P. 1
Diario_1029_10_26_7_2012

Diario_1029_10_26_7_2012

|Views: 307|Likes:
Publicado pormarcioandrey

More info:

Published by: marcioandrey on Jul 28, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

06/17/2014

pdf

text

original

Sections

Caderno Judiciário do Tribunal Regional do Trabalho
da 10ª REGIÃO

DIÁRIO ELETRÔNICO DA JUSTIÇA DO TRABALHO

PODER JUDICIÁRIO

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL

Nº1029/2012

Data da disponibilização: Quinta-feira, 26 de Julho de 2012.

DEJT Nacional

Tribunal Regional do Trabalho da 10ª REGIÃO

ELAINE MACHADO VASCONCELOS

Desembargadora Presidente

ANDRÉ RODRIGUES PEREIRA DA VEIGA DAMASCENO

Desembargador Vice-Presidente

SAS, Quadra 01, Bloco D

Praça dos Tribunais Superiores

Brasília/DF

CEP: 70097900

Telefone : 3348-1100

NÚCLEO DE RECURSOS

Despacho

Despacho

Processo Nº MS-227-69.2012.5.10.0000

Relator

Desembargador - RIBAMAR LIMA
JUNIOR

Impetrante

Hotel Nacional S/A

Advogado

Sônia Regina Marques Barreiro(OAB:
9072-N/DF)

Autoridade Coatora

Juíza Substituta da 3ª Vara do
Trabalho de Brasília / DF

Litisconsorte

Carlos Haurichio

"Visto.

Tempestivo o recurso (acórdão, fls. 141/145, publicado em

22/06/2012, fl. 148; recurso do impetrante, fls. 151/165,

apresentado em 02/07/2012).

Regular a representação processual (fl.25).

Custas pagas (fl.166).

Ante o exposto, recebo o recurso ordinário do impetrante Hotel

Nacional S.A.

Assino ao litisconsorte o prazo de 08 (oito) dias para, querendo,

oferecer contrarrazões ao recurso interposto.

Apresentadas as contrarrazões ou decorrido o prazo, providencie-

se a digitalização dos autos do processo e a remessa eletrônica ao

c. TST.

Restituam-se os autos físicos à unidade de origem.

Publique-se.

Brasília, 19 de julho de 2012 (5ª feira).

ELAINE MACHADO VASCONCELOS

Desembargadora Presidente do TRT da 10ª Região"

Processo Nº RO-133585-26.2009.5.10.0004

Relator

Juiz - GRIJALBO FERNANDES
COUTINHO

Revisor

Desembargadora - HELOISA PINTO
MARQUES

Recorrente

Themag Engenharia e Gerenciamento
Ltda.

Advogado

Elionora Harumi Takeshiro(OAB:
12838-N/PR)

Recorrente

Engevix Engenharia S.A.

Advogado

Eduardo da Silva Barreto(OAB: 39641-
N/RJ)

Recorrente

Anderson Silveira

Advogado

Maximiliano Nagl Garcez(OAB: 27889-
N/DF)

Recorrido

Os Mesmos

Recorrido

Centrais Elétricas do Norte do Brasil -
ELETRONORTE

Advogado

Maíra Selva de Oliveira(OAB: 29008-
N/DF)

"Vistos os autos.

Homologo a desistência do agravo de instrumento protocolizado sob

o n.º 5.595.676, acostado à contracapa, requerida pelo reclamante

Anderson da Silveira.

Baixem os autos à origem.

Publique-se.

Brasília, 20 de julho de 2012 (6ª feira).

ELAINE MACHADO VASCONCELOS

Desembargadora Presidente do TRT da 10ª Região"

Processo Nº RO-371-39.2011.5.10.0821

Relator

Desembargador - ANDRÉ R. P. V.
DAMASCENO

Revisor

Desembargador - PEDRO LUIS
VICENTIN FOLTRAN

Recorrente

Agropecuaria Vale do Araguaia Ltda
(Em Recuperação Judicial)

Advogado

Sônia Regina Marques Barreiro(OAB:
9072-N/DF)

Recorrido

Furtunato Lopes Chagas

Advogado

Luis Fernando Pascotto(OAB: 21740-
N/GO)

"Vistos etc.

Determino a baixa dos autos à Vara do Trabalho de origem para

apreciação do pedido de homologação de acordo formulado entre

as partes, Fortunato Lopes Chagas e Agropecuária Vale do

Araguaia Ltda., de molde a permitir eventual exercício da faculdade

prevista no § 4º do art. 832, da CLT.

Publique-se.

Brasília, 19 de julho de 2012 (5ª feira).

ELAINE MACHADO VASCONCELOS

Desembargadora Presidente do TRT da 10ª Região"

Processo Nº RO-983-74.2011.5.10.0821

Relator

Desembargadora - MARIA REGINA
MACHADO GUIMARÃES

Revisor

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Recorrente

Agropecuária Vale do Araguaia Ltda
(Em Recuperação Judicial)

Advogado

Sônia Regina Marques Barreiro(OAB:
9072-N/DF)

Recorrido

Luiz Pereira Santana

Advogado

Luis Fernando Pascotto(OAB: 21740-
N/GO)

Código para aferir autenticidade deste caderno: 55765

1029/2012

Tribunal Regional do Trabalho da 10ª REGIÃO

2

Data da Disponibilização: Quinta-feira, 26 de Julho de 2012

"Vistos etc.

Determino a baixa dos autos à Vara do Trabalho de origem para

apreciação do pedido de homologação de acordo formulado entre

as partes, Luiz Pereira Santana e Agropecuária Vale do Araguaia

Ltda., de molde a permitir eventual exercício da faculdade prevista

no § 4º do art. 832, da CLT.

Publique-se.

Brasília, 19 de julho de 2012 (5ª feira).

ELAINE MACHADO VASCONCELOS

Desembargadora Presidente do TRT da 10ª Região"

Processo Nº RO-1185-51.2011.5.10.0821

Relator

Desembargadora - HELOISA PINTO
MARQUES

Revisor

Desembargador - JOSÉ LEONE
CORDEIRO LEITE

Recorrente

Agropecuária Vale do Araguaia Ltda
(Em Recuperação Judicial)

Advogado

Sônia Regina Marques Barreiro(OAB:
9072-N/DF)

Recorrido

Domingos Bezerra da Costa

Advogado

Luis Fernando Pascotto(OAB: 21740-
N/GO)

"Vistos etc.

Determino a baixa dos autos à Vara do Trabalho de origem para

apreciação do pedido de homologação de acordo formulado entre

as partes, Domingos Bezerra da Costa e Agropecuária Vale do

Araguaia Ltda., de molde a permitir eventual exercício da faculdade

prevista no § 4º do art. 832, da CLT.

Publique-se.

Brasília, 19 de julho de 2012 (5ª feira).

ELAINE MACHADO VASCONCELOS

Desembargadora Presidente do TRT da 10ª Região"

Processo Nº RO-1195-95.2011.5.10.0821

Relator

Desembargador - ALEXANDRE NERY
DE OLIVEIRA

Revisor

Desembargador - BRASILINO
SANTOS RAMOS

Recorrente

Agropecuária Vale do Araguaia Ltda.
(Em Recuperação Judicial)

Advogado

Sônia Regina Marques Barreiro(OAB:
9072-N/DF)

Recorrido

Antonio Mendes de Jesus

Advogado

Luis Fernando Pascotto(OAB: 21740-
N/GO)

"Vistos etc.

Determino a baixa dos autos à Vara do Trabalho de origem para

apreciação do pedido de homologação de acordo formulado entre

as partes, Antonio Mendes de Jesus e Agropecuária Vale do

Araguaia Ltda., de molde a permitir eventual exercício da faculdade

prevista no § 4º do art. 832, da CLT.

Publique-se.

Brasília, 19 de julho de 2012 (5ª feira).

ELAINE MACHADO VASCONCELOS

Desembargadora Presidente do TRT da 10ª Região"

Processo Nº RO-1180-29.2011.5.10.0821

Relator

Desembargador - BRASILINO
SANTOS RAMOS

Revisor

Desembargador - ALEXANDRE NERY
DE OLIVEIRA

Recorrente

Agropecuaria Vale do Araguaia Ltda
(Em Recuperação Judicial)

Advogado

Sônia Regina Marques Barreiro(OAB:
9072-N/DF)

Recorrido

Lourenço Tavares Camara

Advogado

Luis Fernando Pascotto(OAB: 21740-
N/GO)

"Vistos etc.

Determino a baixa dos autos à Vara do Trabalho de origem para

apreciação do pedido de homologação de acordo formulado entre

as partes, Lourenço Tavares Camara e Agropecuária Vale do

Araguaia Ltda., de molde a permitir eventual exercício da faculdade

prevista no § 4º do art. 832, da CLT.

Publique-se.

Brasília, 19 de julho de 2012 (5ª feira).

ELAINE MACHADO VASCONCELOS

Desembargadora Presidente do TRT da 10ª Região"

Processo Nº RO-1174-22.2011.5.10.0821

Relator

Desembargador - MÁRIO MACEDO
FERNANDES CARON

Revisor

Desembargador - BRASILINO
SANTOS RAMOS

Recorrente

Agropecuaria Vale do Araguaia Ltda

Advogado

Sônia Regina Marques Barreiro(OAB:
9072-N/DF)

Recorrido

Espedito Ferreira da Silva

Advogado

Luis Fernando Pascotto(OAB: 21740-
N/GO)

"Vistos etc.

Determino a baixa dos autos à Vara do Trabalho de origem para

apreciação do pedido de homologação de acordo formulado entre

as partes, Espedito Ferreira da Silva e Agropecuária Vale do

Araguaia Ltda., de molde a permitir eventual exercício da faculdade

prevista no § 4º do art. 832, da CLT.

Publique-se.

Brasília, 19 de julho de 2012 (5ª feira).

ELAINE MACHADO VASCONCELOS

Desembargadora Presidente do TRT da 10ª Região"

SECRETARIA DA 1ª SEÇÃO ESPECIALIZADA

Despacho

Despacho

Processo Nº AR-692-78.2012.5.10.0000

Relator

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Revisor

Juíza - ELKE DORIS JUST

Autor

Empresa de Assistencia Tecnica e
Extensao Rural do D F

Advogado

Carlos Henrique Costa Aragão(OAB:
1226-A/DF)

Réu

Ministério Público do Trabalho

A EMPRESA DE ASSISTENCIA TECNICA E EXTENSAO RURAL

DO DISTRITO FEDERAL EMATER-DF, interpõe ação rescisória,

com pedido liminar, com o fito de rescindir o v. acórdão proferido no

âmbito da 2ª Turma deste eg. Regional, nos autos da ação civil

pública nº. 00079-2008-018-10-00-8, com lastro na hipótese prevista

no inciso II do art. 485 do CPC, pertinente à incompetência absoluta

da justiça do trabalho para o processamento do feito em razão da

matéria.

Em sede liminar, requer, com fundamento na previsão inserta no

artigo 489 do CPC, a antecipação da tutela jurisdicional ou a medida

liminar acautelatória, sem audição da parte contrária, para que seja

determinada a suspensão da execução.

Narra a autora que a ação rescisória destina-se a rescindir aresto

turmário proferido em ação civil pública, por meio do qual foram

declaradas nulas as contratações de empregados comissionados

sem prévio concurso público, bem como obstar a realização de

novas contratações.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 55765

1029/2012

Tribunal Regional do Trabalho da 10ª REGIÃO

3

Data da Disponibilização: Quinta-feira, 26 de Julho de 2012

A antecipação de tutela visa assegurar direito verossimilhante,

razão pela qual é incabível sua concessão para suspender a

execução em ação rescisória, porquanto o objeto final do

provimento judicial é a rescisão do título judicial que ampara a

execução e não a sua mera suspensão.

Esta a razão do item II da Súmula 405 do C. TST, verbis:

"O pedido de antecipação de tutela formulado nas mesmas

condições, será recebido como medida acautelatória em ação

rescisória, por não se admitir tutela antecipada em sede de ação

rescisória."

Assim definido, recebo o pedido como medida acautelatória.

A medida cautelar pressupõe, para sua concessão,uma cognição

sumária, precária, fundada em juízo de probabilidade, destinada a

evitar o perecimento de direito pela ação do tempo

(instrumentalidade), sem que isso implique o adiantamento dos

efeitos da decisão de mérito, mas tão só a antecipação da eficácia

da sentença do processo cautelar. De caráter publicista, admite,

inclusive, a sua concessão de ofício pelo juiz.

A análise do pedido liminar não vincula o juiz aos requisitos da

fumaça do bom direito e do perigo da demora, porquanto o exame

superficial, sumário, é o quanto basta em face do direito que lhe

assegura, em especial, a urgência que é da própria decisão

cautelar.

Consoante o v. acórdão exequendo, a autora estaria obrigada a se

abster de contratar trabalhadores para o exercício de emprego ou

cargos em comissão sem a prévia aprovação em concurso público.

Foi certificado, à fl. 1163, que até 16/4/2012 não houve interposição

da recurso contra a v. decisão proferida, às fls. 1158/1159,

circunstância indicadora do trânsito em julgado do v. aresto

rescindendo.

Pois bem.

Analisando os argumentos deduzidos na exordial, que se fazem

acompanhar de jurisprudência do STF (Rcl nº. 10.401/DF; Rcl nº.

9.935/DF), a aproveitar a tese exordial, acerca da incompetência

desta especializada para processar o feito, vislumbro, em exame

precário, a fumaça do bom direito alegado, bem como,

induvidosamente, o perigo da demora, dada a natureza das

obrigações de fazer exigíveis por força do título exequendo.

Neste contexto, impõe-se, por cautela, a suspensão da execução.

Destarte, defiro a medida liminar requerida e determino a

suspensão da execução, sem prejuízo de novo exame do pedido

após a manifestação da parte adversa.

Oficie-se a MM. 18ª Vara do Trabalho de Brasília desta decisão.

Considerando a imprecisão da certidão, à fls. 1163, por meio do

qual se pretende fazer prova do trânsito em julgado, providencie a

autora, no prazo de 5 (cinco) dias, nova certidão, sob pena de

indeferimento da petição inicial.

Transcorrido o prazo supra, intime-se o réu, na forma legal para,

querendo, apresentar contestação.

Prazo de 15 (quinze) dias.

Publique-se.

Brasília(DF), 23 de julho de 2012.

DORIVAL BORGES

Desembargador Relator

Despacho

Processo Nº AR-733-45.2012.5.10.0000

Relator

Desembargador - ALEXANDRE NERY
DE OLIVEIRA

Revisor

Desembargadora - MARIA REGINA
MACHADO GUIMARÃES

Autor

Sindicato Nacional dos Servidores
Efetivos das Agencias Reguladoras
Federais - Aner Sindical

Advogado

Gabriel Abbad Silveira(OAB: 18744-
N/DF)

Réu

Sindicato Nacional dos Servidores das
Agencias Nacionais de Regulacao -
Sinagencias

Assino ao Autor o prazo de dez dias para, sob pena de

indeferimento da inicial, (1) autenticar as peças essenciais para a

regular constituição da ação, (2) esclarecer os dispositivos

constitucionais e legais tidos por, literalmente, violados, indicando

fundamento de tal violação, (3) descrever, precisamente, o erro de

fato, (4) identificar o documento indicado como novo para fins

rescisórios, devendo, ainda, descrever pedido rescisório específico

para tais hipóteses, em persistindo, pois deduzida a pretensão

exordial apenas sob a hipótese de rescisão por incompetência

absoluta do Tribunal prolator do acórdão rescindendo, apesar de

descritos fundamentos com os vícios indicados, para outras

hipóteses rescisórias.

À Secretaria do Tribunal Pleno para as providências pertinentes.

Publique-se.

Após o decurso do prazo ou da manifestação da parte, voltem os

autos conclusos.

Brasília (DF), 23 de julho de 2012.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 55765

1029/2012

Tribunal Regional do Trabalho da 10ª REGIÃO

4

Data da Disponibilização: Quinta-feira, 26 de Julho de 2012

ALEXANDRE NERY DE OLIVEIRA

Desembargador Relator

Despacho

Processo Nº DC-19800-06.2006.5.10.0000

Processo Nº DC-198/2006-000-10-00.0

Relator

Juiz - BRAZ HENRIQUES DE
OLIVEIRA

Revisor

Desembargador - MÁRIO MACEDO
FERNANDES CARON

Suscitante

Sindicato dos Trabalhadores em
Empresas de Transportes Metroviários
do Distrito Federal

Advogado

Régis Cajaty Barbosa Braga E
OUTROS(OAB: 11056-A/DF)

Suscitado

Companhia do Metropolitano do
Distrito Federal

Advogado

André Luiz Vieira de Melo(OAB: 18292
-A/DF)

Visto. Junte-se. Defiro.

Anote e Publique-se.

Brasília(DF), 23 de julho de 2012 (2ª feira).

ELAINE MACHADO VASCONCELOS

Desembargadora Presidente - TRT 10ª Região

SECRETARIA DA 2ª SEÇÃO ESPECIALIZADA

Acórdão

Acórdão

Processo Nº AG-MS-274-43.2012.5.10.0000

Relator

Desembargador - MÁRIO MACEDO
FERNANDES CARON

Agravante

Setec Soc de Ensino Tecnologia
Educacao e Cultura

Advogado

Graziela Marise Curado de
Oliveira(OAB: 24565-N/DF)

Agravado

Juíza Substituta da 12ª Vara do
Trabalho de Brasília/DF

Agravado

Maura da Aparecida Leles

EMENTA: AGRAVO REGIMENTAL. MANDADO DE SEGURANÇA

EXTINTO. AUSÊNCIA DE ATAQUE AOS FUNDAMENTOS DA

DECISÃO MONOCRÁTICA. Não comporta juízo positivo de

admissibilidade o agravo regimental cujas razões não atacam o

fundamento da decisão monocrática em que se indeferiu a petição

inicial do mandado de segurança porque há recurso próprio para

rediscutir a matéria. Ao revés, apenas reitera os argumentos

expostos na inicial quanto à suposta nulidade de citação na

reclamação trabalhista. Princípio da Dialeticidade. Súmula 422 do

Colendo TST. Agravo não conhecido.

I - DECISÃO: ACORDAM os Desembargadores da Egrégia

Segunda Seção Especializada do Tribunal Regional do Trabalho da

Décima Região, em sessão realizada na data e nos termos da

respectiva certidão de julgamento, aprovar o relatório, não conhecer

do agravo regimental, nos termos do voto do Desembargador

Relator.

Brasília (DF), 03 de julho de 2012 (data do julgamento).

MÁRIO MACEDO FERNANDES CARON

Desembargador Relator

Em, 03 de Julho de 2012 (Data do Julgamento)

Acórdão

Processo Nº AG-MS-380-05.2012.5.10.0000

Relator

Desembargador - MÁRIO MACEDO
FERNANDES CARON

Agravante

Condor Transportes Urbanos Ltda

Advogado

Sônia Regina Marques Barreiro(OAB:
9072-N/DF)

Agravado

Juiz Titular da 19ª Vara do Trabalho de
Brasília - DF

Agravado

Helio Marcelo Bieging

EMENTA: AGRAVO REGIMENTAL. FALTA DE INTERESSE. NÃO-

CONHECIMENTO. Não se conhece de agravo regimental, por falta

de interesse, se a pretensão buscada por meio do referido recurso

já houver sido obtida pela parte. In casu, cancelado o leilão

designado para o dia 25/5/2012 e buscando a recorrente justamente

o cancelamento da referida hasta pública, inquestionável a perda

ulterior de interesse, pelo que não se conhece do agravo regimental

por ela interposto. Agravo regimental não conhecido.

DECISÃO: ACORDAM os Desembargadores da Eg. 2ª Seção

Especializada do Tribunal Regional do Trabalho da Décima Região,

à vista do contido na respectiva certidão de julgamento, aprovar o

relatório e não conhecer do agravo regimental, por falta de

interesse, tudo nos termos do voto do Desembargador Relator.

Brasília (DF), 17 de julho de 2012 (data do julgamento).

MÁRIO MACEDO FERNANDES CARON

Desembargador RelatorEm, 17 de Julho de 2012 (Data do

Julgamento)

Despacho

Despacho

Processo Nº MS-725-68.2012.5.10.0000

Relator

Desembargador - BRASILINO
SANTOS RAMOS

Código para aferir autenticidade deste caderno: 55765

1029/2012

Tribunal Regional do Trabalho da 10ª REGIÃO

5

Data da Disponibilização: Quinta-feira, 26 de Julho de 2012

Impetrante

Conselho Federal de Enfermagem
Cofen

Advogado

Fábricio Roriz Bressan(OAB: 30057-
N/GO)

Autoridade Coatora

Juíza Titular da 2ª Vara do Trabalho de
Brasília - DF

Litisconsorte

Rosana do Nascimento Franca
Fernandes

Litisconsorte

VIP Serviços e Transportes Ltda

Vistos os autos.

Trata-se de mandado de segurança impetrado por CONSELHO

FEDERAL DE ENFERMAGEM COFEN, com pedido liminar, em

face de ato praticado pela JUÍZA TITULAR DA MM. 2ª VARA DO

TRABALHO DE BRASÍLIA - DF, nos autos da Reclamação

Trabalhista tombada sob n.º 0001301-55.2012.5.10.0002.

