Tipificação Nacional de Serviços Socioassistenciais

Lucas Augusto Camilo Gomes Psicólogo Centro de Referência Especializada de Assistência Social

Tipificação Nacional de Serviços Socioassistenciais
Definição: A Tipificação Nacional é um documento datado em 11 de novembro de 2009, que organiza os serviços sócioassistencias prestados no âmbito do SUAS, por níveis de complexidade, sendo básica, média e alta.

Tipificação Nacional de Serviços Socioassistenciais

O que são Serviços Socioassistencias? São todos serviços, programas e atividades prestados e garantidos pelo Sistema Único de Assistência Social.

. • Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos.Serviços de Proteção Social Básica • Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família (PAIF). • Serviço de Proteção Social Básica no domicílio para pessoas com deficiência e idosas.

por meio de ações de caráter preventivo. . promover seu acesso e usufruto de direitos e contribuir na melhoria de sua qualidade de vida. O Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família . Prevê o desenvolvimento de potencialidades e aquisições das famílias e o fortalecimento de vínculos familiares e comunitários. prevenir a ruptura dos seus vínculos. com a finalidade de fortalecer a função protetiva das famílias.SERVIÇO DE PROTEÇÃO E ATENDIMENTO INTEGRAL À FAMÍLIA .PAIF. protetivo e proativo. de caráter continuado.PAIF consiste no trabalho social com famílias.

sociabilidade e redes informais de apoio para o fortalecimento ou resgate de sua autoestima e a defesa de direitos. aos valores. suas formas de organização. . crenças e identidades das famílias e se fundamenta no fortalecimento da cultura do diálogo. no combate a todas as formas de violência. O trabalho social objetiva a potencialização dos recursos disponíveis das famílias.Programa de Atenção Integral à Família . de discriminação e de estigmatização nas relações familiares. de preconceito. por meio do trabalho social com famílias em situação de vulnerabilidade social. com o objetivo de prevenir o rompimento dos vínculos familiares e a violência no âmbito de suas relações. garantindo o direito à convivência familiar e comunitária.PAIF Informações Gerais O Programa de Atenção Integral à Família (PAIF) oferta ações e serviços socioassistenciais de prestação continuada. O trabalho social se baseia no respeito à heterogeneidade dos arranjos familiares.

A equipe do CRAS. responsável pela implementação do PAIF. tendo as famílias como referência. autonomia.a matricialidade sociofamiliar e a territorialização. sustentabilidade e referência no processo de desenvolvimento e reconhecimento da cidadania. sob coordenação do gestor municipal deve ainda contribuir para a organização das ações no território. convívio.PAIF Informações Gerais Tem como princípios dois pilares do SUAS . acolhida. sociabilidade. . o lugar a ser re-significado pelas suas ações. A família é reconhecida como o núcleo primário de afetividade.Programa de Atenção Integral à Família . O território é o lócus de operacionalização do PAIF. E o Estado tem o dever de prover proteção social às famílias a fim de possibilitá-las ao exercício de sua função protetiva.

a execução e a gestão do PAIF é atribuição do Estado. em especial no âmbito do território de abrangência do CRAS. a fim de não se tornar um serviço prescritivo. . Assim. pela PNAS. Deve ser obrigatoriamente desenvolvido no CRAS. devendo ter a mesma nomenclatura em todo o país e significado semelhante para a população em qualquer território da federação. cabendo aos municípios esta responsabilidade.PAIF Informações Gerais O PAIF é reconhecido. as ações do PAIF devem ser planejadas e implementadas com a participação e controle social dos seus usuários. O PAIF rege-se pela universalidade e gratuidade de atendimento e sua oferta é exclusiva da esfera estatal. modelador e verticalizado.Programa de Atenção Integral à Família . O PAIF ainda tem uma dimensão democrática que deve ser exercitada em todos os momentos de sua implementação. isto é. como parte integrante da proteção básica.

