Você está na página 1de 62

Projetos mecânicos

Engº Esp. Prof. Christian Eduardo Moreira de Souza


Universidade Paulista UNIP – Araçatuba - SP
Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br

O papel da polia e correia

Transmissão mecânica

As polias e correias formam a base de equipamentos de transmissão de energia mecânica.


A sua principal função é transferir o movimento e força de um lado a outro da máquina,
configurando um sistema de transferência de força e movimento altamente confiável.
Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br

Principais vantagens das correias dentadas:

Não alonga
Não escorrega
Transmite potência a uma razão de velocidade constante
Trabalha numa gama alargada de velocidade
Eficiência entre 97% a 99%
Não necessita lubrificação
Funcionamento silencioso
Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br

PRICIPAIS TIPOS DE POLIAS E CORREIAS


• Polia plana
As polias planas podem apresentar dois formatos na sua superfície de contato. Essa superfície pode
ser plana ou abaulada. A polia plana conserva melhor as correias, e a polia com superfície abaulada guia
melhor as correias, ou seja, mantém a correia centrada.

• Características

 Baixo custo inicial,


 Flexível
 Adequada para grandes distâncias entre os centros das polias,
 Longa duração,
 Funcionamento silencioso,
 deslizante quando ocorrer sobrecarga (dentro de certa intensidade).
 Pouca manutenção, desde que a tensão na correia seja mantida corretamente.
Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br

PRICIPAIS TIPOS DE POLIAS E CORREIAS


• Polia plana
Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br

PRICIPAIS TIPOS DE POLIAS E CORREIAS


• Polia trapezoidal
A polia trapezoidal (ou polia em ´´V´´) recebe esse nome porque a superfície na
qual a correia se assenta, apresenta a forma de trapézio. Tais polias devem ser
providas de canais e são dimensionados de acordo com o perfil padrão da correia a
ser utilizada.

• Características
Baixo custo de manutenção,
Funcionamento que é com baixa tensão(não trazendo sobrecarga aos mancais),
Fácil instalação,
Alta resistência à tração e flexão, Não patinam facilmente.
Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br

PRICIPAIS TIPOS DE POLIAS E CORREIAS


• Polia trapezoidal
Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br

PRICIPAIS TIPOS DE POLIAS E CORREIAS

• Polia redonda

A polia redonda também pode ser chamada de polia para correias redondas ou
polias para cabo de aço, isso porque o elemento que faz o vínculo entre as duas
polias pode ser tanto uma correia quanto um cabo de aço. É bastante comum o seu
uso na indústria em pontes rolantes
Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br

PRICIPAIS TIPOS DE POLIAS E CORREIAS

• Polia redonda
Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br

PRICIPAIS TIPOS DE POLIAS E CORREIAS

• Polia dentada

Outro tipo de polia utilizada é a polia dentada, para casos em que não se pode
ter nenhum deslizamento, como no comando de válvulas de um automóvel
Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br

PRICIPAIS TIPOS DE POLIAS E CORREIAS

• Polia dentada
Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br

Dimensionamento de Correias e Polias.


Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br

Tabela 0: Medida de
correias em V
Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br

Calculando RPM em Polias


Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br

D2

D1
Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br

1. Uma empresa fabricante de componentes eletrônicos, ampliou uma linha de


produção, porém, seus equipamentos (compressores), eram suficientes para alimentar no
máximo a rede de ar existente. Verificando a necessidade de um novo compressor, você
foi chamado para resolver esse problema. Você foi ao almoxarifado e encontrou um
compressor com as seguintes características:
Compressor de ar, “modelo como na figura abaixo”, do tipo pistão, cujo sua rotação do
compressor é de c=810RPM, acionado por um motor elétrico de CA de indução
assíncrono, trifásico, com potência P=1CV (0,7355Kw), onde a rotação do motor é de m=
1730RPM, o equipamento deverá trabalhar por 8 h/dia, sendo a distância entre eixos
de C=600mm.
Como tudo na vida não são flores, o compressor não apresenta polias e muito menos
as correias.
Você, como um bom engenheiro formado na UNIP – Araçatuba, sabe que terá que
dimensionar isso. “Isso é baba, fiz isso com as mãos nas costas!!!”.
Modelo do compressor em estudo
Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br

Você terá que dimensionar as correias para a utilização do compressor, porém


não para ai, para mostrar que você é o cara, você irá determinar.

a) Tipo de Correia
b) Diâmetro das polias
c) Quantidade de correias utilizadas no sistema
d) F1= Força Motriz
e) F2= Força Resistiva
f) Fr = Força resultante
Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br

1º Passo: Potência Projetada

proj motor . Fs
proj . 1,5
proj

Tabela 1: Fator de
Serviço
Fs = Fator de Serviço
Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br

2º Passo: Achar o Perfil da Correia


 Utiliza-se o valor da potência projetada + a rotação do motor
Utilizaremos para esse estudo a correia Hi Power II

Perfil da correia selecionada: Perfil A

Tabela 2: Perfil da
Correia
Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br

3º Passo: Achar o diâmetro padronizado da polia motora


 Utiliza-se a potência do motor + a rotação

pol

Porém temos que padronizar o ø da polia menor para ser comercial.

polia com.

Tabela 3: ø da Polia Tabela 4: ø da Polia


Motora em Pol Motora comercial
Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br

3º Passo: Achar o diâmetro da polia movida


 3.1. Para achar o da polia movida devemos fazer uma relação entre as rotações para
acharmos a relação entre elas.
i= = i= Essa é a relação entre as rotações

Logo
polia com.

Arredondando
polia com.

