Você está na página 1de 11

1

UNIC – Universidade de Cuiabá


Prótese Fixa

5º SEMESTRE 2008/1

PREPAROS PROTÉTICOS
COROA METALOCERÂMICA PARA DENTES POSTERIORES

Material e instrumental
- Espelho, sonda e pinça.
- Matriz metálica
- Cunhas de Madeira
- Ponta diamantada esférica 1014. Diâmetro de 1,4mm
- Ponta diamante cilíndrica com extremidade ogival 2215 ou 3216. Diâmetro de 1,2 mm
- Ponta diamantada tronco cônica afilada 3203
- Ponta diamantada cilíndrica, com extremidade ogival. Diâmetro 1,2mm
- Lapiseira 0,5 mm
- Protetor para bancada
- Alta e baixa rotação.
- Manequim com dentes artificiais

PREPARO PARA COROA METALO CERÂMICA. DENTE POSTERIOR

Seqüência da Técnica:

1. Sulco Marginal Cervical vestibular e lingual)


- Demarcar com grafite 1,0 mm acima da margem
- Executar um sulco, seguindo a marca do grafite (Vestibular e terço proximal
profundidade de 1,2mm; 2/3 proximais e lingual 0,6 mm).

-Ponta diamantada esférica 1014 em ângulo de 45º com dente. A profundidade


corresponde a praticamente todo o diâmetro da broca em vestíbulo proximal e em
torno da metade em linguo proximal.

Professores:
Ana Carolina, Ana Cristina, Ariel Camargo, Eduardo Eugênio S. Almeida, Francisco Ricardo Botter; Gustavo
Barbosa, Luiz Fernando Casela.
2
UNIC – Universidade de Cuiabá
Prótese Fixa

2. Sulcos de Orientação: Vestibular, oclusal e lingual.


-Ponta diamantada cilíndrica com extremidade ogival, 2215 ou 3216.

-Superfície Vestibular:
- 3 sulcos: meio da face e os outros junto às faces proximais, em dois planos (2/3
cervicais e no terço oclusal).

- Profundidade: dos dois terços cervicais 1,2mm; terço oclusal a 1,5mm.


- Biselamento da cúspide funcional (vestibular).

-Superfície lingual:
- 3 sulcos: um ao meio e outros junto as proximais.
- Profundidade: 2/3 cervicais em 0,6 mm e inclinando a ponta da broca para
vestibular, tem-se 1,2 mm na junção com o terço oclusal.
- Sulcos da oclusal: 1,5mm, que já incorpora o biselamento da cúspide funcional.

- Superfície Oclusal:
- Executar um sulco no sentido proximoproximal, no sulco central de dente, na união
das cúspides.
- Ponta 1014, com profundidade de 1,2 mm.
-Executar 3 sulcos, acompanhando os planos das cúspides, com 1,2mm.

- Ponta diamantada cilíndrica, 2215 ou 3216.

Professores:
Ana Carolina, Ana Cristina, Ariel Camargo, Eduardo Eugênio S. Almeida, Francisco Ricardo Botter; Gustavo
Barbosa, Luiz Fernando Casela.
3
UNIC – Universidade de Cuiabá
Prótese Fixa

3.Desgastes Proximais

Remoção do ponto de contato proximal:


-Proteger o dente adjacente com matriz metálica, remover a área de contato proximal.
-Ponta tronco cônica afilada 3203.

4. União dos sulcos de Orientação e preparo da face proximal:


-Remover os remanescentes entre os sulcos, iniciando pela metade do dente.
Vestibular inferior: 2 planos: 2/3, 1,2mm cervicais e 1/3, 1,5 mm oclusal.
Lingual inferior: 1 plano, 1,2mm.
Oclusal: segue os planos das cúspides.

União dos preparos vestibular e lingual

-Ponta diamantada cilíndrica 2215 ou 3216

Professores:
Ana Carolina, Ana Cristina, Ariel Camargo, Eduardo Eugênio S. Almeida, Francisco Ricardo Botter; Gustavo
Barbosa, Luiz Fernando Casela.
4
UNIC – Universidade de Cuiabá
Prótese Fixa

-Profundidade:
-1/3 vestibular: 1,2 mm
-2/3 linguais: 0,6
-Terminado uma metade, proceder à outra.

