Sedentarismo

Dr. Turíbio Leite Barros Neto O sedentarismo já é considerado a doença do próximo milênio. Na verdade trata-se de um comportamento induzido por hábitos decorrentes dos confortos da vida moderna. Com a evolução da tecnologia e a tendência cada vez maior de substituição das atividades ocupacionais que demandam gasto energético por facilidades automatizadas, o ser humano adota cada vez mais a lei do menor esforço reduzindo assim o consumo energético de seu corpo. O que é o sedentarismo? Quais são as conseqüências do sedentarismo? Quais as doenças associadas à vida sedentária? Como deixar de ser sedentário? Quais são as alternativas às atividades físicas esportivas? Quais são as contra-indicações para fazer exercícios? Quais são as recomendações básicas para fazer exercícios com segurança? Praticando exercícios com maior segurança e efetividade Bibliografia Temas Relacionados

O que é o sedentarismo? O sedentarismo é definido como a falta ou a grande diminuição da atividade física. Na realidade, o conceito não é associado necessariamente à falta de uma atividade esportiva. Do ponto de vista da Medicina Moderna, o sedentário é o indivíduo que gasta poucas calorias por semana com atividades ocupacionais. Segundo um trabalho realizado com ex-alunos da Universidade de Harvard, o gasto calórico semanal define se o indivíduo é sedentário ou ativo. Para deixar de fazer parte do grupo dos sedentários o indivíduo precisa gastar no mínimo 2.200 calorias por semana em atividades físicas.

[sobe]
Quais são as conseqüências do sedentarismo? A vida sedentária provoca literalmente o desuso dos sistemas funcionais. O aparelho locomotor e os demais órgãos e sistemas solicitados durante as diferentes formas de atividade física entram em um processo de regressão funcional, caracterizando, no caso dos músculos esqueléticos, um fenômeno associado à atrofia das fibras musculares, à perda da flexibilidade articular, além do comprometimento funcional de vários órgãos.

[sobe]
Quais as doenças associadas à vida sedentária? O sedentarismo é a principal causa do aumento da incidência de várias doenças. Hipertensão arterial, diabetes, obesidade, ansiedade, aumento do colesterol, infarto do miocárdio são alguns dos exemplos das doenças às quais o indivíduo sedentário se expõe. O sedentarismo é considerado o principal fator de

risco para a morte súbita, estando na maioria das vezes associado direta ou indiretamente às causas ou ao agravamento da grande maioria das doenças.

[sobe]
Como deixar de ser sedentário? Para atingir o mínimo de atividade física semanal, existem várias propostas que podem ser adotadas de acordo com as possibilidades ou conveniências de cada um:

Praticar atividades esportivas como andar, correr, pedalar, nadar, fazer ginástica, exercícios com pesos ou jogar bola é uma proposta válida para evitar o sedentarismo e importante para melhorar a qualidade de vida. Recomenda-se a realização de exercícios físicos de intensidade moderada durante 40 a 60 minutos de 3 a 5 vezes por semana; Exercer as atividades físicas necessárias à vida cotidiana de maneira consciente.
[sobe]

Quais são as alternativas às atividades físicas esportivas? A vida nos grandes centros urbanos com a sua automatização progressiva, além de induzir o indivíduo a gastar menos energia, geralmente impõe grandes dificuldades para ele encontrar tempo e locais disponíveis para a prática das atividades físicas espontâneas. A própria falta de segurança urbana acaba sendo um obstáculo para quem pretende fazer atividades físicas. Diante dessas limitações, tornar-se ativo pode ser uma tarefa mais difícil, porém não de todo impossível. As alternativas disponíveis muitas vezes estão ao alcance do cidadão porém passam desapercebidas. Aumentar o gasto calórico semanal pode se tornar possível, simplesmente reagindo aos confortos da vida moderna. Subir 2 ou 3 andares de escada ao chegar em casa ou no trabalho, dispensar o interfone e o controle remoto, estacionar o automóvel intencionalmente num local mais distante, dispensar a escada rolante no shopping-center, são algumas alternativas que podem compor uma mudança de hábitos. Segundo trabalhos científicos recentes, praticar atividades físicas por um período mínimo de 30 minutos diariamente, contínuos ou acumulados, é a dose suficiente para prevenir doenças e melhorar a qualidade de vida.

