Você está na página 1de 14

ESCOLA DA SAÚDE E DO DESPORTO

CURSO DE ENFERMAGEM – Projeto Pedagógico


E

Disciplina: Microbiologia e Imunologia aplicada à enfermagem Cód: FE 006


Período: 3º Créditos: 4 Carga horária: 80 horas Pré-requisito: nenhum
CH Teórica: 01 CH Teórica-prática: 01 CH Prática: 02
Ementa
Microbiologia – Fundamentos. Microbiologia e Agravos a Saúde. Fisiopatologia das doenças infecciosas.
Imunologia. Microbiologia e Imunologia Aplicada. Protocolos Assistenciais. Atividade Educativa em
Microbiologia e Imunologia
Objetivos
Descrever as respostas imunes do hospedeiro aos diferentes microrganismos patogênicos.
Definir os procedimentos que visam o controle microbiano.
Reconhecer a aplicabilidade da microbiologia e imunologia nas ações de enfermagem.
Aplicar técnicas de antissepsia corporal e assepsia ambiental, evidenciando o grau de eficiência de diversos
agentes químicos no controle de microorganismos
Conteúdos Programáticos
UNIDADE I: Microbiologia - Fundamentos
1.1. Campo de Ação e História da Microbiologia
1.2. Estabelecimento de doenças infecciosas
1.3. Flora microbiana normal
1.4. Biologia dos agentes infecciosos
1.5. Aspectos genéticos da patogênese bacteriana
1.6. Bases biológicas da ação antibacteriana
1.7. Defesas constitutivas e induzidas do organismo
1.8. Danos causados por agentes microbianos
UNIDADE II Microbiologia e agravos a saúde
2.1. Estafilococos e Estreptococos: abcessos e outras doenças
2.2 .Pneumococos e pneumonia bacteriana
2.3. Neisseria: Gonococos e meningococos
2.4. Bactérias entéricas: Diarréia “secretória” diarréia sanguinolenta e disenteria
2.5. Pseudomonas aeruginosa
2.6. Bordella pertussis e coqueluche
2.7. Clostrídios
2.8 Legionella: Parasita celular
2.9. Heliobacter pylori: A patogênese de uma infecção bacteriana “lenta”
2.10. Microbactérias: tuberculose e hanseníase
2.11. Sífilis: Uma doença com uma história
2.12 Doença da arranhadura do gato, angiomatose bacilar e outras bartoneloses
2.13. Clamídias: patógenos genitais, oculares e respiratórios
2.14. Riquetsioses
2.15. Mycoplasma: Curiosidades e patógeno
2.16 Viroses: picornavírus: poliovírus, enterovírus, rinovírus, vírus transmitidos por artrópodes
2.17. Paramixovirus: Vírus do sarampo, vírus da caxumba, vírus lento e vírus sincicial respiratório
2.18. Raiva
2.19. A influenza e seus vírus
2.20 Rotavírus e outros agentes virais de gastroenterite
2.21. Os retrovírus humanos: AIDS e outras doenças
2.22. Adenovírus
2.23. Verrugas
2.24. Vírus do herpes simples e vírus relacionados ao vírus do herpes
2.25. Hepatite viral
2.26. Introdução aos fungos e às micoses
2.27 Micoses sistêmicas causadas por patógenos e por fungos oportunistas
2.28. Micoses subcutâneas e superficiais
2.29. Uma abordagem às doenças infecciosas emergentes
Seção III: Fisiopatologia das Doenças Infecciosas
3.1. Relações Hospedeiro-Micróbio e Processos Mórbidos
3.2. Princípios de diagnóstico
3.3. Princípios de epidemiologia
3.4 Estratégias para o combate às infecções
3.5 Febre: Um sinal clínico de infecção
3.6 Infecções nosocomiais e iatrogênicas

23
ESCOLA DA SAÚDE E DO DESPORTO
CURSO DE ENFERMAGEM – Projeto Pedagógico
E

UNIDADE IV Imunologia
4.1 Princípios Básicos da ImUnidade Específica e da Imunização
4.2 Sistema imune: órgãos e células
4.3 Sistema antígeno
4.4 Imunoglobinas
4.5 Fisiologia da resposta imune e resposta inflamatória
4.6 Testes Imunológicos e Hipersensibilidade
4.7 Imunodeficiência
4.8 Auto-imUnidade: doenças auto-imune
4.9 Tipagem sangüínea
4.10 Vacinas e anti-soros na prevenção e no tratamento das infecções
Unidade VI: Microbiologia e Imunologia Aplicada
6.2 Técnica de microscopia
6.3 .Microscopia e Coloração
6.4 Crescimento e Cultivo de Bactérias
6.5 Tipagem sanguínea: prova cruzada em lâmina
UNIDADE VII Protocolos Assistenciais
7.1 Comissão Controle Infecção hospitalares CCIH
7.2 Esterilização e Desinfecção
7.3 Limpeza Terminal e concorrente
7.4 Manuseio e controle de Vacinas
UNIDADE VIII Atividade Educativa em Microbiologia e Imunologia
8.1 O enfermeiro e palestras a comUnidade parasitose
8.2 O enfermeiro e técnicas de higienização do corpo e do ambiente
8.3 O enfermeiro como membro da CCIH
Bibliografia Básica
BALESTIERI, F. M. P. Imunologia. São Paulo: Manole, 2006
BURTON, G.L.W., ENGELKIRK, P.G. Microbiologia para as Ciências da Saúde. 5ª edição. Rio de Janeiro:
Guanabara Koogan, 2005
JORGE, A.O.C. Princípios de Microbiologia e Imunologia. São Paulo. Editora Santos. 2006
Schaechter, Moselio. Engleberg, N. Cary . Eisenstein, Barry I. Medoff, Gerald. Microbiologia - Mecanismos
das Doenças Infecciosas. Rio de Janeiro. Guanabara Koogann. 2003
BROOKS, G.F, BUTEL, J.S., ORNSTON, L.N. M. Microbiologia Médica: Jawetz, Melnick & Adelberg. 22ª
edição. Rio de Janeiro: McGraw-Hill-Tecmedd, 2004
Bibliografia Complementar
Brasil. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Detecção e Identificação de
Micobactérias de Importância Médica. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. – Brasília : Ministério da
Saúde, 2004
MURRAY, P.R. Microbiologia Clínica. 2ª edição. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2003
ROITT, I..M. Delves, Peter J. Fundamentos de Imunologia. Rio de Janeiro Guanabara Koogan. 2004
TRABULSI, L.R., ALTERTHUM, F. Microbiologia. 4ª edição. São Paulo: Atheneu, 2005

24
ESCOLA DA SAÚDE E DO DESPORTO
CURSO DE ENFERMAGEM – Projeto Pedagógico
E

Disciplina Enfermagem na promoção a saúde do longevo: exercício teórico e ensino clínico


Código:FE 013 Período: 4° Créditos: 4 Carga horária: 80 horas
CH Teórica: 01 CH Teórica-prática: 01 CH Prática: 02
Pré-requisito: Enfermagem na promoção à saúde do trabalhador: exercício teórico e ensino clínico FE007
Ementa
Envelhecimento humano. O longevo e o processo de viver. Sexualidade do longevo. Protocolos
Assistenciais. Atividade educativa com o longevo. Ensino Clínico.
Objetivos
Discutir sobre o envelhecimento humano e populacional identificando as principais intercorrências e
patologias peculiares do processo de envelhecimento que a enfermagem intervém.
Reconhecer no longevo potencialidades e maneiras de promover o cuidado
Aplicar no atendimento ao longevo protocolos assistenciais
Desenvolver junto ao longevo atividade educativa
Conteúdos Programáticos
UNIDADE I. Envelhecimento Humano
1.1 O envelhecer terminologia e interpretações
1.2 O Sistema funcional do longevo
1.3 O relacionamento do longevo a nível individual e coletivo
1.4 Política Nacional do idoso
UNIDADE II O longevo e o processo de viver
2.1 Medidas de promoção à saúde do longevo
2.2 A sexualidade do longevo e controle das Doenças Sexualmente Transmitidas
2.2 Assistência de enfermagem nos principais agravos dos longevos – Doenças Crônicas.
2.3 A longevidade e seus ganhos
2.4 Ambientes de vida do longevo: casa, asilos, hospitais, outros
2.5 A dimensão transcultural do cuidado ao adulto
2.6 Atuação do Enfermeiro em grupos específicos de idosos: asilar, situação de rua
2.7 Ergonomia do ambiente domiciliar e programas educativos e de intervenção para o longevo e o
cuidador/família.
UNIDADE III Protocolos Assistenciais
3.1 Medidas de higienização do cliente: higiene corporal
3.2 Medidas de Conforto e Transporte
3.3 Estimulação sensorial: o toque como instrumento terapêutico cuidado restaurador
3.4 Alimentação assistida: oral
3.5 Alimentação por sonda: sonda nasogástrica, sonda orogástrica, sonda enteral
3.6 Eliminações: cateterismo vesical, clister, enema
3.7 Exames diagnóstico e o longevo: assistência de enfermagem endoscopia, cateterismo cardíaco,
colonoscopia e outros
3.8 Imunização no longevo e Consulta de Enfermagem e exame físico
3.10 Assistindo o cliente com Alzaimer
UNIDADE IV Atividade educativa com o longevo
4.1 Palestras educativas sobre promoção à saúde na longevidade
4.2 Palestras sobre funções do cuidador e o longevo
UNIDADE V Ensino Clínico
5.1 Atividades práticas com o longevo
Bibliografia básica
Dopico da Silva, Lolita. Pereira, Sandra Regina Maciqueira. Mesquita, Ayla Maria Farias de. Procedimentos
de Enfermagem - Semiotécnica para o Cuidado. Rio de Janeiro Guanabara Koogan. 2004
Freitas, Elizabete Viana de e cols. Tratado de Geriatria e Gerontologia. Rio de Janeiro Guanabara Koogan.
2006
Roach, Sally S. Introdução à Enfermagem Gerontológica. Rio de Janeiro Guanabara Koogan. 2006
Bibliografia Complementar
Jacob, Wilson Filho. Avaliação Global do Idoso. Rio de Janeiro. Atheneu. 2005
Luna, Rafael Leite - Sabra, Aderbal. Medicina de Família - Saúde do Adulto e do Idoso. Rio de Janeiro
Guanabara Koogan. 2006
Ray, Kurzweil e Terry, Grossman, M.D. (Tradução: Cássia Nasser) A Medicina da Imortalidade - as Dietas,
os Programas e as Inovações Tecnológicas que prometem revolucionar nosso processo de envelhecimento.
São Paulo. Editora ALEPH. 2006
Santos, Silvia Maria A. Idosos Família e Cultura: um Estudo Sobre a Construção do Papel do Cuidador. São
Paulo. Átomo Alínea. 2003

