Você está na página 1de 26

Tipos de Feridas, Curativos e

Materiais a serem usados.


Ao estudarmos sobre feridas, temos que automaticamente vermos sobre
o sistema tegumentar. Consiste em uma cobertura, ou seja, a pele que é
o maior órgão do corpo humano. É composta por três camadas:

Epiderme Derme Hipoderme


Consiste na camada Está localizada os É vascularizada e
mais superficial anexos da pele possui tecido adiposo
(possui cinco (glândulas em sua constituição
camadas, sendo a sudoríparas, histológica.
quinta (córnea) rica sebáceas e folículos
em queratina), pilosos) é bem
encontramos os vascularizada
melanócitos e é um
tecido avascular;

M
Classificação das Feridas

Cirúrgica ou traumática Quanto a evolução Aguda


Quanto a causa Patológica Crônica
Iatrogênica

Limpa Quanto ao Estágio I


Quanto a presença Limpa Contaminada Comprometimento Estágio II
de infecção Contaminada tecidual Estágio III
Infectada Estágio IV

J
* Quanto a causa

Cirúrgicas ou
Traumáticas Patológicas Iatrogênicas
Resultante de uma Ocorre como consequência de Resultantes de procedimentos
uma patologia (úlcera de ou tratamentos (radioterapias
cirurgia ou de um pressão, neoplasia, úlceras por exemplo).
trauma. venosas e arteriais).

J
* Quanto a evolução
Aguda Crônica

 Início rápido e cura rápida, de  Cujo processo de cicatrização


fácil resolução. não decorre da forma
fisiologicamente esperada

LP
* Quanto a presença de infecção

Limpa Limpa Contaminada

 Isenta de Microrganismos.  São as feridas causadas por


acidentes ou abertas por até seis
horas antes do atendimento.

M
* Quanto a presença de infecção

Contaminada Infectada

 Presença de bactérias e outros  Que apresentam sinais claros de


microrganismos, apresenta infecção, como edemas,
reação inflamatória. vermelhidão, dor, alteração de
temperatura e presença de pus.

M
* Quanto ao comprometimento tecidual

Estágio I Estágio II
 O tecido apresenta-se  Há ruptura e perda da epiderme
hiperemiado, com áreas de ou derme, são superficiais e
descoloração e endurecimento podem apresentar bolhas.
local.

LC
* Quanto ao comprometimento tecidual

Estágio III Estágio IV


 A ferida é com maior  A ferida em cavitação, profunda
profundidade por perda total de que atinge músculos, tendões e
tecido cutâneo, geralmente ossos, com necrose e odor
apresenta-se com necrose do característico.
tecido subcutâneo até a fáscia
muscular, tem odor característico
de tecido necrótico.

LC
Estágio I

Estágio II Estágio III Estágio IV


Avaliação de Feridas
Deve-se avaliar todo seu aspecto a fim de decidir qual o melhor
tratamento a ser seguido. Alguns elementos devem ser avaliados e
registrados para garantir um tratamento adequado, é preciso avaliar:
 A localização;
 Tempo;
 Exsudato;
 Odor;
 Borda;
 Tamanho;
 Leito da ferida;
 Pele ao redor;
 Tipo de curativo e se há ou não infecção.

J
Cicatrização

 O processo de cicatrização tem por objetivo único, restabelecer a


integridade da pele. E para isso o organismo usa de diversos meios
para alcançar esse objetivo.
 Existem três tipos de cicatrização:
 Primeira intenção – acontece em pequenas feridas, as quais têm as
bordas próximas e são unidas por sutura.
 Segunda intenção – ocorre quando há uma perda grande de
tecido e as bordas estão mais afastadas, as mesmas não são
suturadas, são deixadas abertas para que fechem
pela epitelização.
 Terceira intenção - acontece a abertura espontânea da sutura,
devendo ser tratada e aguardar que o tecido de granulação se
forme para depois captar as bordas da lesão.

LP
LP
Curativo

Curativoé o tratamento utilizado


para promover a cicatrização da
ferida.
Proporciona um meio adequado
para este processo. A escolha do
curativo depende do tipo de ferida.

M
Finalidades do curativo

 Evitar a contaminação de feridas limpas;


 Facilitar a cicatrização;
 Reduzir a infecção nas lesões contaminadas;
 Absorver secreções,
 Facilitar a drenagem de secreções,
 Promover a hemostasia com os curativos compressivos,
 Manter o contato de medicamentos junto à ferida;
 Promover conforto ao paciente.

LC
Princípios para o curativo ideal

 Manter alta umidade no espaço entre ferida/ curativo;


 Remover o excesso de exsudato e componente tóxico;
 Permitir trocas gasosas;
 Promover isolamento térmico;
 Dispor de proteção contra infecção secundaria;
 Estar livre de partículas e contaminantes tóxicos;
 Permitir sua renovação sem trauma na troca;
 Dispor de vários tamanhos;
 Proporcionar conforto ao cliente.
Tipos de curativo
O tipo de curativo varia com a natureza, a localização e o tamanho da ferida.

Aberto Oclusivo Seco


Aquele no qual utiliza-se Curativo que após a limpeza Curativo fechado com gaze ou
apenas o antisséptico, da ferida e aplicação do compressa seca, não se usa
mantendo a ferida exposta. medicamento, é fechado ou nada na gaze.
ocluído com gaze ou atadura

LC
LP
Tipos de curativo

Úmido Compressivo
Curativo fechado com gaze ou Aquele no qual é mantida
compressa umedecida com compressão sobre a ferida
pomada ou soluções prescritas. para estancar hemorragias,
eviscerações, etc

LC J
Normas técnicas para realização de curativos

 Ferida limpa: Limpar a ferida de dentro para fora.


 Ferida Contaminada: Limpar a ferida no sentido de fora para
dentro.
 A manutenção de calor local é importante no processo de
cicatrização;
 Quando o cliente necessitar de vários curativos, iniciar pela lesão
limpa, seguindo-se as mais infectadas;
 Para feridas limpas as mãos devem ser lavadas com solução
antisséptica antes e após o curativo, realizar limpeza com solução
estéril e aplicar cobertura estéril.

M
Material necessário para
realização de curativo
uma bandeja contendo: pacote de
curativo (2 pinças dente de rato e 1
kocher),
cuba rim,
frasco com soro fisiológico,
frasco com povidine tópico,
atadura de crepe se necessário,
pomada se prescrito,
luva,
esparadrapo ou micropore,
gaze.

M
Principais desinfetantes
hospitalares e quando são usados
Desinfetante é normalmente químico, que mata as formas vegetais, mais
não necessariamente as formas esporuladas de microrganismos
patogênicos. Geralmente essas substancias são aplicadas em objetos
inanimados.
Compostos
Álcool etílico fenólicos Iodo
Possuem atividade São corrosivos e Utilizado para
contra bactérias na tóxicos, seus desinfecção de
forma vegetativa, compostos fazem superfícies de
caracteriza-se como parte das trabalho, vidrarias e
desinfetante e formulações de descontaminação de
antisséptico, porém desinfetantes. superfícies de
sem propriedade São usados em equipamentos, inclui-
esterilizante. substituição ao se para uso da
São usados para hipoclorito de sódio lavagem das mãos
mobiliário em geral. quando este não for diluídos em álcool
possível. etílico.

J LP
Hipoclorito de sódio Quaternário de Amônio
É um desinfetante com amplo São uma família de compostos
espectro de ação, sendo antimicrobianos agente ativos
bactericida, fungicida, mico catiônicos fortes e possuem
bactericida e virucida dependendo atividades desinfetantes poderosa
da concentração. tanto para as bactérias gran positivas
quanto para bactérias gran
Sua principal aplicação é na
negativas.
desinfecção de superfícies de
trabalho, materiais de vidro sujos e na É utilizado na área de alimentação e
descontaminação de superfícies de berçários.
equipamentos, quando não houver
indicação contrária.

M
Conclusão

 Aprendemos ao decorrer deste trabalho os


conhecimentos específicos focalizados em feridas,
curativos e desinfetantes hospitalares. Vimos o quão
importante é saber, e definir qual o tipo de ferida, para
assim saber qual o curativo correto e sua forma de
realizar o procedimento, focando sempre no bem-estar
do paciente. Aprendemos que a área de trabalho
(Hospital) também é importante, pois é preciso manter
a higiene do local para eliminar a presença de
microrganismos.

LC
Referências Bibliográfica

 http://www.infoescola.com/medicina/ferida-cirurgica/
 http://www.soenfermagem.net/tecnicas/curativos.html
 http://enfermeiraalinecosta.blogspot.com.br/2012/03/tipos-de-curativos-conceitos-
e.html
 http://www.enfermagemnovidade.com.br/2017/05/tipos-de-curativos.html
 http://www.enfermeiroaprendiz.com.br/o-papel-da-enfermagem-na-avaliacao-e-
no-tratamento-de-feridas-cronicas/
 http://www.enfermagem.ufpr.br/paginas/grupopesq/gemsa/manual_de_procedim
entos.htm
 http://enfermagem-a-arte-de-cuidar.blogspot.com.br/2014/10/feridas-curativos-e-
coberturas.html
 http://auxiliardasaude.blogspot.com.br/2012/06/principais-desinfetantes-
hospitalares.html
 https://www.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/direito/ambiente-hospitalar-
procedimentos-de-limpeza-desinfeccao-e-esterilizacao/36391

Obrigada!