implementar o Programa de Atenção Integral à Família – PAIF. São. PAIF Todo Centro de Referência de Assistência Social . independentemente da fonte financiadora. um programa e um equipamento intrinsecamente interrelacionados . o PAIF assim O PAIF e o CRAS não são sinônimos.IMPORTANTE INTER-RELAÇÃO ENTRE PAIF E CRAS CRAS O Programa de Atenção Integral à Família – PAIF é uma atribuição exclusiva do poder público e é desenvolvido necessariamente no Centro de Referência de Assistência Social – CRAS. O PAIF só é executado no CRAS Todo CRAS executa. ou seja.CRAS. obrigatoriamente. obrigatoriamente. respectivamente. deve.

Centro de Referência de Assistência Social . • O CRAS assume como fatores identitários dois grandes pilares do SUAS: a matricialidade sociofamiliar e a territorialização. benefícios e projetos conforme disponibilidade de espaço físico e de profissionais qualificados para implementá-los. programas.CRAS Informações Básicas • Efetiva a referência e a contra-referência do usuário na rede socioassistencial do SUAS. e desde que não prejudiquem a execução do PAIF e nem ocupem os espaços a ele destinados. • Os demais serviços socioeducativas e projetos de proteção básica desenvolvidos no território de abrangência do CRAS devem ser a ele referenciados. • No CRAS pode ser ofertados outros serviços. .

Pessoas com deficiência e/ou pessoas idosas que vivenciam situações de vulnerabilidade e risco social. em especial: Famílias beneficiárias de programas de transferência de renda e benefícios assistenciais.Centro de Referência de Assistência Social . Famílias em situação de vulnerabilidade em decorrência de dificuldades vivenciadas por algum de seus membros. do precário ou nulo acesso aos serviços públicos.CRAS USUÁRIOS: Famílias em situação de vulnerabilidade social decorrente da pobreza. Famílias que atendem os critérios de elegibilidade a tais programas ou benefícios. mas que ainda não foram contempladas. da fragilização de vínculos de pertencimento e sociabilidade e/ou qualquer outra situação de vulnerabilidade e risco social residentes nos territórios de abrangência dos CRAS. • • • • .

• Promover acessos a benefícios.contribuindo para a inserção das famílias na rede de proteção social de assistência social. possibilitando a superação de situações de fragilidade social vivenciadas. contribuindo na melhoria da sua qualidade de vida. potencializando o protagonismo e a autonomia das famílias e comunidades. .CRAS Objetivos: • Fortalecer a função protetiva da família. dentre seus membros.Centro de Referência de Assistência Social . por meio da promoção de espaços coletivos de escuta e troca de vivências familiares. • Promover acesso aos demais serviços setoriais. indivíduos que necessitam de cuidados. • Apoiar famílias que possuem. programas de transferência de renda e serviços socioassistenciais. • Promover aquisições sociais e materiais às famílias. • Prevenir a ruptura dos vínculos familiares e comunitários. contribuindo para o usufruto de direitos.

Centro de Referência de Assistência Social . visita domiciliar. campanhas socioeducativas. acompanhamento familiar. busca ativa. orientação e encaminhamentos. estudo social. comunicação e defesa de direitos. informação. elaboração de relatórios e/ou prontuários. notificação da ocorrência de situações de vulnerabilidade e risco social.CRAS TRABALHO SOCIAL ESSENCIAL AO SERVIÇO:Acolhida. desenvolvimento do convívio familiar e comunitário. cadastramento socioeconômico. conhecimento do território. mobilização e fortalecimento de redes sociais de apoio. . grupos de famílias. mobilização para a cidadania. atividades comunitárias. promoção ao acesso à do livro 8 documentação pessoal.

• Por encaminhamento das demais políticas públicas. • Por busca ativa.CRAS FORMAS DE ACESSO: • Por procura espontânea. • Por encaminhamento da rede Socioassistencias.Centro de Referência de Assistência Social . .

