Ginástica

Rítmica

ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DE TORRES NOVAS

Curso de Educação Física, Desporto e Lazer

Introdução à Ginástica Rítmica nos escalões dos 6/8 anos

GINÁSTICA RÍTMICA

1

Ginástica Rítmica INDÍCE Introdução-------------------------------------------------------------------------------------------4 Breve resenha Histórica---------------------------------------------------------------------------5 Ginástica Rítmica----------------------------------------------------------------------------------6 Trampolins------------------------------------------------------------------------------------------6 Ginástica Acrobática-------------------------------------------------------------------------------6 Ginástica Aeróbica---------------------------------------------------------------------------------7 Ginástica para Todos-------------------------------------------------------------------------------7 Regras------------------------------------------------------------------------------------------------7 Aparelhos Corda. Fita. Arco e Bola---------------------------------------------------------------------------------8 Maças. Grupo---------------------------------------------------------------------------------9 Estratégias de Abordagem------------------------------------------------------------------------9 3 Princípios Gerais da Ginástica Diversão. Aptidão Física e Fundamentos------------------------------------------------------10 Diversão--------------------------------------------------------------------------------------------10 Orientações sobre como Jogar------------------------------------------------------------------11 Algumas Actividades Competitivas com o Parceiro----------------------------------------11 Algumas Actividades Coordenativas com o Parceiro----------------------------------------12 Equilíbrios aos Pares-----------------------------------------------------------------------------12 Locomoções Coordenativas aos Pares---------------------------------------------------------12 Orientação sobre como Jogar--------------------------------------------------------------------13 Aptidão Física---------------------------------------------------------------------------------13 Componentes Motoras----------------------------------------------------------------------------13 2 .

...........17 Exercícios de Base................................. Equilíbrio........17 Bibliografia................................................................................16 Apoio Invertido de Cabeça.......................................15 Progressões Enrolamento à Frente Engrupado....................................................................................................................................17 Conclusão............................................................ ..................................16 Enrolamento Atrás de Pernas Afastadas..... Coordenação...........------------15 Natureza Rotacional---------------------------------------------------------------------------15 De Movimento para Estacionário------------------------------------------------------------15 Ginástica e Aparelhos Portáteis......................Ginástica Rítmica Agilidade........... Orientação Espacial--------------------------------14 Fundamentos------------------------------------------------------------------------------------14 Habilidades que são Estacionárias-----------------------------------------------------------14 Habilidades não Estacionárias---------------------------------------------------------------15 Natureza Linear------------------------------------------------------------------.................................................................18 3 ................................................... ...........................................................................................

“mostrando a necessidade de intervenção da alma e do sentimento para guiar. como não poderia deixar de ser. p. na actualidade. e procuravam introduzir um agente emotivo ao movimento. p. A ginástica rítmica tem na sua natureza o expressar dos sentimentos através dos gestos e movimentos corporais. e podemos afirmar que a sua sistematização. participantes e interesses políticos. ela também trouxe com o expressionismo da dança e a Rítmica de Dalcroze fundamentos para a Ginástica Expressiva de Rudolf Bode. que somada à expressão corporal e às técnicas corporais formam esta modalidade desportiva tal como a conhecemos hoje. têm-se tornado um assunto internacional de grande impacto. é sua finalidade essencial. que viveram durante o século XVIII. foi ela a mediadora dessas obras para a ginástica actual. concedendo-lhe uma dimensão artística." (LANGLADE & LANGLADE. Além disso.91) 4 . ano da estrutura curricular do plano de estudos do curso de Educação Física. tanto numa sequência orgânica correcta. A contínua interacção entre ambos. Fica claro que foi com Duncan que Dalcroze se inspirou para dar vida às suas posteriores experiências pedagógico-musicais. Isadora Duncan. elevar e dar razão ao movimento” (Langlade & Langlade. que foram na verdade inspiradores para o desenvolvimento da “ginástica moderna”. faz parte do contexto da ginástica científica. como num movimento inspirado na fantasia. 1970. A ginástica em geral e a ginástica rítmica em particular.41). dinheiro. como foi inicialmente chamada. 1970. ou seja.Ginástica Rítmica INTRODUÇÃO A Unidade Curricular de Ginástica Rítmica está inserida no segundo semestre do 1º. mas também pelo seu vínculo com a dança. trazendo a ideia de dançar a música e não com a música. foi a razão das teorias de Noverre e Delsarte não se terem perdido ao longo dos anos. Desporto e Lazer. Abarca na sua criação vários professores e pensadores. não apenas pelo seu carácter desportivo. Os dois primeiros inspiradores da “ginástica moderna” foram Jean Georges Noverre e François Delsarte. arrastando uma quantidade considerável de atenção dos média. Caracteriza-se como uma prática corporal que aparece. "A finalidade da ‘Ginástica rítmica’ é o desenvolvimento do movimento em toda a actividade humana.

