Você está na página 1de 3

Colégio Estadual Infante Dom Henrique

Disciplina: Português Professor(a):Leila Brandão


Aluno(a): ___________________________________ nº:_______
Nota:Nota:
Turma: 1013 Data: ______/______/_____
AVA L I A Ç Ã O D O 2 º B I M E S T R E / 1 º a) "Com os dias, Senhora, o leite primeira
ANO
vez coalhou."
b) "Toda a casa era um corredor deserto."
APELO ( Dalton Trevisan) c) "Acaso é saudade, Senhora?"
Amanhã faz um mês que a Senhora está d) "Venha para casa, Senhora, por favor."
longe de casa. Primeiros dias, para dizer a
verdade, não senti falta,bom chegar tarde, 3. No texto, o primeiro sinal do sentimento
esquecido na conversa de esquina. da ausência da mulher é indicado pelo
Não foi ausência por uma semana: o batom trecho:
ainda no lenço, o prato na mesa por engano, a) "o batom ainda no lenço".
a imagem de relance no espelho. b) “o canário ficou mudo”.
Com os dias, Senhora, o leite primeira vez c) “eu ficava só”.
coalhou. A notícia de sua perda veio aos d) "o leite primeira vez coalhou".
poucos: a pilha de jornais ali no
chão,ninguém os guardou debaixo da 4. Assinale a opção que justifica a afirmativa
escada. Toda a casa era um corredor Primeiros dias, para dizer a verdade, não
deserto, e até o canário ficou mudo. Para senti falta, (...):
não dar parte de fraco, ah, Senhora, fui a) A quebra da rotina traz a sensação de
beber com os amigos. Uma hora da noite e liberdade.
eles se iam e eu ficava só, sem o perdão de b) A sensação de liberdade faz falta a
sua presença a todas as aflições do dia, algumas pessoas.
como a última luz na varanda. c) O estranhamento causado pela ausência
E comecei a sentir falta das pequenas brigas do ser amado é acentuado pela rotina.
por causa do tempero da salada - o meu d) O novo tem um apelo encantatório, que
jeito de querer bem. afasta o sentimento de ausência.
Acaso é saudade, Senhora? Às suas violetas,
na janela, não lhes poupei água e elas 5. Dimensionando-se a questão do tempo
murcham. Não tenho botão em “Não foi ausência por uma semana”,
na camisa, calço a meia furada. Que fim pode-se afirmar que essa ausência:
levou o saca rolhas? a) durou mais de um mês.
Nenhum de nós sabe, sem a Senhora, b) tinha durado sempre apenas uma
conversar com os outros: bocas raivosas semana.
mastigando. Venha para c) começou a ser vivenciada após uma
casa, Senhora, por favor". semana.
...................................................................... d) só foi percebida durante uma semana.
1. Toda carta possui um determinado
objetivo. Qual o objetivo dessa? 6. Pela ordem, com o decorrer dos dias, o
a) Fazer uma declaração de amor. narrador experimentou os seguintes
b) Solicitar informações. sentimentos:
c) Suplicar à mulher que volte para casa. a) satisfação, saudade, angústia.
d) Tratar da importância que a mulher tem b) alívio, desespero, indiferença.
nos trabalhos de uma casa. c) prazer, indiferença, alívio.
d) tristeza, desânimo, saudade.
2. Assinale a opção que contém a frase que
justifica o título do texto:
7. Considerando o sentido geral do texto, a chamada:
significação de esquecido em “esquecido na
conversa de esquina”é: a) metáfora
a) não lembrado por Senhora. b) hipérbole
b) entretidos com os companheiros, na c) hipérbato
esquina. d) anáfora
c) afastado da sensação de ausência de e) antítese
Senhora.
d) absorto pela falta da mulher. 14. Adoro Djavan, principalmente o segundo
disco, há:
8. Para não demonstrar que estava sentindo a) pleonasmo
falta da companheira, o narrador: b) metáfora
a) colocava água nas violetas da janela. c) metonímia
b) deixava a luz da varanda acesa. d) hipérbole
c) permitia jornais se acumularem no chão.
d) saía para beber com os amigos. 15. Vou cair nos braços da madrugada!
Temos:
9. No texto, a frase que mais expressa a) hipérbole
solidão é: b) prosopopeia
a) “... ninguém os guardou debaixo da c) metáfora
escada”. d) paradoxo
b) “... toda a casa era um corredor deserto”. e) metonímia
c) “Venha para casa, Senhora, por favor”.
d) “Uma hora da noite eles se iam e eu ficava 16. Assinale o item em que não há
só." possibilidade de ocorrer leitura ambígua.

10. O carinho do homem pela mulher agora a)Deixe o cigarro correndo.


ausente manifestava-se através da(s): b) Vendo carne aos fregueses sem pelanca.
a) falta de botão na camisa. c) Meias para mulheres pretas
b) bebida partilhada com os amigos. d) Camas para crianças de ferro.
c) conversa demorada na esquina.
d) discussões sem importância às refeições. 17. Não há ambiguidade na frase:
a) Estivemos na escola da cidade que foi
11. ) Assinale a alternativa correta: destruída pelo incêndio.
a) A criança sempre indaga o porquê das b) Câmara torna crime porte ilegal de armas.
coisas c) Vi o acidente do barco.
b) Conheço o livro porque te orientaste d) O policial prendeu o ladrão em sua casa.
c) Sei porquê você faltou às aulas
d) Chegaste só agora, por que? 18) Escolha a alternativa que complete
corretamente as lacunas:
12. “Naquela terrível luta, muitos
adormeceram para sempre”, há: Descobri o motivo ________ ele não veio.
a) pleonasmo Não veio ______teve problemas lá.
b) eufemismo
c) anacoluto a) porquê – por quê
d) polissíndeto b) porque - porque
e) assíndeto c) por que – por quê
d) por que – porque
13. No trecho: "...dão um jeito de mudar o
mínimo para continuar mandando o 19) Idem ao anterior:
máximo", a figura de linguagem presente é
Se você me disser o __________ disso,
entenderei,_________ não sou tolo.

a) porquê- porque
b) por que - porque
c) por quê – por quê
d) porque – por que

20) Indique a alternativa correta:

a) Vim por que quero lutar


b) Diga-me o por que da sua luta
c) Afinal, por que você luta?
d) Eu sei porque você quer lutar