5. Preparo Intra-sulcular
- Estender o prepare 0,5 mm.
- Ponta diamantada tronco cônica com extremidade arredodontada 4138, já deixa
forma de chanfro.

6. Acabamento
- Redução das superfícies axiais e oclusal com 1,2 mm de profundidade
- Redução das cúspides funcionais com 1,5 mm de profundidade
- Convergência das superfícies axiais em torno de 6º
- Ângulos arredondados
- Superfícies lisas e ausência de retenções
-Linha de terminação cervical lisa, definida em forma de chanfro ou ombro, com
angulo arredondado em vestíbulos proximais com 1,2 mm de profundidade e em
linguo proximais com 0,6 de profundidade.

Professores:
Ana Carolina, Ana Cristina, Ariel Camargo, Eduardo Eugênio S. Almeida, Francisco Ricardo Botter; Gustavo
Barbosa, Luiz Fernando Casela.
5
UNIC – Universidade de Cuiabá
Prótese Fixa

COROA METALOCERÂMICA PARA DENTES ANTERIORES

Material e instrumental
- Espelho, sonda e pinça.
- Matriz metálica
- Cunhas de Madeira
- Ponta diamantada esférica 1014. Diâmetro de 1,4mm
- Ponta diamante cilíndrica com extremidade ogival 2215 ou 3216. Diâmetro de 1,2 mm
- Ponta diamantada troncoconica afilada 3203
- Ponta diamantada cilíndrica, com extremidade ogival. Diâmetro 1,2mm
- Lapiseira 0,5 mm
- Protetor para bancada
- Alta e baixa rotação.
- Manequim com dentes artificiais

PREPARO PARA COROA METALOCERÂMICA. DENTE ANTERIOR

Seqüência da Técnica:

1. Sulco marginal cervical – vestibular e lingual

DELIMITAÇÃO CERVICAL DO PREPARO


-Demarcar com grafite 1,0 mm acima da margem gengival, na maior extensão possível,
seguindo a curva parabólica descrita pela gengiva.
Professores:
Ana Carolina, Ana Cristina, Ariel Camargo, Eduardo Eugênio S. Almeida, Francisco Ricardo Botter; Gustavo
Barbosa, Luiz Fernando Casela.
6
UNIC – Universidade de Cuiabá
Prótese Fixa

- Ponta diamantada esférica 1014 em ângulo de 45 º. A profundidade corresponde a


praticamente todo o diâmetro da ponta da broca em vestíbulo proximal e em torno da
metade em diâmetro da ponta da broca em linguoproximais.
-Executar um sulco de orientação seguindo a marca.
-Dimensões: vestibular e terço proximal profundidade 1,2 mm, 2/3 proximais e lingual
0,6 mm.

2. Sulcos de orientação: vestibular, incisal e linguo-cervical

EXECUÇÃO DE SULCOS DE ORIENTAÇÃO NAS SUPERFÍCIES AXIAIS E


INCISAIS
Superfície vestibular
-Ponta diamantada cilíndrica 2215, ou 3216. Sulcos com a profundidade da broca.
-3 sulcos na vestibular. 1/3 cervical e 2/3 incisais, seguindo os planos anatômicos e
profundidade de 1,2 mm.

Professores:
Ana Carolina, Ana Cristina, Ariel Camargo, Eduardo Eugênio S. Almeida, Francisco Ricardo Botter; Gustavo
Barbosa, Luiz Fernando Casela.
7
UNIC – Universidade de Cuiabá
Prótese Fixa

Borda Incisal
- 3 sulcos seguindo a inclinação vestíbulo lingual da superfície, na mesma localização
e orientação dos sulcos vestibulares numa profundidade de 2,0 mm.

-Ponta diamantada 2215 ou 3216. Profundidade da broca.

Área de cíngulo
- 3 sulcos eqüidistantes e paralelos com terço vestibular a 0,6 mm
-Ponta diamantada 2215 ou 3216. Profundidade de meia broca.

3 . Desgastes Proximais

REMOÇÃO DA ÁREA DE CONTATO PROXIMAL


-Proteção do dente adjacente com matriz metálica e cunha.