Em 1980. actividades atléticas e ao desporto. quando surgiram quatro grandes escolas: A Escola Inglesa. a origem da actual ginástica data do inicio do século XIX. como forma segura de montar os soldados a montar. que significa nu. onde na década de 1930 o músico e professor de Educação Física Heinrich Medau introduziu a bola. foram as Artes Cénicas. a ginástica foi reconhecido pelo Comité Olímpico Internacional integrando os Jogos de Moscovo daquele ano como desporto de apresentação. o arco e as maças na ginástica enfatizando seu uso e a interacção dos aparelhos com o corpo. Na tentativa de suavizar os movimentos bruscos praticados pelos homens na Ginástica Artística. Um dos primeiros relatos acerca do princípio da actividade física associada ao ritmo vem de Russeau (1712-1778). A história da Ginástica confunde-se com a história do homem. já para o homem pré-histórico. nasceram das réplicas de madeira e couro de cavalos reais que eram utilizados. Mas. desmontar e usar armas a cavalo e  as maças eram utilizadas para preparar fisicamente os soldados para melhor utilizarem as suas espadas. a Escola Sueca e a Escola Francesa. Em 1975 passou a ser chamada oficialmente de Ginástica Rítmica Desportiva. estão ligadas a forma de prender os soldados e gladiadores da época. Para estes autores. a Escola Alemã. saltadores e outros acrobatas aéreos. sendo a primeira mais relacionada com os jogos. ou ‘Gimnos’.  o cavalo com arções também na ginástica masculina e os saltos na ginástica artística. Segundo Langade e Langade (1970). como Pilates. até 1800 as formas comuns de exercício eram os jogos populares. expressa principalmente na necessidade vital de atacar e defender-se. A Ginástica entendida por Ramos (1982: 15) como a prática do exercício físico “vem da Pré-história. arte de fortificar o corpo e darlhe agilidade. nomeadamente:  As argolas na ginástica artística masculina. afirma-se na Antiguidade. O exercício físico de carácter utilitário e sistematizado de forma rudimentar. Muitos dos grupos de artistas incorporavam acrobacias. as danças folclóricas e regionais e o atletismo. A actividade física e a ginástica estão ligadas ao treino militar. aos poucos foi-se introduzindo música e novos aparelhos para exaltar a feminilidade das ginastas. a actividade física tinha um papel importante para sua sobrevivência. fundamenta-se na Idade Moderna e sistematiza-se nos primórdios da Idade Contemporânea”. estaciona na Idade Média. que realizou um estudo sobre o desenvolvimento técnico e prático da ginástica para a educação infantil. No homem pré-histórico a actividade física tinha papel relevante para sua sobrevivência. A ginástica Rítmica surgiu após a II Guerra Mundial. A medicina também está ligada à ginástica. em muitas culturas. pois os primeiros profissionais de fisioterapia eram professores de ginástica que desenvolveram exercícios de terapia normalizados.Ginástica Rítmica BREVE RESENHA HISTÓRICA A palavra ginástica veio do grego ‘Gymnastiké’. As demais escolas foram as responsáveis pelo surgimento dos principais métodos ginásticos. era transmitido através das gerações e fazia parte dos jogos. balanços 5 . E provavelmente a mais antiga fonte da ginástica moderna. Muitas culturas desenvolveram artistas que incluíam trapezistas. expressa principalmente na necessidade vital de atacar e defender-se. rituais e festividades.

