Você está na página 1de 6

ENEM – Linguagem

Questão 03 --------------------------------------------------------
Questão 01 --------------------------------------------------------
“ Hoje, se me pergunto por que amo a literatura, a
A dança, certamente, é uma manifestação cultural. resposta que me vem espontaneamente à cabeça é:
Através da linguagem corporal podemos revelar a dor, porque ela me ajuda a viver. Não é mais o caso de
a alegria, a fúria, a tranqüilidade, nossa identidade, pedir a ela, como ocorria na adolescência, que me
etc... Conforme a figura abaixo, temos: preservasse das feridas que eu poderia sofrer nos
encontros com as pessoas reais; em lugar de excluir
as experiências vividas, ela me faz descobrir mundos
que se colocam em continuidade com essas
experiências e me permite melhor compreendê-las.
Não creio ser o único a vê-la assim. Mais densa e
mais eloqüente que a vida cotidiana, mas não
radicalmente diferente, a literatura amplia nosso
universo, incita-nos a imaginar outras maneiras de
concebê-lo e organizá-lo. Somos todos feitos do que
os outros seres nos dão: primeiro nossos pais, depois
aqueles que nos cercam; a literatura abre ao infinito
essa possibilidade de interação com os outros e, por
isso, nos enriquece infinitamente. Ela nos proporciona
sensações insubstituíveis que fazem o mundo real se
tornar mais pleno de sentido e belo. Longe de ser um
(A) Expressão de ódio; simples entretenimento, uma distração reservada às
(B) Expressão de repulsa; pessoas educadas, ela permite que cada um responda
(C) Expressão de acolhimento; melhor á sua vocação de ser humano.”
(D) Expressão de isolamento;
(E) Expressão de rompimento. A LITERATURA EM PERIGO – Tzvetan
Todorov

Conforme o texto é incorreto afirmar:


Questão 02 --------------------------------------------------------
(A) A literatura pode mudar e ampliar nossa visão de
Pintores já pintaram reis, rainhas, pastores, santos, mundo;
deuses, camponeses, enfim, uma gama de figuras nas (B) A literatura mantém conexões com a realidade;
quais a expressão do rosto, da postura, dos gestos, (C) A literatura é, puramente, entretenimento;
diz algo. Na literatura também encontramos (D) A literatura é uma forma de interagir como os
descrições fisionômicas e gestuais que ajudam e, as outros;
vezes, são fundamentais para uma leitura do que se (E) A literatura proporciona prazer e conhecimento.
passa no íntimo da personagem e não é verbalizado.
A passagem que melhor exemplifica isso é:
Questão 04 --------------------------------------------------------
(A) Não digo que ficou em paz com os meninos,
porque o nosso Inácio não era propriamente E horas sem conta passo, mudo,
menino. Tinha quinze anos feitos e bem feitos. O olhar atento,
(Uns Braços – Machado de Assis) A trabalhar, longe de tudo,
(B) A resposta dele foi meter a mão no bolso e lhe O pensamento.
tirar o pacote que lhe trazia. (Noite de Almirante –
Machado de Assis) Assim procedo. Minha pena
(C) Correu à sala dos retratos, abriu o piano, sentou- Segue esta norma,
se e espalmou a mão no teclado. Começou a Por te servir, Deusa serena,
tocar alguma coisa própria, uma inspiração real e Serena Forma!
pronta, uma polca, uma polca buliçosa como
dizem os anúncios. (Um Homem Célebre –
Machado de Assis) O fragmento do poema Profissão de fé, de Olavo
(D) Cândido Neves fez uma careta, e chamou maluca Bilac, ilustra o princípio:
à tia, em voz baixa. (Pai contra mãe – Machado de
Assis) (A) de que a arte precisa agradar e instruir;
(E) Conceição ouvia-me com a cabeça reclinada no (B) de que arte deve estar a serviço da política;
espaldar, enfiando os olhos por entre as pálpebras (C) da arte pela arte;
meio cerradas, sem os tirar de mim. De vez em (D) da arte como manifestação de fé;
quando passava a língua pelos beiços para (E) da arte engajada.
umedecê-los. Quando acabei de falar, não me
disse nada; (Missa do Galo – Machado de Assis)

1
ENEM – Linguagem
Questão 05 -------------------------------------------------------- (B)

Figura 1 Figura 2

A dança (1909) – Henri Matisse

(C)

