Você está na página 1de 9

Escola Secundária de Serpa

“Energia Solar - Colector”

Relatório

Iniciamos o ano lectivo com a construção dos grupos de trabalho, sabendo que os
grupos que iríamos escolher teriam de ser mantidos ao longo de todo o projecto. Feito isto, foi
hora de escolher o tema do projecto que iríamos desenvolver, no nosso grupo em particular,
foi uma escolha bastante rápida, uma vez que foi um tema que surgiu logo de inicio e com o
qual todos os elementos do grupo concordaram. Assim o tema escolhido foi a Energia Solar,
com vista á construção de um colector solar. Escolhemos este tema pois trata-se de um
assunto que tem vindo a ser bastante debatido nos últimos tempos, principalmente devido á
crise que se abateu, desta forma tentamos adaptar o tema á nossa comunidade,
direccionamo-nos principalmente para a energia solar pois pensamos que era a única que
tinha algum impacto na nossa região, e optamos pela construção de um colector solar, pois é
algo que a maior parte das pessoas não tem conhecimento do que seja, pensando que se trata
do mesmo que um painel solar, assim desta maneira, acabaríamos também por transmitir
algumas ideias novas e quiçá algumas opções do que teriam a sua disposição quando chegar a
altura de escolher o que utilizar na sua própria casa.
Para que conseguíssemos dar seguimento às nossas ideias tivemos primeiro de
planificar todo o nosso projecto, uma planificação que abrangesse todo o ano lectivo, esta foi
uma fase do trabalho em que tivemos alguma dificuldade, pois nunca tínhamos realizado algo
do género, e não tínhamos percebido a ideia fundamental da planificação, mas acabamos por
perceber a importância da planificação, conseguindo realizar uma para o nosso projecto.
O problema inicialmente levantado foi o seguinte: “Qual a melhor maneira de
aproveitar a energia solar em proveito da nossa escola?”, escolhemos este problema pois a
partir dele, poderíamos trabalhar varias vertentes, entre as quais, a pesquisa, a componente
prática, a sensibilização da comunidade, e a resolução do problema, nesta última onde entraria
a construção do colector solar. Por sua vez, este problema fez com que se levantassem vários
problemas parcelares, estes que tentaram ser resolvidos ao longo do nosso trabalho.
Numa primeira fase do projecto dirigimo-nos aos órgãos competentes da escola, de
maneira a confirmar se o nosso projecto seria exequível. Tendo a confirmação, prosseguimos
com o projecto. No que toca a divisão das tarefas, não definimos algo especifico, no entanto,
com alguns elementos dominam determinadas áreas melhor do que os outros, tentamos
distribuir as tarefas segundo esses conhecimentos. Por exemplo, as pesquisas distribuímos de
forma igual entre todos os elementos, as entrevistas foram alguns elementos com mais
desenvoltura que as realizaram, tal como foi o caso dos inquéritos, entre outras tarefas.

1 Ano lectivo 2009/2010


Escola Secundária de Serpa
“Energia Solar - Colector”

Quanto á calendarização das actividades, tentamos distribuir as tarefas de maneira a