• Prevenção da ocorrência de riscos sociais.Centro de Referência de Assistência Social . .CRAS IMPACTO SOCIAL ESPERADO: • Redução da ocorrência de situações de vulnerabilidade social no território de abrangência do CRAS. • Aumento de acessos a serviços Socioassistencias e setoriais. • Melhoria da qualidade de vida das famílias residentes no território de abrangência do CRAS. seu agravamento ou reincidência no território de abrangência do CRAS.

estimula e orienta os usuários na construção e reconstrução de suas histórias e vivências individuais e coletivas.SERVIÇO DE CONVIVÊNCIA E FORTALECIMENTO DE VÍNCULOS. Serviço realizado em grupos. de modo a garantir aquisições progressivas aos seus usuários. de acordo com o seu ciclo de vida. desenvolver o sentimento de pertença e de identidade.Organiza-se de modo a ampliar trocas culturais e de vivências. a fim de complementar o trabalho social com famílias e prevenir a ocorrência de situações de risco social.Possui caráter preventivo e proativo. pautado na defesa e afirmação dos direitos e no desenvolvimento de capacidades e potencialidades. Forma de intervenção social planejada que cria situações desafiadoras. . organizado a partir de percursos. com vistas ao alcance de alternativas emancipatórias para o enfrentamento da vulnerabilidade social. na família e no território. fortalecer vínculos familiares e incentivar a socialização e a convivência comunitária.

garantindo a matricialidade sociofamiliar da política de assistência social. presença de pessoas com deficiência. raça. . entre outros. Deve prever o desenvolvimento de ações intergeracionais e a heterogeneidade na composição dos grupos por sexo.SERVIÇO DE CONVIVÊNCIA E FORTALECIMENTO DE VÍNCULOS.Possui articulação com o Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família (PAIF). de modo a promover o atendimento das famílias dos usuários destes serviços. etnia.

SERVIÇO DE CONVIVÊNCIA E FORTALECIMENTO DE VÍNCULOS. • CRIANÇAS E ADOLESCENTES DE 6 A 15 ANOS. . Usuários: • CRIANÇAS DE ATÉ 6 ANOS. • ADOLESCENTES E JOVENS DE 15 A 17 ANOS. • IDOSOS(AS) COM IDADE IGUAL OU SUPERIOR A 60 ANOS. EM SITUAÇÃO DE VULNERABILIDADE SOCIAL.

. • Promover acessos a benefícios e serviços socioassistenciais. das pessoas com deficiência. em especial. jovens e idosos. • Prevenir a institucionalização e a segregação de crianças. assegurando o direito à convivência familiar e comunitária. fortalecendo a rede de proteção social de assistência social nos territórios. adolescentes.SERVIÇO DE CONVIVÊNCIA E FORTALECIMENTO DE VÍNCULOS. OBJETIVOS GERAIS: • Complementar o trabalho social com família. prevenindo a ocorrência de situações de risco social e fortalecendo a convivência familiar e comunitária.

fortalecendo o respeito. . • Oportunizar o acesso às informações sobre direitos e sobre participação cidadã. em especial das políticas de educação. cultura. propiciando trocas de experiências e vivências. • Possibilitar acessos a experiências e manifestações artísticas. a solidariedade e os vínculos familiares e comunitários.SERVIÇO DE CONVIVÊNCIA E FORTALECIMENTO DE VÍNCULOS. esportivas e de lazer. culturais. com vistas ao desenvolvimento de novas sociabilidades. contribuindo para o usufruto dos usuários aos demais direitos. esporte e lazer existentes no território. • Favorecer o desenvolvimento de atividades intergeracionais. estimulando o desenvolvimento do protagonismo dos usuários. • Promover acessos a serviços setoriais. saúde.

