comunidade.
Factores que influenciam o
crescimento
• Numerosos factores influenciam o
crescimento e desenvolvimento da criança:
alimentação, habitação, higiene, saúde…
• Condições de vida adversas, podem
comprometer definitivamente o futuro de
uma criança;
• A água é indispensável à vida e
infelizmente, em muitos países não existe
água potável.
Alimentação
• É fundamental, porque condiciona não só o
crescimento físico e cerebral, como é também
um momento essencial de troca de afecto
entre mãe e filho;
• As necessidades alimentares interferem no
crescimento e no desenvolvimento da criança;
• As refeições devem ser um momento de
reunião e harmonia familiar, favorecendo o
desabrochar da criança no campo afectivo e
nas práticas de boa educação.
A brincadeira
• Os brinquedos devem ser adaptados à idade da
criança e conter uma vertente pedagógica;
• É uma actividade fundamental que servirá
como meio de exploração, aprendizagem e
desenvolvimento, capaz de estimular as
capacidades cognitivas, físicas e sociais;
• Deve favorecer a imaginação e a fantasia
manipulando elementos que desenvolvam a
percepção sensorial.
Acidentes e Perturbações de
Comportamento
• Até aos 4 anos, os acidentes ocorrem
principalmente dentro de casa ou perto dela;
• São frequentes os acidentes de trânsito,as
intoxicações e os afogamentos;
• A partir dos 5 anos, os acidentes acontecem
sobretudo fora de casa devido à inadaptação da
criança ao contexto;
• Podem acontecer manifestações de agressividade e
oposição, através das quais a criança se tenta
afirmar.
Acidentes e Perturbações do
Comportamento
• Cada criança é única, portanto se houver um
atraso numa aptidão, pode ser normal: uns
caminham mais cedo, outros bem mais tarde.
• Se acontecer um atraso na linguagem, deve
verificar-se o mais cedo possível se não existe
um problema de audição.
• As crianças cujas capacidades físicas estejam
diminuídas devem ter prioridade no acesso às
escolas, como meio de as preparar e facilitar a
sua inserção na comunidade.
Os Problemas Sociais
• As crianças que vivem em famílias
socialmente desfavorecidas, apresentam
muitas vezes algumas dificuldades;
• Necessitam de um complemento educativo,
que ajude a colmatar as lacunas deixadas
pela família;
• A instituição que os acolhe deve dispensar a
estas crianças particular atenção, visando
estimular e facilitar a sua adaptação.
Concluindo…
• Existe uma relação intrínseca entre os aspectos
físicos do crescimento (peso, altura), e os
aspectos afectivos e intelectuais.
• A malnutrição afecta o desenvolvimento
cerebral e as funções cognitivas.
• Para se estudar o problema de uma criança,
tem que se atender também à família e à
comunidade em que está inserida.
Concluindo…

• Como normalmente, as crianças


frequentam creches, jardins de infância
ou escolas, é necessário harmonizar as
actividades realizadas em casa com as
da instituição.
• É importante não esquecer que findo o
horário escolar, a criança precisa de
repousar e experimentar sozinha, as
aquisições feitas na escola.
• Se for excessivamente estimulada em
casa, pode apresentar sinais de
irritabilidade, agressividade ou apatia.
Concluindo…
• Pais e educadores devem ser maleáveis para que a
educação não se torne numa técnica obsessiva, mas sim
aplicada e doseada conforme a necessidade da criança.
• A educação deve corresponder às aspirações da família
e da comunidade em que vive.
• Esta deve ser, portanto, precoce e adaptada às
necessidades da criança.
BIBLIOGRAFIA
• A CRIANÇA E O SEU
DESENVOLVIMENTO DESDE O
NASCIMENTO ATÉ AOS 6 ANOS:
conhecê-la melhor para a ajudar.
C.F.A.P.: Lisboa, 1978.
Trabalho elaborado por:

Ana Isabel Leão


Maria Luísa Carvalho
Sara Figueiredo