Os cinco aparelhos pela sua sequência Olímpica são:  Corda  Arco  Bola  Maças  Fita Integrou pela primeira vez uns Jogos Olímpicos em 1984. No começo dos anos 30. na realidade. A ginástica está hoje como esteve no passado. A cama de pular era. Recentemente está muito praticado nas academias do mundo inteiro. Esta forma de arte antiga de ginástica tem cinco (5) eventos na sua versão moderna de competição:  Pares Masculinos  Pares femininos  Pares Mistos  Trios femininos  Grupos Masculinos 6 . Ele então percebeu que podia entreter plateias e também deixar as pessoas participarem nas suas demonstrações. o norte-americano George Nissen fez um Trampolim na sua garagem e usou-o para ajudá-lo nas suas actividades de queda e mergulho. que viu a possibilidade de usar a rede de segurança do trapézio como uma forma de propulsão e aparelho de descolagem e a experimentou com diferentes sistemas de suspensão. Desta forma. o aparelho mais recente da família da ginástica. então. ou acrobacias.Ginástica Rítmica de mãos e uso de aparelhos de salto. Relativamente aos Trampolins. Muitos aparelhos têm sido desenvolvido. relacionada com actividades ligadas ao circo. a história diz-nos. um evento livre e um evento de grupo. Por outro lado. que o surgimento do Trampolim ocorreu a centenas de anos. contudo não se pode precisar a sua origem. foi criado por George Nissen em 1936 e foi institucionalizado como modalidade desportiva nos programas de Educação Física nas escolas. universidades e instrução de militares. um pequeno Trampolim coberto com roupas de cama sobre o qual os artistas desempenhavam a maior parte de seus actos. teatro e filmes. como:  Manta  Trampolim de baloiço  Prancha de saltos (incluindo prancha de mergulho)  Trave russa  Trapézio A Ginástica Acrobática é uma disciplina que consiste basicamente em equilíbrios de mãos. utilizavam tábuas de molas nas suas apresentações e os trapezistas realizavam novos saltos a partir do impulso realizado da rede de segurança. A Ginástica Rítmica contemporânea tem cinco aparelhos portáteis. sabe-se que na Idade Média os acrobatas de circo. O Trampolim como desporto. nascia então um novo desporto. trampolins e baloiços. mas é certo que no inicio desse século havia apresentações que usavam uma "cama de pular" para entreter as plateias. foi desenvolvido primeiramente por um artista chamado Du Trampolin. o Trampolim em si. Estas podem ou não ser as verdadeiras origens do Trampolim. Alguns destes aparelhos foram posteriormente adoptados por treinadores e apareceram nos primeiros ginásios. onde Lori Fung do Canada foi a vencedora da medalha de ouro. reduzindo finalmente a rede a um tamanho prático para performances em separado. na história circense.

aos quais podem ser retirados pontos devido a faltas ou acrescidos bónus para exibições excepcionais.Ginástica Rítmica A Ginástica Aeróbica tem nas suas origens as mesmas características da ginástica artística e rítmica. e os elementos devem fluir na coreografia e não seguir-se apenas uns aos outros. um dos quais deve ser executado com a mão esquerda. O desporto era um evento americano inter-escolas muito popular e espalhou-se por todo o mundo. que são regulamentados pela Federação Internacional de Ginástica. O resultado base para cada exercício é de 9. flexibilidade. sensibilidade.6 pontos. Regras As competições são individuais ou em grupos de 5 ginastas. Cada movimento de uma rotina de Ginástica Rítmica envolve um grau alto de habilidade atlética. contêm as seguintes categorias:  Individuais Femininos  Individuais Masculinos  Pares Mistos  Trios  Grupos (6 ginastas) Embora existam vários precursores. agilidade. os atletas precisam desenvolver na sua equipa de treino. Nas competições por grupos.20. Existem ainda:  Trampolim sincronizado Masculino  Trampolim sincronizado Feminino  Duplo Mini -Trampolim Masculino e Feminino  Tumbling Masculino e Feminino A Ginástica para Todos tem uma herança rica de grandes grupos a praticarem Ginástica em exposições e festivais. C e D. além das habilidades acima mencionadas. Nesta disciplina os ginastas devem possuir as seguintes habilidades: força. adaptação rápida e antecipação. O primeiro Campeonato Mundial de Trampolim realizou-se em 1964. Algumas delas são: 7 . o antecedente directo do trampolim moderno foi montado em 1936 pelos acrobatas de circo e mergulhadores George Nissen e Larry Griswold. energia. Os grandes festivais de ginástica da Europa são predominantemente ginástica de grupo e dentro destes saliento "Gymnaestrada Mundial" que se realiza de 4 em 4 anos com mais de 20000participantes. a pontuação base é 19. Os eventos da ginástica aeróbica. Chegaram aos Jogos Olímpicos de Sydney em 2000 no formato individual masculino e feminino. destreza e resistência. Nas finais são exigidos também elementos de maior dificuldade. Cada exercício deve incluir 4 elementos de dificuldade B e 4 elementos de dificuldade A. Existem diversas faltas que podem ser cometidas ao longo do exercício e que vão condicionar a pontuação. Na ginástica de grupo. A sistemática da ginástica sueca e o seu livre fluxo de exercícios originou muitas das variantes modernas. A totalidade do solo deve ser utilizado durante o exercício. sendo a pontuação máxima 20 pontos.