[sobe]
Quais são as contra-indicações para fazer exercícios? A liberação plena para a prática de atividades físicas, particularmente as atividades competitivas e de maior intensidade, deve partir do médico. Nesses casos, um exame médico e eventualmente um teste ergométrico podem e devem ser recomendados. Indivíduos portadores de hipertensão, diabetes, coronariopatias, doenças vasculares etc. devem ser adequadamente avaliados pelo clínico não somente quanto à liberação para a prática de exercícios, como também quanto à indicação do exercício adequado como parte do tratamento da doença. Quando se trata de praticar exercícios moderados como a caminhada, raramente existirá uma contra-indicação médica, com exceção de casos de limitação funcional grave.

[sobe]
Quais são as recomendações básicas para fazer exercícios com segurança? A principal recomendação é seguir o bom senso e praticar exercícios como um hábito de vida e não como quem toma um remédio amargo. A principal orientação é fazer exercícios com prazer, sentindo bem-estar antes, durante e principalmente depois da atividade física. Qualquer desconforto sentido durante ou

depois de exercícios deve ser adequadamente avaliado por um profissional da especialidade. O exercício não precisa e não deve ser exaustivo se o propósito for a saúde.

[sobe]
Praticando exercícios com maior segurança e efetividade:

Usar roupas adequadas: A função da roupa durante o exercício é proporcionar proteção e conforto térmico. Agasalhos que provocam aumento excessivo da sudorese devem ser evitados porque provocam desconforto e desidratação, não exercendo nenhum efeito positivo sobre a perda de peso. Hidratar-se adequadamente: Deve-se ingerir líquidos antes, durante e depois de exercícios. A perda excessiva de líquidos e a desidratação constituem a principal causa de mal-estar durante o exercício. Sentir bem-estar: Escolha a modalidade e sobretudo a intensidade de exercício que traga prazer e boa tolerância. Ao fazer exercícios prolongados ajuste a intensidade que permita sua comunicação verbal sem que a respiração ofegante prejudique sua fala. Esta é uma forma prática de ajustar uma intensidade adequada. Consulte seu médico: Qualquer dúvida ou desconforto procure orientaçãoprofissional. Realizar uma avaliação física para elaboração de um programa de treinamento será uma atitude de grande utilidade prática. Não se deixe levar por propagandas muitas vezes enganosas prometendo resultados milagrosos com outros recursos recomendados para substituir os benefícios do exercício ativo.

A atividade física regular e realizada com prazer é um recurso insubstituível na promoção de saúde e qualidade de vida.

[sobe]
Bibliografia: Guidelines for Exercise Testing and Prescription. 3ª ed. Lea & Febiger, USA, 1986. McArdle, W.D.; Katch, F.I.; Katch, V. Fisiologia do Exercício, Energia , Nutrição e Desempenho Humano. 3ª edição. Guanabara Koogan, 1998. Nabil Ghorayeb & Turibio Barros - O exercício - Preparação Fisiológica, Avaliação Médica - Aspéctos Especiais e Preventinos. -1ª edição. Editora Atheneu, São Paulo, Brasil, 1999. Turibio Leite de Barros Neto - Exercício, Saúde e Desempenho Físico. - 1ª edição. Editora Atheneu, São Paulo, Brasil, 1997.

Sedentarismo
Conceito, como largar o sedentarismo e começar atividade física

Conceito de sedentarismo O sedentarismo pode ser definido como falta de atividade física suficiente, o que pode afetar potencialmente a saúde da pessoa. Na verdade a falta de atividade física não necessariamente está ligada a não praticar esportes. O indivíduo que tem atividades físicas regulares, como limpar a casa, caminhar para o trabalho, ou realiza funções profissionais que requerem esforço físico, não é classificado como sedentário. O sedentarismo acontece quando a pessoa gasta poucas calorias diárias com atividades físicas. O sedentarismo é muitas vezes chamado de "doença do século" por causa dos vários malefícios que causa à saúde.

