Você está na página 1de 36

Pulverizadores

Acoplados

C0097268 - Nov/2009
C0097268 - Nov/2009
Pulverizadores Acoplados C0097268 - Nov/2009 Manual do Proprietário

Manual do Proprietário

MANUAL DO PROPRIETÁRIO 3

MANUAL DO PROPRIETÁRIO

3
3

Pulverizadores acoplados SLC e TLP

Modelos abagentes neste manual:

SLC 400L:

Tanque com capacidade para 400 litros e barras de pulverização de 12 a 14 metros.

SLC 600L:

Tanque com capacidade para 600 litros e barras de pulverização de 12 a 14 metros.

TLP 400L:

Tanque com capacidade para 400 litros e barras de pulverização de 10 a 12 metros.

TLP 600L:

Tanque com capacidade para 600 litros e barras de pulverização de 10 a 12 metros.

600 litros e barras de pulverização de 10 a 12 metros. Montana Indústria de Máquinas Ltda.
600 litros e barras de pulverização de 10 a 12 metros. Montana Indústria de Máquinas Ltda.

Montana Indústria de Máquinas Ltda. Rua Francisco Dal Negro, 3400 Tel: +55 (41) 2102-0200 Fax +55 (41) 2102-0230 PO Box 1582 - CEP 83025-320 São José dos Pinhais - Pr Internet: www.montana.ind.br e-mail: montana@montana.ind.br

SUMÁRIO 5

SUMÁRIO

5
5

1.0

- APRESENTAÇÃO Montana 400 / 600

7

2.0

- RECEBIMENTO DO APARELHO

8

2.1

Ao Receber o Equipamento, Verificar

8

3.0

- ESPECIFICAÇÕES TÉCNICA

9

4.0 - MONTAGEM

10

4.1

Ao receber o aparelho

10

4.2

Funcionamento

11

4.2.1

Abastecimento

11

4.2.2

Incidentes Possiveis

13

4.2.3

Funcionamento no Trabalho

14

4.2.3

( A ) Alimentação dos Bicos Aberta

14

4.2.3

( B ) Alimentação dos Bicos Fechada

15

5.0

- TABELA DE RENDIMENTO EM I/HA E HA/HORA

16

5.1

Velocidade em Km. por Hora

16

6.0

- BOMBA MPP 22

17

6.1

Ficha Técnica

18

6.1.1

Parte Mecânica

18

6
6

SUMÁRIO

6 SUMÁRIO
 

6.1.3

Início de Trabalho

19

7.0

- MANUTENÇÃO

20

7.1

Proteção contra Geadas

21

7.2

Incidentes de Funcionamento e Causas Prováveis

22

7.2.1 Vazão Nula ou Irregular

22

7.2.2 Pressão Insuficiente

24

7.2.3 Vazamento de Líquido pelas Camisas

24

7.2.4 Vazamento de Oléo

25

8.0

- REGULAGEM DA VAZÃO

26

8.1

Fórmulas Úteis

26

8.2

Medição da Velocidade de Trabalho

27

9.0

- INSTRUÇÕES COMPLEMENTARES

28

9.1

O Uso de Produtos Quimicos em Dosagens Não Especificicadas

28

9.2

Ao Manusear Produtos Químicos

28

10.0

- CERTIFICADO DE GARANTIA

30

11.0

- TERMOS DE GARANTIA

31

1.0 - APRESENTAÇÃO 7

1.0 - APRESENTAÇÃO

7
7

Montana 400/600

Máquina desenvolvida de acordo com pesquisas de orgãos governamentais com a finalidade específica de pulverizar culturas baixas como: Soja, Milho, Trigo, Arroz, etc.

Atendendo as necessidades técnicas, este equipamento com barra de 14 metros poderá fornecer um rendimento de até 6,09 ha/hora (verificar tabela pág. 08)

Equipamento tracionado por tratores agrícolas, providos de barra de tração e tomada de força universal, com potência mínima necessária de aproximadamente 15 HP.

8
8

2.0 - RECEBIMENTO DO APARELHO

8 2.0 - RECEBIMENTO DO APARELHO

2.0 - Recebimento do aparelho:

A Montana Indústria de Máquinas Ltda, orgulha-se em registrá-lo como usuário de seus produtos e aconselha a leitura cuidado- sa deste manual, elaborado criteriosamente com a finalidade de proporcionar-lhes a má- xima vida útil e o maior rendimento possível do Montana 400/600.

Ao receber o equipamento:

- Nº do chassi

- Nº da bomba

- Equipamento montado

- Cardan montado

(01 unidade)

- Mangueira de reabastecimento

(01 unidade)

Qualquer item faltante no equipamento deverá ser mencionado na nota fiscal, não cabendo assim posteriores reclamações.

3.0 - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS 9

3.0 - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

9
9

3.0 - Especificações Técnica:

TANQUE de Polietileno Capacidade 400 a 600 l. Filtro na boca do tanque. Reservatório lateral
TANQUE
de Polietileno
Capacidade 400 a 600 l.
Filtro na boca do tanque.
Reservatório lateral de água.
AGITAÇÃO
Mecânica por hélice na lateral do
tanque, ou hidráulica por retorno.
COMANDO
Distribuidor de 2 o 4 obturadores, com
regulador de pressão.
FILTRAGEM
BOMBA MPP 22
Um vanofiltro com válvula de limpeza.
Vazão 80 Litros/min.
Pressão: 29 Kg/cm² ( 400 libras/pol² )
Peso: 32 Kg
Camisas - em cerâmica
RATAÇÃO
540 RPM en la TDP
DIMENSÕES
PESO
265 Kg
ALTURA
3.000
mm
LARGURA
1.770
mm
Comprimento
1.580
mm
LUBRICAÇÃO
SISTEMA HIDRÁULICO
Óleo SAE 30 HD - Verificar nível diariamente
BOMBA MPP 22
Trocar o óleo a cada 100 horas de
Trabalho
GRAXA
A base de Lítio, de boa calidade
LIMPEZA
Após o uso da máquina faça percorrer no circúito, água limpa.
10
10

4.0 - MONTAGEM

10 4.0 - MONTAGEM

4.0 - Montagem:

Fig. 01
Fig. 01
Fig. 02
Fig. 02
Fig. 03
Fig. 03

4.1 Ao Receber o Aparelho:

se

encontram colocados no interior do tanque.

1. Retirar

os

acessórios

que

2. Verificar o nível de óleo da bomba

verifique a ficha técnica pág. 17 (Fig. 09).

3. Fixar o eixo cardan sobre o eixo de

transmissão da máquina. Cortar na medida

se precisar (Fig. 01).

4.0 - MONTAGEM 11

4.0 - MONTAGEM

11
11

4. Engatar o aparelho no trator.

Apertar fortemente os pinos de

suporte da máquina na posição desejada.

(A melhor posição é a do meio)

Fixar os braços do hidráulico nos pinos (A). (Fig. 01).

Colocar o eixo cardan (B) no lugar

(Observar instruções do construtor)

Ligar o braço do 3º (terceiro)

ponto do trator (C) no eixo (D) da máquina.

Levantar o aparelho na altura

desejada de tal modo que o ângulo (1) do eixo cardan não ultrapasse 25º em relação à tomada de força.

4.2 - Funcionamento:

4.2.1 Abastecimento:

1. Colocar cerca de 20 litros de água

no tanque.

2. Limpar o elemento filtrante do

vanofiltro. Para isto:

Feche a válvula (posição A – embaixo). (Fig. 02).

Afrouxe o volante de blocagem (B). (Fig. 02).

Soltar o estribo (C) retirar o

conjunto tampa e elemento filtrante. Efetuar a limpesa geral. (Fig. 02).

3. Abra a válvula do vanofiltro,

(posição D – em cima) (Fig. 02).

a mangueira de abastecimento (A), na boca do hidroinjetor(B). (Fig. 03).

4.

da

Encaixar

extremidade

ATENÇÃO! Cuidados especiais:

Para evitar acidentes com manobras erradas, travar o sistema hidráulico na posição desejada com as barras especiais do trator (barras de triangulação). Travar também o dispositivo que impede as oscilações laterais.

12
12

4.0 - MONTAGEM

12 4.0 - MONTAGEM

5. Feche

(Fig.04).

os

obturadores

(A)

6. Feche o registro de distribuição

(B), girando-o no sentido horário. (Fig. 04).

7. Acionar a tomada de potência do

trator progressivamente até 540 RPM.

8. Acompanhe o enchimento do

tanque.

9. Quando o tanque estiver

completo:

Reduzir pela metade o regime de

funcionamento.

Retirar

reabastecimento.

a

mangueira

de

Fechar a boca do hidro-injetor com o tampão (C) (Fig. 03).

Fig. 04
Fig. 04
Fig. 05
Fig. 05
4.0 - MONTAGEM 13

4.0 - MONTAGEM

13
13
Fig. 06
Fig. 06
Fig. 07
Fig. 07

4.2.2 Incidentes Possiveis:

01. Vazão insuficiente ou nula ao

reabastecer; (Fig. 05)

Diâmetro do giclê (A) inadequado

( deve ser de 7,5 mm para Bomba MPP 22 e 8,5mm para MPP 33) (Fig. 05).

Entrada de ar na mangueira de

reabastecimento (B). Mangueira furada ou não vedada ao encaixar na boca do injetor. (Fig. 05).

Tela do filtro com extremidade obstruída.

Injetor (C) e Venturi (E) não

apertados (entrada de ar pela junta). (Fig. 05).

Verificar o funcionamento do eixo

da válvula anti-retorno (F). (Fig. 05).

14
14

4.0 - MONTAGEM

14 4.0 - MONTAGEM

2. O líquido volta pela mangueira de rea-

• Controlar

a

pressão

do

bastecimento.

manômetro (C) e bloquear na regulagem desejada com a contra-porca (E).

Verificar o funcionamento da válvula (G)

(Fig. 06).

e

o funcionamento do seu eixo (F). (Fig. 05).

 

O excesso de líquido volta para o

3.

Ver também os folhetos da bomba.

fundo do tanque proporcionando a agi- tação do produto.

4.2.3 Funcionamento no Trabalho:

( A ) Alimentação dos Bicos Aberta (Fig. 06).

• Ver tabela de bicos para definir a regulagem desejada.

• Abrir os obturadores de alimentação

(A). Extremidade das alavancas voltadas para

o tanque. (Fig. 06).

• Abrir o registro (B) de distribuição gi- rar no sentido anti-horário. (Fig. 06).

4.0 - MONTAGEM 15

4.0 - MONTAGEM

15
15

( B ) Alimentação dos Bicos Fechada (fig. 07).

• Fechar simplesmente o registro

(B) girando-o no sentido horário. (Fig. 07).

obturadores

manômetro (C) e o regulador (D), ficam isolados do circuito de pulverização. (Fig. 07).

o

• Os

(A),

• A totalidade do líquido passa na

parte traseira do distribuidor e volta ao tanque pelo hidro-injetor o que propor- ciona uma agitação constante do produ- to. Como o líquido não passa pelo regu- lador de pressão as molas do mesmo fi- cam aliviadas, o que resulta em maior fidelidade e durabilidade do sistema.

16
16

5.0 - TABELA DE RENDIMENTO EM L/HA E HA/HORA

16 5.0 - TABELA DE RENDIMENTO EM L/HA E HA/HORA

5.0 - Tabela de rendimento em l/ha e ha/hora:

5.1 - Velocidade em Km. por Hora:

 

Velocidade em Km. Por hora

 
 

3

4

5

6

7

8

Vazão máxima l/ha Rendimento ha/h

914,00

685,00

548,00

457,00

391,00

342,00

2,28

3,04

3,8

4,56

5,33

6,09

Exemplo:

A 5 Km teremos uma vazão máxima de 548 litros /ha conseguindo cobrir 3,8 ha em uma hora.

6.0 - BOMBA MPP 22 17

6.0 - BOMBA MPP 22

17
17

6.0 - Bomba MPP 22:

B
B

Dimensões:

260 380 470 215
260
380
470
215
18
18

6.0 - BOMBA MPP 22

18 6.0 - BOMBA MPP 22

IMPOTANTE:

Não deixar girar a bom- ba quando o circuito hidráulico não contiver líquido. O conse- qüente aquecimento poderá da- nificar os corpos de pistão.