lançamentos e capturas. Os ginastas também saltam e saltam com a corda aberta ou dobrada. movimentos com a bola equilibrada na mão. nomeadamente:  originalidade da coreografia.  desempenho excepcional por parte da ginasta Os aparelhos se diferenciam muito nas suas composições. círculos. com pausas prolongadas ou com um final brusco. A bola é feita de borracha ou material sintético. lançamentos e capturas da corda. proporcional ao tamanho da ginasta. figuras com movimentos tipo "oito". giros. A corda é feita de linho ou material sintético.  acompanhamento musical. Arco Os movimentos mais comuns com o arco incluem balanços. rotações do arco no chão e rotações do arco ao redor da mão e outras partes do corpo. saltos e giros com a bola no chão e ao longo de partes do corpo são os movimentos mais comuns desta especialidade.  utilizar os aparelhos apenas como decoração e não como parte integrante dos elementos. possui diâmetro interior de 80-90cm e peso mínimo de 300 gramas. rolamentos. lançamentos e capturas. O acréscimo de pontos pode advir de diversos factores. O arco é feito de madeira ou plástico. círculos. Maças 8 .  falta de equilíbrio entre os diversos elementos. Corda Caracteriza-se por balanços. segura por ambas as mãos.  música inadequada.Ginástica Rítmica  falta de unidade no exercício. O atleta tem que coordenar movimentos de corpo muito difíceis com os elementos do aparelho que estiver usando. e seu diâmetro é 18-20cm e o peso mínimo é 400 gramas. Bola Ondas.  falta de variedade nos elementos executados.  começar o exercício sem contacto com o aparelho. nos movimentos do corpo ou nas transições. incursões no arco. O mais impressionante aqui está nos altos lançamentos e nas técnicas complexas para pegar o arco de uma forma diferente a cada momento. rotações.

As maças são feitas de madeira ou material sintético. coordenados com o manuseamento do aparelho. transformando-se numa actividade de execução de técnicas altamente complexas. ondas. A fita deve permanecer em movimento constantemente. balanços. com cerda de 40-50cm de comprimento. Fita São incluídas nas rotinas de fitas. Cada rotina deve durar entre 60 e 90 segundos. Um exercício de grupo tem que incluir dificuldades das mesmas categorias de movimento de corpo que aplicam à competição individual e movimentos característicos do aparelho. Grupo Na prova de grupo cinco atletas trabalham juntas como uma só unidade. O grupo é julgado na habilidade das atletas para demonstrar domínio de corpo e habilidades dos aparelhos de maneira sincronizada. Para que esses movimentos específicos da modalidade sejam realizados de forma satisfatória. o ritmo. moinhos. espirais. bola. força cada atleta para que este seja extremamente sensível aos movimentos e acções dos demais integrantes do grupo. melhor será o exercício. A fita possui uma vareta que é feita de madeira ou material sintético e tem diâmetro máximo de 1cm. Nesta modalidade as ginastas devem executar uma coreografia composta por uma sequência de elementos corporais. existem duas bancas diferentes. e outros grupos de movimentos como: deslocamentos variados. e seu peso é de 150 gramas cada. círculos. Uma das rotinas é executada com cinco aparelhos iguais. em que estão movimentos de pivots. lançamentos e capturas. uma que atribui a nota técnica e outra que atribui a nota artística. Os elementos corporais dividem-se num grupo fundamental. a cabeça da maça deve ter no máximo 3cm. a flexibilidade. o equilíbrio. círculos grandes. lançamentos e capturas. é feita de cetim ou material semelhante com largura de 4-6cm por 6 m de comprimento. 9 . Quanto mais interacção houver entre as ginastas. equilíbrios e flexibilidades. Além disso.Ginástica Rítmica Balanços. saltos. e com acompanhamento musical. o seu peso deve ser de no mínimo 35g. balanceamentos e circundações. Estratégias de Abordagem A Ginástica Rítmica baseia-se na combinação de movimentos corporais com manipulação de aparelhos manuais (corda. é necessário ser feito um trabalho com foco nas qualidades essenciais à modalidade. Têm a aparência de garrafas invertidas. por 50-60cm de comprimento. giros. O aparelho a ser usado em competição de Grupo é escolhido pela FIG. arco. Quanto à arbitragem. É uma das poucas modalidades que permitem trabalhos colectivos e individuais. harmoniosa. círculos pequenos. as atletas de grupo têm que executar elementos que envolvem trocas grandes e pequenas de equipamento. a resistência muscular. maças e fita). Atletas de grupo devem trabalhar como uma equipa. a outra rotina é coreografada com os aparelhos misturados. e movimentos com figuras tipo 'oito'. saltos. e batidas rítmicas são os movimentos mais comuns. A interacção íntima das cinco atletas dentro de uma área (um tapete quadrado) de 13x13m e as muitas trocas de materiais que acontecem durante uma série. Cada grupo tem que competir com duas rotinas diferentes. a coordenação e a agilidade. tais como a força.

6. há ainda que ter em conta as capacidades físicas da modalidade. é pouco divertido e satura. As crianças devem jogar a maior parte do tempo. a resistência (anaeróbica. Movimentos não estacionários (Linear e Rotacional) Diversão Todas as aulas de ginástica devem ser agradáveis para os participantes. 2001). As bases da ginástica 2. sem deixar de reforçar a aptidão física e os fundamentos. que devem estar sempre presentes: Diversão 1. 2. Parar frequentemente. no caso da ginástica rítmica. As crianças devem de ser bem sucedidas na maior parte do tempo e 3. de tornar as aulas mais atraentes. de forma a motivá-los cada vez mais e não a aborrece-los pelo acumular de monotonia. 8. Os praticantes devem de estar activos na maior parte do tempo. o equilíbrio. 10 . As crianças devem ter sucesso com frequência nas suas actividades para poderem desfrutarem delas e se auto motivarem. Suspensões. Os participantes devem estar activos na maior parte do tempo. 4. Na ginástica temos três princípios básicos. 2. a agilidade e a força explosiva (LAFFRANCHI. a coordenação. Resistência Força Potência Flexibilidade Fenómenos Neurológicos e Motores de maior Complexidade Agilidade Equilíbrio Coordenação Orientação Espacial Fundamentos 1. As crianças devem jogar a maior parte do tempo. Aptidão Física 1. muscular localizada e aeróbica). Para tal temos três princípios gerais de forma a tornar as aulas de ginástica divertidas: 1. Os jogos são uma forma de motivar e prender a atenção dos participantes. paragens prolongadas. o ritmo. etc. 3. 7. além de um treino que possibilite uma boa condição física. 3.Ginástica Rítmica Assim. Equilíbrios 3.Apoios. 2. temos a flexibilidade. Movimentos Estacionários (centro de gravidade ou de massa) . 5. As crianças devem ser bem sucedidas na maior parte do tempo.

durante o tempo todo Praticar jogos cooperativos e competitivos Algumas actividades Competitivas Individuais Estafetas imitando coelhinhos Estafetas imitando cangurus Estafetas imitando crocodilos 11 .Ginástica Rítmica Orientações sobre como jogar 1.preparação para os jogos Aumente o tráfego. Todos os participantes devem estar Activos no jogo . reduzindo o espaço de corrida. Correr em segurança dentro de um Ginásio de Ginástica        Sinal para parar Dicas de segurança para correr Correr e caminhar . Jogar as comunidades Jogar com o parceiro Adicionar formas geométricas 2.

dão um aperto de mão. Equilíbrios aos Pares 12 . Pé com Pé Mão no Pé Actividades Cooperativas com Parceiro 1. Um dos parceiros segura os tornozelos do outro parceiro. Tocar no Joelho 2. Ambos os parceiros. 2. sentam-se ao mesmo tempo e por entre as pernas.Ginástica Rítmica Algumas actividades Competitivas com Parceiro 1. que com o corpo empranchado faz 5 extensões.

Andar à caranguejo aos pares Orientação sobre como Jogar      Os jogos devem ser adaptados à idade e maturidade dos participantes Mudar rapidamente um jogo se não funcionar correctamente ou se não for seguro Parar o jogo. Esta componente da aptidão física refere-se a capacidade de oxigenação durante o esforço. enquanto as crianças ainda querem jogar Os Jogos devem ter um objectivo Instruções (antes de iniciar qualquer jogo) Aptidão Física Se os participantes desenvolverem uma maior aptidão física ao nível da resistência. A força é fácil de treinar em crianças. potência. eles vão aprender mais facilmente os exercícios de ginástica. ou durante. o desenvolvimento da força. ou aumentar o seu tamanho e eficiência de contracção (força e potência). No entanto e muito importante que as crianças desenvolvam a resistência muscular antes. ou aumentar o seu comprimento (flexibilidade). No que diz respeito à resistência cardiorespiratória. entre outros. equilíbrio.Ginástica Rítmica 1. 13 . percepção espacial. flexibilidade. Costas com Costas Locomoções Cooperativas aos Pares 1. A resistência é difícil de treinar em crianças. o musculo pode aumentar a sua capacidade de se contrair repetidamente (resistência). coordenação. principalmente desenvolvendo o aspecto neurológico. agilidade. é fácil de treinar em crianças e também é útil para a preparação dos tecidos para o desenvolvimento da força e potência muscular. Quando estimulado de forma adequada. força. A força consiste na força máxima que um músculo gera numa única contracção. Os jogos é uma forma de aumentar a resistência muscular.

de uma posição para outra e de um lugar para outro. Equilíbrio Consiste em permanecer em posições estáticas e conseguir mover o corpo em estado de equilíbrio (equilíbrio dinâmico). A partir dos dez anos de idade. etc. Componentes Motoras Além da quatro componentes da aptidão (resistência. contracção concêntrica e contracção excêntrica. dificultando assim. força e velocidade. A potência refere-se à combinação da força com a velocidade. Só depois podemos treinar com forças e velocidades mais elevadas. por exemplo. 2001). saltos complexos. A flexibilidade e uma aptidão bastante fácil de treinar em crianças. 14 . passos de dança. tais como: Agilidade Representa a capacidade de movimentar o corpo. o processo de ossificação vai limitando a possibilidade de movimento de determinadas articulações que vão perdendo sua capacidade elástica. bolas. Devido a este factor é importante o início da prática da modalidade durante a infância (entre 5-9 anos). O equilíbrio baseia-se nas funções sensoriais do sentido cinestésico. A flexibilidade.Ginástica Rítmica Os jogos são uma boa forma de trabalhar a força nas crianças. carrinho de mão. pois esta valência permite a amplitude de movimento das diferentes partes do corpo. Para o desenvolvimento da força temos de ter presente também os conceitos de contracção isométrica. no sentido táctil. que indica a posição dos membros relativamente ao resto do corpo. 2000). Coordenações olho-mão e olho-pé envolvem a manipulação de materiais portáteis ou implementos. potência e flexibilidade) existem também muitos fenómenos neurológicos ou motores complexos.  O sistema vestiblar. que sinaliza a posição do corpo face ao espaço que o rodeia. Antes da potência devemos treinar resistência. saltos. com rapidez e eficiência. bem como na força muscular (rigidez) e flexibilidade. uma das características principais deste desporto (LAFFRANCHI. Orientação Espacial Este componente está relacionado com o equilíbrio e com a sensibilidade do corpo quando invertido ou a girar no espaço. um trabalho de desenvolvimento da flexibilidade (LLOBET. O sentido cinestésico é composto por dois sistemas sensoriais distintos do corpo:  O sistema proprioceptivo. força. é essencial para a execução dos elementos corporais. Muitos elementos em ginástica são exemplos de actividades de coordenação complexa. Coordenação Coordenação do corpo todo significa que todo o corpo se move em padrões complexos. Está relacionado com a parte vestibular do sentido cinestésico. tais como. arcos.

Pode se dizer. Da mesma forma. Se o centro de massa se encontrar bem no centro da base de sustentação.  Locomoção . podemos falar em dois subgrupos de competências de movimento:  De natureza Linear  De natureza Rotacional Natureza Linear Tarefas nas quais o trajecto do centro de massa tem um comportamento Linear e podem ser mecanicamente subdivididas em dois padrões de movimento: Saltar . e nós vamos chamar-lhes habilidades de suspensão. impulsão.movimento que consistem em sair da base de sustentação comum único movimento explosivo. o ginasta estará estável e vamos chamar-lhes habilidades de apoio. está claramente dinâmico. a tarefa é feita "fora" da base de sustentação do ginasta.Ginástica Rítmica Fundamentos Relativamente as bases da ginástica podemos começar por dividir mecanicamente todas as habilidades de ginástica em dois grupos:  Habilidades que são estacionárias  Habilidades que não são estacionárias Habilidades que são Estacionárias São aquelas que são realizadas dentro da base de sustentação do ginasta. ou seja o centro de massa não se move fora da base de sustentação. mas está parado porque o seu centro de massa fica dentro da sua base. correr. etc. Está parado mas não estático. saltitar. pulo. o ginasta ficará instável. Se o centro de massa estiver perto do limite da base de sustentação. pular. se estiver numa posição de equilíbrio enquanto dinamicamente faz ondas com o corpo ou manipula aparelhos de mão. Anteriormente. Podem se dizer chamada. etc. mas está parado. e nós vamos chamar-lhes habilidades de equilíbrio.  15 . Isso foi alterado porque "estático" significa estar parado e "dinâmico" significa movimento. em movimentos repetitivos. significa que estas tarefas são realizadas enquanto a base de sustentação está em movimento ou. quando estiver numa posição de pino de cabeça. passos de dança. Por exemplo. Habilidades Não Estacionárias Mecanicamente .movimentos que saem da base de sustentação. Podese estar parado (centro de massa dentro da base) e ser estático ou dinâmico. está claramente "dinâmico". o PMG ESTACIONÁRIO foi referido como ESTÁTICO. o ginasta ficará muito estável. Se o centro de massa estiver por baixo da base de sustentação.

 Saltar . uma vez que envolve a absorção de energia. Enrolamento à Frente Engrupado. gradualmente. 1) Na posição de quadripedia fazer a extensão e flexão da coluna vertebral.movimentos que são realizados com a rotação do corpo num dos três eixos internos. A mecânica do movimento do aparelho portátil é a mesma que a do movimento dos ginastas.  Rodar .Mortais. rolamentos. 2) A partir da posição de sentado rolar à retaguarda sobre a coluna e regressar à posição inicial.Tomar consciência da posição engrupada e do enrolamento da coluna sobre o colchão. giros.movimentos que são executados girando num eixo externo (barras e argolas). captura do aparelho. bater.balançar o aparelho com os membros. 16 . Temos também o grupo Ginasta e Aparelhos Portáteis A ginástica rítmica será: . Progressões Segundo Famose (1990). Objectivo: .estacionário. ou locomover. empurrar. ou fazer recepções mas também será manipular aparelhos portáteis. ou rodar.  Locomotores . se aproximam da tarefa final. etc.apanhar.girar. podem mecanicamente ser subdivididos em dois padrões de movimento:  Rotação . piruetas. e o mais importante de todos numa perspectiva de segurança. voltas.equilibrar. ou saltar.  Balançar . Os aparelhos portáteis serão:  Estacionário .  Recepção . ou balançar.tomar consciência da mobilidade da coluna. rolar em contacto com os braços/mãos. o conceito de progressão no contexto das actividades desportivas representa a programação de um conjunto de tarefas ou exercícios que.atirar.  Balançar . É mecanicamente oposto do saltar. Objectivo: . Um outro grupo De Movimento para Estacionário As recepções são as habilidades em que o centro de massa está a mover-se "para" a base de sustentação. Outros nomes são: . pivots.driblar.Ginástica Rítmica Natureza Rotacional Tarefas em que o percurso do centro de massa do ginasta tem um comportamento Rotacional. rolar. É um dos padrões de movimento mais comuns em todas as disciplinas da ginástica.

Apoio invertido de cabeça trepando com os pés nos espaldares.Tomar consciência da colocação das mãos e da nuca no solo e da elevação da bacia. Desenhar no solo o local de colocação das mãos e da cabeça. Objectivos: .Realização global do gesto facilitando a elevação das pernas na vertical. Apoio invertido de cabeça partindo com as pernas num plano mais elevado.Tomar consciência da impulsão de pernas para aumentar a velocidade de rotação. Objectivos: . Enrolamento à retaguarda até à colocação das mãos e da nuca no solo. Objectivos: . 4. Apoio Invertido da Cabeça 1. 3.Realização global do movimento num meio facilitador da aquisição de velocidade de rotação. Objectivo: . Objectivo: . Objectivos: . ter a capacidade de fazer com que aprendam a gostar de ginástica. Objectivos: .Realização global do gesto e tomada de consciência das acções musculares para elevar as pernas e manter o corpo na posição invertida em equilíbrio. Colocação do peso do corpo sobre os apoios. 5) Realizar o enrolamento sobre um plano inclinado.Tomar consciência da posição das mãos e da cabeça.Realizar o gesto num meio facilitador da aquisição da velocidade de rotação.Tomar consciência do enrolamento da coluna e da colaboração correcta das mãos ao lado da cabeça. (ex: no enrolamento à frente dando feedbacks como "gigante. Apoio invertido de cabeça de encontro aos espaldares. Objectivos: . utilizando jogos e nomes que lhe são familiares. começando por treinar/brincando. 3. familiarização com a posição invertida. Objectivos: . Objectivo: . Objectivos: .Ginástica Rítmica 3) De joelhos sobre um banco colocar as mãos no solo e fazer enrolamento à frente.Realização global do movimento num meio facilitador da aquisição de velocidade de rotação e da impulsão de braços. Elevar a bacia na posição invertida.Alinhamento do tronco na vertical dos apoios. servindo os espaldares para evitar que o corpo ultrapasse a vertical dos apoios. Objectivos: .Tomar consciência da impulsão dos braços e diminuir a pressão sobre a coluna no momento em que o tronco passa pela cervical. coelhinho. Enrolamento à retaguarda sobre o trampolim terminando de joelhos. 5. olhar para a barriga. 4) Com os pés nos espaldares fazer a impulsão das pernas para aumentar a velocidade de rotação. costas caracol". Exercícios Base Para crianças que estão a iniciar a ginástica devemos acima de tudo. 4. Enrolamento à retaguarda sobre a cabeça do plinto. 2.Realização global do movimento facilitando a impulsão dos braços. Enrolamento à retaguarda sob um banco inclinado com um colchão por cima. Enrolamento à retaguarda de pernas afastadas sobre um plano inclinado. 17 . Enrolamento à Retaguarda de Pernas Afastadas 1. 2.

que esses preconceitos deveriam ser banidos do ensino-aprendizagem. 2001 LLOBET.google. fazendo com que quando a aula acabar. é de tal ordem importante na formação da criança. que é uma actividade que poucos profissionais se dispõem a trabalhar com ela e. afectivo-social e motor da criança.Ginástica Rítmica coelhinho e gigante.TN fornecido pelo Prof Sérgio Mauricio http://odiadaporelaseamadaporeles. concentração. onde eles possam começar a trabalhar a aptidão física de forma lúdica e cativante. A componente lúdica deve prevalecer sobre o competitivo quando da prescrição de actividade física para as crianças (MATSUDO. Neste contexto podemos trabalhar. o equilíbrio (estático.htm UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE EDUCAÇÃO FÍSICA Campinas 2005 Kizzy Fernandes Antualpa MATSUDO. localização. enriqueci como homem e profissional ligado à educação física. Devemos de dar oportunidade para que crianças e adolescentes de ambos os sexos participem nas actividades de ginástica rítmica derrubando esses estereótipos e preconceitos.blogspot. já estejam a pensar e a desejar a próxima.pt/#hl=pt-PT&rlz=1R2SKPT_pt-PTPT408&q=A+gin%C3%A1stica+r %C3%ADtmica+caracteriza-se+como+uma+pr%C3%A1tica+corporal+que+aparece %2C+na+actualidade%2C+n%C3%A3o&aq=f&aqi=&aql=&oq=&fp=e2c53565db7dcf2a http://www.html http://www. reação e velocidade. resistência. a coordenação motora dinâmica geral (exercícios globais e de postura). força. a coordenação viso-motor. Bibliografia Fundamentos da Ginástica e da Literacia Motora Material de Apoio da ESE . exercícios de agilidade (base para a segurança no movimento). Por outro lado a gama de contribuições que a Ginástica Rítmica traz no desenvolvimento do domínio cognitivo. sofre discriminações por parte dos alunos do sexo masculino. como complemento a outras áreas da Educação Física e Desporto. dinâmico e recuperado). 2003). proporção. Importante ainda para o desenvolvimento da criança no que diz respeito a socialização e a saúde física. Por fim salientar que no final deste trabalho de abordagem à Ginástica Rítmica. muitas vezes. lateralidade.com/efd123/treinamento-em-ginastica-ritmica-no-estado-doparana.com/2008_09_01_archive. 2003 LAFFRANCHI. digamos que foi sentir pelo contacto pessoal com alguns profissionais na Área da Educação Física.efdeportes. organização temporal. níveis). Conclusão A primeira grande conclusão. organização do Esquema Corporal. 2000 Langade e Langade (1970 Russeau (1712-1778 18 . nomeadamente na visão mais alargada da forma de abordar a ginástica. orientação espacial (direção.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful