Você está na página 1de 35

Ciências da Natureza e suas

Tecnologias - Biologia
Ensino Médio, 3º Ano
As bases da hereditariedade
BIOLOGIA, 3º Ano do Ensino Médio
As bases da hereditariedade

“TAL PAI, TAL FILHO...”


Leia a estrofe 28 do Canto Terceiro de um dos poemas mais famosos da
literatura portuguesa, “Os Lusíadas”, de Luís Vaz de Camões, publicado
em 1572:

28
Quando, chegado ao fim de sua idade,
O forte e famoso húngaro extremado,
Forçado a fatal necessidade,
O espírito deu a quem lho tinha dado.
Ficava o filho em tenra mocidade,
Em quem o pai deixava o seu translado,
Que do mundo os mais fortes igualava:
Que tal pai tal filho se esperava.
Fonte :
LAURENCE, J.; MENDONÇA, V. Biologia: seres vivos: v.2., São Paulo: Editora Nova Geração, 2010.
BIOLOGIA, 3º Ano do Ensino Médio
As bases da hereditariedade

Primeiras ideias sobre herança biológica


“TAL PAI, TAL FILHO...”
No poema Os Lusíadas, vê-se o primeiro registro dessa expressão popular.
No poema, aparece referindo-se a Dom Afonso Henriques, o primeiro rei
de Portugal, que teria herdado a coragem de seu pai.

Mas como características hereditárias são transmitidas de pais para


filhos?

Perguntas como essa sempre foram alvo de muita especulação desde o


início das civilizações e têm despertado a curiosidade do ser humano!
BIOLOGIA, 3º Ano do Ensino Médio
As bases da hereditariedade

As origens da Genética:
 a herança biológica desafia a curiosidade das pessoas desde a pré-história;
 o conhecimento empírico permitiu a produção de diversas plantas para o
cultivo e a seleção de animais domésticos.

Selecionar
plantas Senso comum Selecionar
animais

ATUALIDADE: a seleção de plantas e animais também pode trazer sérios


problemas para a vida das pessoas, como o que aconteceu com a
introdução do caramujo africano.
Quer saber mais? Acesse o site:
http://chc.cienciahoje.uol.com.br/caramujo-africano-problema-gigante/
> Acesso em: 17 de maio de 2012.
BIOLOGIA, 3º Ano do Ensino Médio
As bases da hereditariedade

Os filósofos gregos e a hereditariedade


Na Grécia antiga, os filósofos divergiam com muitas ideias para explicar os
mecanismos de hereditariedade. Vejamos algumas dessas ideias:

Alcmeon (500 a.C.) Homens e mulheres tinham sêmen que se


originavam no cérebro.

O calor do útero era decisivo na determinação do


Empédocles (492-432 a.C.)
sexo. Útero quente originava meninos e útero frio
originava meninas.

O sêmen ocorria apenas no homem e continha o


Anaxágoras (500-428 a.C) protótipo do novo ser. Anaxágoras postulou a
“Teoria direita e esquerda”: meninos eram gerados
no lado direito; meninas, no lado esquerdo.
AMABIS, J.M.; MARTHO, G.R. Biologia dos organismos. São Paulo: Editora Moderna, 2010.
BIOLOGIA, 3º Ano do Ensino Médio
As bases da hereditariedade

Tema para discussão


A genética humana e o preconceito

Diante das ideias apresentadas pelos filósofos gregos, o papel da mulher


na reprodução era visto de modo inferior ao dos homens. A
compreensão de que a herança biológica se baseia na transmissão de
informações hereditárias contidas nos genes e de que homem e mulher
têm igual participação na continuidade da vida abriu caminho para a
queda de concepções errôneas.

Pesquise em livros, jornais ou internet sobre o conhecimento da genética,


explorando os domínios políticos, para justificar atitudes preconceituosas,
como por exemplo, perseguição de grupos étnicos na história do mundo.
Anote suas observações e descreva um texto com argumentos contrários a
tais atitudes.
BIOLOGIA, 3º Ano do Ensino Médio
As bases da hereditariedade

Hipócrates e a teoria da Pangênese


Figura 1- Hipócrates(460-370 aC.): defensor
da pangênese.