6.1 Ficha Técnica:

 

CARACTERÍSTICAS

VAZÃO

MPP 22

-

80 L/min

MPP 33

-

104 L/min

 

MPP 22

-

-

29 Kg / cm² - 400 psi 25 Kg / cm² - 350 psi

PRESSÃO

MPP 33

PESO

32 Kg

1 - Parte Mecânica:

Mecanismos em banho de óleo girando sobre rolamentos de esferas. Cilindro de aço, com revestimento em (porcelana ou cerâmica opcional).

2 - Parte Hidráulica:

Conjunto de cabeçotes em 3 ele- mentos separados.

Sua bomba MPP foi construída com toda seriedade que se possa esperar

Coletor de sucção e recalque me-

de uma grande empresa, cuja principal preocupação é a qualidade. Para sua

tálico.

utilização e manutenção, siga as instruções abaixo:

Corpos de pistões especiais com desgaste compensado.

As bombas MPP giram com a rotação da tomada de força do trator (540 RPM).

Assento das válvulas e válvulas de inox intercambiáveis.

A parte mecânica fica isolada da

Elas são compostas por duas partes:

parte hidráulica, de maneira que um va- zamento nos cilindros não prejudica o mecanismo em banho de óleo.

6.0 - BOMBA MPP 22 19

6.0 - BOMBA MPP 22

19
19

6.2 - Início de Trabalho:

Antes de por a bomba em funciona-

mento verificar se ela contém óleo neces- sário à sua lubrificação. (Fig. 08) Para isso:

1

-

• Retirar o bujão de nível (A).

• Verificar o nível.

• Se for necessário, completar o vo-

lume de óleo enchendo até a marca grava- da na haste.

• Para esvaziar, retirar o bujão inferi- or (B).

• Utilizar óleo mineral de boa qualida- de, tipo SAE-20 ou 15W40.

2 - No início do período de amaciamento (20 a 30 horas) aproxima- damente, deixar funcionando a bomba com pressão máxima de 285 l/pol2, ou seja, 20 kg/ cm2.

20
20

7.0 - MANUTENÇÃO

20 7.0 - MANUTENÇÃO

OBSERVAÇÃO:

No final de cada dia de pulverização, faça a bomba fun- cionar com água limpa por al- guns minutos.

7.0 - Manutenção:

Controlar o nível de óleo a cada 50 horas de trabalho.

1

-

2 -

amaciamento (30 horas) trocar o óleo.

Depois

do

período

de

3 -

mento ou no fim de cada temporada de pulverização:

Depois de 200 horas de funciona-

• Trocar o óleo.

• Verificar o estado dos corpos dos pistões.

• Limpar conjuntos válvulas/assentos

(se eles estiverem cobertos por uma ca- mada viscosa e aderente de produtos ole- osos, limpá-los com gasolina. Antes de montá-los novamente lubrificá-los com

óleo).

7.1 - Proteção Contra Geadas:

Não deixe a bomba ficar exposta ao gelo, esvaziar completamente o circuito hidráulico. (pulverização).

Esta operação é simples e rápida verificar: (Fig. 09).

• Retire as 4 (quatro) porcas (A) das barras roscadas (B).

• Solte o coletor de aspiração (C).

• Levante o coletor de recalque (D).

• Com o dedo, levante as válvulas

(E) para deixar escoar o pouco de líqui-

do que ficou dentro dos cabeçotes e no coletor de recalque.

• Certifique-se que a mangueira de

aspiração esteja vazia (solte o joelho da conexão).

7.0 - MANUTENÇÃO 21

7.0 - MANUTENÇÃO

21
21

Fig. 09

7.0 - MANUTENÇÃO 21 Fig. 09 Fig. 10

Fig. 10

7.0 - MANUTENÇÃO 21 Fig. 09 Fig. 10
22
22

7.0 - MANUTENÇÃO

22 7.0 - MANUTENÇÃO

7.2 - Incidentes de Funcionamento e Causas Pováveis:

7.2.1 - Vazão Nula ou Irregular:

A -

os obturadores (saída do ar retido).

Soltar o regulador de pressão. Abrir

Verificar o circuito de pulverização, em particular:

B -

• A abertura da válvula do vanofiltro.

Limpeza do filtro;

• Corpo estranho obstruindo uma mangueira ou uma conexão;

• Mangueira com dobra muito fecha-

da, dificultando a passagem do líquido;

• Retirar o coletor de sucção (B) e o coletor de recalque (C);

• Verificar o conjunto das válvulas

C.1 - Engripamento da válvula no seu as- sento: soltá-la e lubrificá-la.

C.2 - Possível presença de um corpo es- tranho na “gaiola” (l)

C.3 - Deterioração de uma válvula, de uma “gaiola”, ou de um assento: substituir a peça danificada.

D -

Remontar as peças nos seus lugares:

O bom estado das juntas de vedação

(Fig. 10)

e

aperto das conexões.

 

• Anel de vedação (E);

C

-

Controlar as válvulas da bomba.

• Assento da Válvula;

(Fig. 10)

• Válvula (G);

• Soltar 4 (quatro) porcas (A);

• Mola (H);

• “Gaiola” (l).

7.0 - MANUTENÇÃO 23

7.0 - MANUTENÇÃO

23
23

Fig. 11

7.0 - MANUTENÇÃO 23 Fig. 11 Fig. 12 Fig. 13

Fig. 12

7.0 - MANUTENÇÃO 23 Fig. 11 Fig. 12 Fig. 13

Fig. 13

7.0 - MANUTENÇÃO 23 Fig. 11 Fig. 12 Fig. 13
24
24

7.0 - MANUTENÇÃO

24 7.0 - MANUTENÇÃO

7.2.2 Pressão Insuficiente:

A rotação da bomba é insuficien-

te;

O regulador de pressão está mal

regulado ou sua mola ficou fraca;

Os bicos são em numero excessi-

vo, seus orifícios são muito grandes ou estão alargados pelo uso.

7.2.3 Vazamento de Líquido

pelas Camisas:

• As camisas estão trincadas e/ou quebradas;

• Os CUPS estão gastos e/ou dani- ficados;

Procedimento para Troca da Camisa e CUP (fig. 11):

Chaves necessárias: 12, 19 1/4

Soltar as porcas (A)

• Retirar a barra de fixação das tampas

do cabeçote (B), e remover o cabeçote com os coletores com a tampa da culatra (C) e a junta de vedação dos coletores (D)

• Retirar a junta do cabeçote (E)

• Solte a porca e contra porca de fixa- ção da camisa (F)

• Retire arruela de fixação de proteção do CUP (G)

• Remova o CUP (H), o suporte do CUP

(I) , o Anel O'ring (J) , o anel de vedação (K) e a junta de proteção da camisa (L)

7.0 - MANUTENÇÃO 25

7.0 - MANUTENÇÃO

25
25

• Retire a chapa de proteção das ca- misas (M).

• Remova a camisa (N);

Para montar de novo inverter a ordem de operação.

7.2.4 Vazamento de Óleo:

Procedimento para Regular os Corpos de Pistão: (fig. 12).

• Soltar s quatro parafusos (A);

• Retirar a flange (B));

• Verificar e trocar se necessário, a

guarnição de papel (C) o retentor (D).

Vazamento de Óleo embaixo dos Cilindros:

• Os retentores das luvas de encos- to estão danificados.

Para substituí-los, desmontar as luvas conforme instruções de desmontagem dos cilindros: depois como indicado na (fig. 14), retirar o retentor (B) e a luva (A).

CUIDADO!

Ao substituir um

retentor, tome as precauções para não danificar os lábios do mesmo (particularmente para

o retentor (B) da (fig. 14).

Antes da montagem, lubrificar

o retentor, assim como seu alojamento.

26
26

8.0 - REGULAGEM DA VAZÃO

26 8.0 - REGULA GEM DA VAZÃO

8.0 - Regulagem da Vazão:

8.1 - Fórmulas Úteis:

L/MIN

(por Bico)

=

L/HA X Km/h X W

 

60.000

L/ha

=

60.000 X L/min (por bico) Km/h X W

L/min

-

Litros por minuto

L/ha

-

Litros por hectare

Km/h

-

Quilômetros por hora

W

-

Espaçamento entre bicos (em cm) para aplicação em área total.

- Faixa de aplicação (em cm) para bicos únicos, aplicação em faixas ou pulverização sem barra.

- Espaçamento entre linhas (em cm) dividido pelo número de bicos por rua para aplicação dirigida.

8.0 - REGULA GEM DA VAZÃO 27

8.0 - REGULAGEM DA VAZÃO

27
27

8.2 - Velocidade do Trator:

8.2.1 Medição da Velocidade de trabalho:

Medir uma distância de teste na área a ser pulverizada ou numéria de condições de relevo semelhantes. Para medir velocidades de até 8 ou 14 Km/h, recomenda-se uma distância mínima de 30 ou 60 m, respectivamente. Determinar o tempo necessário para percorrer a distância de teste. Para maior precisão, conduzir o pulverizador carregado na marcha e rotações que sara efetuada a aplicação. Repetir o processo e calcular a média dos tempos medidos. Usar a equação seguinte ou a tabela ao lado para determinar a velocidade.

Velocidade

Tempo necessário em segundos para percorrer uma distância de:

em Km/h

30m

60m

90m

5

22

43

65

6

18

36

54

7

15

31

46

8

14

27

41

9

*

24

36

10

*

22

32

11

*

20

29

12

*

18

27

13

*

17

25

Velocidade (Km/h)

=

Distância (m) X 3,6 Tempo (segundos)

28
28

9.0 - INSTRUÇÕES COMPLENTARES

28 9.0 - INSTRUÇÕES COMPLENTARES

9.0 - Instruções Complementares:

9.1 - O Uso de Produtos Químicos em Dosagens Não Especificadas Pode:

ABAIXO:

Não atingir e eliminar o alvo

proposto,

portanto

sem

efeito

satisfatório.

ACIMA: Danificar a plantação, atingir o meio ambiente, pessoas, a propriedade e danificar o equipamento.

Siga as instruções de uso dos defensivos agrícolas para obter maiores garantias de segurança, o máximo rendimento e aproveitamento, no tratamento da sua lavoura.

Leia com atenção este manual e as recomendações dos fabricantes dos produtos químicos que serão utilizados.

9.2 - Ao Manusear Produtos Químicos:

• Siga orientação técnica adequada.

• Use equipamentos de proteção in-

dividual adequados: luvas, macacão, bo- tas, mascara, etc.

• Pessoas e animais devem ser man-

tidos a distância no momento da aplica- ção.

• Não beber, fumar ou comer du-

rante o manuseio do equipamento e do produto químico.

Cuidar para não contaminar rios,

solo, açudes, poços, plantas, etc.

• Lavar o equipamento longe de qualquer fonte de água.

9.0 - INSTRUÇÕES COMPLEMENTARES 29

9.0 - INSTRUÇÕES COMPLEMENTARES

29
29

• Guarde o equipamento e os

produtos químicos em lugar seco, coberto, ventilado e sem acesso de crianças ou animais.

• Lave com sabão e enxaguar em

água abundante a roupa de trabalho após cada dia de aplicação ou manu- seio de defensivos.

• Tome banho com água e sabão

em abundância e após cada dia de trabalho.

• Em caso de acidente ou sen-

sação de mal-estar durante o manu- seio do produto, procurar imediata- mente um médico, levando o rótulo do produto químico utilizado.

30
30

10.0 - CERTIFICADO DE GARANTIA

30 10.0 - CERTIFICADO DE GARANTIA

ESTIMADO PROPRIETÁRIO:

Esperamos que o pulverizador Montana somente lhe traga orgulho e muita satisfação.

A Montana tem certeza de que este terá de sua parte carinho e zelo com a manutenção periódica de acordo com as recomendações da fábrica contidas no “Manual do Proprietário”.

OBSERVAÇÃO:

Caso o seu pulverizador apresente falhas técnicas ou deficiências no funcionamento, por gentileza, consulte seu Revendedor Autorizado MONTANA, que está apto a atendê-lo, oferecendo-lhe Trei- namento Técnico e amplo es- toque de peças.

As falhas ou deficiências de um pulverizador são, na maioria dos casos, causadas pelo mau uso. É de extrema importância que antes de fazer funcionar o pulverizador, que o operador leia cuidadosamente o MANUAL DO PROPRIETÁRIO e respeite todas as suas orientações.

11.0 - TERMOS DE GARANTIA 31

11.0 - TERMOS DE GARANTIA

31
31

TERMOS DE GARANTIA:

A garantia de seu pulverizador

MONTANA é automática. Assim que adquirir, a sua revendedora remeterá imediatamente à MONTANA INDÚSTRIA DE MÁQUINAS LTDA. O cartão do proprietário devidamente preenchido. Isto lhe dará o direito de garantia oferecido pela fábrica.

O seu pulverizador MONTANA

tem garantia de 06 meses contando da data de compra, portanto faz-se necessário a conservação da Nota fiscal emitida pelo

revendedor MONTANA durante o prazo de vigência da garantia.

O pulverizador tem garantia contra

defeitos de fabricação (material ou peças) e

mão-de-obra cedida ao primeiro comprador.

A garantia está invalidada se o

aparelho sofrer ou receber maus tratos, descuidos ou abusos excessivos, ou ainda se forem feitos ajustes com alterações de

qualquer peça ou conjunto, não autorizados pelo DEPARTAMENTO TÉCNICO MONTANA.

A garantia também é invalidada se

houver remoção e/ou alteração dos

números de série ou placa de identificação.

A garantia compreende o reparo

ou substituição de peças ou conjunto de peças, através de exame efetuado pela própria fábrica, se constatado defeito de material ou mão-de-obra. Não estão cobertos pela garantia as despesas e riscos de transporte que correrão por conta do usuário. Durante o período de garantia, cumpre ao serviço autorizado, revendedor ou ainda a equipe técnica MONTANA, prover gratuitamente a mão- de-obra necessária.

12.0 - ENTEGA TÉCNICA 33

12.0 - ENTEGA TÉCNICA

33
33

Entrega técnica realizada por:

Data:

- ENTEGA TÉCNICA 33 Entrega técnica realizada por: Data: Duração da entrega técnica (horas) Todos os
- ENTEGA TÉCNICA 33 Entrega técnica realizada por: Data: Duração da entrega técnica (horas) Todos os

Duração da entrega técnica (horas)

realizada por: Data: Duração da entrega técnica (horas) Todos os itens do roteiro da entrega técnica

Todos os itens do roteiro da entrega técnica foram realizados?

Sim: Não:
Sim:
Não:

Entrega técnica satisfatória?

Sim: Não:
Sim:
Não:

Deixe neste espaço sua sugestão ou comentário:

Assinatura do técnico

Assinatura do Proprietário/Responsável

Obs: Este documento deve voltar a Montana assinado pelo proprietário ou pelo responsável.

34
34

12.0 - ENTREGA TÉCNICA

34 12.0 - ENTREGA TÉCNICA

Modelo do pulverizador

Nota fiscal de venda

Nº de série do pulverizador

Nº de série do Motor

Nome da Fazenda

Proprietário

Endereço

Município

Estado

Proprietário Endereço M unicípio Estado Assinatura do Proprietário/Responsável Obs: Este documento
Proprietário Endereço M unicípio Estado Assinatura do Proprietário/Responsável Obs: Este documento
Proprietário Endereço M unicípio Estado Assinatura do Proprietário/Responsável Obs: Este documento
Proprietário Endereço M unicípio Estado Assinatura do Proprietário/Responsável Obs: Este documento
Proprietário Endereço M unicípio Estado Assinatura do Proprietário/Responsável Obs: Este documento
Proprietário Endereço M unicípio Estado Assinatura do Proprietário/Responsável Obs: Este documento
Proprietário Endereço M unicípio Estado Assinatura do Proprietário/Responsável Obs: Este documento
Proprietário Endereço M unicípio Estado Assinatura do Proprietário/Responsável Obs: Este documento
Proprietário Endereço M unicípio Estado Assinatura do Proprietário/Responsável Obs: Este documento

Assinatura do Proprietário/Responsável

Obs: Este documento deve voltar a Montana assinado pelo proprietário ou pelo responsável.

Montana Indústria de Máquinas Ltda. Rua Francisco Dal Negro, 3400 Tel: (41) 2102-0200 Fax (41)
Montana Indústria de Máquinas Ltda. Rua Francisco Dal Negro, 3400 Tel: (41) 2102-0200 Fax (41)
Montana Indústria de Máquinas Ltda. Rua Francisco Dal Negro, 3400 Tel: (41) 2102-0200 Fax (41)

Montana Indústria de Máquinas Ltda. Rua Francisco Dal Negro, 3400 Tel: (41) 2102-0200 Fax (41) 2102-0230 Cx. Postal 1582 - CEP 83025-320 São José dos Pinhais - Pr Internet: www.montana.ind.br e-mail: montana@montana.ind.br