Narra a impetrante que Rosana do Nascimento Franca Fernandes

ingressou com referida ação nesta Justiça Especializada e que

recebeu citação para comparecimento à audiência inaugural. Diz

que a autoridade judicial determinou a reclamação ao procedimento

sumaríssimo.

A parte sinala que possui natureza jurídica de direito público,

constituindo-se em autarquia federal fiscalizadora do exercício

profissional de enfermagem. Sendo assim, argumenta, é inaplicável

a si tal rito, conforme expressamente previsto no parágrafo único do

art. 852-A da CLT.

Nomina de arbitrária a decisão objurgada, mormente porque

contrária ao comando legal aludido. Acena, por isso, com a

presença do fumus boni iuris. Refere existente o periculum in mora,

haja vista a possibilidade de vir a ser cerceado em seu direito

líquido e certo ao rito ordinário, no qual se observam de maneira

mais intensa os princípios da ampla defesa e do contraditório.

Pede seja autorizado o deferimento de liminar, a fim de ser

suspenso o prosseguimento do processo até o julgamento desta

ação, em especial a audiência designada para o dia 1º/8/2012.

Requer, ainda, seja declarada a inaplicabilidade do procedimento

sumaríssimo a si.

Resumidos os fatos, passo a decidir.

Observa-se que pretende a parte, na realidade, a conversão do rito

sumaríssimo em ordinário.

Diga-se que o procedimento sumaríssimo, previsto nos arts. 852-A

a 852-H da CLT, clama critérios objetivos em sua utilização.

Especificamente, o caput e parágrafo único do art. 852-A assim

dispõem:

"Art. 852-A. Os dissídios individuais cujo valor não exceda a

quarenta vezes o salário mínimo vigente na data do ajuizamento da

reclamação ficam submetidos ao procedimento sumaríssimo.

Parágrafo Único. Estão excluídas do procedimento sumaríssimo as

demandas em que é parte a Administração pública direta,

autárquica e fundacional."

Nesse passo, resta excluída a hipótese de utilização dessa espécie

de rito em relação à pessoa jurídica de direito público no polo

passivo da demanda, ainda que o autor assim almeje na inicial.

Sob outro ângulo, é cediço que os Conselhos de Classe exercem

função de ordem pública, dado que desempenham atividade de

fiscalização do exercício profissional. É certo que são mantidos por

meio de contribuições arrecadadas de seus membros e não pelos

cofres públicos, além de que não se submetem a controle político

do chefe do poder executivo, nem à supervisão ministerial,

autogovernando-se com absoluta independência em relação ao

restante da administração pública, de modo que são considerados

autarquias especiais. Esse entendimento foi declarado pelo exc.

Supremo Tribunal Federal, quando do julgamento do MS n.º

21.797/RJ (DJU de 18/5/2001) e da ADI n.º 1.717/DF (DJU de

28/3/2003).

Deve ser pontuado, outrossim, que, no ano de 2000, quando do

julgamento do Mandado de Segurança n.º 21.797-9, impetrado pelo

Conselho Federal de Odontologia, mediante o qual questionou a

recomendação do col. TCU acerca da aplicação da Lei n.º 8.112/90

aos servidores daquela entidade, a exc. Suprema Corte firmou

entendimento no sentido da natureza autárquica dos conselhos e do

caráter tributário das contribuições arrecadadas e da

obrigatoriedade da apresentação da prestação de contas ao col.

TCU.

Malgrado a índole sobressaltada, urge pontuar que referidos

Conselhos não usufruem de forma ampla e irrestrita das

prerrogativas previstas para a Fazenda Pública, ou seja,

relacionadas aos entes estatais mencionados no Decreto-Lei nº

779/69.

Nesse sentido, há diversos precedentes deste egr. Regional. À

guisa de exemplo, cita-se o processo nº AP-00137-2000-017-10-00-

0, da relatoria da Desembargadora Elaine Machado Vasconcelos,

Ac. 1ª T., publicado em 21/1/2002, no qual, sob premissa análoga,

afastou a pretensão de outro Conselho de que a execução se

processasse por meio de ofício precatório. Do mesmo modo, o AP-

0001689-96.2010.5.10.0011, da relatoria do Desembargador

Brasilino Santos Ramos, ac. 2ª T., publicado em 4/5/2012 no DEJT.

Na mesma direção, jurisprudência deste mesmo egr. Regional, que,

conquanto antiga, atual, na qual inobstante declarar a natureza

jurídica de autarquia federal, compreendeu que o Conselho, na

condição de recorrente, estava obrigado a garantir o juízo a fim de

interposição do recurso ordinário. É esta a ementa:

"CONSELHOS FEDERAIS. PRERROGATIVAS DO DL 779/69.

INEXISTÊNCIA. A discussão quanto à natureza jurídica das

autarquias federais que têm por finalidade a orientação, controle,

fiscalização e aprimoramento das atividades profissionais, de há

muito sedimentou-se na doutrina, reconhecidas como

corporativistas de direito público (grifei). Nestas circunstâncias, não

gozam os Conselhos Federais e assemelhados das prerrogativas

do DL 779/69. Logo, ante a sucumbência, estava o Conselho, ora

recorrente, obrigado a garantir o juízo a fim de interposição do

recurso ordinário. Não o fazendo, o recurso voluntário encontra-se

deserto e o de ofício é incabível". (RO-2087/92, Relator Juiz

Francisco Leocádio, Ac. 3ª T., julgado em 29/7/1993.)

Código para aferir autenticidade deste caderno: 55765

1029/2012

Tribunal Regional do Trabalho da 10ª REGIÃO

6

Data da Disponibilização: Quinta-feira, 26 de Julho de 2012

Desse modo, não se divisa não possa o impetrante/reclamado se

submeter ao procedimento sumaríssimo. Com efeito, o comando

inserto no parágrafo único do art. 852-A a ele não se dirige, de

modo que inexiste necessidade de transmudação do rito estampado

na notificação a fls. 35 destes autos.

Acrescente-se que a mantença do rito mencionado de modo algum

acarreta a inobservância do contraditório e da ampla defesa, com os

recursos e meios a ela inerentes.

Mencione-se que nele há às partes o direito de produção de

qualquer tipo de prova, havendo a previsão apenas de que elas

serão todas produzidas na audiência de instrução e julgamento. Os

litigantes podem indicar testemunhas (duas), que se não

comparecerem em juízo serão regularmente intimadas, inclusive

sob condução coercitiva. Tudo nos moldes do caput e §§3º e 4º do

art. 852-H.

Aliás, na apreciação das provas, o juiz deve "dar especial valor às

regras de experiência comum ou técnica" (CLT, art. 852-D), o que

rompe com a regra formalística prevista no art. 335 do CPC. De

mais a mais, "O juízo adotará em cada caso a decisão que reputar

mais justa e equânime, atendendo aos fins sociais da lei e as

exigências do bem comum." (CLT, art. 852, § 1º).

Portanto, o adequado procedimento não permite autorizar concluir

violação do art. 5º, incs. LIV e LV, da Lei Maior.

Nesse sentir, os argumentos lançados não permitem identificar

situação de fato ou de direito capaz de evidenciar a relevância do

fundamento do pedido de sustação do ato judicial que se impugna.

INDEFIRO, POIS, A LIMINAR.

Intime-se.

Notifique-se a autoridade dita coatora, inclusive para prestar as

informações legais.

Citem-se os litisconsortes passivos necessários, Rosana do

Nascimento Franca Fernandes e VIP SERVIÇOS E

TRANSPORTES LTDA, observando o endereço fornecido a fls. 47.

Publique-se.

Brasília(DF), 24 de julho de 2012.

BRASILINO SANTOS RAMOS

Desembargador Relator

fc

Despacho

Processo Nº MS-730-90.2012.5.10.0000

Relator

Desembargador - MÁRIO MACEDO
FERNANDES CARON

Impetrante

Caixa Economica Federal

Advogado

Felipe Montenegro Mattos(OAB: 23409
-N/DF)

Autoridade Coatora

Juiz Substituto da 13ª Vara do
Trabalho de Brasília - DF

Autoridade Coatora

Ministério Público do Trabalho da 10ª
Região

Visto. Junte-se. Não obstante o endereçamento da petição, a

competência é da Presidente. A renúncia ao direito de recorrer

noticiada pela impetrante atrai os efeitos da coisa julgada. Arquivem

-se os autos. Publique-se.

Brasília(DF), 23 de julho de 2012 (2ª feira).

ELAINE MACHADO VASCONCELOS

Desembargadora Presidente

do TRT 10ª Região

Despacho

Processo Nº MS-732-60.2012.5.10.0000

Relator

Juiz - PAULO HENRIQUE BLAIR

Impetrante

Banco Santander (Brasil) S.A.

Advogado

Osmar Mendes Paixão Côrtes(OAB:
15553-N/DF)

Autoridade Coatora

Juíza Substituta da 10ª Vara do
Trabalho de Brasília/DF

Código para aferir autenticidade deste caderno: 55765

1029/2012

Tribunal Regional do Trabalho da 10ª REGIÃO

7

Data da Disponibilização: Quinta-feira, 26 de Julho de 2012

Litisconsorte

Cristiane Luglio de Lacerda

Vistos etc.

Tratam os autos de Mandado de Segurança impetrado por BANCO

SANTANDER (BRASIL) S.A., com pedido liminar, contra decisão

exarada pela d. Juíza do Trabalho Substituta MÔNICA RAMOS

EMERY, Auxiliar da 10ª Vara do Trabalho de Brasília-DF, que

determinou a reintegração da litisconsorte passivo CRISTIANE

LUGLIO DE LACERDA, no prazo de 10 dias, sob pena de multa,

nos autos do processo nº 0071900-05.2006.5.10.0010.

Em breve síntese, aponta o impetrante equívoco na decisão

censurada, aduzindo que, em acórdão prolatado em apreciação de

agravo de petição, esta Corte Regional decidiu que a segunda

demissão da trabalhadora importava em desobediência ao comando

antecipatório de tutela editado no processo, na medida em que

ainda não transitada em julgado a sentença, diante da pendência de

julgamento de agravo de instrumento no TST.

Afirma que "Discutiu-se nos autos a existência de estabilidade em

razão da do art. 118, da Lei nº 8.213/1991", tendo sido declarada

nula a demissão, confirmando-se a antecipação de tutela em que

determinada a reintegração da operária "até a decisão final do

processo, ou seja, até o trânsito em julgado" (sic, fl. 6).

Sustenta ter cumprido a obrigação de proceder à reintegração, bem

como ter interposto recurso ordinário, recurso de revista e agravo de

instrumento, sendo certo que, "passado o período de estabilidade e

antes da decisão" do TST em agravo de instrumento (fl. 7),

dispensou novamente a empregada em 4/1/2011.

Relata que a litisconsorte passivo pleiteou a reintegração, indeferida

em primeiro grau, mas concedida no julgamento do agravo de

petição, sob o fundamento de que havia agravo de instrumento

pendente de julgamento no TST e que o retorno deveria perdurar

até a decisão final daquele processo.

Pondera que o agravo de instrumento foi julgado pelo TST (acórdão

publicado em 21/10/2011), ocorrendo o trânsito em julgado logo

após a publicação do acórdão prolatado em embargos de

declaração.

Assinala que, em razão do trânsito em julgado do decidido e da

consequente perda de vigência da liminar, apresentou um pedido de

reconsideração ao Desembargador Relator do julgamento prolatado

em agravo de petição, o qual pontuou que as considerações do

Banco, por guardarem vínculo com a execução, deveriam ser

direcionadas "a quem de direito".

Alega que os autos baixaram à origem e, na sequência dos fatos, a

autoridade coatora entendeu que a liminar estava em plena vigência

e determinou que a obrigação de reintegrar fosse cumprida, sob

pena de multa diária.

Aduz que o trânsito em julgado da decisão implica a perda da

eficácia da liminar proferida no processo nº 0071900-

05.2006.5.10.0010, razão pela qual deve ser considerada nula a

determinação de reintegração, com o estancamento da multa

imposta.

Reportando-se à presença do fumus boni iuris e do periculum in

mora, aponta violação dos arts. 5º, XXXVI, da CF e 467 do CPC,

pugnando, inclusive em caráter liminar, pela suspensão dos efeitos

da decisão em que determinada a reintegração da trabalhadora.

Na hipótese vertente, a correção da suposta ilegalidade contida no

ato judicial questionado está resguardada pela ordem jurídica

processual, a qual confere ao impetrante a possibilidade de opor

embargos do devedor, conforme previsão do art. 739-A, § 1º, do

CPC, aplicável ao processo trabalhista por força do disposto nos

arts. 889 da CLT e 1º da Lei nº 6.830/80.

Com efeito, a regra inscrita no § 1º do art. 739-A do CPC autoriza

ao julgador, desde que requerido pelo embargante, atribuir "efeito

suspensivo aos embargos quando, sendo relevantes seus

fundamentos, o prosseguimento da execução manifestamente

possa causar ao executado grave dano de difícil ou incerta

reparação".

O que se depreende da leitura das razões expostas na peça inicial é

que o impetrante pretende retirar do juízo natural a competência

para solucionar incidente a ser examinado na fase executiva.

Ao referir-se à discussão em torno da estabilidade prevista no art.

118 da Lei nº 8.213/91 e ao exaurimento do período estabilitário

antes de o col. TST julgar o agravo instrumento (fl. 7), o impetrante

tenta confundir este órgão judicante.

Na verdade, a reintegração da litisconsorte foi determinada em

razão do reconhecimento da ruptura discriminatória do vínculo de

emprego, com fundamento na norma do art. 1º da Lei nº 9.029/95.

É, pois, equivocado para dizer o mínimo afirmar que o período de

estabilidade passou, porquanto a despedida da trabalhadora foi

considerada ilícita em virtude de discriminação.

A cassação da decisão inquinada de abusiva e ilegal resultaria na

convalidação da segunda dispensa da operária, levada a efeito pelo

impetrante em 4/1/2011 (fl. 625), ou seja, antes de prolatada

decisão final no processo nº 0071900-05.2006.5.10.0010, ocorrida

em 7/10/2011 (fls. 677/682).

Significa dizer, portanto, que a medida pretendida pela parte teria

como consequência, de modo inusitado, a invalidação do decidido

no acórdão emanado da 2ª Turma desta Corte (fls. 660/662), ato

judicial que sequer foi impugnado no presente mandado de

segurança.

A toda evidência, não se revela adequado transferir a competência

concernente à apreciação e solução dos incidentes da execução

para o órgão judicial incumbido do exame do mandado de

segurança.

A eventual ausência de obstáculo para a dispensa da empregada e

o momento a partir do qual supostamente a despedida se tornou

possível - deve ser decidida pelo juízo da execução, inclusive com a

possibilidade interposição do recurso cabível da decisão que vier a

ser prolatada.

A simples suspensão da decisão em que determinada a

reintegração da laborista, com a absolvição da impetrante dessa

obrigação de fazer, tal como expressamente postulado à fl. 13,

implicaria, como antes assinalado, a convalidação da dispensa

efetivada em 4/1/2011 (fl. 625), antes do trânsito em julgado da

Código para aferir autenticidade deste caderno: 55765

1029/2012

Tribunal Regional do Trabalho da 10ª REGIÃO

8

Data da Disponibilização: Quinta-feira, 26 de Julho de 2012

decisão em que determinado o retorno ao emprego (que se deu

após outubro de 2011, conforme fls. 677/682).

E, definitivamente, existindo medida judicial idônea para corrigir

eventual ilegalidade no ato judicial impugnado, resta inviabilizado o

manejo do mandado de segurança, conforme art. 5º, II, da Lei nº

12.016/2009.

Embora o referido dispositivo legal refira-se à hipótese de

cabimento de recurso da decisão judicial questionada, a verdade é

que o preceito alcança qualquer mecanismo processual que

possibilite o controle do ato da autoridade.

Nessa direção a lição de Cassio Scarpinella Bueno, verbis:

"Para os incisos II e III do art. 5º vale a mesma diretriz: toda vez que

se puder evitar a consumação da lesão ou da ameaça pelos

mecanismos previstos no sistema processual civil, interpretando-o

de modo que ele, por si próprio, independentemente de qualquer

outra medida judicial, tenha aptidão para evitar a consumação de

dano irreparável ou de difícil reparação para o recorrente, e pela

dinâmica do efeito suspensivo dos recursos, forte no que dispõem o

caput e o parágrafo único do art. 558 do Código de Processo Civil,

descabe mandado de segurança conta ato judicial à míngua de

interesse jurídico na impetração." (A Nova Lei do Mandado de

Segurança, Saraiva, 2009, p. 21)

É posição assente na jurisprudência do Excelso Supremo Tribunal

Federal que, dado o seu caráter extraordinário, é passível de

impetração de mandado de segurança contra ato judicial na

oportunidade em que o recurso cabível não tiver efeito suspensivo e

for demonstrada a possibilidade de dano irreparável, o que não é a

hipótese ora em análise.

Indefiro, pois, a petição inicial do presente mandado de segurança,

na forma do inciso II do artigo 5º c/c o artigo 10 da Lei nº

12.016/2009.

Custas pelo impetrante no valor de R$100,00, calculadas sobre o

valor atribuído à causa (R$5.000,00).

Intime-se.

Brasília(DF), 20 de julho de 2012.

PAULO HENRIQUE BLAIR DE OLIVEIRA

Juiz Convocado

Despacho

Processo Nº MS-743-89.2012.5.10.0000

Relator

Desembargadora - FLÁVIA SIMÕES
FALCÃO

Impetrante

Hotel Nacional S/A

Advogado

Sônia Regina Marques Barreiro(OAB:
9072-N/DF)

Autoridade Coatora

Juíza Substituta da 3ª vara do
Trabalho de Brasília/DF

Litisconsorte

Paulo Henrique de Almeida Tolentino

Trata-se de mandado de segurança impetrado por Hotel Nacional

S/A em face de decisão proferida pelo Exmo. Juiz Francisco

Luciano de Azevedo Frota, titular da 3ª Vara do Trabalho de

Brasília, que indeferiu a pretensão de suspensão da ordem de

remoção dos bens objeto da penhora formalizada sobre 30

refrigeradores, que se encontravam em posse do Executado.

A referida constrição dos bens teria ocorrido em razão da

necessidade de garantia de pagamento dos honorários do Leiloeiro

Público, Sr. Paulo Henrique de Almeida Tolentino, os quais foram

fixados no valor de R$ 5.688,00 (cinco mil, seiscentos e oitenta e

oito reais).

Alega o Impetrante que a remoção do bem penhorado é ilegal, seja

porque efetivada sem a necessária intimação do Executado, o que

eivaria de nulidade o ato; seja porque não havia necessidade de

remoção, uma vez que o Executado poderia ter sido nomeado

depositário dos mesmos. Sustenta, ainda, que os bens foram

removidos antes mesmo da designação de leilão. Invoca os arts. 5º,

caput, II, XXII, LIV, LV, da CF; 125, II, 236, 237 e 620, do CPC e

178 do Provimento Geral Consolidado do TRT.

Sustenta haver direito líquido e certo à manutenção dos bens em

sua posse, por inexistir motivação fática ou jurídica a justificar a

medida de remoção. Aponta periculum in mora no fato de que a

expropriação dos equipamentos prejudicaria a prestação de seus

serviços. Por outro lado, justifica a presença do fumus boni iuris na

alegada nulidade do ato que deixou de proceder à sua intimação

acerca da remoção , o que teria implicado ferimento ao seu direito

de defesa.

Pede, em caráter urgente, o deferimento da liminar para que

cessem, de imediato, os efeitos da decisão proferida pelo MM. Juízo

da 3ª Vara do Trabalho de Brasília-DF, com o necessário

cancelamento da remoção determinada, bem como a sua devolução

ao Executado. Pede, ainda, seja reaberto o prazo para a

manifestação acerca da remoção dos bens.

De início, verifico estarem presentes os requisitos para a análise do

presente mandamus, inclusive no que pertine ao seu cabimento.

No caso, a questão alusiva à penhora propriamente dita, foi objeto

de insurgência mediante a oposição de embargos à execução,

situação que se encontra seguindo o seu regular curso processual.

O presente mandado de segurança visa atacar apenas a decisão

que manteve a determinação de remoção imediata dos bens

constritos, ato judicial que, inequivocamente, não comporta

qualquer outra espécie de remédio jurídico que não seja o mandado

de segurança. Nesse sentido, inclusive, o presente precedente do

Col. TST:

RECURSO ORDINÁRIO. MANDADO DE SEGURANÇA. ATO QUE

DETERMINA A REMOÇÃO DOS VEÍCULOS PENHORADOS, DE

PROPRIEDADE DE TERCEIRO, QUE PRETENDE MANTER SUA

Código para aferir autenticidade deste caderno: 55765

1029/2012

Tribunal Regional do Trabalho da 10ª REGIÃO

9

Data da Disponibilização: Quinta-feira, 26 de Julho de 2012

POSSE. O mandado de segurança se volta contra a ordem de

remoção dos ônibus penhorados, visando o impetrante manter sua

guarda e conservação, sob o argumento de que se trata de bens de

sua propriedade e são utilizados para o trabalho (transporte

escolar). Sendo a remoção um dos efeitos da penhora, somente o

mandado de segurança poderia impedi-la eficaz e prontamente.