O homem, desde a pré-história, procurou manifestar,


através da arte (Pintura, escultura, música, dança,
literatura, etc...), sua visão de mundo. Assim,
podemos perceber em suas obras aspectos que
revelam a época e a cultura da civilização que as
produziu. Observando os vasos das figuras 1 e 2, os
reconhecemos como produtos da civilização:

(A) Egípcia
(B) Chinesa
(C) Maia Operários (1933) – Tarsila do Amaral
(D) Romana
(E) Grega
(D)
Questão 06 --------------------------------------------------------

Ainda considerando as figuras 1 e 2, identificamos que


apresentam um padrão de beleza característico das
produções daquele período que pode ser definido
como:

(A) Harmonioso
(B) desarmonioso
(C) grotesco
(D) exagerado
(E) retro

Marilyn (1967) – Andy Warhol


Questão 07 --------------------------------------------------------

O Brasil é um país que tem a diversidade étnica e (E)


cultural como elemento essencial de sua identidade.
Aponte o quadro abaixo em que se pode perceber tal
característica.

(A)

O almoço dos remadores (1881) - Renoir

A primeira missa no Brasil (1860) – Vitor


Meireles

2
ENEM – Linguagem

Questão 08 -------------------------------------------------------- Questão 10 --------------------------------------------------------

Observando os quadros acima, notamos que foram Leia o poema:


telas pintadas por pintores de culturas diferentes, em
momentos diferentes, o que lhes fez terem visões Volto armado de amor
diferentes. Assim, é incorreto dizer: para trabalhar cantando
na construção da manhã.
(A) Matisse segue os mesmos princípios de Vitor Reparto a minha esperança
Meireles; e canto a clara certeza
(B) Renoir e Tarsila elegeram ambientes sociais da vida nova que vem.
diferentes como tema;
(C) O quadro de Andy Warhol reproduz aspectos Um dia, a cordilheira em fogo,
culturais de seu contexto; quase calaram pra sempre
(D) A linguagem cromática de Matisse rompe com a o meu coração companheiro.
perspectiva realista; Mas atravessei o incêndio
(E) O quadro de Vitor Meireles registra um e continuo a cantar.
acontecimento histórico;
Ganhei sofrendo a certeza
de que o mundo não é só meu.
Questão 09 -------------------------------------------------------- Mais que viver, o que importa
é trabalhar na mudança
Leia o trecho do poema “CANÇÃO DO EXÍLIO” de (antes que a vida apodreça)
Gonçalves Dias: do que é preciso mudar.

Minha terra tem palmeiras, Cada um na sua vez,


Onde canta o sabiá; cada qual no seu lugar.
As aves que aqui gorjeiam
Não gorjeiam como lá. MORAMAÇO NA FLORESTA – Thiago de Mello

Nosso céu tem mais estrelas, Na década de 60 a arte foi um instrumento de


Nossas várzeas tem mais flores, combate ao regime ditatorial instalado no Brasil.
Nossos bosques tem mais vida, Alguns poetas escreveram poemas que, como se
Nossa vida mais amores. pode observar no texto de Thiago de Mello, buscaram:

(...) (A) utilizar uma linguagem simples para que os


Considerando o trecho, podemos reconhecer nos militares pudessem compreender;
versos: (B) valorizar a simplicidade para facilitar a
comunicação com o povo;
(A) o retrato fiel e detalhado da paisagem brasileira, (C) usar uma linguagem complexa para gerar
traço marcante nas obras escritas após a incompreensão;
proclamação da independência; (D) sobrecarregar o poema com imagens com a
(B) a propaganda das potencialidades da terra, finalidade de dificultar a leitura;
aspecto que pode ser identificado nas produções (E) valer-se de recursos que dificultassem a
do Brasil colônia; memorização dos seus versos.
(C) o detalhismo paisagístico característico das
manifestações literárias que foram influenciadas Questão 11 --------------------------------------------------------
pelo cientificismo da segunda metade do século
XIX; No estudo que fizemos da História da Literatura
(D) o ufanismo patriótico que caracterizou as Brasileira, observamos o que se chama Estilo de
produções no período em que o Brasil promovia época (conjuto de procedimentos utilizados por uma
sua emancipação e construía sua identidade; série de autores num dado contexto) e também o
(E) a idealização da paisagem, elemento fundamental Estilo Individual (marcas pessoais de cada autor).
da escola realista. Para responder às questões 11 e 12, considere os
textos A e B:

3
ENEM – Linguagem
TEXTO A Questão 13 --------------------------------------------------------

NASCI ANTES DO TEMPO

Tudo que criei e defendi


nunca deu certo.
Nem foi aceito.
E eu perguntava a mim mesma.
Por quê?
Quando menina,
ouvia dizer sem entender
quando coisa boa ou ruim
acontecia a alguém:
Fulano nasceu antes do tempo,
Guardei.
TEXTO B Tudo que criei, imaginei e defendi
nunca foi feito.
No descomeço era o verbo. E eu dizia como ouvia
Só depois é que veio o delírio do verbo. a moda de consolo:
O delírio do verbo estava no começo,lá Nasci antes do tempo.
onde a criança diz: Eu escuto a cor dos
Passarinhos. Alguém me retrucou.
A criança não sabe que o verbo escutar não Você nasceria sempre
funciona para cor, mas para som. antes do tempo.
Então se a criança muda a função de um Não entendi e disse amém.
verbo, ele delira. Cora Coralina
E pois.
Em poesia que é voz de poeta, que é voz O eu-poético revela sentimento de:
de fazer nascimentos –
O verbo tem que pegar delírio. (A) compreensão;
(B) desajuste;
O Livro da Ignorãças – Manoel de Barros (C) saudade;
(D) Pertencimento;
Para o autor do texto A: (E) Desumanidade;

(A) Importa a discursividade


(B) O lirismo é imprescindível; Questão 14 --------------------------------------------------------
(C) A coloquialidade é fundamental;
(D) Poesia é apenas sentimento verbalizado; O tema do desajustamento do individuo com o mundo
(E) O aspecto gráfico/visual é crucial. pode ser reencontrado em;
(A) Quando nasci, um anjo torto,
desses que vivem na sombra
Questão 12 -------------------------------------------------------- disse: Vai, Carlos! Ser gauche na vida
C. D. de Andrade.
Para o autor do texto B: (B) Eu não tinha este rosto de hoje,
assim calmo, assim triste,
(A) Só as crianças que não freqüentam a escola e não assim magro, nem estes olhos tão vazios,
conhecem as regras gramaticais é que podem nem o lábio amargo.
fazer poesia; Cecília Meireles
(B) O desrespeito à gramática é uma prática (C) Oh que saudades que tenho
condenável; Da aurora de minha vida,
(C) A criação é um ato completamente irracional; Da minha infância querida
(D) A poesia está no desvio e na reinvenção da Que os anos não trazem mais!
linguagem; Casimiro de Abreu
(E) As palavras devem ter apenas um único sentido. (D) Eu sou aquele que os passados anos
Cantei na minha lira maldizente
Torpezas do Brasil, vícios e enganos.
Gregório de Matos
(E) Se a alguém causa inda pena a tua chaga,
Apedreja essa mão vil que te afaga,
Escarra nessa boca que te beija!
Augusto dos Anjos
4
ENEM – Linguagem

Questão 15 -------------------------------------------------------- (A) Metrificados de 5 sílabas poéticas;


(B) Metrificados de 7 sílabas poéticas;
CANTIGA (C) Livres de 5 sílabas poéticas;
(D) Metrificados de 4 sílabas poéticas;
Nas ondas da praia (E) Livres;
Nas ondas do mar
Quero ser feliz Questão 18 --------------------------------------------------------
Quero me afogar.

Nas ondas da praia


Quem vem me beijar?
Quero a estrela-d’alva
Rainha do mar.

Quero ser feliz


Nas ondas do mar
Quero esquecer tudo
Quero descansar.

Manuel Bandeira

No poema, Manuel Bandeira empregou recursos da


linguagem como:

(A) Anáforas (repetições de palavras com terminações No texto da bula predomina a função
semelhantes no final dos versos);
(B) Polissíndetos (omissão dos conetivos que ligam (A) Metalingüística;
um verso a outro); (B) Poética;
(C) Assonâncias (reprodução de uma mesma vogal (C) Referencial;
para obter sonoridade); (D) Apelativa;
(D) Aliterações (supressão das vírgulas); (E) Expressiva;
(E) Assíndetos (repetição de palavras no início dos
versos)
Questão 19 --------------------------------------------------------

