Você está na página 1de 24

Perguntas Concurso

Sumário
1 – Você fazia resumos, mapas mentais, gráficos, etc., no estilo do livro do Meireles? ............................................ 2
2 – Como eram suas revisões? .................................................................................................................................... 3
3 - Como decorava as inúmeras fórmulas de toda a matéria raciocínio lógico (estatística, financeiro, etc.)? Foi de
tanto resolver exercícios ou usou alguma técnica?..................................................................................................... 4
4- Em relação ao momento da prova: pode contar um pouco de sua estratégia? Por qual matéria começa, se faz
todas as questões e depois passa para outra, se ficava muito ansiosa, etc. ............................................................... 5
5 – Uma das minhas maiores dificuldade é com as constantes atualizações nas legislações e jurisprudências do STF
e STJ. Como você fazia com essa parte? ...................................................................................................................... 5
6 – Pode falar um pouco sobre o material que utilizou para cada matéria? .............................................................. 5
7 - Como se preparou para a discursiva?..................................................................................................................... 6
8 - Vc sabe uma média de quanto vc gastou de material de cursos online (PDF, vídeos, exclui livros)? Sem falar de
impressões! ................................................................................................................................................................. 7
9 - Posso passar só com PDFs e vídeo aulas e exercícios comentados, dispensando os livros para todas as matérias
ou tem alguma que vc me indica comprar um livro (Contabilidade?!) ....................................................................... 7
10 - Você acha que eu devo ingressar em algum cargo público antes de me dedicar para o Fisco ? Ou você acha
que isso me tomaria tempo e eu deveria começar a estudar para o Concurso de Auditor agora? ............................ 8
11 - Dá pra estudar por Cursos online, ou principiante tem que fazer um presencial(Ex.: Gabarito) ? ...................... 9
12 - Dá para conciliar os estudos para o concurso da Receita Federal com os estudos para Auditor Fiscal do
Trabalho? ..................................................................................................................................................................... 9
13 - Seria aconselhável incluir contabilidade nos estudos para a hipótese de eu tentar o concurso da receita
depois apesar de priorizar o de fiscal do trabalho?..................................................................................................... 9
14 - Estudando para fiscal também dá condições de fazer provas para agências reguladoras? .............................. 10
15 - A estratégia que eu penso em usar é estudar as matérias de aft que caíram nos últimos concursos e por isso
tem pouca possibilidade de não serem cobradas. Pós edital estudaria as novidades. É uma boa estratégia? ........ 10
16 - Você considera que é uma boa estratégia fazer vários concursos de áreas diferentes? .................................. 11
17 - No meu caso sou formado em direito é aconselhável eu fazer também concursos específicos da minha área (
advocacia, procuradoria, tribunais)enquanto me preparo para concursos fiscais? ................................................. 11
18 - Pelo que eu li você tem uma opinião diferente dos especialistas em concurso que orientam só uma área ou
um só concurso. É isso mesmo? Na sua opinião é possível ter resultados positivos com essa estratégia? ............. 12
19 - Os cursos em pdf que existem em determinados sites é melhor comprar o pacote de determinado curso ou
comprar por matéria em cursos diferentes a depender de quem seja o professor? ................................................ 12
20 - Outra dificuldade é em relação a leitura, tenho a sensação que a minha não rende. Você usava alguma
técnica de leitura, ou fazia leitura "corrida" normal? ............................................................................................... 12
21 - você comenta que quem não sabe bem a área que quer poderia estudar para fiscal, pelo que entendi
estudando para área fiscal é um preparatório para uma boa parte dos concurso?Falo isso porque estou a vários
anos perdida .............................................................................................................................................................. 13
22 - É possível passar na RFB trabalhando 8 horas por dia e estudando umas 3,4 horas diárias? ........................... 14
23 - Tô pensando em fazer uma conta no Tecconcursos, mas tô na dúvida se vale a pena mesmo pq tem o
questõesdeconcurso que é bem mais barato. Vc chegou a usar esses sites?Qual vc acha que vale mais a pena? .. 14
24 - Em relação ao estudo da disciplina de Português: tenho muita dificuldade nessa disciplina e gostaria de saber
qual foi seu método de estudo específico para essa matéria. .................................................................................. 15
24 - Você leu a lei seca do RIPI, RIPJ e RA ou só estudou pelos pdf's dos professores que você mencionou? ......... 16
25 - Vc disse q lia com bastante atenção logo na primeira leitura, gostaria de saber qual a porcentagem de acertos
vc fazia logo de cara e como era seu método de revisões. ....................................................................................... 16
26 - Ela gosta muito de resumos, mas tem medo de estar perdendo tempo, eu acho que se ela gosta e sabe fazer
resumo é algo bem positivo. A famosa pergunta COMO FAZER RESUMOS , SE COMPENSA FAZER RESUMOS ?..... 18
27 - Estou com quase 200 horas contabilizadas mas parece que meu estudo na parte teórica não rende muito. Sou
meio lenta para ler os livros. Por exemplo, exceto DAD que estou no Cap 7, as demais disciplinas DC, DT ainda
estou no Cap 4.Eh normal? Meio ciclo tem 6 disciplinas, com 02 matérias por dia, estou rodando 02 vezes por
semana, mas por exemplo nunca dar para terminar uma assunto completo em uma semana, ouseja, não consigo
ler todo o capítulo e fzer exercícios nas duas vezes por semana que vejo aquela matéria. .................................... 18
28 - Você sentiu a mesma dificuldade do início? ...................................................................................................... 21
29 - Quantas questões de cada disciplina e por assunto vc costumava fazer? ......................................................... 21
30 - Sara, por gentileza como vc define o auxilio do couch na preparação para o concurso da RFB? Vale a pena
mesmo? Quais os pontos positivos e negativos? ...................................................................................................... 22
31 - Você usou bastantes livros de questões (1001 questões, etc), mas também utilizava sites de questões como
Tec e QC. Qual o melhor método para resolver exercícios: site de questões ou livros de questões? Ou você indica a
combinação dos dois, como feito por você?? ........................................................................................................... 22

1 – Você fazia resumos, mapas mentais, gráficos, etc., no


estilo do livro do Meireles?
Eu fazia resumos sim! Alguns poucos (de RLQ e de Cont) eu fazia a mão, em um caderno. A
maioria, eu fazia no PC e imprimia. Sobretudo de DTrib. Tenho o Ric Alex todo resumido. Na verdade,
eram resumos um tanto qto extensos, mas dps eu grifava as partes principais do resumo e os lia e
relia, até saber exatamente onde tava cada artigo e palavra. Te envio anexo alguns resumos pra vc
ter uma ideia (só nao mando todos pq eu tive problemas tecnológicos ao longo da minha preparação,
e perdi os de alguns capítulos).
2 – Como eram suas revisões?
Eu não tinha um esquema de revisões metódico como eu já vi em alguns depoimentos não.
Na verdade, eu sou bem organizada com metas a serem cumpridas e com materiais. Mas horários e
timetables pré-estabelecidos..pfftt... nunca foram o meu forte... Então eu não sei te responder
simples e diretamente essa tua pergunta. No grosso, eu não revisava, só fazia mtos exercícios,
estudava e reestudava e, as vzs, lia os meus resumos. Mas não tinha uma programação arranjada
para isso.
O que aconteceu foi que eu tive uma certa metodologia de aprendizagem até começar a fazer
provas (dps de 7, 8 meses de iniciado os estudos). Depois que comecei a me inscrever nos concursos,
o que rolava era, a cada concurso, uma (tentativa de) revisão do que eu já havia estudado, ao mesmo
tempo em que avançava no conteúdo. Com o tempo, e depois de várias provas feitas, alguns assuntos
eu nem revisava mais, por já estarem altamente internalizados.
Para as matérias básicas (DCo, DAd, DTrib, Cont), essas revisões ficaram por muito tempo por
conta de grupos de estudo (GE's), que sempre foram somente de resolução de exercícios. Só que
esses grupos não eram mto organizados tb nao... Tivemos uma trajetória nada linear. Segue abaixo
a historinha nada interessante pra vc ter ideia do caos.
Iniciamos o GE com 3 matérias (DCo, DAd e Dtrib). Depois, excluímos DTrib, e mudamos de
material de questões, pq minhas amigas do GE queriam se preparar para o concurso de ATA do MPU
(CESPE, maio/2013), onde não caia DTrib. Esse grupo não durou mto tempo. Com a notícia da
autorização pra EPPGG (gestor, cargo com o qual eu sempre sonhei), eu passei alguns meses focada
pra essa prova, e aí eliminei os GE's. Fiquei estudando pesado em casa, sozinha, tentando avançar o
mais rápido possível em DCo e DAd e em outras matérias específicas pra gestor (CPol, AdmPública).
Qdo saiu o fatídico edital de EPPGG, eu desisti de fazer a prova e e de seguir com a preparação
nesse foco (por medo da prova de títulos, e de me preparar com força e aí depois o concurso ser
suspenso, como ainda está até agora...). Preferi voltar com os meus estudos pras carreiras fiscais
novamente. Nessa época saiu SEFA-Pará e SEFAZ-ES. Então eu tive que optar por uma das duas áreas
(gestor ou fiscal). Retomei os meus estudos de Cont e de DTrib, há mais de 4 meses parados, e aí foi
uma graaaande revisão! Reassisti o curso do Claudio Borba até a metade (ponto onde eu havia
parado) e reli o livro do Ric Alex tb. Mesma coisa pra Contabilidade: recomecei Silvio Sande do zero!
Vi tudo de novo de uma maneira bem mais rápida e objetiva (vídeos acelerados, velocidade mínima
de 1.5 para DTrib e de 1.3 para Cont, parando no que fosse necessário, de acordo com a dificuldade).
Estudei Audit pela primeira vez correndo (em um mÊs, pelo curso do Lucas Salvetti no EVP).
Depois dessa maratona pras SEFAZ’ES (ES e PA), passadas umas semanas, recomeçamos os
grupos de estudos com DCo, DAd e Dtrib durante a semana (2 a 3 dias a noite) e Cont no fds (um dia
a tarde). Uma das meninas comprou um material do Tec (“Edital em Exercícios”) e ficamos fazendo
DCo e DAd por ele. Para DTrib, seguimos o 3001 Questões Comentadas do Edvaldo Nilo. Dessa vez,
contudo, para não ficarmos martelando pela milésima vez o lenga lenga do início de DAd e de DCo,
invertemos a ordem. Escolhíamos os assuntos de acordo com as nossas necessidades (tentávamos
começar pelos últimos assuntos, mas as vzs tinha alguém que ainda não tinha estudado aquilo
direito..). Então, tudo de novo, mais uma vez, resolvendo questões sobre os mesmos assuntos... Isso
foi lá em out, nov e dez do ano passado. Para Cont, utilizávamos o material de exercícios do Moraes
Júnior (Contabilidade Geral e Avançada em Exercícios para AFRFB).
Final de dez demos umas férias do grupo, que nunca mais voltou! Em janeiro eu fui pro
Maranhão fazer a prova da CGE de lá. Então eu precisava de tempo para...revisar mais uma vez!
(Além de que tivemos uns estresses dentro do grupo e eu já tava extremamente cansada daquela
dinâmica...) Era uma prova da FGV, e eu tava com medo... Imprimi várias questões do Tec de DCo e
de MatFin e fiz quase todas. Para DAd, nesse período, eu tava me pelando de medo, pq havia
conseguido zerar a prova da SEFA-Pará de DAd. Então eu tava reassistindo o curso de leis
administrativas do Barchet e resolvendo o 1001 Questões dessa matéria. Para Auditoria, já havia feito
o curso do Salvetti pra SEFA-Pará em agosto/setembro. Aí comprei um material do Fontenelle e
estudei ele.. 2ª passagem por Auditoria. Português, eu já havia estudado bastante durante a minha
preparação inicial. Mas como não se brinca com FGV, assisti o curso de Gramática do Pestana e fiz
todos os exercícios de uma gramaticazinha que eu tinha aqui em casa. Além disso, quando terminei
o curso do completo do Silvio, comprei um de exercícios pra o ICMS-RJ (na época, pensava em fazer,
cheguei a me inscrever,.. dps desisti). Assisti ele quase todo antes da prova da CGE. Para RLQ, eu já
havia terminado o material imeeenso do Guilhermo Neves (RLQ Direto ao Ponto), então imprimi
questões da FGV e fiquei respondendo.
Qdo chegou a prova da Receita, portanto, eu já havia estudado e reestudado essas matérias
várias vzs! Aí foquei só em exercício em quase todas. Comprei outro curso do Silvio (o de exercícios
pra AFRFB) e fiz ele todo, resolvi vários capítulos do 1001 Questões de DCo, alguns de DAd e quase
ele todo de Auditoria. Resolvi tb alguns exercícios do PDF do Rennó de AdmG e Pública, mas sem dar
mta importância (matéria que eu já havia estudado bastante pra EPPGG e que sempre achei fácil e
me dei bem). Ignorei Port (já havia estudado bastante bem recentemente pra FGV, e havia
conseguido um bom resultado – 23/25 = 92%) e ignorei inglês (como sempre, pq tenho boa base).
Foquei o bruto do meu tempo nas em LegTrib, ComInt, LegAduan e DTrib. As três primeiras, eu
comecei DO ZERO qdo saiu a autorização. Para Dtrib, comprei o curso teórico do Ric Alex no Espaço
Jurídico (videoaula) e assisti ele todo! Parece loucura assistir um curso teórico assim, pós-
autorização, de uma matéria que eu já hvaia estudado taaantas vzs. Mas Ricardo Alexandre é
simplesmente O CARA! Mesmo já tendo estudado um bocado, o cara abre a sua cabeça, te ensina a
pensar mesmo, sabe! Ele é mto bom, e acho que o curso dele foi essencial para aprimorar a minha
intuição nessa matéria, coisa que foi mmmto necessária praquela prova da Receita!

3 - Como decorava as inúmeras fórmulas de toda a matéria


raciocínio lógico (estatística, financeiro, etc.)? Foi de tanto
resolver exercícios ou usou alguma técnica?
Foi de tanto resolver exercícios sim. Fiz duas apostilas de RLQ (primeiro a Sérgio Carvalho e Weber
Campos, uma bem antiga, eu acho, e dps a do Guilherme Neves – RLQ Direto ao Ponto)e, no começo
do ano, qdo me preparei pra FGV, resolvi mtos exercícios dessa banca. Além de que, sou formada em
Economia e sempre amei matemática e estatística. Então, a maior parte dos assuntos foi como se eu
tivesse revisando assuntos que eu já havia estudado uma ou várias vzs no colégio/faculdade. É
importante dizer que vários assuntos, dps de estudar umas duas, três vezes, eles simplesmente
entram na sua cabeça. E aí vc fica com aquela lógica ali guardada. Claro que, pra concurso, não dá
pra confiar só nela, e por isso a importância de se resolver mtos exercícios. Mas qdo vc já sabe do
raciocínio, as coisas fluem bem mais fácil.
4- Em relação ao momento da prova: pode contar um pouco
de sua estratégia? Por qual matéria começa, se faz todas as
questões e depois passa para outra, se ficava muito ansiosa,
etc.
Eu sempre começo pelas línguas, PortuguÊs e Inglês, pq é onde eu acho que o cansaço atinge
mais o meu cérebro (especialmente na ESAF, que coloca uns textos longos). Normalmente as pessoas
se cansam mais com as exatas, mas matemática pra mim sempre foi um prazer, e como já pratiquei
mto (faculdade de economia e sempre gostei bastante da matéria), deixava pra ser a matéria do
meio, ou um pouco mais pro final, de forma que eu intercalasse matérias mto teóricas e de pesada
leitura (línguas, Direito Tributário, LegislTrib) com RLQ. Para Cont eu seguia o mesmo esquema,
porém tentava não deixar para o final, já que é uma matéria mais cabulosa pra mim. As mais
tranquilas (Adm e Audit), sempre pro final.
Nos finalmentes, (pelo que eu lembro) eu fiz a P1 na seguinte ordem: Port, Ingles, RLQ,
DAd/DCo e Adm.
A P2: ComInt, LegAd, Cont, DTrib, LegTrib, Audit.

5 – Uma das minhas maiores dificuldade é com as constantes


atualizações nas legislações e jurisprudências do STF e STJ.
Como você fazia com essa parte?
Sendo mto sincera, eu nunca me preocupei particularmente com isso. Não que eu acho que
eu não devesse me preocupar, mas simplesmente pq faltava neurônio pro tanto de coisa que eu tinha
que dar conta já nos livros, apostilas e videoaulas. Se saísse alguma alteração importante, eu ficava
sabendo pelas videoaulas (sempre comprava aulas novas e de revisão). Teve uma época que eu até
fiquei olhando os informativos do STF (recebendo por email), mas não achei aquilo mto produtivo...
Tem um outro material que é a Constituião com a jurisprudência do STF, mas mais uma vez, eu achei
que era me adentrar demais em um só buraco, qdo tinha tantas outras coisas pra dar conta. Sempre
tentei ser mto mais generalista que especialista, com um enfoque maior para as básicas + DTrib e
Cont, que eu achava as mais cascudas das específicas.

6 – Pode falar um pouco sobre o material que utilizou para


cada matéria?
Direito Administrativo: livro VP&MA Descomplicado, 1001 Questões Comentadas FCC, 1001
Questões Comentadas ESAF, videoaulas curso completo Gustavo Barchet EVP.

Direito Administrativo: livro VP&MA Descomplicado, 1001 Questões Comentadas FCC, 1001
Questões Comentadas ESAF, videoaulas curso completo Gustavo Barchet EVP.

Direito Constitucional: livro VP&MA Descomplicado, 1001 Questões Comentadas ESAF, apostila DCo
nas Cinco Fontes (Vítor Cruz) (mmmto bom!)

Português: videoaulas curso EVP de Gramática do Pestana, simulados e exercícios diversos.

RLQ: apostila RLQ Direto ao Ponto (Guilherme Neves), apostila RLQ Sérgio Campos e Weber Carvaho,
questões diversas.

Direito Tributário: videaulas Claudio Borba EVP, videoaulas Ricardo Alexandre (Espaço Jurídico), livro
Ricardo Alexandre Direito Tributário Esquematizado, 3001 questões comentadas (Edvaldo Nilo,
JusPodium), 1001 questões comentadas DTrib ESAF,

Contabilidade: videoaulas Marcondes Fortaleza EVP, videoaulas curso completo Silvio Sande,
videoaula curso de exercícios Silvio Sande para o ICMS-RJ e videoaula curso de exercícios Silvio Sande
AFRFB.

Direito Previdenciário: apostila DPrevid Ali Mohammed (Estratégia Concursos).

Administração Geral: videaulas Rodrigo Rennó EVP, questões diversas.

Administração Pública: apostila Administração Pública e Gestão Pública para TCU e CGU Rafael
Encinas

Auditoria: videoaula Lucas Salvetti EVP, 1001 questoes comentadas de Auditoria ESAF

Legislação Tributária: videoaulas Silvio Sande

Comércio Internacional e LegAduaneira: apostilas do Ricardo Vale (Estratégia Concursos)


Pra mim o trio maravilha é idnspensável: Ricardo Alexandre (DTrib), Ricardo Vale (ComInt e LegAd) e
Silvio Sande (Cont)!

7 - Como se preparou para a discursiva?


Eita, João, eu praticamente não me preparei pra discursiva! =/

Eu até cheguei a comprar um curso do Edvaldo Nilo pra isso, mas não deu tempo de assistir! Coloquei
lá no meu planejamento, mas simplesmente não rolou, de tão atolada que eu tava em Legislação
Aduaneira! Assisti só uma meia hora do curso (bem bom, o curso), e aí já era quarta-feira, a prova
era no sábado, e preferi não perder tempo assistindo as videoaulas. Parei o vídeo e fui responder a
uma das perguntas-tema que tava lá no material do curso. Me saí super mal, era uma pergunta sobre
crédito tributário, eu não consegui explicar nada direito sem recorrer aos meus resumos.

No sábado pela manhã eu assisti umas 3 aulas que o Ricardo Vale tinha disponibilizado para os alunos
do Estratégia. Aí o que eu fiz foi só seguir os conselhos dele e os que a minha amiga me deu enquanto
assistíamos: repetir as palavras-chave das perguntas, ou até ela toda, para que o examinador localize
a resposta de cada pergunta e esquematizar o texto antes de começar a escrevê-lo. Eu fiz como o
Ricardo Vale fazia lá nos videos e foi mto bom, pq fluiu. Super recomendo!

Vale ressaltar que eu já tinha feito vários resumos de Direito Tributário, então acho que isso tb ajuda,
pq tanto facilita a retenção da informação (na minha opinião), como ajuda a organizar os principais
pontos na sua mente.

8 - Vc sabe uma média de quanto vc gastou de material de


cursos online (PDF, vídeos, exclui livros)? Sem falar de
impressões!
Sei não! Tipo... Coloca aí..LFG eu fiz um curso (R$ 1.300 ?),
Silvio Sande Regular (R$ 600,00, lembro bem, pq paguei sozinha),
EVP por vários meses (R$ 644,00),
Silvio Sande Exercícios ICMS RJ (R$ 300,00, não lembro qto foi, só sei que deve ter sido mais ou menos
por aí...),
Silvio Sande Exercícios AFRFB (R$ 300,00, não lembro qto foi exatamente, to chutando tb..),
somatório do meu histórico de compras no Estratégia (R$ 794,00),
Silvio Sande Legislação Tributária (R$ 400,00)... Só tou lembrando desses...

Total: R$ 4.338,00. Isso é uma estimativa... Ah, acabei de lembrar. Comprei tb um curso online do
Ricardo Alexandre IMPRESCINDÍVEL. Só que rachei com mais três amigas. Não lembro qto ficou pra
cada uma. Várias coisas eu comprava com uma dessas 3 meninas. Tínhamos praticamente uma conta
corrente conjunta, hehehe. Aí, se vc tiver alguém assim, diminui um pouco a carga.. Sempre
comprávamos Silvio Sande juntas, mas o site dle enão deixa baixar, então comprávamos em dupla
mesmo, e assistiamos juntas (tipo uma aula mesmo, marcávamos horário e tal.. Mas isso foi mais na
reta final do AFRFB, o que foi mto bom, pq me forçava a assistir todas as aulas, em um cronograma
adequado).

Agora impressões... Nao posso te dizer pq não tenho registro! =/ E variava muito no método. As vzs
eu imprimia em uma xerox bem baratinha (qdo era coisa maior), as vzs imprimia em casa.

9 - Posso passar só com PDFs e vídeo aulas e exercícios


comentados, dispensando os livros para todas as matérias ou
tem alguma que vc me indica comprar um livro
(Contabilidade?!)
Sim! Acho que sim! Os dois unicos livros que eu usei DE VERDADE do começo ao (quaaaase) fim foi o
DAd Descomplicado e o Ricardo Alexandre. Desses, considero o Ric Alex INDISPENSÁVEL, a única
exceção. Contabilidade eu sempre me dei mto melhor com videoaula d que livro. Até cheguei a
comprar um, mas ficou pra lá, só usava pra tirar alguma dúvida pontual.

10 - Você acha que eu devo ingressar em algum cargo público


antes de me dedicar para o Fisco ? Ou você acha que isso me
tomaria tempo e eu deveria começar a estudar para o
Concurso de Auditor agora?
Eu acho que isso depende mto das suas condições financeiras e psicologicas. Pelo que vc me contou,
infiro que vc não possa se dedicar completamente aos estudos; teria que continuar com alguns
trabalhos para contribuir com a renda familiar. Nessas condições, depende de qto tempo vc
suportaria a casadinha nada agradável "trabalho que pague pouco + estudar que nem uma corna"
("trabalho que pague pouco" pq imagino que seu emprego como professora de inglês e na rede
particular nao pague tão bem qto o serviço público, mesmo em um cargo de nível médio...).

Imagino duas opções de resposta: "aguento mto tempo, tipo, 2 anos" ou "não aguento..estou
desesperada e quero logo ganhar uma grana em algo tranquilo". Independentemente da resposta,
eu te diria para vc se dedicar logo de início à carreira fiscal. Isso por conta de algo que eu acho que
escrevi lá no meu depoimento no Fórum. Os estudos para a carreira fiscal são extremamente
abrangentes (grande qtde de matérias) e exigentes (em relação a nota e profundidade). Assim,
mesmo que agora vc me dê como resposta a primeira opção acima, e depois vc entre em parafuso e
queira alguma coisa de pronto, vc teria como adaptar o seu plano de estudos, de acordo com o
andamento do calendário de concursos (os que forem sendo autorizados e os que tiverem edital em
praça).

Eu mesma adaptei o meu plano de estudos algumas vzs, de acordo com o concurso do momento. A
mudança mais drástica que eu fiz foi no início de 2013, qdo foi autorizado o concurso de EPPGG
(Gestor Federal). Larguei Direito Tributário e Contabilidade de lado, praticamente, e me meti a
estudar Administração Pública pesado e Ciência Política. Isso pq eu não acredita que fosse haver
concurso da Receita Federal nem tão cedo, já que estávamos em fev, março de 2013, e o último
concurso havia sido a pouco tempo (ago/2012). Teria valido a pena - pq era um cargo com o qual eu
sempre simpatizei - se o edital não tivesse saído cheio de problemas (no final das contas o concurso
foi embargado, e está até hoje suspenso...uma confusão). Não vou dizer pra vc que depois foi fácil
retomar os estudos de DirTrib e Cont, após uns 3 ou 4 meses com essas matérias paradas. Mas eu
acho que a genet tem que dançar conforme a música, e eu acreditava que, mesmo parando para
estudar pra esse concurso, mesmo que eu não passasse, eu ainda teria tempo hábil para estudar
suficientemente antes da próxima prova de AFRFB. Acreditei certo =)

Outro exemplo foram várias pessoas que eu conheci que fizeram o PECFAZ (AnTA - Ministério da
Fazenda) e tb passaram cmg pra AFRFB. Trata-se somente de uma adaptação do plano de estudos.
Claro que para isso vc precisa manter uma boa organização do que estudou e do que vai estudar,
para cada concurso. Ah, e um sistema de revisões tb, obviamente.
11 - Dá pra estudar por Cursos online, ou principiante tem
que fazer um presencial(Ex.: Gabarito) ?
Dá pra estudar por cursos online sim. Eu só fui atrás de curso presencial por 1) insistência do meu
pai, e; 2) pq estava chegando em uma cidade nova em que não conhecia ninguém e não tinha
trabalho. Então eu precisava me relacionar e precisava de algo diário que me fizesse sair de casa para
eu não enlouquecer (eu não consigo ficar o dia todo dentro de casa de boa...).