- Ponta diamantada cônical afilada 3203

Professores:
Ana Carolina, Ana Cristina, Ariel Camargo, Eduardo Eugênio S. Almeida, Francisco Ricardo Botter; Gustavo
Barbosa, Luiz Fernando Casela.
8
UNIC – Universidade de Cuiabá
Prótese Fixa

- Remoção da área de contato proximal e paralelamente criar espaço para posterior ponta
diamantada.

4- União dos sulcos de orientação e preparo da face proximal


-Ponta diamantada 2215 ou 3216
-Remover a estrutura restante entre os sulcos, de apenas metade do dente.
Vestibular – em 2 planos, com 1,2mm
Cíngulo – 1 plano, com 0,6 mm.
Borda incisal – 2,0 mm com a mesma orientação
Área proximal – unindo os desgastes: 1/3 vestibular, 1,2mm; 2/3 linguais 0,6mm

5. Desgaste lingual
Professores:
Ana Carolina, Ana Cristina, Ariel Camargo, Eduardo Eugênio S. Almeida, Francisco Ricardo Botter; Gustavo
Barbosa, Luiz Fernando Casela.
9
UNIC – Universidade de Cuiabá
Prótese Fixa

CONCAVIDADE PALATINA
-Sulco bem no centro da concavidade, desde a junção com a área de cíngulo ate a junção
da borda incisal, 1,2 mm de profundidade.
-Ponta 1014
-Complementar a redução de metade da superfície, com a ponta de chama 3118. 2 planos
bem definidos: área de cíngulo e concavidade palatina

6. Preparo Sub-gengival

EXTENSÃO INTRA-SULCULAR
- Estender 0,5 mm entre gengiva e margem do dente
- Ponta 4138 que deixa a forma de chanfro

7. Acabamento

- Arredondar ângulos
- Obter superfície lisa
- Linha de térrmino lisa e continua
Professores:
Ana Carolina, Ana Cristina, Ariel Camargo, Eduardo Eugênio S. Almeida, Francisco Ricardo Botter; Gustavo
Barbosa, Luiz Fernando Casela.
10
UNIC – Universidade de Cuiabá
Prótese Fixa

PREPARO PARA COROA TOTAL METÁLICA. DENTE POSTERIOR.

Obs.: A coroa total metálica deve ser idêntico ao da coroa metalocerâmica


variando apenas as dimensões dos desgastes. As brocas e a seqüência também
serão a mesma. Não existe necessidade de estender a terminação cervical para
dentro do sulco por razões estéticas.

1. Características do preparo

Professores:
Ana Carolina, Ana Cristina, Ariel Camargo, Eduardo Eugênio S. Almeida, Francisco Ricardo Botter; Gustavo
Barbosa, Luiz Fernando Casela.
11
UNIC – Universidade de Cuiabá
Prótese Fixa

- Margens são em chanferete


- Supra gengivais – 0,5mm acima do bordo da gengiva.6 mm
- Seguindo o contorno da gengiva

2. Redução oclusal
- Interessa é o espaço interoclusal!
- Paralelo às superfícies dos dentes antagonistas
- Manter a inclinação das vertentes principais
- Eliminar detalhes com espessura inferior a 1 mm

3. Acabamento e polimento final

- Melhoramento das convergências (paredes axiais)


- Polimentos das superfícies
- Melhoramento das margens da restauração – manualmente ou com contra-ângulo

BIBLIOGRAFIA

PEGORARO, L.F. et. al. Prótese Fixa, Série EAP/APCD/Artes Médicas,


v. 7, 1998.

ELIO MEZZOMO et cols. Manual de Procedimentos. São Paulo, Ed.


Santos, 2001.

SHILLINGBURG, H. T. - Fundamentos dos Preparos Dentários. S.


Paulo, Ed. Santos, 1988

SHILLINGBURG, H. T. Fundamentos de Prótese Fixa. S.Paulo, Ed.


Santos, 1983

Professores:
Ana Carolina, Ana Cristina, Ariel Camargo, Eduardo Eugênio S. Almeida, Francisco Ricardo Botter; Gustavo
Barbosa, Luiz Fernando Casela.