Você está na página 1de 246

Curso SAP FI - Finance

Guilherme Pires S. Campos


Junho-2012
Contatos
• Email: guilhermepcampos@gmail.com
• Skype: guilhermepcampos
Conteúdo Programático
• Visão geral do SAP
• Noções Básicas de Contabilidade
• Módulos e Funcionalidades
• Navegação SAP (Dicas & Sugestões)
• Estrutura Organizacional da Empresa
• Configuração de Impostos Retidos
• Plano de Contas
• Contas a Pagar, Conta a Receber e Contabilidade
• Lançamentos, Dados Mestre, Relatórios Rotinas Periódicas: Contas a Receber / Contas a
Pagar Programa de Pagamentos/Bancos
• EDI – Cobrança e Pagamento
• Configuração Extrato Eletrônico
• Contabilidade Encerramento e Variação Cambial
• Configuração Básica: Contabilidade Financeira / Geral, Clientes / Fornecedores
• Demonstrações Contábeis: Razão, Diário, Balanço & Balancete
• Transações de usuários (GL, AP e AR)
• Ferramentas: LSMW (Cargas),
• Metodologia Aplicada em Projetos SAP ABAP Básico.
• Como utilizar e pesquisar o Help SAP.
Systems, Applications and Products in Data Processing

• Empresa líder de mercado em software de


aplicação empresarial fundada em 1972 na
Alemanha com mais de 176.000 clientes no
mundo.
• Principais módulos:
FI – Finanças CO – Controladoria de custos
MM – Gestão de Materiais SD – Vendas e distribuição
PP – Planejamento da produção PM – Planejamento da Manutenção
Basis – Infra-estrutura SAP ABAP – Funcional
HR – Recursos Humanos

• Mais informações: www.sap.com.br


Mercado em Belo Horizonte
• ArcelorMittal
• Usiminas
• Coca-Cola
• Vilma
• MRV
• Fiat
• EPA
• Localiza
• Itambé
• Oi
• Etc....
Metodologia
SAP - FI
A Contabilidade Financeira (FI) enfoca a contabilidade do
Razão Geral, processamento de contas a pagar, contas a
receber, tesouraria, administração de viagens e
contabilidade do imobilizado.

Funciona como um registro completo de todas as


transações contábeis. É o modelo centralizado e atualizado
para a prestação de contas, que podem ser verificadas a
qualquer momento do processamento (tempo real).

É responsável por suportar as demonstrações financeiras relativas ao


Balanço Patrimonial e a Demonstração de Resultados (DRE).
Os sub-componentes do FI

FI-GL (Contabilidade Geral)


Responsável por registrar todos os movimentos
contábeis relevantes.

FI-AA (Contabilidade do Imobilizado)


Responsável por administrar e supervisionar os ativos
imobilizados da empresa. Funciona como um livro auxiliar do
Razão Geral, fornecendo informações detalhadas sobre as
operações (depreciação, revalorização, baixa) que envolvem um
ativo imobilizado.
Os sub-componentes do FI
FI-AP (Contas a Pagar)
Responsável por registrar e administrar os
lançamentos financeiros relativos a fornecedores,
fazendo automaticamente contabilizações em resposta
aos movimentos operacionais tais como pagamento de
faturas, notas de crédito, adiantamentos, etc.

FI-AR (Contas a Receber)


Responsável por registrar e administrar os
lançamentos financeiros relativos a clientes, seus
lançamentos são automaticamente conciliados com o
Razão Geral.
Os sub-componentes do FI
FI-TV (Administração de Viagens)
Responsável por acompanhar todos os processos (planejamento, liquidação,
tributação, pagamento...) envolvidos no tratamento de viagens de
funcionários.

FI-TR (Administração (CM) e Fluxo de Caixa (LP))


A administração de Caixa (CM) é responsável pelo cotidiano das contas
bancárias, controlando o fluxo de pagamentos e recebimentos.

O Fluxo de Caixa (LP) contempla as atividades necessárias para o


gerenciamento (previsão) do fluxo de pagamentos e recebimentos
controlados pelo CM, além de receber informações de Vendas (SD) e
Compras (MM), proporcionando uma visão ampla sobre os direitos e
obrigações financeiras da empresa.
Fluxo
Fluxo
Conceitos Contábeis
• CONTABILIDADE: É a ciência que estuda e controla o
patrimônio, objetivando representá-lo graficamente,
evidenciar suas variações, estabelecer normas para sua
interpretação, análise e auditagem e servir como
instrumento básico para a tomada de decisões de todos
os setores direta ou indiretamente envolvidos com a
empresa.

• FUNÇÕES DA CONTABILIDADE: Registrar, organizar,


demonstrar, analisar e acompanhar as modificações do
patrimônio em virtude da atividade econômica ou social
que a empresa exerce no contexto econômico.
Conceitos Contábeis
• BALANÇO: É um quadro (mapa, gráfico, etc.) onde é
demonstrada a situação econômica/ financeira da
empresa na data a que o balanço diz respeito. O balanço
avalia a riqueza, isto é, o valor da empresa, mas não
demonstra o seu resultado, apenas o apresenta em valor
total, sendo a sua demonstração feita num outro
documento chamado "demonstração de resultados". O
balanço é composto por duas partes, que se encontram
sempre em equilíbrio. O Ativo é igual ao Passivo mais o
Patrimônio Líquido.
Conceitos Contábeis
• DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO
(DRE): Destina-se a evidenciar a formação de resultado
líquido do exercício, diante do confronto das receitas,
custos e despesas apuradas segundo o regime de
competência.
Conceitos Contábeis
• ATIVO: Conjunto de bens e direitos de uma empresa. O Ativo
corresponde então à parte positiva do patrimônio. Exemplos: caixa,
conta bancária, estoque, duplicatas a receber, imobilizado, etc.

