Você está na página 1de 3

O Tabaco

Tabaco é um produto agrícola processado a partir das folhas de plantas do género Nicotiana.[1] É
consumido como uma droga recreativa sob a forma de cigarro, charuto, cachimbo, rapé, narguilé,
charro ou fumo mascado. É usado em pesticidas sob a forma de tartarato de nicotina. Também é
usado em alguns remédios.
A OMS (Organização Mundial da Saúde) estima que 40% da população mundial adulta, isto é,
2,8 bilhões de pessoas (entre as quais 200 milhões de mulheres), sejam fumantes. Pesquisas
comprovam que aproximadamente 47% de toda a população masculina e 12% da população
feminina no mundo fumam. Enquanto nos países em desenvolvimento os fumantes constituem
48% da população masculina e 7% da população feminina, nos países desenvolvidos a
participação das mulheres mais do que triplica: 42% dos homens e 24% das mulheres têm o
comportamento de fumar.

Quase todo o mundo sabe que o tabaco faz mal à saúde, apesar disso as pessoas continuam a
fumar e a prejudicar a sua saúde e das pessoas que as rodeiam. Existem muitas formas de tomar
o tabaco. O tabaco pode se mastigar, inalar através do nariz, e fumar sob a forma de charutos ou
cigarros. Não importa a quantidade que é tomada, é perigoso.

Causas

O tabagismo causa dependência primeiramente devido a nicotina, a substância psicoativa


presente na fumaça do cigarro. Além da dependência física causada pela nicotina ainda temos a
dependência comportamental que se caracteriza pela rotina associada ao uso do tabaco criada
pelo fumante.

Os efeitos da nicotina desaparecem ou diminuem após algumas horas de seu consumo e os


sintomas desagradáveis - que compõem a Síndrome de Abstinência - surgem, levando ao ciclo da
dependência (se fumo me sinto bem, se não fumo me sinto mal).

Danos à saúde:

O tabaco é responsável por cerca de seis milhões de mortes em todo o mundo. O tabagismo é,
reconhecidamente, uma doença crónica — resultante da dependência à droga nicotina — e um
factor de risco para cerca de 50 doenças, dentre elas, câncer e doenças cardiovasculares. Além
de estar associado às doenças crónicas não transmissíveis, o tabagismo também é um factor de
risco importante para o desenvolvimento de outras doenças, tais como tuberculose, infecções
respiratórias, úlcera gastrintestinal, impotência sexual, infertilidade em mulheres e homens,
osteoporose, catarata, entre outras doenças.

Quando um fumador inala uma nuvem de fumo do cigarro, grande parte da nicotina passa logo
para o sangue, isto porque os pulmões não o conseguem filtrar. É esta nicotina que os fumadores
imploram, mas existe um perigo muito maior do que apenas a nicotina. Na verdade, existem mais
de 4000 substâncias químicas que compõem o cigarro e muitas delas são tóxicas.

O cigarro é composto de 43 substâncias cancerígenas e mais de 400 outras toxinas que podem ser
encontradas também em madeira de verniz, unha polonês, e veneno de rato. Todas estas
substâncias se acumulam no organismo e podem causar sérios problemas para o coração e
pulmões. O cancro é a mais comum das doenças associadas ao tabagismo. O tabagismo é a causa
de 90% dos cancros de pulmão e está relacionado a 30% de todos os cancros fatais. Outros
cancros tabaco-relacionadas incluem cancros da boca, pâncreas, bexiga, rim, estômago, esófago
e laringe.

O perigo do tabaco para pessoas próximas:

Os fumadores colocam também outras pessoas em risco. Os perigos da respiração do fumo em


segunda mão são bem conhecidos. Os fumadores prejudicam os seus entes queridos, expondo-os
ao fumo que exalam. Todos os tipos de problemas de saúde estão relacionados com o respirar do
fumo em segunda mão. As crianças são especialmente sensíveis aos perigos do fumo em segunda
mão, porque os seus órgãos internos ainda estão desenvolvimento. Crianças expostas ao fumo
são mais vulneráveis à asma, síndrome de morte súbita do lactente, bronquite, pneumonia e
orelha infecções.

Alguns efeitos do tabaco sobre a saúde:

Alergias - O tabaco aumenta o risco de rinite e conjuntivite alérgica em razão da irritação que
provoca sobre as vias respiratórias. Ele também dispara e agrava reacções alérgicas. Por si só, o
tabaco não é capaz de causar alergia (com excepção de funcionários da indústria do fumo), mas
se comporta como um amplificador de reacções alérgicas.
Problemas de pele - O tabaco é responsável pelo surgimento de rugas precoces em razão da
degradação das fibras elásticas da pele e também por dificuldades de cicatrização.

Problemas bucais - Além do câncer de boca e língua, o cigarro torna os dentes amarelados,
provoca a inflamação das gengivas e aumenta o risco de perda dos dentes. Além disso, a
rouquidão é um sinal típico de grandes fumantes.

Sintomas de Tabagismo

Segundo o Manual Estatístico e Diagnóstico (DSM-IV) da Associação de Psiquiatria Americana


(APA) os critérios diagnósticos para Dependência Química se aplicam também ao tabagismo.
São eles:

a) Esforços para manter o uso diário da substância (nicotina);


b) Tolerância, definida por um dos dois aspecto a seguir: uma necessidade de quantidades
progressivamente maiores da substância para adquirir o efeito desejado e acentuada
redução do efeito com o uso continuado da mesma quantidade de substância
c) Abstinência: sintomas que surgem com a súbita interrupção ou acentuada redução do
consumo de nicotina: irritabilidade, inquietude, depressão, agitação, insónia, ansiedade,
fome, falta de concentração, alteração do humor, queda da frequência cardíaca, aumento
do apetite e/ou do peso

d) A substância é frequentemente consumida em maiores quantidades ou por um período


mais longo do que o pretendido

e) Existe um desejo persistente ou esforços mal-sucedidos no sentido de reduzir ou controlar


o uso da substância

f) O uso da substância continua, apesar da consciência de ter um problema físico (doenças


cardíacas, pulmonares, câncer, etc.) ou psicológico persistente ou recorrente que tende a
ser causado ou exacerbado pela substância.

Tratamento de Tabagismo

A pessoa que fuma fica dependente da nicotina. Considerada uma droga bastante poderosa, a
nicotina atua no sistema nervoso central como a cocaína, heroína, álcool, com uma diferença:
chega ao cérebro em apenas 7 a 19 segundos. É normal, portanto, que, ao parar de fumar, os
primeiros dias sem cigarros sejam os mais difíceis, porém as dificuldades tendem a ser menores a
cada dia.