P. 1
Guia Acadêmico • Curso de Ciências Contábeis

Guia Acadêmico • Curso de Ciências Contábeis

|Views: 1.258|Likes:
Publicado porChAyNeR
Guia Academico Ciencia Contabeis UNAMA 2007
Guia Academico Ciencia Contabeis UNAMA 2007

More info:

Published by: ChAyNeR on Mar 12, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/12/2014

pdf

text

original

Guia Acadêmico • Curso de Ciências Contábeis

CURSO DE

CIÊNCIAS CONTÁBEIS

1

Universidade da Amazônia

Curso de Ciências Contábeis Universidade da Amazônia - Unama REITOR: ÉDSON RAYMUNDO PINHEIRO DE SOUZA FRANCO VICE-REITOR: ANTÔNIO DE CARVALHO VAZ PEREIRA PRÓ-REITOR DE ENSINO: MÁRIO FRANCISCO GUZZO PRÓ-REITORA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO: NÚBIA MARIA DE VASCONCELOS MACIEL DIRETOR DO CENTRO DE ESTUDOS SOCIAIS APLICADOS ILMAR LOPES COORDENADOR DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS EDGAR DE LIMA SILVA COORDENADORA ADJUNTA: ANA SABRINA SILVA FAVACHO

“Campus” Alcindo Cacela Av. Alcindo Cacela, 287 66060-902 - Belém - Pará Fone: (91) 4009-3000 Fax: (91) 3225-3909

“Campus” BR Rodovia BR-316, Km 3, 67113-901 - Ananindeua-Pará Fone: (91) 4009-9200 Fax. (91) 4009-9308

“Campus” Senador Lemos Av. Senador Lemos, 2809 66120-901 - Belém-Pará Fone: (91) 4009-7100 Fax: (91) 4009-7153

“Campus” Quintino Trav. Quintino Bocayuva, 1808 66035-190 - Belém - Pará Fone: (91) 4009-3300 Fax: (91) 3230-0622

U58

Universidade da Amazônia Curso de Ciências Contábeis: guia acadêmico. Belém: Grapel, 2007. 120 P. 1. Ciências Contábeis - Ensino superior. 2. Educação superior-guia acadêmico. 3. Guia acadêmico. Ciências Contábeis. 4. UNAMA - Curso de Ciências Contábeis. CDD: 378.2

2

Guia Acadêmico • Curso de Ciências Contábeis

Sumário

APRESENTAÇÃO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS HABILITAÇÃO PROFISSIONAL E LEGISLAÇÃO REGULADORA DA PROFISSÃO AUTORIZAÇÃO / RECONHECIMENTO HABILITAÇÃO TITULAÇÃO VAGAS INICIAIS DISCIPLINAS POR CATEGORIAS, CONFORME A ESTRUTURA CURRICULAR BÁSICA DO CURSO UMA PERSPECTIVA HISTÓRICA DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS ESTÁGIO SUPERVISIONADO ATIVIDADE DE PESQUISA NO CURSO ATIVIDADES OFERECIDAS PERSPECTIVAS DE APRENDIZADO CONTINUADO PARA O EGRESSO O MERCADO DE TRABALHO E O CAMPO DE ATUAÇÃO DO CONTADOR ATRIBUIÇÕES PRIVATIVAS DOS CONTADORES SERVIÇOS OFERECIDOS RECURSOS DISPONÍVEIS MATRIZ CURRICULAR IMPLEMENTADA - REGIME SEMESTRAL - A PARTIR DE 2004

• • • • • • • • • • • • • • • • • • •

7 9 11 11 11 11 11 12 13 14 15 15 16 16 19 21 22 22 23

3

Universidade da Amazônia

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS - 1º SEMESTRE COMPETÊNCIAS E HABILIDADES DA SÉRIE SOCIOLOGIA DAS ORGANIZAÇÕES INSTITUIÇÕES DE DIREITO LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTO MÉTODOS QUANTITATIVOS INICIAÇÃO DA CIÊNCIA CONTÁBIL CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS - 2º SEMESTRE COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS DA SÉRIE DINÂMICA PATRIMONIAL ESTATÍSTICA METODOLOGIA DA PESQUISA OPERAÇÕES FINANCEIRAS TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS - 3º SEMESTRE COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS DA SÉRIE CONTABILIDADE FINANCEIRA LEGISLAÇÃO COMERCIAL LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA E POLÍTICA FISCAL

• • • • • • • • • • • • • • • • • • •

29 31 32 34 35 37 39 41 43 44 45 47 49 51 53 55 56 58 60

4

Guia Acadêmico • Curso de Ciências Contábeis

MARKETING CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS - 4º SEMESTRE COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS DA SÉRIE CONTABILIDADE DAS OPERAÇÕES MERCANTINS ECONOMIA LEGISLAÇÃO TRABALHISTA E PREVIDENCIÁRIA PRÁTICAS CONTÁBEIS I CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS - 5º SEMESTRE COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS DA SÉRIE PRÁTICAS CONTÁBEIS II TEORIA DA CONTABILIDADE CONTABILIDADE SOCIETÁRIA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS - 6º SEMESTRE COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS DA SÉRIE ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS GERENCIAMENTO DE SISTEMAS CONTÁBEIS CONTABILIDADE DE CUSTOS CONTABILIDADE DAS INSTITUIÇÕES PÚBLICAS

• • • • • • • • • • • • • • • • • • •

62 65 67 68 70 71 73 77 79 79 82 84 86 87 89 89 92 93 95

5

Universidade da Amazônia

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS - 7º SEMESTRE COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS DA SÉRIE CONTABILIDADE DAS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS CONTABILIDADE GERENCIAL CONTABILIDADE SOCIAL PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS - 8º SEMESTRE COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS DA SÉRIE ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTO EMPRESARIAL AUDITORIA E PERÍCIA CONTÁBIL ANÁLISE DE MERCADOS CONTROLADORIA

• • • • • • • • • • • •

99 101 101 103 105 107 109 111 112 113 115 117

6

Guia Acadêmico • Curso de Ciências Contábeis

Apresentação

A cada ano este Guia Acadêmico se renova, como são renovadas as publicações, entregues aos nossos queridos
alunos no começo de nova etapa na vida universitária.

Com a construção da UNAMA.BR, na prática, a Universidade deixou de crescer fisicamente. Seu crescimento, assim
mesmo, acaba sendo percebido em vista da nossa atuação no campo virtual. Afinal, hoje estamos em muitos municípios do Estado do Pará e em muitos Estados da Federação e isto torna a UNAMA cada vez mais pujante. Quase um terço do nosso alunado, em 2006, já se constituiu no grupo de alunos do ensino a distância.

Este Guia Acadêmico, juntamente com o Guia de Informações sintetizam a Universidade. Cada aluno pode perceber
seu caminhar pelo conhecimento. Ao lê-lo e ao acompanhar a nossa trajetória, o estudante tem presente o que virá, com os conteúdos programáticos estabelecidos.

Tenho fé que esses dois Guias auxiliarão a todos na caminhada de sucesso na Universidade. Os alunos não se
perderão diante da montanha de conhecimentos que irão adquirindo e os professores também perceberão que o que estabeleceram em suas disciplinas simbolizam um roteiro seguro na caminhada para ensinar.

Desejo a todos, portanto, uma trajetória fecunda de esforço acadêmico neste ano de 2007.
Franco Édson Franco Reitor 7

Universidade da Amazônia

8

Guia Acadêmico • Curso de Ciências Contábeis

CURSO DE

CIÊNCIAS CONTÁBEIS

9

Universidade da Amazônia

10

Guia Acadêmico • Curso de Ciências Contábeis

HABILITAÇÃO DA HABILITAÇÃO PROFISSIONAL E LEGISLAÇÃO REGULADORA DA PROFISSÃO A titulação de bacharel em Ciências Contábeis foi regulada pelo Decreto Lei nº 7.988 de 22 de setembro de 1945, decreto que criou o Curso de Ciências Contábeis. O exercício da profissão de CONTADOR foi reconhecida pelo Decreto Lei nº 9.295, de 27 de maio de 1946, e sua atividade é fiscalizada a nível federal pelo Conselho Federal de Contabilidade com sede em Brasília e a nível estadual pelo Conselho Regional de Contabilidade. AUTORIZAÇÃO RECONHECIMENTO AUTORIZAÇÃO / RECONHECIMENTO O Curso de Ciências Contábeis na UNAMA foi autorizado a funcionar em 1974 pelo Decreto nº 74.331, de 29 de julho de 1974 do Ministério da Educação. O reconhecimento se deu em 1977 pelo Decreto nº 79.260, de 14 de fevereiro de 1977 também do Ministério da Educação. Sua atual estrutura curricular data de 1993 e atende a determinação do Conselho Federal de Educação através da Resolução nº 03 de 15, de outubro de 1992. HABILITAÇÃO HABILITAÇÃO O Projeto Pedagógico optou pela formação de um profissional generalista, com sólida formação acadêmica completa, na qual esteja presente a solidez conceitual da ciência, e do conhecimento de como executar os processos que compõe a sua prática. TITULAÇÃO O Curso de Ciências Contábeis da UNAMA confere ao seu concluinte o título de Bacharel em Ciências Contábeis. VAGAS INICIAIS Atualmente são oferecidas semestralmente um total de 150 vagas para ingresso via Processo Seletivo.

