Você está na página 1de 48

Universidade Católica de Angola

Laboratorio de Propriedades das Rochas


e Fluidos

Curso: Engenharia de Petróleo


Diogo Joao Sebastiao
Email: diogosebastiao78@Hotmail.com
Introdução
• Introdução
• Rochas
• Mecânica das Rochas
• Amostragem de de Rochas
• Preparação Preservação e analisas das Amostras (
Core)
• Porosidade
• Medição do Bulk Volume ( volume da Rochas)
• Permeabilidade
• Saturação
• Molhabilidade
• Pressão Capilar
• Permeabilidade Relativa
• Medição dos Fluidos dos Reservatórios(PVT)
Tipo de Analises para as Rochas

• Petroleo e Gas
• Core Analysis
Routine Core Analysis
• Ambient Electrical Properties System
• Manual Gas Permeameter Porosimeter 500 bar
• Manual Gas Permeameter Porosimeter 500 bar with Double Core Holder
• Automatic Gas Permeameter Porosimeter 700 bar
• Hydrostatic Core Holder
• Triaxial Core Holder
• Standard Sample for Permeability Calibration
Special Core Analysis
• Relative Permeability System 700 bar
• Relative Permeability System 1000 bar
• Relative Permeability System 700 bar Room Temperature Gas/Liquid
• Relative Permeability System 700 bar Room Temperature Liquid/Liquid
• Formation Damage System 1000 bar
• Capillary Pressure Imbibition Drainage Resistivity Index
• Core Aging System
• Compressibility of Rock, Acoustic Velocity and Pore Bulk System 700 bar
• Geochemistry
• Automated Acid Attack
Tipo de rochas
Definição de rochas
• Reservatório
• Não Reservatório
• Classificação de Rochas
• Sedimentares
• Ígneas
• Metamorficas
Rochas Sedimentares
Rochas Sedimentares
• São formadas por resíduos de outras rochas já existentes e materiais orgânicos
que carregados pela água ou vento se acumulam e dão origem às rochas
sedimentares. Esse tipo de rocha compõe cerca de 80% da superfície dos
continentes terrestres. Elas são divididas em três tipos:
Sedimentares Orgânicas
• Carvão e Calcário
• Carvão e Calcário | Imagem: Reprodução
• Estas são formadas por restos de animais e vegetais que se acumulam e dão
origem a rochas como Calcário e Carvão dada a pressão e temperatura a
que são expostas.
• Sedimentares Clásticas ou Detríticas
• Arenito e Tilito
• Arenito e Tilito
• Formadas por detritos de rochas antigas, compostas basicamente por sílica
agregada a outros minerais. Exemplos de rochas detríticas são o Tilito e Arenito.
Sedimentares Químicas
• Estalactites e Estalagmites
• Estalactites e Estalagmites | Imagem: Reprodução
• Formam-se pela ação do líquido saturado no ambiente em que se encontram.
Exemplos
• bastante comuns de rochas químicas são as Estalactites e Estalagmites
Exemplo das rochas Sedimentares
Rochas Ígneas(Intrusivas ou
Extrusivas)
Magmáticas Extrusivas
• Basalto, Riólito e Andesito
• Basalto, Riólito e Andesito | Imagem: Reprodução
• Já as rochas extrusivas, também chamadas de plutônicas, são formadas pelo magma
solidificado na superfície. O magma é expelido para a crosta ou próximo a ela e então
resfriado rapidamente, o que pode dar a essas rochas um aspecto vítreo. São exemplos de
rochas extrusivas o Basalto, Andesito e Riolito.
Rochas Metamórficas
• Quartzo e Mármore
• Quartzo e Mármore | Imagem: Reprodução
Como o próprio nome sugere, as rochas metamórficas sofreram alterações em sua estrutura
devido a fatores como alta pressão e temperatura, ou podem ser rochas magmáticas,
sedimentares e até mesmo magmáticas deformadas. Quartzo e Mármore são exemplos de
rochas magmáticas.
Exemplos de Rochas Magmáticas
Mecânica das Rochas