Os cursos online para mim tem muuuitas vantagens comparadas ao presencial. Vc faz o seu horário,
determina o seu ritmo, tem ideia do todo que vai estudar e, dessa forma, dá para fazer um
planejamento adaptado a sua necessidade, dentre outras (preço mais em conta ou "gratuitos", dá
para vc recorrer exatamente ao material e lê-lo/assisti-lo qtas vzs vc quiser...). O único porém é que
vc precisa ter disciplina, mas isso eu acredito que vc tenha, pq o seu email me passou uma boa imaem
de vc =)

12 - Dá para conciliar os estudos para o concurso da Receita


Federal com os estudos para Auditor Fiscal do Trabalho?
Olha, eu passei por esse dilema tb qdo comecei a estudar para cocnursos. Precisava definir um foco,
e em setembro de 2012 já estava autorizado o ultimo concurso de AFT (100 vagas), e havia acabado
de ocorrer o penultimo da Receita. Eu optei por não estudar pra ambos, dada a proximidade do de
AFT e por outros motivos referentes a minha preferencia pelo cargo de AFRFB.

Por outro lado, estamos em outro cenário agora, em que não há ainda nenhum dos dois concursos
autorizados. Creio que o de AFT deva sair antes (sem nenhum dado concreto que me leve a pensar
assim, só achismo mesmo). Trabalhando com essa hipotese, acho que sim, seria possivel vc iniciar a
sua preparação para AFT + Contabilidade. E aí, a depender do rumo dos ventos, o que tiver a sua
autorização primeiro, vc adapta a sua programação de estudos.

Eu nunca fui mto adepta à teoria que rola por aí dos coachings e cursisnhos, de vc se focar em um só
concurso. Já fiz prova de Controladoria, de Fisco Estadual, Receita Federal, EPPGG... Acho sim que é
possível essa adaptação. Vc só precisará estar bastante atento a um planejamento de médio prazo,
cuidando para vc não perder o foco atual, mas sempre mantendo uma certa carga de estudos para
estar preparado para outras oportunidades que apareça. É um equilibrio dificil, e que pode gerar
ansiedade, mas nada do outro mundo, que vc nao consiga com organização, inteligencia e disciplina.

13 - Seria aconselhável incluir contabilidade nos estudos para


a hipótese de eu tentar o concurso da receita depois apesar
de priorizar o de fiscal do trabalho?
Sim. Acho que Contabilidade é uma das matérias que reuqer um dos mais largos prazos de
assimilação, ao menos pra mim que não era da área. Eu assisti o curso do Silvio Sande duas vzs, e fiz
2 cursos de exercicios dele. Além de grupos de estudo só de exercícios e o curso do Marcondes de
Cont Básica, logo no inicio. Eu peguei pesado em Cont, e acho que se é uma matéria que vc deixa pra
ultima hora, vc não sendo da área, deve bater o desespero. São muuuuitos os detalhes, e vc tem que
ter muuuuuita agilidade na hora da prova.

14 - Estudando para fiscal também dá condições de fazer


provas para agências reguladoras?
Sim. Eu tinha pra mim que, caso o desespero batesse, eu faria concurso pra agencia. Isso pq, na minha
percepção (mera opinião...), concurso de agência reguladora (nesse grupo eu incluo tb o Bacen, caso
vc tenha formação em Economia, que é o meu caso) é meio que um curinga. Por conta de alguns
fatores:

a) periodicidade indeterminada: não há uma previsao de concurso a cada 2, 3 anos, como ocorre
para a RFB e fiscos estaduais, por exemplo, o que tem por consequencia nao existir aquela massa de
concurseiros focados somente naquele concurso.
b) legislação e matérias específicas: como não há um núcleo certo de matérias a serem abordados
(como no caso da área fiscal e AFT), não é praticavel um estudo de longo prazo, como existe para a
area fiscal e tribunais.

Assim, é dificil vc ter um grande contingente de gente se preparando especificamente para esses
concursos. As vzs, nem qdo o concurso é autorizado dá pra começar a estudar, só qdo sai o edital
mesmo. Como foi o caso do ultimo concurso do Bacen. Eles sempre alteram as áreas, os pre-
requisitos de formação e as matérias específicas. Aí fica dificil estudar com antecedencia...

Como a area fiscal compreende uma grande gama de matérias, vc tando afiado nestas, vindo um
cocnurso de agência reguladora, vc terá que estudar somente as matérias específicas. Em geral, os
concorrenes não estarão estudando há meeeeeses, e aí fica mais fácil vc se diferenciar, se tiver uma
base boa e conseguir obter uma boa pontuaçao na parte geral. Para a parte específica, vc teria o
mesmo prazo para estudar que a média dos concorrentes.

15 - A estratégia que eu penso em usar é estudar as matérias


de aft que caíram nos últimos concursos e por isso tem pouca
possibilidade de não serem cobradas. Pós edital estudaria as
novidades. É uma boa estratégia?
É uma ótima estratégia.
16 - Você considera que é uma boa estratégia fazer vários
concursos de áreas diferentes?
Não é uma boa estratégia não, se as áreas forem mto distantes (tipo, tribunais e área fiscal). Só se
forem de áreas afins, com um núcleo comum e algumas específicas coincidentes. E, mesmo assim, vc
teria que avaliar o calendário de provas.

Eu mesma adaptei o meu plano de estudos algumas vzs, entre áreas próximas, de acordo com o
concurso do momento. A mudança mais drástica que eu fiz foi no início de 2013, qdo foi autorizado
o concurso de EPPGG (Gestor Federal). Larguei Direito Tributário e Contabilidade de lado,
praticamente, e me meti a estudar Administração Pública pesado e Ciência Política. Isso pq eu não
acredita que fosse haver concurso da Receita Federal nem tão cedo, já que estávamos em fev, março
de 2013, e o último concurso havia sido a pouco tempo (ago/2012). Teria valido a pena - pq era um
cargo com o qual eu sempre simpatizei - se o edital não tivesse saído cheio de problemas (no final
das contas o concurso foi embargado, e está até hoje suspenso...uma confusão). Não vou dizer pra
vc que depois foi fácil retomar os estudos de DirTrib e Cont, após uns 3 ou 4 meses com essas
matérias paradas. Mas eu acho que a genet tem que dançar conforme a música, e eu acreditava que,
mesmo parando para estudar pra esse concurso, mesmo que eu não passasse, eu ainda teria tempo
hábil para estudar suficientemente antes da próxima prova de AFRFB. Acreditei certo =)

Outro exemplo foram várias pessoas que eu conheci que fizeram o PECFAZ (AnTA - Ministério da
Fazenda) e tb passaram cmg pra AFRFB. Trata-se somente de uma adaptação do plano de estudos.
Claro que para isso vc precisa manter uma boa organização do que estudou e do que vai estudar,
para cada concurso. Ah, e um sistema de revisões tb, obviamente.

17 - No meu caso sou formado em direito é aconselhável eu


fazer também concursos específicos da minha área (
advocacia, procuradoria, tribunais)enquanto me preparo
para concursos fiscais?
Não, são áreas beeem diferentes. Na área fiscal vc tem um foco mais prático, e precisa mandar bem
em Exatas (Estat, RLQ). Na área jurídica, pelo pouco que conheço não é assim. E o foco é outro,e m
outras matérias.
18 - Pelo que eu li você tem uma opinião diferente dos
especialistas em concurso que orientam só uma área ou um
só concurso. É isso mesmo? Na sua opinião é possível ter
resultados positivos com essa estratégia?
Sim, minha opinião é diferente, pq a maioria dos cursinhos e coachings te orientama focar em uma
só prova (AFRFb ou Fiscos Estaduais, por exemplo). Mas acho que vc só pode fazer isso com concursos
parecidos, como coloquei acima (ex.: área fiscal e área de gestão e controle - CGU, CGE's e EPPGG,
PECFAZ, ATA-MF).

19 - os cursos em pdf que existem em determinados sites é


melhor comprar o pacote de determinado curso ou comprar
por matéria em cursos diferentes a depender de quem seja o
professor?
Sobre as suas perguntas sobre pacote: inicialmente, eu não indico pacotes não. Primeiro pq, de início,
não acho uma boa vc começar estudando todas as matérias de uma vez e, a partir do momento em
que você dispõe do material de todas as disciplinas, acho que a tendência é você querer começar a
lê-los todos juntos. Pelo menos eu era assim. Sem contar a sensação que eu já ouvi de algumas
pessoas de que vc está cheio de material no seu hd mas estudar, estudar de verdade, vc só estuda
uns 5 ou 6, e o quanto isso é incômodo psicologicamente (eu, particularmente, não sofria desse mal).

Segundo, não indico pacotes pq vc gastará uma grana, de uma tacada só, sem avaliar a efetividade e
qualidade de cada material. Acho que você termina fazendo uma compra um pouco as cegas, sem
conhecer se a metodologia daquele professor te agrada. Eu normalmente, antes de comprar o pdf
de uma matéria, cujo professor eu ainda não conhecia, baixava a aula gratuita, lia, fazia os exercícios,
como se fosse começar o curso mesmo, e só dps eu adquiria, se realmente tivesse gostado daquele
professor.

Terceiro, pq existem outras formas mais baratas de se iniciar os estudos de uma disciplina. Por
exemplo, os vídeos do EVP (na minha época, pelo menos..).

20 - Outra dificuldade é em relação a leitura, tenho a


sensação que a minha não rende. Você usava alguma técnica
de leitura, ou fazia leitura "corrida" normal?
Eu lia várias vzs, e vagarosamente. Direito Tributário e Administrativo, as duas matérias que eu
achava mais cabulosa (a leitura), eu lia umas 3 vzs. Lia uma priemira vez, tentando compreender a
ideia geral do capítulo, e grifando a lapis as principais partes. Lia uma segunda vez grifando com
marca texto as partes mais importantes do que eu havia grifado a lápis, e identificando se não havia
nada iportante fora dos grifos. Uma terceira vez eu relia as partes grifadas a lapis e a marca texto
para fazer um resumo no PC. Feito o resumo, eu imprimia, lia, esperava um, dois, três dias, lia de
novo, e ia pros exercicicios.

É um processo extremamente lento e repetitivo, que me demadou uam paciencia de Jó. Mtas vzs, eu
tentei pular etapas, mas percebia que era um ganho de tempo momentâneo, mas uma perda de
pontuação no futuro, oq ue pra mim nao era vantagem.

Isso de método é mto pessoal. Eu sou uma pessoa de aprendizagem lenta. Que gosta de entender o
todo, e que as vzs até perde um pouco o foco por isso. Acho que tb tem bastante a ver com prazo
que vc se dá para o seu projeto concursístico. No meu caso, eu me dei 2 anos, 3 no máximo. Com
dedicação integral. É um tempo bom, que dá pra fazer isso com calma.

21 - você comenta que quem não sabe bem a área que quer
poderia estudar para fiscal, pelo que entendi estudando para
área fiscal é um preparatório para uma boa parte dos
concurso?Falo isso porque estou a vários anos perdida
Olha, esa tua pergunta vai depender da resposta de outras. Vc tem formação em exatas ou algo
relacionado à Economia, Contabilidade, algo que mexa com números? Vc tá fazendo cocnurso pra
tribunal geral, de analista mesmo? Sua formação é em Direito? Eu pergunto pqa área fiscal costuma
ser árdua pra quem não tem mta familiaridade com números. Nas provas estaduais eles pegam
Economia, a ultima de RLQ da Receita foi pesadíssima e, em todas elas, cai Contabilidade bem
puxado. Então seria interessante vc adequar esse foco ao tipo de matéria que vc tem mais facilidade
e/ou um conhecimento prévio maior.

CAso vc seja de uma área completamente diferente de qqr um dos campos desses concursos (saúde),
aí vc terá que analisar outras coisas. Alias, essas outras coisas tem de ser analisadas anyway. Por
exemplo, quem faz concurso pra área fiscal em geral se sujeita a mudar de cidade, de Estado e, bem
comum, de região. Em cocnursos de tribunais, por ser regionalizado, vc pode escolher previamente
por ficar mais proximo de casa. Tudo vai depender de como vc organiza e quer continuar organizando
a sua vida. Aqui na Receita mesmo, a grande maioria dos colegas se mudaram para localidades
muuuuuito distantes dos seus lares. Aí vc tem que analisar isso tudo e tomar uma decisão.

Decisão tomada, faz que nem cavalo. Mira naquilo e nem olha pro lado. Segue reto, em frente,
sempre.

Qdo me referi a estudar para a area fiscal ser uma opção para quem ainda está indeciso foi me
referindo aquelas pessoas que pensam em Banco Central, CGU, MPOG e agências reguladoras. Pq
são concursos parecidos, dá pra se adaptar os programas. E a área fiscal, por ter uma periodicidade
maior de concursos, te mantem motivado.
Não conheço bem os cocnursos de tribunal pq nunca me interessei por eles. Ao que me parece, eles
abordam os Direitos de uma forma bem amsi epsada que a Receita e os outros concursos da área
fiscal, né? Como o meu forte não era Direito, nem pensei nisso. Alem de que, tinha familiaridade com
a área fiscal por ter parentes trabalhando em alguns fiscos. Então era algo que eu já conhecia e sabia
o que encontrar, que poderia me satisfazer bem.

22 - É possível passar na RFB trabalhando 8 horas por dia e


estudando umas 3,4 horas diárias?
sobre a sua pergunta se é possível passar em um cocnurso do porte da RFB trabalhando, eu te
responderia que sim. Já li alguns depoimentos de pessoas que trabalharam durante a preparação, se
lascaram de estudar e conseguira, chegar lá. Porém, não sou a melhor pessoa para te falar sobre isso,
já que, como vc deve ter lido no meu depoimento, eu não trabalhei em nenhum momento durante
o meu estudo pra concurso. Foi foco 100%. E, mesmo assim, já foi bem difícil. Contudo, como te disse,
já vi relatos de pessoas que trabalhavam e, mesmo assim, se virando nos 30, conseguiam manter a
mesma média de estudos que eu, uma simples estudante, fazia. Acho que isso é uma questão bem
relativa. Vai depender do resultado de uma equação complexa, que envolve o seu nível de preparo
atual, sua base escolar, sua aptidão em reter conhecimentos novos, o tempo disponível que vc terá
para se dedicar efetivamente aos estudos, seu empenho.

Para te incentivar, eu posso te dizer que eu, mesmo com todas as condições ideais de temperatura e
pressão, não conseguia passar mto das 6h diárias de estudo, na média. Tinha meses que eu fazia 4h...
Então, vc com disposição, disciplina e organização, com certeza consegue bater essa meta, sim. A
questão é o nível de aproveitamento do estudo. Se vc conseguirá reter as informações, mesmo com
todo o cansaço do trabalho e das outras demandas cotidianas da vida normal (que terão que ser
reduzidas >>> terceirizar, encarregar outras pessoas, se afastar completamente). Com certeza, não
será fácil, mas não é impossível. E, se bem sucedido, pode ter certeza que valerá mto a pena! Lá no
fórum tem alguns bons depoimentos de pessoas que trabalhavam e conseguiram passar em bons
concursos.

23 - Tô pensando em fazer uma conta no Tecconcursos, mas


tô na dúvida se vale a pena mesmo pq tem o
questõesdeconcurso que é bem mais barato. Vc chegou a
usar esses sites?Qual vc acha que vale mais a pena?
Usei os dois. Cada um tem as suas vantagens.

Eu acho o TecConcursos mto mais organizado e fácil de manusear. Além de que, os comentários são
bons, pq normalmente são feitos por pessoas da área ou que já estudaram mto pra passar em algum
concurso e conhecem bem da matéria. Acho que se vc tiver desconto do EVP (se vc for usuaria e tiver
VIPoints ele dá desconto no Tec), vale a pena, pq barateia.

O QC eu gosto tb por outros motivos. Porém usei menos que o Tec. NO QC, para questões mais
complicadas, vc tem uma ampla discussão da galera que já se deparou com aquela questão. E isso as
vzs é bem legal, pq vc vai seguindo a linha de pensamento de cada um, montando a sua lógica.. No
Tec meio que a coisa já vem pronta, e nem sempre, em algumas questões mais complicadas, me
satisfazia. Pq tem professores que comentam bem, outros não.

O que eu fazia era assinar o Tec (pq eu tinha desconto do EVP, então ficava pagável) e recorrer ao QC
para dúvidas pontuais que me restassem (usava o modo gratuito mesmo). Além disso, o FC tb me
ajudava mto. Eu nunca coloquei dúvida minha por lá (não gostava de investir tempo nisso), mas
99,80% delas eu conseguia resolver com a tríade Tec, QC e FC. Pra procurar a questão no FC, eu
simplesmente digitava o enunciado no Google que aparecia.

Particularmente eu gosto mto do sistema de busca do Tec, acho o visual mais legal, o ambiente mais
amigável. Então, de primeira, foi isso que me pegou mais.

24 - Em relação ao estudo da disciplina de Português: tenho


muita dificuldade nessa disciplina e gostaria de saber qual foi
seu método de estudo específico para essa matéria.
Eu tive alguma dificuldade em português, como acho que já falei lá em cima. Pelo que lembro por
agora, o que acontecia era sempre eu me pegar com os assuntos gramaticais mais cascas grossas. Aí
antes da prova da RFB, qdo fui pro Maranhão fazer CGE (março/2014), eu peguei o curso do Pestana
e assisti todinho, pq com Português da FGV não se brinca. Acho que é a banca que faz a prova de
Portugues mais gramatiquês de todas (tlvz a FCC fique pau a pau). O que acontecia antes disso era
que eu sempre ficava com notas medianas em português, por mais que eu estudasse uma ssunto ou
outro. Nunca passava dos 75%, 80%. Em outubro de 2013, qdo eu fiz o ICMS-ES do CESPE, e fiquei só
com 50% em Portugues, aí eu fiquei preocupada e comecei a sistematizar os meus estudos nessa
matéria. O que eu vi de varias pessoas estudando pra concurso, e eu tb fazia a mesma coisa, era
negligenciar essa matéria. Por se ter uma boa trajetória escolar, e por ser algo que sempre se
estudou, desde pequeno, as pessoas tendem a deixar português de lado. Mas é foda, pq justamente
por ser fácil, e por já termos uma boa base da escola (diferentemente de outras matérias que temos
que pegar do zero), é que é importante aproveitarmos essa base e conseguirmos a melhor nota
possível nessa matéria, até pq em grande parte das provas o peso dela é um dos maiores (alto
percentual de questões, e peso mto alto tb, o que é uma combinação explosiva). Eu tenho certeza
que uma das matérias que mais contribuiu com o meu bom resultado na prova de AFRFB foi
Portugues, pq eram varias questões, e eu consegui fechar a prova. Esse mal resultado que eu tive no
ICMS-ES CESPE serviu como uma boa sacudida e um alerta de que eu não poderia estuda-la só em
cima da prova, pelo contrario. Eu deveria ter uma metodologia de estudo constante de Portugues, e
nunca negligencia-la, mesmo qdo batesse a agonia por estar com os assuntos de legislação,
contabilidade, e essas outras matéria as quais damos um peso maior, geralmente. Aí eu comecei a
assistir o curso, e a cada assunto finalizado do curso, eu pegava uma gramatica bem gramatiques
mesmo, dessas bem chatas, e resolvia todos os exercícios dos assuntos que eu havia assistido na
videoaula. Tlvz eu tenha até exagerado um pouco, mas, poxa, não pode ter sido por outro motivo
que a partir de então eu comecei a fechar ou a quase fechar as provas de português (conforme
quadro abaixo).

24 - Você leu a lei seca do RIPI, RIPJ e RA ou só estudou pelos


pdf's dos professores que você mencionou?
Eu lia lei seca sim. É bem importante. Depois que vc já tem uma ideia geral da coisa, é importante vc
partir para a literalidade da lei. Normalmente eu lia o pdf, assistia a videoaula e depois, qdo já tinha
entendido o todo, lia a lei seca. Para a Constitnuição, inclusive, é importantíssimo. Para leis tipo RIPI,
RA, RIPJ, se vc não tiver mtot empo para videoaulas e pdfs, vale a ler a lei e ir direto rpos exercícios.
Dá pra aprender mto assim.

25 - Vc disse q lia com bastante atenção logo na primeira


leitura, gostaria de saber qual a porcentagem de acertos vc
fazia logo de cara e como era seu método de revisões.
De início, nas matérias que eu lia livros mesmo (DCo, DAd e DTrib), eu não fazia questões após a
primeira leitura não. Primeiro eu estudava bem: lia, relia, fazia resumo. Só depois eu ia pras questões.
Era tudo mmmto novo pra mim, e eu precisava de um tempo para aquele conhecimento assentar na
cabeça. Então eu lia uma vez, ia estudar outra coisa. Outro dia, eu lia de novo. Num terceiro dia, eu
resumia. Aí é que, por último, eu ia pras questões.

Mas isso era dessa forma pq eu realmente sentia necessidade. Depois de um tempo, sobretudo para
DCo, eu comecei a acelerar esse processo. Pq a primeira parte (teoria geral, conceitos sobre Estado,
o começo de direitos fundamentais) é que é bem teórica. Depois entra mais na Constituição e na
jurisprudência mesmo. Aí eu comecei a usar o DCO nas 5 Fontes. E aí a sistemática era outra. Eu lia a
matéria que tava lá (geralmente pequena), lia a minha CF (só pra saber localizar os artigos e fixá-los
bem) e aí eu ia fazer as questões comentadas. Fazia uma e lia o comentário pra ver se acertava. Então,
como eu ia fazendo as questões e lendo os comentários pari passu, eu não media o percentual de
acertos, pq ainda não era o momento de se avaliar.
Acho que esse tipo de estudo (à lá DCo nas 5 Fontes e outros materiais que utilizam a mesma
metodologia) é um dos mais eficientes que já tive. Vc consegue fixar bem sem ficar lendo e relendo.
Vc faz o mesmo tipo de questão várias vzs.

Eu revisava fazedno questões do tipo C ou E (para isso eu usava o material do 1001 questões). Pq é
uma forma de se avaliar e ao mesmo tempo de revisar. Para capítulos que tinham mais questões eu
fazia, digamos, as primeiras 30 questões sem ler os comentários e auferia o percentual de acertos.
Se fosse bom, eu fazia ou não o resto, a depender do tempo disponível e do quão bom era esse
percentual. Se fosse ruim (abaixo de 80%), eu parava, lia um resumo e voltava para fazer mais
algumas questões.

Com Contabilidade e RLQ é que o esquema é mais diferente, pq não tem teoria mesmo. Aí era só
exercícios. Até duas semanas antes da prova (pq na semana pré mesmo eu me preocupei mais com
LegAduaneira, LegTrib e DTrib).

Em relação a revisões de ultima hora, eu nunca fui mto fã, mas já me salvaram mto! A depender de
como se proceda, pode ajudar bastante! As vzs eu e minha amiga que estudava cmg dávamos uma
pincelada em uma coisa ou outra. Pra Receita, assistimos os vídeos que os bons professores
colocaram na internet. Esses vídeos me ajudaram mto pra LegAduaneira, ComInt e Contabilidade (os
índices que o Silvio Sande falou estavam lá, e eu só consegui fazer aquelas questões por causa dessa
revisão). Esses caras de cursinho devem mesmo ter um bom sexto sentido. Pra concursos grandes
como os da Receita, eu super aconselho essas minivideoaulas de última hora! São curtas, e se vc já
conhece o cara e estudou bem a matéria, te passa uma tranquilidade boa. [Eu tenho que agradecer
essas revisões e essas questões a minha amiga, pq eu nunca tive coragem de revisar sozinha, se
dependesse só de mim...]. Por outro lado, eu fiz a ressalva lá em cima ("A depender de como se
proceda") pq acho importante tb não exagerar na dose. Não dá pra querer revisar tuuuudo. E aí é
que entra o prof. Acho que se eu pegasse os meus próprios resumos,a tendencia seria eu querer ler
tuuudo de tooodos, e isso só faria me deixar mais nervosa. Um bom prof te pega pela mão e te guia
pra dar uma relembrada só no que valha a pena mesmo.

Espero ter conseguido te responder satisfatoriamente. Não fui nada objetiva, mas é pq na verdade
não tinha um método bem delineado de revisões para todas as matérias. Acho que existem grupos
de matérias (as de cálculo, as línguas, as teóricas pesadas, as teóricas leves e as decorebas), e cada
grupo merece uma estratégia diferente, a depender do candidato.
26 - Ela gosta muito de resumos, mas tem medo de estar
perdendo tempo, eu acho que se ela gosta e sabe fazer
resumo é algo bem positivo. A famosa pergunta COMO FAZER
RESUMOS , SE COMPENSA FAZER RESUMOS ?
Sobre os resumos, eu entendo a prreocupação dela. Fazer questões é melhor, para concurso, que
fazer resumos. Eu fazia resumos pq eu sou uam pessoa extremamente apegada a métodos, lenta,
devagar, e que preciso esquematizar o conhecimento na minha cabeça para ir pra frente. Mas lendo
e convernsado com outros pós-concurseiros, vejo que há formas mais eficientes de estudar para
passar em um concurso (e na época eu sabia disso, mas mesmo assim teimava em fazer do "meu
jeito"). Eu tenho um perfil ruim para concurso, de quem quer entender, quer ir a fundo, quer saber
de tudo. Sou obstinada e disciplinada. Então mtas vzs eu termino empreendendo mto esforço para
fazer algo que outros fazem de forma mais eficiente e mais simples (por outro lado, eu vou no âmago
da questão..) Para concurso, isso não é legal. Vc termina perdendo mais tempo que o necessário para
dar conta de um assunto. Fazer resumo eu acho um pouco uma expressão dessa tendência. Ainda
mais os meus, mega organizados, sem necessidade. Eu vou te enviar alguns, para vc ter ideia do nível
de paranoia (hoje fico até com vergonha...). Muitas vzs eu fazia tabela e figuras, para imprimri e colar
na parede.