Novas descobertas sobre largar o sedentarismo e começar atividades físicas Entre as principais descobertas sobre largar o sedentarismo e começar atividades físicas estão: * Pessoas sedentárias podem melhorar sua saúde e bem-estar ao ficarem moderadamente ativas de forma regular. * Atividade física não precisa ser extenuante para alcançar benefícios à saúde. * Os melhores benefícios à saúde podem ser alcançados aumentando a quantidade (duração, freqüência, ou intensidade) da atividade física. Os benefícios de deixar o sedentarismo Praticar atividade física regular na maioria dos dias da semana diminui o risco de desenvolver ou morrer de várias doenças associadas ao sedentarismo. Atividade física regular pode melhorar a saúde das seguintes formas: * Reduz o risco de morrer prematuramente. * Reduz o risco de morrer de doença cardiovascular. * Diminui o risco de desenvolver diabetes. * Reduz o risco de desenvolver pressão alta. * Ajuda a diminuir a pressão sanguínea em pessoas que já têm pressão alta. * Reduz o risco de desenvolver câncer de colón. * Diminui os sentimentos de ansiedade e depressão. * Ajuda a controlar o peso corporal. * Ajuda a manter ossos, músculos e articulações saudáveis. * Ajuda idosos a ficarem mais fortes e mais capazes de mover se cair. * Promove o bem-estar psicológico. Sedentarismo é um dos principais problemas de saúde pública Por causa dos inúmeros benefícios da atividade física, fica claro como o sedentarismo pode ser danoso à saúde. Sedentarismo é um problema de saúde pública grave. O combate ao sedentarismo pode diminuir nacionalmente a incidência de doenças e mortes prematuras. O que é quantidade moderada de atividade física Atividade física moderada pode ser conseguida de várias formas. As pessoas podem selecionar atividades que gostam e encaixam no seu dia-a-dia. Uma vez que a quantidade de atividade física é função da duração, intensidade e freqüência, a mesma quantidade pode se obtida tanto em sessões maiores de atividade de intensidade moderada, como caminhada forte, assim como em sessões mais curtas de atividades mais vigorosas, como correr. Exemplos de quantidades moderadas de atividade física: * Lavar carro e encerar por 45-60 minutos. * Lavar janelas ou chão por 45-60 minutos.

O sedentarismo nada mais é do que a lei do menor esforço, ou seja, usar a escada rolante, usar o elevador, andar de carro e, principalmente, não praticar atividade física. Segundo o cardiologista Álvaro Barros, com o sedentarismo, vem a obesidade. “Isso ocorre pelo fato de não haver um gasto calórico positivo, pois se ingere muita caloria e se gasta quase nada e para combater este mal, que vem assombrando a população", diz. Para o médico, faz-se necessário uma reeducação de hábitos do dia-a-dia, como principalmente a prática de exercícios físicos, pelo menos três vezes por semana, em um período de, no mínimo, 30 minutos. Álvaro Barros também explica que o indivíduo sedentário tem maior probabilidade de desenvolver problemas do aparelho cardiorrespiratório e circulatório. Outra má notícia é que os sedentários têm ainda maior predisposição a vários tipos de câncer, como o de cólon, pâncreas, rim e mama. Doenças do sistema endócrino, como o diabetes do tipo 2 e a obesidade, que têm se tornado um verdadeiro flagelo, atingindo milhões de pessoas em todo o mundo, também poderiam ser combatidas com a prática regular de exercícios. Patologias como mal de Parkinson, Alzheimer e esclerose múltipla também poderiam ser prevenidas desta forma. E o cardiologista faz um alerta: “é importante lembrar as pessoas que possuem mais de 40 anos de idade, que antes de começarem alguma atividade física, é preciso realizar uma avaliação cardiológica, e, em algumas atividades, é importante o acompanhamento de um profissional, como por exemplo a prática da musculação”, conclui. Problemas causados pelo sedentarismo: obesidade; perda de massa muscular e cansaço; baixa resistência orgânica; problemas cardíacos; dores articulares e musculares; pressão alta; alto nível de stress; má postura. Benefícios da prática de exercícios: redução e manutenção do peso; aumento de desempenho; aumento da eficiência cardíaca e pulmonar; melhora do colesterol; ossos mais fortes; diminuição da pressão sanguínea; redução da ansiedade; melhora da auto-imagem.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful