Você está na página 1de 14

9.

Mentalidade Arcaica e
Categorias de Pensamento

(CATEGORIAS COLETIVAS
LIBERDADE] (1921)'

DE PENSAMENTO

Os socilogos felicitar-se-o com o fato de que um fil


sofo como Weber faa trabalhos da Escola sociolgica. Com
efeito, admite conosco: a noo de causalidade se apresenta,
antes de qualquer outra forma, na histria do pensamento
humano, sob aquela da crena na virtude dos ritos em geral
e das palavras em particular; e a noo de liberdade metaf
sica, supondo esta noo da causalidade mgica e religiosa,
supe, pois, estas crenas.
Entretanto, mesmo registrando este acordo de princ1p10
com Weber, este nos permitir narrar de maneira diferente da
dele, na medida em que a entrevemos, a histria destas noes.
Primeiramente - como diz Parodi -, no somente
com relao s palavras, sua magia, mas tambm com re
lao aos gestos e seu poder criador, que foi elaborada a
noo de eficcia. Alis, na medida em que podemos repre
sentar-nos as mentalidades ditas primitivas, a diferena entre
a palavra e o ato no a to granre como em nossos esp
ritos ocidentais. Isto verdade em dois sentidos. A palavra
um ato, como diz Weber, mas, inversamente, o rito uma
palavra. Tomemos, se quiserem, um grupo de sociedades bem
definidas e bem conhecidas, e no falemos mais de selva
gens e de prin\itivos. Escolhamos, por exemplo, certas tribos
Interveno que se secuht a u'?a <"Omunlca de L. Weber...LI
liertp et lan;;ace":
extrada do Bullctm de la Sor,ct, Jran(ni,e 1lc p/J!.
/c,so ltie, 21. 1 Ocuvrcs, v. n. pp. 121-152.l