Você está na página 1de 10

NBR 11582/1991

NM 3435
CIMENTO PORTLAND
Determinação da expansibilidade de
Le Chatelier
CIMENTO – EXPANSIBILIDADE LE CHATELIER

OBJETIVO:

Medir as expansibilidades a quente e a frio da


pasta de cimento de consistência normal;
CIMENTO – EXPANSIBILIDADE LE CHATELIER

EQUIPAMENTOS:
• Aferidor e agulha de “Le Chatelier”;
CIMENTO – EXPANSIBILIDADE LE CHATELIER

EQUIPAMENTOS:
A agulha de Le Chatelier constitui-se de um cilindro com
30mm de diâmetro e 30mm de altura, em chapa de latão
de 0,5mm de espessura, fendido segundo uma geratriz.
As hastes soldadas nas laterais possuem 150mm de
comprimento.
CIMENTO – EXPANSIBILIDADE LE CHATELIER

EQUIPAMENTOS:
• Pasta em consistência normal (pasta padrão);
• Régua milimetrada com divisão de 0,5mm (ou
paquímetro);
• Espátula fina;
• Placas de vidro (quadrada
de 5cm de lado);
• Contrapeso;
• Óleo mineral e pincel;
• Banho termorregulador a temperatura ambiente e com
aquecimento;
CIMENTO – EXPANSIBILIDADE LE CHATELIER

EXECUÇÃO DO ENSAIO:
1. Aferição da agulha
a. Prender uma das hastes da agulha
ao aferidor, próximo de sua ligação
com o cilindro, de modo que a
outra haste fique na horizontal;
b. Pendurar uma massa de 300g
próximo a solda da haste ao
cilindro;
c. A extremidade da haste deve
afastar-se de 15mm a 30mm de sua
posição inicial;
2. Preparação da pasta de cimento (500g)
conforme a NBR 3433;
CIMENTO – EXPANSIBILIDADE LE CHATELIER

EXECUÇÃO DO ENSAIO:
3. Moldagem dos corpos-de-prova
a. Lubrificar duas placas de vidro com
óleo mineral;
b. Colocar a agulha sobre a placa de vidro
e preenchê-la com a pasta de cimento;
c. Rasar o topo do cilindro com a
espátula e cobrir o molde com a outra
placa de vidro;
d. Colocar um contrapeso sobre o
conjunto;
4. Devem ser moldados seis corpos de prova;
5. Cura inicial - Logo após a moldagem,
imergir todo o conjunto em água a (23
±2)°C por (20 ±4)h. Aplica-se aos seis
corpos-de-prova;
CIMENTO – EXPANSIBILIDADE LE CHATELIER

EXECUÇÃO DO ENSAIO:
6. Cura a frio
a. Retirar as placas de vidro de três corpos-de-prova e colocar as
agulhas preenchidas num tanque com as mesmas condições da
cura inicial durante seis dias;
b. Deixar as extremidades das hastes fora da água. Medir o
afastamento (f1) entre as hastes, em mm;
c. Após sete dias imersos, medir novamente o afastamento (f2) das
hastes;
CIMENTO – EXPANSIBILIDADE LE CHATELIER

EXECUÇÃO DO ENSAIO:
7. Cura a quente
a. Posicionar as outras 3 agulhas no banho termorregulador
da mesma forma que na cura a frio. Medir o afastamento
entre as hastes (q1) em mm;
b. Promove-se um aquecimento progressivo da água de
forma que a ebulição inicie entre 15 min e 30 min;
c. A ação da água quente deve durar até que não se
verifique diferença entre duas medidas consecutivas do
afastamento, realizadas de duas em duas horas. Anotar o
afastamento (q2) assim que se observar sua constância;
d. A primeira medida é tomada apenas após 3 horas de
ebulição;
CIMENTO – EXPANSIBILIDADE LE CHATELIER

RESULTADO:
• A expansibilidade a frio (EF) é a diferença:

• A expansibilidade a quente (EQ) é:

• Ambos os resultados devem ser expressos pela média de 3


resultados (3 corpos-de-prova);
• Resultados expressos em mm, com aproximação de 0,5mm;