P. 1
FOUREZ, G._A construção das ciências_Resumo informativo

FOUREZ, G._A construção das ciências_Resumo informativo

|Views: 3.853|Likes:
Publicado porMarcos Roberto Rosa
Fourez define a filosofia como uma disciplina que não fornece, fora do âmbito da ciência, uma resposta a todos os problemas não resolvidos da humanidade. Ele afirma ser uma disciplina de pensamento cuja tradição remonta bastante longe em um certo número de culturas, e que nos convida a entrar em uma tradição intelectual e a desenvolver um método, conceitos técnicos, ferramentas intelectuais que nos permite compreender certas questões.
Fourez define a filosofia como uma disciplina que não fornece, fora do âmbito da ciência, uma resposta a todos os problemas não resolvidos da humanidade. Ele afirma ser uma disciplina de pensamento cuja tradição remonta bastante longe em um certo número de culturas, e que nos convida a entrar em uma tradição intelectual e a desenvolver um método, conceitos técnicos, ferramentas intelectuais que nos permite compreender certas questões.

More info:

Categories:Types, Reviews, Book
Published by: Marcos Roberto Rosa on Mar 24, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/19/2014

pdf

text

original

FOUREZ, G. A construção das ciências: introdução à filosofia e à ética das ciências.

São Paulo, 1995: Editora da Universidade Estadual Paulista.

Resumo informativo: Capítulo 1 – Introdução

Fourez define a filosofia como uma disciplina que não fornece, fora do âmbito da ciência, uma resposta a todos os problemas não resolvidos da humanidade. Ele afirma ser uma disciplina de pensamento cuja tradição remonta bastante longe em um certo número de culturas, e que nos convida a entrar em uma tradição intelectual e a desenvolver um método, conceitos técnicos, ferramentas intelectuais que nos permite compreender certas questões. Como ferramentas (ou instrumentos) de linguagem para falar do mundo, o texto nos apresenta os códigos "restrito" e "elaborado". O primeiro fala do "como" das coisas, do mundo e das pessoas, ao passo que o segundo procura dizer algo do “porque” e do “sentido”. Este trata de interpretar os acontecimentos, o mundo, a vida humana, a sociedade. Já aquele corresponde ao interesse que têm os homens e as mulheres em colocar ordem em seu mundo, em controlá-lo e comunicar a outrem a maneira pela qual o vêem. É realmente possível alguém jamais colocar-se uma questão de ordem filosófica? Pode-se dizer: "Quanto a mim, a filosofia não me interessa?". Para abordar essa questão, Fourez nos instiga a distinguir ainda dois tipos de interesses. O primeiro liga-se à globalidade da história humana: diz respeito ao sentido dessa história. O segundo, o setorializado, concerne a uma variedade de coisas pelas quais podemos ser atraídos. Com estas colocações, o autor nos impele a refletir sobre o fato de que um único enfoque sobre algo não significa um enfoque neutro e objetivo e faz uma representação da vida como uma multiplicidade de centros de interesse dentre os quais é necessário escolher entre questões mais setoralizadas, como o cultivo de champignon , ou ao próprio mundo em que vivemos, interessando-nos pela justiça na sociedade (usando os mesmos exemplos do autor). Ainda sobre este tema, nos é apresentada a questão que considerar só haver interesses setoralizados é decidir permanecer para sempre no domínio da linguagem restrita, pelo contrário, aceitar a questão global da existência é abrir-se a uma pesquisa e a um debate em uma linguagem elaborada, iniciando uma busca de sentido.

O texto procurará levar-nos a compreender a lógica no seu sentido mais amplo, onde o termo “lógica” recobre o estudo da maneira pela qual os saberes humanos se estruturam; implica pesquisar em que condições eles podem ser considerados como válidos. Já a ética, nos é definida como a parte da filosofia que reflete sobre as escolhas que tem uma importância na vida do homem. A obra apresentada visa questionar em que medida a ciência pode nos ajudar a resolver certos problemas éticos e/ou sociopolíticos particulares, como a questão do aborto, da bioética, da corrida armamentista, etc. Segundo Fourez, à primeira vista, certos códigos éticos podem estar ligados a questões científicas, concluindo, assim, que determinadas questões científicas podem influenciar o julgamento ético. Finalmente, algumas outras questões abordadas na obra serão: “Pode a ciência dizer algo a respeito do que ‘deveria’ ser?”, ou em outros termos, pode a ciência servir de fundamento à ética? “Pode ela determinar o que é o bem ou o mal?” “O que é verdade científica?” “O que quer dizer ‘fazer’ ciência?” “Em que sentido se pode dizer que ciência é objetiva?” Com estas questões o autor nos prepara, e propõe-nos uma série de reflexões, para o que está por vir nos capítulos seguintes de sua obra.

Faculdade Municipal de Palhoça Curso de Administração - 1ª fase – 2º semestre – 2007 Disciplina de Metodologia de Pesquisa em Administração Professor Jaime Bezerra do Monte Acadêmico Marcos Roberto Rosa

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->