Você está na página 1de 31

TECIDOS LINFÓIDES PRIMÁRIOS ONTOGENIA DE LINFÓCITOS

Organização anatômica do sistema imune

De onde vêm e para onde vão as células do sistema imune

Como é a organização dos tecidos/órgãos linfóides

Tecidos linfóides

onde são gerados e se concentram células do sistema imune

CÉLULAS DO SISTEMA IMUNLÓGICO

Classificação quanto a atividade imunológica:

Células imunológicamente competentes – linfócitos T e B

Células efetoras da Resposta Imune

T

T sensibilizado

B

Plasmócito

NK

Células auxiliares da Resposta Imune

Macrófagos

Células Dendrítica

CÉLULAS DO SISTEMA IMUNLÓGICO

LINFÓCITOS

células capazes de reconhecer e distinguir de modo específico diversos determinantes antigênicos = ESPECIFICIDADE

MEMÓRIA estruturalmente : pequeno linfócito = linfócito inativo (fase Go)

linfoblasto = linfócito ativado (fase G 1)

(FIG 2.2)

CÉLULAS DO SISTEMA IMUNLÓGICO

CLASSES DE LINFÓCITOS

Classificação baseada em propriedades funcionais e marcadores de superfície

Linfócitos T – diferenciação e maturação no timo

Linfócitos B – diferenciação e maturação na medula óssea

Células NK – receptores diferentes dos de T e B

CÉLULAS DO SISTEMA IMUNLÓGICO

CARACTERÍSTICAS DOS LINFÓCITOS T e B

receptores para o antígeno distribuídos em clones

genes que codificam os receptores são formados por recombinação dos segmentos do DNA durante o desenvolvimento dessas células = Repertório altamente diverso

Tecidos linfóides generativos ou primários Medula óssea timo Linfócitos são gerados
Tecidos linfóides
generativos ou
primários
Medula óssea
timo
Linfócitos são
gerados

Tecidos linfóides periféricos ou secundários

linfonodo

baço
baço

SI cutâneo

SI mucosa (MALT)

ou secundários linfonodo baço SI cutâneo SI mucosa (MALT) Linfócitos têm contato com Ags estranhos Início

Linfócitos têm contato com Ags estranhos

Início do desenvolvimento da resposta adaptativa

Linfócitos passam a expressar receptores de Ags

Linfócitos adquirem maturação funcional

Medula Óssea

Onde se originam todas as células do sangue

Constituída por:

.

adipócitos

.

fibroblastos

.

precursores

.

plasmócitos

Hematopoiese

sangue Constituída por: . adipócitos . fibroblastos . precursores . plasmócitos Hematopoiese

Estímulos

Estímulos Citocinas leucócito citocina Célula- alvo Efeitos biológicos

Citocinas

leucócito citocina Célula- alvo Efeitos
leucócito
citocina
Célula-
alvo
Efeitos

biológicos

Estímulos Citocinas leucócito citocina Célula- alvo Efeitos biológicos
Estímulos Citocinas leucócito citocina Célula- alvo Efeitos biológicos
Estímulos Citocinas leucócito citocina Célula- alvo Efeitos biológicos

Timo

• Bilobulado

– Cada lobo se divide em múltiplos lóbulos, e cada lóbulo é dividido em córtex e medula

• Mediastino anterior

– Cada lobo se divide em múltiplos lóbulos, e cada lóbulo é dividido em córtex e
– Cada lobo se divide em múltiplos lóbulos, e cada lóbulo é dividido em córtex e

Timo

Constituído por

. Células

epiteliais

.

Macrófagos

.

Células

dendríticas

. Timócitos

. Macrófagos . Células dendríticas . Timócitos MATURA MATURA Ç Ç ÃO ÃO DE DE LINF

MATURAMATURAÇÇÃOÃO DEDE LINFLINFÓÓCITOSCITOS TT

Linfócitos

Expressam receptores antígeno-específico

Desempenham funções efetoras e regulatórias

Responsáveis pela memória imunológica

Linfócitos B – produção de anticorpos – resposta imune humoral Linfócitos T - resposta imune celular

LINFÓCITOS

T - precursores gerados na medula óssea expressão dos seus receptores funcionais no TIMO

B - precursores gerados na medula óssea expressão dos seus receptores funcionais na MEDULA ÓSSEA

funcionais no TIMO B - precursores gerados na medula óssea expressão dos seus receptores funcionais na

Maturação de linfócitos

Processo regulado de expressão gênica

Evento central: expressão do receptor de antígenos

Durante o processo gera-se o repertório de receptores de Ags

Este processo gera linfócitos que reconhecem Ags estranhos, mas não Ags próprios

Receptores de Antígenos

Linfócito B Linfócito T
Linfócito B
Linfócito T
Receptores de Antígenos Linfócito B Linfócito T CL CH
Receptores de Antígenos Linfócito B Linfócito T CL CH

CL

CH

Receptores de Antígenos Linfócito B Linfócito T CL CH
Receptores de Antígenos Linfócito B Linfócito T CL CH