criar um processo de aprendizagem contínuo, de forma a obtermos os conhecimentos a par
das tarefas necessárias a realizar. Durante o primeiro período o nosso trabalho baseou-se em
pesquisas, e em projectar os elementos a trabalhar no próximo período, tal como foi o caso
dos inquéritos, do blog do projecto, da preparação das entrevistas, da pesquisa de pessoas
com conhecimentos do nosso tema de maneira a pedir ajuda, no entanto, a maior parte do
período foi a tratar de algumas pesquisas necessárias para continuar com o trabalho, pois era
necessário adquirirmos alguns conhecimentos base de modo a que nos fosse possível realizar
o nosso projecto sem estarmos dependentes de terceiros.
Para realizar o projecto servimo-nos de diferentes meios de informação, como foi o
caso livros escolares de anos anteriores, livros sobre climatologia, sites sobre energia solar e
sobre colectores, e também entrevistas a pessoas com conhecimentos sobre o tema. Deste
modo, conseguimos alargar os nossos conhecimentos sobre o tema, permitindo-nos
fundamentar e completar a planificação do trabalho como também o tema-problema e a
pergunta de partida.
Durante a realização das pesquisas tivemos de definir uma ordem ideal dos
conhecimentos a adquirir, esta mesma ordem que colocamos na planificação, através desta
ordem de trabalhos foi-nos permitido estruturar todo o nosso trabalho. Como tal, definimos
algum tempo do nosso trabalho só para a realização das pesquisas e para adquirir
conhecimentos que considerávamos necessários.
Servimo-nos de várias técnicas de trabalho para iniciar a nossa pesquisa, numa
primeira fase, procedemos a um questionário aos órgãos educativos da escola, de modo a
verificarmos se a realização do nosso projecto teria algum fundamento e interesse para a
comunidade escolar, confirmada a possibilidade de realização do projecto, prosseguimos com
o seu desenvolvimento. Procedemos então á realização de entrevistas exploratórias,
inquéritos a uma pequena amostra da população escolar, e a várias observações de colectores
e de painéis solares utilizados por outras instituições escolares na região.
Visto o nosso trabalho ter uma componente mais prática, as técnicas de trabalho
ficam um pouco condicionadas, principalmente tendo em conta que o nosso projecto tem um
objectivo muito bem definido, a construção de um colector. No entanto a maior parte do seu
fundamento e da sua projecção tem uma componente teórica muito grande, muito maior do
que nós pensávamos quando escolhemos o tema e, devido a estas razões optamos por utilizar
técnicas de observação, inquéritos, e pesquisas via Internet e bibliográfica para responder a
todos os problemas levantados durante a realização do trabalho. O motivo pelo qual

2 Ano lectivo 2009/2010


Escola Secundária de Serpa
“Energia Solar - Colector”

escolhemos estas técnicas encontra-se profundamente relacionado com a componente prática


do projecto, uma vez que temos de adquirir todos os conhecimentos necessários de forma
autónoma para que possamos por nós próprios construir o colector.
A observação a outros aparelhos de captação de energia solar foi realizada de
maneira a que conseguíssemos perceber quais os verdadeiros benefícios de construir um
colector solar na nossa escola, pois a ideia de aproveitar a energia solar em proveito da escola
era bastante útil, principalmente na medida em que reduziria em grande escala a energia gasta
pela nossa escola, porém corríamos o risco que a sua utilidade não fosse tanta quanto nós
pensávamos. Mas, ao observar nas outras escolas os colectores solares e os painéis,
percebemos que as vantagens da sua utilização numa escola eram muito boas, e que vivendo
numa zona como a nossa, onde dispomos com bastante frequência da energia solar,
consideramos um grande desperdício não aproveitarmos este recurso em nosso proveito.
Os inquéritos efectuados aos alunos foram realizados com o objectivo de nos ser
possível realizar um balanço dos conhecimentos gerais dos alunos sobre o nosso trabalho, e
também para nos dar uma ideia sobre os assuntos que iríamos abordar na apresentação final
do trabalho, e aquando da sensibilização da comunidade para a importância do uso das
energias renováveis.
Optamos por seguir esta ordem de trabalhos, pois pensamos que só assim nos seria
possível adquirir os conhecimentos e materiais de trabalho a tempo do desenvolvimento do
projecto. O nosso trabalho tinha em vista a construção de um colector solar na escola, mas
caso não nos fosse possível realizar esta construção, por algum motivo em especial, pensamos
em construir uma maquete de um colector solar e expô-la na nossa escola, para quem tivesse
interesse em vê-la. Resumindo decidimos que os trabalhos de pesquisa iriam ser realizados nos
primeiros períodos, com o auxílio de inquéritos, entrevistas exploratórias e estudo do local
para a construção do projecto. Só no 3ºperíodo é que passamos para a parte prática do nosso
projecto, que visava a construção do colector, como tal não foi possível por motivos
orçamentais, acabamos por ter de construir a maquete de um colector solar.
Para avaliar o nosso projecto escolhemos servir-nos do blog, e da campanha de
sensibilização, mas mais tarde abrimos uma conta no facebook, que também seria utilizado
para avaliar o nosso projecto. Pelo blog, realizamos umas votações, onde as ao visitarem e
votarem, ficariam registadas os seus votos. Já a campanha de sensibilização, permite-nos
avaliar pessoalmente o nosso trabalho, através do contacto com as outras pessoas, e ouvindo
a sua opinião sobre o nosso trabalho. Trata-se de um avaliação mais pessoal, onde seremos
nós a contactar pessoalmente com as pessoas, no entanto, é um dos pontos de maior

3 Ano lectivo 2009/2010


Escola Secundária de Serpa
“Energia Solar - Colector”

interesse do projecto. O facebook é um meio de avaliação muito semelhante ao blog, porém é


mais rápido, pois podemos avaliar o impacto do nosso projecto através das pessoas que se
associaram a nossa página.
No segundo período demos inicio a várias fases do nosso trabalho, no entanto, não nos
limitamos a seguir o que tínhamos definido na planificação realizada no 1ºperíodo, pois
acabamos por criar novos pontos de interesse e a redefinir os objectivos do nosso trabalho.
Logo no inicio do segundo período, dirigimo-nos á Câmara Municipal de Serpa, de
maneira a saber se o município se encontrava a desenvolver algum projecto no actual
momento, com vista a promover as energias renováveis. Como descobrimos que estava um
projecto em desenvolvimento, preparamos uma pequena entrevista á responsável pelo
projecto. Nesta pequena reunião, tomamos conhecimento sobre o dito projecto. Esse projecto
consiste em construir painéis solares em casa dos munícipes, em parceria com uma empresa,
reduzindo bastante o custo destes equipamentos, pois, cada munícipe investe somente 1000€,
tendo acesso a 25% da energia durante x anos. Descobrimos também, que a Câmara Municipal
se encontrava a construir painéis e colectores solares nas entidades públicas, e descobrimos
que a nossa escola estava inserida nesse projecto, ou seja, a Câmara esta a desenvolver um
projecto que se destina á construção de painéis solares na nossa escola.
Seguindo-se á entrevista da responsável pelos projectos sobre as energias renováveis,
ainda dentro do mesmo órgão competente, entrevistamos uma arquitecta. Esta foi de todas, a
entrevista que mais nos orientou. Em conversa com a arquitecta Maria Manuela, tomamos
conhecimento de que poderíamos promover o nosso projecto através da construção de uma
memória descritiva. Ao elaborar a memória descritiva, permite-nos não só orientar o nosso
trabalho, como também, após a termos construída, apresentar o nosso projecto á Câmara
Municipal, de maneira a que este seja inserido no projecto que já esta em desenvolvimento
para a nossa escola. No entanto, foi-nos logo dito que seria algo um pouco difícil de realizar,
uma vez que nos tratávamos de alunos no ensino secundário, com poucos conhecimentos de
arquitectura e engenharias, que se tornariam essenciais numa determinada fase da construção
da memoria descritiva, mesmo assim, decidimos levar avante a ideia, mesmo com todas as
limitações que nos seriam impostas, e a dita arquitecta propôs-se em auxiliar-nos caso fosse
necessário. Desde logo, reparamos que era algo que demoraria algum tempo, e que seria
necessários abordar várias coisas que até então não tínhamos pensado em desenvolver, como
tal, tivemos de realizar novas alterações na planificação do nosso projecto, adicionando-lhe
novos objectivos. Para realizar a memória descritiva, tivemos de pedir algumas plantas da

4 Ano lectivo 2009/2010


Escola Secundária de Serpa
“Energia Solar - Colector”

cidade e da escola á Câmara, de modo a iniciar o trabalho, estas mesmas plantas que foram
anteriormente recomendadas pela arquitecta entrevistada.
Durante algumas aulas decidimos pesquisar sobre as escolas que já tinham os painéis
solares e os colectores instalados, indo visitar algumas delas, levantando algumas opiniões
quanto às vantagens da sua utilização.
Foi por esta altura que analisamos os inquéritos que realizamos aos alunos no 1º
período, realizando um levantamento de todas as respostas que nos foram dadas, publicando-
as depois no nosso blog.
Iniciamos também um estudo aos possíveis locais para a construção do colector,
analisando o refeitório, o bar e ainda os balneários. Registamos ainda a média de água gasta
pela escola diariamente. O local mais indicado para a construção do colector, seriam os
balneários, uma vez que se trata do local da escola, que consome mais água quente. Porém,
foi-nos informado que o projecto da Câmara Municipal consistia na construção dos painéis
solares para os balneários, pelo que não seria viável planear a construção do colector solar
para o mesmo local, desta forma, o local escolhido para a construção foi o refeitório da escola,
uma vez que se trata do segundo local da escola com um maior consumo de água quente.
Segundo isto, continuamos com as nossas pesquisas, mas estas, já mais direccionadas
para um objectivo, o colector, enquanto no período passado, as nossas entrevistas eram
realizadas, tendo em vista as energias renováveis, e outros assuntos tratados mais na
generalidade, no segundo período as nossas entrevistas foram realizadas tento em vista
somente a construção do colector solar.
Planeamos também uma campanha de sensibilização, esta campanha foi uma nova
ideia que surgiu no segundo período. Resumidamente tratava-se de visitar vários locais
públicos, como é o caso do Centro de dia, do Lar de Idosos, de alguns cafés, fazendo algumas
perguntas sobre os conhecimentos das pessoas sobre as energias renováveis, sobre a energia
solar, e sobre qual a melhor forma de aproveita-la. Pois, nos inquéritos que realizamos,
verificamos que as pessoas têm falsos conhecimentos sobre o tema, não sabendo realmente
quais as vantagens que estes equipamentos trazem, e o quão prejudicial são para saúde
ambiental algumas atitudes que temos no nosso quotidiano e que acabam por tornar-se
irreversíveis. Esta campanha foi programada para realizar somente no terceiro período, no
entanto, demos-lhe início ainda no 2ºperíodo.
Apesar das tarefas iniciadas neste período, empenhamo-nos mais na construção da
memória descritiva, pois, seria através desta que iriamos conseguir apresentar o nosso
trabalho às entidades competentes, e quiçá, construi-lo. No entanto, é um trabalho muito

5 Ano lectivo 2009/2010


Escola Secundária de Serpa
“Energia Solar - Colector”

demorado, pois exige que realizemos varias etapas, algumas das quais não temos
conhecimento o suficiente, pelo que teríamos de ter vários conhecimentos em determinadas
áreas que nesta altura ainda não nos compete saber. Para tal, solicitamos via e-mail uma nova
reunião com a arquitecta Maria Manuela, que muito gentilmente nos concedeu uma nova
reunião, mostrando-nos qual a melhor maneira de proceder á realização da memória
descritiva do colector solar.
Os inquéritos que realizamos e as entrevistas constituem um instrumento de
observação do grupo, pois através delas, conseguimos ter uma ideia do conhecimento das
pessoas sobre várias questões sobre o nosso projecto, algumas das quais bastante debatidas
actualmente, visto os problemas energéticos com que nos deparamos presentemente; e
através das entrevistas conseguimos adquirir muitos conhecimentos que, caso não fosse
através delas, não nos seria possível saber, pois os conhecimentos humanos, o contacto
pessoal com o tema é muito mais gratificante e enriquecedor, do que o conhecimento
somente obtido através dos livros e da internet.
Ao analisarmos toda a informação obtida, podemos notar vários aspectos. De toda a
população analisada, todos sabem o que são energias renováveis e todos as apoiam. Quanto á
utilização das energias não- renováveis, a maior parte dos alunos não apoia a sua utilização,
mas os alunos que a apoiam ainda constituem uma parte significativa. Uma grande parte da
população não utiliza energias renováveis em casa, nem tem conhecimento sobre a diferença
entre painéis solares e colectores solares, e ainda, uma menor percentagem sabe como
funcionam estes aparelhos. Quando perguntámos nos inquéritos, se sabiam se a construção de
um colector traria alguma vantagem ou não para a escola, a resposta que foi dada em maior
quantidade foi, “não sei”, o que demonstra que a inconsciência das pessoas face este tema.
Este é um dos tópicos que abordaremos a partir de agora com maior interesse, pois
pretendemos passar este conhecimento às pessoas da nossa comunidade, uma vez, que este
género de energias constituem o nosso futuro, e os jovens de agora, serão os novos adultos de
amanha, como tal, pretendemos provocar um impacto nestes jovens, sensibilizando-os para
esta verdade inconveniente que pertence ao nosso futuro. Segundo estes conhecimentos
realizamos a montagem do nosso blog, colocando lá a informação de acordo com os
resultados que obtemos nos inquéritos.
No inicio do 3ºperíodo não tínhamos professor disponível para a disciplina, não
sabendo mesmo se voltaríamos a ter algum professor para a disciplina, nesse tempo fomos
complementando o que faltava a memoria descritiva, pelo menos o que estava ao nosso
alcance.

6 Ano lectivo 2009/2010


Escola Secundária de Serpa
“Energia Solar - Colector”

No final do mês de Abril, já com o novo professor da disciplina, voltamos a dar


recomeçar o nosso trabalho, neste mês abrimos uma conta no facebook, devido a sua
popularidade e facilidade com que conseguiríamos divulgar o nosso projecto. E escrevemos
ainda uma carta a enviar para a Câmara Municipal de Serpa, solicitando uma reunião para que
nos fosse possível apresentar o nosso projecto, propondo que este fosse adicionado ao
projecto da própria Câmara Municipal para a nossa escola.
O mês de Maio foi aquele onde realizamos tudo para a apresentação do nosso
projecto. Devido a pesquisas que já tínhamos realizado anteriormente, já sabíamos quais eram
os constituintes do colector solar, a partir daí tivemos somente de ver quais os materiais que
eram necessários de maneira a que conseguíssemos recriar o colector solar. Dirigimo-nos a
algumas lojas aqui em Serpa a procura de alguns materiais, mas tivemos alguns problemas em
encontrar o que necessitávamos, tendo de recorrer a outras alternativas. A célula fotovoltaica
foi emprestada por o SR. Carlos, um funcionário da escola que muito gentilmente nos ofereceu
a sua ajuda, para construir o suporte tivemos recorremos a uma carpintaria que nos ofereceu a
madeira, o depósito e a mangueira foi material que trouxemos de casa e pensamos que fosse
útil para a maquete, o material como cartolinas, cola, tesoura, tintas, pincéis, papel de cenário,
lixa, foi fornecido pela escola, por sua vez o material de construção como o martelo foi trazido
de casa e os pregos foram oferecidos pela drogaria “Graça”. O único material que foi
necessário comprar foi os spray’s. Resumidamente, conseguimos realizar a maquete com um
custo bastante reduzido, algo que pensávamos não conseguir. Após termos acesso ao material
necessário para a maquete, agendamos a nossa exposição para dia 4 de Junho, e começamos a
construir a maquete. Á medida que fomos construindo a maquete, escrevemos os convites a
entregar a todas as turmas da escola, de modo a que elas tivessem conhecimento da nossa
exposição, fizemos também uns cartazes a espalhar pelo escola a anunciar a exposição, e uns
boletins com alguma informação sobre o nosso projecto, de forma a acompanharem a nossa
exposição. Segundo isto, e acabada a construção da maquete, preparamos o local para a
exposição, e acrescentamos uma projecção de um diapositivo de power point com algumas
curiosidades sobre o nosso tema. Feito isto, montamos a nossa exposição que se prolongaria
até dia 8 de Junho, último dia de aulas.
Assim concluímos o nosso projecto. O objectivo inicial tinha sido construir um colector
solar na escola, mas tal não foi possível devido aos custos a que isso implicava. Reflectindo
sobre todo o nosso trabalho que realizamos ao longo do ano, achamos que se fossemos
começar tudo de novo agora, realizaríamos grande parte das coisas de outra forma. Pois agora
ao olhar para trás conseguimos ver que algumas das coisas que fizemos, poderiam ter sido

7 Ano lectivo 2009/2010


Escola Secundária de Serpa
“Energia Solar - Colector”

realizadas de várias outras maneiras, talvez fossem mais fáceis e produtivas do que aquelas
que foram utilizadas por nós.
Um problema que acabou por influenciar todo o nosso trabalho, foi quando no
1ºperiodo, passamos por uma fase onde não sabíamos o que havíamos de fazer, tínhamos
vários objectivos, mas faltavam-nos ideias para lhes dar inicio, chegando mesmo a pensar que
seria melhor alterar o nosso projecto e iniciar outro de novo. Porém acabamos por deixar essa
ideia e demos continuidade ao nosso projecto inicial, só a partir daí “ganhamos força” para
trabalhar a sério, no entanto, causou-nos um problema, acabamos por ficar atrasados quanto
a tudo que tínhamos planeado, mas mesmo assim, a partir desse momento começamos a
trabalhar mais.
Ao longo de todo o nosso projecto estivemos constantemente a alterar a planificação,
a par do desenvolvimento do projecto iam surgindo novas ideias, novas maneiras de ver as
coisas, e mesmo outras formas de trabalhar, estas que fomos sempre descobrindo á medida
que trabalhávamos no nosso projecto. Coisas como a memória descritiva surgiram somente no
2ºperíodo, esta era algo a que gostaríamos de nos ter dedicado mais, pois se tivéssemos mais
tempo para investir nisso poderia mesmo vir a tornar-se um dos grandes objectivos do nosso
trabalho, pois através dela, poderíamos ter implementado o nosso projecto a um projecto já
existente na Câmara Municipal de Serpa, mesmo assim tentamos realizar algo baseado numa
memoria descritiva, ficou muito aquém do que nós pretendíamos e ambicionávamos, mas
ficou boa e adequada nosso trabalho. Mesmo no final, para a preparação da apresentação do
nosso projecto iniciamos com uma ideia, mas no final surgiram-nos novas e diferentes ideias,
algumas delas ainda conseguimos adopta-las, porém algumas não nos foi possível devido ao
curto espaço de tempo que tínhamos disponível. Isto foi algo que se passou durante toda a
realização do projecto, ao realizarmos uma determinada coisa iam-nos surgindo novas ideias
para o projecto, estas que íamos adaptando ao que já tínhamos realizado anteriormente.
Contudo, houve várias ideias que não nos foi possível realizar, tínhamos planeado uma
campanha de sensibilização, que consistia em ir visitar vários locais públicos aqui em Serpa e
fazer pequenas entrevistas as pessoas, gravando-as ao mesmo tempo, com o intuito de
sensibiliza-las para a verdadeira importância do uso de energias renováveis e faze-las ver que
cada uma delas individualmente podia marcar a diferença. Todavia, foi algo a que não
conseguimos dar continuidade, pois era um trabalho que despendia de muito tempo, só nos
foi possível visitar um local, o centro de dia de Serpa, e iniciar e terminar lá a nossa ideia.
Mesmo assim, perante todas as peripécias a que o nosso projecto foi sujeito pensamos
que foi uma experiencia positiva, através deste conseguimos desenvolver a nossa autonomia,

8 Ano lectivo 2009/2010


Escola Secundária de Serpa
“Energia Solar - Colector”

e responsabilidade, tudo o que foi realizado foi por nossa iniciativa, onde os professores foram
os nossos coordenadores. Descobrimos quais as dificuldades de orientar um projecto,
principalmente quando temos algumas pessoas a trabalhar com o mesmo objectivo que nós,
sempre que surgia um problema, tentávamos resolve-lo em conjunto, tentando encontrar a
solução mais adequada, o mesmo acontecia quando surgiam novas ideias, quando estávamos
juntos expúnhamos as nossas opiniões e em conjunto decidíamos se seriam adequadas ou não
aos nossos objectivos. Com isto desenvolvemos o nosso método de trabalho em grupo, e
pensamos que é algo que nos será útil um dia mais tarde na nossa vida profissional.

Energia Solar Formas de captação da Tipos de colectores


energia solar solares

Construção de um
colector solar

9 Ano lectivo 2009/2010