(...)(ROMS 470/2004- 009-09-00 DJ - 12/05/2006 SBDI-2. Rel. Min.

Renato de Lacerda Paiva)

Como é cediço, o mandado de segurança é o remédio que visa

proteger direito individual ou coletivo, líquido e certo. Nessa esteira,

tem-se como líquido e certo o direito que se apresenta notório na

sua existência, devendo vir expresso em lei e trazer em si todos os

requisitos de sua aplicação ao impetrante.

No caso em exame, conforme já destacado, o ato judicial

impugnado consiste na determinação de remoção de 30

refrigeradores que estão na posse do Impetrante, penhorados para

garantir o pagamento dos honorários do Leiloeiro Público, em

decorrência de sua atuação como depositário de outro bem da

Executada, penhorado para a garantia de dívida reconhecida ao

Trabalhador nos autos do processo 01276.2004.003.10.00.1.

Em primeiro lugar, em análise precária do que se há autos, não

vislumbro a alegada ilegalidade do ato que determinou a imediata

remoção dos bens em questão. Nos termos do Provimento Geral

Consolidado desta Corte, não há qualquer determinação de que a

ordem de remoção deve ser precedida da necessária intimação do

executado. É o que emana da leitura dos arts. 178 e seguintes da

referida norma. Assim, não há, ao menos em uma primeira análise,

qualquer nulidade que justifique a suspensão da medida.

O que determina a lei é a intimação da Parte executada para o

pagamento da dívida sob pena de penhora, o que de fato ocorreu,

conforme se depreende da leitura das peças de fls. 322/325. Não

há, pois, falar em ferimento aos princípios do contraditório e da

ampla defesa a justificarem a suspensão da determinação judicial.

Quanto à questão da deficiência na prestação dos serviços, em

razão da remoção dos bens, não o tenho como justificativa para o

deferimento da medida, visto tratar-se de equipamentos de fácil

reposição, caso de fato haja necessidade de mantê-los nas

unidades para a regular continuidade dos serviços. Além disso, o

Executado consubstancia-se em estabelecimento que presta

serviços de hotelaria, sendo um dos mais tradicionais da cidade, de

categoria superior cinco estrelas -, e que conta, em sua estrutura,

com centenas de apartamentos. Assim, eventual modificação da

estrutura de apenas 30 unidades que não representa nem dez por

cento do total -, com certeza não inviabilizará a continuidade na

prestação dos serviços. Registre-se, por oportuno, que não foi

apresentada qualquer prova no sentido de que, no momento da

impetração do presente mandamus, a sua lotação encontrava-se

completa.

Por esta razão, não restou caracterizado o direito líquido e certo à

manutenção dos bens constritos sob o seu poder.

Por fim, quanto à questão alusiva à possibilidade de o Impetrante

ser o depositário dos equipamentos, o que afastaria a necessidade

de sua remoção, tenho como razoável a invocação, pelo Juízo

originário, do teor do art. 666, § 1º, do CPC, que submete à

expressa anuência do Exequente sobre tal condição, o que não

ocorreu na hipótese.

Indefiro a liminar.

Oficie-se à d. Autoridade acoimada coatora desta decisão a fim de

que preste as informações que julgar necessárias no prazo de dez

dias.

Intime-se o Litisconsorte.

Publique-se.

Brasília, de julho de 2012.

FLÁVIA SIMÕES FALCÃO

Desembargadora do Trabalho

Relatora

FSF/6 - 24/07/12

Despacho

Processo Nº MS-747-29.2012.5.10.0000

Relator

Desembargador - RIBAMAR LIMA
JUNIOR

Impetrante

Caixa Economica Federal

Advogado

Marcelo Frossard Pincinato(OAB:
21768-N/DF)

Autoridade Coatora

Juiz Substituto da 6ª Vara do Trabalho
de Brasília/DF

Litisconsorte

Tatiana Magalhães Loppi e Outros

Litisconsorte

Rafael Muniz dos Santos

Litisconsorte

Bruno Cesas Gonçalves Teixeira

Caixa Econômica Federal, impetra o presente mandado de

segurança contra ato praticado pelo Excelentíssimo Juiz do

Trabalho da MM. 6.ª Vara do Trabalho de Brasília - DF,

consubstanciado na antecipação parcial dos efeitos da tutela

postulada nos autos da Reclamação Trabalhista nº 0001155-

02.2012.5.10.0006, em cuja decisão houve determinação de

reserva de três vagas no concurso público, Edital n.º 1/2010/NS,

para o cargo de advogado, até o final da relação processual

instaurada naquela ação originária. O objetivo da decisão seria a

garantia da satisfação de contratação dos reclamantes, candidatos

aprovados no concurso público de 2010, antes daqueles

eventualmente aprovados naquele realizado em 2012 (fl. 2).

Sustenta, ainda, que o ato emanado da Autoridade dita coatora

viola direito líquido e certo, sedimentado no artigo 37, incisos II e IV,

Código para aferir autenticidade deste caderno: 55765

1029/2012

Tribunal Regional do Trabalho da 10ª REGIÃO

10

Data da Disponibilização: Quinta-feira, 26 de Julho de 2012

da Constituição Federal, pois o simples ajuizamento de ação não

autoriza a contratação ou a inobservância da ordem classificatória.

Declarando autênticas as peças colacionadas na forma do artigo

830 da CLT (fl. 21v.), pede a concessão de liminar inaudita altera

pars, a fim de que seja determinada a suspensão da decisão

proferida em tutela antecipada ou mesmo que a reserva se limite ao

número de vagas existentes hoje (40), confirmando-se o provimento

em julgamento definitivo (fl. 21v.).

Atribui à causa o valor de R$1.000,00, juntando documentos.

É, em apertada síntese, o relatório.

Passo a decidir:

Há vários fundamentos que justificam a precoce extinção da

presente demanda.

Dispõe o caput do artigo 10 da Lei n.º 12.016, de 7/8/2009, que

disciplina o mandado de segurança individual e coletivo:

"A inicial será desde logo indeferida, por decisão motivada, quando

não for o caso de mandado de segurança ou lhe faltar algum dos

requisitos legais ou quando decorrido o prazo legal para a

impetração."

O artigo 6.º da referida norma possui a seguinte redação (grifos

ausentes no original):

"A petição inicial, que deverá preencher os requisitos estabelecidos

pela lei processual, será apresentada em 2 (duas) vias com os

documentos que instruírem a primeira reproduzidos na segunda e

indicará, além da autoridade coatora, a pessoa jurídica que esta

integra, à qual se acha vinculada ou da qual exerce atribuições."

É necessário, como se vê, que a parte, ao instaurar a instância,

instrua a inicial com os documentos indispensáveis à propositura da

presente ação (artigo 283 do CPC).

Consoante se pode observar, a vasta documentação que instruiu a

peça inicial não foi reproduzida nas contrafés acostadas aos autos,

em flagrante ofensa à dicção legal.

Essa realidade representa verdadeiro óbice ao seguimento do writ.

Por exigir prova documental pré?constituída, não há de se falar, no

caso, na incidência do artigo 284 do Diploma Processual Civil.

Esse é o entendimento cristalizado na Súmula 415 do colendo

Tribunal Superior do Trabalho, in litteris:

"MANDADO DE SEGURANÇA. ART. 284 DO CPC.

APLICABILIDADE. Exigindo o mandado de segurança prova

documental pré?constituída, inaplicável se torna o art. 284 do CPC

quando verificada, na petição inicial do 'mandamus', a ausência de

documento indispensável ou de sua autenticação."

O artigo 6.º, §5.º, da citada lei, por sua vez, prevê:

"Denega-se o mandado de segurança nos casos previstos pelo

artigo 267 da Lei nº 5.869, de 11 de janeiro de 1973 - Código de

Processo Civil."

O inciso I do artigo 267 versa sobre a extinção do processo, sem

resolução de mérito, quando o juiz indeferir a petição inicial.

As hipóteses que autorizam dito indeferimento contemplam a

ausência de preenchimento dos requisitos exigidos no artigo 282 do

CPC, entre os quais a indicação da qualificação e endereço de

autor e réu (inciso II), bem como o requerimento para sua citação

(inciso VII).

Na hipótese em questão, em se tratando de mandado de

segurança, o autor da reclamatória trabalhista figura na condição de

litisconsorte passivo necessário, ao lado da autoridade coatora.

No caso em comento, não houve pedido de citação dos autores da

reclamatória trabalhista, tendo requerido a impetrante apenas a

citação dos demais candidatos aprovados nos concursos públicos

de 2010 e 2012, olvidando-se, ainda, de arrolá-los e de indicar seus

endereços.

Assim, em não havendo requerimento para citação do litisconsorte

necessário, conclui-se que a ação mandamental desatende a dicção

legal, por ser obrigação da impetrante promover a citação da parte

contrária (artigo 47 do CPC).

Note-se que a só ausência de indicação do endereço para

notificação do litisconsorte necessário já é suficiente para a extinção

do feito sem resolução do mérito.

Nesse sentido já decidiu este Egrégio Tribunal, in verbis:

"MANDADO DE SEGURANÇA. PROVA PRÉ-CONSTITUÍDA. NÃO-

FORNECIMENTO DO ENDEREÇO DO LITISCONSORTE

PASSIVO NECESSÁRIO OJ N.°52 DA SBDI-2 DO TST. Pacífica a

jurisprudência no sentido de que, em se tratando de mandado de

segurança, a prova documental é pré-constituída, não comportando,

portanto, emenda à inicial prevista no artigo 284 do CPC

(inteligência da Orientação Jurisprudencial n.°52 da SBDI-2 do

TST). Por outro lado, tratando-se de litisconsorte passivo necessário

constitui obrigação do impetrante promover a sua citação, sob pena

de extinção do processo, nos exatos termos do parágrafo único do

artigo 47 do CPC. Isso porque prevalece a regra legal de que a

eficácia da decisão dependerá da regular citação de todos os

Código para aferir autenticidade deste caderno: 55765

1029/2012

Tribunal Regional do Trabalho da 10ª REGIÃO

11

Data da Disponibilização: Quinta-feira, 26 de Julho de 2012

litisconsortes necessários. Logo, detém a parte o ônus de

apresentar, juntamente com a petição inicial, todos os documentos

indispensáveis à propositura da ação mandamental, inclusive o

endereço correto dos litisconsortes necessários. No caso dos autos,

não tendo os impetrantes fornecido o endereço do litisconsorte

passivo necessário nem mesmo havendo possibilidade de os

demais documentos constantes dos autos permitirem sua aferição,

o indeferimento liminar da exordial é medida que se impõe. 2.

Agravo regimental parcialmente conhecido e desprovido. "(00113-

2005-000-10-00-3 MS,(AG), 2ª Seção Especializada, Relator:

Desembargador Brasilino Santos Ramos, DJ de 01/07/2005)

negritei.

Diante desses fundamentos, indefiro a petição inicial e julgo extinto

o processo, sem exame de mérito, na forma do artigo 267, incisos I

e IV, do CPC.

Custas processuais, a cargo da impetrante, no importe de R$20,00,

calculadas sobre o valor atribuído à causa (R$1.000,00 - fl. 21v.).

Intime-se a impetrante.

Publique-se.

À Secretaria do Tribunal Pleno para as providências cabíveis.

Brasília (DF), 25 de julho de 2012.

RIBAMAR LIMA JUNIOR

Desembargador Relator

SECRETARIA DA 1ª TURMA

Despacho

Processo 0000716.09.2012.5.10.0000 – CauInom

Relatora Desembargadora (Redistribuição) FLÁVIA SIMÕES

FALCÃO

Requerente Empresa Brasileira de Correios e Telegrafos

Advogado Leonardo Carneiro Vilhena

Requerido Francisco de Assis Freitas Neto

Vistos.

Trata-se de pedido de desistência da ação, devidamente

homologado pela Desª Relatora.

Intime-se a requerente para que apresente, no prazo de 5 (cinco)

dias, a comprovação do pagamento das custas processuais, no

importe de R$ 20,00 (vinte reais), calculadas sobre R$ 1.000,00

(hum mil reais), valor atribuído à causa.

Publique-se.

Brasília, 23 de julho de 2012.

ASSINADO DIGITALMENTE

MARIA REGINA MACHADO GUIMARÃES

Desembargadora do Trabalho

Presidente da 1ª Turma

Pauta

SECRETARIA DA 1ª TURMA

SECRETARIA DA 1ª TURMA

Relação dos processos EXTRAPAUTA

01/08/2012 14:00

001) 00672-2011-002-10-00-4 ROProc. Origem: 0672 / 2011 da

02ª Vara de BRASÍ

Dist:19/10/2011 Ação Trabalhista - Rito Ordinário

Relatora: Desembargadora MARIA REGINA MACHADO

GUIMARÃES

Revisora: Desembargadora FLÁVIA SIMÕES FALCÃO

IMP./SUS.: Juiz(a) JMPB;

RECORRENTERapido Brasilia Transportes e Turismo Ltda

ADVOGADOMarcelo Luiz Ávila de

Bessa OAB: A 12330 N DF

RECORRIDOGaspar Joaquim dos Santos Silva (Espólio De)

ADVOGADOJoão Batista Menezes

LimaOAB: A 25325 N DF

Lorena Ramalho Henriques

SECRETARIA DA 1ª TURMA

Código para aferir autenticidade deste caderno: 55765

1029/2012

Tribunal Regional do Trabalho da 10ª REGIÃO

12

Data da Disponibilização: Quinta-feira, 26 de Julho de 2012

PAUTA

023ª SESSAO ORDINÁRIA A TER INÍCIO NO DIA 01/08/2012 ÀS

14:00

Agravo de Petição

Processo Nº AP-12800-63.2008.5.10.0006

Processo Nº AP-128/2008-006-10-00.2

Complemento

6ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargadora - FLÁVIA SIMÕES
FALCÃO

Revisor

Desembargador - RICARDO
ALENCAR MACHADO

Agravante

Distrito Federal

Procurador

Luciano Tenório de Carvalho(OAB:
33428-N/DF)

Agravado

Simone Alves de Andrade

Advogado

Carlos Dauton Nunes de Oliveira(OAB:
26379-N/DF)

Agravado

Instituto Candango de Solidariedade

Agravado

Adilson de Queiroz Campos

Advogado

Joaquim Oliveira Lima(OAB: 12040-
N/DF)

Agravado

Jose Vital de Araujo Fagundes

Advogado

Joaquim Oliveira Lima(OAB: 12040-
N/DF)

Agravado

Lazaro Severo Rocha

Agravado

Ronan Batista de Souza

Processo Nº AP-226100-41.1990.5.10.0006

Processo Nº AP-2261/1990-006-10-00.3

Complemento

6ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Revisor

Desembargador - RICARDO
ALENCAR MACHADO

Agravante

Gui Gerson do Canto Brum

Advogado

José Alves de Alencar(OAB: 5838-
N/DF)

Agravado

União

Procurador

Douglas Guilherme Fernandes(OAB:
1365-N/DF)

Recurso Ordinário

Processo Nº RO-207-66.2012.5.10.0101

Complemento

1ª VARA DE TAGUATINGA/DF

Relator

Desembargadora - MARIA REGINA
MACHADO GUIMARÃES

Recorrente

Washington Carvalho dos Reis

Advogado

Sérgio Luiz dos Santos(OAB: 8328-
N/DF)

Recorrido

Brookfield Mb Empreendimentos
Imobiliarios S.A.

Advogado

Daniel Battipaglia Sgai(OAB: 214918-
N/SP)

Recorrido

Pj Instalações e Construções Ltda.

Processo Nº RO-251-22.2012.5.10.0801

Complemento

1ª VARA DE PALMAS/TO

Relator

Desembargadora - FLÁVIA SIMÕES
FALCÃO

Recorrente

Silvio Rodrigues Alves

Advogado

Edwardo Nelson Luis Chaves
Franco(OAB: 2557-N/TO)

Recorrido

Dinamo Engenharia Ltda Me

Advogado

Wanessa Pereira da Silva(OAB: 4553-
N/TO)

Recorrido

Companhia de Energia Eletrica do
Estado do Tocantins - Celtins

Advogado

Sérgio Fontana(OAB: 701-N/TO)

Processo Nº RO-280-39.2011.5.10.0015

Complemento

15ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargadora - MARIA REGINA
MACHADO GUIMARÃES

Recorrente

Flora Produtos de Higiene e Limpeza
S.A. (Grupo JBS)

Advogado

Cristiana Rodrigues Gontijo(OAB: 6930
-N/DF)

Recorrente

Olivar Galdino Ferreira

Advogado

José Maria de Oliveira Santos(OAB:
9004-N/DF)

Recorrido

Os Mesmos

Processo Nº RO-658-04.2011.5.10.0012

Complemento

12ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargadora - FLÁVIA SIMÕES
FALCÃO

Recorrente

Sindicato dos Odontologistas do
Distrito Federal

Advogado

Ulisses Riedel de Resende(OAB: 968-
N/DF)

Recorrido

Sindicato Brasiliense de Hosp Casas
de Saude e Clinicas

Advogado

Sandra Frota Albuquerque Dino de
Castro R. Costa(OAB: 18712-N/DF)

Processo Nº RO-908-55.2011.5.10.0103

Complemento

3ª VARA DE TAGUATINGA/DF

Relator

Desembargadora - MARIA REGINA
MACHADO GUIMARÃES

Recorrente

S & L Servicos Empresariais S/A

Advogado

Caio Antônio Ribas da Silva
Prado(OAB: 14962-N/DF)

Recorrido

Pauline Rocha Meira de Carvalho

Advogado

Thiago Lucas Gordo de Sousa(OAB:
17749-N/DF)

Recorrido

Lojas Renner Sociedade Anonima

Advogado

Júlio César Goulart Lanes(OAB: 29745
-N/DF)

Recorrido

Banco Itaucard S.A.

Advogado

Cristiana Rodrigues Gontijo(OAB: 6930
-N/DF)

Processo Nº RO-920-79.2011.5.10.0811

Complemento

1ª VARA DE ARAGUAÍNA/TO

Relator

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Recorrente

Minerva S.A.

Advogado

Leandro Jorge de Lima(OAB: 4975-
A/TO)

Recorrido

Helson Antonio Braga da Silva

Advogado

Márcia Regina Flores(OAB: 604-B/TO)

Processo Nº RO-1676-63.2011.5.10.0011

Complemento

11ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargadora - MARIA REGINA
MACHADO GUIMARÃES

Recorrente

Banco do Brasil S/A

Advogado

Paula Rodrigues da Silva(OAB: 32041-
N/DF)

Recorrido

Vilma Barreiros Cunha

Advogado

Célia Maria Regis Valente(OAB: 12180
-N/DF)

Processo Nº RO-1886-23.2011.5.10.0009

Complemento

9ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Recorrente

Luiz Flavio Chaves de Olioveira

Advogado

Geraldo Marcone Pereira(OAB: 14038-
N/DF)

Código para aferir autenticidade deste caderno: 55765

1029/2012

Tribunal Regional do Trabalho da 10ª REGIÃO

13

Data da Disponibilização: Quinta-feira, 26 de Julho de 2012

Recorrido

Contax S.A.

Advogado

José Alberto Couto Maciel(OAB: 513-
N/DF)

Recorrido

Telemar Norte Leste S/A

Advogado

José Alberto Couto Maciel(OAB: 513-
N/DF)

Recorrido

Brasil Telecon S.A.q

Advogado

José Alberto Couto Maciel(OAB: 513-
N/DF)

Processo Nº RO-1897-22.2011.5.10.0019

Complemento

19ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargadora - MARIA REGINA
MACHADO GUIMARÃES

Recorrente

Valdomiro Cardoso de Negreiros

Advogado

Judson de Araújo Gurgel(OAB: 26414-
N/DF)

Recorrido

Concremold Consultores Associados
Ltda

Advogado

Regino Francisco de Sousa(OAB:
24659-N/DF)

Processo Nº RO-1906-05.2011.5.10.0012

Complemento

12ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Recorrente

Francisco Lucinda Damasceno

Advogado

José Domingos Gomes de
Santana(OAB: 26124-N/DF)

Recorrido

Sustentare Serviços Ambientais S.A.
(Em Recuperação Judicial)

Advogado

Suely Mulky(OAB: 97512-N/SP)

Processo Nº RO-2049-94.2011.5.10.0011

Complemento

11ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Recorrente

Ciplan Cimento Planalto S.A.

Advogado

Airton Rocha Nóbrega(OAB: 5369-
N/DF)

Recorrido

Jose Alves de Souza Filho

Advogado

Hitoshi Ito(OAB: 4362-N/DF)

Processo Nº RO-2062-08.2011.5.10.0007

Complemento

7ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Recorrente

Jbs S/A

Advogado

Cristiana Rodrigues Gontijo(OAB: 6930
-N/DF)

Recorrido

Adelino Nunes dos Santos

Advogado

Ana Carolina da Silva Dias(OAB:
24788-N/DF)

Processo Nº RO-2495-18.2011.5.10.0102

Complemento

2ª VARA DE TAGUATINGA/DF

Relator

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Recorrente

Db Distribuidora Brasil de Alimentos
Ltda.