Quando eu digo resumo, eu me refiro a texto ou esquema com mtas explicações. Esquemas mto
esquematizados, eu acho uma boa. Contudo, eles só faziam sentido pra mim, e eu só conseguia
produzi-los, quando eu já havia compreendido bem o assunto, e aí, quando eu chegava nesse ponto,
eu já havia feito um resumo bem legal,e aí não mais necessário esquema =/

27 - Estou com quase 200 horas contabilizadas mas parece


que meu estudo na parte teórica não rende muito. Sou meio
lenta para ler os livros. Por exemplo, exceto DAD que estou
no Cap 7, as demais disciplinas DC, DT ainda estou no Cap
4.Eh normal? Meio ciclo tem 6 disciplinas, com 02 matérias
por dia, estou rodando 02 vezes por semana, mas por
exemplo nunca dar para terminar uma assunto completo em
uma semana, ouseja, não consigo ler todo o capítulo e fzer
exercícios nas duas vezes por semana que vejo aquela
matéria.
Eu sei como é.. Eu também era assim, e lembro que ficava bem nervosa com isso.. VOu fazer um
comparativo numérico. Eu estudei 3913h líquidas, aproximadamente. Suponha que 3500h tenham
abrangido as matérias da área fiscal (pq teve um época em que eu estudei pro concurso de gestor).
Eu tenho uma marca aqui na minha planilha de horas líquidas estudadas que imagino que seja as
horas de estudo do dia de autorização do concurso até o dia da prova (essa eu me lembro: 10 e
11/maio): 656h. Pós autorização, eu não me recordo de continuar lendo livro.. Comecei a procurar
metodologias de estudo mais rápidas. Então suponha que eu tenha feito 2844h, até a autorização do
concurso, de estudo da área fiscal, horas estas que em muito foram dispendidas em leitura de livros
e apostilas (eu variei algumas vzs de material). Suponha que 60% dessas horas tenham sido dedicadas
a leitura de materiais densos (livros e apostilas). Assim, eu teria gasto 1706h com leituras.

Agora vamos para o seu caso. Vc já está com 200h de estudo, o que representa 7% (200h/2844h) do
meu tempo total de estudo líquido até a data de autorização do certame. Representa ainda 12%
(200h/1706h) do meu "tempo total estimado de estudo com leituras de material denso".

Você está me dizendo que no capítulo 4 de Direito Tributário. Supondo que você esteja lendo o
Ricardo Alexandre, você já teria lido quase um terço dos capítulos (na versão que eu li eram 15
capítulos), e mais que um terço do número de páginas (233/640 = 36%). Logo, com 12% do meu
"tempo total estimado de estudo com leituras de material denso" você já leu (e, mais importante,
compreendeu) 36% do livro. Eu não acho isso pouco...

O exercício acima é algo puramente quantitativo. Claro que existem uma série de variáveis que
influenciam nos resultados que queremos obter (acertos na prova) embutidas nos números acima
(capacidade de concentração, capacidade de absorção do conhecimento e capacidade de retenção
do conhecimento a longo prazo, interpretação de questões, dentre outras). Mas é importante você
ter em mente as limitações e as vantagens do método de estudo escolhido, para saber se ele se
adequa a você. (Também é importante ter paciência, ams como acho que isso é premissa, vou nem
entrar no assunto...)

O estudo por livros é algo extremamente maçante, de médio prazo, porém elucidativo. Eu sou uma
pessoa que, em geral, para conseguir absorver uma informação, eu preciso entendê-la: saber de onde
ela veioe para onde ela vai. Sou muito pouco pragmática neste sentido. Além do mais, eue stava em
uma posição muito confortável quando estudei para o concurso: na casa dos meus pais, sendo
bancada por eles, sem estrutura familiar para administrar. A minha única preocupação eram os
estudos. Outro ponto importante aqui foi o meu planejamento. Eu já comecei estudando para a área
fiscal, e pretendia ingressar na RFB por uma questão de lotação (para não ficar "presa" a um estado
ou município). Eu comecei a estudar quando tinha acabado de ter o concurso anterior. Logo, eu tinha
um panorama de, no mínimo, um ano de estudo. Dessa forma, eu pensei que poderia, e mais, que
eu deveria, ler os livros. Sobretudo porque, como eu precisava reter o conhecimento por muito
tempo, eu entenderia o conteúdo, e não somente memorizaria-lo, como caso eu estudasse por
outros materiais mais palatáveis e de leitura mais rápida.

Daí, conclusão disso tudo. Faça uma análise:


Direito Tributário a) do seu
planejamento: tenha
Livro: Ricardo Alexandre
em mente um
Capítulo
Título Páginas % % acumul
horizonte de tempo
1 Noções introdutórias 69 11 11
(multiplique a qtde
2 Limitações constitucionais ao poder de tributar94 15 25
de horas média de
3 Competência tributária e legislação tributária 55 9 34
estudo diárias pelo
4 Interpretação e integração da legislação tributária
15 2 36
número de dias até a
5 Obrigação tributária 33 5 42
suposta prova) e uma
6 Responsabilidade tributária 48 8 49
estimativa do
7 Crédito tributário e lançamento 26 4 53
volume de matéria
8 Suspensão da exigibilidade do crédito tributário 20 3 56 (eu mantinha sempre
9 Extinção do crédito tributário 73 11 68 uma tabela com os
10 Exclusão do crédito tributário 5 1 68 capítulos e o número
11 Garantias e privilégios do crédito tributário 17 3 71 de páginas das três
12 Administração tributária 24 4 75 bíblias: DCo, DAd e
13 Impostos previstos na CF 102 16 91 DTrib);
14 Repartição constitucional de receitas tributárias16 3 93
15 Simples nacional 43 7 100 b) do seu
Total 640 51 desenvolvimento na
matéria (na tabela
Direito Constitucional com os capítulos e as
Livro: MA & VP Tempo total: 84 dias páginas das três
Capítulo
Título Páginas % % acumuladabíblias, eu ia pintando
1 Dir. Constitucional e Constituição 72 7,7 8 de verde tudo que eu
2 Poder Constituinte 3 0,32 8,05
já tinha estudado e
fixado - segue figura
3 Princípios, direitos e garantias fundamentais 168 18 26
abaixo) em relação ao
4 Organização político-administrativa 50 5 31
tempo de estudo que
5 Repartição de competências 20 2 34
você estima que terá
6 Administração pública 50 5 39
até uma suposta data
7 Poder Legislativo 77 8 47
de prova (multiplique
8 Processo legislativo 75 8 55
a qtde de horas
9 Modificação da CF/88 32 3 59
média de estudo
10 Poder Executivo 30 3 62
diárias pelo número
11 Poder Judiciário 48 5 67
de dias até a suposta
12 Funções essenciais à Justiça 26 3 70 prova, e veja quantos
13 Controle de constitucionalidade 164 18 87 porcento do seu
14 Defesa do Estado e das instituições democráticas
13 1 89 tempo estimado de
15 Sistema Tributário Nacional 45 5 94 estudo você levou
16 Ordem econômica e financeira 33 4 97 para estudar "x"% da
17 Ordem social 26 3 100 matéria. Atenção se
Total 932 100 eles estiverem muito
díspares);
c) da sua capacidade de retenção de
Direito Administrativo
conhecimento a médio e longo
Livro: MA & VP Tempo total: 63 dias prazo. De nada adianta ler os livros
Capítulo
Título Páginas % % acumuladasó para se tranquilizar. É importante
1 Direito Administrativo 9 1 1 sempre fazer exercícios sobre os
2 Adm. Pública 98 10 11 assuntos dos capítulos anteriores.
3 Órgãos e agentes públicos 12 1 12 Eu lembro que quando eu cheguei
4 Reforma administrativa e terceiro
51 setor 5 18 no capítulo 6 (Responsabilidade
5 Príncipios fundamentais da Adm.25Pública 3 20 tributária) ou 7 (Crédito tributário)
6 Deveres e poderes administrativos
43 4 25 do Ricardo Alexandre eu
8 Atos administrativos 82 9 33 simplesmente voltei para o começo,
9 Contratos administrativos 54 6 39 em pânico, porque estava me
10 Licitações públicas 94 10 49 saindo muito mal nos exercícios
11 Serviços públicos 95 10 59 sobre os primeiros capítulos. E daí
12 Responsabilidade civil da Adm. 33
Pública 3 62 eu pensei: poxa, se agora que só
14 O processo administrativo no âmbito
18 da Adm. 2 Federal64 fazem 4 meses que eu estudei isso,
13 Controle da Adm. Pública 117 12 76 eu já não to conseguindo acertar as
15 Bens públicos 13 1 78 questões, imagina daqui a um ano,
16 Intervenção do Estado no propriedade
47 no dia da prova?!?!? E aí eu reli um
e no5domínio econômico
83
7 Servidores públicos 165 17 100 livro (de uma forma um pouco mais
Total 956 100 rápida) e reassisti as aulas do
Cláudio Borba aceleradas sobre
aqueles capítulos.

Eu sou alguém bastante "numérica", então saber que eu já tinha visto 24% do conteúdo, e para isso
tinha despendido, sei lá, 3 meses, me deixava tranquila, pq dessa forma eu pensava que conseguiria
estudar tudo, muito bem, em um ano. Como o meu horizonte de tempo era de 1,5 ano, estava tudo
bem. Esse raciocínio me acalmava quando batia a agonia de que "parece que não vai terminar
nunca", "não vai dar tempo de estudar tudo" ou "to estudando mas não lembro mais dos primeiros
assuntos" (aqui é importante os exercícios..). Assim eu me sentia, digamos, "no controle" de que eu
estava no caminho certo =) Mas aí está a questão: eu desenhei esse caminho (planejei os estudos) e
reavaliava constantemente esse planejamento (acho que até demais..). Esse foi o meu método.

28 - Você sentiu a mesma dificuldade do início?


Sim, como relatei acima. É dificil mesmo. Mas tenta não perder mto tempo com as organizações e
planejamento. Escolhe um método,e vai.. Sempre havrá outras alternativas e pessoas ao seu lado
(ou no fórum) para te dizer que esse oua quele caminho é mais rápido, ou melhor. Vc tem que se
conhecer, saber qual é o métodod e aprendizagem que se encaixa melhor no seu perfil, quais são as
suas dificuldades, e escolher algo que pareca adequado a elas. Pronto. Não fica mudando muuuuito
de método não. Sós e realmente parecer que a coisa não tá indo pra frente. Mas isso depois de uns
oito meses, eu acho. Não gostod e faalr em prazos, pq isso tudo é tão relativo..

29 - Quantas questões de cada disciplina e por assunto vc


costumava fazer?
Não sei, como disse lá emcima, não contabilizava. Fazia as do livro, as das apostilas, algumas do tec..

Outras que as meninas do grupo de estudo arrumavam.. Enfim, tudo mto disperso

30 - Sara, por gentileza como vc define o auxilio do couch na


preparação para o concurso da RFB? Vale a pena mesmo?
Quais os pontos positivos e negativos?
Olha, eu nunca fiz coaching.. Por outro lado, eu tive a assessoria do meu pai. Mas ele não fazia o
papel de coach exatamente, mas sim algo mais próximo de um mentor. Até pq ele havia estudado
dez anos antes para o concurso dele, então de lá pra cá mta coisa mudou (não existia videoaulas, a
preparação era baseada em sua maior parte em cursos presenciais, não havia tanta oferta
de materiais online, etc)

NA minha opinião, pelo que vi de outras amigas utilizando, vale a pena para pessoa que não tem mta
disciplina para seguir um plano de estudos e/ou não sabem elaborar esse plano. Além disso, acho
que pra pessoas que trabalham, e que tem pouca carga horária disponível para se dedicar aos estudos
preparatórios, deve valer a pena tb, pq funciona como um motivador.

Não sei se eu já te falei sobre, mas acredito que na preparação para concurso vc precisa ser, ao
mesmo tempo, o seu gerente, o seu chefe e o seu empregado, três em um. É dificil conciliar esses
três papeis, pq conflitantes por natureza. O coach ele pode desempenhar o papel do gerente
(organizando o seu plano de estuds) e do patrão (aquele que motiva/repreende, cobra o serviço)
para vc.

Se é necessário? Não, não é. Se deve ajudar? Sim, com certeeza, sobretudo na sua situação (que
trabalha). Pq eu não optei por utilizar um serviço desse tipo? Pq achava demasiadamente caro, e
para algo que eu achava que fazia bem (gerência e cobrança). O coach seria para mim mais uma
cobrança, algo da qual eu não precisava, pq eu já me cobrava bastante, e até sofria por isso, e já havia
criado um ambiente motivador e elementos estimulantes para o meu estudo (eu fui morar em CG,
cidade na qual eu não tinha a mínima intenção de permanecer, e de onde eu sairia caso passasse em
um concurso; não tinha dinheiro, então tinha que passar logo)

31 - Você usou bastantes livros de questões (1001 questões,


etc), mas também utilizava sites de questões como Tec e QC.
Qual o melhor método para resolver exercícios: site de
questões ou livros de questões? Ou você indica a combinação
dos dois, como feito por você??
Sobre o uso de livros e sites de questões, eu variava o uso deles pq percebi que, de acordo como as
questões são dispostas e selecionadas, isso influenciava no estudo.

Eu lembro de usar bastante os livros da série 1001 questões, o 3001 de Direito Tributário do Ricardo
Alexandre, o Tec e, as vezes, o Questões de Concursos.

O 1001 Questões é ótimo para fixar, além de ter como vantagem tb ser dividido por banca. Como
eles fracionam as questões de múltiplas alternativas em 5 assertivas diferentes, você termina
aproveitando melhor uma questão. Se respondida em sua versão original, isto é, com as cinco
alternativas dispostas juntas, para você marcar só uma como certa ou como errada, você
provavelmente eliminaria três alternativas e ficaria com duas como opção. Daí quando você
responde uma questão assim, o seu interesse não é analisar, especificamente, assertiva por assertiva,
mas sim eliminar logo as quatro erradas e localizar a certa. Mtas vezes, qdo a questão é de nível fácil,
você vai direto para a alternativa correta e nem se dá ao trabalho de analisar as outras com calma.

Essa é uma boa linha de raciocínio se você está na hora da prova, para otimizar o seu tempo. Porém
quando se está em uma fase de aprendizagem e fixação do conhecimento, melhor seria se você
analisasse, separadamente, cada assertiva, julgando-as certas ou erradas, e localizasse o porquê dela
estar correta ou errada. A série 1001 questões possibilita isso, e por isso eu usei tanto ela. O fato de
estar dividido por bancas tb é legal pq faz com que você praticamente memorize os artigos e
jurisprudências preferidos de uma banca específica. Uma pena que a série não tenha sofrido
atualização, pq eu adorei essa metodologia. Por último, é legal tb pq eles dividem os capítulos por
assuntos, só que mtas vzs uma questão de múltiplas alternativas tem alternativas que englobam
assuntos diferentes. Como as questões são particionadas, você quando vai resolver o capítulo de
direitos fundamentais, por exemplo, não vai se deparar com uma questão de, por exemplo,
organização dos poderes. Isso possibilita que você aproveite melhor o potencial de aprendizagem de
uma questão.

Os livros do tipo do 3001 questões, que são aqueles aglomerados de questões, de várias bancas e
com questões de diferentes tipos, todas em sua forma original, é legal pra se usar quando vc já tem
uma base boa no assunto, e já estudou, digamos, 70% do assunto. Isso pq ele tem a desvantagem
que você não vai conseguir filtrar as assertivas por tema, ou seja, em uma mesma questão vários
assuntos diferentes podem ser abordados.

O Tec e o Questões de cocnursos seguem a mesma metodologia do 3001 questões e outros similares.
Eu usava eles para selecionar questões mais novas, questões de uma banca específica, de cargos
semelhantes, etc. Essa é a grande vantagem desses sistemas de questões virtuais, a possibilidade de
vc utilizar diversos filtros diferentes. Além disso, eu muitas vzs usava para encontrar uma questão
específica, pesquisar a explicação da resposta quando eu não entendia direito. Nesse sentido, de
você ter acesso a discussões sobre a resposta de uma questão mais cabeluda, o Questões de
Concursos é ótimo, pq tem uma galera que realmente escreve um bucado por lá. Mas eu raramente
o usava, somente nesses casos específicos de questões mais complicadas, ou quando eu não
concordava com a explicação de um professor na solução do livro.