Hipócrates, conhecido como o “Pai da


Medicina”, defendia a hipótese da
Pangênese, segundo a qual cada órgão
do corpo de um ser vivo produzia
Imagem: Hippocrates pushkin02 / autor: shakko / Creative

gêmulas que continham as


informações hereditárias transmitidas
Commons Attribution-Share Alike 3.0 Unported

aos descendentes. Isso explicaria as


semelhanças entre pais e filhos.
BIOLOGIA, 3º Ano do Ensino Médio
As bases da hereditariedade

Aristóteles discordava da ideia da Pangênese


Figura 2- Aristóteles (384-322 a.C.): elaborou
hipóteses pioneiras sobre a herança biológica.
Aristóteles, filósofo grego que viveu um século
depois de Hipócrates, escreveu um tratado
Imagem: Aristotle Altemps Inv8575 / autor: Jastrow (2006) / public domain

sobre a reprodução e a hereditariedade dos


animais, descrevendo quatro tipos de
reprodução entre os seres vivos: reprodução
assexuada por brotamento; reprodução
sexuada com cópula; reprodução sexuada sem
cópula e geração espontânea ou abiogênese.
Pronunciou duras críticas à Teoria da
Pangênese, por não explicar como seriam
produzidas gêmulas de características como
tom da voz, jeito de andar e formas de
comportamentos.
BIOLOGIA, 3º Ano do Ensino Médio
As bases da hereditariedade

Defesas de Aristóteles
Contribuição diferencial dos sexos:

6 MACHO
FORNECIA A “ESSÊNCIA”,
FONTE DA FORMA E DO FÊMEA
FORNECIA A “MATÉRIA BÁSICA” 7
MOVIMENTO
QUE NUTRIA O SER EM
FORMAÇÃO

 desenvolvimento normal do feto: qualidades do pai prevaleceria;


 falhas no feto: novo ser seria parecido com a mãe;
 falhas maiores fariam prevalecer as características dos avós e, sucessivamente,
de ancestrais mais distantes, até o limite de ser gerado um ser malformado, um
monstro.
Fonte: AMABIS, J.M.; MARTHO, G.R. Biologia dos organismos. São Paulo: Editora Moderna, 2010.
BIOLOGIA, 3º Ano do Ensino Médio
As bases da hereditariedade

Linha do tempo: marcos da genética

Construa uma linha do tempo sobre os principais avanços da Genética que


ocorreram no século XX. Anote sua pesquisa em um editor de texto (Word,
por exemplo). Salve seu trabalho para eventual consulta.
BIOLOGIA, 3º Ano do Ensino Médio
As bases da hereditariedade

As bases da hereditariedade
Contribuições importantes para o conhecimento da herança
biológica
Figura 3 - Willian Harvey: primeiras
ideias sobre fertilização.
 Willian Harvey (1578-1657): médico inglês,
propôs que todo ser animal se origina de um
ovo. Ele acreditava que o ovo produzido pela
fêmea necessitava ser fertilizado pelo sêmen
do macho, se opondo a geração espontânea,
muito difundida na época.
 Nehemia Grew (1641-1711): botânico
inglês, sugeriu ser o grão de pólen o elemento
masculino das plantas com flores.

Imagem: SS-harvey / autor: Cornelius Jansen / public


domain
BIOLOGIA, 3º Ano do Ensino Médio
As bases da hereditariedade

Pré-formação X Epigênese
Figura 4 - Ilustração de um
homúnculo feita em 1694.

Primeiras ideias sobre fertilização:


Imagem: HomunculusLarge / autor; Nicolaas Hartsoeker / public domain

 pré-formação ou pré-formismo: afirmava que, em


um dos gametas masculino ou feminino, já havia
um ser pré-formado. Duas correntes, então,
dividiam a opinião dos estudiosos da época: os
ovistas defendiam que o ser pré-formado estaria
no óvulo; e os espermatistas, que o ser pré-
formado estaria no esperma;
 epigênese: essa teoria afirmava que o ovo
fertilizado continha um material inicialmente
amorfo e homogêneo que iria se estruturando ao
longo de desenvolvimento do novo ser.
BIOLOGIA, 3º Ano do Ensino Médio
As bases da hereditariedade