25
ESCOLA DA SAÚDE E DO DESPORTO
CURSO DE ENFERMAGEM – Projeto Pedagógico
E

Disciplina Fisiologia dos Sistemas Corporais Código: FE 044


Período: 3o Pré-requisito: SD 001 Anatomia Geral
SD 006 Fisiologia Geral
Créditos: 4 Carga horária: 80 horas
CH Teórica: 2CH Teórica-prática: 2 CH Prática: 0
Ementa: Fisiologia do sangue. Fisiologia cardiovascular. Fisiologia do Sistema Respiratório. Fisiologia da
digestão. Fisiologia renal. Fisiologia endócrina e reprodutiva. Fisiologia hepática. . Fisiologia Sistema
Nervoso. Fisiologia do exercício. Fisiologia da dor.
Objetivos:
Descrever o funcionamento dos sistemas corporais;
Reconhecer a aplicabilidade da fisiologia na assistência ao cliente;
Aplicar os conhecimentos de fisiologia no exercício da profissão.
Conteúdo programático
Unidade I Fisiologia do sangue
1.1 Eritrócitos e Leucócitos e suas funções;
1.2 Hemostasia e coagulação do sangue;
1.3 Métodos e técnicas para determinação da coagulação sanguínea;
1.4 A produção sanguínea e órgãos responsáveis – fisiologia dos órgãos.
Unidade II Fisiologia cardiovascular.
2.1 O músculo cardíaco e excitação rítmica;
2.2 Efeito de íons e mediadores químicos sobre o coração (prática);
2.3 Regulação do controle do fluxo sanguíneo;
2.4 Determinação da pressão arterial (teoria e prática)
2.5 Eletrocardiograma (teoria e prática);
Unidade III Fisiologia do Sistema Respiratório.
1.1 Ventilação pulmonar e Circulação pulmonar;
1.2 Dinâmica alveolar e difusão dos gases através da membrana respiratória;
1.3 Transporte de oxigênio e de dióxido de carbono no sangue e líquidos corporais;
1.4 Controle neural da respiração;
1.5 Espirometria (prática).
Unidade IV Fisiologia da digestão.
4.1 Gustação e olfação;
4.2 Mecânicas digestivas: princípios gerais da motilidade gastro-intestinal, transporte e mistura dos
alimentos;
4.1 Princípios gerais das secreções salivares, gástricas, pancreáticas, biliares, do intestino delgado e do
intestino grosso;
4.2 Digestão e absorção;
4.3 Determinação da absorção intestinal;
4.4 Determinação de pH;
4.5 Regulação neural do apetite;
4.6 Distúrbios alimentares.
Unidade V Fisiologia renal
5.1 Aspectos gerais do rim;
5.2 Fluxo sanguíneo renal e filtração glomerular;
5.3 Funções tubulares (reabsorção, secreção e excreção);
5.4 Controle da osmolaridade do líquido extracelular;
5.5 Regulação do equilíbrio ácido-básico;
5.3 Determinação do clearance;
5.4 Distúrbios renais – princípios da diálise e hemodiálise;
5.5 Exame de urina (prática).
Unidade VI Fisiologia endócrina e reprodutiva.
6.1 Funções do hipotálamo e da hipófise;
6.2 Funções da tireóide;
6.3 Funções da paratireóide;
6.4 Funções das suprarenais;
6.5 Funções do pâncreas;
6.6 Funções das gônadas masculinas e femininas.
Unidade VII Fisiologia hepática
7.1 Funções hepáticas;
7.2 Circulação entero-hepática;

26
ESCOLA DA SAÚDE E DO DESPORTO
CURSO DE ENFERMAGEM – Projeto Pedagógico
E

7.3 Funções da vesícula biliar


7.4 Composição da bile
Unidade VIII Fisiologia Sistema Nervoso
8.1. A condução do impulso: bioeletrogênese;
8.2 Sistema nervoso autônomo;
8.3 Sistema sensorial : visão, audição;
8.3 Sistema motor ;
8.4 Sistema nervoso entérico (SNE).
Unidade IX Fisiologia do exercício
9.1 Metabolismo areóbío e anaeoróbio;
9.2 Respostas fisiológicas ao exercício nas diferentes faixas etárias;
9.3 Atividade física nas diferentes faixas etárias;
Unidade X Fisiologia da Dor
10.1Fisiologia da dor;
10.2 A dor e sua repercussão na vida do ser humano;
10.3 Tratamento da dor.
Bibliografia básica
Davies, A. Blakeley, Asa G.H e Kidd, Cecil. Fisiologia Humana. Porto Alegre. Artmed. 2002
Hall, John E. Guyton, Arthur C. Tratado de Fisiologia Médica - 11ª ed. Rio de Janeiro. Editora Elsevier.2006
Kazanowski, Mary K, Laccetti, Margaret Saul. Dor - Fundamentos, Abordagem Clínica, Tratamento. Rio de
Janeiro. Ed Guanabara Koogam. 2005
Bibliografia complementar
Herlihy, Bárbara.Maebius,Nancy K. Anatomia e Fisiologia do Corpo Humano Saudável e Enfermo. São
Paulo. Editora Manole. 2002
Fox, Stuart Ira. Fisiologia Humana – 7ª edição. São Paulo. Editora Manole. 2007.

27
ESCOLA DA SAÚDE E DO DESPORTO
CURSO DE ENFERMAGEM – Projeto Pedagógico
E

Disciplina: Farmacologia Aplicada à Enfermagem Código: FE 051


Período: 3º Pré-requisito: nenhum Créditos: 2 Carga horária: 80 horas
CH Teórica: 04 CH Teórica-prática: 00 CH Prática: 00
Ementa: Fundamentos de farmacologia. Fármacos e Sistema Nervoso. Fármacos e sistema cardiovascular. .
Fármacos e sistema respiratório. Fármacos e sistema gastrintestinal. Fármacos e sistema hematológico.
Fármacos e sistema renal - equilíbrio hidroeletrolítico. Fármacos e sistema endócrino. Fármacos e sistema
endócrino.Fármacos oftálmicos e demartológicos. Fármacos em diferentes agravos.
Objetivos
Ter domínio sobre os fármacos e suas ações sobre o organismo humano
Reconhecer a importância de conhecer as ações dos fármacos sobre o organismo humano
Aplicar os conhecimentos adquiridos no exercício profissional
Conteúdo Programático
Unidade I Fundamentos de farmacologia.
1.1 Fármacos e suas origem e evolução;
1.2 Farmacocinética;
1.3 Farmacodinâmica;
1.4 Farmacoterapêutica.
1.5 Metodologia assistencial e fármacos.
Unidade II Fármacos e Sistema Nervoso
2.1 Fármacos colinérgicos
2.2 Fármacos anticolinesterásicos
2.3 Fármacos adrenérgicos
2.4 Fármacos bloqueadores alfa e beta adrenergicos
2.5 Fármacos neurológicas e neuromusculares
2.5.1 Fármacos musculares esqueléticos
2.5.2 Fármacos bloqueadores neuromusculares, despolarizantes, antiparkinsoníanas.
2.5.3 Fármacos anticonvulsivantes
2.6. Fármacos para dor
2.6.1 Fármacos antienxaqueca
2.6.2.Fármacos não opióides, antipiréticos e drogas antiinflamatórias não esteróides (DAINE)
2.6.3 Agonístas e antagonistas opiódes
2.6.4 Fármacos anestésicos
2.7 Fármacos psicotrópicas
2.7.1 Fármacos sedativos e hipnóticas
2.7.2 Fármacos ansiolíticas
2.7.3 Fármacos antidepressivas e estabilizadores do humor
2.7.4 Fármacos antipsicóticas
2.7.5 Estimulantes
2.8 Processo de enfermagem e fármacos do sistema nervoso
Unidade III Fármacos e sistema cardiovascular
3.1 Fármacos inotrópicas
3.2 Inibidores da PDE
3.3 Fármacos antiarrítmicas
3.4 Fármacos antiangina
3.5 Fármacos anti-hipertensivos
1.6 Fármacos antilipêmicas
1.7 Processo de enfermagem e fármacos do sistema cardiovascular
Unidade IV Fármacos respiratórios
4.1 Agonista beta adrenérgicos
4.2 Anticolinérgicos
4.3 Corticóides
4.4 Leucotrienos
4.5 Estabilizadores mastócito
4.1 Metilxantinas
4.2 Expectorantes, Antitussígenos, Mucolíticos, Descongestionantes
4.3 Processo de enfermagem e fármacos do sistema respiratório.
Unidade V Fármacos e sistema gastrintestinal.
5.1 Fármacos antiúlcera
5.2 Antibióticos sistêmicos
5.3 Antiácidos