11

Universidade da Amazônia

CATEGORIAS TEGORIAS, DISCIPLINAS POR CATEGORIAS, CONFORME A ESTRUTURA CURRICULAR BÁSICO DO CURSO CATEGORIA Formação * CATEGORIA I – Conteúdos de Formação Básica relacionados com outras áreas de conhecimento. • • • • • • • • • • • • • Leitura e Interpretação de Texto Metodologia da Pesquisa Sociologia das Organizações Teoria Geral da Administração Instituições de Direito Métodos Quantitativos Marketing Operações Financeiras Economia Estatística Legislação Comercial Legislação Tributária e Política Fiscal Legislação Trabalhista e Previdenciária

CATEGORIA Profissionalizante. * CATEGORIA II – Conteúdos do Eixo Profissionalizante. • • • • • • • • • • 12 Iniciação à Ciência Contábil Dinâmica Patrimonial Contabilidade Financeira Contabilidade das Operações Mercantis Contabilidade Societária Estrutura das Demonstrações Contábeis Contabilidade de Custos Contabilidade Gerencial Controladoria Contabilidade Social

Guia Acadêmico • Curso de Ciências Contábeis

* CATEGORIA III – Conteúdos Contábeis Complementares e Teórico -práticas. CATEGORIA Teórico eórico-práticas. • • • • • • • • • • • Prática Contábil I Prática Contábil II Tecnologia da Informação Gerenciamento de Sistemas Contábeis Teoria da Contabilidade Contabilidade das Instituições Públicas Contabilidade das Instituições Financeiras Auditoria e Perícia Contábil Planejamento Tributário Administração Financeira e Orçamento Empresarial Análise de Mercados

CATEGORIA Formação Complementar. * CATEGORIA IV – Conteúdos de Formação Complementar. • Atividades Complementares UMA PERSPECTIVA HISTÓRICA DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Historicamente a contabilidade estava voltada às necessidades de acompanhar, controlar a evolução dos patrimônios das pessoas, dos seus proprietários. Entretanto, muito embora, essa fosse uma visão medieval, cujas necessidades de informações estavam voltadas exclusivamente para os seus proprietários, haja vista que, estes não tinham interesse e nem tão pouco necessidades de disseminar essas informações a terceiros. Com o advento do capitalismo, quando sabemos que é cada vez maior a quantidade de sociedades de capital aberto, das quais participam não apenas seus idealizadores, mas também centenas, até milhares de pessoas que contribuem para a formação do capital social, necessário para a operação do empreendimento; o processo de modernidade e globalização da economia. Temos que convir que sobre os ombros daqueles a quem cabe a responsabilidade de decidir sobre os destinos da organização, a função contábil, tem seus objetivos ampliados, no sentido de produzir informações das mais diversificadas naturezas, para que os seus usuários possam planejar, controlar, tomar decisões e realizar julgamentos com maior segurança, eficiência e eficácia, fundamentados nos princípios que 13

Universidade da Amazônia

norteiam as bases teóricas-práticas que, permitem compreender as razões de ser hoje a contabilidade o maior e mais importante sistema de informações quantitativas de todas as organizações. A contabilidade, utilizada desde os primórdios com a finalidade básica de acompanhamento das atividades realizadas pelas pessoas e/ou entidades, no sentido indispensável de controlar o comportamento de seus patrimônios, na função precípua de produção e na comparação de resultados obtidos entre períodos estabelecidos. A contabilidade faz o registro metódico e ordenado dos negócios realizados e a verificação sistemática dos resultados obtidos. Ela deve identificar, classificar e anotar as operações da entidade e de todos os fatos que de alguma forma afetam sua situação econômica, financeira ou patrimonial. Com essa acumulação de dados, convenientemente classificados, a contabilidade procura apresentar de forma ordenada o histórico das atividades da empresa, a interpretação dos resultados e, através dos relatórios produzir as informações úteis, econômicas, tempestivas e relevantes que se fizerem necessárias para o atendimento das diversas necessidades dos seus usuários. O Curso de Contabilidade teve origem no Brasil em 1931, a quando da criação e regulamentação da profissão de Contador, título concedido aos profissionais do Curso Técnico Perito-Contador. Em 1939 o Curso passa a denominar-se Curso de Ciências Contábeis. No Pará, o curso nasceu em 1950, na Universidade Federal do Pará - UFPa. Na UNAMA passou a existir a partir de 1974, nas Faculdades Integradas do Colégio Moderno - FICOM. No Brasil o curso de Ciências Contábeis já existe há 76 anos e, na UNAMA, há 33 anos, período em que já se formaram 2.891 bacharéis em Ciências Contábeis. COMPETÊNCIAS E HABILIDADES DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS • • • • Possibilitar para que o aluno aos concluir o curso tenha alcançado conhecimentos avançados que lhe permita tomar decisões em diferentes ambientes e níveis hierárquicos de forma harmoniosa à realidade e necessidade de cada momento; Usar a coerência para com ênfase e segurança emitir posicionamentos alicerçados em conceitos inerentes a ética, moral e regras estabelecidas em cada situação; Consciente de sua responsabilidade cumprir seus compromissos pessoais resguardando os interesses empresariais e de clientes; Dominar os conceitos gerais de sua formação e colocá-los em prática em qualquer função que venha assumir, possibilitando que na gerência de empreendimentos e/ou consultorias, independentemente, possa agir com independência seja qual for a origem ou cultura dos mesmos;

14

Guia Acadêmico • Curso de Ciências Contábeis

• • • •

Com a visão holística posicionar-se diante de cenários futuros estudando e apresentando as melhores alternativas de negócios; Manter uma postura científica para ir a busca soluções que venham contribuir com o aprimoramento da profissão e o avanço da ciência; Liderar equipes e manter o domínio de situações e levando as pessoas, sob seu comando, a melhor maneira de realizar tarefas com o uso das ferramentas necessárias à obtenção do melhor resultado; Desenvolver atividades que estejam em consonância aos conceitos de sustentabilidade de forma que sejam vantajosas para o crescimento regional. ESTÁGIO SUPERVISIONADO

O Sistema de Estágio Supervisionado foi extinto em razão de se haver constatado que somente 10% dos alunos que cumpriam estágios passavam por todas as etapas que compõe um departamento de contabilidade de uma empresa, fato comprovado pelos próprios supervisores de estágios. O Curso, que contava com um sistema de estágio supervisionado, trocou este esquema por um forte componente prático, dentro do próprio curso, que são as disciplinas de Práticas Contábeis e, os demais que compõem a categoria III. A partir do 4º semestre do Curso, tudo é feito para que o aluno conheça na prática, como funciona o processo contábil e saiba aplicá-lo como empreendedor na área ou como funcionário de empresas públicas ou privadas. Tal fato, entretanto, não implica a busca de desenvolver e formatar estágios, não em caráter obrigatório, mas sim opcional. ATIVIDADE DE PESQUISA NO CURSO A produção do saber formada pelo conhecimento Acadêmico, Extensão e Pesquisa, através da Produção Científica, desta forma, o curso de Ciências Contábeis contemplou em sua grade curricular a disciplina Projetos Contábeis, para incentivar o graduando à Produção de Trabalhos Científicos. A pesquisa e a produção científica no curso de Ciências Contábeis pressupõe a preparação do corpo docente e discente para uma integração com os demais cursos e setores da instituição, e também fora dela, de modo que, essas atividades respondam às questões e reclamos que possibilitem a melhora da qualidade de vida do povo amazônida.

15

Universidade da Amazônia

ATIVIDADES OFERECIDAS “O objetivo da educação superior em contabilidade deve ser o de formar contadores profissionais competentes, que possam contribuir efetivamente para a sociedade na qual exercem suas atividades e para a profissão da qual fazem parte. Para a manutenção da competência profissional, face às mudanças em andamento, torna-se imperativo que se desenvolva e mantenha a atitude de aprender a aprender. O curso de graduação em Ciências Contábeis deve supri-los de conhecimentos, habilidades e valores profissionais, bem como, de capacidade de análise crítica, suficientes para o exercício profissional nos primeiros anos e ao aprendizado contínuo, com a conseqüente adaptação às mudanças que venham a ocorrer durante suas vidas profissionais”. O Contador é hoje um profissional de grande participação no processo decisório e deve ter visão estratégica e compromisso com resultados, onde o diferencial do profissional se fará pela sua capacidade de gerar informações para o processo de planejamento, controle e tomada de decisão, com tempestividade, eficiência e eficácia. A formação desse profissional deve contemplar o desenvolvimento de habilidades múltiplas, tais como: liderança, motivação, trabalho em equipe, flexibilidade, questionamentos buscando permanentemente seu desenvolvimento intelectual e profissional. O Curso de Ciências Contábeis, objetiva a formação de um profissional, generalista, habilitado no exercício da profissão contábil no contexto social, econômico, cultural e político de uma economia globalizada, que exige um profissional diferenciado e preparado para esta nova postura. Crítico, ético, lúcido, capacitado para planejar, organizar, liderar e dirigir atividades de controle e gerenciamento contábil. Com uma visão da globalização, sem contudo, perder de vista as peculiaridades regionais. PERSPECTIVAS CONTINUADO PARA PERSPECTIVAS DE APRENDIZADO CONTINUADO PARA O EGRESSO Tem sido objeto de discussão, reflexão e preocupação, por parte das instituições educacionais, o processo de formação contínua dos egressos dos cursos de graduação nas diversas áreas de conhecimento, em função das constantes transformações por que passa o mundo, provocando efeitos de mudanças significativas nessas diversas áreas, fazendo com que os profissionais tenham uma necessidade de constante atualização. A professora Zilá A. P Moura e Silva, docente do Departa. 16

Guia Acadêmico • Curso de Ciências Contábeis

mento de Educação da Faculdade de Ciências da UNESP/Bauru estabelece em seu projeto de EDUCAÇÃO CONTINUADA – CAMINHO DA CIDADANIA que: “Da mesma forma que, durante muito tempo, a educação formal básica foi considerado tarefa para um período etário no qual o homem “completaria sua educação” no sentido de atender à exigência de aquisição de conhecimentos hábitos e maneiras de viver aceitos pela sociedade, o curso de magistério e a formação universitária vêm sendo vistos como processos com duração temporária que determinam e garantem a “formação” do profissional. Entende-se, a partir daí que o estudante deva “receber” durante seu curso todas as informações necessárias para o exercício satisfatório de sua profissão na sociedade. Considerando-se entretanto que a educação pode ser vista seguindo Dewey (1936, apud ENRICONE, 1988) como a “reconstrução ou reorganização de experiências, que esclarece e aumenta o sentido destas” e também” a aptidão do homem para dirigir o curso de experiências sucessivas “ ela deveria sair do campo exclusivo dos conhecimentos e situar-se na própria vida cotidiana, as concepções históricas de educação que se expressam nos currículos e vêm enfocando” a preparação do homem para integrá-lo ao meio ambiente” não tem mais sentido. Na medida em que a ciência progride e o mundo se torna uma aldeia por força da tecnologia e dos meios de comunicação, o homem se sente obrigado a “dominar” uma grande quantidade de conhecimentos que lhe dêem condições de participar efetivamente da vida política e cultural da nação. E “dominar”, aqui, não se coloca no sentido de “guardar na memória”, mas, no mínimo, poder lançar mão de todos os meios possíveis para encontrá-lo e usá-lo de forma adequada, no momento necessário. O processo de formação, portanto, implicaria num “continuum” (que começaria em nível de formação profissional dentro dos cursos profissionalizantes ou da universidade onde as informações básicas e fundamentais devem ser veiculadas), num processo dinâmico onde o aprendiz é o SUJEITO e o responsável por uma auto-transformação que ocorre paralelamente à SUJEITO transformação da natureza e da sociedade. O estudante não seria “formado” para exercer esta ou aquela profissão ou atividade, mas, para agir dentro de seu universo sócio-cultural e formar a sociedade que lhe convém, numa relação sumamente dialética especializante e atemporal, contextu17

Universidade da Amazônia

alizada no sentido de retornar ao passado para propor o futuro, reavaliar o presente para CONSTRUIR este mesmo futuro. A formação universitária não deveria ser vista como o ponto final, mas como o ponto de partida que determina, como prática, a qualidade do processo como um todo. Considerando esta última afirmação como um pressuposto, é possível prever com algum grau de certeza, a necessidade de mudanças significativas no currículo dos cursos de formação de professores. Há que se pensar em transformações (se não estruturais, à princípio, pelo menos de enfoque) via das quais algumas mudanças para o currículo devem ser propostas, ou seja: Da ênfase do conteúdo à ênfase aos métodos para aquisição de conteúdo; Da separação em disciplinas a projetos interdisciplinares; Do conteúdo que interessa ao professor, ao conteúdo que interessa ao aluno; De classes e turmas estruturadas a uma organização de classes menos formal. Os pontos assinalados acima permitem que se pretenda transformar o momento de “formação” num início de processo de educação permanente, considerando a importância de privilegiar, não a quantidade, mas a qualidade das informações e das interações professor X aluno X conhecimento, no sentido de tornar o aluno apto a dirigir seu próprio esforço de aprendizagem de maneira eficiente e eficaz”. A Universidade da Amazônia – Unama comungando dessa preocupação vem desenvolvendo programas de estudos continuados nessa área de conhecimento, oferecendo cursos de pós-graduação, especialização em : a) Contabilidade Gerencial; b) Auditoria e Controladoria; c) Auditoria e Perícia Contábil; d) Economia e Agribusiness; e) Finanças Públicas; f) Gestão Empresarial; g) Planejamento Tributário

18

Guia Acadêmico • Curso de Ciências Contábeis

h) Gestão Financeira e de Negócios. Atualmente, no Brasil, são oferecidos cursos de Mestrado em Ciências Contábeis na Universidade Federal do Rio de Janeiro; Ciências Contábeis e Atuarias , na Pontifícia Universidade Católica de S.Paulo; Controladoria e Contabilidade da Universidade de S.Paulo-SP; Gestão Empresarial na Fundação Getúlio Vargas no Rio de Janeiro e Doutorado em Controladoria e Contabilidade da Universidade de S.Paulo-SP . ATUAÇÃO CONTADOR O MERCADO DE TRABALHO E O CAMPO DE ATUAÇÃO DO CONTADOR O Mercado de trabalho do profissional de contabilidade sempre foi muito privilegiado, face às suas diversidades de campo de atuação, cujas potencialidades estão afetas a todas as entidades, sejam elas de natureza pública, privada ou mistas; micro, pequenas, médias e grandes. Todas, sem exceção, necessitam dos préstimos desse profissional, que pode fazê-lo através da relação de emprego efetivo, ou como prestador de serviços autônomo, ou empresarial . Dentre as diversas oportunidades de trabalho reservadas ao profissional de contabilidade, pode-se destacar: 1) No exercício profissional mais convencional, inerentes à Contabilidade Financeira desenvolvendo funções no seu Financeira, aspecto legal, fiscal e societário, voltados para os mais diversificados objetivos sociais, que formam o conjunto de atividades econômicas exploradas pelas entidades, tais como: Contabilidade das Empresas Industriais, Contabilidade das Empresas Comerciais, Contabilidade das Empresas Prestadoras de Serviços, Contabilidade Rural/ Agrícola, Contabilidade das Empresas Públicas etc. ( Atividade Privativa ( Res. CFC 560/83 ) Como Auditor O advento do capitalismo faz com que centenas e até milhares de pessoas possam participar da Auditor: formação do capital social das empresas, assim como outras fonte de recursos, sem que tenha qualquer influência na administração, mas com amplos interesses nos seus resultados, com isso torna-se imprescindível que haja um policiamento sobre aqueles a quem cabe a responsabilidade de administração do patrimônio. Isso se faz através da Técnica de Auditoria, (Atividade Privativa ( Res. CFC n.º 560/83 ), que pode ser: Interno, Interno desenvolvendo suas atividades com vínculo empregatício, voltado para os controles internos , Sistemas de Informações, Sistemas Operacionais, Sistemas de Gestão etc. Externo desenvolvendo suas atividades com independência, seja como profissional autônomo ou como empresário, Externo, nas mais diversificadas áreas de atuação. Atualmente o ramo de auditoria tem crescido de forma bastante significativa 19

2)

2.1) 2.2)

