P. 1
Fichamento 4

Fichamento 4

|Views: 0|Likes:
Publicado porAline Bezerra

More info:

Published by: Aline Bezerra on Dec 09, 2013
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

03/31/2015

pdf

text

original

Universidade Federal do Ceará Departamento de Fundamentos da Educação Disciplina Psicologia do Desenvolvimento e Aprendizagem na Adolescência Profa.

Jakeline Alencar Andrade

Fichamento 4: Desenvolvimento, educação e educação escolar: a teoria solciocultural do desenvolvimento e da aprendizagem. Rosario Cubero e Alfonso Luque

Aline Bezerra Vitaliano

2013

a origem sóciohistórica das funções psicológicas superiores. e a escola. especificamente humana. 1978).96) Temos. isto é. (p.   “Vygotsky trabalhou com os seguintes temas de pesquisa: a necessidade de encontrar um método (o método genético experimental) e uma unidade de análise (a atividade instrumental e a interação) para o estudo científico da psicologia. o objetivo da análise psicológica e seus fatores essenciais são os seguintes: 1) a análise do processo em oposição à análise do objeto. a chave da compreensão da conduta residia nas relações dialéticas que esta mantém com seu meio. a organização semiótica do pensamento.” (p. 1978). mais do que a mera descrição de um estado particular dessa conduta (Vygotsky. o objetivo pratico da psicologia é a melhoria da sociedade por meio da educação” (p. etc. o desenvolvimento não é definido como um incremento quantitativo e cumulativo constante nas capacidades dos indivíduos.96) Em primeiro lugar.96) “Centrar-se no processo mais que no produto permitiria não apenas uma descrição do funcionamento psicológico. (p. mas sim. ou seja. não descritiva. do desenvolvimento. a explicação genotípica que leva em conta a história. “Para ele. ”(p. 2) a análise que revela relações causais. Assim. portanto. permitiria uma explicação deles”. 1991). processos que se desenvolveram historicamente e cujos produtos apresentam-se diante de nós sem que possamos ter acesso à sua origem.a análise deve ser explicativa. a gênese e o desenvolvimento da conduta. portanto. o principal "laboratório" para estudar a dimensão cultural. é somente pela analise de sua evolução que é possível entender o que significa.95). a análise do próprio desenvolvimento.”(p. a educação é o processo central da humanização. 94) “Em sua concepção psicológica. 95). 95) “O estudo do desenvolvimento de qualquer processo psicológico permite descobrir sua essência ou sua natureza. 95) “Entender o comportamento humano requer. O contrário consistiria em estudar condutas que Vygotsky (1978) chamava de "fossilizadas". O MÉTODO GENÉTICO: A CONDUTA COMO A HISTÓRIA DA CONDUTA  “Para Vygotsky (Vygotsky.96) “Em poucas palavras. mas como um processo       . reais ou dinâmicas em oposição à enumeração dos traços externos de um processo. como elementos indispensáveis a análise dos processos. a importância dos instrumentos de mediação na gênese e na variabilidade cultural da consciência. as relações entre aprendizagem e desenvolvimento. 3) a análise evolutiva que retorna à fonte principal e reconstrói todos os pontos do desenvolvimento de uma determinada estrutura” (p. não só a natureza influi na conduta do ser humano. de suas origens e das transformações genéticas (Wetsch. mas as pessoas também a modificam” (p. o que é muito mais importante de acordo com os interesses de Vygotsky.” (p.

por outro. nas interações que se mantêm com outras pessoas e na participação em atividades reguladas culturalmente talvez seja o postulado emblemático da teoria históricocultural.+ a ideia de que os processos psicológicos superiores têm sua origem na vida social. o domínio microgenético refere-se a dois tipos de processos que interessavam a Vygotsky.97) A ORIGEM SOCIAL DO FUNCIONAMENTO MENTAL NO INDIVÍDUO  “*. as transformações ocorridas durante uma sessão experimental. à formação de conceitos e ao desenvolvimento da volição [.. mas há diferentes tipos de desenvolvimento ou domínios genéticos. o terceiro dos aspectos relativos à noção de desenvolvimento em Vygotsky refere-se à inexistência de uma única classe de desenvolvimento relevante para a explicação do funcionamento intelectual humano. A interiorização é a reconstrução em nível interpsicológico de uma operação intrapsicológica. 1978). A linha natural do desenvolvimento é determinada pelas características biológicas da espécie. a saber. a gênese de um ato mental singular.96) Vygotsky referiu-se a quatro domínios genéticos necessários para entender a conduta humana e os processos psicológicos.” (p. 98) “O processo envolvido na transformação das atividades ou dos fenômenos sociais em fenômenos psicológicos é o de interiorização. (p. essas reorganizações estão relacionadas com o surgimento de novas formas de mediação dos processos psicológicos ao longo do desenvolvimento.” (p.. que se refere ao desenvolvimento pessoal.98)   .96) Em segundo lugar. e. (p. a história evolutiva da espécie. Vygotsky centrou-se na comparação entre os símios superiores e os seres humanos e aceitou o princípio darwiniano da adaptação como fator explicativo das transformações (Leontiev. Esse processo converte uma operação realizada no plano externo ou social em uma que se realiza no plano interno ou psicológico. Por um lado. à memória lógica.] As relações sociais ou as relações entre as pessoas subjazem geneticamente a todas as funções e às suas relações.. (p. o ontogenético e o chamado microgenético.96) Em relação à filogênese. ou seja. transmitidas geneticamente e que em determinados aspectos fazem sua aparição de acordo com um calendário maturativo comum.97) “Qualquer função no desenvolvimento cultural do menino ou da menina aparece duas vezes. ou em dois planos. Em primeiro lugar.      no qual se dão saltos "revolucionários".96) Por último. podem-se distinguir dois planos de desenvolvimento: a linha natural e a linha cultural do desenvolvimento.” (p. capazes de mudar a própria natureza do desenvolvimento. (p. o filogenético o sociogenético.. Isso também é certo com relação à atenção voluntária. aparece entre as pessoas como uma categoria inter-psicológica e depois aparece no menino ou na menina como uma categoria intrapsicológicarea.97) No domínio ontogenético. Primeiro aparece no plano social e depois no plano psicológico.97) Por último. (p. (p. 1959/1983)(p. graças às ações com signos (Vygotsky.

vídeos.93-94 da ed. “O processo. 1981.”(P. a ZDP não é uma propriedade do indivíduo nem do domínio Interpsicológico. determinado pela capacidade de resolver independentemente um problema. cast.).” (p. p. não é uma zona estática. mas também artefatos.” (p. em que cada passo é uma construção interativa específica desse momento. como crianças e adultos com grau diverso de experiência.). 99) Os agentes ativos na zona de desenvolvimento proximal (ZDP daqui em diante) não incluem apenas pessoas. (P. etc. 100)     PARTICIPAÇÃO GUIADA.” (P. b) b) Um processo interpessoal é transformado em outro intrapessoal. acentua o fato de que esse fazer seu supõe uma reconstrução e uma transformação dos conhecimentos e dos instrumentos que são objeto de apropriação (Leontiev. pode recorrer a diferentes linguagens para resolver os problemas.100) “Wertsch (1985. e o nível de desenvolvimento potencial. diz que a ZDP é "a região dinâmica da sensibilidade na qual se pode realizar a transição do funcionamento interpsicológico para o funcionamento intrapsicológico. “Vygotsky (1978) resume em três pontos as transformações que ocorrem em tal processo: a) Uma operação que inicialmente representa uma atividade externa se reconstrói e começa a ocorrer internamente. abre diversos canais de evolução futuros. (p. Uma reconstrução na qual  . suporte informático. ou seja. que. mais uma vez. mesmo sendo transformado. 99) Em primeiro lugar. O adulto ou a criança mais competente realiza ações para que o participante menos competente possa fazer de forma compartilhada o que não é capaz de realizar sozinho. de interação com os objetos e os indivíduos e de reconstrução pessoal. c) c) A transformação de um processo interpessoal em um processo intrapessoal é o resultado de uma prolongada série de acontecimentos evolutivos. atividades que estão conectadas comas práticas de sua comunidade e com a sua história. mas dinâmica. APROPRIAÇÃO E INTERSUBJETIVIDADE  A aprendizagem pode ser compreendida como a apropriação dos recursos da cultura median-te a participação em atividades conjuntas(Rogoff. A apropriação é um processo ativo. no qual alunos e alunas aprendem graças à sua participação nas atividades desenvolvidas em comunidades de alunos.99) ZONA DE DESENVILVIMENTO PROXIMAL  Não é senão a distância entre o nível real de desenvolvimento.98)  Enquanto a adaptação implica um processo de modificação das faculdades e das características dos indivíduos por exigências do meio.” (P. “A ZPD em segundo lugar. 1990). “Um processo ativo em que o sujeito tem distintas opções semióticas. 1990). como livros. 101) O conceito de apropriação. determinado através da resolução de um problema sob a orientação de um adulto ou em colaboração com outro companheiro mais capaz. continua existindo e muda como uma forma externa de atividade durante certo tempo antes de internalizar-se definitivamente (p. por sua vez. 84da ed. A aprendizagem escolar é um fenômeno comunitário. Rogoff. esp.

particularmente na relação da fala com a atividade social e a atividade individual (Wertsch.Valsiner. transforma a fala. que. 102) “Essa concepção instrumental está indissoluvelmente ligada à tese da gênese sóciohistórica das funções psicológicas. são o professor e os colegas de sala de aula. 1988) realizado com a ajuda de outras pessoas. Os signos têm um caráter social. é primeiro uma ferramenta compartilhada com outros participantes em atividades sociais. de acordo com a lei genética do desenvolvimento cultural. é realizada mediante uma série de procedimentos de regulação da atividade conjunta (Coll e outros.” (P. em geral. 103) “A linguagem medeia a relação com os outros e. além disso.1992). “A teoria sociocultural entende a aprendizagem como um processo distribuído. Edwards e Mercer. interativo. mas na fala. pela sua participação com outros mais experientes em atividades conjuntastambém definidas pela cultura (Rogoff.e cuja natureza primordial é comunicativa (Wertsch. contextual e que é resultado da participação dos alunos em uma comunidade de prática. signos estes que se caracterizam por serem significativos . a ação humana.103) O interesse primordial de Vygotsky ao estudar os sistemas de signos utilizados na comunicação humana centrava-se não na linguagem como sistema abstrato. no contexto escolar. para depois tornar-se em uma ferramenta de diálogo interior. a relação da pessoa consigo mesma. O acesso a eles por parte dos indivíduos é assegurado por sua vinculação a uma cultura específica.” (p.são determinantes fatores pessoais.” (p.” (p. os mecanismos mediante os quais se tenta influir no desenvolvimento e na aprendizagem da criança. 1987. 1990)(p. 104) A ajuda educacional. mas como um processo de co-construção ou de construção conjunta (Driver e outros. assim como nas demais funções psicológicas superiores. produzido socialmente e encontrado pelo indivíduo em sua vida social.104) A meta educacional a ser alcançada é que o aluno se aproprie dos recur-sos da cultura. são produto das práticas culturais.o significado do signo como elemento instrumental . ou seja. 1985). OS PROCESSOS DE MEDIAÇÃO SEMIÓTICA  “O uso de um sistema de signos.104)    . isto é. 1994. o pensamento e.” (P. como a compreensão dos participantes ou a representação que construíram da situação. 1990)    A TEORIA SOIOCULTURAL E A EDUCAÇÃO ESCOLAR  “O processo de construção de conhecimentos não é mais entendido como uma realização individual. a linguagem nos seres humanos.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->