Tabela 3: ø da Polia Tabela 4: ø da Polia


Motora em Pol Motora comercial
Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br

4º Passo: Calcular o comprimento da correia


 É sabido, que a distância entre centros dos eixos é de C=600mm
Lc =2.C+1,57.(D+d)+

Lc =2.600+1,57.(140+65)+

Lc =1524mm

Correia A - 60

Tabela 5: Comprimento
da correia
Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br

5º Passo: Ajustar a distância entre centros

La =Lc-1,57.(D-d)
La =1555-1,57.(140-65)
La =1233mm
 Fator (h) de correção

h=

h == 0,06

Tabela 6: Fator de
 Logo, o fator de correção h será 0,03 Comprimento (h)
Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br

5.1 Distância entre centros ajustado

Cajust. =

Cajust. =

Cajust. =615mm

Tabela 6: Fator de
Comprimento (h)
Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br

6º Passo: Capacidade de transmissão de potência por correia

Ppc = (Pb+Pa). Fcc. Fcac

Onde:
Pb – Potência básica
Pa – Potência adicional
Fcc – Fator de correção de comprimento
Fcac – Fator de arco de contato
Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br

6º Passo: Capacidade de transmissão de potência por correia

Ppc = (Pb+Pa). Fcc. Fcac

Pb Pa
Ømenor da polia – 65mm i– 2,136
RPM do motor – 1730 RPM RPM do motor – 1730 RPM
Pb – 0,73CV Pa – 0,33CV

Tabela 4: Potência
básica (Pb e Pa)
Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br

6º Passo: Capacidade de transmissão de potência por correia


Fcc
Para determinar o Fcc, é necessário que sejam utilizados:

Perfil da correia = A – 60

Fcc – 0,97

Tabela 7: Fator de correção


de comprimento (Fcc)
Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br

6º Passo: Capacidade de transmissão de potência por correia


Fcac
Para determinar o Fcac, é necessário que seja calculado:

Fcac =

Fcac = 0,12 Fcac = 0,12

Como visto na tabela 8, o valor de 0,12 não se encontra, será


Tabela 8: Fator de arco
necessário que o valor seja interpolado. : de contato (Fcac)
Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br

6º Passo: Capacidade de transmissão de potência por correia

Interpolação do arco de contato para Fcac

= -0,0004= -
-0,0004+=
= 0=

= 0,986

Fcac = 0,986
Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br

6º Passo: Capacidade de transmissão de potência por correia

Também é necessário a Interpolação do grau do arco de contato

= -0,02 . 5 = -
-0,1+=
= 17,3=

= 173

graus= 173°
Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br

6º Passo: Capacidade de transmissão de potência por correia

Voltando a equação...
Ppc = (Pb+Pa). Fcc. Fcac

Ppc = (0,73+0,33). 0,97. 0,986

Ppc 1CV

Ppc = Potência que cada correia suporta.


Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br

7º Passo: Dimensionar a quantidade de correias necessárias para o trabalho

= = 1,5

Serão utilizadas para esse sistema 2 correias


Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br

8º Passo: Determinar a velocidade periférica da correia


Para a resolução dessa equação, é necessário que a potência do motor seja convertida para
Watts
= Velocidade periférica (m/s)
==
= Velocidade angular da polia 1 (rad/s)
= = Velocidade angular da polia 2 (rad/s)
= Raio da Polia 1 m
= Raio da Polia 2 m
= Rotação da polia 1 (rpm)
Correias Super HC ⦤ 33 m/s = Rotação da polia 2 (rpm)
= constante trigonométrica = 3,1415...
Correias Hi-Power ⦤ 30 m/s
Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br

9º Passo: Determinar o esforço na transmissão


Para a resolução dessa equação, é necessário que a potência do motor seja convertida para
Watts

Dados:
1CV = 735,5W

Toque da polia

= ==
Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br

= 4,06 n.m
 8.1 Passo: Determinar a força tangencial

= 125 N
Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br

= .

= . 173°

= 3,02 2,13
= 0,25

Tabela 9: Coeficiente de
F1=Força motriz atrito
F2= Força Resistiva NOTA: = 2,718
Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br

Logo... Substituindo na equação


Equação I

Equação II
Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br

10º Passo: Calcular a Força Resultante

Tabela 9: Coeficiente de
atrito
Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br
Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br

Exercícios para fixação


Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br
Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br
Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br
Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br

Movimento circular
Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br

Velocidade angular (ω)

ω =
Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br

Período (T)

T =
Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br

Frequência (f)

A frequência é o inverso do período

f ==
Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br

Rotação (n)

Desta forma, podemos escrever que:

n = = =
Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br

Velocidade Periférica ()

= = =

=
Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br

=
Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br

Exercícios
Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br

A roda da figura possui ø= 300mm, e gira com uma velocidade angular de


ω=10 rad/s

Determinar para o movimento da roda:

a) Período (T)
b) Frequência (f)
c) Rotação (n)
d) Velocidade Periférica (
Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br

Período (T) Frequência (f) Rotação (n)


Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br

Velocidade Periférica (

Lembrando que (ω)

=
Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br

Respostas
Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br

A transmissão por correias, representadas na figura, é composta por


duas polias com os seguintes diâmetros (ø)

A polia 1 (motora), atua com velocidade angular de ω=39π rad/s

Determinar para a transmissão


Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br
Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br
Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br
Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br
Profº Eng. Esp. Christian Eduardo Moreira de Souza
E-mail: christian.souza@docente.unip.br

Dúvidas?
Lembrando que os exercícios serão fornecidos pelo acesso eletrônico, as respostas e entregas
deverão ser feitas somente pelo Google Sala de aula. Lá estarão os materiais de apoio para a
resolução dos exercícios e tirar as dúvidas.