A descoberta dos gametas

Figura 5- A descoberta dos gametas foi um dos pontos


fundamentais para o estudo da herança biológica.
Alguns avanços foram decisivos para o
desenvolvimento da Genética:
 Antonie van Leeuwenhoeok (1632-
1723) descobre que o sêmen contém
estruturas microscópicas com longas
caudas;
 Rudolf Albert von Kölliker (1817-
1905) comprovou que os
espermatozoides eram formados nos
testículos;
 Karl Ernest von Baer (1792-1876)
estudou os gametas femininos,
Imagem: Gray3 / autor: Parte de Gray's Anatomy, / public domain contribuindo para a futura
compreensão dessas células.
BIOLOGIA, 3º Ano do Ensino Médio
As bases da hereditariedade

Gametas e fecundação

Figura 6- processo da fecundação


A partir da segunda metade
do século XIX, consolidou-se
a ideia de que tanto na
reprodução de plantas como
na de animais, a formação de
um novo ser envolve a fusão
de uma célula masculina e
outra feminina. Imagem: 06fertilizado / autor: ScienceGenetics / Creative Commons
Attribution-Share Alike 3.0 Unported
BIOLOGIA, 3º Ano do Ensino Médio
As bases da hereditariedade

Articuladores da teoria celular


Em 1873, surgiram as primeiras descrições sobre a divisão celular. As ideias
e convicções de alguns cientistas levaram à conclusão de que a célula é o
constituinte fundamental dos seres vivos. Esse evento foi um marco na
história da ciência.
Figura 7 - Mathias Jacob Schleiden Figura 8 - Theodor Schwann Figura 9 - Rudolph Virchow
(1804-1881) (1810-1882) (1821-1882

Imagens da esquerda para direita: (a) PSM V22 D156 Matthias Jacob Schleiden / autor: Desconhecido / public domain; (b)
TheodorSchwann / autor: Desconhecido / public domain; (c) Rudolf Ludwig Karl Virchow / autor: Desconhecido / public domain
BIOLOGIA, 3º Ano do Ensino Médio
As bases da hereditariedade

Organizando as ideias
Como vimos, as descobertas científicas são fruto de um trabalho de
cooperação e busca conjunta entre os pesquisadores.

 Você acha que a ciência proporciona um conhecimento


verdadeiro aceito por todos?
 O conhecimento científico sempre traz benefícios ou melhoras
para a vida das pessoas?
 Os cientistas são pessoas inteligentes, estranhas que vivem
trancadas em seus laboratórios?
BIOLOGIA, 3º Ano do Ensino Médio
As bases da hereditariedade

Pesquisadores notáveis

No Brasil, temos muitos pesquisadores que


desenvolveram trabalhos de referência
mundial e contribuíram para o
desenvolvimento científico nacional.

Acesse o site e saiba um pouco mais sobre a vida e obra de alguns


cientistas brasileiros que se destacaram na área da genética.
http://www.canalciencia.ibict.br/menu/listaNotaveis.html > Acesso em:
16 de maio de 2012.
BIOLOGIA, 3º Ano do Ensino Médio
As bases da hereditariedade

A descoberta dos cromossomos

Em 1882, o anatomista alemão Walther Flemming (1843-1905) descreveu


com detalhes o comportamento dos filamentos nucleares durante o
processo de divisão celular. Posteriormente, esses filamentos foram
chamados de cromossomos .

Algumas observações merecem destaque:


 verificou-se que o número, a forma e o tamanho dos cromossomos variam
entre as espécies;
 entre indivíduos da mesma espécie, o número de cromossomos é
constante;
 o conjunto de cromossomos típico de cada espécie é denominado
cariótipo.
BIOLOGIA, 3º Ano do Ensino Médio
As bases da hereditariedade

A mitose e os cromossomos Figura 10- representação das fases da mitose .

Walter Flemming analisou as formas e os


aspectos dos cromossomos detalhadamente
durante as fases da mitose.
Ele observou que os filamentos
cromossômicos se tornam progressivamente

Imagem: Gray2 / autor: Parte de Gray’s Anatomy / public domain


mais grossos, separam- se em dois grupos e
migram para as células-filhas.

Uma célula humana tem 46


cromossomos com tamanhos e
formas característicos.
BIOLOGIA, 3º Ano do Ensino Médio
As bases da hereditariedade

Os embates da ciência
A verificação de que o número de cromossomos se mantém
constante ao longo das gerações levantou uma nova questão:

Se o óvulo e o espermatozoide se fundem juntando os seus


cromossomos para formar um novo indivíduo, por que o
número cromossômico não dobra a cada geração?