Geomecanica/ Mecanica das rochas


• E a ciencia aplicada ao comportamento mecanico das rochas
• E o segment da mecanica que olha para a reposta de uma rocha qdo submetida no
campo a uma forca de acordo com o seu ambiente fisico
• A mecanica das rochas subdividem se em duas areas :
• a) Mecanica Estrutural : Olha para eng de estabilidade structural, pela qual o material
predominante sao as rochas.
O teste do solo baseia-se na idéia de que o comportamento da massa do solo pode ser, com as condições necessárias, previsto de maneira que
determinadas qualidades peculiares possam ser determinadas.
Testes do solo, bem conduzidos, constituem uma base segura de conhecimento para permitir suas explorações com as melhores condições.
Esta célula foi realizada para determinar a capacidade de suporte do solo e sua subsistência terrestre quando este está sob força triaxial,
executando medidas ligadas pela saturação do produto contido. Isso permite que o corpo de prova, sob teste, submeta as condições de pressão
simulando as existentes na massa do solo.
As propriedades das amostras de rochas são determinadas por testes de laboratório.
• b) Comunicacao : Concentra se na reducao dos pequenos fragmentos das rochas devido
a aplicacao de forcas externas, como durante a perfuracao , explosao, amostras(cuttings)
e testemunhos. Comminution, which is concerned with the reduction of rock to small
fragments by the application of external forces as in drilling, blasting, cutting and grinding.
• Esta duas areas da mecanica das rochas involve se no control da deformacao, e processo
de fracturas de rochas.
Exemplos de Deformação das Rochas
Estabilidade do Poço

Understanding the conditions that cause stability


problems provides for:
•More effective planning.
•Earlier and easier detection of warning signs.
•Contingency plans to prevent the progression of the
problem.
Stress

• Stress Total
• Antes de perfuramos uma rocha no subsolo, a mesma
encontra se em equilibrio, ou quase em equilibrio ( Stress
Natural ).
• O stress natural ocorre em lugares chamdo stress total in
situ( compressive devido o peso das camadas
suprajacentes ) overburden.
• Por esta razao em mecanica das rochas o stress
compressive e conssiderado positive
• Existem tres components do stress total ou in situ pela
qual agem funcao da profundidade:
• the overburden stress(Stress de sobrecarga) que actua
na police vertical
• two horizontal stresses( actuam na posicao horizontal ),
Stress minimo e maximo
Overburden stress - Sv

Ideally, overburden is determined through integrating


the density of sediments vertically above a point of
interest. Thus, Sv = fp×g×h, where p is the average
density over interval h, and g is gravitational
acceleration
Stress Horizontal
Horizontal stress – Shmin, SHmax
• O peso de sobrecarga, aperta a rocha na verticalmente,
comprimindo na horizontal tambem, sofrendo uma pressao das
rochas a volta criando assim o stress horizontal
• Em perfuracoes de muitas areas, o stress horizontal sao geralmente
• Normalmente qdo perfura se em areas com estruturas geologicas
proximas tal como domo salifero, ou area tectonica o stress sera
diferente, iremos ter stress maximo(Shmax), e minimo(Shmin).
Determinacao do Stress horizontal
• The minimum horizontal stress (Shmin) is usually determined from
leak-off tests conducted in prior wells. In normally-pressured areas
without much geological structural relief,
• It is difficult to determine the maximum horizontal stress directly from
field measurements. Its value can be constrained from estimates of
the frictional strength of rocks at stresses and pore pressure are
known. Observations of borehole failures – either breakouts or
drilling-induced tensile fractures – seen in wireline image logs allow
better estimates of SH to be made using rock mechanics equations
Demostração de Stress

• normal stress regime, where Sv >


SHmax ;: Shmin, typically found in
extensional geologic
environments or passive basins.
• strike-slip stress regime, where
SHmax ;: Sv > Shmin, typically
found in regions of moderate
compression or uplift; and
• thrust fault stress regime, where
SHmax > Shmin ;: Sv, typically
found in highly compressional
regions (this stress state is
sometimes referred to as reverse
faulting by geologists).
Resistência da rochas
• Mecanica das rochas e o estudo do comportamento
mecanico das rochas de subsuperficie.
• O testemunho de rochas retirado em condicoes in situ
sao geralmente testada se em compressao com
equipamento de de laboratorios especializados
• Para melhor simulacao das condicoes de subsuperficie,
os testemunho sao sujeito a pressao confinada(Stress)).
• A resposta da rocha ao stress atraves da mudanca do
volume ou forma(deformacao) ou ambos
• A mudanca proporcional do volume ou forma da rocha
devido aplicacao do stress e chamado strain.
• Rochas sujeito a compressao (+) or tensao (-) o stress
pode atingir tres estagio de deformacao.
• In elastic deformation, the rock deforms as stress is
applied but returns to its original shape as stress is
relieved. In elastic deformation, the strain is proportional
to the stress (Hooke's Law).
Resistência das Rochas (continuação)

• Qdo o stress aplicado alcanca o limite elastic, a


rocha comeca a demostrar uma deformacao
plastica nao recuperavel
• Apos da deformacao plastic, a rocha retorna ao
seu forma original somente de uma forma parcial,
a medida que o stress e aliviado.
• Caso continua se a aplicar o stress, desenvolve-se
fractura e a rocha falha
• A rocha pode falhar de uma maneira fragil em
regime de baixo stress confinadoou duma maneira
maleavel sob regime de alto stress confinado
Shear strength and shear failure

Under compression rocks actually


fail in shear – it is easier to slide rock
grains past each other than to crush
them

High confining pressure resists


sliding on the shear plane and
the rock appears stronger. If the
confining pressure and axial load
were equal, there would be no
shear stress on the rock and no
shear failure.
Equal stresses promote stability and unequal stresses

promote shear stress and possible shear failure

Rock mechanics uses failure models to predict wellbore


stability. Several models exist of differing complexity. The Mohr-
Coulomb failure model, used in the illustrations here, considers
only the greatest and least effective stress acting on the rock.
These could be any of the three effective stresses, depending The higher the confining pressure, the greater the compressive stress
on in- situ environment and well conditions necessary to fail the rock sample. Several tests at increasing confining
pressures produce successive stress-states of increasing shear strength.
The shear strength line is approximated by the line giving the best fit to
the maximum shear stress points on the failure plane from several such
tests. The equation for this line is given below.
T =So+a tanp
A shear strength line or failure envelope shown below is produced from
such core .
Tensao

• Falha de tensao resulta apartir do stress que tende


a libertar se da rocha (tensile stress). As rochas
exibem resitencia de tensao muito baixa
Stress Efetivo

• 2.3 Effective Stress


• A matriz das rochas(graos solidos e fragmentos de rochas )the
grains forming the solid portion of the rock), nao suportao o
peso total de subcargae e o stress horizontal
• Parte da carga e suportado pela pressao do fluido nos
espacos porosos ( pressao do ar no pneu de um carro), o
peso effective pela qua e parte da stress externo submetido a
matriz da rocha.
• O stress efectivo e usado na mecanica das rochas para
calcular a determinacao da estabilidade do poco.
• 2.3.1Effective overburden stress – av
• Effective Overburden Stress = Total Overburden Stress – Biot’s
parameter
• × Pore Pressure
• av = Sv – p
Amostragem de de Rochas
Tipo de Amostragem

Rotary Coring.
??Wireline Rotary Side-Wall
Coring.
?Score
Rotary Coring

Rotary Coring limiting factors


o Cost
o Coring reliability.
o Response time.
o Data not Information.
o Superior Marketing From Other Means of
o Formation Evaluation Compan
Wireline Percussion Side-Wall Coring.

Limitation
Benefit
o High probability for Junk in Hole.
o Cheap.
o Doesn’t work in hard or unconsolidated
o Covers a long interval.
rocks.
o Fair information about geology
o Samples heavily damaged during
percussion.
o Very small samples.
o Samples taken from the invaded zone.
Procedimento de Manusiamento das amostra na Plataforma e Metodos de
Perservacao

• Intruducao a pocedimentos de manuseamento das amostras


o Terminologia de Perservacao
• Amostras de campo e Analyses
• Procedimentos de manuseamento das amostras
• Transportacao e Logistica
• Tipo de Amostras e consideracoes especiais
• Perservacao das amostras para analise
Manusiamento e Procedimentos
• Um dos maiores problemas encontrado durante a amostragem, manuseamento e perservacao
das rochas reservatorios sao:
• Construcao e Composicao do core BHA
• Selecao de fluidos nao reactive ao material de perservacao das amostras
• Aplicacao de metodos apropriado de manusiamento, perservacao em função do tipo de rocha
• Condicoes logisticas e o tempo de operacao

Perservacao das Amostras
• A preservacao é o processo pela qual se tenta manter as amostras em condições similares ou
mais próxima possível a do reservatório. ( processo pelo qual se tenta manter as rochas com sua
propriedades originais ou seja sem o mínimo de alterações possíveis)