• BENS: Tudo que pode ser avaliado economicamente.


▫ Tangíveis: têm existência física, existe como coisa ou objeto.
Ex.: Dinheiro, mercadoria p/ revenda, imóveis, máquinas,
veículos, móveis, equipamentos, etc.
▫ Intangíveis: não têm existência física. Ex.: Marcas e patentes,
ações ou Quotas de Capital.

• DIREITOS : São bens de nossa propriedade que se encontram em


poder de terceiros. (valores a receber). Ex.: duplicatas a receber,
títulos a receber, notas promissórias a receber, aluguéis a receber,
clientes, dinheiro em banco, aplicações financeiras, etc.
Conceitos Contábeis
• PASSIVO: Conjunto de deveres e obrigações. O passivo é
a parte negativa do patrimônio. Ex: Duplicatas a pagar,
impostos a recolher, empréstimos a pagar, salários a
pagar, etc.

• OBRIGAÇÕES: São dívidas ou compromissos de


qualquer espécie ou natureza assumidos perante
terceiros, ou bens de terceiros que se encontram em
nossa posse. Ex.: duplicatas a pagar, títulos a pagar,
notas promissórias a pagar, aluguéis a pagar,
fornecedores, impostos a recolher, etc.
Conceitos Contábeis
• PATRIMÔNIO LIQUIDO: Compreende os recursos
próprios da empresa, ou seja, a diferença a maior do
ativo sobre o passivo. Se o passivo superar o ativo
denomina-se “Passivo a Descoberto”.

• EXERCÍCIO SOCIAL: É o espaço de tempo (12 meses),


findo o qual as pessoas jurídicas apuram seus resultados;
ele pode coincidir, ou não, com o ano-calendário, de
acordo como que dispuser o estatuto ou o contrato
social.
Conceitos Contábeis
• Conta Contábil: Registram a movimentação do balanço
patrimonial sendo a natureza da operação Devedora ou
Credora.

• Exemplos de debito e credito


▫ Depósito Bancário em dinheiro: Debito no BANCO e
Credito no CAIXA.
▫ Obtenção de empréstimo bancário: Debito no BANCO e
Credito no EMPRESTIMO A PAGAR.
Conceitos Contábeis
• CONTAS DE RESULTADO: Registram as variações
patrimoniais e demonstram o resultado do exercício
(receitas e despesas).

• RECEITAS: São entradas de elementos para o ativo da


empresa, na forma de bens ou direitos que sempre
provocam um aumento da situação líquida.

• DESPESAS: São gastos incorridos para, direta ou


indiretamente, gerar receitas. As despesas podem
diminuir o ativo e/ou aumentar o passivo exigível, mas
sempre provocam diminuições na situação líquida.
Conceitos Contábeis
• IMOBILIZADO: Bens e direitos destinados às atividades
da empresa; terrenos, edifícios, máquinas e
equipamentos, veículos, móveis e utensílios, obras em
andamento para uso próprio, etc.

• DEPRECIAÇÃO: Representa o desgaste de bens físicos


registrados no ativo permanente, pelo uso, por causas
naturais ou por obsolescência.
Conceitos Contábeis
• PROVISÃO: Provisões representam estimativas de perda
de ativos ou de obrigações para com terceiros. Esses
eventos, embora já tenham seu fato gerador contábil
ocorrido, não podem ser medidos com exatidão e têm,
portanto caráter estimativo.
Conceitos importantes no mundo SAP
• SAP Logon
• Mandantes
• Requests
• Menus
• Favoritos
• Navegação
• Transações
▫ X1 - Criar
▫ X2 - Modificar
▫ X3 – Exibir
SAP Logon
Utilizado para acessar o SAP.
Mandante
Cada mandante é uma unidade completa, que tem registros mestre
separados e um conjunto inteiro de tabelas e dados. E é o mais alto nível no
sistema hierárquico.
É o seu ambiente de trabalho dentro do sistema.
Mandante
• Exemplo de mandantes para Desenvolvimento:
▫ 110 – Customização/Desenvolvimento
▫ 120 – Desenvolvimento ABAP
▫ 115 – Testes abertos – Sandbox
▫ 130 – Testes unitários

• Ex. para Qualidade:


▫ 310 – Testes qualidade

• Ex. para Produção:


▫ 310 - Produção
Transação
• Responsável por executar os programas ABAP
para realizar determinada tarefa.
Dicas de Navegação
• Transação  SEARCH_SAP_MENU
Dicas de Navegação
• /n + transação  Atalho para acessar uma
transação sem precisar ir para tela inicial do
SAP.

• /0 + transação  Abre uma nova sessão com a


transação informada.

• /nex  Efetua logoff do sistema.


Request
É um “pacote” que contém parametrizações do módulo do R/3 ou um
desenvolvimento ABAP. A request guarda a parametrização feita pelo consultor
no mandante de desenvolvimento e pode ser liberada para transporte para
outros mandantes e sistemas do R/3 .
SAP Menu - Usuário
SAP Menu – Consultor (IMG / SPRO)
Estrutura Organizacional
• País
• Empresa
• Divisão
• Sociedade
• Filial
• Área de Crédito
• Área de Adm. Financeira
Estrutura de FI
País
• Definimos o idioma.
• Esquema de cálculo.
• Formato de Data e Moeda.

Transação: OY01 e OY17


País
Empresa
• A empresa representa a menor unidade
organizacional com necessidade de emissão de
um Balanço Patrimonial e DRE exigidos por
normas legais.

O código da
empresa utiliza um
campo alfanumérico
de 4 dígitos no SAP.
Empresa - Customizing

Transação: EC01
Empresa - Customizing

Transação: OX02
Divisão
• A divisão é utilizada para criação do balanço
patrimonial e de cálculos de lucros e perdas para
fins interno, ou para atender as necessidades do
sistema de informação do segmento externo.

O código da função divisão


corresponde a um campo
alfanumérico de 4 dígitos.
Divisão - Customizing

Transação: OX03
Sociedade
• Uma sociedade pode incluir uma ou mais
empresas. Um dos objetivos da sociedade é
possibilitar a elaboração de Balanços
patrimoniais consolidados para um grupo de
empresas através do componente EC-CS ou
SEM-BCS. Sociedade

Empresa A Empresa B
Sociedade - Customizing

Transação: OX15
Filial
• Para o modelo de negócios do Brasil é necessário
criar uma nova unidade organizacional chamada
filial. Por exemplo, a filial é o nível em que são
feitos os relatórios de impostos e de notas
fiscais. É também a unidade organizacional à
qual é atribuído o número de CNPJ.
Filial - Customizing
Área de Crédito
• A Área de Controle de Crédito é uma unidade
organizacional utilizada para especificar e
controlar o limite de crédito de clientes

OB45
Área de Crédito - Customizing

OB45
Área de Adm. Finaceira

• é uma unidade organizacional da Contabilidade que estrutura


a empresa do ponto de vista da previsão de tesouraria e da
administração do orçamento.

• A definição de unidade organizacional Adm Financeira é


opcional;
Área de Adm. Finaceira - Customizing
Parâmetros Globais
• Variantes
• Exercício Fiscal
• Atribuições
Variantes
O princípio da variante é um método em três etapas, usado no sistema R/3,
para atribuir propriedades especiais a um ou mais objetos R/3. As etapas são:

1. Definir a variante.

2. Preencher a variante com valores.

3. Atribuir a variante a objetos R/3.

 Este princípio é usado para:


 status do campo
 períodos contábeis
 exercícios
 ....
Exercício Fiscal
O exercício pode ser definido como:
13 14 15 16
• Independente do exercício: Se cada
12 01
exercício de uma variante de exercício
11 02 usar a mesma quantidade de períodos,
10 03 e os períodos contábeis tiverem início e
fim sempre no mesmo dia do ano.
09 04
08 05 • Dependente do exercício: períodos
07 06
podem variar de ano para ano. Cada
exercício pode começar e terminar em
datas diferentes.
Exercício Fiscal
Ano civil Exercício divergente do ano civil
-1
Dez. Jan. Abr.
-1 Mar.
Nov. 12 01 Fev. Maio
Fev.
11 02 06 01
Out. Mar.
10 03 -1 Jan. Junho
09 04 05 02
Set. Abr. Dez. Julho
08 05
Ago. 07 06 Maio 04 03
Nov. Ago.
Jul. Jun. Out. Set.
Variante Exercício - Customizing

Transação: OB29
Variante para período Contábil -
Customizing
Variante para período Contábil
Exercício e período contábil

O exercício social tem duração de um ano e é dividido em períodos (12 a 16).


Todos os meses é apurado o resultado do período, isto é, se houve lucro ou
prejuízo.
O SAP lhe permite controlar qual período contábil pode receber
lançamentos ou devem ser bloqueados.

Transação: OB52
Status de Campo
• Todos os campos têm uma das seguintes
propriedades (da maior até a menor prioridade):
▫ Ocultar
▫ Exibir
▫ Entrada obrigatória
▫ Entrada facultativa
Status de Campo
• O status de campo especifica quais campos estão
ativos quando um documento é criado, quais são
de preenchimento obrigatório e quais são apenas
para visualização.
• Os status de campos são agrupados em uma
variante que por sua vez é associado a uma
empresa.
Status de Campo
Status de Campo
Moedas
• Moedas da Empresa
• Tipos
• Fator de Conversão
• Atualização de Cotações
Moedas
• Definir moedas internas adicionais
Podem definir moedas adicionais que se pretenda administrar por
empresa paralelamente à moeda interna.

Exemplo:
• Moeda forte
Por moeda forte entende-se uma moeda fictícia de um determinado
país e que se utiliza em países de inflação elevada.

• Moeda indexada
Por moeda indexada entende-se uma moeda específica do país,
fictícia, estipulada em alguns países de inflação elevada para o
sistema de informações externo.
Moedas - Customizing
Moedas
Moedas
• Código da moeda
A definição do código da moeda está
diretamente relacionado com o País.

R$ BRL
Moeda - Customizing
Moeda
Moeda
Moeda - Customizing
Definir casas decimais das moedas.
Moedas
• Categoria de Taxas de Câmbio
▫ Define como será convertida a moeda.

• Histórica
• Taxa de compra
• Taxa de Venda
• Média – M
• Taxa Flutuante
Fator de Conversão
• As margens das taxas de câmbio entre a
taxa de compra/venda do banco e a taxa de
câmbio média permanecem, em geral,
constantes. Se a margem de uma categoria de
taxa de câmbio for introduzida no sistema,
somente a taxa de câmbio média deverá ser
atualizada, uma vez que a taxa de compra e de
venda pode derivar da adição/subtração da
margem da taxa de câmbio à/da taxa de câmbio
média.
Fator de Conversão
Moeda
• Moeda base - pode ser associada a uma
categoria de taxa de câmbio. Depois, torna-se
necessário apenas atualizar as taxas de câmbio
para todas as outras moedas nessa moeda base.
A tradução entre 2 moedas estrangeiras é feita
via moeda base.

Exemplo: EUR/BRL e BRL/USD

De EUR para USD: O EUR é transformado para


BRL e de BRL para USD.
Moeda

Transação: OB08
Plano de Contas
• Tipos
• Grupo de Contas
• Status de Campo
• Conta Contábil
Plano de Contas
• Estrutura que contém o conjunto de contas
criadas para atender às necessidades de registro
dos fatos administrativos, de forma a possibilitar
a construção dos principais relatórios contábeis
e atender a todos os usuários da informação
contábil.
 Ativo : Contém contas Patrimoniais e Bens e Direitos
 Passivo : Obrigações e Patrimônio Líquido
 Resultado : Perdas e Despesas e Receitas e Ganhos
Plano de Contas
Balanço
Ativo Passivo
100000- Bank 260000 -
140000- Customers 251000 -
150000- 260000 -
140000-
160000-. P&L
170000 -

Demonstração Resultado
300000 – Sales Income
353000 - CPV
Gross Profit
400000 - Supply
410000 - Services
420000 - Wages
430000 - Energy
Net Profit
Plano de Contas - Operacional
• O plano de contas operacional contém as contas
do Razão usadas para lançamento na empresa
durante atividades diárias.

• É necessário atribuir um plano de contas


operacional a uma empresa.

IMG > Contabilidade financeira (nv.) > Contabilidade geral (novo) > Dados mestre > Contas do Razão >
Preparar > Processar lista de planos de contas
IMG > Contabilidade financeira (nv.) > Contabilidade geral (novo) > Dados mestre > Contas do Razão >
Preparar > Atribuir empresa a plano de contas
Plano de Contas - Grupo
• Plano de contas do grupo de empresas ,
contém as contas do Razão usadas por todo o
grupo de empresas. Permite-se que a sociedade
forneça relatórios a todo o grupo de empresas.

• A atribuição de um plano de contas do grupo de


empresas a uma empresa é opcional.
IMG > Contabilidade financeira (nv.) > Contabilidade geral (novo) > Dados mestre > Contas do Razão >
Preparar > Processar lista de planos de contas
Plano de Contas - País
• O plano de contas específico do país
contém as contas necessárias do Razão
necessárias para atender às necessidades
legais do país. Permite-se fornecer
comprovantes para as necessidades legais
do país.

IMG > Contabilidade financeira (nv.) > Contabilidade geral (novo) > Dados mestre > Contas do Razão >
Preparar > Atribuir empresa a plano de contas
Plano de Contas
• Plano de contas: 4 caracteres.

• Três etapas para criar e usar:


▫ Definir o plano de contas.
▫ Definir as propriedades do plano de contas.
▫ Associar o plano de contas à empresa.
Plano de Contas

É necessário atribuir
um plano de contas
para cada empresa.
Atribuindo o Plano de Contas
Grupo de Contas
• O Grupo de Contas controla:
▫ Os intervalos de numeração das contas.
▫ O status de campo do registro mestre.

• Como o plano de contas contém muitos tipos diferentes


de contas, estas podem ser agrupadas em "grupos de
contas” diferentes. Em geral, um grupo de contas reúne
contas com as mesmas tarefas no Razão, por exemplo,
contas de fundos líquidos, de material, de imobilizado,
de resultados, etc.
Definir Grupo de Contas
Com a atribuição de um intervalo de
numeração a um grupo de contas,
pode-se garantir que as contas do
mesmo tipo fiquem no mesmo intervalo
de numeração.

