Você está na página 1de 3

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

As seguintes orientações referem-se à apresentação de citações dentro


do texto e à elaboração de uma bibliografia e baseiam-se nas indicações
sugeridas pela APA (American Psychological Association), amplamente
aceites no meio académico e editorial.

 Referências bibliográficas dentro do texto

As ideias de outros autores devem estar claramente identificadas, quer


sejam em transcrição literal (devendo então ser colocadas entre aspas)
quer em paráfrase.

A regra mais usual é a do método autor-data, em que se indica o apelido


do autor do trabalho, seguido da data da publicação.

Exemplos:

1. Quando o nome do autor referido não faz parte do texto, o nome do


autor e a data de edição da obra são indicados entre parênteses:

Podemos afirmar que a diversidade que caracteriza os objectos materiais de qualquer cultura é
a prova de que onde há seres humanos há inovação (Basalla, 2003).
Nota : A referência a uma obra sem data leva a indicação s.d . . No caso de
serem vários os autores da obra – mais do que 3 – leva a indicação et al. a
seguir ao apelido do primeiro autor.

2. Quando o nome do autor citado faz parte do texto, só se coloca o ano


de edição da obra entre parênteses.

Seguindo a perspectiva de Basalla (2003), podemos afirmar que a diversidade que caracteriza
os objectos materiais de qualquer cultura é a prova de que onde há seres humanos há
inovação.

biblioteca@esmaior.pt 1
http://bibmaior.blogspot.com/
3. Quando se faz uma transcrição textual curta (até cerca de 3 linhas)
insere-se a transcrição no texto, entre aspas, com indicação de autor,
data da obra e página.

Procura-se ter presente que a vida social não só é variada como profunda, tendo “muitos
estratos de significado” (Berger, 1966, p. 112).

5. Quando se faz uma transcrição textual longa, esta surge separada do


texto, num bloco com linhas avançadas, a um espaço e sem aspas.

Ana Maria Pessoa (1994) comenta assim a importância da biblioteca escolar, numa escola em
mudança:
Num sistema de ensino com várias contradições é difícil encontrar o espaço merecido
para a inovação sem que esta se transforme em algo mais do que a mudança de
termos às quais não corresponde uma alteração efectiva na prática do
estabelecimento de ensino/sala de aula. (p. 19)

6. Quando se omite, altera ou acrescenta informação à citação usa-se


parênteses rectos:

“Num sistema de ensino *…+ é difícil encontrar”

biblioteca@esmaior.pt 2
http://bibmaior.blogspot.com/
Bibliografia

As referências são ordenadas por ordem alfabética pelo último nome do


primeiro autor da obra. Em termos de disposição gráfica, a primeira linha
aparece saída e as restantes retraídas. Seguem-se as normas da APA.

1. Livro

BASALLA, George (2003). A Evolução da tecnologia. Porto: Porto Editora.

2. Livro colectivo

RECKERT, Stephen e CENTENO, Y. K. (Org.) (1983). A viagem (entre o real


e o imaginário). Lisboa: Arcádia.

3. Capítulo em livro colectivo

PIMENTA, Alberto (1983). Viajar na palavra: até onde?. In Stephen Reckert


e Y. K. Centeno (Org.), A viagem (entre o real e o imaginário). Lisboa:
Arcádia, 23-43.

4. Artigo em revista científica

SANTOS, Henrique (2011). Brincar às “tecnologias”. Revista Educadores de


Infância, nº65, p. 22

5. Textos/artigos consultados a partir de sites na internet

PINTO, Ana Isabel (2010). O envolvimento da criança em contexto de


creche. Cadernos de Educação de Infância, nº 91, p. 11-19. Acedido
em 14 de Janeiro de 2011 em
http://www.apei.pt/edicoes/cei/?ide=880&sort=2010

biblioteca@esmaior.pt 3
http://bibmaior.blogspot.com/