• A perservacao das amostras pode varia dependendo do tipo de teste por se realizar e o tempo
antes da realização dos mesmos: ( Apreservação de uma amostra de rocha varia de aocordo ao
tipo de teste a ser aplicado na amostra)

o Evaporizacao, e migracao dos fluidos, a oxidação devem ser evitados para podermos ter
analises confiável e seguras.
o Não existe um melhor método de perservacao, depende muito da experiencia da equipa e o
tipo de rochas
• A perservacao das amostras para analise de laboratório são :
o Estabilizacao mecânica
o controle ambiental usando a perservaco por sistema de control a humidade, congelamento
o Cobertura com plástico laminado, para o control de temperatura
o Sacos de plásticos
o Mergulho em massa consistente
o Jarra de vidro
Centralizacao e Estabilizacao da amostras

• As amostras devem ser centralizado e estabilizadas antes da sua


transportacao
• Fluidos nao rectivos (brine)
• Resinas
• Geso
• Espuma/Polimeros
Analise e Prepação das amostras
Separacao e Seleção das amostras

• A separacao e selecao das amostras representa um dos passos mais importante para obter
analyses mais confiavel
• Natural Raio X analise

Core Gamma :
Identificacao das formações
Correlacao das profundidade/corelacao das diagrafias
Determinacao dos intervalos para obtenção do plug
. As medições do raio X são qualitativas e não quantitativas
Core Photo/ fotografia das amostras
• As fotografias das amostras sao geralmente tiradas apos o slabbing, para melhorar a
claridade da imagem e maximizer a exposicao das caracterisiticas de deposicao e a
textura da rocha, esta fotos sao tiradas com luz ultravioletas (UV light), para identificar
zona com fluidos de hidrocarbonetos

Calculo quantitativo do Net Gross


Calculo da percentagem de flourescencia
Determinar intercalação entre areis e
argilas
Calculo do angulo das camadas e outras
avaliação estrutural
Fracturas e diferentes tipos de porosidade
Fotografias de plug
Metodos de Raio X
• De modo a aumentar a resolucao exitem diferentes metodos de raio
X
• Fluoroscopia
• Raio X
• CT (Tomografia computarizada)
o CT Scan
o CAT Scan


CT Objectivo
• Preparacao da amostra para o slabe plug
• Selecao e verificacao das amostras
• Identificacao da mineralogia, textura e estrutura da rocha
• Estimacao da porosidade CTm= (1-Φ)*CTr+Φ*(sw*CTw+So*Cto+sg*Ctg)
Ou
CTm = (1-Φ)*CTr-1000*Φ*sg
Ou
Φ= (Ctr-Ctm)/(Ctr+1000*sg)
Slabbing e Plugging
Saturação dos Fluidos, Porosidade e

Permeabilidade
• As propriedades de saturação de fluidos, porosidade e permeabilidade estão
relacionadas com analise básica das amostras, analise da amostras convencional,
analise da amostra padrão ou analise de rotina
• Estas analises são os parâmetros mais críticos na avaliação de reservatórios
• Estas variáveis são usadas para a determinação:
o Net pay e estimação das reservas
o Avaliação do tipo de fluido e tipo de rocha
o O conhecimento do poço e performance do reservatório
o Estimação da produção provável do fluido
o Estabelecimento do contacto entre os fluidos do reservatório e diferentes unidades da rocha
o Estimação das reservas e da produção inicial
o Definição dos limites do campo
o Estabelecimento da corelação estrutural e estratigráfica a partir das diagrafias de wireline
o Interpretação e calibração das diagrafias de wireline
o Elaborar o programa de perfuração e completação
o Seleção dos intervalos para testes e interpretação da analise de pressão provisoria
o Criação de da estratégia de gestão do reservatório
Teoria da Saturação dos fluidos
• Existem varia técnicas de laboratório para determinação
residual da saturação dos fluidos
• O somatório da saturação dos fluidos pode ser usada
em analise básicas das amostras
• Existem seis principal método para determinar a
saturação dos fluidos:
o Destilador em condições atmosférica
o Destilação de extração em diâmetro completo da amostra do plug (Dean Stark)
o Técnica de retenção de pressão na amostra
o Método de amostra de esponja
o Karl- Fisher / solvente flushing
o Técnica de preenchimento com geso
Recentemente também usa se o método de scaning não destrutivo para
determinação residual da saturação dos fluidos
Limitações em analise de amostras de rochas
• Um dos maiores objetivo das analises das amostras de
rochas e opara obter medições que refletem as
propriedades in situ do reservatório
• As limitações são:
o Temperatura
o Pressão
o Redução da saturação do fluido devido drenagem feita pelos fluidos de
perfuração
o Dissolução do gás, reduz a quantidade de petróleo e agua na amostra
Dean- Stark Destilação Extração
• O Dean Stark, e um método para medição da saturação
dos fluidos em amostras de rochas, a partir da
destilação da fração da agua e a extração do solvente a
partir da fração do petróleo a partir da amostras em
plugs ou amostras com diâmetros completo
• Os fatores que podem afetar a qualidade dos dados são:
O aparelho de funcionar num sistema fechado
Não e comum durante a extração e destilação haver perda de grãos
O tubo recetor deve estar calibrado
Para uma melhor eficiência o Dean Stark extração e destilação, o tubo de agua fria
para o tudo condensador deve estar frio
Usar solvente limpo pelo menos em algumas amostras
Dean – Stark Extração Destilação Equipamento
Equação da Saturação de Fluido a partir do Dean-

Stark
𝑃𝑒𝑠𝑜 𝑑𝑎 𝐴𝑔𝑢𝑎
P𝑒𝑠𝑜 𝑑𝑎 𝐴𝑔𝑢𝑎(% ) = 𝑋100
𝑃𝑒𝑠𝑜 𝐼𝑛𝑖𝑐𝑖𝑎𝑙 𝑑𝑎 𝐴𝑚𝑜𝑠𝑡𝑟𝑎

𝑉𝑜𝑙𝑢𝑚𝑒 𝑑𝑎 𝐴𝑔𝑢𝑎 𝑋𝐷𝑒𝑛𝑠𝑖𝑑𝑎𝑑𝑒 𝑑𝑎 𝐴𝑔𝑢𝑎 𝑋100


𝑉𝑜𝑙𝑢𝑚𝑒 𝑑𝑎 𝐴𝑔𝑢𝑎(%) =
𝑃𝑒𝑠𝑜 𝐼𝑛𝑖𝑐𝑖𝑎𝑙 𝑑𝑎 𝐴𝑚𝑜𝑠𝑡𝑟𝑎

𝑃𝑒𝑠𝑜 𝑑𝑎 𝐴𝑚𝑜𝑠𝑡𝑟𝑎 𝑠𝑒𝑐𝑎 𝑋100


𝑃𝑒𝑠𝑜 𝑑𝑜𝑠 𝑆𝑜𝑙𝑖𝑑𝑜𝑠(%) =
𝑃𝑒𝑠𝑜 𝐼𝑛𝑖𝑐𝑖𝑎𝑙 𝑑𝑎 𝐴𝑚𝑜𝑠𝑡𝑟𝑎

𝑃𝑒𝑠𝑜 𝑖𝑛𝑖𝑐𝑖𝑎𝑙 𝑑𝑎 𝐴𝑚𝑜𝑠𝑡𝑟𝑎 − 𝑃𝑒𝑠𝑜 𝑑𝑎 𝐴𝑚𝑜𝑠𝑡𝑟𝑎 𝑆𝑒𝑐𝑎 − 𝑃𝑒𝑠𝑜 𝑑𝑎 𝐴𝑔𝑢𝑎 𝑋100


𝑃𝑒𝑠𝑜 𝑑𝑜 𝑃𝑒𝑡𝑟𝑜𝑙𝑒𝑜(%) =
𝑃𝑒𝑠𝑜 𝐼𝑛𝑖𝑐𝑖𝑎𝑙 𝑑𝑎 𝐴𝑚𝑜𝑠𝑡𝑟𝑎

𝑉𝑜𝑙𝑢𝑚𝑒 𝑑𝑎 𝐴𝑔𝑢𝑎 𝑋 100


= % 𝐴𝑔𝑢𝑎
𝑉𝑜𝑙𝑢𝑚𝑒 𝑑𝑜𝑠 𝑃𝑜𝑟𝑜𝑠

𝑃𝑒𝑠𝑜 𝑑𝑜 𝑃𝑒𝑡𝑟𝑜𝑙𝑒𝑜 𝑋 100


= % 𝑃𝑒𝑡𝑟𝑜𝑙𝑒𝑜
𝐷𝑒𝑛𝑠𝑖𝑑𝑎𝑑𝑒 𝑑𝑜 𝑃𝑒𝑡𝑟𝑜𝑙𝑒𝑜 𝑋 𝑉𝑜𝑙𝑢𝑚𝑒 𝑑𝑜𝑠 𝑃𝑜𝑟𝑜𝑠
Técnica de Karl Fisher

• Este método pode ser usado para todos os nível de


saturação de agua, especialmente quando o nível de
saturação de agua e baixo
• Vantagem
o A limpeza das amostra e feito como parte d procedimento
o Pequenas quantidades de agua são facilmente detetadas
o Não deixa partículas ou cristal de sal na amostra e, um dos principais problemas
do Dean – Stark
o E muito útil para analise de rochas não consolidada

• Desvantagens
o A molhabilidade das amostras podem ser influenciada pelos solventes
o O metanol usado pode ser suscetível a ser absorvido pela agua atmosférica ou
impurezas do vidro
o Consome muito tempo
o Nem sempre esta disponível ou de fácil manuseio
o
Retenção da Pressão na amostra e Amostra de

esponja
o Habilidade para prevenir a expulsão dos fluidos, através da redução da pressão
durante o processo de amostragem ate a superfície
o A pressão é libertada a partir do tubo de amostragem de uma forma controlada,
eliminando as microfacturas no intervalo de amostragem
o Geralmente as amostras são armazena congelada com gelo seco antes de serem
analisadas no laboratório
o O gás que se liberta da solução é retido e o petróleo e a agua expulso pelo gas e
recolhido através do tubo para analise
o O volume do petróleo e da agua são determinado a partir da destilação extração e o
gas e retirado apartir do solvente de extração
O método de retenção de pressão em amostras atinge um valor de saturação de fluidos
próximo das condições in situ do que uma outra técnica de analítica
Amostra de Esponja
A quantidade de Petroleo e aqua capturado com a esponja e adicionada na quantidade
de petróleo e agua remanescente na amostra para obter um valor da saturação dos
fluido do reservatório mais realístico
Durante a operação de amostragem ate a superficie uma parte da pressão não e retida
O operador deve escolher a fase correta da saturação dos fluidos para o petróleo e agua,
mais não para os ambos em função da humidade da esponja
A esponja pode ser feita em Petroleo molhado ou agua molhada, dependendo da analise
anlitica da amostra
Parâmetro critico para o calculo da porosidade
• Volume solido da rocha(Bulk Volume)BV
• Volume dos Grãos (GV)
• Volume dos poros (PV)
𝑃𝑉
• 100 𝑋 Ø= BV-(Peso total do solido matrix/ densidade da matrix do mineral )/ BV
𝐵𝑉
𝐵𝑉−𝐺𝑉
• 100 𝑋
𝐵𝐵𝑉
𝑃𝑉
• 100 𝑋
𝑃𝑉+𝐺𝑉

o Porosidade Total: e a razão entre o volume dos poros e volume total da rocha
o Porosidade Efetiva: E a razão entre o volume interconectado e o volume medio
dos poros
Diagenese

• São todas mudança físicas, biológicas e químicas que


ocorrem apos a sedimentação inicial dos sedimentos
• Empacotamento/ Packing
• A quantidade e o tipo de porosidade, estão relacionada
ao empacotamento das rochas
Método para o Calculo do Volume da rocha
o Arquimedes(Buoyanceou Flutuação)com mercúrio e outros fluidos
o Deslocamento de mercúrio
o Medição através do caliper
• Lei de Boyle Porosimetro
Este método e usado para medir o volume dos grãos
A medição direta do volume dos poros e possível através
da lei de Boyle
Fatores que afetam a porosidade e a permeabilidade do
reservatório durante a diagénese
Composição química
Empacotamento dos grão sólidos
Forma dos grãos
Tamanho dos grãos, distribuição e seleção
Orientação dos grão
Tipos de Porosidade
• Primaria
o forma se durante a deposição dos sedimentos
• Interparticulas ou Intergranular
o Entre os grãos ou partículas
• Intracristal
o Entre os cristal individual
• Microporosidade
• Megaporosidade
• Crescimento de estrutural
o Acontece nos carbonatos a medida que a estrutura vão se formando
• Porosidade escudaria
o Forma se na fase final da deposição ou mesmo depois da deposição final
através da dissolução química