Em 1885, o biólogo August Friedrich Weismann (1834-1914) formulou a


hipótese de que, durante a formação dos gametas, ocorreria uma redução
do número de cromossomos para a metade do número presente na
célula-mãe.
BIOLOGIA, 3º Ano do Ensino Médio
As bases da hereditariedade

A meiose e os gametas
Na formação dos gametas, ocorrem duas divisões sucessivas.
Esse processo é atualmente conhecido como meiose.
Figura 11- esquema da meiose com um par de cromossomos homólogos.

Imagem: MajorEventsInMeiosis variant pt / autor: Jakov, tradução por PatríciaR / public domain
BIOLOGIA, 3º Ano do Ensino Médio
As bases da hereditariedade

O trabalho de Mendel
Gregor Mendel dedicou-se a estudar a

Imagem: Mendel Gregor 1822-1884 / autor: Parte de The History of


hibridação de plantas e realizou Figura 12 - Gregor Mendel (1822-1884), o monge que
lançou as bases da hereditariedade.
experimentos com ervilhas. Em 1863,
descobriu, por meio de cruzamentos
entre variedades contrastantes, que as
características hereditárias são herdadas

Biology de Erik Nordenskiöld / public domain


de acordo com regras bem definidas.

As ideias de
Mendel eram tão
avançadas que
não foram
compreendidas na
sua época.
BIOLOGIA, 3º Ano do Ensino Médio
As bases da hereditariedade

A descoberta da Lei da Segregação

35 anos depois, outros cientistas chegaram às mesmas conclusões


que Mendel sobre as leis que regem a hereditariedade.

Você acha que os avanços da genética têm contribuído para o bem-estar


de populações em desenvolvimento?

Aplicando conhecimentos: pesquise sobre variedades de plantas que, por meio


de técnicas de melhoramento genético, tornaram-se mais produtivas e mais
nutritivas. Registre suas observações.
BIOLOGIA, 3º Ano do Ensino Médio
As bases da hereditariedade

Teoria Cromossômica da Herança


O estudo do comportamento dos cromossomos durante as divisões celulares -
mitose e meiose - foi fundamental para o desenvolvimento da genética. Em
1903, os cientistas Walter Sutton (1877-1916) e Theodor Boveri (1862-1915)
confirmaram que os cromossomos são a base física da herança genética.
.

Figura 14 - Theodor Boveri (1862-1915)


Figura 13 - Walter Sutton (1877-1916)

Imagem: Walter sutton / autor:


Imagem: Theodor Boveri / autor:
Desconhecido / public domain
Desconhecido / public domain
BIOLOGIA, 3º Ano do Ensino Médio
As bases da hereditariedade

Teoria Cromossômica da Herança


Na década de 1910, o pesquisador Thomas Morgan e seus colaboradores
estabeleceram as bases da Teoria Cromossômica da Herança, realizando uma
série de experimentos com a mosca-do-vinagre (Drosophila melanogaster).
Estudando milho, Barbara McClintock, pesquisadora norte-americana, também
confirmou que os fatores hereditários estavam localizados nos cromossomos.
Figura 16 – Barbara McClintock (1902-1992)
Figura 15 - Thomas Morgan(1866-1945).

Imagem: Barbara McClintock at C.S.H. 1947-2 / autor:


Imagem: Thomas Hunt Morgan / autor:

Desconhecido / public domain


Desconhecido / public domain
BIOLOGIA, 3º Ano do Ensino Médio
As bases da hereditariedade

A descoberta do modo de ação do gene

Em meados de 1930, os cientistas George W. Beadle (1903-1989) e


Edward Tatum (1909-19775) descobriram, por meio de experimentos
com moscas e, posteriormente, com fungos, que os genes atuam no
controle e na síntese de enzimas. Os resultados desses experimentos
consolidaram a teoria um gene - uma enzima, sendo ampliada para um
gene - um polipeptídeo.

HORA DA LEITURA: leia o texto A vida nas pontas dos cromossomos disponível
em:
http://cienciahoje.uol.com.br/revista-ch/revista-ch-2006/229/a-vida-nas-pontas
-dos-cromossomos
> Acesso em :17 de maio de 2012.
Faça um resumo dos pontos mais importantes da leitura do texto.
BIOLOGIA, 3º Ano do Ensino Médio
As bases da hereditariedade

Ferramentas da ciência

Após a descoberta da natureza química do material genético e da


elucidação do modelo da estrutura molecular do Ácido
Desoxirribonucleico (DNA), pelos cientistas James Watson e Francis
Crick em 1952, a biologia molecular tomou novos rumos.

O Projeto Genoma Humano, iniciado em 1990, procura descobrir a posição


e o sequenciamento das bases de cada gene. Em abril de 2003, foi
estabelecida a sequência de 99,99% dos genes humanos. A mídia não se
cansou de repetir que os conhecimentos gerados iriam revolucionar a
medicina.
BIOLOGIA, 3º Ano do Ensino Médio
As bases da hereditariedade

Ciência, tecnologia e sociedade


Atualmente, com os avanços da genética, algumas questões polêmicas
são divulgadas em jornais, sites e outras mídias.

Como a sociedade participa dos debates científicos?


Qual a importância dessa participação?

Escolha um tema polêmico relacionado com a manipulação genética e seres


humanos. Pesquise sobre as implicações políticas, religiosas, sociais e
econômicas relacionadas a ele. Anote suas observações e conheça opiniões de
pessoas do seu convívio sobre o tema. Discuta argumentos contra e a favor.
BIOLOGIA, 3º Ano do Ensino Médio
As bases da hereditariedade

É interessante ler
Os eleitos pela Genética
“(...) ‘Vamos ter de conviver, cada vez mais, com informações sobre o nosso
DNA’, diz o especialista em reprodução humana Eduardo Motta, de São Paulo.
De fato, a seleção genética da espécie pode nos conduzir a outra relação com o
tempo e com nós mesmos. Graças a ela, investiga-se o passado para melhorar
o futuro das próximas gerações. Esse conhecimento antecipado sobre riscos
potenciais à saúde ou determinadas características comportamentais, no
entanto, deve influenciar também a maneira como cada um se comporta no
seu dia a dia. ‘A vida não é só gene’, lembra Eduardo Motta. ‘De nada
adiantaria selecionar um embrião sem o código do colesterol elevado se a
pessoa mantiver um estilo de vida pouco saudável’. Assim, na nova era da
seleção genética, não se deve abandonar o velho conceito de que, antes de
tudo, é preciso saber viver bem o presente.”
Tarantino, M. C. R. Os Eleitos. Revista Superinteressante. Disponível em:
http://www.istoe.com.br/reportagens/5420_OS+ELEITOS+PELA+GENETICA > Acesso em maio de 2012.
BIOLOGIA, 3º Ano do Ensino Médio
As bases da hereditariedade

Refletindo e concluindo
Como vimos, a partir dos muitos questionamentos e das
muitas tentativas de respondê-los, foi que a humanidade
chegou até aqui.
É, portanto, um privilégio poder acompanhar essa evolução.
Você não acha?

Avalie o que você aprendeu durante a apresentação da aula e


exponha suas ideias e opiniões escrevendo um texto argumentativo
sobre o que a Genética tem a ver com a sua vida.
Bom trabalho!
BIOLOGIA, 3º Ano do Ensino Médio
As bases da hereditariedade

Referências
• AMABIS, J.M.; MARTHO, G.R. Biologia das Populações, v3. São Paulo: Editora
Moderna, 2010.
• BIZZO, N. Ciências: fácil ou difícil? São Paulo: Ática, 1998.
• JÚNIOR, C.S.; SASSO, N.S.; JÚNIOR, N.C. Biologia, v3. São Paulo: Editora Saraiva,
2010.
• LAURENCE, J.; MENDONÇA, V. Biologia: Ser humano, Genética e Evolução, v3.,
São Paulo: Editora Nova Geração,2010.
• LINHARES, S.; GEWANDSZNAJDER, F. Biologia hoje: genética, evolução e ecologia.
São Paulo: Editora Ática, 2011.
• LOPES, S.; ROSSO, S. Bio:v.2, 1ªed. São Paulo: Saraiva, 2010.
• MARANDINO, M.; SELLES, S.E.; FERREIRA, M.S. Ensino de Biologia: histórias e
práticas em diferentes espaços educativos. São Paulo: Editora Cortez, 2009.
• PESSOA, O. Frota. Biologia. v. 3, São Paulo: Scipione, 2005.
• PEZZI, A.; GOWDAK, D.O.; MATTOS, N.S. Biologia: genética, evolução e ecologia,
v3. São Paulo: FTD, 2010.
BIOLOGIA, 3º Ano do Ensino Médio
As bases da hereditariedade

Referências

• POZZO, J. I.; CRESPO, M. A.G. A aprendizagem e o ensino de ciências: do


conhecimento cotidiano ao conhecimento científico. Porto Alegre: Artmed, 2009.
• SANTOS, F.S. (Org.) Biologia:ser protagonista .v3. São Paulo: Edições SMS, 2010.
• TARANTINO, M. C. R. Os Eleitos. Revista Superinteressante. Disponível em:
http://www.istoe.com.br/reportagens/5420_OS+ELEITOS+PELA+GENETICA >
Acesso em maio de 2012.
Tabela de Imagens
n° do direito da imagem como está ao lado da link do site onde se consegiu a informação Data do
slide foto Acesso

7 Peter Paul Rubens / domínio público http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Hippocra 21/08/2012


tes_rubens.jpg
8 Busto de Aristóteles / Jastrow / National http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Aristotle_ 21/08/2012
Museum of Rome – Palazzo Altemps/ Altemps_Inv8575.jpg
domínio público

11 Autor desconhecido / disponibilizada por http://commons.wikimedia.org/wiki/File:William_ 21/08/2012


Evengard / GNU Free Documentation Harvey-Foto.jpg
License

12 Homunculus - Nicolaas Hartsoeker's / http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Homuncu 21/08/2012


disponibilizada por Liangent / United States lusLarge.png
Public Domain
13 Edwin Grant Conklin / disponibilizada por http://commons.wikimedia.org/wiki/File:PSM_V84 21/08/2012
Martin H. / Domínio púlico _D528_Facts_and_factors_of_decvelopment_fig1.j
pg?uselang=pt-br
14 Espermatozoide fecundando um óvulo / http://commons.wikimedia.org/wiki/File:06fertiliz 21/08/2012
disponibilizado por ScienceGenetics / GNU ado.jpg
Free Documentation License
Tabela de Imagens
n° do direito da imagem como está ao lado da link do site onde se consegiu a informação Data do
slide foto Acesso

15.a Gravura a partir de fotografia por Carl http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Matthias 21/08/2012


Schenk / disponibilizado por F.chiodo / _Jacob_Schleiden.jpg
United States Public domain

15.b Autor desconhecido / disponibilzado por http://commons.wikimedia.org/wiki/File:TheodorS 21/08/2012


Materialscientist / United States Public chwann.jpg
Domain

15.c Autor desconhecido / disponibilizado por http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Rudolf_L 21/08/2012


Polarlys / udwig_Karl_Virchow.jpg
United States Public Domain

19 Autor desconhecido / disponibilizado por http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Gray2.pn 21/08/2012


Pngbot / Domínio Público g
21 Visão geral dos principais eventos da meiose http://commons.wikimedia.org/wiki/File:MajorEve 21/08/2012
/ disponibilizado por PatríciaR / Domínio ntsInMeiosis_variant_pt.svg
Público
23 Autor desconhecido / disponibilizado por http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Mendel_ 21/08/2012
QWerk / Domínio Público Gregor_1822-1884.jpg
Tabela de Imagens
n° do direito da imagem como está ao lado da link do site onde se consegiu a informação Data do
slide foto Acesso

24.a Autor desconhecido / disponibilizada por http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Walter_s 21/08/2012


Earthdirt / Domínio Público utton.jpg
24.b Autor desconhecido / Disponibilizado por http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Theodor_ 21/08/2012
Nina / United States Public Domain Boveri.jpg
24.c Autor desconhecido / disponibilizada por http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Thomas_ 21/08/2012
Materialscientist / Domínio Público Hunt_Morgan.jpg
25 Barbara McClintock no laboratório de Cold http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Barbara_ 21/08/2012
Spring Harbor, em 1947 / Autor McClintock_at_C.S.H._1947-2.jpg
desconhecido / disponibilizado por Bff /
Domínio Público