Universidade da Amazônia

no Brasil. Perito 3 ) Como Perito Contábil: 3.1) Desenvolvendo suas atividades nos conflitos de caráter judicial e extrajudicial. Atividade Privativa (Res. CFC 560/83). 3.2) Desenvolvendo atividades periciais/contábeis de apuração e avaliação de direitos e obrigações do acervo patrimonial de quaisquer entidades, em vista de liquidação, fusão, cisão, incorporação, expropriação no interesse público, ou qualquer outra forma de transformação dessas entidades, assim como em razão de entrada, retirada, exclusão ou falecimento de sócios, etc. 4) Econômico/Financeiro: Como Analista Econômico/Financeiro O sistema de globalização tem proporcionado mudanças significativas no processo de reformulação da economia mundial, dentre outras, nos controles acionários de empresas, transformações de sociedades; e a crescente necessidade de recursos etc. Decisões relevantes que requerem um conhecimento mais perfeito e profundo da situação econômica, financeira e patrimonial das empresas. Essas informações, entretanto, não costumam apresentar-se adequadamente disponíveis nos relatórios formais da contabilidade, necessitando de tratamentos especiais para que possam contribuir de maneira mais eficiente e eficaz para a tomada de decisão. Isso se faz através da técnica de análise, que também e uma atividade privativa do contador e que pode desdobra-se em:

4.1) Analista de Crédito: analista externo de entidades para fins de concessão de crédito do ponto de vista da instituição financeira e vendas a prazo; 4.2) Analista de Desempenho: analista interno que avalia indicadores de desempenho das entidades; e 4.3) Analista de Investimento: analista externo que tem o objetivo de avaliar entidades para fins de investimento em nível de mercado de capitais, novos negócios, fusões, incorporações etc. 5) Como Consultor de Empresas: A consultoria contábil permite às entidades buscarem esporadicamente especialistas em determinadas áreas a um custo menor que a manutenção de um funcionário permanente. À medida que o profissional se especializa numa determinada área, há um mercado considerável para prestação de serviços de consultor: tributos, comércio exterior, contabilidade aplicada, processamento de dados, analista de custos, analista de sistemas contábeis etc.

20

Guia Acadêmico • Curso de Ciências Contábeis

6 ) Como Empresário de Contabilidade: Sem dúvida, a área onde há maior concentração na atividade contábil. São quase 60.000 mil escritórios de contabilidade prestando serviços para milhões de empresas. 7 ) Outras Áreas: São inegáveis e necessárias as potencialidades e diversidades em que o contador pode desenvolver suas atividades profissionais, como as acima citadas, entretanto outras funções mais, podem ser implementadas, dentre elas: a) Investigador de Fraudes; b) Pesquisador Contábil; c) Escritor Contábil; d) Professor de Curso Técnico/Profissionalizante e Preparatório Para Concursos; e) Conselheiro; f) Controller; g) Controlador de Arrecadação; h) Escriturador Contábil e Fiscal; i) Fiscal de Tributos; j) Conferencista; etc. ATRIBUIÇÕES PRIVATIVAS DOS CONTADORES PRIVATIVAS CONTADORES O exercício das atividades compreendidas na Contabilidade, considerada esta sua plena amplitude e condição da Ciência Aplicada, constitui prerrogativa, sem exceção, dos contadores legalmente habilitados. O contador pode exercer as suas atividades na condição de profissional liberal ou autônomo, de empregado regido pela CLT, de servidor público, de militar, de sócio de qualquer tipo de sociedade, de diretor ou de conselheiro de quaisquer entidades, ou, em qualquer outra situação jurídica definida pela legislação, exercendo qualquer tipo de função. Essas funções poderão serás de analista, assessor, assistente, auditor interno e externo, conselheiro, consultor, controlador de arrecadação, controller, educador, escritor ou articulista técnico, escriturador contábil ou fiscal, executor subordinado, fiscal de tributos, legislador, organizador, perito, pesquisador, planejador, professor ou conferencista, redator ou revisor. Expressando o seu trabalho através de aulas, balancetes, balanços, cálculos e suas memórias, certificados, conferências, demonstrações, laudos periciais, judiciais e extrajudiciais, levantamentos, livros ou teses científicas, livros ou folhas ou fichas 21

Universidade da Amazônia

escriturados, mapas ou planilhas preenchidas ou reorganização, fluxogramas, cronogramas e outros recursos técnicos semelhantes, prestações de contas, projetos, relatórios e todas as demais formas de expressão, de acordo com as circunstâncias. SERVIÇOS OFERECIDOS A Unama, visando a possibilitar a integração teoria /prática, e a viabilizar a formação do profissional com as características previstas no seu Projeto Pedagógico, conta com dois amplos Laboratórios de Informática, com máquinas de última geração e os mais diversos “ Software” da área de Ciências Contábeis, favorecendo com que o aluno conclua seu curso com ampla base prática, além de um forte alicerce teórico, que o habilita ao exercício da profissão contábil como empreendedor ou funcionário da empresa pública ou privada. Conta ainda com Escritório Técnico de Administração e Contabilidade, Empresa Junior e Incubadora de Empresa, visando à prestação de serviços a empresa públicas e privadas e oferecendo, assim oportunidade de estágio para os alunos do curso de Ciências Contábeis. Além disso, anualmente, graças a convênio com a Receita Federal, alunos e professores do curso de Ciências Contábeis, mantém um Posto Avançado da Receita Federal, funcionando dentro do próprio “ campus” , para orientação de preenchimento e recebimento das declarações de Imposto de Renda, pessoa física e jurídica. RECURSOS DISPONÍVEIS O Curso de Ciências Contábeis funciona no campus BR. O campus BR, onde funciona o Curso de Ciências Contábeis, conta com toda a infra-estrutura necessária para seu funcionamento tais como: Biblioteca Informatizada , inclusive com acesso à Internet, com mais de 10 mil livros sob os diversos títulos, e vídeos específicos sobre as Ciências Contábeis e demais áreas de conhecimento, funcionando de segunda a sexta-feira das 08:00 às 23:00 horas e, aos sábados, das 8:00 às 12:00 horas. Conta ainda com uma Central de Atendimento, Núcleo de Estágio e da Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Extensão, além da Secretaria Acadêmica, dotada de uma infra-estrutura computacional interligada com os diversos setores do “campus” e acadêmicos sejam resolvidos no próprio “campus”. Conta, também, com um setor médico, onde estão lotados um médico e uma enfermeira, para atendimento de emergência, com áreas de lanchonetes. 22

Guia Acadêmico • Curso de Ciências Contábeis

MATRIZ CURRICULAR IMPLEMENTADA - REGIME SEMESTRAL - A PARTIR DO ANO DE 2004 CH Semanal T P CH Total T P Créditos

DISCIPLINAS / SEMESTRE

1o Semestre Instituições de Direito * Iniciação à Ciência Contábil * Sociologia das Organizações * Métodos Quantitativos Leitura e Produção de Textos * S Sub-Total 2º Semestre Metodologia da Pesquisa * Dinâmica Patrimonial Estatística Operações Financeiras Teoria Geral da Administração * Sub-Total 3o Semestre Contabilidade Financeira Legislação Comercial * Legislação Trib. e Política Fiscal Marketing Sub-Total

04 04 04 04 04 20 04 04 04 04 04 20 04 06 06 04 20

-

72 72 72 72 72 360 72 72 72 72 72 360 72 108 108 72 360

-

04 04 04 04 04 20 04 04 04 04 04 20 04 06 06 04 20

23

Universidade da Amazônia

DISCIPLINAS / SEMESTRE

CH Semanal T P

CH Total Créditos T P

4º Semestre Legislação Trabalhista e Previd. Contabilidade Operaç. Mercantis Economia * Práticas Contábeis I Sub-Total 5o Semestre Práticas Contábeis II Teoria da Contabilidade Contabilidade Societária Tecnologia da Informação S Sub-Total 6o Semestre Estrutura Demonst. Contábeis Gerenc. de Sistemas Contábeis Contabilidade de Custos Contabilidade das Inst. Públicas Sub-Total 7o Semestre Contabilidade Gerencial Contabilidade Social

04 04 06 14 06 04 02 12 06 02 06 04 18 06 04

06 06 06 02 08 02 02 -

72 72 108 252 108 72 36 ‘216 108 36 108 72 324 108 72

108 108 108 36 144 36 36 -

04 04 06 03 17 03 06 04 04 17 06 03 06 04 19 06 04

24

Guia Acadêmico • Curso de Ciências Contábeis

DISCIPLINAS / SEMESTRE

CH Semanal T P

CH Total Créditos T P

Planejamento Tributário Contabilidade Inst. Financeiras Sub-Total 8o Semestre Adm. Financ. Orçam. Empres. Auditoria e Perícia Contábil Análise de Mercados Controladoria * Atividades Complementares Sub-Total

06 04 20 06 06 04 04 20

-

108 72 360 108 108 72 72 360

144 144

06 04 20 06 06 04 04 20

Carga Horária Total Teóricas Práticas Atividades Complementares

= = = =

3.024h 2.592h 288h 144h

25

Universidade da Amazônia

IMPLEMENTAD ADA ESTRUTURA CURRICULAR IMPLEMENTAD A - REGIME SEMESTRAL ENSINO A DISTÂNCIA - A PARTIR DO ANO DE 2004 PAR ARTIR Disciplina 1 o Semestre Instituições de Direito Iniciação ã Ciência Contábil Sociologia das Organizações Leitura e Produção de Textos SubS Sub -Total 2 o Semestre Metodologia da Pesquisa Teoria Geral da Administração SubSub -Total 3 3º Semestre Legislação Comercial SubSub -Total 4 o Semestre Legislação Trab. e Previdenciária Economia SubSub -Total 5 o Semestre Teoria da Contabilidade Contabilidade Societária SubSub -Total 26 CH SEMANAL EAD Presencial 01 01 01 01 04 01 01 02 02 02 01 02 03 02 01 03 03 03 03 03 12 03 03 06 04 04 03 04 07 04 03 07 CH/TO CH/TOTAL EAD Presencial 18 18 18 18 72 18 18 36 36 36 18 36 54 36 18 54 54 54 54 54 216 54 54 108 72 72 54 72 126 72 54 126

Guia Acadêmico • Curso de Ciências Contábeis

6 o Semestre Estrutura Demonst. Contábeis Contabilidade das Inst. Públicas SubSub -Total 7 o Semestre Contabilidade Gerencial Contabilidade Social SubSub -Total 8 o Semestre Adm. Financ. Orçam. Empres. Controladoria SubSub -Total

02 01 03 02 01 03 01 01 02

04 03 07 04 03 07 05 03 08

36 18 54 36 18 54 18 18 36

72 54 126 72 54 126 90 54 144

Obs. Desmembramento da Matriz Curricular, para as disciplinas que deverão ser ministradas a distância Curricular, TO AL: CARGA HORÁRIA TOTAL Presenciais Ensino a Distância Atividades Complementares TOTAL DE CRÉDITOS CRÉDITOS 2.016 576 144 152

27

Universidade da Amazônia

28

Guia Acadêmico • Curso de Ciências Contábeis

CURSO DE

CIÊNCIAS CONTÁBEIS
1º SEMESTRE

29

Universidade da Amazônia

30

Guia Acadêmico • Curso de Ciências Contábeis

Certificação 1 2 3 4 5 Disciplinas da Série Sociologia das Organizações * Instituições de Direito * Leitura e Interpretação de Texto * Métodos Quantitativos Iniciação da Ciência Contábil * Atividades Complementares Total Carga Horária Total

Bacharel em Ciências Contábeis CargaHorária 4/72 4/72 4/72 4/72 4/72 20/360

* Os componentes identificados terão 01(uma) hora semanal oferecida na modalidade de EAD – Ensino a Distância COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS DA SÉRIE • Objetiva-se proporcionar ao alunado de Ciências Contábeis noções básicas de Direito, de modo a facilitar a compreensão da fenomenologia jurídica, fazendo com que os discentes observem os aspectos legais fundamentais na sua área de atuação contábil. Enfatizando a necessidade relevante que os discentes de Ciências Contábeis têm de relacionar à Ciência Jurídica com a Ciência Contábil; Instrumentalizar o aluno para que possa utilizar os raciocínios lógicos, críticos e analíticos, operando com valores e formulações matemáticas e estabelecendo relações formais e causais entre fenômenos; Selecionar informações das diferentes realidades sociais, que o ser social defronte-se no interior do mundo organizacional; Identificar diferentes tipologias organizacionais a partir dos modelos burocráticos públicos e privados; Interpretar dados e informações relacionados à nova realidade do mundo do trabalho; Analisar textos fundamentais para a compreensão dos diferentes usos da linguagem, analisar os diversos conceitos de texto, interpretar a realidade, tendo como pressuposto que a leitura é a base para a análise, a interpretação e a produção de textos. 31

• • • • •

Universidade da Amazônia

SOCIOLOGIA DAS ORGANIZAÇÕES * 4/72 EMENTÁRIO Sociologia Geral e das Organizações; Categorias de Análise Sociológica; Organização do Trabalho, Cultura e Poder nas Organizações; Aplicabilidade da Abordagem Sociológica Para o Campo da Teoria e Prática Administrativas. HABILIDADES E ATITUDES • • • • • • • • • Identificar e analisar a Ciência da Sociedade e reconhecer a importância do objeto de estudo sociológico; Identificar e comparar as diferentes escolas de interpretação sociológica e política dos fenômenos sociais, através do conhecimento da formação das ciências sociais; Identificar as principais categorias de análise sociológica; Saber a importância dessas categorias na formação do profissional de contabilidade; Interpretar os conceitos de trabalho, as relações capital-trabalho e as novas formas de divisão do trabalho e emprego; Comparar organizações e suas tipologias, do ponto de vista sociológico: as instituições do Estado e da sociedade civil, empresas e economia; Identificar e interpretar os novos modelos de gestão de organizações no mundo contemporâneo; Analisar a temática da cultura e do poder nas organizações e reconhecer a importância da cultura e suas implicações para as organizações; Compreender o papel decisivo das dimensões cultural e social das organizações.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO UNIDADE I SOCIOLOGIA GERAL E DAS ORGANIZAÇÕES: 1.1. Sociologia definida como ciência da Sociedade; 1.2. Objeto de Estudo Sociológico; 1.3. O que é Sociologia das Organizações; 1.4. Objeto, Método e Perspectiva. UNIDADE II CATEGORIAS DE ANÁLISE SOCIOLÓGICA: 2.1. Organização; 2.2. Burocracia; 2.3. Instituições Sociais; 2.4. Grupos Sociais. UNIDADE III ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO: 3.1. Transformação da Indústria e Organização do Trabalho; 3.2. Movimento de Reestruturação Produtiva e Mudanças nas Relações do Trabalho; 3.3. Os Aspectos Sócio-patológicos do trabalho na era da Globalização. 32

Guia Acadêmico • Curso de Ciências Contábeis

UNIDADE IV UNIDADE V

CULTURA E PODER NAS ORGANIZAÇÕES: 4.1. A Temática da Cultura e do Poder nas Organizações; 4.2. Cultura Organizacional Brasileira; 4.3. Mudanças Organizacionais e Cultura Organizacional. A APLICABILIDADE DA ABORDAGEM SOCIOLÓGICA PARA O CAMPO DA TEORIA E PRÁTICA ADMINISTRATIVAS: TEMAS LIVRES.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA BERRY, David. Idéias centrais em sociologia: uma introdução. Rio de Janeiro: Jorge Zahor, 1976. (301 B534i). DEJOURS, Christophe. A Loucura do Trabalho: Estudo de Psicopatologia do Trabalho. 5.ed. S.Paulo: Cortez, 1992. (362.2 D 327L) FLEURY, Maria Tereza: FISCHER, Rosa Maria (org.) Cultura e Poder nas Organizações. São Paulo. Atlas, 1992. (302.35 F618 c). ________________Processos e relações do trabalho no Brasil. 2 ed. São Paulo: Atlas, 1992. (331 0981 F618p). LAKATOS, Eva Maria. Sociologia da Administração. São Paulo: Atlas, 1997. (302.35 L 192i). __________________.Introdução à Sociologia. São Paulo: Atlas, 1997. (302 35 L192s). MARTINS, Carlos B. O que é Sociologia. 38.ed. São Paulo: Brasiliense, 1994. (301 M386q). WEBER, Max. Ensaios de Sociologia. 5ª . Ed. Rio de Janeiro: LTC, 1982. (301 W375e). WOOD JR, Thomaz (coord.) Mudanças Organizacional: aprofundando Temas Atuais em Administração. São Paulo: Atlas, 1995. (658.406 B876m). BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR BERNARDES, Cyro. Sociologia Aplicada à Administração: gerenciando grupos nas organizações. 4.ed. São Paulo: Atlas, 1995. (658.001 B522s). BRAVERMAN, Henry. Trabalho e Capital Monopolista – A Degradação do Trabalho no século XX. Rio de Janeiro: Guanabara, 1987. DELORENZO NETO. Sociologia Aplicada à Administração. São Paulo: Atlas. 1986. (306. 36D 3621) OLIVEIRA, Silvio L. Sociologia das Organizações: Uma Análise do Homem e das Empresas no Ambiente Competitivo. São Paulo: Pioneira, 1999. (302.35 048i) PAGÉS, Max. O Poder das Organizações. São Paulo: Atlas, 1993. (338.881 p 134p).