ONTOGENIA DE LINFÓCITOS

ONTOGENIA DE LINFÓCITOS

Maturação de linfócitos T principalmente no período fetal e depois do nascimento vai dimunuindo

aproximadamente 95 % dos timócitos entram em apoptose

Ausência de Timo:

falta de células T

ONTOGENIA DE LINFÓCITOS T
ONTOGENIA DE
LINFÓCITOS T

Precursores de linfócitos T provenientes da medula chegam ao TIMO – os timócitos (pró-T)

Proliferaçãoda medula chegam ao TIMO – os timócitos (pró-T) Proliferação e avanço através da região cortical

Proliferação e avanço através da região cortical – rearranjo dos genes que expressam TCRβ (pré-T)

– rearranjo dos genes que expressam TCR β (pré-T) Interações dos SPs com MHCs + peptídeos
– rearranjo dos genes que expressam TCR β (pré-T) Interações dos SPs com MHCs + peptídeos

Interações dos SPs com MHCs + peptídeos presentes na membranas das células epiteliais medulares- seleção clonal

das células epiteliais medulares - seleção clonal Proliferação Ativação das RAGs Expressão completa do
das células epiteliais medulares - seleção clonal Proliferação Ativação das RAGs Expressão completa do

Proliferação Ativação das RAGs Ativação das RAGs

Expressão completa do TCRαβ, expressão de CD4 e CD8 (Duplo- positivo)

do TCR αβ , expressão de CD4 e CD8 (Duplo- positivo) Interações dos DPs com MHCs+

Interações dos DPs com MHCs+ peptídeos presentes na membranas das células epiteliais corticais - seleção clonal, geração de SP CD4+ e SP CD8+

peptídeos presentes na membranas das células epiteliais corticais - seleção clonal, geração de SP CD4+ e

SELEÇÃO CLONAL

Os timócitos que não se ligam ao MHC da classe I ou II entram em apoptose, sendo eliminados – seleção negativa

Os timócitos que seleção positiva

MHC I – CD8

MHC II- CD4

se ligam

ao

MHC

da

classe I ou II sobrevivem

que seleção positiva MHC I – CD8 MHC II- CD4 se ligam ao MHC da classe
que seleção positiva MHC I – CD8 MHC II- CD4 se ligam ao MHC da classe

RESTRIÇÃO PELO MHC

Os timócitos selecionados avançam para a medula e interagem com MHC das células epiteliais medulares – contato com Ags próprios

células epiteliais medulares – contato com Ags próprios Interação fraca – sobrevivência EDUCAÇÃO TÍMICA
células epiteliais medulares – contato com Ags próprios Interação fraca – sobrevivência EDUCAÇÃO TÍMICA

Interação fraca – sobrevivência

EDUCAÇÃO TÍMICA

Interação fraca – sobrevivência EDUCAÇÃO TÍMICA Interação forte – apoptose (seleção negativa)

Interação forte – apoptose (seleção negativa)

TOLERÂNCIA

CENTRAL

fraca – sobrevivência EDUCAÇÃO TÍMICA Interação forte – apoptose (seleção negativa) TOLERÂNCIA CENTRAL
fraca – sobrevivência EDUCAÇÃO TÍMICA Interação forte – apoptose (seleção negativa) TOLERÂNCIA CENTRAL

Linfócitos T primitivos

Linfócitos T primitivos

ONTOGENIA DE LINFÓCITOS B

Linfócitos B1:

maturação no período fetal Mantém proliferação após maturação

ONTOGENIA DE LINFÓCITOS B Linfócitos B1: maturação no período fetal Mantém proliferação após maturação
Pré- BCR: Expressão da cadeia H ( μ ) e cadeia L invariante

Pré- BCR: Expressão da cadeia H (μ) e cadeia L invariante

Pré- BCR: Expressão da cadeia H ( μ ) e cadeia L invariante

SELEÇÃO CLONAL

Interação forte com Ags próprios induz novo rearranjo dos genes da cadeia leve – EDIÇÃO DE RECEPTOR

CLONAL Interação forte com Ags próprios induz novo rearranjo dos genes da cadeia leve – EDIÇÃO
CLONAL Interação forte com Ags próprios induz novo rearranjo dos genes da cadeia leve – EDIÇÃO

Expressão da IgD

Expressão da IgD
Expressão da IgD
Expressão da IgD

Ao final do processo de maturação dos linfócitos são selecionados os linfócitos que:

Expressam receptores de Ags funcionais - células competentes

Expressam receptores de Ags que não reconhecem constituintes próprios do organismo

Recombinação gênica

RAG1 e RAG2 – expressão apenas nos tecidos linfóides primários

Uma região gênica para cada cadeia Ig
Uma região gênica
para cada cadeia
Ig
TCR

TCR

Estimativa do número de receptores de antígenos humanos

GERAÇÃO DO IMENSO REPERTÓRIO DE CÉLULAS DO SIST. IMUNE

MIGRAÇÃO DAS CÉLULAS VIRGENS PARA OS TECIDOS LINFÓIDES PERIFÉRICOS

ENCONTRO COM ANTÍGENOS – EXPANSÃO DO CLONE REATIVO

DAS CÉLULAS VIRGENS PARA OS TECIDOS LINFÓIDES PERIFÉRICOS ENCONTRO COM ANTÍGENOS – EXPANSÃO DO CLONE REATIVO