Questão 16-------------------------------------------------------- A função Referencial pode ser identificada em textos

No poema Cantiga, encontramos elementos (A) que valorizem a plurissignificação da linguagem;


estruturais que o classificam com um texto do Gênero: (B) que procurem levantar reflexões sobre a
linguagem;
(A) Dramático; (C) que utilizem uma linguagem direta e objetiva;
(B) Épico; (D) que explorem a sonoridade da linguagem;
(C) Narrativo; (E) que extraia beleza da linguagem;
(D) Lírico;
(E) Discursivo;
Questão 20 --------------------------------------------------------

Questão 17 -------------------------------------------------------- No século XIX, momento em que nosso país estava


afirmando sua identidade, o romancista José de
Para a musicalidade do poema, Bandeira utilizou Alencar foi criticado pelo escritor Pinheiro Chagas pela
versos; mania de tornar o brasileiro uma língua diferente
do velho português por meio de neologismos
arrojados e injustificáveis e de insubordinações
gramaticais (grifo nosso). Alencar reagiu:

Acusa-nos o Sr. Pinheiro Chagas a nós


escritores brasileiros do crime de insurreição contra a
gramática de nossa língua comum. Em sua opinião
estamos possuídos da mania de tornar o brasileiro
uma língua diferente do velho português!
Que a tendência, não para a formação de uma
nova língua, mas para a transformação profunda do
5
ENEM – Linguagem
idioma de Portugal, existe no Brasil, é fato o incitavam a falar, exclamava: - ai! que
incontestável. Mas, em vez de atribuir-nos a nós preguiça!...
escritores essa revolução filológica, devia o Sr. (C) A primeira que se pôs a berrar foi a Leandra, de
Pinheiro Chagas, para ser coerente com sua teoria, alcunha “machona”, portuguesa feroz, berradora,
buscar o germe dela e seu fomento no espírito pulsos cabeludos e grossos, anca de animal do
popular, no falar do povo, esse “ignorante sublime” campo.
como lhe chamou. (D) A tez é como o marfim do teclado, alva que não
deslumbra, embaçada por uma nuança delicada,
Considerando o que disse o Sr. Pinheiro Chagas e a que não sabereis dizer se é leve palidez ou cor-
resposta de José de Alencar, podemos afirmar: de-rosa desmaiada.
(E) Nunca eu tivera querido
(A) Os neologismos a que se refere Pinheiro Chagas, dizer palavra tão louca:
são as palavras inusitadas, certamente de origem bateu-me o vento na boca,
tupy, que Alencar registrava na sua prosa e depois no teu ouvido.
indianista;
(B) Segundo Alencar, a grande e profunda
transformação do idioma estava sendo promovida
pelo povo que, desconhecendo a gramática,
conscientemente, é responsável pela criação de
um código lingüístico totalmente novo;
(C) José de Alencar é acusado apenas pelas
inovações no campo lexical, pois, segundo
Pinheiro Chagas, todo o resto é justificável em se
tratando de arte literária;
(D) No contexto em que a acusação e a defesa foram
feitas, não havia razão para tal discussão, já que a
língua falada e escrita aqui no Brasil, como lá em
Portugal, era exatamente a mesma;
(E) Pinheiro Chagas, ao chamar de mania as
transformações observadas na literatura brasileira,
avalia como positivas tais mudanças.

Questão 21 --------------------------------------------------------

Dando continuidade ao assunto abordado na questão


anterior, lembramos que houve um acordo ortográfico
entre Brasil e Portugal que deve entrar em vigor a
partir de 2014. Embora passemos a utilizar a mesma
grafia dos portugueses, sabemos que continuaremos
a falar de forma diferente o mesmo idioma. Essa
diferença que foi valorizada pela literatura Romântica,
também teve prestígio na literatura;

(A) Parnasiana;
(B) Simbolista;
(C) Quinhentista;
(D) Árcade;
(E) Modernista;

Questão 22 --------------------------------------------------------

Aponte a alternativa que apresenta uma passagem


onde é possível identificar a valorização da língua
brasileira, conforme o que temos no enunciado da
questão 20.

(A) Amo o teu viço agreste e o teu aroma


Das virgens selvas e do oceano largo!
Amo-te, ó rude e doloroso idioma,
(B) Já de meninice fez coisas de sarapantar. De
primeiro passou mais de seis anos não falando. Si