Você está na página 1de 3

A TRANSFIGURAÇÃO DE JESUS

LUCAS 9.28-36

INTRODUÇÃO

 Um dos textos mais misteriosos do ministério de Jesus relatado nos evangelhos;


 Numa primeira análise desse texto, salta aos nossos olhos uma promessa que a
morte não é o fim da vida humana. Moisés já tinha morrido 15 séculos antes
dessa cena, Elias já tinha sido levado aos céus cerca de 900 antes da referida
passagem.
 “Cerca de 8 dias antes de dizer ‘estas’ palavras”... Estas palavras se referem ao
diálogo de Jesus com seus discípulos alguns versículos antes.
 Cristo gostaria que seus discípulos tivessem a percepção de quem ele era;
 Jesus deixa claro que seu caminho a Jerusalém seria de sofrimento e não de
glória
 A transfiguração é uma virada de jogo no ministério de Jesus... Chega o momento
pelo qual Ele veio a este mundo, o caminho designado pelo Pai, o caminho da
morte, o caminho da cruz.

DESENVOLVIMENTO DO TEXTO

Versículo 28:
 8 dias – Outros evangelhos falam em 6 dias, é possível que Lucas esteja contando
o dia do evento e o dia presente e os outros autores não;
 Pedro, Tiago e João faziam parte de um círculo mais intimo de Jesus, em alguns
momentos eles estão sozinhos com o Mestre;
 O propóaito de Jesus era bem claro: oração!
 Em todos os momentos de decisão, em todos os momentos importantes, Jesus
se recolhe pra orar: batismo, escolha dos discípulos, etc...
 Jesus leva seus discípulos por muitas vezes pra orar, por curiosidade, os
discípulos muitas vezes caem no sono;
Versículo 29:

 Transfigurar = mudar de forma, ser transformado;


 Inexplicavelmente, Jesus manifestou parte da sua glória divina aos seus
discípulos;
 “brilhou como sol e suas roupas se tornaram brancas e alvas, de um branco
resplandecente”... “como nenhum lavandeiro no mundo seria capaz de
branqueá-las”
 As vestes de Jesus irradiavam uma forte luz branca e brilhante;
Versículos 30 e 31:

 Dois varões aparecem na cena: Moisés e Elias, também em glória;


 Eles conversavam com Jesus e o assunto era sua partida (êxodo), isto é, de sua
morte e ressureição, confirmando aquilo que Jesus tinha dito aos seus discípulos
no V.22;
 Figuras de Moises e Elias como representantes da Lei e dos profetas;
 A Lei quando não aponta pra Jesus Cristo se torna legalismo, mas quando é
apontada pra Cristo se transforma e graça de Deus.
 Os profetas também apontam para Jesus, ele é o Filho de Deus, em que toda
obra profética aponta pra Ele, tudo que Ele orquestrou foi para isso.
 Batismo apresenta semelhanças com essa passagem: Jesus estava orando, há um
testemunho vindo do céu para inaugurar seu ministério
 Dessa vez, o testemunho é para mostrar que é necessário Cristo ir até Jerusalém
para sofrer, ser humilhado, zombado e envergonhado

Versículos 32 e 33:

 Pedro e os que estavam com ele estavam sobrecarregados de sono;


 “Mas, tendo despertado de repente, viram sua glória e a dos homens que com
ele estavam. E assim que esses homens estavam para partir, Pedro disse a Jesus:
Mestre, que bom é que estejamos aqui! Façamos três abrigos, um para ti, um
para Moisés e um para Elias - não compreendendo o que estava dizendo”
 Passagem do Getsemani mostra que os discipulas também estava dormindo
 O problema de Pedro era que ele com muita freqüência falava primeiro e
pensava depois, se é que pensava;
 Pedro mais uma vez no alto da sua tolice, por estar dormindo, por não entender
o que se passava ali, fala uma besteira tremenda, algo digno de vergonha, ele
coloca Jesus Cristo na mesma condição da Lei e dos Profetas, de Elias e de
Moises;
 Pedro não entendeu a centralidade de Jesus Cristo, que tudo apontava pra Ele,
que todas as coisas foram feitas para por Ele, por meio dEle e para Ele;
 Pedro não entende a missão de Jesus;
 É interessante que Lucas destaca que Pedro não sabia o que dizia;

Versículos 34 e 35:

 Nuvem como representação da presença de Deus;


 Os discípulos ficaram amedrontados com o que estava acontecendo;
 Deus se dirige a Pedro, a seus discípulos , diferente da passagem do batismo em
que o testemunho de Deus é dito pra Jesus, agora a mensagem é diretamente
para a incredulidade de Pedro e dos discípulos.
Versículo 36:

 Jesus termina a passagem sozinho, sem Elias e Moisés, e os discípulos saem


daquela cena calados, sem espalhar nada do que viram e ouviram pra ninguém.
 Será que Jesus é o centro de nossas vidas? Será que apenas Ele é o nosso
Salvador e Rei? Ou precisamos de Jesus e mais alguma coisa? Jesus é suficiente.
O grito da reforma ainda ecoa nos nossos ouvidos, Solus Christus, Somente Cristo
é a nossa salvação, só através dEle temos vida eterna

APLICAÇÕES

 A oração é fundamental na vida do cristão. Se Cristo orava o tempo inteiro, por


longos períodos, por que queremos construir nossa vida, nossa história, nossas
decisões longe da presença de Deus?
 Esta passagem nos mostra a segurança de todos os verdadeiros crentes
que partiram deste mundo;
 Precisamos aliar nossas palavras com nossas ações práticas... Pedro confessa
Jesus como Cristo e na primeira oportunidade prática coloca ele num patamar
inferior;
 Jesus é o centro da nossa mensagem, da nossa vida, sem Ele não somos nada,
precisamos entregar a Cristo o primeiro e único lugar em nossas vidas;