Advogado

Jacques Veloso de Melo(OAB: 13558-
N/DF)

Recorrido

Eder Alessandro da Silva

Advogado

Vanderlei Rodrigues(OAB: 18008-
N/DF)

AGRAVO EM RO

Processo Nº A-RO-1003-52.2011.5.10.0017

Complemento

17ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargador - RICARDO
ALENCAR MACHADO

Agravante

Zilma de Oliveira Alencar

Advogado

Luiz Fernando Carvalho Maciel(OAB:
14007-N/DF)

Agravado

r.despacho de fls.51/52

Agravado

Joaquim Domingos Roriz

Advogado

Rodrigo Fernandes de Moraes
Ferreira(OAB: 17210-N/DF)

Agravo de Petição

Processo Nº AP-4700-29.2002.5.10.0007

Processo Nº AP-47/2002-007-10-00.3

Complemento

7ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargadora - MARIA REGINA
MACHADO GUIMARÃES

Revisor

Desembargador - RICARDO
ALENCAR MACHADO

Agravante

Joao Pedro dos Santos Neto

Advogado

Robson Freitas Melo(OAB: 1982-N/DF)

Agravado

Massa Falida de Planenge Engenharia
Comercio e Industria Ltda

Advogado

Edson Lopes de Mendonça(OAB:
10458-X/DF)

Agravado

Amauri Gutierrez Martins

Agravado

Maria Angela Gutierrez Martins

Advogado

Edson Lopes de Mendonça(OAB:
10458-N/DF)

AGRAVO EM RO

Processo Nº A-ED-RO-1546-28.2011.5.10.0802

Complemento

2ª VARA DE PALMAS/TO

Relator

Desembargador - RICARDO
ALENCAR MACHADO

Revisor

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Agravante

Empresa Brasileira de Correios e
Telegrafos

Advogado

Luiz Cláudio de Almeida(OAB: 4004-
B/TO)

Agravado

r.despacho de fls. 759/761

Agravado

William Martins Soares

Advogado

Clóvis Teixeira Lopes(OAB: 875-A/TO)

Processo Nº A-RO-1103-98.2011.5.10.0019

Complemento

19ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargador - RICARDO
ALENCAR MACHADO

Revisor

Desembargadora - FLÁVIA SIMÕES
FALCÃO

Agravante

Real Sociedade Espanhola de
Beneficencia

Advogado

Luna Veronese e Veronese(OAB:
30592-N/DF)

Agravado

r.despacho de fls. 250/251

Agravado

Almir Marques de Sousa

Advogado

Antônio Marques de Andrade(OAB:
6263-N/DF)

AGRAVO REGIMENTAL

Processo Nº AG-CauInom-298-71.2012.5.10.0000

Complemento

T.R.T. DE 10ª REGIÃO

Relator

Desembargadora - FLÁVIA SIMÕES
FALCÃO

Agravante

Distrito Federal

Procurador

Luís Augusto Scandiuzzi(OAB: 641-
N/DF)

Agravado

r. despacho de fls. 230/234

Agravado

Sindicato dos Empregados de
Empresas de Seg e Vig do Df

Agravo de Petição

Processo Nº AP-2700-26.2006.5.10.0004

Processo Nº AP-27/2006-004-10-00.7

Complemento

4ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargadora - MARIA REGINA
MACHADO GUIMARÃES

Revisor

Desembargador - RICARDO
ALENCAR MACHADO

Código para aferir autenticidade deste caderno: 55765

1029/2012

Tribunal Regional do Trabalho da 10ª REGIÃO

14

Data da Disponibilização: Quinta-feira, 26 de Julho de 2012

Agravante

Maria Bernadete de Morais Oliveira

Advogado

Cintia Roberta da Cunha
Fernandes(OAB: 26668-N/DF)

Agravado

Empresa Brasileira de Correios e
Telegrafos

Advogado

Marcio Yoshio Tazaki(OAB: 230542-
N/DF)

Processo Nº AP-12200-19.2002.5.10.0017

Processo Nº AP-122/2002-017-10-00.3

Complemento

17ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargadora - FLÁVIA SIMÕES
FALCÃO

Revisor

Desembargador - RICARDO
ALENCAR MACHADO

Agravante

Sociedade de Transportes Coletivos de
Brasilia Ltda Tcb

Advogado

José Luiz Corrêa Gomes(OAB: 8725-
N/DF)

Agravado

Gercino Gomes Meireles

Advogado

Alessandra Camarano Martins(OAB:
13750-N/DF)

Processo Nº AP-12200-42.2008.5.10.0006

Processo Nº AP-122/2008-006-10-00.5

Complemento

6ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Revisor

Desembargador - RICARDO
ALENCAR MACHADO

Agravante

Distrito Federal

Procurador

Edvaldo Nilo de Almeida(OAB: 29502-
N/DF)

Agravado

Vicentina Edna da Silva

Advogado

Osvaldo Elias da Silva(OAB: 18031-
N/DF)

Agravado

Instituto Candango de Solidariedade -
Ics

Agravado

Adilson de Queiroz Campos

Agravado

Jose Vital de Araujo Fagundes

Agravado

Lazaro Severo Rocha

Agravado

Ronan Batista de Souza

Processo Nº AP-14400-66.2006.5.10.0014

Processo Nº AP-144/2006-014-10-00.8

Complemento

14ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Revisor

Desembargador - RICARDO
ALENCAR MACHADO

Agravante

Caixa Economica Federal

Advogado

Elisa Alencar Menezes de Lima(OAB:
35028-N/DF)

Agravado

Rubia de Almeida Mesquita Angelo

Advogado

Moacir Akira Yamakawa(OAB: 1937-
A/DF)

Processo Nº AP-14500-07.1999.5.10.0001

Processo Nº AP-145/1999-001-10-00.6

Complemento

1ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Revisor

Desembargador - RICARDO
ALENCAR MACHADO

Agravante

Kxyz - Tecnologia de Informacao S/A

Advogado

Frederico de Mello e Faro da
Cunha(OAB: 129282-N/SP)

Agravado

Jorge Jose Alves

Advogado

Janúncio Azevedo(OAB: 1484-N/DF)

Agravado

Poempra Empreendimentos e
Administracao Ltda

Advogado

Valdir Pereira de Barros(OAB: 153901-
N/SP)

Agravado

Paulo Wanderley Patullo

Advogado

Valdir Pereira de Barros(OAB: 153901-
N/SP)

Processo Nº AP-24200-34.1995.5.10.0005

Processo Nº AP-242/1995-005-10-00.0

Complemento

5ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargadora - FLÁVIA SIMÕES
FALCÃO

Revisor

Desembargador - RICARDO
ALENCAR MACHADO

Agravante

Sandra Costa Ulhoa

Advogado

Robson Freitas Melo(OAB: 1982-N/DF)

Agravado

Associacao Educacional Compacto

Advogado

Mauro Borges Loch(OAB: 29214-
N/RS)

Processo Nº AP-256-36.2010.5.10.0018

Complemento

18ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Revisor

Desembargador - RICARDO
ALENCAR MACHADO

Agravante

União (Tribunal de Justiça do Distrito
Federal e Territórios)

Procurador

Ana Carolina Fernandes de
Mendonça(OAB: 1360-N/DF)

Agravado

Simone Amador da Silva

Advogado

Ricardo Côrtes de Oliveira Braga(OAB:
24558-N/DF)

Agravado

Capital Empresa de Servicos Gerais
Limitada

Advogado

Fabiano Feliciano Jerônimo(OAB:
19400-N/DF)

Processo Nº AP-268-37.2011.5.10.0011

Complemento

11ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargadora - FLÁVIA SIMÕES
FALCÃO

Revisor

Desembargador - RICARDO
ALENCAR MACHADO

Agravante

Wellington Jose Goncalves da Silva

Advogado

Júlio César Borges de Resende(OAB:
8583-N/DF)

Agravado

Companhia de Saneamento Ambiental
do Distrito Federal

Advogado

Gabriela Lucas Queiroz Oliveira(OAB:
17013-N/DF)

Processo Nº AP-269-74.2011.5.10.0802

Complemento

2ª VARA DE PALMAS/TO

Relator

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Revisor

Desembargador - RICARDO
ALENCAR MACHADO

Agravante

Caixa Economica Federal

Advogado

Miguel Tadeu Lopes Luz(OAB: 3777-
A/TO)

Agravado

Maria Edilene da Silva Ribeiro

Advogado

Ciney Almeida Gomes(OAB: 1181-
N/TO)

Processo Nº AP-30400-63.2009.5.10.0006

Processo Nº AP-304/2009-006-10-00.7

Complemento

6ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargadora - FLÁVIA SIMÕES
FALCÃO

Revisor

Desembargador - RICARDO
ALENCAR MACHADO

Agravante

Distrito Federal

Procurador

Lucas Terto Ferreira Vieira(OAB: 1431-
N/DF)

Código para aferir autenticidade deste caderno: 55765

1029/2012

Tribunal Regional do Trabalho da 10ª REGIÃO

15

Data da Disponibilização: Quinta-feira, 26 de Julho de 2012

Agravado

Waldomiro Luiz Xavier

Advogado

Karinne Miranda Rodrigues(OAB:
28789-N/DF)

Agravado

Instituto Candango de Solidariedade e
Outros

Advogado

Sandro Moraes da Silva(OAB: 21321-
N/BA)

Agravado

Ronan Batista de Souza

Agravado

Adilson de Queiroz Campos

Agravado

Lazaro Severo Rocha

Agravado

Jose Vital de Araujo Fagundes

Processo Nº AP-34600-63.2007.5.10.0013

Processo Nº AP-346/2007-013-10-00.4

Complemento

13ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargadora - MARIA REGINA
MACHADO GUIMARÃES

Revisor

Desembargador - RICARDO
ALENCAR MACHADO

Agravante

Mdf Moveis Ltda

Advogado

Laiza dos Santos Silva(OAB: 28618-
N/DF)

Agravado

Osmar Pereira Bastos

Advogado

Marcone Guimarães Vieira(OAB: 9336-
N/DF)

Processo Nº AP-45200-26.1991.5.10.0007

Processo Nº AP-452/1991-007-10-00.8

Complemento

7ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargadora - FLÁVIA SIMÕES
FALCÃO

Revisor

Desembargador - RICARDO
ALENCAR MACHADO

Agravante

Jean Francois Cleaver

Advogado

Atílio João Andretta(OAB: 11693-N/DF)

Agravado

União (Ministerio das Relacoes
Exteriores)

Procurador

Clysses Adelina H. de Noronha(OAB:
5211-N/DF)

Processo Nº AP-52300-93.2000.5.10.0014

Processo Nº AP-523/2000-014-10-00.2

Complemento

14ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargadora - FLÁVIA SIMÕES
FALCÃO

Revisor

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Agravante

Jose Ferreira da Silva

Advogado

José Maria de Oliveira Santos(OAB:
9004-N/DF)

Agravado

Nisdy Ltda

Agravado

Pier 21 Cultura e Lazer S/A

Advogado

Joelson Dias(OAB: 10441-N/DF)

Processo Nº AP-56200-94.2008.5.10.0017

Processo Nº AP-562/2008-017-10-00.6

Complemento

17ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargadora - FLÁVIA SIMÕES
FALCÃO

Revisor

Desembargador - RICARDO
ALENCAR MACHADO

Agravante

Fundacao dos Economiarios Federais
Funcef

Advogado

Luiz Antônio Muniz Machado(OAB: 750
-A/DF)

Agravado

Arlene Maria de Moura Ramos
Andrade

Advogado

José Eymard Loguércio(OAB: 1441-
A/DF)

Agravado

Caixa Econômica Federal

Advogado

Maria Eliza Nogueira da Silva(OAB:
24777-N/DF)

Processo Nº AP-63400-41.2009.5.10.0851

Processo Nº AP-634/2009-851-10-00.2

Complemento

1ª VARA DE DIANÓPOLIS/TO

Relator

Desembargadora - FLÁVIA SIMÕES
FALCÃO

Revisor

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Agravante

Marcelino Dias de Souza

Advogado

Juliana de Lemos Santana Naves de
Lima(OAB: 4533-A/TO)

Agravado

Zihuatanejo do Brasil Acucar e Alcool
S.A

Advogado

Alexandre Novaes de Siqueira(OAB:
23023-N/PE)

Processo Nº AP-63500-93.2009.5.10.0851

Processo Nº AP-635/2009-851-10-00.7

Complemento

1ª VARA DE DIANÓPOLIS/TO

Relator

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Revisor

Desembargadora - FLÁVIA SIMÕES
FALCÃO

Agravante

Valdivino Ferreira Caminhas

Advogado

Juliana de Lemos Santana Naves de
Lima(OAB: 4533-A/TO)

Agravado

Zihuatanejo do Brasil Açúcar e Alcool
S.A

Advogado

Alexandre Novaes de Siqueira(OAB:
23023-N/PE)

Processo Nº AP-66300-06.2006.5.10.0009

Processo Nº AP-663/2006-009-10-00.0

Complemento

9ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargadora - MARIA REGINA
MACHADO GUIMARÃES

Revisor

Desembargador - RICARDO
ALENCAR MACHADO

Agravante

Uniao (Ministério da Defesa)

Procurador

Ana Carolina Fernandes de
Mendonça(OAB: 1375-N/DF)

Agravado

Fabiana Zanela de Resende Paixao

Advogado

João Emílio Falcão Neto(OAB: 9593-
N/DF)

Processo Nº AP-80800-17.1996.5.10.0013

Processo Nº AP-808/1996-013-10-00.0

Complemento

13ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Revisor

Desembargador - RICARDO
ALENCAR MACHADO

Agravante

Maria Davina Fernandes Borges

Advogado

Ulisses Riedel de Resende(OAB: 968-
N/DF)

Agravado

Assece Associacao Serrana de Cursos
Educacionais Ltda

Advogado

Djalma Nogueira dos Santos
Filho(OAB: 4604-N/DF)

Processo Nº AP-82100-55.2003.5.10.0017

Processo Nº AP-821/2003-017-10-00.4

Complemento

17ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Revisor

Desembargador - RICARDO
ALENCAR MACHADO

Agravante

Dival Gomes de Abreu

Advogado

Marcelo Américo Martins da
Silva(OAB: 11776-N/DF)

Agravado

República do Iraque

Advogado

Tawfic Awwad(OAB: 7667-N/DF)

Processo Nº AP-883-82.2010.5.10.0004

Código para aferir autenticidade deste caderno: 55765

1029/2012

Tribunal Regional do Trabalho da 10ª REGIÃO

16

Data da Disponibilização: Quinta-feira, 26 de Julho de 2012

Complemento

4ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Revisor

Desembargador - RICARDO
ALENCAR MACHADO

Agravante

União (Tribunal de Contas da União)

Procurador

Ana Carolina Fernandes de
Mendonça(OAB: 1360-N/DF)

Agravado

Raimundo Luis da Silva

Advogado

Antônio de Araújo Torres(OAB: 27304-
N/DF)

Agravado

Proservice Terceirizacao de Servicos
Ltda

Advogado

Paulo Roberto Monteiro Portela(OAB:
20541-N/CE)

Processo Nº AP-98100-31.2006.5.10.0016

Processo Nº AP-981/2006-016-10-00.0

Complemento

16ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Revisor

Desembargador - RICARDO
ALENCAR MACHADO

Agravante

Raul Canal

Advogado

Mariana Koury Veloso(OAB: 20734-
N/DF)

Agravado

Jose Dermevaldo Marques Silva

Advogado

Alancardé Ferreira de Almeida(OAB:
12464-N/DF)

Agravado

Obra de Assistencia Social Santa
Filomena

Agravado

Adegilson Vicente da Silva

Agravado

Jose Carlos Ferreira Lucas

Processo Nº AP-101400-50.2005.5.10.0011

Processo Nº AP-1014/2005-011-10-00.2

Complemento

11ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Revisor

Desembargador - RICARDO
ALENCAR MACHADO

Agravante

Dilcemar Ribeiro da Silva

Advogado

Luís Antônio Castagna Maia(OAB:
13377-N/DF)

Agravado

Caixa Economica Federal

Advogado

Marcelo Frossard Pincinato(OAB:
21768-N/DF)

Processo Nº AP-104700-27.2008.5.10.0007

Processo Nº AP-1047/2008-007-10-00.6

Complemento

7ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargadora - FLÁVIA SIMÕES
FALCÃO

Revisor

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Agravante

Aline Azevedo da Silva

Advogado

Nerylton Thiago Lopes Pereira(OAB:
24749-N/DF)

Agravado

Organização das Nações Unidas para
a Educação, a Ciência e a Cultura -
Unesco

Procurador

Isabel Cristina Pinho Bandeira
Albuquerque(OAB: 1224-N/DF)

Agravado

União (Ministério da Saúde)

Procurador

Clysses Adelina H. de Noronha(OAB:
5211-N/DF)

Processo Nº AP-1100-89.2010.5.10.0016

Complemento

16ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Revisor

Desembargadora - FLÁVIA SIMÕES
FALCÃO

Agravante

Faculdade Evangelica de Brasilia Ss
Ltda

Advogado

Ricardo Nogueira Duarte(OAB: 19342-
N/DF)

Agravado

Odair Correa do Nascimento

Advogado

Ramiro Laterça de Almeida(OAB:
12820-N/DF)

Agravado

Reginaldo Ramos

Agravado

Donizetti Francisco Pereira

Agravado

Eduardo Sampaio Oliveira

Agravado

Milton Vieira Alves Junior

Agravado

Lineia Domingues Batista

Agravado

Ricardo Luis Pereira

Agravado

Ronaldo Jose Pires

Processo Nº AP-112200-57.2007.5.10.0015

Processo Nº AP-1122/2007-015-10-00.2

Complemento

15ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargadora - FLÁVIA SIMÕES
FALCÃO

Revisor

Desembargador - RICARDO
ALENCAR MACHADO

Agravante

Iris da Consolata Lima Oliveira

Advogado

Júlio César Borges de Resende(OAB:
8583-N/DF)

Agravado

Instituto Rui Barbosa do Brasil Ss Ltda

Advogado

Wellington de Queiroz(OAB: 10860-
N/DF)

Processo Nº AP-1128-93.2010.5.10.0004

Complemento

4ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargadora - MARIA REGINA
MACHADO GUIMARÃES

Revisor

Desembargador - RICARDO
ALENCAR MACHADO

Agravante

Tld Teledata Tecnologia Em
Conectividade Ltda

Advogado

Diégo Felipe Muñoz Donoso(OAB:
21624-N/PR)

Agravado

Sandra Regina Rodrigues Ferreira

Advogado

Fabrizzia Mainier Said(OAB: 22884-
N/DF)

Agravado

Banco do Brasil Sa

Advogado

Gustavo Amato Pissini(OAB: 32089-
N/DF)

Processo Nº AP-180800-18.1988.5.10.0009

Processo Nº AP-1808/1988-009-10-00.8

Complemento

9ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Revisor

Desembargador - RICARDO
ALENCAR MACHADO

Agravante

Antonia Lucia Sousa

Advogado

Robson Freitas Melo(OAB: 1982-N/DF)

Agravado

Couru S Confeccoes Repres e
Distribuicao Ltda Me

Advogado

Regina Coeli Medina de
Figueiredo(OAB: 1324-N/DF)

Processo Nº AP-182300-63.2009.5.10.0016

Processo Nº AP-1823/2009-016-10-00.0

Complemento

16ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Revisor

Desembargador - RICARDO
ALENCAR MACHADO

Agravante

União (Tribunal Regional Federal da 1ª
Região)

Procurador

Douglas Guilherme Fernandes(OAB:
1365-N/DF)

Agravado

José Raimundo Bastos

Código para aferir autenticidade deste caderno: 55765

1029/2012

Tribunal Regional do Trabalho da 10ª REGIÃO

17

Data da Disponibilização: Quinta-feira, 26 de Julho de 2012

Advogado

Thiago Araújo Loureiro(OAB: 28724-
N/DF)

Agravado

Capital Empresa de Servicos Gerais
Limitada

Advogado

Tiago Camargo Thomé Maya
Monteiro(OAB: 20660-N/DF)

Agravado

Leandro Soares Lemos de Sousa

Agravado

Larissa Soares Lemos de Sousa

Processo Nº AP-197700-48.1989.5.10.0007

Processo Nº AP-1977/1989-007-10-00.6

Complemento

7ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargadora - FLÁVIA SIMÕES
FALCÃO

Revisor

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Agravante

Pedro Ribeiro Guimaraes e Outros

Advogado

Robson Freitas Melo(OAB: 1982-N/DF)

Agravante

Manoel Avelino da Silva

Agravante

Erivaldo Olimpio Rocha

Agravado

Instituto Nacional de Colonizacao e
Reforma Agraria

Procurador

Bruno Roberto Maciel Cunha de
Maria(OAB: 60013-N/DF)

Processo Nº AP-2031-70.2011.5.10.0012

Complemento

12ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Agravante

União (Fazenda Nacional)

Procurador

Sara de França Lacerda(OAB: 1383-
N/DF)

Agravado

Cantidoce Lanchonete e
Conveniencias Ltda.

Agravado

Manuel Vieira de Araujo Neto

Recurso Ordinário

Processo Nº RO-26-02.2012.5.10.0801

Complemento

1ª VARA DE PALMAS/TO

Relator

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Revisor

Desembargadora - MARIA REGINA
MACHADO GUIMARÃES

Recorrente

Marcelo Azevedo

Advogado

Sebastião Luís Vieira Machado(OAB:
1745-B/TO)

Recorrido

Construtora Andrade Ltda

Recorrido

Companhia de Energia Eletrica do
Estado do Tocantins - Celtins

Advogado

Fabrício Trindade de Sousa(OAB:
17407-N/DF)

Processo Nº RO-54-94.2012.5.10.0016

Complemento

16ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargadora - MARIA REGINA
MACHADO GUIMARÃES

Revisor

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Recorrente

Servico de Limpeza Urbana

Advogado

Guizélia Dunice Brito(OAB: 4032-
N/DF)

Recorrido

Vera Lacerda Bitencourt

Advogado

Leonardo Ramos Gonçalves(OAB:
28428-N/DF)

Recorrido

Sustentare Servicos Ambientais S.A.
(Em Recuperação Judicial)

Advogado

Suely Mulky(OAB: 97512-N/SP)

Processo Nº RO-114-06.2012.5.10.0101

Complemento

1ª VARA DE TAGUATINGA/DF

Relator

Desembargadora - MARIA REGINA
MACHADO GUIMARÃES

Revisor

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Recorrente

Edson Helio de Oliveira Filho

Advogado

Genesco Resende Santiago(OAB:
11746-N/DF)

Recorrido

Companhia do Metropolitano do
Distrito Federal Metro Df

Advogado

Felipe Augusto Lopes Ruela(OAB:
27495-N/DF)

Processo Nº RO-217-08.2011.5.10.0017

Complemento

17ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Revisor

Desembargador - RICARDO
ALENCAR MACHADO

Recorrente

Hospital Santa Luzia S A

Advogado

Tissiana Carvalho Badaró
Barbosa(OAB: 32140-N/DF)

Recorrido

Francisca Ribeiro Macedo

Advogado

Euvaldo Thomaz Soares(OAB: 14427-
N/DF)

Processo Nº RO-269-10.2012.5.10.0812

Complemento

2ª VARA DE ARAGUAÍNA/TO

Relator

Desembargadora - MARIA REGINA
MACHADO GUIMARÃES

Revisor

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Recorrente

Jean Goncalves de Sousa

Advogado

José Adelmo dos Santos(OAB: 301-
A/TO)

Recorrido

Faimed Comercio de Medicamentos
Ltda

Advogado

Alessandra Soares de Carvalho(OAB:
11274-N/GO)

Processo Nº RO-274-20.2011.5.10.0019

Complemento

19ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Revisor

Desembargador - RICARDO
ALENCAR MACHADO

Recorrente

Francisco de Assis Carvalho Santos e
O utro

Advogado

Carlos André Lopes Araújo(OAB:
17510-N/DF)

Recorrente

Ricardo Rodrigues Lima

Recorrido

Monumental Hotel Residencia

Advogado

Márcio Macedo da Matta(OAB: 29541-
X/DF)

Processo Nº RO-322-93.2012.5.10.0002

Complemento

2ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargadora - MARIA REGINA
MACHADO GUIMARÃES

Revisor

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Recorrente

Givanildo Avelino Ferreira Neto

Advogado

Ibaneis Rocha Barros Júnior(OAB:
11555-N/DF)

Recorrido

Cia Urbanizadora da Nova Capital do
Brasil - Novacap

Advogado

Angélica Cristina Conceição
Dutra(OAB: 10752-N/DF)

Processo Nº RO-375-74.2012.5.10.0002

Complemento

2ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargadora - FLÁVIA SIMÕES
FALCÃO

Revisor

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Recorrente

Empresa Brasileira de Correios e
Telegrafos

Advogado

Agnaldo Nunes da Silva(OAB: 11336-
N/DF)

Recorrido

Luzineide Lemos de Andrade

Código para aferir autenticidade deste caderno: 55765

1029/2012

Tribunal Regional do Trabalho da 10ª REGIÃO

18

Data da Disponibilização: Quinta-feira, 26 de Julho de 2012

Advogado

Régis Cajaty Barbosa Braga(OAB:
11056-N/DF)

Recorrido

Beit Terceirizacao de Servicos Ltda -
Me

Processo Nº RO-387-89.2011.5.10.0013

Complemento

13ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Revisor

Desembargador - RICARDO
ALENCAR MACHADO

Recorrente

Silvelandia de Jesus Santos Silveira

Advogado

Patrícia Pinheiro Martins(OAB: 14753-
N/DF)

Recorrido

Visual - Locacao, Servico, Construcao
Civil e Mineracao Ltda

Recorrido

União

Procurador

Ana Cecília Lapenda Lopes
Farinha(OAB: 1389-N/DF)

Processo Nº RO-394-77.2012.5.10.0003

Complemento

3ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargadora - FLÁVIA SIMÕES
FALCÃO

Revisor

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Recorrente

Wellington Jose Goncalves da Silva

Advogado

Júlio César Borges de Resende(OAB:
8583-N/DF)

Recorrido

Companhia de Saneamento Ambiental
do Distrito Federal

Advogado

Gabriela Lucas Queiroz Oliveira(OAB:
17013-N/DF)

Processo Nº RO-461-70.2011.5.10.0005

Complemento

5ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Revisor

Desembargadora - MARIA REGINA
MACHADO GUIMARÃES

Recorrente

Newmann Monteiro Andrade Leite

Advogado

José Eymard Loguércio(OAB: 1441-
A/DF)

Recorrido

Banco do Brasil Sa

Advogado

Marlon Rodrigues Barroso(OAB: 7236-
N/DF)

Processo Nº RO-514-12.2011.5.10.0018

Complemento

18ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Revisor

Desembargador - RICARDO
ALENCAR MACHADO

Recorrente

Contagem Derivados de Petroleo Ltda

Advogado

Marcelo Luiz Ávila de Bessa(OAB:
12330-N/DF)

Recorrido

Emilson Macedo de Melo

Advogado

Augusta de Raeffray Barbosa
Gherardi(OAB: 24026-N/DF)

Processo Nº RO-523-83.2011.5.10.0014

Complemento

14ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargadora - MARIA REGINA
MACHADO GUIMARÃES

Revisor

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Recorrente

Itau Unibanco S.A.

Advogado

Cristiana Rodrigues Gontijo(OAB: 6930
-N/DF)

Recorrido

Edilene Basambeth Ribeiro da Costa

Advogado

Gilberto Cláudio Hoerlle(OAB: 5166-
N/DF)

Processo Nº RO-543-70.2012.5.10.0004

Complemento

4ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargadora - MARIA REGINA
MACHADO GUIMARÃES

Revisor

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Recorrente

Fundacao Universidade de Brasilia

Procurador

Maria José Marinho Rocha(OAB: 1328-
N/DF)

Recorrido

Aline Dias dos Reis

Advogado

Marco Antônio Vaz(OAB: 29516-N/DF)

Recorrido

Ast Assessoria Em Servicos
Terceirizados Ltda

Processo Nº RO-575-91.2011.5.10.0010

Complemento

10ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargadora - MARIA REGINA
MACHADO GUIMARÃES

Revisor

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Recorrente

Banco do Brasil Sa

Advogado

Vinicius Messias Ferreira(OAB: 28785-
N/DF)

Recorrido

Olandia Altina de Barcelos

Advogado

Mário Lúcio Marques Júnior(OAB:
18058-N/DF)

Processo Nº RO-898-84.2011.5.10.0111

Complemento

1ª VARA DE GAMA/DF

Relator

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Revisor

Desembargador - RICARDO
ALENCAR MACHADO

Recorrente

Real Sociedade Espanhola de
Beneficencia

Advogado

Tiago Cedraz Leite Oliveira(OAB:
23167-N/DF)

Recorrido

Rícia Batista Cordeiro

Advogado

Simone de Oliveira Magalhães(OAB:
26271-N/DF)

Processo Nº RO-1023-89.2010.5.10.0013

Complemento

13ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargadora - MARIA REGINA
MACHADO GUIMARÃES

Revisor

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Recorrente

Companhia de Bebidas das Americas -
Ambev

Advogado

José Alberto Couto Maciel(OAB: 513-
A/DF)

Recorrido

Edgardo Deodato Silva

Advogado

Marcelo Américo Martins da
Silva(OAB: 11776-N/DF)

Processo Nº RO-106000-66.2009.5.10.0014

Processo Nº RO-1060/2009-014-10-00.4

Complemento

14ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargadora - FLÁVIA SIMÕES
FALCÃO

Revisor

Desembargador - RICARDO
ALENCAR MACHADO

Recorrente

Caixa de Previdência dos Funcionários
do Banco do Brasil - PREVI

Advogado

Fabrício Zir Bothomé(OAB: 35174-
N/DF)

Recorrente

Banco do Brasil S.A.

Advogado

Leonardo Rabelo de Amorim(OAB:
24886-N/DF)

Recorrido

Os Mesmos

Recorrido

Joaquim Pereira Gomes

Advogado

Rogério Ferreira Borges(OAB: 16279-
N/DF)

Processo Nº RO-1090-48.2010.5.10.0015

Complemento

15ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Código para aferir autenticidade deste caderno: 55765

1029/2012

Tribunal Regional do Trabalho da 10ª REGIÃO

19

Data da Disponibilização: Quinta-feira, 26 de Julho de 2012

Relator

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Revisor

Desembargador - RICARDO
ALENCAR MACHADO

Recorrente

Fortium Editora e Treinamento Ltda.
(Grupo Educacional Fortium)

Advogado

Normando Augusto Cavalcanti
Júnior(OAB: 13454-N/DF)

Recorrente

Alexandre de Oliveira Eniz

Advogado

Hélio José de Souza Filho(OAB: 19671
-A/DF)

Recorrido

Os Mesmos

Processo Nº RO-1121-52.2011.5.10.0009

Complemento

9ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargadora - FLÁVIA SIMÕES
FALCÃO

Revisor

Desembargador - RICARDO
ALENCAR MACHADO

Recorrente

Companhia Nacional de
Abastecimento Conab

Advogado

Eder Jacoboski Viegas(OAB: 11532-
N/ES)

Recorrente

Dario Aquino de Oliveira Filho

Advogado

Régis Cajaty Barbosa Braga(OAB:
11056-N/DF)

Recorrido

Os Mesmos

Processo Nº RO-1175-97.2011.5.10.0015

Complemento

15ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargadora - FLÁVIA SIMÕES
FALCÃO

Revisor

Desembargador - RICARDO
ALENCAR MACHADO

Recorrente

Tulio Jose Nascimento Mata

Advogado

Ricardo Luiz Rodrigues da Fonseca
Passos(OAB: 15523-N/DF)

Recorrente

Banco do Brasil Sa

Advogado

Vicente Cardoso de Figueiredo(OAB:
73417-N/RS)

Recorrido

Os Mesmos

Processo Nº RO-1200-37.2011.5.10.0007

Complemento

7ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Revisor

Desembargador - RICARDO
ALENCAR MACHADO

Recorrente

Banco Santander (Brasil) S.A.

Advogado

Osmar Mendes Paixão Côrtes(OAB:
15553-N/DF)

Recorrente

Crislaine Vedovoto Bertolo

Advogado

Gilberto Cláudio Hoerlle(OAB: 5166-
N/DF)

Recorrido

Os Mesmos

Processo Nº RO-1256-40.2011.5.10.0017

Complemento

17ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargadora - FLÁVIA SIMÕES
FALCÃO

Revisor

Desembargadora - MARIA REGINA
MACHADO GUIMARÃES

Recorrente

Noel de Jesus Filho

Advogado

Moacir Akira Yamakawa(OAB: 1937-
A/DF)

Recorrido

Cast Informatica S/A

Advogado

Fernando Luís Russomano Otero
Villar(OAB: 14559-N/DF)

Processo Nº RO-1334-22.2011.5.10.0021

Complemento

21ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Revisor

Desembargador - RICARDO
ALENCAR MACHADO

Recorrente

Dba Engenharia de Sistemas Ltda

Advogado

Janaína Jardim Correia de
Araújo(OAB: 122796-N/RJ)

Recorrido

Silvanilson de Jesus Pires

Advogado

Alexandre Duarte Siqueira(OAB: 33325
-N/DF)

Processo Nº RO-1343-87.2011.5.10.0019

Complemento

19ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargadora - FLÁVIA SIMÕES
FALCÃO

Revisor

Desembargador - RICARDO
ALENCAR MACHADO

Recorrente

União (Câmara dos Deputados)

Procurador

Lygia Maria Avancini(OAB: 594-N/DF)

Recorrido

Jose Alves de Menezes

Advogado

José Augusto Santos da
Conceição(OAB: 34126-N/DF)

Recorrido

Visual - Locacao, Servico, Construcao
Civil e Mineracao Ltda

Processo Nº RO-1462-66.2011.5.10.0013

Complemento

13ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargadora - FLÁVIA SIMÕES
FALCÃO

Revisor

Desembargador - RICARDO
ALENCAR MACHADO

Recorrente

Valdomiro Gomes da Luz

Advogado

Ubiratan Batista Pedroso(OAB: 5350-
N/DF)

Recorrido

Adeilton Dias Soares

Advogado

Everton Soares de Oliveira
Nobre(OAB: 34851-N/DF)

Recorrido

Nilza Martins Batista

Advogado

Everton Soares de Oliveira
Nobre(OAB: 34851-N/DF)

Processo Nº RO-1504-03.2011.5.10.0018

Complemento

18ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargadora - FLÁVIA SIMÕES
FALCÃO

Revisor

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Recorrente

Cicero Jose Matos da Silva

Advogado

João Américo Pinheiro Martins(OAB:
10434-N/DF)

Recorrente

Uniao

Procurador

Lygia Maria Avancini(OAB: 594-N/DF)

Recorrido

Os Mesmos

Recorrido

Visual - Locacao, Servico, Construcao
Civil e Mineracao Ltda

Processo Nº RO-150700-36.2009.5.10.0012

Processo Nº RO-1507/2009-012-10-00.2

Complemento

12ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargadora - FLÁVIA SIMÕES
FALCÃO

Revisor

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Recorrente

Caixa de Previdencia dos Funcs do
Banco do Brasil

Advogado

Fabrício Zir Bothomé(OAB: 35174-
N/DF)

Recorrido

Vera Campos Cordeiro

Advogado

Rogério Ferreira Borges(OAB: 16279-
N/DF)

Recorrido

Banco do Brasil Sa

Advogado

Bruno Nascimento Coelho(OAB: 21811
-N/DF)

Processo Nº RO-1522-40.2011.5.10.0821

Complemento

1ª VARA DE GURUPI/TO

Relator

Desembargadora - MARIA REGINA
MACHADO GUIMARÃES

Código para aferir autenticidade deste caderno: 55765

1029/2012

Tribunal Regional do Trabalho da 10ª REGIÃO

20

Data da Disponibilização: Quinta-feira, 26 de Julho de 2012

Revisor

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Recorrente

Oseias de Campos (Fazenda Tietê)

Advogado

Luiz Tadeu Guardiero de
Azevedo(OAB: 116-A/TO)

Recorrido

Paulo Sergio Matias da Silva

Advogado

Juciene Rêgo de Andrade(OAB: 1385-
N/TO)

Processo Nº RO-161700-51.2009.5.10.0006

Processo Nº RO-1617/2009-006-10-00.2

Complemento

6ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargadora - MARIA REGINA
MACHADO GUIMARÃES

Revisor

Desembargador - RICARDO
ALENCAR MACHADO

Recorrente

Maria Alberti Vieira Vitoriano

Advogado

Rogério Ferreira Borges(OAB: 16279-
N/DF)

Recorrido

Banco do Brasil S.A.

Advogado

Carlos Alberto de Souza(OAB: 19962-
N/DF)

Recorrido

Caixa de Previdência dos Funcionários
do Banco do Brasil - PREVI

Advogado

Cláudia Sant'Anna Vieira(OAB: 8834-
N/DF)

Processo Nº RO-1654-20.2011.5.10.0006

Complemento

6ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Revisor

Desembargador - RICARDO
ALENCAR MACHADO

Recorrente

Emir de Souza Manhaes Segundo

Advogado

Klaus Stenius Bezerra Camelo de
Melo(OAB: 24897-N/DF)

Recorrente

Servico Federal de Processamento de
Dados (Serpro)

Advogado

Nilton da Silva Correia(OAB: 1291-
N/DF)

Recorrido

Os Mesmos

Processo Nº RO-1677-36.2011.5.10.0015

Complemento

15ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargadora - FLÁVIA SIMÕES
FALCÃO

Revisor

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Recorrente

Evandro Soares

Advogado

Atílio João Andretta(OAB: 11693-N/DF)

Recorrido

Instituto Nacional da Seguridade
Social. - Inss

Procurador

Leni Martins Gomes(OAB: 450-N/DF)

Recorrido

União (Ministério do Planejamento,
Orçamento de Gestão)

Procurador

Ana Carolina Fernandes de
Mendonça(OAB: 1360-N/DF)

Processo Nº RO-1728-05.2010.5.10.0008

Complemento

8ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargadora - FLÁVIA SIMÕES
FALCÃO

Revisor

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Recorrente

Maria Aparecida Alves Martins

Advogado

Sirlene Pereira Lima(OAB: 24354-
N/DF)

Recorrido

Master Comercial de Cosmeticos Ltda

Advogado

Rodrigo Duque Dutra(OAB: 12313-
N/DF)

Processo Nº RO-1764-77.2011.5.10.0019

Complemento

19ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargadora - MARIA REGINA
MACHADO GUIMARÃES

Revisor

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Recorrente

Rafael da Silva Farias

Advogado

Alessandra Camarano Martins(OAB:
13750-N/DF)

Recorrido

Cooperativa de Profissionais
Autonomos de Transporte de Sama

Recorrido

Distrito Federal

Advogado

Rosana Alves Filgueiras Nunes(OAB:
32065-N/DF)

Processo Nº RO-1866-44.2011.5.10.0005

Complemento

5ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargadora - MARIA REGINA
MACHADO GUIMARÃES

Revisor

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Recorrente

Francisco Goncalves de Sousa

Advogado

José Augusto Santos da
Conceição(OAB: 34126-N/DF)

Recorrido

Visual - Locacao, Servico, Construcao
Civil e Mineracao Ltda

Recorrido

União (Câmara dos Deputados)

Procurador

Mariana de Souza Piaz(OAB: 1362-
N/DF)

Processo Nº RO-1879-49.2011.5.10.0003

Complemento

3ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargadora - MARIA REGINA
MACHADO GUIMARÃES

Revisor

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Recorrente

Tac Transportes Armazenagem e
Logistica Ltda

Advogado

Lusimar Volney Póvoa(OAB: 2453-
N/DF)

Recorrido

Marcos de Oliveira

Advogado

João Batista Menezes Lima(OAB:
25325-N/DF)

Processo Nº RO-1900-31.2011.5.10.0001

Complemento

1ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Revisor

Desembargadora - FLÁVIA SIMÕES
FALCÃO

Recorrente

Eliezer Tristao Soares

Advogado

João Batista Menezes Lima(OAB:
25325-N/DF)

Recorrido

Drogasil Sa

Advogado

Eduardo Serafim Abrantes(OAB:
42389-N/MG)

Processo Nº RO-2045-78.2011.5.10.0004

Complemento

4ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargadora - MARIA REGINA
MACHADO GUIMARÃES

Revisor

Desembargadora - FLÁVIA SIMÕES
FALCÃO

Recorrente

Angela Daher de Freitas

Advogado

Luiz Gustavo Pereira da Cunha(OAB:
137677-N/RJ)

Recorrido

Politec Tecnologia da Informacao S/A

Advogado

Josaphá Francisco dos Santos(OAB:
13080-N/DF)

Processo Nº RO-2137-65.2011.5.10.0001

Complemento

1ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Revisor

Desembargadora - MARIA REGINA
MACHADO GUIMARÃES

Recorrente

Jocelita Cabral Palhano

Código para aferir autenticidade deste caderno: 55765

1029/2012

Tribunal Regional do Trabalho da 10ª REGIÃO

21

Data da Disponibilização: Quinta-feira, 26 de Julho de 2012

Advogado

Marcelo Américo Martins da
Silva(OAB: 11776-N/DF)

Recorrido

Serv Brasileiro de Apoio As Micro e
Pequenas Empresas

Advogado

José Alberto Couto Maciel(OAB: 513-
N/DF)

Processo Nº RO-2167-82.2011.5.10.0007

Complemento

7ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargadora - FLÁVIA SIMÕES
FALCÃO

Revisor

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Recorrente

Distrito Federal

Procurador

Thiago Campos Pereira(OAB: 174977-
N/DF)

Recorrido

Egnaldo de Lima Santos

Advogado

Carlos Augusto Dittrich(OAB: 24095-
N/DF)

Recorrido

Terra Azul Alimentação Coletiva e
Serviços Ltda.

Advogado

Antônio Carlos da Silva Duenas(OAB:
99584-N/SP)

Processo Nº RO-2553-58.2011.5.10.0801

Complemento

1ª VARA DE PALMAS/TO

Relator

Desembargadora - FLÁVIA SIMÕES
FALCÃO

Revisor

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Recorrente

Empresa Brasileira de Infra-Estrutura
Aeroportuaria

Advogado

Andréa Duran Sousa(OAB: 21893-
N/DF)

Recorrido

Antonio Eduardo Saraiva Leal

Advogado

Mônica Oliveira de Lacerda
Abreu(OAB: 27211-N/DF)

ADITAMENTO Recurso Ordinário

Processo Nº RO-31-37.2010.5.10.0011

Complemento

11ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Recorrente

Empresa Brasileira de Correios e
Telégrafos - ECT

Advogado

Euclides Rodrigues Mendes(OAB:
14621-N/DF)

Recorrido

Maria de Lourdes Mendes Malheiros

Advogado

Aldenei de Souza e Silva(OAB: 4041-
N/DF)

Recorrido

Goval Serviços Gerais Ltda.

ADITAMENTO Agravo de Instrumento em Recurso Ordinário

Processo Nº AIRO-262-29.2012.5.10.0000

Complemento

8ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargadora - MARIA REGINA
MACHADO GUIMARÃES

Revisor

Desembargador - RICARDO
ALENCAR MACHADO

Agravante

Marcos Antonio de Almeida Santos

Advogado

Imaculada Conceição Almeida
Santos(OAB: 12366-N/DF)

Agravado

Centrais de Abastecimento do Distrito
Federal S A

Advogado

Raul Queiroz Neves(OAB: 734-N/DF)

ADITAMENTO Agravo de Petição

Processo Nº AP-2900-02.2009.5.10.0821

Processo Nº AP-29/2009-821-10-00.0

Complemento

1ª VARA DE GURUPI/TO

Relator

Desembargadora - MARIA REGINA
MACHADO GUIMARÃES

Revisor

Desembargadora - FLÁVIA SIMÕES
FALCÃO

Agravante

Nativa Engenharia S.A.

Advogado

William Figueiredo de Oliveira(OAB:
84529-N/RJ)

Agravado

José Ribamar Silva Vieira

Advogado

Cleusdeir Ribeiro da Costa(OAB: 2507-
N/TO)

ADITAMENTO Recurso Ordinário

Processo Nº RO-107-72.2012.5.10.0017

Complemento

17ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargadora - MARIA REGINA
MACHADO GUIMARÃES

Revisor

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Recorrente

Erismar da Costa Pinheiro

Advogado

Ibaneis Rocha Barros Júnior(OAB:
11555-N/DF)

Recorrido

Cia Urbanizadora da Nova Capital do
Brasil - Novacap

Advogado

Wellington Moises de Oliveira(OAB:
22394-N/DF)

Processo Nº RO-15600-65.2007.5.10.0017

Processo Nº RO-156/2007-017-10-00.2

Complemento

17ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargadora - MARIA REGINA
MACHADO GUIMARÃES

Revisor

Desembargador - RICARDO
ALENCAR MACHADO

Recorrente

Caixa Econômica Federal - CEF

Advogado

José Maria de Oliveira Santos(OAB:
9004-N/DF)

Recorrente

Maria de Fátima de Oliveira Àvila

Advogado

José Eymard Loguércio(OAB: 1411-
A/DF)

Recorrido

Os Mesmos

Processo Nº RO-108100-36.2005.5.10.0013

Processo Nº RO-1081/2005-013-10-00.0

Complemento

13ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargadora - MARIA REGINA
MACHADO GUIMARÃES

Revisor

Desembargador - RICARDO
ALENCAR MACHADO

Recorrente

Ana Cristina Alves Tonks

Advogado

Carolina C. Vieira de Melo(OAB: 18579
-X/DF)

Recorrente

Cromos S.A. - Tintas Gráficas
(Recurso Adesivo)

Advogado

Átila Ribeiro Melo(OAB: 94375-X/RJ)

Recorrido

Os Mesmos

Processo Nº RO-1173-76.2010.5.10.0011

Complemento

11ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Revisor

Desembargadora - FLÁVIA SIMÕES
FALCÃO

Recorrente

Banco do Brasil S.A.

Advogado

Ana Paula D'Avila de Souza(OAB:
31400-N/DF)

Recorrente

Caixa de Previdencia dos Funcionários
do Banco do Brasil

Advogado

Fabrício Zir Bothomé(OAB: 35174-
N/DF)

Recorrido

Os Mesmos

Recorrido

João Cesar Vianna

Advogado

Geraldo Jésus Araújo Teixeira(OAB:
21397-N/DF)

Processo Nº RO-124800-81.2009.5.10.0002

Processo Nº RO-1248/2009-002-10-00.2

Complemento

2ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Código para aferir autenticidade deste caderno: 55765

1029/2012

Tribunal Regional do Trabalho da 10ª REGIÃO

22

Data da Disponibilização: Quinta-feira, 26 de Julho de 2012

Relator

Desembargadora - MARIA REGINA
MACHADO GUIMARÃES

Revisor

Desembargador - RICARDO
ALENCAR MACHADO

Recorrente

Banco do Brasil S.A.

Advogado

Maria José de Moura(OAB: 18947-
N/DF)

Recorrente

Previ Caixa de Previdência dos
Funcionários do Banco do Brasil

Advogado

Fabrício Zir Bothomé(OAB: 35174-
N/DF)

Recorrido

Os Mesmos

Recorrido

Max Jorge Campos Meireles

Advogado

Rogério Ferreira Borges(OAB: 16279-
N/DF)

Processo Nº RO-1275-40.2011.5.10.0019

Complemento

19ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargador - DORIVAL BORGES
DE SOUZA NETO

Revisor

Desembargadora - MARIA REGINA
MACHADO GUIMARÃES

Recorrente

Banco Safra S A

Advogado

Cristiana Rodrigues Gontijo(OAB: 6930
-N/DF)

Recorrido

Patricia Cruz da Silva

Advogado

José Oliveira Neto(OAB: 8680-N/DF)

Recorrido

Promo 7 Recursos e Patrimonio
Humano Ltda

Advogado

Maristela Costa Mendes Caires
Silva(OAB: 245335-N/SP)

Recorrido

S&Aa Marketing Ltda

Advogado

Rodrigo de Bittencourt
Mudrovitsch(OAB: 26966-N/DF)

Processo Nº RO-1941-80.2011.5.10.0006

Complemento

6ª VARA DE BRASÍLIA/DF

Relator

Desembargadora - FLÁVIA SIMÕES
FALCÃO

Revisor

Desembargador - RICARDO
ALENCAR MACHADO

Recorrente

Mauricio de Oliveira Luz

Advogado

Osmar Lobão Veras Filho(OAB: 9725-
N/DF)

Recorrido

Companhia de Planejamento do
Distrito Federal - Codeplan

Advogado

Sandra Maria Mariano Ferreira
Melo(OAB: 1375-N/DF)

Obs.: 1- Serão também julgados processos acaso existentes e

oriundos de Sessões anteriores.

2- Ficam cientes os Senhores Advogados que, providos

os Agravos de Instrumentos, serão julgados os respectivos

recursos na

mesma assentada.

3- Restando mais de 20 (vinte) processos a julgar,

fica desde já designada SESSÃO EXTRAORDINÁRIA para o dia

02/08/2012,

às 14 horas.

4- Se restarem menos de 20 (vinte) processos, esses

serão julgados na Sessão Ordinária que se seguir.

Para que chegue ao conhecimento de todos os interessados,

a

presente pauta, previamente aprovada pela Desembargadora

Presidente da

1ª Turma (art. 39, I do R.I.), será publicada no Diário Eletrônico da

Justiça do Trabalho e afixada no local de costume.

Lorena Ramalho Henriques

Secretária da 1ª Turma

SECRETARIA DA 2ª TURMA

Acórdão

Acórdão

Processo Nº RO-6-93.2011.5.10.0009

Relator

Desembargador - ALEXANDRE NERY
DE OLIVEIRA

Revisor

Desembargador - BRASILINO
SANTOS RAMOS

Recorrente

Caixa de Previdencia dos Funcs do
Banco do Brasil

Advogado

Fabrício Zir Bothomé(OAB: 35174-
N/DF)

Recorrido

Ademar Perpetuo de Menezes

Advogado

Ricardo Luiz Rodrigues da Fonseca
Passos(OAB: 15523-N/DF)

EMENTA:

PRESCRIÇÃO NÃO OPERADA: INTELIGÊNCIA DA SÚMULA

327/TST.

Recurso patronal parcialmente conhecido, preliminar inépcia

rejeitada e, no mérito, desprovido.

DECISÃO: ACORDAM os integrantes da Egrégia Segunda Turma

do Tribunal Regional do Trabalho da Décima Região, conforme

certidão de julgamento: aprovar o relatório, conhecer parcialmente o

recurso ordinário interposto pela Reclamada, rejeitar a preliminar de

inépcia e, no mérito, negar-lhe provimento, nos termos do voto do

Relator. Ementa aprovada.

Brasília (DF), 04 de julho de 2012.

(data do julgamento)

ALEXANDRE NERY DE OLIVEIRA

Desembargador Relator

Em, 04 de Julho de 2012 (Data do Julgamento)

Acórdão

Processo Nº AP-74-55.2012.5.10.0802

Relator

Desembargador - ALEXANDRE NERY
DE OLIVEIRA

Revisor

Desembargador - BRASILINO
SANTOS RAMOS

Agravante

Maria de Jesus Mendes Vieira Alves

Advogado

Paulo Roberto de Oliveira(OAB: 496-
N/TO)

Agravado

Junta de Missões Nacionais da
Convenção Batista Brasileira

Código para aferir autenticidade deste caderno: 55765

1029/2012

Tribunal Regional do Trabalho da 10ª REGIÃO

23

Data da Disponibilização: Quinta-feira, 26 de Julho de 2012

Advogado

Márcio Augusto Monteiro Martins(OAB:
1655-N/TO)

EMENTA:

EMBARGOS DE TERCEIRO: AUSÊNCIA DE VÍCIOS

PROCESSUAIS.

Agravo de petição conhecido em parte e preliminares rejeitadas.

DECISÃO: ACORDAM os integrantes da Egrégia Segunda Turma

do Tribunal Regional do Trabalho da Décima Região, conforme

certidão de julgamento: aprovar o relatório, conhecer em parte e

rejeitar as preliminares arguidas no agravo de petição interposto,

nos termos do voto do Relator. Ementa aprovada.

Brasília/DF, 04 de julho de 2012.

(data do julgamento)

ALEXANDRE NERY DE OLIVEIRA

Desembargador RelatorEm, 04 de Julho de 2012 (Data do

Julgamento)

Acórdão

Processo Nº RO-93-76.2012.5.10.0021

Relator

Juíza - ELKE DORIS JUST

Redator

Desembargador - ALEXANDRE NERY
DE OLIVEIRA

Recorrente

Lademilde Silva de Sousa

Advogado

Geraldo Marcone Pereira(OAB: 14038-
N/DF)

Recorrido

Contax S.A.

Advogado

José Alberto Couto Maciel(OAB: 513-
N/DF)

Recorrido

Telemar Norte Leste S/A.

Advogado

José Alberto Couto Maciel(OAB: 513-
X/DF)

Recorrido

Brasil Telecom S/A.

Advogado

José Alberto Couto Maciel(OAB: 513-
N/DF)

EMENTA:

ENQUADRAMENTO SINDICAL: ATIVIDADE DE "AGENTE DE

SERVIÇOS": INAPLICABILIDADE DAS NORMAS COLETIVAS

FIRMADAS PELO SINTTEL E SEAC: OBJETO SOCIAL DA

EMPRESA EMPREGADORA: DEFINIÇÃO DO RAMO

PREPONDERANTE.

Recurso obreiro conhecido e desprovido.

DECISÃO: ACORDAM os integrantes da Egrégia Segunda Turma

do Tribunal Regional do Trabalho da Décima Região, conforme

certidão de julgamento: aprovar o relatório, conhecer o recurso

ordinário obreiro e, no mérito, negar-lhe provimento, nos termos do

voto do Desembargador Alexandre Nery de Oliveira, designado

Redator para o acórdão. Ementa aprovada.

Brasília (DF), 04 de julho de 2012.

(data de julgamento)

ALEXANDRE NERY DE OLIVEIRA

Desembargador designado Redator para o acórdão

Em, 04 de Julho de 2012 (Data do Julgamento)

Acórdão

Processo Nº RO-137-49.2012.5.10.0101

Relator

Desembargador - BRASILINO
SANTOS RAMOS

Revisor

Juíza - ELKE DORIS JUST

Recorrente

Luiz Carlos Estanislau Sampaio

Advogado

Genesco Resende Santiago(OAB:
1146-N/DF)

Recorrido

Companhia do Metropolitano do
Distrito Federal Metro Df

Advogado

Felipe Augusto Lopes Ruela(OAB:
27495-N/DF)

EMENTA: 1. "PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS. PROGRESSÃO

HORIZONTAL. CRITÉRIOS. REQUISITOS. Norma interna de

natureza precária, que sequer encerra requisito essencial de

validade, de feição condicional e não automática, cuja realização

depende do implemento de determinados pressupostos, os quais

revelaram-se ausentes no curso da instrução processual.

Inexistência do direito à progressão almejada." (RO-1543-

36.2011.5.10.0103. Rel. Des. João Amílcar. Ac. Tribunal Pleno. DJE

de 10/05/2012) (Ressalva de entendimento do relator)

2. Recurso ordinário conhecido e desprovido.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 55765

1029/2012

Tribunal Regional do Trabalho da 10ª REGIÃO

24

Data da Disponibilização: Quinta-feira, 26 de Julho de 2012

DECISÃO: ACORDAM os integrantes da Segunda Turma do

Tribunal Regional do Trabalho da 10.ª Região, conforme certidão de

julgamento a fls. retro, aprovar o relatório, conhecer do recurso e,

no mérito, negar provimento ao apelo, nos termos do voto do

Desembargador Relator.

Brasília (DF), 10 de julho de 2012(data do julgamento).

BRASILINO SANTOS RAMOS

Desembargador Relator

Em, 10 de Julho de 2012 (Data do Julgamento)

Acórdão

Processo Nº RO-172-15.2012.5.10.0002

Relator

Desembargador - ALEXANDRE NERY
DE OLIVEIRA

Revisor

Desembargador - JOÃO AMÍLCAR

Recorrente

Nelson Jose Januario

Advogado

Ibaneis Rocha Barros Júnior(OAB:
11555-N/DF)

Recorrido

Cia Urbanizadora da Nova Capital do
Brasil - Novacap

Advogado

Angélica Cristina Conceição
Dutra(OAB: 10752-N/DF)

EMENTA:

EMPREGADO DE EMPRESA PÚBLICA LOCAL (NOVACAP):

GRATIFICAÇÃO DE TITULAÇÃO: REQUISITOS DA LEI

DISTRITAL Nº 3.824/2006: IMPERTINÊNCIA DA REVOGAÇÃO

PELA LEI DISTRITAL Nº 3.881/2006 ANTE VÍCIO FORMAL DE

INCONSTITUCIONALIDADE DECLARADO EM SEDE DE AÇÃO

DIRETA PELO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO DISTRITO FEDERAL

E TERRITÓRIOS: REQUERIMENTO POSTERIOR À REVOGAÇÃO

REGULAR PELA LEI Nº 4.426/2009: DIREITO ADQUIRIDO AOS

PERCENTUAIS DECORRENTES DOS TÍTULOS OBTIDOS ANTES

DE 19/NOVEMBRO/2009, OBSERVADOS OS EFEITOS

FINANCEIROS A PARTIR DO PRIMEIRO DIA DO MÊS SEGUINTE

À APRESENTAÇÃO DO REQUERIMENTO.

Recurso obreiro conhecido e provido em parte.

DECISÃO: ACORDAM os integrantes da Egrégia Segunda Turma

do Tribunal Regional do Trabalho da Décima Região, conforme

certidão de julgamento: aprovar o relatório, conhecer o recurso

ordinário interposto pelo Reclamante e, no mérito, dar-lhe parcial

provimento para condenar a Reclamada ao pagamento da

gratificação de titulação no percentual de 4% (quatro por cento), a

partir do dia primeiro de dezembro de 2011 e honorários

assistenciais, no percentual de 15% sobre o valor da condenação,

invertendo os ônus da sucumbência e arbitrando à condenação o

valor de R$ 25.000,00 (vinte e cinco mil reais), com custas de R$

500,00 (quinhentos reais) pela Ré, nos termos do voto do Relator.

Ementa aprovada.

Brasília (DF), 04 de julho de 2012.

(data de julgamento)

Código para aferir autenticidade deste caderno: 55765

1029/2012

Tribunal Regional do Trabalho da 10ª REGIÃO

25

Data da Disponibilização: Quinta-feira, 26 de Julho de 2012

ALEXANDRE NERY DE OLIVEIRA

Desembargador Relator

Em, 04 de Julho de 2012 (Data do Julgamento)

Acórdão

Processo Nº RO-177-10.2012.5.10.0011

Relator

Desembargador - BRASILINO
SANTOS RAMOS

Revisor

Juíza - ELKE DORIS JUST

Recorrente

Domingo Leandro da Costa

Advogado

Ibaneis Rocha Barros Júnior(OAB:
11555-N/DF)

Recorrente

Cia Urbanizadora da Nova Capital do
Brasil - Novacap

Advogado

Celma Nunes Franco Osório(OAB:
19499-N/DF)

Recorrido

Os Mesmos

EMENTA: 1. GRATIFICAÇÃO DE TITULAÇÃO. LEI DISTRITAL N.º

3.824/2006. APLICAÇÃO AOS EMPREGADOS PÚBLICOS. A Lei

Distrital em referência garantiu a Gratificação de Titulação aos

servidores efetivos da Administração Direta, Autárquica e

Fundacional do Distrito Federal, bem como aos "ocupantes de

emprego público", abarcando, pois, o texto legal toda Administração

Indireta do Distrito Federal. No caso em exame, a Lei Distrital n.º

3.824/2006 que concedeu a gratificação de titulação aos

empregados públicos, aderiu ao contrato de trabalho dos

empregados por ela abrangidos e, dessa maneira, passou a

constituir direito adquirido àqueles que preencheram os requisitos

nela previstos necessários para o recebimento da referida

gratificação, independentemente de formulação de requerimento na

sua vigência, sob pena de lesão ao direito adquirido e o disposto no

artigo 468 da CLT.

2. Recurso do reclamante parcialmente conhecido e provido em

parte. Recurso adesivo da reclamada conhecido e provido em parte.

DECISÃO: ACORDAM os integrantes da Segunda Turma do

Tribunal Regional do Trabalho da 10.ª Região, conforme certidão de

julgamento a fls. retro, aprovar o relatório, conhecer parcialmente do

recurso do reclamante e, no mérito dar-lhe parcial provimento para

fixar os honorários advocatícios em 15% (quinze por cento)do valor

objeto da liquidação. Conhecer do recurso adesivo da reclamada,

rejeitar a prejudicial suscitada e, no mérito propriamente dito, dar

provimento parcial ao apelo, para limitar os efeitos financeiros da

Gratificação de Titulação a partir de 1.º/01/2012, bem como para

reduzir o percentual da gratificação de titulação para o percentual

de 4% (quatro por cento). Arbitra-se novo valor à condenação no

importe de R$ 10.000,00 (dez mil reais) e fixam-se as custas

processuais em 200,00(duzentos reais). Tudo nos termos do voto

do Desembargador Relator.

Brasília (DF),10 de julho de 2012(data do julgamento).

BRASILINO SANTOS RAMOS

Desembargador Relator

Em, 10 de Julho de 2012 (Data do Julgamento)

Acórdão

Processo Nº RO-261-08.2012.5.10.0012

Relator

Desembargador - BRASILINO
SANTOS RAMOS

Revisor

Juíza - ELKE DORIS JUST

Recorrente

Haroldo Marques de Melo

Advogado

Ibaneis Rocha Barros Júnior(OAB:
11555-N/DF)

Recorrido

Cia Urbanizadora da Nova Capital do
Brasil - Novacap

Advogado

Celma Nunes Franco Osório(OAB:
19499-N/DF)

EMENTA: 1. GRATIFICAÇÃO DE TITULAÇÃO. LEI DISTRITAL N.º

3.824/2006. APLICAÇÃO AOS EMPREGADOS PÚBLICOS. A Lei

Distrital em referência garantiu a Gratificação de Titulação aos

servidores efetivos da Administração Direta, Autárquica e

Fundacional do Distrito Federal, bem como aos "ocupantes de

emprego público", abarcando, pois, o texto legal toda Administração

Indireta do Distrito Federal. No caso em exame, a Lei Distrital n.º

3.824/2006 que concedeu a gratificação de titulação aos

empregados públicos, aderiu ao contrato de trabalho dos

empregados por ela abrangidos e, dessa maneira, passou a

constituir direito adquirido àqueles que preencheram os requisitos

nela previstos necessários para o recebimento da referida

gratificação, independentemente de formulação de requerimento na

sua vigência, sob pena de lesão ao direito adquirido e o disposto no

artigo 468 da CLT.

2. Recurso conhecido e parcialmente provido.

DECISÃO: ACORDAM os integrantes da Segunda Turma do

Tribunal Regional do Trabalho da 10.ª Região, conforme certidão de

julgamento a fls. retro, aprovar o relatório, conhecer do recurso e

rejeitar a prejudicial de prescrição total suscitada. No mérito

propriamente dito, dar provimento parcial ao apelo para condenar a

reclamada a incorporar a Gratificação de Titulação na proporção de

8% sobre o vencimento básico do laborista, bem como ao

pagamento retroativo da parcela a 1.º/12/2011, até a efetiva

integração, parcelas vencidas e vincendas, com reflexos em férias,

acrescidas de 1/3, gratificação natalina, horas extras e FGTS.

Condenar também em honorários advocatícios, no percentual de

15% (quinze por cento). Declarar que as parcelas deferidas

ostentam natureza salarial (art. 832, §3.º, da CLT), com exceção

dos reflexos em FGTS, devendo a reclamada proceder ao

recolhimento da contribuição previdenciária. Comprovados os

recolhimentos, autoriza-se a reclamada a deduzir do crédito do

reclamante os valores correspondentes à cota por ele devida,

respeitados os percentuais e o teto de contribuição, conforme art.

198 do Decreto n.º 3.048/1999. Incide, também, imposto de renda,

que será calculado na forma das instruções normativas e da

legislação vigente à época da execução do julgado. A reclamada

Código para aferir autenticidade deste caderno: 55765

1029/2012

Tribunal Regional do Trabalho da 10ª REGIÃO

26

Data da Disponibilização: Quinta-feira, 26 de Julho de 2012

comprovará também tais recolhimentos nos autos. Incidência de

correção monetária a partir do 1.º dia útil do mês subsequente ao

mês da prestação de serviços (Súmula n.º 381 do col. TST). Haverá

incidência de juros moratórios na forma simples, a partir do ingresso

da presente ação. Inverte-se o ônus da sucumbência. Custas pela

reclamada no importe de R$200,00(duzentos reais), calculadas

sobre R$10.000,00(dez mil reais), novo valor arbitrado à

condenação. Tudo nos termos do voto do Desembargador Relator.

Brasília (DF), 10 de julho de 2012(data do julgamento).

BRASILINO SANTOS RAMOS

Desembargador Relator

Em, 10 de Julho de 2012 (Data do Julgamento)

Acórdão

Processo Nº RO-293-84.2010.5.10.0011

Relator

Desembargador - BRASILINO
SANTOS RAMOS

Revisor

Juíza - ELKE DORIS JUST

Recorrente

União (Tribunal de Justiça do Distrito
Federal e Territórios - TJDFT)

Procurador

Edvard de Freitas Machado(OAB: 837-
N/DF)

Recorrido

Francisco de Assis Matias

Advogado

Rodrigo Gean Sade(OAB: 20875-
N/DF)

Recorrido

Capital Empresa de Serviços Gerais
Ltda

Advogado

Tiago Camargo Thomé Maya
Monteiro(OAB: 20660-N/DF)

EMENTA: 1. RESPONSABILIDADE SUBSIDIÁRIA.

ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. INADIMPLEMENTO DO

PRESTADOR DE SERVIÇOS QUANTO AOS CRÉDITOS

DEVIDOS AO EMPREGADO, QUE SE ATIVOU EM FAVOR DO

TOMADOR. CULPAS IN ELIGENDO E IN VIGILANDO.

EXISTÊNCIA. No Estado Democrático de Direito, que tem na

garantia jurídica o respeito à dignidade da pessoa humana um de

seus pilares, não pode a Administração Pública, seja ela direta, seja

indireta, sob pena de ofensa aos princípios constitucionais da

moralidade e da legalidade, pretender esquivar-se à

responsabilização pela inobservância dos ditames constitucionais e

legais que garantem ao trabalhador que lhe prestou serviços a

satisfação dos seus direitos, ainda mais por ser princípio

fundamental a valorização social do trabalho (CRFB/88, art. 1.º, inc.

IV). Nesse sentir, demonstradas nos autos as culpas in eligendo e in

vigilando, consubstanciadas na ausência de fiscalização eficaz na

adimplência dos haveres devidos ao laborista, obrigação contratual

e legal da prestadora de serviços, enquanto empregadora, que

desenvolveu suas atividades para o tomador, divisam-se

preenchidos os requisitos que apontam para a responsabilidade

subsidiária desta.

2. Recurso ordinário conhecido e provido em parte.

DECISÃO: ACORDAM os integrantes da Segunda Turma do

Tribunal Regional do Trabalho da 10.ª Região, conforme certidão de

julgamento a fls. retro, aprovar o relatório, conhecer do recurso

ordinário da União e, no mérito, dá-se-lhe provimento parcial para

determinar que, em relação a ela, seja aplicada a taxa de juros

diferenciada, prevista no artigo 1.º-F da Lei n.º 9.494/1997, com a

nova redação dada pela Lei n.º 11.960/2009, a partir de eventual

direcionamento da execução ao ente público, responsável

subsidiário pelos créditos obreiros. Manter o valor da condenação

fixado na origem. Tudo nos termos do voto do Desembargador

Relator.

Brasília (DF),10 de julho de 2012(data do julgamento).

BRASILINO SANTOS RAMOS

Desembargador Relator

Código para aferir autenticidade deste caderno: 55765

1029/2012

Tribunal Regional do Trabalho da 10ª REGIÃO

27

Data da Disponibilização: Quinta-feira, 26 de Julho de 2012

Em, 10 de Julho de 2012 (Data do Julgamento)

Acórdão

Processo Nº EDED-RO-293-44.2011.5.10.0013

Relator

Desembargador - MÁRIO MACEDO
FERNANDES CARON

Embargante

Sergio de Carvalho Trombini

Advogado

Elizabeth Tostes Peixoto(OAB: 7311-
N/DF)

Embargado

v.acordão

Embargado

Banco do Brasil Sa

Advogado

Leonardo Rabelo de Amorim(OAB:
24886-N/DF)

EMENTA: EMBARGOS DE DECLARAÇÃO. EQUÍVOCO NA

ANÁLISE DOS PRESSUPOSTOS PROCESSUAIS. Verificado o

equívoco na análise dos pressupostos processuais extrínsecos do

recurso, impõe-se o provimento dos embargos declaratórios e a

concessão de efeito modificativo ao julgado, na forma do artigo 897-

A da CLT. EMBARGOS DE DECLARAÇÃO. OMISSÕES.

ESCLARECIMENTOS. Merecem provimento os embargos

declaratórios apenas para se prestarem esclarecimentos, quando se

vislumbrar oportuno à plena entrega da prestação jurisdicional.

Embargos declaratórios conhecidos e parcialmente providos para

prestar esclarecimentos.

DECISÃO: ACORDAM os Desembargadores da Eg. 2ª Turma do

Tribunal Regional do Trabalho da Décima Região, em sessão

realizada na data e nos termos da respectiva certidão de julgamento

(v. fls. retro), aprovar o relatório, conhecer dos embargos de

declaração de fls. 722/723 e dar-lhes provimento para, conferindo

efeito modificativo ao julgado, conhecer dos embargos declaratórios

de fls. 693/696 e, no mérito, dar-lhes parcial provimento apenas

para prestar esclarecimentos, nos termos do voto do

Desembargador Relator.

Brasília (DF), 04 de julho de 2012 (data do julgamento).

MÁRIO MACEDO FERNANDES CARON

Desembargador RelatorEm, 04 de Julho de 2012 (Data do

Julgamento)

Acórdão

Processo Nº RO-310-79.2012.5.10.0002

Relator

Desembargador - MÁRIO MACEDO
FERNANDES CARON

Revisor

Desembargador - BRASILINO
SANTOS RAMOS

Recorrente

Elias Lopes de Farias

Advogado

Ibaneis Rocha Barros Júnior(OAB:
11555-N/DF)

Recorrido

Companhia de Planejamento do
Distrito Federal - Codeplan

Advogado

Titus Livius de Paula Senna(OAB:
26069-N/DF)

EMENTA: GRATIFICAÇÃO DE TITULAÇÃO. LEI DISTRITAL Nº

3.824/2006. EMPREGADOS DE EMPRESA PÚBLICA. A Lei

Distrital nº 3.824/2006 instituiu a gratificação de titulação tanto para

os servidores efetivos da Administração Direta, Autárquica e

Fundacional do Distrito Federal, quanto para os ocupantes de

empregos públicos (CF, art. 37, caput). No presente caso, o referido

benefício, adquirido sob os parâmetros da lei vigente à época,

integra o regime contratual do autor, nos termos do que estabelece

o art. 468 da CLT, razão pela qual o reclamante faz jus, na

qualidade de empregado de empresa pública, à percepção da

gratificação mesmo após as alterações havidas. Recurso conhecido

e provido.

I- DECISÃO: ACORDAM os Desembargadores da Egrégia Segunda

Turma do Tribunal Regional do Trabalho da Décima Região, à vista

do contido na respectiva certidão de julgamento, aprovar o relatório,

conhecer do recurso e, no mérito, dar-lhe parcial provimento para

deferir gratificação de titulação, parcelas vencidas e vincendas

(com reflexos em férias acrescidas de 1/3, 13º salário, horas extras

e FGTS) e honorários assistenciais. Incide contribuição

previdenciária sobre os valores apurados para a gratificação de

titulação, as horas extras, férias e 13º salário, ante a natureza

salarial de tais parcelas. Invertido o ônus da sucumbência, arbitra-

se à condenação o importe de R$ 1.000,00 e fixam-se as custas

processuais no valor de R$ 20,00 a cargo da reclamada, nos termos

do voto do Desembargador Relator.

Brasília (DF), 10 de julho de 2012 (data do julgamento).

MÁRIO MACEDO FERNANDES CARON

Desembargador RelatorEm, 10 de Julho de 2012 (Data do

Julgamento)

Acórdão

Processo Nº RO-376-63.2011.5.10.0012

Relator

Desembargador - BRASILINO
SANTOS RAMOS

Revisor

Juíza - ELKE DORIS JUST

Recorrente

Quesalon Distribuidora de Produtos
Farmaceuticos Ltda

Advogado

Anapaula da Silva Moreira M.
Carreira(OAB: 14884-N/DF)

Código para aferir autenticidade deste caderno: 55765

1029/2012

Tribunal Regional do Trabalho da 10ª REGIÃO

28

Data da Disponibilização: Quinta-feira, 26 de Julho de 2012

Recorrente

Infan Industria Quimica Farmaceutica
Nacional S/A

Advogado

Mari Edna Mendes Silva(OAB: 11105-
N/DF)

Recorrido

Os Mesmos

Recorrido

Acelino Abraham Ohana

Advogado

José Alves de Alencar(OAB: 5838-
N/DF)

EMENTA: 1. GRUPO ECONÔMICO. CONFIGURAÇÃO. Para a

configuração do grupo econômico é prescindível a existência de

relação hierárquica entre as empresas. É necessária a existência de

nexo relacional entre elas que caracterize ingerência ou

coordenação administrativa. Presente este requisito, configurado

está o grupo econômico.

2. VÍNCULO EMPREGATÍCIO. CONFIGURAÇÃO. Ficou

comprovado pelos elementos constantes dos autos que a relação

havida entre o reclamante e as reclamadas tratava-se de verdadeiro

vínculo empregatício, pois presentes os elementos caracterizadores

desta relação de emprego durante todo o período laborado.

Ressaiu induvidoso que a contratação do laborista como pessoa

jurídica não passou de artifício utilizado pelas reclamadas para

mascarar a verdadeira relação existente entre elas e o reclamante.

Dessa forma, forçoso concluir que a vinculação do reclamante com

as reclamadas, por meio do contrato de prestação de serviços

celebrado elas e o autor na condição de pessoa jurídica visou

mesmo a fraudar os direitos do trabalhador, estando eivado de

nulidade, a teor do art. 9.º da CLT, tal como decidido na Origem.

3. Recursos conhecidos das reclamadas em parte e desprovidos.

DECISÃO: ACORDAM os integrantes da Segunda Turma do

Tribunal Regional do Trabalho da 10.ª Região, conforme certidão de

julgamento a fls. retro, aprovar o relatório, conhecer parcial dos

recursos ordinários das reclamadas e, no mérito, negar-lhes

provimento, nos termos do voto do Desembargador Relator.

Brasília (DF),10 de julho de 2012(data do julgamento).

BRASILINO SANTOS RAMOS

Desembargador Relator

Em, 10 de Julho de 2012 (Data do Julgamento)

Acórdão

Processo Nº ED-RO-484-92.2011.5.10.0012

Relator

Desembargador - MÁRIO MACEDO
FERNANDES CARON

Embargante

Simões Lara Advogados Associados

Advogado

Daniel dos Santos Barros(OAB:
320240-N/DF)

Embargado

v.acordão

Embargado

Ana Carolina de Miranda Maciel

Advogado

Regina Sebastiana Caldeira(OAB:
15949-N/DF)

Código para aferir autenticidade deste caderno: 55765

1029/2012

Tribunal Regional do Trabalho da 10ª REGIÃO

29

Data da Disponibilização: Quinta-feira, 26 de Julho de 2012

EMENTA: EMBARGOS DECLARATÓRIOS. OMISSÃO. NÃO

OCORRÊNCIA. IMPOSSIBILIDADE DE REEXAME DA DECISÃO.

Sob a alegação de omissão, o que se revela é o inconformismo da

parte quanto ao entendimento adotado. Inconformada com a

conclusão esposada pela Turma, a parte deve recorrer mediante a

via processual adequada. Embargos conhecidos e não providos.

DECISÃO: ACORDAM os Desembargadores integrantes da

Segunda Turma do Tribunal Regional do Trabalho da Décima

Região, em sessão realizada na data e nos termos contidos na

respectiva certidão de julgamento, em aprovar o relatório, conhecer

dos embargos de declaração e, no mérito, negar-lhe provimento,

tudo nos termos do voto do Desembargador Relator.

Brasília (DF), 04 de julho de 2012 (data de julgamento).

MÁRIO MACEDO FERNANDES CARON

Desembargador RelatorEm, 04 de Julho de 2012 (Data do

Julgamento)

Acórdão

Processo Nº RO-485-04.2012.5.10.0801

Relator

Desembargador - BRASILINO
SANTOS RAMOS

Recorrente

Antonio Wilson Freire da Silva

Advogado

Sebastião Luís Vieira Machado(OAB:
1745-B/TO)

Recorrido

Servi Segurança e Vigilancia de
Instalações Ltda

Advogado

Diego Silva Camilo(OAB: 29562-N/GO)

EMENTA: 1. INTERVALO INTRAJORNADA. Tendo em vista que os

instrumentos normativos desobrigam o vigilante de promover a

assinalação do intervalo intrajornada, cumpria ao autor demonstrar

que não os usufruía. Não se desvencilhando deste encargo, nada é

devido a esse título.

2. AVISO PRÉVIO INDENIZADO. Indevido o pagamento do aviso

prévio indenizado, porquanto a prova testemunhal trazida aos autos

não foi hábil a confirmar a concessão do aviso prévio com data

retroativa.

3. Recurso conhecido e desprovido.

DECISÃO: ACORDAM os integrantes da Segunda Turma do

Tribunal Regional do Trabalho da 10.ª Região, conforme certidão de

julgamento a fls. retro, aprovar o relatório, conhecer do recurso e,

no mérito, negar-lhe provimento, nos termos do voto do

Desembargador Relator.

Brasília (DF),4 de julho de 2012(data do julgamento).

BRASILINO SANTOS RAMOS

Desembargador Relator

Código para aferir autenticidade deste caderno: 55765

1029/2012

Tribunal Regional do Trabalho da 10ª REGIÃO

30

Data da Disponibilização: Quinta-feira, 26 de Julho de 2012

Em, 04 de Julho de 2012 (Data do Julgamento)

Acórdão

Processo Nº RO-586-11.2011.5.10.0014

Relator

Desembargador - BRASILINO
SANTOS RAMOS

Revisor

Desembargador - MÁRIO MACEDO
FERNANDES CARON

Recorrente

Setec Soc de Ensino Tecnologia
Educação e Cultura

Advogado

Graziela Marise Curado de
Oliveira(OAB: 24565-N/DF)

Recorrido

Livya Graice Leite Amaral

Advogado

Antônio José da Cruz(OAB: 12595-
N/DF)

EMENTA: 1. VÍNCULO EMPREGATÍCIO. PERÍODO SEM

REGISTRO NA CTPS OBREIRA. As anotações apostas na CTPS

do empregado possuem presunção juris tantum (Súmula n.º

12/TST). Podem, assim, serem desconstituídas por meio de outras

provas. Nessa senda, cabe à autora o ônus probatório de

demonstrar que o liame de emprego ocorreu no período anterior

àquele anotado. No caso dos autos, ela se desincumbiu

satisfatoriamente do seu mister, ante o que ressaiu da prova oral.

2. REMUNERAÇÃO FIXADA PELA INSTÂNCIA DE PRIMEIRO

GRAU. JULGAMENTO EXTRA PETITA. AUSÊNCIA DE

CARACTERIZAÇÃO. Caracteriza-se o julgamento extra petita

quando o juiz profere sentença a favor do autor de natureza diversa

da pedida ou condena o réu em quantidade superior ou em objeto

diverso do que lhe foi demandado (artigo 460 do CPC). É vício

inerente ao princípio processual da vinculação da decisão ao

pedido, de modo que o magistrado deve estar adstrito ao que foi

postulado na inicial. É, ainda, extra petita, em face do disposto no

artigo 128 do mesmo Codex, a sentença que acolhe, contra o

pedido, exceção não constante da defesa do demandado, salvo se

a matéria for daquelas, cujo conhecimento de ofício pelo juiz seja

autorizado por lei. Tendo a sentença observado os limites

estabelecidos na inicial acerca da remuneração mensal da obreira,

não há falar em julgamento extra petita.

3. Recurso conhecido e desprovido

DECISÃO: ACORDAM os integrantes da Segunda Turma do

Tribunal Regional do Trabalho da 10.ª Região, conforme certidão de

julgamento a fls. retro, aprovar o relatório, conhecer do recurso e,

no mérito, negar-lhe provimento, nos termos voto do

Desembargador Relator.

Brasília (DF), 10 de julho de 2012(data do julgamento).

BRASILINO SANTOS RAMOS

Desembargador Relator

Código para aferir autenticidade deste caderno: 55765

1029/2012

Tribunal Regional do Trabalho da 10ª REGIÃO

31

Data da Disponibilização: Quinta-feira, 26 de Julho de 2012

Em, 10 de Julho de 2012 (Data do Julgamento)

Acórdão

Processo Nº RO-613-94.2011.5.10.0013

Relator

Desembargador - BRASILINO
SANTOS RAMOS

Revisor

Desembargador - MÁRIO MACEDO
FERNANDES CARON

Recorrente

Instituto Bras do Meio Ambien e dos
Rec Nat Renovaveis

Procurador

Bruno Roberto Maciel Cunha de
Maria(OAB: 60013-N/DF)

Recorrido

Carlos Alberto Viegas Guimarães

Advogado

Francisca Aires de Lima Leite(OAB:
2300-N/DF)

Recorrido

Capital Empresa de Serviços Gerais
Limitada

Advogado

Tiago Camargo Thomé Maya
Monteiro(OAB: 20660-N/DF)

EMENTA: 1. RESPONSABILIDADE SUBSIDIÁRIA.

ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. INADIMPLEMENTO DO

PRESTADOR DE SERVIÇOS QUANTO AOS CRÉDITOS

DEVIDOS À EMPREGADA, QUE SE ATIVOU EM FAVOR DO

TOMADOR. CULPAS IN ELIGENDO E IN VIGILANDO.

EXISTÊNCIA. No Estado Democrático de Direito, que tem na

garantia jurídica o respeito à dignidade da pessoa humana um de

seus pilares, não pode a Administração Pública, seja ela direta, seja

indireta, sob pena de ofensa aos princípios constitucionais da

moralidade e da legalidade, pretender esquivar-se à

responsabilização pela inobservância dos ditames constitucionais e

legais que garantem ao trabalhador que lhe prestou serviços a

satisfação dos seus direitos, ainda mais por ser princípio

fundamental a valorização social do trabalho (CRFB/88, art. 1.º, inc.

IV). Nesse sentir, demonstradas nos autos as culpas in eligendo e in

vigilando, consubstanciadas na ausência de fiscalização eficaz na

adimplência dos haveres devidos ao laborista, obrigação contratual

e legal da prestadora de serviços, na função de empregadora, que

desenvolveu suas atividades para o tomador, divisam-se

preenchidos os requisitos que apontam para a responsabilidade

subsidiária deste.

2. Recurso ordinário conhecido e desprovido.

DECISÃO: ACORDAM os integrantes da Segunda Turma do

Tribunal Regional do Trabalho da 10.ª Região, conforme certidão de

julgamento a fls. retro, aprovar o relatório, conhecer do recurso

ordinário e, no mérito, negar-lhe provimento. Tudo nos termos do

voto do Desembargador Relator.

Brasília (DF), 10 de julho de 2012(data do julgamento).

BRASILINO SANTOS RAMOS

Desembargador Relator

Em, 10 de Julho de 2012 (Data do Julgamento)

Acórdão

Código para aferir autenticidade deste caderno: 55765

1029/2012

Tribunal Regional do Trabalho da 10ª REGIÃO

32

Data da Disponibilização: Quinta-feira, 26 de Julho de 2012

Processo Nº ED-RO-622-50.2011.5.10.0015

Relator

Desembargador - MÁRIO MACEDO
FERNANDES CARON

Embargante

Fabbio Augusto de Barros Facanha
(Recurso Adesivo)

Advogado

José Eymard Loguércio(OAB: 1441-
A/DF)

Embargado

v.acordão

Embargado

Banco do Brasil Sa

Advogado

Leonardo Rabelo de Amorim(OAB:
24886-N/DF)

EMENTA: EMBARGOS DECLARATÓRIOS. ERRO MATERIAL.