28
ESCOLA DA SAÚDE E DO DESPORTO
CURSO DE ENFERMAGEM – Projeto Pedagógico
E

5.4 Inibidores da bomba de prótons


5.5 Fármacos adsorventes, antiflatulência e digestivas
5.6 Fármacos antidiarréicos e laxantes
5.7 Fármacos antieméticas e eméticas
5.6 Processo de enfermagem e fármacos do sistema gastrointestinal
Unidade VI Fármacos e sistema hematológico
6.1 Fármacos hematínicas
6.2 Fármacos anticoagulantes
6.3 Fármacos antiplaquetários
6.4 Fármacos trombolíticas
6.5 Processo de enfermagem e fármacos do sistema hematológico
Unidade VII Fármacos e sistema renal - equilíbrio hidroeletrolítico.
7.1 Fármacos que a atuam no sistema renina-angiotensina-aldosterona
7.2 Processo de enfermagem e fármacos do sistema renal
Unidade VIII Fármacos e sistema endócrino.
8.1 Fármacos antidiabéticas e glucagon
8.2 Fármacos tieroidianas e antitireoidianas
8.3 Fármacos para hipófise
8.4 Estrógenos
8.5 Processo de enfermagem e fármacos do sistema endócrino
Unidade IX Fármacos oftálmicos e demartológicos
9.1 Fármacos oftálmicos
9.2 Fármacos dermatológicos
9.3 Processo de enfermagem e fármacos oftálmicos e demartológicos
Unidade X Fármacos em diferentes agravos
10.1 Fármacos antiinfecciosos
10.1.1 Fármacos antibacterianas
10.1.2 Fármacos antiviróticas
10.1.3 Fármacos antituberculose
10.1.4 Fármacos antifúngicas
10.2 Fármacos antiinflamatórios e imunomodulares
10.2.1 Anti-histamínico
10.2.2 Corticóides
10.2.3 Imunossupresores
10.2.4 Uricosúricos
10.3 Fármacos antineoplásicas
10.3.1 Fármacos alquilantes e semelhantes
10.3.2 Fármacos antimetabólicos
10.3.3 Fármacos antineoplásicas antibióticas
10.3.4 Fármacos antineoplásicas hormonais e moduladores hormonais
10.3.4 Fármacos antineoplásicas hormonais naturais
10.3.5 Anticorpos monoclonais
10.3.6 Inibidores da topoimerase I
10.3.7 Fármacos anticâncer dirigidas a alvo de proteína
10.3.8 Outros fármacos antocâncer sem classificação
10.4 Processo de enfermagem e fármacos do sistema endócrino
Bibliografia Básica
Korol kovas, Andrejus. França. Faustino de Albuquerque Carneiro de. Dicionário Terapêutico Guanabara.
Rio de Janeiro. Guanabara Koogan. 2008
Springhouse Corporation. Farmacologia para Enfermagem - Série Incrivelmente Fácil. Rio de Janeiro:
Guanabara Koogan, 2006.
The Washington Manual. Manual de Terapêutica Clínica, 32ª edição. Rio de Janeiro. Guanabara Koogan.
2008
Bibliografia complementar
Asperheim, Mary Kaye. Farmacologia para a enfermagem. 9ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2004.
Goldenzwaig, Nelma Rodrigues Soares Choiet. Administração de Medicamentos na Enfermagem. Rio de
Janeiro. Guanabara Koogan. 2007

29
ESCOLA DA SAÚDE E DO DESPORTO
CURSO DE ENFERMAGEM – Projeto Pedagógico
E

Disciplina Enfermagem e Nutrologia Código: FE 005


Período: 3o Pré-requisito: nenhum Créditos: 2 Carga horária: 40 horas
CH Teórica: 1 CH Teórica-prática: 1 CH Prática: 0
Ementa: Princípios de nutrição e constituintes alimentares. Metabolismo energético. Nutrição e Ecologia.
Aplicação da Nutrição nos Períodos da Vida. Nutrição nos agravos do viver. Educação para a Saúde na
nutrição do ser humano.
Objetivos:
Conhecer as necessidades nutricionais do ser humano;
Reconhecer a importância da dietoterapia na manutenção e recuperação da saúde do ser humano;
Educar,orientar, auxiliar o ser humano nas suas necessidades nutricionais e ministrar dietoterapias.
Conteúdo Programático:
Unidade I: Princípios de Nutrição e Constituintes Alimentares
1.1 Nutrição e homeostase
1.2 Glicídios, Proteínas, Gorduras e Outros Lipídios
1.3 Água, Eletrólitos e Minerais, Vitaminas Lipossolúveis e Vitaminas Hidrossolúveis
Unidade II: Metabolismo Energético
2.1 Digestão, Absorção e Metabolismo
2.2 Metabolismo Mineral
2.3 Metabolismo glicídeos e lipídeos, da Água e dos Eletrólitos
2.5 Erros inatos do metabolismo
Unidade III: Nutrição e Ecologia
3.1 Hábitos Alimentares Regionais, Culturais e Religiosos
3.2. Ecologia do Alimento e transgênicos
3.3 Doenças vinculadas aos alimentos - DVA
3.4 Cadeia produtiva e Pontos Críticos de Controle
3.5 Perigos físicos, químicos e biológicos dos alimentos
3.6 O sistema de Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle – HACCP e a produção de alimentos
inócuos.
Unidade IV: Aplicação da Nutrição nos Períodos da Vida
4.1 Enfermagem e nutrição na Gestação e na Lactação
4.2 Enfermagem e nutrição durante a Lactação e a Primeira Infância - do Nascimento aos Três Anos
4.3 Enfermagem e nutrição para Crianças e Adolescentes, ao Adulto, ao Trabalhador, ao Longevo
4.5 Enfermagem e nutrição social: alimentação escolar, creches, empresas, asilos e outros
Unidade V: Nutrição nos Agravos do Viver
5.1. Enfermagem e nutrição clinica: aspectos básicos
5.2. Enfermagem e nutrição e instrumentos básicos da Dietoterapia: avaliação das necessidades do cliente
com agravo.
5.3 Enfermagem e nutrição e problemas de Deficientes Físicos - auto-alimentação, mastigação, deglutição
5.4 Enfermagem e nutrição na dietoterapia nos distúrbios clínicos: gastrointestinais, diabetes mellitus,
cardiopatias, aterosclerose, câncer, doenças renais, metabólicas e hepáticas, queimaduras, intolerâncias
alimentares, paradoxos nutricionais: obesidade mórbida, desnutrição, anorexia
5.5 Enfermagem e nutrição nos pós operatório: introdução da dieta e acompanhamento
5.6 Enfermagem e nutrição em vias diferenciadas: gastrostomia, enteral e parenteral
Unidade VI: Educação Para a Saúde na Nutrição do Ser Humano
6.1 Programas Governamentais Nutricionais: amamentação, fome zero e outros
6.2 O Enfermeiro e seu papel na Educação Alimentar
6.3 A equipe multiprofissional: ações integradas enfermagem e nutrição
Bibliografia Básica:
- Dovera, Themis Maria Dresch da Silveira. Nutrição Aplicada ao Curso de Enfermagem. Rio de Janeiro.
Guanabara Koogan. 2007
- Farrell, Marian L. - Jo Ann, L. Nicoteri. Nutrição em Enfermagem. Rio de Janeiro. Guanabara Koogan.
2005
- Gibney, Michael J. Nutrição & Metabolismo. Rio de Janeiro. Guanabara Koogan. 2006
Bibliografia Complementar:
- Carvalho, Geraldo Mota. Enfermagem e Nutrição. São Paulo. EPU. 2005
- Cuppari, Lílian. Nutrição Clinica no Adulto. 2º Ed. Barueri. São Paulo. Ed. Manole. 2005
- Giovanna C. Bernini Nutrição e Saúde. São Paulo. IBRASA. 2005.
- Springhouse Corporation. Nutrição - Série Incrivelmente Fácil. Rio de Janeiro. Guanabara Koogan. 2004

30
ESCOLA DA SAÚDE E DO DESPORTO
CURSO DE ENFERMAGEM – Projeto Pedagógico
E

Disciplina: Enfermagem e Políticas Públicas de Saúde Código: FE 009


Período: 4º Pré-requisito: nenhum Créditos: 2 Carga horária: 40 horas
CH Teórica: 1 CH Teórica-prática: 1 CH Prática: 0
Ementa: Bases conceituais da Política Pública em Saúde. Reforma Sanitária. Ministério da Saúde. O Sistema
Único de Saúde.
Objetivos:
Identificar as etapas da construção e implantação das políticas públicas em saúde;
Reconhecer os princípios do SUS
Aplicar os princípios do SUS na prática de enfermagem
Conteúdo Programático:
Unidade I: Bases Conceituais Da Política Pública Em Saúde
1.1 Conceitos gerais: estado, regime/sistema político, nação, federação e outros
1.2 A política de saúde no contexto das políticas públicas de Estado
1.3 Princípios da Política Pública em Saúde
Unidade II: Reforma Sanitária
2.1 Histórico dos movimentos sociais e reforma sanitária
2.2 Conselho Nacional de Saúde
2.2 Conferências Nacionais de Saúde
2.3 A enfermagem no contexto da reforma sanitária
Unidade III: Ministério da Saúde
3.1 Legislação Federal em Saúde
3.2 Política e Diretrizes
3.3 Sistema de Informação em Saúde
3.4 Áreas Técnicas do Ministério da Saúde
3.5 Programas e Projetos do Ministério da Saúde
Unidade IV: O Sistema Único de Saúde
4.1 Princípios do SUS
4.2 SUS e sua implantação
4.3 SUS no momento atual
4.4 Enfermagem e SUS
Bibliografia Básica:
Campos, Gastão Wagner de Sousa. A Saúde Pública e a Defesa da Vida São Paulo. HUCITEC. 2006
Fernandez,Juan Carlos Aneiros & Mendes,Rosilda Promoção da Saúde e Gestão Local. São Paulo.
HUCITEC/ OPAS. 2008
Sousa, Maria Fátima de Agentes Comunitários de Saúde: Choque do Povo (2a. ed.) São Paulo. HUCITEC.
2001
Bibliografia complementar
Aciole, Giovanni Gurgel. A Saúde no Brasil: cartografias do público e do privado. São Paulo. HUCITEC.
2006
Cunha, Gustavo Tenório. A Construção da Clínica Ampliada na Atenção Básica. São Paulo. HUCITEC.
2005
Merhy, Emerson Elias e col. Trabalho em Saúde: olhando e experienciando o SUS no cotidiano. São Paulo.
HUCITEC. 2006
Sposati, Aldaíza de Oliveira et al. Assistência na trajetória das políticas sociais brasileiras: uma questão em
análise. 8 ed. São Paulo: Cortez, 2003.

31
ESCOLA DA SAÚDE E DO DESPORTO
CURSO DE ENFERMAGEM – Projeto Pedagógico
E

Disciplina: Gestão de Serviços de Saúde: organização recursos materiais RM Cód: FE 010


Período: 4º Créditos: 2 Carga horária: 40 horas Pré-requisito: nenhum
CH Teórica: 01 CH Teórica-prática: 01 CH Prática: 00
Ementa
Fundamentação Teórica da Administração. Os ambientes do cliente de saúde. A Organização do Setor de
Compra. Gerenciando Estoque. Auditoria em Contas Hospitalar. Auditoria em Enfermagem. Enfermagem e
recursos materiais. Protocolos em recursos humanos. Atividade educativa.
Objetivos
Apreender e administrar recursos materiais
Reconhecer a importância da gestão de recursos materiais
Aplicar a auditoria na campo prático
Conteúdo Programático
Unidade 1 - Fundamentação Teórica da Administração.
1.1 - Conceitos de Administração: Missão, objetivos e políticas da organização
1.2 - Planejamento: estratégico, tático e operacional..
UnidadeIII- Os ambientes do cliente de saúde
2.1 – Tipo de organização & População atendida
2.2 – Material permanente e de consumo utilizado
Unidade III A Organização do Setor de Compra
3.1 Seleção de fornecedores & Negociação de parcerias
3.2 Identificação da necessidade de compra & Licitação e análise do produto
3.3 Tipos de contrato de compra
Unidade IV Gerenciando Estoque
4.1 Estoque médio, mínimo ou de segurança
4.2 Controle estoque: rotatividade, quantidade material/setor
4.3 Prazo de validade e desperdício de material
4.4 Formas de distribuição e reposição material
Unidade V Auditoria em Contas Hospitalar
5.5 Análise de contas: Pré-análise
5.2 Negociação e evitando glosas
Unidade VI Auditoria em Enfermagem
6.1. Objetivos. Tipos de auditoria. Qualidade em auditoria
6.2. Sucesso da auditoria em enfermagem. O enfermeiro auditor
Unidade VII Enfermagem e recursos materiais
7.1 Estimativa de material por setor de trabalho: mensal e semanal
7.2 Controle de material permanente, de consumo, estoque de drogas e outros no setor & prazo validade
7.3 Manutenção de materiais e garantia
7.4 A Central de Material & Central de Esterilização
7.5 Equipamento de tecnologia emergentes e sua utilização: responsabilidade da Empresa
7.6 Interface educativa na provisão, previsão e uso de equipamentos.
Unidade VIII Protocolos em recursos materiais
8.1 Enfermeiro e organização e funcionamento da Central de Material
8.2 Enfermeiro e organização e funcionamento da Lavanderia Hospitalar
8.3 Enfermeiro e organização e funcionamento da Central de Esterilização
8.4 Enfermeiro na conservação material: limpeza, desinfecção e esterilização
8.5 Enfermeiro cálculo de material & estoque & qualidade da assistência
Unidade IX- Atividade educativa
9.1 O enfermeiro na consultoria e emissão de parecer sobre materiais
9.2 O enfermeiro e utilização de materiais pela equipe de saúde
9.3 O enfermeiro e a assepsia de materiais
Bibliografia Básica
Boynton, Wiliam C. Johnson, Raymond N. Kell, Walter G. Auditoria. São Paulo. Atlas. 2004
Dias, Marco Aurélio Pereira. Administração de Materiais: Princípios, Conceitos e Gestão. 5ª Edição São
Paulo. Atlas. 2005
Machline, Claude. Barbiere, José Carlos. Logística Hospitalar Teoria e Prática. São Paulo. Saraiva. 2006
Bibliografia Complementar
Borba. Valdir Ribeiro. Marketing de Relacionamento para Organizações de Saúde. São Paulo. Atlas. 2004.
Couto, Renato Camargo. Pedrosa, Tânia Moreira Grillo. Hospital - Acreditação e Gestão em Saúde. Rio de
Janeiro. Guanabara Koogan 2007.
Chiavenato, Idalberto. Administração de Materiais. São Paulo. Elsevier Editora Ltda. 2005

32
ESCOLA DA SAÚDE E DO DESPORTO
CURSO DE ENFERMAGEM – Projeto Pedagógico
E

Disciplina: Enfermagem e parasitologia aplicada Código: FE 011


Período: 4º Pré-requisito: nenhum Créditos: 2 Carga horária: 40 horas
CH Teórica: 1 CH Teórica-prática: 1 CH Prática: 0
Ementa: Noções Gerais de Parasitologia. Principais grupos de protozoários e metazoários parasitos do
homem e vetores. Artrópodes parasitos ou vetores de doenças. Protocolos Assistenciais. Atividade Educativa
do Enfermeiro e Parasitologia. Parasitologia aplicada.
Objetivos:
Descrever as respostas imunes do hospedeiro aos diferentes parasitas e os procedimentos que visam
combate aos parasitas que podem infestar o ser humano
Reconhecer a aplicabilidade da parasitologia nas ações de enfermagem
Aplicar técnicas de antissepsia corporal e assepsia dos alimentos, evidenciando o grau de eficiência de
diversos agentes químicos no controle de parasitoses.
Conteúdo Programático:
Unidade I: Noções gerais de Parasitologia
1.1. Conceito ecológico e bioquímico de parasitismo & ciclos parasitários e a teoria dos focos naturais
1.2 Principais tipos de habitat dos parasitos: relações Parasito, Parasitismo e Hospedeiro
1.3. Resistência ao parasitismo: mecanismos de ação do hospedeiro & mecanismos executores da resposta
imunológica
1.4. Parasitismo e processos patológicos causados pelo parasitismo; regeneração e cicatrização
Unidade II: Principais Grupos de Protozoários e Metazoários Parasitos do Homem e Seus Vetores
2.1 Flagelados parasitos do sangue e dos tecidos: Tripanossomíase por Trypanosoma cruzi,
Tripanossomíase por Trypanosoma brucei, Leishmania, Flagelados das vias digestivas e geniturinárias;
tricomoníase, giardíase, amebas, entamoeba; Esporozoários e as coccidioses: toxoplasma gondii; malária;
Blantidium coli e balantidíase; Platelmintos parasitos do homem: Schistosoma mansoni, fasciola hepática,
cestóides, tênias, cisticercose, Echinococcus granulosus, hidatidose; Himenolepíases, difilobotríase e outras
cestóides
2.2 Nematelmintos: nematóides parasitos do homem: Ascaris lumbricoides; Enterobius vermicularis;
Strongyloides stercoralis; Ancilostomídeos; Larva migrans cutânea e visceral; Angiostrongylus costaricensis;
Lagochilascaris; Wuchereria bancrofti e a filaríase linfática;Onchocerca volvulus e oncocercíase; Trichuris e
Trichinella
2.3 Infestações Emergentes
Unidade III: Artrópodes Parasitos ou Vetores de Doenças
3.1. Organização e fisiologia dos insetos
3.2 Hemípteros: triatomíneos e percevejos
3.3 Dípteros nematóceros em geral. Psicodídeos, simulídeos e ceratopogonídeos
3.4 Dípteros nematóceros: anofelinos e culicíneos / Dípteros branquíceros: moscas e motucas
3.5 Sifonápteros: as pulgas e Anopluros: os piolhos sugadores
3.5 Acari: os carrapatos: escabiose e de outras dermatoses
3.5 Moluscos vetores de doenças: molusco contagioso
3.8 Infestações emergentes
Unidade IV: Protocolos Assistenciais
4.1 Higinenização dos alimentos das mãos e manutenção e obtenção de água potável
4.3 Construção de fossa e sua manutenção
4.4 Exames parasitológicos e assistência de enfermagem em escabiose e pediculose
Unidade V: Atividade Educativa do Enfermeiro em Parasitologia
5.1 Palestra sobre mecanismos para evitar parasitoses, Escabiose e Pediculose
Unidade VI: Parasitologia Aplicada
5.1 Métodos e técnicas usuais em parasitologia, Técnicas de imunodiagnóstico em parasitologia
5.2 Métodos de estudos dos helmintos, moluscos e insetos
Bibliografia Básica:
Coura, José Rodrigues. Dinâmica das Doenças Infecciosas e Parasitárias. 2 Volumes. Rio de Janeiro.
Guanabara Koogan. 2006
Neves, David Pereira. Parasitologia Dinâmica. Rio de Janeiro. Atheneu. 2006.
John, David T. Parasitologia Medica. Rio de Janeiro. Guanabara Koogan. 2003
Bibliografia Complementar:
Neves, David Pereira. Parasitologia Humana. Rio de Janeiro. Atheneu. 2005.
Ferreira, Marcelo Urbano Ferreira. Foronda, Annette Silva. Schumaker, Teresinha Tizu Sato. Fundamentos
Biológicos da Parasitologia Humana. São Paulo. Manole. 2003
Smeltzer, Suzanne C. Bare, Brenda G. Brunner/ Tratado de Enfermagem Médico Cirúrgica. Rio de Janeiro.
Guanabara Koogan. 2006

33
ESCOLA DA SAÚDE E DO DESPORTO
CURSO DE ENFERMAGEM – Projeto Pedagógico
E

Disciplina: Enfermagem e Protocolos Assistenciais ao Adulto: Exercício Teórico e Ensino Clínico


Código: FE 025
Período: 6° Créditos: 4 Carga horária: 80 horas
CH Teórica: 01 CH Teórica-prática: 01 CH Prática: 02
Pré-requisito:
Ementa: O adulto e seu contexto. Agravos a saúde do adulto. O Adulto hospitalizado. Protocolos
Assistenciais. Atividade Educativa e o Adulto. Ensino Clínico.
Objetivos:
Conhecer os mecanismos de atenção primária, secundária e terciária nas doenças mais freqüentes nos
adultos;
Refletir sobre a relação enfermeiro, paciente, família e equipe multiprofissional na construção do ambiente
terapêutico;
Assistir os portadores de doenças aplicando os protocolos assistenciais adequados;
Realizar atividade educativa visando a preservação da saúde do adulto.
Conteúdo Programático:
Unidade I: O Adulto e seu Contexto
1.1 O adulto e a saúde e a dimensão transcultural do cuidado
1.2 Processo do adoecimento & violência estrutural
Unidade II: Agravos a Saúde do Adulto
2.1 Doenças sistema endócrino: diabetes, obesidade mórbida
2.2 Doenças sistema cardiovascular: infarto agudo do miocárdio, angina pectoris, hipertensão arterial,
insuficiência cardíaca congestiva
2.3 Doenças sistema gastrointestinal e hepáticas: gastrite, úlcera péptica e duodenal, cirrose.
2.4 Doenças sistema neurológico: comatoso, acidente vascular cerebral,
2.5 Doenças sistema músculo esquelético: lordose
2.6 Doenças do sistema respiratório: Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica – DPOC, pneumonias
2.7 Doenças urinárias: insuficiência renal aguda e litíase
Unidade III: O Adulto Hospitalizado
3.1 O ambiente terapêutico no hospital
3.2 Humanização da assistência e flexibilização dos protocolos assistenciais
3.3 Registro de Enfermagem implicações éticas e legais
3.4 A equipe multiprofissional e o cliente: responsabilidade civil e assistência de enfermagem
3.5 Reações do adulto a hospitalização e a doença
Unidade IV: Protocolos Assistenciais
4.1 Arrumação da Unidade do paciente
4.1.1 O leito hospitalar: arrumação
4.1.2 Lavagens das mãos, degermação
4.1.3 Calçar luvas
4.1.2 Desinfecção concorrente e terminal da Unidade
4.2 Atendimento ao Adulto
4.2.1 Tipos de posição no leito: mudança de decúbito
4.2.2 Restrição de movimentos
4.2.3 Aplicação de ataduras
4.2.4 O cliente cirúrgico: pré , trans e pós operatório geral
4.2.5 Curativo simples, Curativo de ferida contaminada, Curativo cirúrgico, Retirada de pontos, Curativo
com drenagem
4.3 Eliminações do cliente:
4.3.1 Colocar e retirar comadre e patinho
4.3.2 Usando o jontex como coletor de urina
4.3.3 Cuidados com estomas: colostomia, nefrostomia, cistostomia
4.3.4 Cateter Vesical : alívio e de demora , irrigação Vesical
4.3.5 Sistema coletor de urina sistema aberto e fechado
4.4 Aplicações quente e frias
4.4.1 Aplicação quente: bolsa água quente – cuidados e proteção da pele do cliente
4.4.2 Aplicações frias: bolsas de gelo - cuidados e proteção da pele do cliente
4.5 Equilíbrio corporal
4.13.1 Sinais vitais no Adulto: gráfico sinais vitais
4.13.2 Diurese no adulto e Balanço hídrico
Unidade V: Atividade Educativa e o Adulto
5.1 Palestras individuais sobre promoção a saúde

34
ESCOLA DA SAÚDE E DO DESPORTO
CURSO DE ENFERMAGEM – Projeto Pedagógico
E

5.2 Educação permanente: palestra sobre inovações do cuidar


Unidade VI: Ensino Clinico
6.1 Atividades práticas ao adulto em Unidades de internação.
Bibliografia Básica:
Carvalho, Marcelo Gomes de Atendimento pré hospitalar para Enfermagem. Taubaté. Ed. Erica. 2004
Figueiredo, Nébia Maria Almeida de. Laplaca. Dirce. Tratado Prático de Enfermagem. São Paulo. Yendis.
2006
Figueiredo, Nébia Maria Almeida de. Emergência, Atendimento e Cuidados de Enfermagem. São Paulo.
Yendis. 2006
Potter, Patricia A. Perry, Anne Griffin. Fundamentos de Enfermagem. Rio de Janeiro. Guanabara Koogan.
2004
Roberto Carlos Lyra da Silva. Feridas: Fundamentos e atualizações em Enfermagem. São Paulo. Yendis.
2007
Bibliografia Complementar:
Baccarini Pires, Marco Túlio. Starling, Sizenando Vieira. Manual de Urgências em Pronto-Socorro. Rio de
Janeiro. Guanabara Koogan. 2006
Luna, Rafael Leite. Sabra, Aderbal. Medicina de Família Saúde do Adulto e do Idoso. Rio de Janeiro.
Guanabara Koogan. 2006
Mildred Patrícia Ferreira da Costa & Hélio Penna Guimarães. Ressuscitação Cardiopulmonar: Uma
Abordagem Multidisciplinar. Rio de Janeiro. Atheneu. 2006
Riella, Miguel Carlos. Princípios de Nefrologia e Distúrbios Hidroeletrolíticos. Rio de Janeiro. Guanabara
Koogan. 2003

35
ESCOLA DA SAÚDE E DO DESPORTO
CURSO DE ENFERMAGEM – Projeto Pedagógico
E

Disciplina: Enfermagem e Farmacologia Aplicada: exercício teórico e ensino clínico Código: FE 050
Período: 4º Créditos: 4 Carga horária: 80 horas
CH Teórica: 1 CH Teórica-prática: 1 CH Prática: 02
Pré-requisito: FE 051 Farmacologia Aplicada a Enfermagem
Ementa: Bases conceituais Administração de medicamentos. Medicamento controle e estoque. Protocolos
assistenciais em terapias Medicamentosas. Ensino clínico em farmacologia. Atividade Educativa e Terapias
Medicamentosas.
Objetivos
Discutir as medidas de enfermagem na assistência de pacientes com terapias medicamentosas.
Reconhecer as responsabilidades da enfermagem no processo e administração de medicamentos.
Desenvolver habilidades técnicas e ações de enfermagem.
Conteúdo Programático:
UNIDADE I - Bases Conceituais
1.1. Aspectos legais e éticos no preparo e administração de medicamentos
1.2 Medicamentos genéricos
1.3 A prescrição de medicamento: erro médico em discussão
1.4 A administração de medicamento: limites profissionais
1.5 A prescrição de medicamentos e Programas de Saúde Governamentais
1.6 A prescrição de medicamentos e Protocolos das Unidades de Saúde
1.7 Controle de qualidade dos fármacos
UNIDADE II – Administração de Medicamentos
2.1. Princípios fundamentais para a administração segura de medicamentos
2.2. Métodos e vias de administração de medicamentos
2.3. Efeitos locais e efeitos sistêmicos
2.4 Cálculos e medicamentos, fórmulas de conversão
2.5 Teste de sensibilidade
UNIDADE III Medicamento: controle e estoque
3.1 Cálculo de aquisição
3.2 Prazo de validade: responsabilidades
3.3 Reposição e estoque
3.4 Distribuição medicamentos: Unidades,setores,clientes
UNIDADE IV Protocolos assistenciais terapias medicamentosas
4.1 Administração de Medicamento por via: auricular e ocular
4.2 Administração de Medicamento por via: oral e sublingual
4.3 Administração de Medicamento por via retal e vaginal
4.4 Administração de Medicamento por via Intra- dérmica, sub-cutânea, intra-muscular, endovenosa e intra-
osséa
4.5 Administração de Medicamento no sistema tegumentar
4.6 Cálculos de gotejamento de soroterapia/ Cálculos e Preparo de soluções
4.7 Administração de sangue e hemoderivados
4.8 Escala de serviço e administração medicamentos
4.9 Leitura da prescrição médica e preparo medicamento
4.10 Biossegurança e administração de medicamentos
UNIDADE V Ensino clinico em farmacologia
5,1 Atividade prática junto à clientela
UNIDADE VI –Atividade Educativa e Terapias Medicamentosas
6.1 Palestras sobre os perigos da auto-medicação
6.2 Orientações para a população quanto à prescrição de medicamentos
Bibliografia Básica:
Asperheim, Mary Kaye. Farmacologia para a enfermagem. 9ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2004.
Goldenzwaig, Nelma Rodrigues Soares Choiet. Administração de Medicamentos na Enfermagem. Rio de
Janeiro. Guanabara Koogan. 2007
Springhouse Corporation. Farmacologia para Enfermagem - Série Incrivelmente Fácil. Rio de Janeiro:
Guanabara Koogan, 2006.
Bibliografia Complementar:
Bonfim, Érica. Bonfim, Graziela. Guia de Medicamentos em Enfermagem. Rio de Janeiro. Atheneu. 2004
Figueiredo, Nébia Maria A. Administração de Medicamentos: Revisando uma Pratica de Enfermagem. São
Paulo. Yendis. 2005.
Nascimento, Marilene Cabral. Medicamentos: Ameaça ou Apoio a Saúde. Rio de Janeiro. Vieira e Lent.
2003.

36