33

Universidade da Amazônia

INSTITUIÇÕES DE DIREITO * 4/72 EMENTÁRIO Instituições Jurídicas, Direito Civil, Direito Constitucional, Direito Administrativo, Direito Penal. HABILIDADES E ATITUDES • • • • • Identificar através de uma visão geral o papel das instituições jurídicas, enfatizando as normas jurídicas, morais e éticas, bem como a relação jurídica; Estabelecer as diferenças entre pessoa jurídica e pessoa natural; personalidade e capacidade; fatos, atos e negócios jurídicos, bem como conhecer como ocorre a sucessão de bens; Conhecer a organização do Estado Brasileiro, a estrutura e funcionamento dos poderes constituídos, identificando os tipos de leis, bem como, os direitos e garantias individuais; Interpretar os princípios fundamentais gerais da administração pública, identificando a administração pública direta e indireta observando as suas respectivas características; Conhecer a classificação geral dos crimes, identificando principalmente os tipos de crimes que podem ser cometidos pelo profissional de contabilidade no exercício de sua atividade.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO UNIDADE I UNIDADE II UNIDADE III UNIDADE IV INSTITUIÇÕES JURÍDICAS - 1.1- Direito Objetivo e Direito Subjetivo, 1.2- Fontes do Direito, 1.3Normas Éticas, 1.4- Normas Morais e Jurídicas, 1.5- Divisão do Direito, 1.6- Relação Jurídica; DIREITO CIVIL – 2.1- Pessoa Natural e Pessoa Jurídica; 2.2- Personalidade e Capacidade; 2.3Classificação dos Bens; 2.4- Fatos e Atos Jurídicos; 2.5- Sucessão; DIREITO CONSTITUCIONAL – 3.1- Formas de Estado e Governo; 3.2- Sistemas de Governo; 3.3União, Estados, Municípios e o Distrito Federal; 3.4- Os Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário; 3.5- Constituição: Tipos; 3.6- Direitos e Garantias Fundamentais; DIREITO ADMINISTRATIVO – 4.1- Princípios Gerais da Administração Pública; 4.2- Administração Direta e Indireta; 4.3- Contratos Administrativos;

34

Guia Acadêmico • Curso de Ciências Contábeis

UNIDADE V

DIREITO PENAL – 5.1- Princípios e Institutos; 5.2- Conceito e Classificação Geral do Crime; 5.3- A Pena e sua Finalidade Social.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA DOWER, Nelson Godoy Brasil. Instituições de Direito Político e Privado. Nelpa. 1999. GOMES, Orlando. Introdução ao Direito Civil. São Paulo, Forense 1974. PINHO, Rui Rebelo & NASCIMENTO, Amaury Mascaro. Lições de direito Público e Privado. São Paulo, Atlas, 1990. REALE, Miguel. Lições preliminares do Direito. São Paulo, J. Bushatski, 1994. CÓDIGO CIVIL BRASILEIRO. CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL. 1998. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR ARRUDA, R. Introdução à ciência do direito. Rio de Janeiro: Forense, 1976. GUSMÃO, Paulo Dourado de. Introdução à ciência do direito. Rio de Janeiro: Forense, 1976. MAYNEZ, Eduardo Garcia. Introcion al estúdio del derecho. México: Porrua, 1951. PAURÉRIO, Artur Machado. Teoria geral do estado. Rio de Janeiro: Forense, 1980. SOUZA, Daniel Coelho de. Introdução à ciência do direito. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1972. LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTO * 4/72 EMENTÁRIO A partir da leitura e da interpretação de textos de diferentes gêneros, refletir acerca da linguagem escrita e oral e das estruturas e mecanismos de coesão e de coerência, a fim de instrumentalizar o aluno para a produção de textos. HABILIDADES E ATITUDES • • Confrontar linguagens, estruturas textuais, a fim de estabelecer as diferenças e as semelhanças existentes entre elas; Compreender e usar diferentes linguagens, adequando-as às mais diversas situações de comunicação;

35

Universidade da Amazônia

• • • • •

Analisar, interpretar e aplicar os diversos recursos da linguagem, considerando as condições de produção e de recepção do texto; Analisar textos, comparar os fatos da língua portuguesa, a fim de obter fluência e adequação no uso da linguagem, considerando os postulados da norma padrão; Apropriar-se da terminologia empresarial, e aplicá-la adequadamente; Ler e interpretar textos relacionados ao contexto do Curso; Redigir diferentes tipos de texto, com coesão e coerência.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO UNIDADE I UNIDADE II UNIDADE III LEITURA E CONSTRUÇÃO DO SENTIDO: 1.1 Leitura como processo interativo entre leitor, autor e texto; 1.2 Sentido literal e sentidos não-literais: pressupostos e subentendidos; 1.3 Texto, contexto e intertextualidade; 1.4 Polissemia e ambigüidade LEITURA E INTERPRETAÇÃO DE TEXTOS INTERDISCIPLINARES PRODUÇÃO DE TEXTO: 3.1 Coerência: a articulação lógica das idéias; 3.2 Coesão textual – os mecanismos coesivos; a coesão gramatical, a referencial e a lexical; 3.3 O paralelismo sintático e o semântico; 3.4 O parágrafo como unidade de composição: características, organização e produção; 3.5 O texto expositivo-argumentativo; 3.6 Outros textos: requerimento, carta comercial, relatório, procuração. LINGUAGEM FORMAL: 4.1 Linguagem oral x linguagem escrita; 4.2 Emprego de palavras e expressões da língua culta; 4.3 Sintaxe de concordância e de regência; 4.4 O uso da crase; 4.5 Estrutura frasal e pontuação.

UNIDADE IV

BIBLIOGRAFIA BÁSICA ABAURRE, Maria Luíza; PONTARA, Marcela Nogueira. Português. São Paulo. Moderna. 2000 BECHARA, Evanildo. Moderna Gramática Portuguesa. Rio de Janeiro. Lucerna. 2001 CEREJA, Willian Roberto; MAGALHÃES, Teresa Cochar. Gramática Reflexiva: texto, semântica e interação. São Paulo. Atual. 1999 FARACO, Carlos Alberto e TEZZA, Cristóvão. Oficina de Texto. Petrópolis, RJ. Vozes. 2003 FIORIN, José Luiz; SAVIOLI, Francisco Platão. Lições de Texto: leitura e redação. São Paulo. Ática. 1996 MEDEIROS, João Bosco. Português Instrumental para cursos de Contabilidade, Economia e Administração. São Paulo. Atlas. 2ª ed. 36

Guia Acadêmico • Curso de Ciências Contábeis

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR BLIKSTEIN, Izidoro. Técnicas de Comunicação escrita. São Paulo. Ática. 1999. FARACO, Carlos Alberto. Prática de Texto. Rio de Janeiro. Vozes. 1992. FIORIN, José Luiz. Linguagem e Ideologia. São Paulo. Ática.1997 GRANATIC, Branca. Técnicas Básicas de Redação. São Paulo. Scipione. 1991 KLEIMAN, Ângela. Texto e Leitor – Aspectos Cognitivos da Leitura. São Paulo. Pontes. 2000 KOCH, Ingedore Vilaça. A coesão textual. São Paulo. Contexto. 1991 ORLANDI, Eni Pulcinelli. Discurso e leitura. São Paulo. Cortez. 1993 POSSENTI, Sírio. Os humores da língua: análises lingüísticas de piadas. Campinas. Mercado das Letras. 1998 SERAFINI, Maria Teresa. Como Escrever Texto. Rio de Janeiro. Globo. 1987 TRAVAGLIA, Luiz Carlos. A coerência Textual. São Paulo. Contexto. 1991. MÉTODOS QUANTITATIVOS 4/72 EMENTÁRIO Estudo das Funções Elementares; Limites; Derivadas HABILIDADES E ATITUDES • • • • • • Reconhecer e resolver situações-problema envolvendo as funções vinculando-as aos contextos matemáticos e não matemáticos Selecionar e utilizar procedimentos de cálculo (exato ou aproximado, mental ou escrito) em função da situação proposta Resolver situações-problema, envolvendo a utilização de procedimentos de decomposição, composição, transformação, ampliação e redução das expressões algébricas Distinguir em contextos variados as figuras gráficas das funções, estabelecendo relação entre elas Utilizar a matemática na interpretação e na intervenção do cotidiano, estabelecendo as devidas relações Utilizar raciocínios diferentes, indutivo e dedutivo na solução de problemas apresentados.

37

Universidade da Amazônia

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO UNIDADE I UNIDADE II UNIDADE III UNIDADE IV UNIDADE V UNIDADE VI UNIDADE VII FUNÇÕES: 1.1. O Conceito da Função; 1.2. Domínio, contra-domínio e Imagem; 1.2.1. Cálculo do Domínio de Funções Algébricas. FUNÇÃO DO 1º GRAU: 2.1. Definição, Gráfico, Domínio e Imagem, 2.2. Equação Reta conhecidos dois de seus pontos, 2.3. Condições de paralelismo e perpendicularismo, 2.4. Interseção de retas, 2.5. Estudo do sinal, 2.6. Inequações: produto e quociente. FUNÇÃO QUADRÁTICA: 3.1. Definição, Gráfico, Domínio e Imagem, 3.2. Estudo do sinal, 3.3. Inequação do 2º Grau, 3.3.1. Aplicações. FUNÇÃO EXPONENCIAL: 4.1. A operação, potenciação e suas propriedades operatórias, 4.2. Definição, gráfico, Domínio e Imagem da Função, 4.3. Funções. FUNÇÃO LOGARÍTMICA: 5.1. Definição de Logaritmo e suas propriedades operatórias, 5.2. Sistemas de Logaritmo, 5.3. Definição, Gráfico, Domínio e Imagem, 5.4. Equações. LIMITES: 6.1. Conceito, 6.2. Limites Laterais, 6.3. Propriedades e Interpretação Geométrica, 6.4. Cálculo do limite da função algébrica quando a variável tende a um valor real e quando tende para o infinito, 6.5. Continuidade de uma função 2.4. Limites indeterminados. DERIVADAS: 7.1. Definição; 7.2. Regras de derivação das funções algébricas; 7.3. Derivação das funções exponenciais e logarítmicas; 7.4. Derivadas de ordem superior; 7.5. Aplicações.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA HARIKI, Siiji, ABDOUNUR, Oscar J. Matemática aplicada à Administração, Ciências Contábeis e Economia. São Paulo, Editora Saraiva. LARSON, HOSTETLER, EDWARDS. Cálculo com aplicações. Rio de Janeiro. LTC. Editora. MEDEIROS DA SILVA, Sebastião e outros. Matemática para os Cursos de Economia, Administração, Ciências Contábeis. Vol. 1. 5. Ed. São Paulo: Atlas, 1999. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR IEZZI, Gelson . Fundamentos de Matemática Elementar. Vol. 1,2,3 e 8. São Paulo. Atual Editora, 1999.

38

Guia Acadêmico • Curso de Ciências Contábeis

INICIAÇÃO DA CIÊNCIA CONTÁBIL * 4/72 EMENTÁRIO Ciência Contábil: estrutura conceitual básica; Patrimônio: composição, equação patrimonial, aspectos e dinâmica patrimonial; Origens e Aplicações de Recursos: fluxo econômico de recursos; Conta Contábil: conceitos e plano de contas. HABILIDADES E ATITUDES • • • • • • • Situar á Ciência que ele escolheu como profissão e a sua importância na sociedade; Mostrar ao aluno o moderno papel do Contador dentro das organizações; Proporcionar fundamentação teórica da Contabilidade mesclada por situações práticas, em que o aluno já tenha o primeiro contato com as situações mais comuns da profissão contábil; Entender qual o objeto de estudo da Contabilidade e os seus componentes básicos; Discutir as variações qualitativas e quantitativas que ocorrem no Patrimônio através da dinâmica patrimonial; Mostrar e exercitar o instrumento que registra o Patrimônio e suas variações; Desenvolver conhecimentos para a percepção da importância da Ciência Contábil na gestão empresarial.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO UNIDADE I UNIDADE II UNIDADE III A CIÊNCIA CONTÁBIL: 1.1 – Evolução Histórico da Ciência da Contabilidade; 1.2 – Conceituações; 1.3 – Finalidades; 1.4 – Campo de Aplicação; 1.5 – Ramos da Contabilidade; 1.6 – Técnicas da Contabilidade; 1.7 – Usuários; 1.8 – Classificação da Contabilidade; O PATRIMÔNIO: 2.1 – Conceituações; 2.2 – Componentes: Bens, Direitos e Obrigações; 2.3 – Classificação dos Bens; 2.4 – Aspectos Patrimoniais; 2.5 – Conceito de Ativo, Passivo e Patrimônio Líquido; 2.6 –Equação do Patrimônio; 2.7 – Situações Patrimoniais; 2.8 – Dinâmica Patrimonial. ORIGENS E APLICAÇÕES: 3.1 – Abordagens Conceituais; 3.2 – Conceito de Aplicação de Recursos; 3.3 – Conceito de Origem; 3.4 – Exemplificações de Origens e Aplicações; 3.5 – Fluxo Econômico de Recursos. 39

Universidade da Amazônia

UNIDADE IV

CONTA CONTÁBIL: 4.1 – Conceituações; 4.2 – Teoria das Contas; 4.3 – Classificação das Contas; 4.4 – Função e Funcionamento das Contas; 4.5 – Plano de Contas: abordagens conceituais, importância e os elementos constitutivos.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA Crepaldi, Sílvio Aparecido. Curso Básico de Contabilidade. São Paulo: atlas, 2003. Equipe de Professores (FEA/USP). Contabilidade Introdutória. São Paulo: atlas, 2001. Franco, Hilário. Contabilidade Geral. São Paulo: Atlas, 1997. Marion, José Carlos. Contabilidade Básica. São Paulo, atlas, 2001. Ribeiro, Osni Moura. Contabilidade Geral Fácil. São Paulo: Atlas, 2002. Santos , José Luiz dos, Schmidt , Paulo, Gomes , José Mário Matsumura e Fernandes , Luciane Alves. Introdução a Contabilidade: Atualizada pela Minireforma Tributária - Lei nº 10.637/02. São Paulo: atlas, 2003. ___________, Contabilidade Geral -1 (Coleção Resumos de Contabilidade). São Paulo: Atlas, 2004. Silva, Dirson Medeiros. Contabilidade: noções básicas e fundamentais. Belém: grapel, 1989. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR Almeida, Marcelo Cavalcanti. Curso Básico de Contabilidade: introdução à metodologia da Contabilidade, Contabilidade Básica. São Paulo: Atlas, 2002. Conselho Federal de Contabilidade. Revista Brasileira de Contabilidade. Brasília: CFC, 2004. Fávero, Hamilton Luiz et alli. Contabilidade: teoria e prática – volume 1. São Paulo: Atlas, 2001. Gonçalves, Eugênio Celso. Contabilidade Geral (AFRF). São Paulo: Atlas, 2001. Greco, Alvísio et alli. Contabilidade: teoria e prática básicas. Porto Alegre: sagra-luzzatto, 2001. Neves, Silvério das Neves e Viceconti, Paulo. Contabilidade Básica. São Paulo: frase, 2002. Sá, Antônio Lopes de et al. Dicionário de Contabilidade – 9ª ed. revista e ampliada – São Paulo: Atlas, 2000.

40

Guia Acadêmico • Curso de Ciências Contábeis

CURSO DE

CIÊNCIAS CONTÁBEIS
2º SEMESTRE

41

Universidade da Amazônia

42

Guia Acadêmico • Curso de Ciências Contábeis

Certificação

Bacharel em Ciências Contábeis CargaHorária 4/72 4/72 4/72 4/72 4/72 20/360

1 2 3 4 5

Disciplinas da Série Dinâmica Patrimonial Estatística Metodologia da Pesquisa * Operações Financeiras Teoria Geral da Administração * Atividades Complementares Carga Horária Total

*

Os componentes identificados terão 01(uma) hora semanal oferecida na modalidade de EAD – Ensino a Distância. COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS DA SÉRIE

• • • • • •

Garantir fidedignidade e confiabilidade das informações, coletando, organizando, analisando e interpretando dados com metodologia adequada à situação proposta; Priorizar atividades que vinculem os conteúdos das disciplinas aos recursos metodológicos para maior eficiência nos estudos; Aplicar procedimentos normativos e metodológicos necessários para a implementação das atividades planejadas de investigação científica; Apresentar análise de informações, coletando dados sobre profissionais, setores empresariais, estruturas organizacionais, fluxo de informações, elaborando relatórios; Identificar diferentes estruturas organizacionais, analisando sua adequação, velocidade de informação e tomada de decisão; Identificar e analisar os métodos de coleta, organização, apresentação, descrição, análise e interpretação de dados para subsidiar o profissional da área contábil na tomada de decisão.

43

Universidade da Amazônia

DINÂMICA PATRIMONIAL 4/72 EMENTÁRIO Receitas e Despesas e Seus Efeitos no Patrimônio; Gestão Patrimonial: Aspectos do Patrimônio, Atos e Fatos Administrativos e Regime de Caixa e Regime de Competência. HABILIDADES E ATITUDES • • • • • • Saber discernir os conceitos gerais sobre contas de resultado e patrimoniais; Entender e saber argumentar sobre as influências que o patrimônio das pessoas pode sofrer em função das mutações patrimoniais; Mostrar capacidade de diferenciar os tipos de fatos contábeis e os momentos em que os mesmos devem ser reconhecidos e contabilizados; Saber utilizar os instrumentos básicos de contabilização; Entender a estrutura patrimonial e as vantagens e desvantagens dos resultados ao patrimônio líquido; Demonstrar a importância básica que a ética representa para o profissional de contabilidade.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO UNIDADE I RECEITAS E DESPESAS E SEUS EFEITOS NO PATRIMONIO: 1.1. Abordagens Conceituais e Definidoras; 1.1.1. Receitas; 1.1.1.1. Receitas Operacionais; 1.1.1.2. Receitas não operacionais; 1.1.2. Gasto; 1.1.2.1. De Investimento; 1.1.2.2. De Custo; 1.1.2.3. De Despesa; 1.1.2.4. De Perda; 1.2. Regras Básicas para definir receitas e sua influência no patrimônio; 1.2.1. Exercitação; 1.3. Regras Básicas para definir custo ou despesa e sua influência no patrimônio; 1.3.1. Exercitação. GESTÃO PATRIMONIAL: 2.1.Abordagens conceituais e definidoras; 2.1.1. Período administrativo, financeiro e econômico. ATOS E FATOS ADMINISTRATIVOS: 3.1. Permutativo; 3.2. Modificativo; 3.3. Mistos. REGIME DE CAIXA E COMPETENCIA: 4.1. Abordagem conceituais e definidoras; 4.2. Exercitação contemplando os aspectos tributários.

UNIDADE II UNIDADE III UNIDADE IV

44

Guia Acadêmico • Curso de Ciências Contábeis

BIBLIOGRAFIA BÁSICA Conselho Federal de Contabilidade. Princípios fundamentais de contabilidade - Resolução 750 de 29.12.1993 – Brasília: CFC, 1993. _______. Revista brasileira de contabilidade – Brasília, CFC, 2004. Equipe de professores da FEA/USP. – Contabilidade Introdutória – Coordenador Sérgio de Iudícibus – 9. ed. – São Paulo: Atlas, 1998. FRANCO, Hilário. A evolução dos princípios contábeis no Brasil – São Paulo: Atlas, 1988. _______. Contabilidade geral. – 23. ed. – São Paulo: Atlas, 1996. Fundação Instituto de Pesquisas Contábeis, Atuarias e Financeiras. Manual de contabilidade das sociedades por ações: aplicável também às demais sociedades. – 5. ed. – São Paulo: Atlas, 2003. IUDÍCIBUS, Sérgio de; MARION, José Carlos; PEREIRA, Elias. Dicionário de termos de contabilidade. 2. ed. – São Paulo: Atlas, 2003. Lei das sociedades por ações: Lei nº 6.404, de 15.12.1976, alterada pela Lei nº 9.457, de 05.05.1997 – 27. ed. – São Paulo: Atlas, 1998. LISBOA, Lázaro Plácido. Ética geral e profissional em contabilidade – 2. ed. – São Paulo: Atlas, 1997. MARION, José Carlos. Contabilidade empresarial – 9. ed. – São Paulo: Atlas, 2002. NEVES, Silvério das; VICECONTI, Paulo Eduardo V. Contabilidade Básica e estrutura das demonstrações financeiras – 9. ed.rev. e ampl. – São Paulo: Frase Editorial, 2001. PADOVEZE, Clóvis Luís. Manual de contabilidade básica: uma introdução à prática contábil – 5. ed. – São Paulo: Atlas, 2004. SÁ, Antonio Lopes de; SÁ, Ana M. Lopes de. Dicionário de contabilidade – 9. ed. rev. e ampl. – São Paulo: Atlas, 1995. ESTATÍSTICA 4/72 EMENTÁRIO Estatística Descritiva I, Estatística Descritiva II, Números Índices e Ajustamento de Curvas

45

Universidade da Amazônia

HABILIDADES E ATITUDES • • • • • • Interpretar representações estatísticas (tabelas, gráficos, expressões); Identificar o problema, compreender enunciado, formular hipótese e prever resultados; Utilizar a estatística na interpretação e na intervenção do cotidiano, estabelecendo as devidas relações; Utilizar adequadamente calculadoras, computadores reconhecendo suas limitações e potencialidades; Selecionar estratégias estatísticas de resoluções de problemas; Utilizar raciocínios diferentes, indutivo e dedutivo na solução de problemas apresentados.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO UNIDADE I UNIDADE II UNIDADE III UNIDADE IV ESTATÍSTICA DESCRITIVA I: 1.1 – Conceitos Fundamentais; 1.2 – Noções Tabulares; 1.3 – Séries Estatísticas; 1.4 – Arredondamento Numérico; 1.5 – Representação Gráficas; 1.6 – Distribuição de Freqüência; 1.7 – Aplicações na Contabilidade. ESTATÍSTICA DESCRITIVA II: 2.1 – Medidas de Tendência Central; 2.2 – Medidas de Dispersão; 2.3 – Análise de Normalidade; 2.4 - Aplicações na Contabilidade NÚMEROS-ÍNDICES: 3.1 – Conceitos de Números-Índices; 3.2 – Conceito de Relativo; 3.3 – Elo de Relativos e Relativos em Cadeia; 3.4 – Índice Agregativo Simples; 3.5 – Índice Agregativo Ponderados; 3.6 – Conceito de Defletor e de Poder Aquisitivo; 3.7 – Aplicações na Contabilidade CORRELAÇÃO E REGRESSÃO: 4.1 – Introdução; 4.2 – Gráficos de Dispersão; 4.3 – Correlação; 4.4 – Regressão; 4.5 – Aplicações na Contabilidade (com uso do recurso computacional)

BIBLIOGRAFIA BÁSICA MARTINS, Gilberto de Andrade. Estatística Geral e Aplicada. São Paulo. Editora Atlas, 2001. TOLEDO, G. Luciano. Estatística Básica. São Paulo. Editora Atlas, 1989. BUSSAB, Wilton de O & MORETINN, Pedro A. Estatística Básica. São Paulo. Editora Saraiva, 2002. FONSECA, Jairo Simon da. Curso de Estatística. São. Editora Atlas, 1988. SILVA, ELIO Medeiros, Matemática e Estatística Aplicada. Editora Atlas, São Paulo, 1999.

46

Guia Acadêmico • Curso de Ciências Contábeis

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR BRAULE, Ricardo. Estatística Aplicada com Excel para os Cursos de Administração e Economia. Editora Campos, Rio de Janeiro, 2001. DAVID, R. Anderson & DENIS J. Sweeney. Estatística Aplicada à Administração e Economia. São Paulo. Editora Pioneira, 2002. METODOLOGIA DA PESQUISA * 4/72 EMENTÁRIO Métodos e estratégias de estudo e aprendizagem; ciência e conhecimento; abordagem metodológica da ciência pesquisa: planejamento, execução e aplicação em contabilidade. HABILIDADES E ATITUDES • Fazer resumo Informativo e resumo crítico de textos científicos e/ou filosóficos, de forma normalizada; • Apresentar trabalhos acadêmicos de forma normalizada, construindo no mínimo os seguintes elementos: 1) Prétextuais: capa, folha de rosto e sumário; 2) Textuais: introdução, desenvolvimento e conclusão; 3) Pós-textuais: referências, apêndice(s) e/ou anexo(s); • Aplicar a técnica de seminário, atuando como expositor ou relator e participante; • Definir ciência, distinguindo os aspectos que fundamentam e caracterizam a ciência moderna, relacionando-a com a técnica; • Identificar no quadro classificatório das ciências a contabilidade, observando a relação de importância com as demais ciências: formais e factuais; • Diferenciar método não científico de método científico; técnica não científica de técnica científica; métodos de abordagem de métodos de procedimentos, explicando-os e relacionando-os às ciências contábeis; • Identificar a importância do método científico na área das ciências contábeis; • Distinguir pesquisa de pesquisa científica,identificando a importância, necessidade e tipos de pesquisa em contabilidade; • Identificar e explicar as fases do planejamento, execução e aplicação da pesquisa em contabilidade;

47

Universidade da Amazônia

• •

Apresentar projeto de pesquisa normalizado, contendo: tema, delimitação de tema, objetivo geral, objetivos específicos, problema, hipótese,justificativa, referencial teórico, metodologia, cronograma de atividades, orçamento, instrumentos de pesquisa e bibliografia; Construir relatório científico, observando as regras gerais de apresentação: estrutura normativa sequencial, redação e estilo.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO UNIDADE I UNIDADE II UNIDADE III UNIDADE IV UNIDADE V UNIDADE VI CIÊNCIA E CONHECIMENTO: 1.l.Conhecimento; 1.2.Tipos de Conhecimento; 1.3. Conceitos e fundamentos da ciência; 1.4. Classificação e Divisão das Ciências; 1.5. Ciência e Técnica. ABORDAGEM METODOLÓGICA DAS CIÊNCIAS: 2.l. Conceito e a importância do método cientifico; 2.2. Métodos de abordagem; 2.3. Métodos de procedimentos. PESQUISA E PLANEJAMENTO: 3.l. Conceito de pesquisa e planejamento; 3.2. Tipos de pesquisa; 3.3. Importância da investigação controlada na ciência; 3.4.Fases da pesquisa. PROJETO DE PESQUISA: 4.1. Tema e Delimitação do Tema; 4.2.Problema de Pesquisa; 4.3. Objetivos; 4.4. Hipótese; 4.5. Justificativa; 4.6. Metodologi

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->