CONFIGURAÇÃO. A teor do art. 897-A da CLT, os embargos de

declaração visam à correção de omissão, contradição, obscuridade,

erro material ou manifesto equívoco no exame dos pressupostos

extrínsecos do recurso. Configurado erro material quanto ao período

da condenação, os embargos devem ser acolhidos para sanar o

vício existente. EMBARGOS DE DECLARAÇÃO. OMISSÃO. NÃO-

OCORRÊNCIA. Os embargos declaratórios não são o meio

processual adequado para reexame e eventual reforma da

convicção fática ou jurídica do julgador, tampouco para a

reapreciação de provas. Sua interposição, quer para fins de

prequestionamento ou não, exige a observância das hipóteses

previstas nos arts. 535 do CPC e 897-A da CLT, as quais não se

fizeram presentes na decisão embargada. Embargos conhecidos e

parcialmente providos.

DECISÃO: ACORDAM os Desembargadores da Eg. Segunda

Turma do Tribunal Regional do Trabalho da Décima Região, à vista

do contido na respectiva certidão de julgamento, aprovar o relatório,

conhecer dos embargos de declaração e, no mérito, dar-lhes parcial

provimento para corrigir erro material a fim de que, onde se lê: "Dou,

pois, provimento ao recurso do reclamante para deferir a 7ª e a 8ª

horas trabalhadas, como extras, no período compreendido entre

10.10.2006 a 15.5.2006, nos dias em que o autor laborou em

jornada superior à 6ª diária, na qualidade de assistente de negócios,

conforme documentos coligidos ao feito. Mantém-se os reflexos já

deferidos na origem" (fl. 411-verso), leia-se: "Dou, pois, provimento

ao recurso do reclamante para deferir a 7ª e a 8ª horas trabalhadas,

como extras, no período compreendido entre 10.10.2006 a

15.5.2007, nos dias em que o autor laborou em jornada superior à

6ª diária, na qualidade de assistente de negócios, conforme

documentos coligidos ao feito. Mantém-se os reflexos já deferidos

na origem", nos termos do voto do Desembargador Relator.

Brasília (DF), 04 de julho de 2012 (data do julgamento).

MÁRIO MACEDO FERNANDES CARON

Desembargador Relator

Em, 04 de Julho de 2012 (Data do Julgamento)

Acórdão

Processo Nº RO-652-85.2011.5.10.0015

Relator

Juíza - ELKE DORIS JUST

Revisor

Desembargador - BRASILINO
SANTOS RAMOS

Recorrente

Carolina Borges

Advogado

José Eymard Loguércio(OAB: 1441-
A/DF)

Recorrido

Banco do Brasil Sa

Advogado

Ana Paula D'Avila de Souza(OAB:
31400-N/DF)

EMENTA: RECURSO ORDINÁRIO. DIFERENÇA DE CAIXA.

DESCONTO. LICITUDE.

Não há como afastar a culpa da reclamante pela destinação

indevida de numerário que detinha sob sua guarda, mormente

sendo conhecedora das normas internas do reclamado acerca de

sua responsabilidade.

Recurso não provido.

DECISÃO:

ACORDAM os Desembargadores da Egrégia Segunda Turma do

Tribunal Regional do Trabalho da Décima Região, em sessão e

conforme o contido na respectiva certidão de julgamento (v. fl.

retro), em aprovar o relatório, conhecer parcialmente do recurso

ordinário do reclamante e, no mérito, negar-lhe provimento, nos

termos do voto da Exma. Juíza Relatora.

Brasília (DF), sala de sessões (data do julgamento, v. certidão

referida).

ELKE DORIS JUST

Juíza Relatora- Convocada

Em, 10 de Julho de 2012 (Data do Julgamento)

Acórdão

Processo Nº RO-692-09.2011.5.10.0002

Relator

Desembargador - MÁRIO MACEDO
FERNANDES CARON

Revisor

Desembargador - ALEXANDRE NERY
DE OLIVEIRA

Redator

Desembargador - ALEXANDRE NERY
DE OLIVEIRA

Código para aferir autenticidade deste caderno: 55765

1029/2012

Tribunal Regional do Trabalho da 10ª REGIÃO

33

Data da Disponibilização: Quinta-feira, 26 de Julho de 2012

Recorrente

União (Ministério das Cidades)

Advogado

Luiz Felipe Cardoso de Moraes
Filho(OAB: 1172-N/DF)

Recorrido

Cleidson dos Santos Machado

Advogado

Nelson Alves Ferreira(OAB: 28308-
N/DF)

Recorrido

Orion Serviços e Eventos Ltda

Advogado

Karla Santos Porto(OAB: 18986-N/DF)

EMENTA:

ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA: TERCEIRIZAÇÃO DE SERVIÇOS:

RESPONSABILIDADE SUBSIDIÁRIA INDEVIDA.

Recurso provido: responsabilidade subsidiária excluída.

DECISÃO: ACORDAM os integrantes da Egrégia Segunda Turma

do Tribunal Regional do Trabalho da Décima Região, conforme

certidão de julgamento: aprovar o relatório, conhecer e dar

provimento ao recurso ordinário interposto pela segunda

Reclamada, tudo nos termos do voto do Desembargador Revisor

Alexandre Nery de Oliveira, designado Redator para o acórdão.

Ementa aprovada.

Brasília (DF), 27 de junho de 2012.

(data do julgamento)

ALEXANDRE NERY DE OLIVEIRA

Desembargador Revisor designado Redator para o acórdãoEm, 27

de Junho de 2012 (Data do Julgamento)

Acórdão

Processo Nº RO-725-66.2011.5.10.0012

Relator

Desembargador - MÁRIO MACEDO
FERNANDES CARON

Revisor

Desembargador - ALEXANDRE NERY
DE OLIVEIRA

Redator

Desembargador - BRASILINO
SANTOS RAMOS

Recorrente

União

Advogado

Clysses Adelina H. de Noronha(OAB:
5211-N/DF)

Recorrido

Sadia S.A.

Advogado

Carlos José Elias Júnior(OAB: 10424-
N/DF)

EMENTA: 1. APELO QUE NÃO ATACA OS FUNDAMENTOS DA

DECISÃO DO PRIMEIRO GRAU. NÃO CONHECIMENTO. ART.

514, INC. II, DO CPC. SÚMULA n.º 422 DO TST. Afigura-se inviável

o conhecimento de recurso que não investe contra os fundamentos

constantes da r. sentença originária, consoante o disposto no inc. II

do art. 514 do CPC. Inteligência da Súmula n.º 422 do col. TST.

2. Recurso ordinário não conhecido.

Eis o relatório da lavra do Exmo. Desembargador Relator, à

exceção do voto, onde prevaleceu a divergência aberta por este

Desembargador do Tribunal e Redator Designado.

" DECISÃO: ACORDAM os integrantes da Segunda Turma do

Tribunal Regional do Trabalho da 10.ª Região, conforme certidão de

julgamento a fls. retro, aprovar o relatório, não conhecer do recurso

ordinário, nos termos do voto do Desembargador Redator

Designado.

Brasília (DF), 04 de julho de 2012(data do julgamento).

BRASILINO SANTOS RAMOS

Desembargador Redator Designado

Em, 04 de Julho de 2012 (Data do Julgamento)

Acórdão

Processo Nº ED-RO-916-87.2011.5.10.0020

Relator

Desembargador - MÁRIO MACEDO
FERNANDES CARON

Embargante

Empresa Brasil de Comunicação S.A. -
Ebc

Advogado

Marco Fridolin Sommer dos
Santos(OAB: 27299-N/DF)

Embargado

v.acordão

Embargado

Marineuza Silva Dantas

Advogado

Augusta de Raeffray Barbosa
Gherardi(OAB: 24026-N/DF)

EMENTA: EMBARGOS DE DECLARAÇÃO. OMISSÃO. NÃO-

OCORRÊNCIA. Os embargos declaratórios não são o meio

processual adequado para reexame e eventual reforma da

convicção fática ou jurídica do julgador, tampouco para a

reapreciação de provas. Sua interposição, quer para fins de

prequestionamento ou não, exige a observância das hipóteses

previstas nos arts. 535 do CPC e 897-A da CLT, as quais não se

fizeram presentes na decisão embargada. Embargos conhecidos e

Código para aferir autenticidade deste caderno: 55765

1029/2012

Tribunal Regional do Trabalho da 10ª REGIÃO

34

Data da Disponibilização: Quinta-feira, 26 de Julho de 2012

não providos.

DECISÃO: ACORDAM os Desembargadores da Eg. Segunda

Turma do Tribunal Regional do Trabalho da Décima Região, à vista

do contido na respectiva certidão de julgamento, aprovar o relatório,

conhecer dos embargos de declaração e, no mérito, negar-lhes

provimento, nos termos do voto do Desembargador Relator.

Brasília (DF), 04 de julho de 2012 (data do julgamento).

MÁRIO MACEDO FERNANDES CARON

Desembargador RelatorEm, 04 de Julho de 2012 (Data do

Julgamento)

Acórdão

Processo Nº RO-984-92.2010.5.10.0013

Relator

Desembargador - MÁRIO MACEDO
FERNANDES CARON

Revisor

Desembargador - ALEXANDRE NERY
DE OLIVEIRA

Recorrente

Fundo Nacional de Desenvolvimento
da Educação

Procurador

Bruno Roberto Maciel Cunha de
Maria(OAB: 60013-N/DF)

Recorrido

Cintia Conceição de Souza

Advogado

Benedito Silvio Palma Masselli(OAB:
22726-N/DF)

Recorrido

Star Segur Engenharia Ltda- Me

Advogado

Josemar da Silva(OAB: 60509-N/MG)

EMENTA: ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. RESPONSABILIDADE

SUBSIDIÁRIA. SÚMULA Nº 331, IV, TST. Conforme já decidiu o E.

STF, no julgamento da ADC nº 16/DF, é possível a

responsabilização subsidiária da administração pública, nos

contratos de terceirização, quando o inadimplemento das

obrigações trabalhistas por parte do empregador decorrer de sua

conduta culposa, isto é, de falha ou falta de fiscalização pelo órgão

público contratante. Na hipótese dos autos, não há elementos que

demonstrem a efetiva fiscalização do ente público à prestadora dos

serviços, irregularidade esta que faz corroborar a tese da culpa in

vigilando da Administração. Conclui-se, pois, que a situação em

exame amolda-se ao contexto jurídico acima descrito, atraindo,

desta forma, a aplicação da Súmula nº 331, V, do TST.

ENQUADRAMENTO SINDICAL. ATIVIDADE PREPONDERANTE

DA EMPRESA. Apesar de não haver nos autos cópia do contrato

social da empresa, o cadastro de pessoa jurídica, por ela acostado,

traz aquelas relacionadas ao ramo de telecomunicações como

atividades secundárias da empresa. Assim, tem-se claro que o ACT

firmado entre a reclamada e o SINTTEL-MG não se aplica à

reclamante, porque, além de não representar, em regra, os

empregados da recorrente, também está limitado ao território de

Minas Gerais, localidade não abarcada pela autora, que prestava

serviços apenas nesta capital. DESCONTOS INDEVIDOS.

RESTITUIÇÃO. Não demonstrada nos autos a legitimidade dos

descontos efetuados no termo de rescisão (CLT, art. 462), impõe-se

o deferimento dos valores à reclamante. Recurso da primeira

reclamada conhecido e não provido. Recurso da segunda

reclamada conhecido e não provido.

I - DECISÃO: ACORDAM os Desembargadores da Eg. Segunda

Turma do Tribunal Regional do Trabalho da Décima Região, à vista

do contido na respectiva certidão de julgamento, aprovar o relatório,

conhecer do recurso da primeira reclamada e negar-lhe provimento;

conhecer do recurso da segunda reclamada e, no mérito, negar-lhe

provimento, nos termos do voto do Desembargador Relator.

Vencido o Desembargador Alexandre Nery de Oliveira que lhe dava

provimento.

Brasília (DF), 27 de junho de 2012 (data do julgamento).

MÁRIO MACEDO FERNANDES CARON

Desembargador RelatorEm, 27 de Junho de 2012 (Data do

Julgamento)

Acórdão

Processo Nº ED-RO-984-43.2011.5.10.0018

Relator

Desembargador - MÁRIO MACEDO
FERNANDES CARON

Embargante

Condominio do Conjunto Comercial
Brasilia Shopping And Towers

Advogado

Márcio Machado Vieira(OAB: 13458-
N/DF)

Embargado

v.acordão

Embargado

Edson Jose do Nascimento

Advogado

Hudson Linhares Batista(OAB: 9713-
N/DF)

EMENTA: EMBARGOS DE DECLARAÇÃO. OMISSÃO. NÃO-

OCORRÊNCIA. INTUITO MANIFESTAMENTE PROTELATÓRIO. A

interposição de embargos de declaração com o fito de ver sanada

suposta omissão quanto à análise de matéria explicitamente tratada

no acórdão turmário, constitui ato protelatório a enquadrar o

embargante no disposto no inciso VII do artigo 17 do CPC e a atrair

a hipótese contida no parágrafo único do artigo 538 do CPC.

Embargos conhecidos e não providos.

DECISÃO: ACORDAM os Desembargadores da Eg. Segunda

Turma do Tribunal Regional do Trabalho da Décima Região, à vista

do contido na respectiva certidão de julgamento, aprovar o relatório,

conhecer dos embargos de declaração opostos pelo reclamado às

369/370, não conhecer dos embargos de fls. 374/376 e, no mérito,

negar-lhes provimento, nos termos do voto do Desembargador

Relator. Porquanto manifestamente protelatórios os embargos,

condeno o embargante a pagar ao reclamante multa de 1% (um por

cento) sobre o valor da causa.

Brasília (DF), 04 de julho de 2012 (data do julgamento).

Código para aferir autenticidade deste caderno: 55765

1029/2012

Tribunal Regional do Trabalho da 10ª REGIÃO

35

Data da Disponibilização: Quinta-feira, 26 de Julho de 2012

MÁRIO MACEDO FERNANDES CARON

Desembargador Relator

Em, 04 de Julho de 2012 (Data do Julgamento)

Acórdão

Processo Nº RO-1026-41.2011.5.10.0811

Relator

Desembargador - MÁRIO MACEDO
FERNANDES CARON

Revisor

Desembargador - BRASILINO
SANTOS RAMOS

Recorrente

Município de Esperantina - TO

Advogado

Renato Duarte Bezerra(OAB: 4296-
N/TO)

Recorrido

Anildo de Sousa Silva

Advogado

Maiara Brandao da Silva(OAB: 4670-
N/TO)

Recorrido

Santos & Gonzaga Ltda

EMENTA: ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. DONO DA OBRA. OJSBDI

-1 Nº 191, TST. NÃO ENSEJA RESPONSABILIDADE

SUBSIDIÁRIA. Esse é o entendimento consagrado pela Subseção I

Especializada em Dissídios Individuais do TST, por meio da OJ-SDI

-1 Nº 191, porque, diferentemente do previsto no art. 455 da CLT, o

dono da obra não desenvolve atividade na área de construção,

como no presente caso, encontrando-se o empreendimento, pois,

despido de qualquer intuito de exploração econômica. Recurso

parcialmente conhecido e provido.

I- DECISÃO: ACORDAM os Desembargadores da Eg. Segunda

Turma do Tribunal Regional do Trabalho da Décima Região, à vista

do contido na respectiva certidão de julgamento, aprovar o relatório,

conhecer parcialmente do recurso e, no mérito, dar-lhe provimento

para afastar a responsabilidade subsidiária do recorrente, julgando,

ainda, prejudicado a análise das demais questões, nos termos

do voto do Desembargador Relator, que reformulou voto

anteriormente proferido juntamente com o Desembargador Revisor,

após o voto de vista proferido pelo Desembargador João Amílcar.

Brasília (DF), 04 de julho de 2012 (data do julgamento).

MÁRIO MACEDO FERNANDES CARON

Desembargador RelatorEm, 04 de Julho de 2012 (Data do

Julgamento)

Acórdão

Processo Nº RO-1028-83.2011.5.10.0011

Relator

Desembargador - MÁRIO MACEDO
FERNANDES CARON

Revisor

Juíza - ELKE DORIS JUST

Recorrente

Sata Serviços Auxiliares de Transporte
Aereo S/A (Em Recuperação Judicial)

Advogado

Ravena Cunha Lobato(OAB: 31825-
N/DF)

Recorrente

Manoel Bomfim Costa

Advogado

Rita Helena Pereira(OAB: 7284-N/DF)

Recorrido

Os Mesmos

Recorrido

Varig Logistica S.A. (Em Recuperação
Judicial)

Advogado

Tatiana de Queiroz Pereira(OAB:
21344-N/DF)

Recorrido

Total Cargo

Advogado

Oksana Paludzyszyn Meister(OAB:
35127-N/PR)

Recorrido

Taf - Transporte Aéreo Fortaleza

Recorrido

Rio - Linhas Aéreas

Advogado

Fábio Kikuthi Félix(OAB: 45510-N/PR)

EMENTA: EMPRESA EM RECUPERAÇÃO JUDICIAL. NÃO

RECOLHIMENTO DE CUSTAS E DEPÓSITO RECURSAL.

DESERÇÃO. A recuperação judicial não isenta a reclamada do

recolhimento do depósito recursal e das custas processuais.

ENQUADRAMENTO SINDICAL Verificando-se que a reclamada

não é representada pelo sindicato dos aeroviários convenente da

CCT da qual se originam os pleitos do reclamante, não há falar em

aplicação ao contrato do obreiro das cláusulas ali estipuladas

(Súmula nº 374/TST). RESPONSABILIDADE SUBSIDIÁRIA.

INEXISTÊNCIA DE DELIMITAÇÃO TEMPORAL DA PRESTAÇÃO

DE SERVIÇO. Não há como responsabilizar subsidiariamente, por

parcelas relativas a todo o período laboral não prescrito todas as

tomadoras do serviço, uma vez ser impossível a delimitação do

tempo que o reclamante emprestou sua força de trabalho a cada

uma delas. Recurso da 1ª reclamada (SATA SERVICOS

AUXILIARES DE TRANSPORTE AEREO S/A) não conhecido.

Recurso do reclamante parcialmente conhecido e parcialmente

provido.

I - DECISÃO: ACORDAM os Desembargadores da Eg. 2ª Turma do

Tribunal Regional do Trabalho da Décima Região, em sessão

realizada na data e nos termos da respectiva certidão de

julgamento, em aprovar o relatório, não conhecer do recurso da 1ª

reclamada, conhecer parcialmente do recurso do reclamante e, no

mérito, dar-lhe parcial provimento apenas para definir novo salário

base para o cálculo das verbas rescisórias, nos termos do voto do

Desembargador Relator.

Brasília (DF), 10 de julho de 2012 (data de julgamento).

MÁRIO MACEDO FERNANDES CARON

Desembargador RelatorEm, 10 de Julho de 2012 (Data do

Julgamento)

Acórdão

Processo Nº ED-RO-1081-79.2011.5.10.0006

Relator

Desembargador - MÁRIO MACEDO
FERNANDES CARON

Embargante

Serviço Federal de Processamento de
Dados (Serpro)

Advogado

Nilton da Silva Correia(OAB: 1291-
N/DF)

Embargado

v.acordão

Código para aferir autenticidade deste caderno: 55765

1029/2012

Tribunal Regional do Trabalho da 10ª REGIÃO

36

Data da Disponibilização: Quinta-feira, 26 de Julho de 2012

Embargado

Francisco Candido de Oliveira Neto

Advogado

Klaus Stenius Bezerra Camelo de
Melo(OAB: 24897-N/DF)

EMENTA: EMBARGOS DE DECLARAÇÃO. OMISSÕES NÃO

EXISTENTES. Não há de se falar em omissão no acórdão, quando

clara e efetiva a prestação jurisdicional. Embargos de declaração

conhecidos e não providos.

I - DECISÃO:

ACORDAM os Desembargadores da Eg. 2ª Turma do Tribunal

Regional do Trabalho da Décima Região, à vista do contido na

respectiva certidão de julgamento, aprovar o relatório, conhecer dos

embargos de declaração e, no mérito, negar-lhes provimento, nos

termos do voto do Desembargador Relator.

Brasília (DF), 04 de julho de 2012 (data do julgamento).

MÁRIO MACEDO FERNANDES CARON

Desembargador RelatorEm, 04 de Julho de 2012 (Data do

Julgamento)

Acórdão

Processo Nº RO-1093-51.2011.5.10.0020

Relator

Desembargador - BRASILINO
SANTOS RAMOS

Revisor

Desembargador - MÁRIO MACEDO
FERNANDES CARON

Recorrente

Caixa Economica Federal

Advogado

Elisa Alencar Menezes de Lima(OAB:
35028-N/DF)

Recorrente

Lázaro Humberto Bernardes(Recurso
Adesivo)

Advogado

Amir Pedro de Melo(OAB: 28397-
N/DF)

Recorrido

Os Mesmos

EMENTA: 1. RECURSO DA CEF. AUXÍLIO-ALIMENTAÇÃO.

NATUREZA SALARIAL X INDENIZATÓRIA. O benefício auxílio-

alimentação, pago pela Caixa Econômica Federal aos seus

empregados, durante o curso do contrato de trabalho, detém

natureza salarial até 1.º/9/1987,"posto que a partir daí as normas

jurídicas que se sucederam explicitaram a natureza indenizatória da

rubrica"(precedente do Tribunal Pleno RO n.º 00295-2008-014-10-

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->