OBD4
Definir Grupo de Contas
Estrutura do Balanço
Estrutura do Balanço
Contas Contábeis
• No plano de contas tem que especificar se a
conta é uma conta de balanço ou conta de
resultado.
• Contas de balanço – o saldo é transportado
para a mesma conta do próximo período.
• Contas de resultado – o saldo é transportado
para uma conta de lucros líquidos acumulados
no mesmo período e as contas de resultado são
zeradas.
Contas Contábeis
• Exibir partidas em aberto
▫ Esta definição faz com que todas as partidas sejam
exibidas
▫ Não devem ser marcadas para contas que tem
muito movimento e que tem a abertura no
livro auxiliar ou em outros módulos.
• Ex.
• Reconciliação de clientes e fornecedores.
• Contas de receitas (vendas )
Contas Contábeis
• Administração de partidas em aberto
▫ Utilizadas para contas que devem ser
compensadas
• Normalmente, contas transitórias, compensação
bancária, provisões salariais, entrada
mercadorias/entrada de fatura
• Não devem ser usadas em contas bancárias
(movimento)
Contas Contábeis
• Conta de Conciliação
▫ São contas do Razão atribuídas aos registros mestre do
parceiro de negócios para registrar todas as transações
no livro auxiliar.
▫ Qualquer lançamento nas contas do livro auxiliar
atualiza, automaticamente, os saldos das contas de
conciliação atribuídas. Desta forma, o Razão está
sempre atualizado.
▫ Uma conta do Razão é definida como uma conta de
conciliação com a entrada do tipo de conta de
conciliação que está no campo "Conta de conciliação
para tipo de conta".
• Exemplo:
▫ D para clientes
▫ K para fornecedores
• A conta de conciliação torna-se, então, válida
apenas para o tipo de conta especificado.
• As contas de conciliação comuns são as de
“Negociação a receber” e “Negociação a pagar”.
• Nota: não é possível fazer lançamentos
diretamente nas contas de conciliação.
Conta para transporte do Resultado
Contas Contábeis
Contas Contábeis
Contas Contábeis
Contas Contábeis
Contas Contábeis - Bloquear
Contas Contábeis - Eliminar
Plano de Contas
• F.10 – Imprimir plano de contas
Plano de Contas
• F.10 – Imprimir plano de contas
Documento
• Conceito.
• Principais tipos de documento.
• Intervalo de numeração.
• Status de Campo.
• Chave de lançamento.
Tipo de Documento
• O tipo de documento controla o cabeçalho do
documento e é usado para diferenciar as
transações comerciais a serem lançadas, por
exemplo, fatura de cliente, pagamentos de
fornecedor etc. Os tipos de documento são
definidos no nível do mandante. O sistema
standard é fornecido com tipos de documentos
que podem ser utilizados, modificados ou
copiados.
Documento
• Todo lançamento no SAP é gravado em forma de
documento.
▫ Cabeçalho (aplicam ao documento inteiro);
▫ 2 a 999 partidas individuais.
• Um documento é identificado pela combinação
de:
▫ Número do documento.
▫ Empresa.
▫ Exercício.
Tipo de Documento
• Os principais controles de tipos de
documentos são:
▫ O intervalo de numeração dos números de
documento.
▫ Os tipos de conta permitidos para lançamento.
Tipo de Documento

OBA7
Principais Tipos de Documento
Tipo de Documento
Intervalos de numeração de
documentos
O intervalo de numeração de documento define o
intervalo permitido em que se deve posicionar um
número de documento, que não pode ser sobreposto.
• Numeração interna: o sistema grava o último número
de documento usado, a partir do intervalo de
numeração, no campo “número atual” e adota o número
subseqüente para o documento seguinte.
• Numeração externa: o usuário entra o número de
documento original ou o número é transferido
automaticamente de outro sistema. Geralmente, os
números não são utilizados em seqüência, o que torna
impossível para o sistema arquivar um “número atual”.
Os números podem ser alfanuméricos.
Intervalos de numeração de
documentos
• O intervalo de numeração de documento deve ser
definido para o exercício em que será usado. É possível
definir os intervalos de numeração de documento:

• Até um exercício futuro: no início de cada exercício,


o sistema continua a adotar o número seguinte ao
“número atual”. Não é reiniciado no limite inferior.
• Por exercício: no início de cada exercício, a numeração
do documento começa novamente no limite inferior. Isto
evita que o limite superior de um intervalo seja atingido.
Intervalos de numeração de
documentos
Chave de Lançamento
• Conceito
• Tipos
• Customizing
Chave de Lançamento
• A chave de lançamento tem funções de controle
dentro das partidas individuais.
• Essas funções controlam:
▫ O tipo de conta em que é possível lançar a partida
individual;
▫ Se o item é lançado como débito e crédito;
▫ O status do campo de detalhes adicionais.
• Assim como os tipos de documento, as chaves
de lançamento são definidas no nível do
mandante.
Chave de Lançamento
• Nas operações standard, as chaves de
lançamento são identificadas como “débito” e
“crédito”. Valores propostos:
▫ Para operações do Razão: “débito” é a chave
de lançamento 40, “crédito” é a chave de
lançamento 50.
▫ Para faturas de clientes: “débito” é a chave de
lançamento 01, “crédito” é a chave de lançamento
50.
▫ Para faturas de fornecedores: “débito” é a
chave de lançamento 40, “crédito” é a chave de
lançamento 31.
Status de Campo - Documento
• Como regra geral, o status do campo dependente
da personalização da conta em contas do Razão.
No processamento de clientes e fornecedores, o
status do campo é personalizado na chave de
lançamento, quando necessário.
Chave de Lançamento
Chave de Lançamento
Clientes Fornecedores Razão
01 11 21 31 40 50
02 12 22 32 80 90
03 13 23 33 81 91
04 14 24 34 83 93
05 15 25 35 84 94
06 16 26 36 85 95
07 17 27 37 86 96
08 18 28 38
09 19 29 39
Para lançamentos no Razão
fora da Administração materiais
Ativo Materiais
70 75 89 99
Chave de Lançamento
• A SAP recomenda a utilização das chaves de
lançamento standard fornecidas. Se
modificá-las, ou definir novas chaves de
lançamento, todas as tabelas que façam
referência a essas chaves deverão também ser
atualizadas.
Gravar texto para item de
documento – OB56 Exibe alerta na transação

Colocar “=“ + “código do texto” no campo TEXTO.


Propor data efetiva – OB68
Propor data efetiva – OB68

Verificar resultado na F-02 no lançamento do item.


Gravar desvio de câmbio máximo
por empresa – OB64
Gravar desvio de câmbio máximo
por empresa – OB64

Em lançamentos em moeda estrangeira, a taxa de câmbio


pode ser proposta no cabeçalho do documento.

Neste caso é executada uma comparação com a taxa de câmbio


gravada no sistema.

Se, durante esse processo, for encontrado um desvio que


ultrapasse a porcentagem aqui indicada, ocorre um aviso
Gravar tipo de documento e chave
de lançamento – OBU1
Gravar tipo de documento e chave
de lançamento – OBU1

Aqui são definidos


valores propostos para
tipos de documentos e
chaves de lançamento
que, caso contrário, terão
de ser entrado pelo
usuário quando este
efetuar o processamento
de transações contábeis.
Clientes e Fornecedores
Visão da conta de clientes (visão em SD)

• Como o departamento de vendas e distribuição


também permanece em contato com o cliente e
precisa conhecer os dados específicos sobre ele,
pode ser criado um segmento da área de
vendas para cada cliente.

• Os documentos gerados em SD são


automaticamente lançados no Contas a Receber.
Clientes e Fornecedores
Visão da conta de fornecedores (visão em
MM)

• Da mesma forma que existe o segmento da área


de vendas para clientes, há os segmentos da
organização de compras para fornecedores.
Este segmento contém dados específicos da área.
Clientes e Fornecedores
• A SAP recomenda a utilização das chaves de
lançamento standard fornecidas. Se
modificá-las, ou definir novas chaves de
lançamento, todas as tabelas que façam
referência a essas chaves deverão também ser
atualizadas.
Clientes e Fornecedores
O grupo de contas controla:
• Os intervalos de numeração das contas
• O status dos campos no registro mestre
• Se a conta é de cliente ou fornecedor ocasional.
Clientes e Fornecedor

• O grupo de tolerância de
cliente/fornecedor é usado para fornecer
especificações para:
▫ Procedimentos de compensação,
▫ Diferenças de pagamento permitidas,
▫ Lançamento de partidas residuais das diferenças
de pagamento,
▫ Tolerâncias para avisos de pagamento.
Cliente OBA3

• Grupo de Tolerância.
Fornecedor OBA3

• Grupo de Tolerância.
Clientes
• Definir Grupo de Clientes.
Clientes
• Definir Grupo de Clientes.
Clientes
• Definir Intervalo de Numeração.
Clientes
• Atribuir Intervalo de Numeração.
Clientes
• Criar cliente.

FD01 // XD01
Fornecedor
• Definir Grupo de Fornecedores.
Fornecedor
• Definir Grupo de Fornecedor.
Fornecedor
• Definir Intervalo de Numeração.
Fornecedor
• Atribuir Intervalo de Numeração.
Fornecedor
• Criar fornecedor.

FK01 // XK01
Bloqueio de Pagamento
• Definir motivos de bloqueio de pagamento  OB27
Bloqueio de Pagamento
• Definir motivos de bloqueio de pagamento  OB27
Condição de Pagamento
• As condições de pagamento são condições
estabelecidas entre parceiros de negócios para liquidar o
pagamento de faturas. As condições definem o
vencimento da fatura e o desconto oferecido para
liquidação antecipada dessa fatura.

• Se a condição de pagamento tiver sido atribuída no


registro mestre, ela será proposta pelo sistema durante o
processamento do documento; no entanto, o usuário
pode entrá-la ou modificá-la durante o processamento
da transação.
Condição de Pagamento
• obb8
Condição de Pagamento
• OBB8
Condição de Pagamento
• OBB8
Condição de Pagamento
• OBB8
Condição de Pagamento
• OBB8 – Condição “Fora Mês”
Condição de Pagamento
• OBB8 – Condição “Fora Mês” + 60 dias
Parcelas de Pagamento
• OBB9
Parcelas de Pagamento
• OBB9
Definir bancos da empresa – FI12
Definir bancos da empresa – FI12

O campo “Chave do Banco” é


composto pelo código do
banco + DV Banco + numero
da agencia.
Definir bancos da empresa – FI12
Definir bancos da empresa – FI12
Definir bancos da empresa – FI12

Digito da agencia para o


1º caractere e digito da
conta para o 2º
caractere.

Mas se você colocar o


digito da conta no
campo conta bancaria
não é pra colocar o
digito aqui.

Cada banco utiliza uma


conta contábil
FBZP
Configuração da estrutura do programa de
pagamento

A maioria das configurações de programa de pagamento pode


ser acessada diretamente pelo usuário da aplicação. As
configurações dividem-se nas seguintes categorias:

▫ Todas as empresas
▫ Empresas pagadoras
▫ Formas de pagamento no país (são as formas de pagamento
como: cheque, boleto, DOC, etc)
▫ Formas de pagamento por empresa (são as formas de
pagamento definidas para a empresa)
▫ Seleção de bancos
FBZP
Todas as empresas

• Definir para todas as empresas:


▫ Relações de pagamento interempresarial
▫ As empresas que processam pagamentos
▫ Descontos
▫ Dias de tolerância para pagamentos
▫ As transações de cliente e fornecedor que têm que ser
processadas
Empresa – FBZP
FBZP
Empresas pagadoras

Definir para cada empresa:


▫ Montantes mínimos de entradas e saídas de pagamentos
▫ Formulários de aviso de pagamento e EDI
▫ Parâmetros de letra de câmbio
Empresa Pagadora – FBZP
FBZP
Formas de pagamento no país

Definir para cada país:


▫ Formas de pagamento: cheque, transferências bancária etc.

Depois, definir as necessidades e especificações básicas


para cada forma de pagamento:
▫ Criar cheque, transferência bancária, letra de câmbio, etc.
▫ Requisitos de registro mestre, ou seja, endereço obrigatório
▫ Tipos de documentos para lançamentos
▫ Programas de impressão
▫ Moedas permitidas
Formas de pagamento no país – FBZP
Formas de pagamento no país – FBZP
FBZP
Formas de pagamento por empresa

Definir para cada forma de pagamento e empresa:


▫ Os montantes de pagamento mínimo e máximo
▫ Se os pagamentos no exterior e moedas estrangeiras são
permitidos
▫ Opções de agrupamento
▫ Otimização bancária
▫ Especificações de letra de câmbio
▫ Formulários de meios de pagamento
Formas de pagamento por Empresa –
FBZP
FBZP
Seleção de bancos

Esses componentes precisam ser considerados na seleção


do banco da empresa pagadora:
▫ Ordem de classificação
▫ Montantes
▫ Contas
▫ Encargos
▫ Data valor
Determinação de Bancos – FBZP
Atualizar código ISO
Atualizar código ISO

Para bancos no Brasil o código sempre será o


9.

Este é o nome
do banco que
você criou.
Programa de Pagamento
• F110  Executa o módulo que gerar propostas para pagamento ou
cobrança.

Data do dia.

É definido pelo usuário. Não tem


um padrão definido pela SAP.
Normalmente é a inicial do usuário
mais o numero da remessa.
Programa de Pagamento
• F110  Executa o módulo que gerar propostas para pagamento ou
cobrança.

Campo obrigatório. Aqui você


deve colocar o(s) meios de
pagamentos escolhidos.

Campo obrigatório. Aqui você


deve colocar a data do próximo dia
que você escolheu.

Aqui podemos informar um único


fornecedor ou um range de
fornecedores/clientes.
Programa de Pagamento
• F110  Executa o módulo que gerar propostas para pagamento ou
cobrança.

Aqui você define critérios de seleção


para localizar os títulos que você irá
efetuar o pagamento.
Programa de Pagamento
• F110  Executa o módulo que gerar propostas para pagamento ou
cobrança.

Estes campos sempre são


selecionados.

Informa novamente os
fornecedores. Ou range que ele se
encontra.
Programa de Pagamento
• F110  Executa o módulo que gerar propostas para pagamento ou
cobrança.

Aqui você informa qual é a


variante para pagamento. Está
variantes contém dados sobre
a empresa pagadora, formas
de pagamento, etc...
Programa de Pagamento
• Criar a variante de pagamento para a F110.
▫ SE38  RFFOBR_U
Programa de Pagamento
• Criar meio de pagamento A (cobrança).
▫ F110
Programa de Pagamento
• Criar meio de pagamento A (cobrança).
▫ F110
Programa de Pagamento
• Criar a variante de cobrança para a F110.
▫ SE38  RFFOBR_A
Programa de Pagamento
• Criar a variante de cobrança para a F110.
▫ SE38  RFFOBR_A
Programa de Pagamento
• Criar a variante de cobrança para a F110.
▫ SE38  RFFOBR_A
Impostos
O SAP suporta os sistemas de impostos para
diferentes países:
▫ Impostos em vendas e compras
▫ Imposto de vendas US
▫ Impostos adicionais (específico de país)
▫ Imposto retido
Basicamente podem ser processados no sistema:
▫ Impostos cobrados em um nível nacional/federal,
com taxas definidas uniformemente.
▫ Impostos cobrados em um nível jurisdicional
(estadual, municipal, etc), com taxas definidas
pelo estado/jurisdição.
Impostos
• Regulamentações nacionais determinam se a
base do valor de imposto necessita ser:
▫ Valor líquido – tributação de itens de despesa ou
receita menos desconto
▫ Valor bruto – tributação de itens de despesa ou
receita incluindo desconto
• Você define qual valor será usado para cada
empresa ou para o maior nível de jurisdição
Impostos em Vendas e Compras
• O imposto em vendas e compras é o saldo do débito
fiscal e crédito fiscal.
▫ O débito fiscal é tributado no valor líquido das
mercadorias e é faturado no cliente. É uma
responsabilidade da empresa ao fisco.
▫ O crédito fiscal é tributado na fatura líquida e é
faturado no fornecedor. O crédito fiscal é um
recebimento o qual a empresa reivindica do fisco.
• Em certas circunstâncias, uma empresa pode deduzir o
imposto inicial que ele tem de pagar da sua dívida fiscal
ao fisco: somente impostos que tem sido tributado em
valor adicional de mercadorias tem de ser pago ao longo
do fisco. O passivo fiscal menos crédito fiscal é dedutível
do imposto a pagar.
Impostos
• Impostos Diretos
▫ IR
▫ ISS
▫ PIS
▫ COFINS
▫ CSLL
▫ INSS
▫ PIS/COFINS/CSLL
▫ IRPJ

• Os impostos diretos incidem diretamente no fornecedor.


Impostos
Impostos
• Definir país do IRF
Impostos Código do imposto informado pela receita
federal.
• Definir chaves oficiais IRF
Impostos
• Na guia calculo é onde configuramos o imposto.

É específico para o imposto de


renda.
Impostos
• Definir categoria IRF
Impostos
• Definir categoria IRF

Sempre utilizamos essa opção.

Define como será definida a base de


calculo.
Impostos
• Definir categoria IRF
Programa o tipo de acumulação que será
utilizada.

Define o montante minimo e


maximo para o IR. O mínimo é 10.00
e não tem maximo.
Impostos
• Definir códigos IRF
Impostos
• Definir códigos IRF
Impostos
• Definir fórmula IRF
Impostos
• Definir fórmula IRF

Estes dados são fornecidos pela legislação vigente.

http://www.receita.fazenda.gov.br/aliq
uotas/contribfont.htm
Impostos
• Definir montantes mínimos máximos IRF
Impostos
• Definir montantes mínimos máximos IRF
Impostos
• Atualizar atribuição categoria imposto/empresa
Impostos
• Atualizar atribuição categoria imposto/empresa

Autoriza ou não a retenção dos


impostos.

Informa o período que esta


retenção ficará vigente.
Impostos
• Ativar Imposto de Renda Ampliado
Impostos
• Gravar contas de IRF a pagar
Impostos
• Gravar contas de IRF a pagar
Impostos
• Atribuir o imposto ao Fornecedor
Variação Cambial
Diferenças de câmbio realizadas

• Na liquidação de partidas em aberto em moeda estrangeira, podem


ocorrer diferenças realizadas devido a flutuações nas taxas de
câmbio.

• Essa flutuação provoca diferenças de câmbio que o sistema lança


automaticamente como ganhos ou perdas realizados.

• O sistema lança automaticamente nas contas de receitas/despesas


definidas, na configuração, para diferenças de câmbio, o que elimina
a possibilidade de lançamentos incorretos.

• A diferença realizada é gravada na partida individual liquidada.


Variação Cambial
Diferenças de câmbio realizadas

• Diferenças de câmbio também são lançadas quando partidas em


aberto são avaliadas para o balanço. Essas diferenças de câmbio da
avaliação são lançadas em outra conta de diferença de câmbio e em
uma conta de ajuste do balanço.
Variação Cambial
• OBA1
Variação Cambial
• OBA1

Livre Criar conta para Diferença de câmbio


Variação Cambial
• OBA1

Informar todas as contas


de banco e contas de
conciliação.
Variação Cambial
• FS00
Variação Cambial
• F.05
É utilizada para a atualizar a variação cambial das partidas em aberto
que serão “transferidas” para o mês seguinte.
Razão Especial
• Operações do Razão especial são operações em contas a receber e
contas a pagar exibidas separadamente no Razão e no livro auxiliar.
Isto poderá ser necessário para sistemas de relatórios ou por
motivos de ordem interna. Por exemplo, os adiantamentos não
devem ser compensados com contas a receber e contas a pagar
referente a fornecimentos e serviços.
• As operações que envolvem livros auxiliares são vinculadas ao
Razão através da conta de conciliação definida no registro mestre do
livro auxiliar.

Ativo Passivo
Razão Especial
• FBKP
Razão Especial
• FBKP

Conta de
Conciliação

Conta
correspondente
no Passivo.
Razão Especial
• FBKP
Adiantamentos
• Adiantamento de cliente – F-29.
Adiantamentos
• Adiantamento de fornecedor – F-48.
Impostos
• Lançar Fatura na FB60
Compensação Clientes
• Compensar cliente com entrada de pagamento manual
▫ F-28
Compensação de Fornecedores
• Compensar fornecedor com saída de pagamento manual
▫ F-53
Extrato Bancário
Extrato Bancário
Extrato Bancário
Extrato Bancário
Extrato Bancário
Extrato Bancário
Extrato Bancário
Extrato Bancário
Extrato Bancário
• Elimina memoria do extrato. MUITO CUIDADO!!!
▫ SE38  RFEBKA96.
Extrato Bancário
• Simular conciliação.
▫ Lançar uma fatura.
Extrato Bancário
• Simular conciliação.
▫ Modifique a fatura para processar pagamento.
Extrato Bancário
• Simular conciliação.
▫ Execute o pagamento da fatura.
Extrato Bancário
• Simular conciliação.
▫ Após o pagamento da fatura (f110), o fornecedor foi compensado. Ou
seja, ele não possui mais partida em aberto na empresa.
▫ A partida em aberto agora foi para a conta transitória de pagamento.
Extrato Bancário
• Simular conciliação.
▫ Verificar lançamento criado pela F110 na Conta Transitória de
Pagamento.
Extrato Bancário
• Simular conciliação.
▫ Importar o extrato.
Extrato Bancário
• Simular conciliação.
▫ Após a importação do extrato a conta movimento foi atualizada com a
saída do dinheiro e foi criado um DOC de extrato na contra transitória de
pagamento, para que você possa fazer a conciliação.
Extrato Bancário
• Simular conciliação.
▫ Último passo. Realiza a conciliação da conta transitória de pagamento.
▫ F-03
Extrato Bancário
• Simular conciliação.
▫ Realiza a conciliação da conta transitória de pagamento.

SALVAR
Extrato Bancário
• Simular conciliação.
▫ A conta transitória foi conciliada.
Estudo de Caso
Boa Sorte e Muito Obrigado!