Serviço de apoio. . Compreende atenções e orientações direcionadas para a promoção de direitos. orientação e acompanhamento a famílias com um ou mais de seus membros em situação de ameaça ou violação de direitos.SERVIÇO DE PROTEÇÃO E ATENDIMENTO ESPECIALIZADO A FAMÍLIAS E INDIVÍDUOS (PAEFI). comunitários e sociais e para o fortalecimento da função protetiva das famílias diante do conjunto de condições que as vulnerabilizam e/ou as submetem a situações de risco pessoal e social. a preservação e o fortalecimento de vínculos familiares.

. Idosas e suas Famílias. • Serviço de Proteção Social a Adolescentes em Cumprimento de Medida Socioeducativa de • Liberdade Assistida (LA). e de Prestação de Serviços à Comunidade (PSC). • Serviço de Proteção Social Especial para Pessoas com Deficiência. • Serviço Especializado para Pessoas em Situação de Rua.Serviços de Proteção Social Especial de Média Complexidade: Serviços de Proteção Social Especial de Média Complexidade: • Serviço de Proteção e Atendimento Especializado a Famílias e Indivíduos (PAEFI). • Serviço Especializado em Abordagem Social.

• Situação de rua e mendicância. • Violência sexual: abuso e/ou exploração sexual. psicológica e negligência. USUÁRIOS: • Violência física. • Vivência de trabalho infantil. . • Discriminação em decorrência da orientação sexual e/ou raça/etnia. • Tráfico de pessoas. • Descumprimento de condicionalidades do PBF e do PETI em decorrência de violação de direitos. • Outras formas de violação de direitos decorrentes de discriminações/submissões a situações que provocam danos e agravos a sua condição de vida e os impedem de usufruir autonomia e bem estar. • Afastamento do convívio familiar devido à aplicação de medida socioeducativa ou medida de proteção.SERVIÇO DE PROTEÇÃO E ATENDIMENTO ESPECIALIZADO A FAMÍLIAS E INDIVÍDUOS (PAEFI). • Abandono.

OBJETIVOS: • Contribuir para o fortalecimento da família no desempenho de sua função protetiva. • Contribuir para romper com padrões violadores de direitos no interior da família. • Contribuir para a reparação de danos e da incidência de violação de direitos. • Contribuir para restaurar e preservar a integridade e as condições de autonomia dos usuários. • Processar a inclusão das famílias no sistema de proteção social e nos serviços públicos. conforme necessidades. • Prevenir a reincidência de violações de direitos.SERVIÇO DE PROTEÇÃO E ATENDIMENTO ESPECIALIZADO A FAMÍLIAS E INDIVÍDUOS (PAEFI). .

escuta. mobilização e fortalecimento do convívio e de redes sociais de apoio. estudo social. trabalho interdisciplinar. orientação sociofamiliar. orientação jurídico-social. TRABALHO SOCIAL ESSENCIAL AO SERVIÇO: Acolhida. mobilização para o exercício da cidadania.comunicação e defesa de direitos. estímulo ao convívio familiar. articulação interinstitucional com os demais órgãos do Sistema de Garantia de Direitos. referência e contrareferências.monitoramento e avaliação do serviço. diagnóstico socioeconômico. orientação e encaminhamentos para a rede de serviços locais. mobilização. grupal e social. identificação da família extensa ou ampliada. articulação da rede de serviços Socioassistencias. elaboração de relatórios e/ou prontuários.SERVIÇO DE PROTEÇÃO E ATENDIMENTO ESPECIALIZADO A FAMÍLIAS E INDIVÍDUOS (PAEFI). . construção de plano individual e/ou familiar de atendimento. articulação com os serviços de outras políticas públicas setoriais. atendimento psicossocial. acesso à documentação pessoal. apoio à família na sua função protetiva. informação.

• Demanda espontânea. das demais políticas públicas setoriais. . FORMAS DE ACESSO: • Por identificação e encaminhamento dos serviços de proteção e vigilância social.dos demais órgãos do Sistema de Garantia de Direitos e do Sistema de Segurança Pública. UNIDADE: Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS). • Por encaminhamento de outros serviços socioassistenciais.SERVIÇO DE PROTEÇÃO E ATENDIMENTO ESPECIALIZADO A FAMÍLIAS E INDIVÍDUOS (PAEFI).

exploração sexual de crianças e adolescentes. terminais de ônibus. . a incidência de trabalho infantil. USUÁRIOS: Crianças. adultos. entroncamento de estradas. Serviço ofertado. adolescentes. jovens. fronteiras. nos territórios. locais de intensa circulação de pessoas e existência de comércio. idosos e famílias que utilizam espaços públicos como forma de moradia e/ou sobrevivência. dentre outras.com a finalidade de assegurar trabalho social de abordagem e busca ativa que identifique. metrô e outros. situação de rua. Deverão ser consideradas praças.SERVIÇO ESPECIALIZADO EM ABORDAGEM SOCIAL. de forma continuada e programada. trens. espaços públicos onde se realizam atividades laborais.

aspirações. . desejos e relações estabelecidas com as instituições. • Identificar famílias e indivíduos com direitos violados. as condições em que vivem. a natureza das violações. • Promover ações para a reinserção familiar e comunitária.SERVIÇO ESPECIALIZADO EM ABORDAGEM SOCIAL. direitos e necessidades de inclusão social e estabelecimento de parcerias. estratégias de sobrevivência. • Promover ações de sensibilização para divulgação do trabalho realizado. procedências. OBJETIVOS: • Construir o processo de saída das ruas e possibilitar condições de acesso à rede de serviços e a benefícios assistenciais.

informação. articulação interinstitucional com os demais órgãos do Sistema de Garantia de Direitos. conhecimento do território. TRABALHO SOCIAL ESSENCIAL AO SERVIÇO: Proteção social proativa. articulação da rede de serviços Socioassistencias. comunicação e defesa de direitos. articulação com os serviços de políticas públicas setoriais.SERVIÇO ESPECIALIZADO EM ABORDAGEM SOCIAL. escuta. orientação e encaminhamentos sobre/para a rede de serviços locais com resolutividade. geoprocessamento e georeferenciamento de informações. elaboração de relatórios. .

UNIDADE: Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS) ou Unidade Específica Referenciada ao CREAS. FORMAS DE ACESSO: Por identificação da equipe do serviço.SERVIÇO ESPECIALIZADO EM ABORDAGEM SOCIAL. .

• Redução do número de pessoas em situação de rua.SERVIÇO ESPECIALIZADO EM ABORDAGEM SOCIAL. seus agravamentos ou reincidência. • Identificação de situações de violação de direitos. • Proteção social a famílias e indivíduos. . • IMPACTO SOCIAL ESPERADO: • Redução das violações dos direitos socioassistenciais.

Para a oferta do serviço faz-se necessário a observância da responsabilização face ao ato infracional praticado. O serviço tem por finalidade prover atenção socioassistencial e acompanhamento a adolescentes e jovens em cumprimento de medidas socioeducativas em meio aberto. . Deve contribuir para o acesso a direitos e para a resignificação de valores na vida pessoal e social dos adolescentes e jovens. cujos direitos e obrigações devem ser assegurados de acordo com as legislações e normativas específicas para o cumprimento da medida.SERVIÇO DE PROTEÇÃO SOCIAL A ADOLESCENTES EM CUMPRIMENTO DE MEDIDA SOCIOEDUCATIVA DE LIBERDADE ASSISTIDA (LA) E DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS À COMUNIDADE (PSC). determinadas judicialmente.

acesso a documentação pessoal. . produção de orientações técnicas e materiais informativos. trabalho interdisciplinar. estudo social. construção de plano individual e familiar de atendimento. desenvolvimento de projetos sociais. grupal e social. referência e contrarreferência. informação. comunicação e defesa de direitos. articulação da rede de serviços socioassistenciais. orientação sociofamiliar. mobilização para o exercício da cidadania. diagnóstico socioeconômico. articulação com os serviços de políticas públicas setoriais. monitoramento e avaliação do serviço. proteção social proativa. TRABALHO SOCIAL ESSENCIAL AO SERVIÇO: Acolhida. considerando as especificidades da adolescência. elaboração de relatórios e/ou prontuários. escuta. articulação interinstitucional com os demais órgãos do sistema de garantia de direitos. estímulo ao convívio familiar. orientação e encaminhamentos para a rede de serviços locais.SERVIÇO DE PROTEÇÃO SOCIAL A ADOLESCENTES EM CUMPRIMENTO DE MEDIDA SOCIOEDUCATIVA DE LIBERDADE ASSISTIDA (LA) E DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS À COMUNIDADE (PSC).

ou jovens de 18 a 21 anos.SERVIÇO DE PROTEÇÃO SOCIAL A ADOLESCENTES EM CUMPRIMENTO DE MEDIDA SOCIOEDUCATIVA DE LIBERDADE ASSISTIDA (LA) E DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS À COMUNIDADE (PSC). . em cumprimento de medida socioeducativa de Liberdade Assistida e de Prestação de Serviços à Comunidade. Usuários: Adolescentes de 12 a 18 anos incompletos. na ausência desta. pela Vara Civil correspondente e suas famílias. aplicada pela Justiçada Infância e da Juventude ou.

• Contribuir para o estabelecimento da autoconfiança e a capacidade de reflexão sobre as possibilidades de construção de autonomias. • Estabelecer contratos com o adolescente a partir das possibilidades e limites do trabalho a ser desenvolvido e normas que regulem o período de cumprimento da medida socioeducativa. • Fortalecer a convivência familiar e comunitária. • Possibilitar acessos e oportunidades para a ampliação do universo informacional e cultural e o desenvolvimento de habilidades e competências. • Criar condições para a construção/reconstrução de projetos de vida que visem à ruptura com a prática de ato infracional. . Objetivos: • Realizar acompanhamento social a adolescentes durante o cumprimento de medida socioeducativa de Liberdade Assistida e de Prestação de Serviços à Comunidade e sua inserção em outros serviços e programas socioassistenciais e de políticas públicas setoriais.SERVIÇO DE PROTEÇÃO SOCIAL A ADOLESCENTES EM CUMPRIMENTO DE MEDIDA SOCIOEDUCATIVA DE LIBERDADE ASSISTIDA (LA) E DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS À COMUNIDADE (PSC).

.SERVIÇO DE PROTEÇÃO SOCIAL A ADOLESCENTES EM CUMPRIMENTO DE MEDIDA SOCIOEDUCATIVA DE LIBERDADE ASSISTIDA (LA) E DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS À COMUNIDADE (PSC). • Redução do ciclo da violência e da prática do ato infracional. IMPACTO SOCIAL ESPERADO: • Vínculos familiares e comunitários fortalecidos. • Redução da reincidência da prática do ato infracional.

. IDOSAS E SUAS FAMÍLIAS . dentre outras que agravam a dependência e comprometem o desenvolvimento da autonomia. confinamento. desvalorização da potencialidade/capacidade da pessoa. Serviço para a oferta de atendimento especializado a famílias com pessoas com deficiência e idosos com algum grau de dependência. alto grau de estresse do cuidador. que tiveram suas limitações agravadas por violações de direitos.SERVIÇO DE PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA. falta de cuidados adequados por parte do cuidador. atitudes discriminatórias e preconceituosas no seio da família. tais como: exploração da imagem. isolamento.

Serviço ofertado para pessoas que utilizam as ruas como espaço de moradia e/ou sobrevivência. na perspectiva de fortalecimento de vínculos interpessoais e/ou familiares que oportunizem a construção de novos projetos de vida. Tem a finalidade de assegurar atendimento e atividades direcionadas para o desenvolvimento de sociabilidades. .SERVIÇO ESPECIALIZADO PARA PESSOAS EM SITUAÇÃO DE RUA.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful